Abrir menu principal
Dwitza
Álbum de estúdio de Ed Motta
Lançamento Janeiro de 2002
Gravação Rio de Janeiro, de 05 de novembro a 01 de dezembro de 2001, no estúdio AR
Gênero(s) Pop, soul, funk, samba jazz, jazz
Idioma(s) Português
Formato(s) CD (Universal Music - Brasil) e LP (What Music - Reino Unido)
Gravadora(s) Universal Music
Produção Ed Motta
Cronologia de Ed Motta
As Segundas Intenções do Manual Prático
(2000)
Poptical
(2003)
Técnico de gravação e mixagem: Duda Mello. Masterizado por Carlos de Freitas, no Classic Master, em São Paulo.

Dwitza é o sétimo disco do cantor Ed Motta, lançado em janeiro de 2002 é também o seu sexto disco solo. O disco traz um repertório basicamente instrumental (com exceção de duas faixas) no qual a voz de Ed entra como pano de fundo, nos vocalises jazzísticos que ele vem testando desde os tempos de Entre e Ouça.

"Para manter a sonoridade natural e dinâmica dos instrumentos e vozes, no processo de gravação, mixagem e masterização deste álbum não foram utilizados sistemas de reverberação, equalização e compressão digitais." [1]

AnáliseEditar

Dwitza representa, se não um ponto final, um divisor de águas radical na carreira de Ed Motta como a conhecemos. Sai de cena o eficaz - sofisticado, mas acessível - compositor pop e entra o experimentalista, o jovem estudioso da música negra dando vazão a sua considerável cultura sônica. O disco traz um repertório basicamente instrumental (à exceção de duas faixas) no qual a voz de Ed Motta entra como pano de fundo, nos vocalizes jazzísticos que ele vem testando desde os tempos de Entre e Ouça (1992). Os temas foram concebidos como peças de um showcase triplo - demonstrando a versatilidade de Ed Motta como compositor, sua erudição em termos de referências musicais e sua capacidade como arranjador, produtor e instrumentista. O resultado é ambíguo. Nos três quesitos citados acima, o volumoso artista se sai muito bem. Jazz (sobretudo o da escola "afrocêntrica" dos EUA), trilhas cinematográficas, rock progressivo, soul, funk, samba-jazz, tudo isso e mais um pouco entra no caldeirão sonoro do disco, embasando composições de harmonias tortuosas (leia-se ricas e surpreendentes). Timbres e instrumentos vintage valorizam os arranjos, deixando tudo com uma sonoridade de trilha sonora à la anos 70. Mas Dwitza, concebido assumidamente como "disco difícil", é árido aos ouvidos, especialmente aos acostumados à vertente pop do trabalho de Ed Motta. É o tipo de álbum que "dá trabalho para escutar", mesmo para quem - estes, poucos - tiver condições de digerir e perceber todas as influências e referências espalhadas pelo disco.

Por pouco Ed Motta não cai na tentação de esbanjar, futilmente, sua sapiência musical - tranformando o CD numa cansativa exposição de sonoridades. Quando a pretensão baixa a bola, porém, Dwitza oferece bons achados. Em meio ao mar de citações, algumas claras (Amalgasantos, para Moacir Santos e Um Dom pra Salvador, homenagem ao pianista brasileiro), outras obscuras, há espaço para música que fala por si só. Como as balançadas Lindúria e a já citada Um Dom pra Salvador, ambas remetendo às trilhas sonoras hollywoodianas e ao samba-jazz. As onomatopeicas Malumbulo e Papuera pulsam em ritmo afro, revezando-se com o balanço cool de Cervejamento Total (conjugando jazz e batucada). As duas únicas músicas com letra, Doce Ilusão e Coisas Naturais, mostram um compositor refinado e econômico, mas acessível.

FaixasEditar

N.º TítuloCompositor(es) Duração
1. "Um Dom pra Salvador"  Ed Motta 3:45
2. "No carrão eu me Perdizes na Consolação"  Ed Motta 2:23
3. "Sus-tenta"  Ed Motta 4:25
4. "Doce ilusão"  Ed Motta e Nelson Motta 3:52
5. "Lindúria"  Ed Motta 3:46
6. "Valse au beurre blanc"  Ed Motta 2:14
7. "Amalgasantos"  Ed Motta 3:07
8. "A balada do mar salgado"  Ed Motta 3:27
9. "Coisas naturais"  Ed Motta e Ronaldo Bastos 4:02
10. "Malumbulo"  Ed Motta 3:57
11. "Madame pela Umburgo (no seu teatro dos olhos)"  Ed Motta 3:16
12. "Cervejamento total"  Ed Motta 2:00
13. "Papuera"  Ed Motta 3:54
14. "Instrumetida"  Ed Motta 2:48
Duração total:
46:56


Dwitza vendeu mais de 50 mil cópias no Brasil. Tendo sido lançado posteriormente na Grã-Bretanha

Referências

  1. Nota do encarte do álbum

Ligações externasEditar


  Este artigo sobre um álbum de Ed Motta é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.