Abrir menu principal

Eleições estaduais de Mato Grosso do Sul em 2014

← 2010 • Bandeira de Mato Grosso do Sul.svg • 2018
Eleições estaduais de Mato Grosso do Sul em 2014
Governador para o período 2015-2018
5 de outubro de 2014
(primeiro turno)
26 de outubro de 2014
(segundo turno)
Tipo de eleição:  Estadual
Demografia eleitoral
Votantes 1.ª volta/1.º turno: 1444320
  
79.47% Red Arrow Down.svg 2.9%
Votantes em 2.ª volta/2.º turno: 1339977
  
76.47% Red Arrow Down.svg 3.8%
Deputado Federal Reinaldo Azambuja.jpg
Reinaldo AzambujaPSDB
coligação: Novo Tempo
Votos 1º volta: 516744  
Em 2.ª volta/2.º turno 741516 Green Arrow Up.svg 43.5%
  
39.09%
  
55.34%
Foto oficial de Delcídio do Amaral.jpg
Delcídio do AmaralPT
coligação: Mato Grosso do Sul com a Força de Todos
Votos 1.ª volta/1.º turno: 567331  
Em 2.ª volta/2.º turno 598461 Green Arrow Up.svg 5.5%
  
42.62%
  
44.66%

Brasão de Mato Grosso do Sul.svg
Governador de Mato Grosso do Sul

As eleições estaduais em Mato Grosso do Sul, em 2014, foram realizadas em 5 de outubro (1º turno) e 26 de outubro (2º turno), como parte das eleições gerais no Brasil. Os eleitores aptos a votar elegeram o Presidente da República, Governador do Estado e um Senador da República, além de 8 deputados federais e 24 deputados estaduais. Como nenhum dos candidatos a governador obtiver mais da metade dos votos válidos, um segundo turno foi realizado. Os principais candidatos a governador foram Nelson Trad Filho (PMDB), Delcídio do Amaral (PT) e Reinaldo Azambuja (PSDB). Para o Senado os principais candidatos foram Simone Tebet (PMDB), Ricardo Ayache (PT) e Antônio João Hugo Rodrigues (PSD).

Índice

ContextoEditar

Em 3 de outubro de 2010, o médico André Puccinelli foi reeleito governador de Mato Grosso do Sul, com 56% dos votos válidos. Puccinelli havia sido prefeito da capital Campo Grande por dois mandatos, de 1997 a 2000 e de 2001 a 2004. No pleito de 2010 – assim como em 1996 –, o atual governador derrotou seu rival político, o ex-governador José Orcírio Miranda dos Santos, o Zeca do PT.

Durante as eleições municipais em Campo Grande, em 21 de agosto de 2012, foi publicado um vídeo gravado no dia 10 de agosto, na sede do PMDB de Campo Grande, onde Puccinelli supostamente praticava coação eleitoral sobre servidores para que Edson Giroto fosse eleito prefeito da capital sul-mato-grossense. O vídeo inicia com uma funcionária comentando sobre exoneração para os convocados que não estivessem presentes, então Puccinelli, com uma lista, chama pelo nome os funcionários públicos que devem dizer sua intenção de voto para prefeito e vereador. Após o anúncio, André dava opiniões e instruções sobre o candidato escolhido pelo eleitor. O governador também dá orientações sobre a forma que devem ser as peças publicitárias dos vereadores.[1] O caso culminou na derrota de Giroto para o adversário Alcides Bernal.[2]

A conturbada eleição de Bernal, com uma oposição forte na Câmara Municipal, gerou a maior crise política de Campo Grande. Acusado de ineficiência,[3] e com aliados abandonando seu governo,[4] o prefeito foi investigado por um comissão parlamentar de inquérito[5] e enfrentou uma comissão processante.[6] Bernal acusou o governador André Puccinelli de comandar golpe para sua cassação de mandato,[7] seu vice Gilmar Olarte de participar do suposto golpe,[8] a imprensa e outros adversários políticos.[9] A votação da cassação, em 26 de dezembro de 2013 foi suspensa pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ/MS), a pedido de Bernal.[10] Uma reviravolta em 6 de março de 2014 permitiu o reinício da Processante, por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), a pedido da Câmara. Alcides Bernal foi cassado pela Câmara Municipal seis dias depois, em nove votações.[11] O vice-prefeito, Gilmar Olarte, assumiu o cargo.[12]

O senador Delcídio do Amaral foi apontado em março de 2014 como responsável pela indicação de Nestor Cerveró para a diretoria internacional da Petrobras.[13] Cerveró operou a compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, que causou prejuízos à companhia estatal.[14] Delcídio acusou o PMDB de ter indicado Cerveró, o que gerou uma troca de acusado com o presidente do Senado, Renan Calheiros.[15] O senador ainda entrou com liminar contra o jornal sul-mato-grossense Correio do Estado por relacioná-lo a Cerveró,[16] mas a ação foi suspensa em seguida.[17]

Os pré-candidatos a governador e senador, respectivamente, Delcídio do Amaral e Reinaldo Azambuja chegaram a negociar uma aliança entre PT e PSDB, mas foi vetada pelas Executivas Nacionais de ambos os partidos.[18]

Definição das candidaturasEditar

  • Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB): O ex-prefeito de Campo Grande e ex-secretário estadual de Articulação com os Municípios, Nelson Trad Filho, anunciou após deixar o Paço Municipal que concorreria à sucessão de André Puccinelli.[19] Na convenção do partido, Trad Filho e Janete Morais foram homologado como candidatos do partido à sucessão de André Puccinelli e Simone Tebet.[20]
  • Partido dos Trabalhadores (PT): O senador Delcídio do Amaral já era apontado como candidato ao governo há alguns meses como candidato ao governo do estado.[19] Delcídio foi oficializado candidato em convenção partidária, e o deputado estadual Londres Machado foi indicado como seu vice.[21]
  • Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB): O ex-prefeito de Maracaju e deputado federal Reinaldo Azambuja tentou negociar aliança com o PT, que foi vetada pelas Executivas Nacionais de ambos os partidos.[22] Com a negativa, ele foi lançado como candidato ao Parque dos Poderes na convenção do partido.[23]
  • Partido Progressista (PP): O vereador de Corumbá Evander Vendramini foi lançado como candidato ao governo do estado na convenção do partido. Como vice, o candidato terá a vereadora de Dourados Virgínia Magrini.[24]
  • Partido Socialismo e Liberdade (PSOL): O professor e candidato derrotado à Prefeitura de Campo Grande em 2012, Sidney Melo, foi aclamado como candidato ao Parque dos Poderes na convenção do partido. A chapa terá o professor Waldely Vaneli como candidato a vice-governador.[25]
  • Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU): o professor Marco Antônio Monje e o candidato derrotado à Prefeitura de Campo Grande em 2012 Suél Ferranti foram confirmados como candidato e vice ao governo do estado na convenção do partido.[26]

CandidatosEditar

Governo do estadoEditar

Candidato a governador Candidato a vice-governador Número Eleitoral Coligação Tempo de horário eleitoral
Nelson Trad Filho
PMDB
Janete Morais

PSB

15
MS Cada Vez Melhor
PMDB, PSB, PSC, PRB, PRTB, PHS e PTdoB
04’18”48
Delcídio do Amaral
PT
Londres Machado

PR

13
Mato Grosso do Sul com a Força de Todos
PT, PR, PROS, PDT, PCdoB, PV, PRP, PTC e PTB
06’20”12
Reinaldo Azambuja
PSDB
Rose Modesto
PSDB
45
Novo Tempo
PSDB, PSD, SD, PPS, PMN e DEM
04’55”91
Evander Vendramini
PP
Virgínia Magrini

PP

11
-
PP
02’07”49
Sidney Melo
PSOL
Waldely Vaneli

PSOL

50
-
PSOL
01’11”35
Marco Antônio Monje
PSTU
Suél Ferranti

PSTU

16
-
PSTU
01’06”67

SenadoEditar

Candidato a senador 1º suplente 2º suplente Número Eleitoral Coligação Tempo de horário eleitoral
Simone Tebet
PMDB
Celso Dal Lago
PMDB
Moacir Kohl
PSB
151
MS Cada Vez Melhor
PMDB, PSB, PSC, PRB, PRTB, PHS e PTdoB
02’09”24
Ricardo Ayache
PT
Leocádia Petry Leme
PDT
Joedi Guimarães
PRP
133
Mato Grosso do Sul com a Força de Todos
PT, PR, PDT, PRP, PROS, PDT, PCdoB, PV, PTC e PTB
03’10”06
Antônio João Hugo Rodrigues
PSD
David Infante
PSD
Maria Lúcia Cintra
PSDB
555
Novo Tempo
PSDB, PSD, SD, PSD, PMN e DEM
02’27”95
Alcides Bernal
PP
Ulisses Duarte
PP
Wilson Acosta
PP
111
-
PP
01’03”74
Lucien Rezende
PSOL
Alexandre Omedo
PSOL
Paulo Benites
PSOL
500
-
PSOL
00’35”67
Valdemir Cassimiro
PSTU
Niel Borba
PSTU
Délcio Cruz
PSTU
167
-
PSTU
00’33”33

PesquisasEditar

Governo do EstadoEditar

1º turnoEditar

Data Instituto Delcídio do Amaral
(PT)
Nelsinho Trad
(PMDB)
Reinaldo Azambuja
(PSDB)
Evander Vendramini
(PP)
Sidney Melo
(PSOL)
Marco Antônio Monje
(PSTU)
Brancos/nulos Não souberam/Não opinaram
06/04/2014 IPEMS 33,33% 32,84% 16,67% - - - - -
22/05/2014 DATAmax 27,30% 34,10% 22,80% - - - 4,10% 6,60%
11/06/2014 DATAmax 44,90% 28,60% 18,20% - 1,50% 2,10% 2,10% 1,70%
25/06/2014 Fiems/Ibrape 46% 25% 18% - 1% 1% 4% 4%
17/07/2014 DATAmax 46,10% 25,50% 18,60% 0,80% 1,00% 1,50% 2,10% 4,30%
07/08/2014 IBOPE 39% 20% 19% 0% 1% 0% 4% 16%
13/08/2014 Veritá 39,3% 23,7% 21,6% 1% 0,4% 0,7% 5,3% 8%
14/08/2014 Fiems/Ibrape 44% 20% 21% 2% 1% 1% 4% 7%
29/08/2014 DATAmax 38,80% 16,70% 21,60% 0,60% 0,70% 0,40% 5,60% 15,70%
04/09/2014 IBOPE 42% 16% 22% 1% 1% 0% 7% 11%
05/09/2014 Famasul/Companhia de Pesquisa 36% 16% 23% 0% 1% 0% 5% 19%
11/09/2014 DATAmax 42,50% 19,10% 19,90% 0,70% 0,30% 0,30% 5,70% 11,30%
21/09/2014 SBT MS/Vale Consultoria 38,17% 20,94% 27,11% 1,65% 0,59% 0,59% 3,47% 7,48%
22/09/2014 Fiems/Ibrape 44% 18% 22% 1% 1% 1% 4% 9%
23/09/2014 IPEMS 42,58% 17,17% 26,42% 0,50% 0,33% 0,33% 6,25% 6,42%
25/09/2014 IBOPE 42% 16% 23% 1% 0% 0% 6% 11%
26/09/2014 DATAmax 42,10% 18,40% 24,40% 1,10% 0,50% 0,40% 5,50% 7,60%
27/09/2014 Famasul/Companhia de Pesquisa 39,4% 18% 25,9% 0,5% 0,4% 0,6% 5,3% 10%
02/10/2014 SBT MS/Vale Consultoria 37,85% 17,80% 30,13% 1,35% 0,35% 0,45% 4,53% 7,54%
03/10/2014 Fiems/Ibrape 46% 16% 26% 1% 1% 0% 5% 5%
04/10/2014 IBOPE 39% 13% 33% 1% 1% 1% 6% 6%

2° turnoEditar

Data Instituto Delcídio do Amaral
(PT)
Reinaldo Azambuja
(PSDB)
Brancos/nulos Não souberam/Não opinaram
10/10/2014 SBT MS/Vale Consultoria 37,12% 49,18% 4,71% 8,99%
13/10/2014 Ibope 44% 46% 7% 3%
17/10/2014 DATAmax 40,17% 51,25% 4,42% 4,17%
18/10/2014 SBT MS/Vale Consultoria 37,29% 50,41% 5,47% 6,83%
20/10/2014 IPEMS 46,39% 53,61% - -
20/10/2014 A Crítica/Ipespe 44% 39% 7% 9%
20/10/2014 Ibope 45% 46% 4% 5%
23/10/2014 SBT MS/Vale Consultoria 37,06% 52,12% 3,94% 6,88%
25/10/2014 DATAmax 41,92% 50,5% 4% 3,58%
25/10/2014 IPEMS 44,70% 55,30% - -
25/10/2014 Ibope 46% 45% 5% 4%

SenadoEditar

Data Instituto Simone Tebet
(PMDB)
Ricardo Ayache
(PT)
Antônio João
(PSD)
Alcides Bernal
(PP)
Lucien Rezende
(PSOL)
Valdemir Cassimiro
(PSTU)
Brancos/nulos Não souberam/Não opinaram
26/06/2014 IBRAPE 28% 8% 5% - - - 16% 43%
13/07/2014 DATAmax 44,20% 4,90% 3,60% 31,80% - - 4,70% 7,90%
07/08/2014 IBOPE 34% 6% 4% 24% 1% 1% 6% 22%
14/08/2014 Veritá 34,5% 6,3% 2,4% 25,9% 2,3% 1,2% 8,8% 18,6%
15/08/2014 IBRAPE 34% 8% 5% 28% 2% 2% 7% 14%
31/08/2014 DATAmax 35,00% 9,60% 4,00% 19,30% 1,10% 1,10% 6,90% 23,00%
05/09/2014 IBOPE 34% 12% 4% 18% 1% 1% 8% 22%
15/09/2014 DATAmax 36,50% 12,10% 3,70% 21,70% 1,40% 0,90% 7,70% 16,10%
21/09/2014 SBT MS/Vale Consultoria 34,94% 12,11% 7,37% 27,17% 0,71% 0,05% 6,17% 11,68%
23/09/2014 IPEMS 37,67% 15,83% 5,67% 20,17% 0,83% 1,42% 6,25% 6,42%
23/09/2014 IBRAPE 36% 12% 4% 23% 1% 2% 7% 15%
26/09/2014 IBOPE 37% 12% 5% 19% 1% 1% 6% 19%
29/09/2014 DATAmax 40% 13,90% 4,50% 18,90% 1,10% 1,70% 7,50% 12,60%
04/10/2014 IBOPE 40% 16% 5% 20% 2% 1% 7% 9%

Debates (televisionados ou não)Editar

Governo do EstadoEditar

1º turnoEditar

Data Organizador(es) Mediador(a) Delcídio do Amaral
(PT)
Evander Vendramini
(PP)
Marco Antônio Monje
(PSTU)
Nelson Trad Filho
(PMDB)
Reinaldo Azambuja
(PSDB)
Sidney Melo
(PSOL)
18/08/2014[27] Midiamax, TV Guanandi e TV Imaculada Conceição Salette Lemos Presente Presente Presente Presente Presente Presente
18/09/2014[28] Arquidiocese de Campo Grande, Universidade Católica Dom Bosco e TV Imaculada Conceição Prof. Dr. Heitor Romero Marques Presente Presente Presente Presente Ausente Presente
19/09/2014[29] Ordem dos Advogados do Brasil seccional Mato Grosso do Sul (OAB/MS) Ausente Ausente Ausente Presente Ausente Ausente
21/09/2014[30] Midiamax, TV Imaculada Conceição e Conexão BR Salette Lemos Presente Presente Presente Presente Presente Presente
24/09/2014[31] Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (Fetems) Ausente Presente Presente Presente Ausente Presente
25/09/2014[32] Rádio Grande FM, Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) e Associação Comercial e Empresarial de Dourados (Aced) Amarildo Ricci Ausente Presente Presente Presente Presente Presente
26/09/2014[33] SBT MS Kennedy Alencar Ausente Presente Presente Presente Presente Presente
30/09/2014[34] TV Morena Carlos Monforte Presente Presente Não convidado Presente Presente Presente

2º turnoEditar

Data Organizador(es) Mediador Delcídio do Amaral
(PT)
Reinaldo Azambuja
(PSDB)
20/10/2014[35] Midiamax, TV Imaculada Conceição e Conexão BR Cancelado pelos organizadores[36]
23/10/2014[37] TV Morena Carlos Monforte Presente Presente

SenadoEditar

Data Organizador(es) Alcides Bernal
(PP)
Antônio João
(PSD)
Lucien Rezende
(PSOL)
Ricardo Ayache
(PT)
Simone Tebet
(PMDB)
Valdemir Cassimiro
(PSTU)
10/09/2014[38] Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (Fetems) Presente Ausente Presente Presente Presente Presente

ResultadosEditar

GovernadorEditar

Candidato(a) Vice 1º turno
5 de outubro de 2014[39]
2º turno
26 de outubro de 2014[39]
Total Percentagem Total Percentagem
Reinaldo Azambuja (PSDB) Rose Modesto (PSDB) 516.744 39,09% 741.516 55,34%
Delcídio do Amaral (PT) Londres Machado (PR) 567.331 42,92% 598.461 44,66%
Nelson Trad Filho (PMDB) Janete Morais (PSB) 217.093 16,42% Não participou
Evander Vendramini (PP) Virgínia Magrini (PP) 10.823 0,82%
Professor Sidney (PSOL) Waldely Vaneli (PSOL) 7.823 0,59%
Professor Monje (PSTU) Suél do PSTU (PSTU) 2.035 0,15%
→ Total de votos válidos 1.321.849 91,52% 1.339.977 95,91%
→ Votos em branco 62.041 4,3% 22.109 1,58%
→ Votos nulos 60.040 4,18% 35.094 2,51%
Total 1.444.320 79,47% 1.397.180 76,47%
Abstenções 373.191 20,53% 420.367 23,13%
Total de inscritos 1.817.511 100% 1.817.511 100%
  Eleito(a)
  Segundo turno

GráficosEditar

SenadorEditar

Candidato(a) Suplentes Turno único
5 de outubro de 2014[39]
Total Percentagem
Simone Tebet (PMDB) Celso Dal Lago (PMDB)
Moacir Kohl (PSB)
640.336 52,61%
Ricardo Ayache (PT) Leocádia Petry Leme (PDT)
Joedi Guimarães (PRP)
281.022 23,09%
Alcides Bernal (PP) Ulisses Duarte (PP)
Wilton Acosta (PP)
204.262 16,78%
Antônio João (PSD) David Infante (PSD)
Maria Lúcia Cintra (PSDB)
86.971 7,15%
Lucien Rezende (PSOL) Alexandre Omedo (PSOL)
Paulo Benites (PSOL)
3.056 0,25%
Valdemir do PSTU (PSTU) Niel Borba (PSTU)
Délcio do PSTU (PSTU)
1.435 0,12%
→ Total de votos válidos 1.444.320 91,52%
→ Votos em branco 105.591 7,31%
→ Votos nulos 121.647 8,42%
Total 1.444.320 84,27%
Abstenções 373.191 20,53%
Total de inscritos 1.817.511 100%
  Eleito(a)

GráficosEditar

Deputados federaisEditar

No estado elegeram-se 8 deputados federais[40]. O ícone   indica os que foram reeleitos.

Candidato (a) Número Coligação Votos Porcentagem
Zeca do PT (PT) 1313
Mato Grosso do Sul com a Força de Todos
160.556 12,57%
Carlos Marun (PMDB) 1515
MS Cada Vez Melhor
91.816 7,19%
Geraldo Resende (PMDB) 1511
MS Cada Vez Melhor
87.546 6,86%
Tereza Cristina (PSB) 4040
MS Cada Vez Melhor
75.149 5,89%
Vander Loubet (PT)   1331
Mato Grosso do Sul com a Força dos Todos
69.504 5,44%
Luiz Henrique Mandetta (DEM)   2555
Novo Tempo
57.374 4,49%
Marcio Monteiro (PSDB) 4545
Novo Tempo
56.441 4,42%
Dagoberto Nogueira Filho (PDT) 1234
Mato Grosso do Sul com a Força de Todos
54.813 4,29%

Obs.: A tabela acima mostra somente os candidatos eleitos.

Deputados estaduaisEditar

No estado elegeram-se 24 deputados estaduais[41]. O ícone   indica os que foram reeleitos.

Candidato (a) Número Coligação Votos Porcentagem
Marquinhos Trad (PMDB)   15800
MS Cada Vez Melhor
47.015 3,58%
Paulo Corrêa (PR)   22222
Mato Grosso do Sul com a Força de Todos
39.540 3,01%
Grazielle Machado (PR) 22123
Mato Grosso do Sul com a Força de Todos
39.374 3,00%
Renato Câmara (PMDB) 15150
MS Cada Vez Melhor
36.903 2,81%
Junior Mochi (PMDB)   15555
MS Cada Vez Melhor
35.297 2,69%
Zé Teixeira (DEM)   25121
Novo Tempo
32.069 2,44%
Eduardo Rocha (PMDB)   15123
MS Cada Vez Melhor
30.873 2,35%
Angelo Guerreiro (PSDB) 45055
Novo Tempo
29.534 2,25%
Professor Rinaldo (PSDB) 45045
Novo Tempo
29.386 2,24%
Felipe Orro (PDT)   12345
Mato Grosso do Sul com a Força de Todos
28.571 2,18%
Beto Pereira (PDT) 12000
Mato Grosso do Sul com a Força de Todos
27.182 2,07%
Flávio Kayatt (PSDB) 45456
Novo Tempo
25.685 1,96%
Onevan de Matos (PSDB)   45123
Novo Tempo
24.822 1,89%
Lídio Lopes (PEN) 51777
MS Cada Vez Melhor
23.643 1,80%
Mara Caseiro (PT do B)   70000
MS Cada Vez Melhor
23.532 1,79%
Márcio Fernandes (PT do B)   70123
MS Cada Vez Melhor
22.357 1,70%
Maurício Picarelli (PMDB)   15715
MS Cada Vez Melhor
22.536 1,70%
Antonieta Amorim (PMDB) 15615
MS Cada Vez Melhor
21.860 1,66%
Barbosinha (PSB) 40456
MS Cada Vez Melhor
21.554 1,64%
Cabo Almi (PT)   13699
Mato Grosso do Sul com a Força de Todos
21.195 1,61%
João Grandão (PT) 13111
Mato Grosso do Sul com a Força de Todos
21.127 1,61%
Amarildo Cruz (PT) 13013
Mato Grosso do Sul com a Força de Todos
20.585 1,57%
Pedro Kemp (PT)   13613
Mato Grosso do Sul com a Força de Todos
20.174 1,54%
Dr. George Takimoto (PDT)   12012
Mato Grosso do Sul com a Força de Todos
16.586 1,26%

Obs.: A tabela acima mostra somente os candidatos eleitos.

Referências

  1. Vídeo revela coação eleitoral de Puccinelli sobre servidores para eleger Giroto
  2. Alcides Bernal (PP) é eleito prefeito de Campo Grande
  3. Deputados chamam Bernal de incompetente e o acusam de ‘boicotar o povo’
  4. PSDB rompe aliança com Bernal
  5. CPI do Calote aponta “sete crimes” cometidos pelo prefeito da Capital
  6. Por 21 a 8, Câmara aprova Comissão Processante para investigar Bernal
  7. Bernal volta a dizer que Puccinelli orienta vereadores para cassá-lo
  8. Bernal acusa seu vice Gilmar Olarte de “incentivar” cassação nos bastidores
  9. Prefeito acusa imprensa e “adversários” de tentarem cassar mandato
  10. Vice-presidente do Tribunal suspende processo de cassação de Bernal
  11. Câmara de Vereadores cassa prefeito de Campo Grande; "É um golpe", diz
  12. Ovacionado, Gilmar Olarte assume como prefeito de Campo Grande
  13. Delcídio ajudou Cerveró a ser diretor na Petrobras
  14. Ex-diretor da Petrobras justifica a deputados compra da refinaria de Pasadena
  15. Delcídio e Renan trocam acusações sobre indicação na Petrobras
  16. Delcídio entra com ação para tentar calar o Correio do Estado
  17. Tribunal de Justiça cassa a censura de Delcídio ao Correio do Estado
  18. Delcídio e Reinaldo admitem fracasso da “aliança formal” entre PT e PSDB
  19. a b Irene, Mirelle. "Mapa eleitoral 2014". Terra. s/d. Página acessada em 20 de abril de 2014
  20. PMDB confirma Nelson Trad Filho como candidato ao governo de MS
  21. PT oficializa candidatura de Delcídio do Amaral ao governo de MS
  22. Delcídio e Reinaldo admitem fracasso da “aliança formal” entre PT e PSDB
  23. PSDB confirma candidatura de Reinaldo Azambuja ao governo de MS
  24. PP lança candidato para disputar o governo de Mato Grosso do Sul
  25. PSOL confirma candidatura de Sidney Melo ao governo de MS
  26. PSTU confirma candidatura de Marco Monje ao governo de MS
  27. Folha de Dourados. «Primeiro confronto entre candidatos ao governo de MS acontece nesta segunda-feira». Consultado em 25 de setembro de 2016 
  28. Campo Grande News. «Sem Reinaldo, debate na igreja terá cinco candidatos a governador». Consultado em 21 de setembro de 2014 
  29. Capital News. «OAB-MS promove apresentação de propostas, mas apenas um candidato comparece». Consultado em 25 de setembro de 2016. Arquivado do original em 27 de setembro de 2016 
  30. Candidatos ao governo de MS duelam no segundo debate realizado pelo jornal Midiamax
  31. Candidatos a governador líderes nas pesquisas não vão a debate da Fetems
  32. Começa em Dourados debate entre candidatos ao governo de Mato Grosso do Sul
  33. Candidatos ao governo avaliam debate como positivo para o eleitor
  34. Candidatos ao governo de MS discutem propostas em debate
  35. Midiamax. «Combinados: Reinaldo e Delcídio fogem do confronto direto em debate do Midiamax». Consultado em 25 de setembro de 2016 
  36. Combinados: Reinaldo e Delcídio fogem do confronto direto em debate do Midiamax
  37. Candidatos ao governo de MS participam do debate na TV Morena
  38. DEBATE: candidatos ao Senado se acusam, mas mostram propostas para Educação
  39. a b c G1 MS. «Apuração das Eleições 2014 em Mato Grosso do Sul». Consultado em 6 de outubro de 2014 
  40. UOL. «UOL Eleições: Apuração de votos no Mato Grosso do Sul para deputados federais». Consultado em 6 de outubro de 2014 
  41. UOL. «UOL Eleições: Apuração de votos no Mato Grosso do Sul para deputados estaduais». Consultado em 6 de outubro de 2014