Abrir menu principal

Wikipédia β

Jogos Olímpicos de Verão de 2012

jogos da XXX Olimpíada, realizados em Londres em 2012
(Redirecionado de Jogos Olímpicos de 2012)

Jogos Olímpicos de 2012 (em inglês: 2012 Summer Olympics), oficialmente conhecidos como os Jogos da XXX Olimpíada, mais comumente Londres 2012 foram os Jogos Olímpicos realizados na cidade de Londres, de 27 de julho a 12 de agosto de 2012. Após estes Jogos realizaram-se, na mesma cidade, os Jogos Paralímpicos de Verão de 2012, entre 29 de agosto e 9 de setembro.

Jogos da XXX Olimpíada
Londres 2012
London Olympics 2012 logo.svg.png
Versão clara do logotipo oficial. Há oito versões oficiais e outra versão para os Jogos Paralímpicos.
Dados
Países participantes 204 CONs
Slogan Inspire a Generation
(pt: Inspire Uma Geração)
Atletas 10 500 (expectativa)
Eventos 302 em 26 esportes
Cerimônia de abertura 27 de julho
Cerimônia de encerramento 12 de agosto
Abertura oficial Rainha Elizabeth II
Juramento do atleta Sarah Stevenson
Juramento do árbitro Mik Basi
Tocha olímpica Callum Airlie
Jordan Duckitt
Desiree Henry
Katie Kirk
Cameron MacRitchie
Aidan Reynolds
Adelle Tracey
e Austin Playfoot (após o reposicionamento da pira no Estádio)
Estádio principal Estádio Olímpico de Londres
◄◄ Pequim 2008 {{{evento}}} Rio de Janeiro 2016 ►►
Jogos Olímpicos
de Verão de 2012

COIBOALOCOG

Londres foi a primeira cidade a sediar oficialmente os Jogos Olímpicos da Era Moderna, por três vezes - as anteriores foram em 1908 e 1948.[PRIM]

Índice

Processo de candidaturaEditar

As cidades candidatas tinham até 15 de julho de 2003 para apresentar suas candidaturas. As cidades eram Havana, Istambul, Leipzig, Madrid, Moscou, Nova Iorque, Paris, e Rio de Janeiro.

Em 18 de maio de 2004, o Comitê Olímpico Internacional (COI), reduziu o número de cidades postulantes para cinco que evoluíram para candidatas: Londres, Madri, Moscou, Nova Iorque e Paris.

Em 19 de novembro de 2004, o COI recebeu os livros de candidatura das cinco candidatas e enviou uma equipe de avaliação que visitou as cinco cidades candidatas durante Fevereiro e Março de 2005. A candidatura de Paris levou duas advertências durante a visita: uma série de greves e manifestações coincidindo com a visita e de que havia uma investigação aberta sobre Guy Drut, um dos principais membros da equipe parisiense e membro do COI, que estava sendo acusado de receber propina.

Em 6 de Junho de 2005, o COI divulgou o relatório final das cinco cidades candidatas. Embora esses relatórios não contivessem qualquer pontuação ou classificação, o relatório de Paris foi considerado o melhor, seguido pelo de Londres, cuja nota tinha diminuído, em relação à primeira avaliação, em 2004. Outras duas candidatas Nova Iorque e Madri obtiveram também uma avaliação muito positiva em seus relatórios.

As cinco cidades foram visitadas por delegados do COI, que avaliaram itens como segurança, saúde, transporte, serviços de hotelaria e infraestrutura.

Resultados das candidaturas para os Jogos Olímpicos de 2012
Cidade CON 1º rodada 2º rodada 3º rodada 4º rodada
Londres   Reino Unido 22 27 39 54
Paris   França 21 25 33 50
Madrid   Espanha 20 32 31
Nova Iorque   Estados Unidos 19 16
Moscou   Rússia 15

Preparação da cidadeEditar

Acontecido desde 2005Editar

Para organizar e gerir os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Londres, foi criado em 2005, o LOCOG - Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Londres. Este comité em conjunto com o APD, Autoridade de Desenvolvimento Olímpico da Grande Londres, ficaram encarregues de executar e realizar os Jogos e de construção das infra-estruturas. O LOCOG teve como presidente, o antigo atleta britânico, Sebastian Coe.

A Secretária Executiva Olímpica - GOE, do Departamento de Cultura, Meios de Comunicação Social e Esportes, é o órgão que orienta os Jogos Olímpicos de Londres 2012. A responsável era a ministra da Organização do Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Londres, Tessa Jowell.

Com todos estes órgãos, o Reino Unido irá prolongar por muitos anos, os efeitos positivos que os Jogos Olímpicos de Londres 2012 têm para oferecer.

Cidades e locaisEditar

 
Vista aérea do Parque Olímpico.

Estes Jogos utilizaram vários espaços para acolher as competições. Áreas novas e existentes, instalações temporárias e zonas históricas (como o Hyde Park) foram parte dos Jogos de 2012. Para garantir um bom “Legado de 2012”, a preparação da cidade quer evitar problemas como aqueles que atingiram a arena The O2, proporcionando que todas as infraestruturas sejam úteis para a cidade de Londres. Das instalações construídas, algumas manterão o espírito olímpico, enquanto outras irão sofrer alterações, como o Estádio Olímpico que verá a sua capacidade de 80 mil lugares reduzida. O estádio passará a ser utilizado pela equipa inglesa West Ham em 2016. A renovação do bairro de Stratford e dos bairros vizinhos fazem parte do projecto de preparação da cidade

A renovação levou a desapropriação de várias propriedades. De modo a construir o Parque Olímpico, era necessário demolir para construir. Os proprietários sentiram-se afectados porque afirmam que as indenizações eram baixas e não correspondiam ao valor real do terreno. Além disso, existem preocupações sobre os impactos directos que o aumento do Turismo nos seculares Jardins Allotments, o que inspirou uma campanha da comunidade local, além das demolições de casas na Clays Lane Estate que foram contestadas por vários inquilinos.

A maioria dos locais, foram divididos em três zonas na Grande Londres: a Zona Olímpica, a Zona do Rio e a Zona Central. Além desses locais, algumas subsedes estão fora da Grande Londres. A Academia Nacional de Portland, Buckinghamshire e o Castelo de Hadleigh e as subsedes do futebol: Manchester, Coventry, Newcastle, Glasgow e Cardiff.

TransportesEditar

 
O Metrô de Londres transportou a maioria dos espectadores, para os eventos espalhados por toda a cidade.
 
Comboio do Metrô de Londres, com publicidade aos Jogos Olímpicos de 2012.

O transporte público era bastante completo, mas ele precisava de melhorias urgentes para os Jogos. Os principais projetos são a expansão do metrô de Londres, com a expansão e alteração das linhas East London line, Docklands Light Railway, North London line e do novo "Javelin", o serviço ferroviário de alta velocidade, utilizando o trem-bala. O LOCOG, em seu projeto entendeu, que pelo menos 80% dos atletas tenham que viajar menos de 20 minutos para os locais de competição. O Parque Olímpico foi um "hotspot" de linhas ferroviárias separadas com uma capacidade combinada de 240 mil passageiros por hora. As preocupações foram expressas na logística de espectadores que viajariam para Londres. Em particular, os eventos que acontecem em Portland, estarão numa área sem qualquer ligação viária principal, e com estradas afetadas pelo trânsito no verão (período em que acontecem os Jogos). Também existe apenas um alcance limitado para os serviços extras no sudoeste britânico,já a linha principal do sistema ferroviário britânico que vai até Southampton. Os organizadores dos Jogos dizem ter analisado o passado recente dos Jogos, mais precisamente o público dos eventos de vela e devido a limitação de acomodações na cidade, esperam que haja menos espectadores do que os que têm assistido a acontecimentos recentes, como o Carnaval de Notting Hill e a Tall Ships Race.

MascotesEditar

 
Wenlock (dir.) ao lado de Mandeville (esq.), a mascote dos Jogos Paralímpicos.

Em 19 de maio de 2010, o Comitê Organizador anunciou o mascote dos Jogos: Wenlock, que representa uma gota de aço polido.[1]

FinanciamentoEditar

Em 15 de março de 2007, Tessa Jowell anunciou na Câmara dos Comuns um orçamento de 5,3 bilhões (5,3 mil milhões) de libras esterlinas para a construção do estádio e das infra-estruturas necessárias para os Jogos, ao mesmo tempo que anunciou a reforma urbana do Lower Lea Valley, um orçamento de 1,7 bilhão (1,7 mil milhões) de libras.

O financiamento foi feito pelo sector público inglês e pelo LOCOG. No total, conseguiu-se um valor de 11,3 bilhões de libras. 9,3 bilhões do sector público e 2 bilhões de libras do LOCOG. Do sector público saíram:

  1. 6,2 bilhões do Governo Central;
  2. 2,2 bilhões da Lotaria Nacional;
  3. 875 milhões da cidade de Londres.

Para o LOCOG,

  1. 700 milhões de libras vieram de patrocínios de 42 empresas;
  2. 700 milhões do Comité Olímpico Internacional;
  3. 600 milhões de libras da venda de bilhetes.

Em Novembro de 2007, Edward Leigh, criticou os organizadores por subestimarem o custo da realização dos Jogos, sugerindo que tinham "agido de má-fé ou eram incompetentes".

Em 10 de Dezembro de 2007, confirmou-se o orçamento anunciado anteriormente. Em Junho de 2007, o Grupo Ministerial que foi criado para a gestão dos efeitos para a Autoridade de Desenvolvimento Olímpico da Grande Londres - criado para gerir os custos e administrar a verba disponível dos Jogos - se reuniram e fizeram o primeiro orçamento estimado dos Jogos, sendo que iriam sobrar 360 milhões de libras e que era necessária uma reserva de 500 milhões caso fosse necessários os gastos a mais. Em 26 de Novembro de 2007, os fundadores do Grupo Ministerial acabaram por aprovar o orçamento inicial, proposto pela Autoridade Olímpica. O custo total do orçamento está em 6,9 bilhões (6,9 mil milhões) de libras esterlinas, incluindo o que for arrecadado com os impostos e excluindo o programa geral de reservas, que foi anunciado em março. Isso inclui a doação para a APD das restantes 140 milhões, a partir da primeira reserva, de 500 milhões, anunciado em março.

Em Fevereiro de 2008, em Londres, a Comissão de Cultura e do Esporte, entregou um relatório à comissão explicando as suas preocupações quanto ao financiamento dos Jogos, a do retirada dinheiro dos esportes de Londres e de eventos de artes. Também houve queixas de que o financiamento para as Olimpíadas causou um esquecimento de outras áreas do Reino Unido. No País de Gales, tem havido críticas por parte do Plida Cyprus, argumentando que os esportes de Gales foram ignorados por causa das Olimpíadas, que eram na Inglaterra .

ParceirosEditar

Para ajudar a financiar o custo dos Jogos Olímpicos de Londres, os organizadores acordaram com grandes empresas. "Tier One", parceiros já anunciados incluem Lloyds TSB, EDF Energy, BT, British Airways, BP, Nortel, Adidas e uma parceria com o Youtube.

IngressosEditar

Os organizadores estimaram que estariam disponíveis 8 milhões de bilhetes para os Jogos Olímpicos[2] e 1.5 milhões de bilhetes para os Jogos Paralímpicos.[2][3] O LOCOG definiu como objectivo atingir receitas de bilhetes entre 500 e 600 milhões de libras. Houve igualmente eventos gratuitos, como a maratona, o triatlo e o ciclismo de estrada,[4] apesar de, pela primeira vez na história Olímpica, os eventos de Vela terem a entrada condicionada pela aquisição de bilhete.[5] Estimativas apontam que terão sido vendidos mais de 7,000,000 de bilhetes[6] para os Jogos Olímpicos, faltando a venda dos Paralímpicos. De acordo com as regras do COI, as pessoas candidataram-se a bilhetes do CON do seu país. Cidadãos da UE também o podiam fazer em qualquer país da UE.[7]

No Reino Unido, os preços dos bilhetes variaram entre 20£ para vários eventos e 2.012§ para os lugares mais caros na cerimónia de abertura. Foram dados bilhetes gratuitos a pessoal militar,[8] bem como os sobreviventes e famílias que morreram nos atentados de 7 de julho de 2005 em Londres.[9] Inicialmente, as pessoas puderam candidatar-se a bilhetes através de um website entre 15 de Março e 26 de Abril de 2011. Houve uma grande procura de bilhetes, com uma procura três vezes superior aos bilhetes disponíveis. O processo foi amplamente criticado e mais de 50% das sessões foram a sorteio,[10] e mais de metade das pessoas que se candidataram, não obtiveram bilhetes.[11] A 11 de Maio de 2012, uma ronda de cerca de um milhão, de bilhetes de "segunda hipótese", foram para venda num período entre 23 de Junho e 3 de Julho de 2011.[12] Cerca de 1.7 milhões de bilhetes estiveram disponíveis para o futebol e 600.000 para outros desportos (como tiro com arco, hóquei, futebol, judo, boxe e voleibol). Apesar das dificuldades técnicas encontradas, dez desportos tiveram os bilhetes esgotados no primeiro dia.[13]

Calendário controversoEditar

Alguns representantes dos países muçulmanos reclamaram[carece de fontes?] o fato de os Jogos acontecerem durante o nono mês do calendário islâmico, paralelamente ao Ramadã. Os membros desta religião praticam durante todo o mês o seu jejum ritual (suam, صَوْم), da alvorada ao pôr-do-sol. Contudo, durante o período noturno, podem se alimentar sem restrições. O jejum também aplica-se às relações sexuais. Algumas lideranças muçulmanas chamaram à atenção de que isso poderia deixar os atletas muçulmanos em desvantagem durante os Jogos[carece de fontes?], tendo solicitado no passado que o período dos Jogos de 2012 fosse alterado[carece de fontes?].

Mesmo assim, os Jogos foram um marco na história das Olimpíadas, já que países islâmicos como a Arábia Saudita, o Catar e Brunei, pela primeira vez em sua história enviaram mulheres para disputar as competições, o que fez com que pela primeira vez todos os comitês olímpicos nacionais tenham enviando mulheres aos Jogos.[14]

Identidade visualEditar

 
Logótipo utilizado durante a candidatura.

Londres 2012 teve duas identidades visuais distintas: uma para o processo de candidatura, criada pelo escritório Kino Design e a segunda que foi a identidade visual para o período dos Jogos. Esta última, projetada pela Wolff Olins, foi revelada em 4 de junho de 2007 e custou 400 mil libras. A identidade visual que engloba o logo final é uma representação do número 2012, com os anéis olímpicos incorporados no zero. Uma característica inovadora é que a identidade engloba uma variedade de cores.

Esta foi a primeira vez que a mesma identidade visual foi compartilhada pelos Jogos Olímpicos e pelos Paralímpicos.

Editar

O design original englobava quatro cores: magenta, verde, laranja e azul. Posteriormente, o logo incorporou uma variedade de cores, incluindo a bandeira britânica para promover a cerimônia da passagem de Pequim para Londres. Os patrocinadores também têm incorporado a identidade do logo, com seus designs particulares como o Lloyds TSB Bank e a Adidas.

O LOCOG afirmou que o novo logo, um apelo aos jovens, porém gerou muita polêmica. Sebastian Coe, comentou que o logo foi construído de uma forma que o comitê organizador falou para o criador "é sobre alcançar e engajar os jovens, no qual é o nosso desafio para os próximos cinco anos". Um observador, gerente de uma empresa de propaganda, lembrou que o logo tem uma forte semelhança com o logótipo de um programa infantil de televisão que foi transmitido pela BBC entre 1974 e 1982, chamado Tiswas, e ainda comentou que com esse design, o apelo para jovens é difícil e você verá que os jovens não irão se familiarizar com ele, apesar de várias tentativas.[15]

Uma das primeiras reações públicas ao logo, exatamente numa pesquisa no site da BBC, onde a avaliação do público foi amplamente negativa: mais de 80% das pessoas deu a pior avaliação possível para o logo. Vários jornais chegaram mesmo a fazer propostas para os seus próprios logos, mostrando alternativas feitas por submissões a partir dos seus leitores. O The Sun exibiu um desenho de um macaco. É de notar que o logo tem a imagem semelhante a imagem da personagem Lisa Simpson, outros têm-se queixado de que se parece com uma distorção da suástica.

 
Os logotipos dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Londres 2012

Durante o vídeo de apresentação do logo, uma das sequências deste causou convulsões num pequeno número de pessoas com epilepsia fotossensível. A ONG britânica Ação Epilepsia recebeu vários telefonemas de pessoas que tinham tido convulsões após assistirem a essa sequência. Em resposta, a sequência foi cortada do vídeo. Ken Livingstone, o então prefeito de Londres, afirmou que a empresa que realizou o filme, não recebeu o pagamento por aquilo que ele chamou de um "erro catastrófico".

Um blogueiro na BBC admitiu que "o novo logo de Londres 2012 não agradou da forma que os organizadores tinham esperado". Uma pessoa da empresa que elaborou o projeto descreveu-o como "bem pensado para fora" e que o previsível seria "que ele se tornaria uma fonte de orgulho para Londres e para os Jogos."

Cerimônia da passagemEditar

A cerimônia de entrega marcou o momento em que os Jogos anteriores, em Pequim 2008, entregou a bandeira olímpica para a cidade de Londres, a nova sede. O prefeito Boris Johnson recebeu a bandeira do prefeito de Pequim, Guo Jinlong, em nome de Londres. A cerimônia de entrega contou com a participação do ZooNation, grupo de dança urbana, o Royal Ballet e CanDoCo, um grupo de dança com deficientes físicos, todos vestidos como moradores típicos da cidade de Londres esperando por um ônibus em uma parada. Um ônibus de dois andares levou ao redor do estádio para a música composta por Philip Sheppard eventualmente tendo várias paradas e se transformando em um jardim privado com marcas conhecidas de Londres, como a Ponte de Londres, o prédio da 30 St Mary Axe e a London Eye. Com a participação de Jimmy Page e Leona Lewis, em seguida, executaram o clássico do Led Zeppelin, "Whole Lotta Love" e David Beckham chutou uma bola de futebol para a multidão de atletas acompanhados pela violinista Elspeth Hanson e pela violoncelista Kwesi Edman.

Para os Jogos de Londres, a passagem também foi comemorada no Reino Unido com uma série de eventos. A transmissão da festa "The London Visa 2012 Party" na BBC Radio 1 e na BBC Radio 2, o show gratuito no The Mall em Londres, teve 40 mil ingressos disponíveis e vendidos. Em todo o Reino Unido havia telões com transmissão da cerimônia de encerramento ao vivo de Pequim, a cerimônia de encerramento e também celebrações locais em várias cidades.

Países participantesEditar

Participaram dos Jogos Olímpicos 204 Comitês Olímpicos Nacionais (CON).

O Comitê Olímpico Nacional das Antilhas Neerlandesas, que planejava continuar funcionando após a dissolução do país, teve a sua filiação cancelada pelo Comitê Executivo do COI na sessão de junho de 2011. No entanto, os atletas antilhanos que se qualificaram para os Jogos, foram autorizados a participar de forma independente sob a bandeira olímpica.[16]

Em 21 de julho de 2012, o COI anunciou uma autorização especial para o maratonista sul-sudanês Guor Marial competir nos Jogos. Guor, que vive nos Estados Unidos e é um refugiado, participou do evento como atleta, mas de forma independente sob a bandeira olímpica como atleta olímpico individual.[17]

Abaixo estão listadas todas as nações participantes da edição de 2012 dos Jogos, seguindo a ordem alfabética em inglês:

EsportesEditar

O programa para Londres 2012 constou de 26 esportes num total de 39 disciplinas. Em relação a Pequim, Londres teve dois esportes a menos, pois beisebol e o softbol foram excluídos do programa dois dias antes da cidade ser escolhida como a cidade sede. O COI reforçou a sua decisão de excluir os dois esportes durante as Olimpíadas de Inverno de Turim 2006, depois de serem rejeitados na última avaliação. Na mesma votação se optou pelo não preenchimento das vagas destes esportes para Londres 2012. Posteriormente as duas vagas restantes foram preenchidas pelo rugby e o golfe, mas foram preenchidas na edição seguinte em 2016, no Rio de Janeiro.

Em relação ao programa, aconteceram as seguintes alterações:

  • o boxe teve 13 categorias (dez masculinas) e adição do boxe feminino (três categorias);
  • na canoagem ocorreu a substituição dos eventos de 500m para homens por eventos de 200 metros. Outra alteração no programa foi a remoção da categoria C2 500m para homens e a entrada do K1 200 metros feminino e, assim, pela primeira vez as mulheres tiveram dois eventos no esporte;
  • o pentatlo moderno teve também alterações no seu formato: o tiro passou a ser de pontos corridos;
  • o tênis teve a adição do evento de duplas mistas;
  • o ciclismo continuou com o mesmo número de eventos, mas o número de eventos femininos aumentou de três para cinco.

O programa para os Jogos foi composto por 30 modalidades de 26 esportes. A lista seguinte, mostra os desportos que estiveram no programa: Em parênteses o número de eventos em cada modalidade:

CalendárioEditar

As caixas em azul representam uma competição, ou um evento qualificatório de determinada data. As caixas em amarelo representam um dia de competição valendo medalha. Cada ponto dentro das caixas representa uma disputa de medalha de ouro, e é uma ligação para a página do evento. A coluna "T" representa o total de finais do esporte.[19]

 ●  Cerimônia de abertura  ●  Competições  ●  Finais de competições  ●  Cerimônia de encerramento
Julho Agosto T
25 26 27 28 29 30 31 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
Qua Qui Sex Sáb Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
  Cerimônias
(abertura / encerramento)
  Atletismo 2 5 7 5 4 4 5 6 8 1 47
  Badminton 1 2 2 5
  Basquetebol 1 1 2
  Boxe 3 5 5 13
  Canoagem 1 1 2 4 4 4 16
  Ciclismo 1 1 2 2 2 1 1 1 3 2 1 1 18
  Esgrima 1 1 1 1 2 1 1 1 1 10
  Futebol 1 1 2
  Ginástica 1 1 1 1 1 1 3 3 4 1 1 18
  Halterofilismo 1 2 2 2 2 2 1 1 1 1 15
  Handebol 1 1 2
  Hipismo 2 1 1 2 6
  Hóquei sobre a grama 1 1 2
  Judô 2 2 2 2 2 2 2 14
  Lutas 2 3 2 2 2 2 3 2 18
  Nado sincronizado 1 1 2
  Natação 4 4 4 4 4 4 4 4 1 1 34
  Pentatlo moderno 1 1 2
  Polo aquático 1 1 2
  Remo 3 3 4 4 14
  Saltos ornamentais 1 1 1 1 1 1 1 1 8
  Taekwondo 2 2 2 2 8
  Tênis 2 3 5
  Tênis de mesa 1 1 1 1 4
  Tiro 2 2 1 1 1 1 2 2 1 2 15
  Tiro com arco 1 1 1 1 4
  Triatlo 1 1 2
  Vela 2 2 2 1 1 1 1 10
  Voleibol 1 1 1 1 4
Finais 12 14 12 15 20 18 22 25 23 18 21 17 22 16 32 15 302
Qua Qui Sex Sáb Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
25 26 27 28 29 30 31 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
Julho Agosto

Fatos e destaquesEditar

D S T Q Q S S
Julho
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31
Agosto
1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
  • A Olimpíada de Londres foi a primeira na história em que todos os países participantes possuem mulheres em suas delegações. Este feito é bastante notório se comparado ao fato de que, na edição de Atlanta 1996, 26 nações ainda disputavam o evento compostas apenas de atletas do sexo masculino. Para Anita DeFrantz, líder no movimento pela participação do sexo feminino e ex-remadora, "Toda nação entre as 204 delegações terão mulheres que poderão voltar para casa e inspirar outras mulheres por lá que poderão pensar em se tornar uma atleta olímpica."[20]
  • O atleta Dong Hyun Im da Coreia do Sul bateu o primeiro recorde desta edição ao marcar 699 pontos no tiro com arco, em 720 possíveis. Como ele possui apenas 10% da visão em uma das vistas e 20% na outra, é legalmente considerado cego. O recorde olímpico, 684 pontos, vigorava desde Atlanta 1996.[21]
  • Um árbitro assistente turco de boxe, Garip Erkuyumcu, foi achado morto no quarto do hotel em que estava hospedado em Londres. O árbitro tinha 73 anos e a causa da morte ainda é desconhecida. Porém, as primeiras impressões apontem que o árbitro sofreu um infarto agudo do miocárdio.[22]
  • Em 25 de julho, a futebolista do Brasil, Cristiane tornou-se a maior artilheira da história dos Jogos Olímpicos, ao marcar o seu 11º gol na competição.[23]
  • Em 29 de julho, o futebol do Uruguai sofreu sua primeira derrota na história dos Jogos Olímpicos, ao perder para Senegal por 2 a 0.[24]
  • Também em 29 de julho, o futebolista galês Ryan Giggs, titular da Seleção Britânica, estabeleceu dois recordes: o jogador mais velho a disputar o torneio olímpico de futebol e o mais velho a marcar um gol nessa competição, na partida contra os Emirados Árabes.[25]
  • Em 31 de julho, a neta da rainha Elizabeth II, a amazona Zara Phillips, tornou-se o primeiro membro da família real britânica a conquistar uma medalha em Jogos Olímpicos. Ela fez parte da equipe de hipismo da Grã-Bretanha que conquistou a medalha de prata no concurso completo de equitação (CCE).[26][27]
  • Também em 31 de julho, o nadador dos Estados Unidos Michael Phelps bateu o recorde que pertencia a ginasta soviética Larissa Latynina, e tornou-se o atleta olímpico mais laureado da história, com 19 medalhas.[28]
  • Ainda em 31 de julho, o esgrimista do Egito Alaaeldin Abouelkassem tornou-se o primeiro africano a ganhar uma medalha olímpica na esgrima.[29]
  • Em 1 de agosto, Ruben Limardo Gascon, da Venezuela, fez história ao tornar-se o primeiro esgrimista da América do Sul a conquistar a medalha de ouro olímpica.[30]
  • Também em 1 de agosto, os tenistas brasileiros Marcelo Melo e Bruno Soares estabeleceram novo recorde de partida mais longa, em três sets em jogo de duplas, da história dos Jogos: mais de 4 horas. A partida começou na terça-feira, mas teve de ser interrompida por falta de luz natural e foi retomada no dia seguinte.[31]
  • Em 2 de agosto, na partida válida pela terceira rodada do basquete masculino, a seleção dos Estados Unidos de basquetebol bateu o recorde de pontos de uma equipe em Jogos Olímpicos, ao fazer 159 pontos diante da Nigéria.[32][33]
  • Também em 2 de agosto, a esgrimista da Itália Valentina Vezzali entrou para a história se tornando recordista de medalhas olímpicas na esgrima. Ela conquistou sua sexta medalha de ouro ao vencer o campeonato por equipes no florete feminino. Antes disso, ganhou uma medalha de ouro em Atlanta 1996, duas em Sydney 2000 e uma em Atenas 2004 e Pequim 2008. Também possui uma prata (Atlanta 1996) e dois bronzes (Pequim 2008 e Londres 2012).[34]
  • Ainda em 2 de Agosto, Michael Phelps se tornou o primeiro tricampeão da mesma prova na natação, após conquistar o ouro nos 200 metros medley.[35] No dia seguinte, ele conquistou mais um tricampeonato; desta vez nos 100 metros borboleta.[36]
  • Em 3 de agosto, a judoca da Arábia Saudita Wojdan Ali Seraj, de 16 anos de idade, entrou para a história como a primeira mulher de seu país a competir nos Jogos Olímpicos e lutar usando uma adaptação do hijab, o tradicional véu islâmico.[37]
  • Também em 3 de agosto aconteceu a primeira enterrada num jogo olímpico de basquete feminino. A jogadora australiana Elizabeth Cambage, de 2,03 m, conseguiu o feito quando seleção Australiana vencia a Rússia por 39-33.[38]
  • Ainda em 3 de agosto, o jogo de tênis entre Roger Federer e Juan Martín Del Potro, válido pela semifinal do torneio, entrou para a história como o mais longo duelo em melhor de três sets na Era Aberta (a partir de 1968) do tênis, com 4 horas e 26 minutos.[39]
  • Dia 4 de agosto, entrou para a história dos Jogos Olímpicos. Foi neste dia que o primeiro atleta biamputado competiu em uma Olimpíada. Oscar Pistorius, da África do Sul, nasceu sem a fíbula das duas pernas e usou uma prótese de lâminas de fibra de carbono para correr. Muito aplaudido pelo público, ele conseguiu se classificar para a semifinal dos 400 metros rasos, com o segundo melhor tempo da sua bateria.[40] Na semifinal, ele ficou em último na sua bateria, e não conseguiu classificação para a final. Kirani James, de Granada, segundo colocado nesta bateria, foi pessoalmente ao encontro de Pistorius e pediu para eles trocarem entre si o objeto usado para identificar o nome de cada atleta.[41]
  • No dia 6 de agosto, o cavaleiro canadense Ian Millar entrou para a história dos Jogos Olímpicos, ao participar de sua décima olimpíada.[42]
  • No dia 7 de agosto, a partida de vôlei entre as seleções do Japão e da China, válida pelas quartas-de-final, foi o confronto mais equilibrado da história. Pela primeira vez uma partida desta modalidade terminou em cinco sets com diferença de apenas dois pontos em todos eles em uma edição olímpica.[43]
  • No dia 8 de agosto, a pugilista brasileira Adriana Araujo conquistou a centésima medalha brasileira em Olimpíadas.[44]
  • No dia 10 de agosto, a Seleção Brasileira de Voleibol Masculino fez história ao se tornar a primeira equipe a disputar três finais consecutivas no vôlei masculino, após vencer a Itália por 3 x 0.[45]
  • No dia 11 de agosto foi realizada a final do futebol masculino, entre México e Brasil. Esta partida foi o evento com maior presença do público nos Jogos de Londres, com 86.126 torcedores[46]. Ainda nesta partida, mais um recorde: Gol mais rápido da história olímpica, ocorrido aos 30 segundos de jogo.[47]
  • Na final do vôlei masculino, entre a Seleção Brasileira e a Seleção Russa, realizada no dia 12 de agosto, um fato interessante aconteceu: foi a segunda vez que uma equipe que perdia de 2x0 numa final olímpica consegue sagrar-se campeã. Fato igual ocorreu na final feminina do vôlei em Atenas 2004, onde a China venceu a Rússia de virada, após estar perdendo também por 2x0.[48]

PolêmicasEditar

  • Na estreia das seleções britânicas masculina (26 de julho) e feminina (25 de julho) de futebol nos Jogos, futebolistas não-ingleses recusaram-se a cantar God Save the Queen (Deus salve a Rainha, em inglês), o hino nacional britânico. Na equipe feminina, Kim Little e Ifeoma Dieke, ambas escocesas, foram as que não cantaram e, na equipe masculina, os galeses Ryan Giggs e Craig Bellamy. A atitude dos atletas foi muito criticada por torcedores do Reino Unido.[49]
  • Em 30 de julho, dois atletas foram afastados dos Jogos por comentários racistas: a atleta de salto triplo da Grécia Paraskevi Papahristou, que postou em seu Twitter a frase "com tantos africanos na Grécia os mosquitos no Nilo Ocidental iriam comer comida caseira";[50] e o futebolista da Suíça Michel Morganella que, após a derrota de sua seleção para a Coreia do Sul, também no Twitter, escreveu que os asiáticos eram "atrasados mentais".[51]
  • Também em 30 de julho, uma decisão polêmica dos juízes na esgrima, decretou a derrota da atleta sul-coreana Shin A Lam. No último segundo, um ponto foi computado à esgrimista alemã Britta Heidemann, após a cronometragem não registrar o segundo regulamentar para o final da disputa.[52] Depois do resultado, e enquanto os dirigentes sul-coreanos apelavam da decisão, Shin permaneceu sobre a pista, como exige o regulamento, chorando por mais de uma hora. Um dia após o resultado ser confirmado, a Federação Internacional de Esgrima (FIE) admitiu o erro,[53] e decidiu premiar a sul-coreana com uma medalha especial, pois, segundo um porta-voz da FIE, "esta medalha premiará seu desejo de ganhar e de respeitar o regulamento", destacando que a Federação "entende a frustração que sentiu a atleta".[54] Porém, Shin recusou a premiação ao afirmar que não é uma medalha olímpica e que isso não a faria se sentir melhor, já que ainda não concorda com o resultado do confronto.[55]
  • Os nadadores da Austrália Nick D'Arcy e Kenrick Monk posaram com armas de fogo em uma loja na Califórnia, Estados Unidos, e depois postaram a foto no Facebook um ano antes dos Jogos. Foram forçados a deixar o evento logo após as provas de natação. Além disso, estão proibidos de usar as redes sociais até 16 de agosto de 2012.[56]
  • No badminton, duas atletas da China (Wang Xiaoli e Yu Yang), duas da Indonésia (Greysia Polii e Meiliana Jauhari) e quatro da Coreia do Sul (Jung Kyung-eun, Kim Ha-na, Ha Jung-eun e Kim Min Jung) foram acusadas de perder propositalmente disputas da fase de grupos para garantir jogos mais fáceis no decorrer do torneio. A Federação Internacional de Badminton puniu as jogadores, expulsando-as dos Jogos. Esta decisão recebeu elogios do vice-presidente do COI, Craig Reedie.[57]
  • O judoca de Cuba Oreydi Despaigne foi desclassificado da competição por morder o dedo do adversário, o atleta Ramziddin Sayidov, do Uzbequistão, durante a luta.[58]
  • Na partida entre Lituânia e Argentina, no basquete masculino, um torcedor lituâno foi retirado das arquibancadas e multado em 3,5 mil libras por um tribunal britânico, após fazer gestos que lembram a saudação nazista e usar o dedo anular para simular um bigode. Ao tribunal, o lituano admitiu os gestos, mas alegou que seu comportamento era aceitável em seu país.[59][60]
  • O nadador da África do Sul Cameron van der Burgh, campeão olímpico nos 100m peito, admitiu que se utilizou de "táticas ilegais" durante a prova que lhe garantiu o ouro e o recorde mundial. A manobra utilizada foi a ‘golfinhada’. A tática do sul-africano, porém, não foi punida uma vez que ele deveria ter sido punido no momento em que a manobra foi utilizada.[61]
  • O atleta britânico Robbie Grabarz, que obteve a medalha de bronze no salto em altura, posou para uma fotografia nu com sua medalha, tendo apenas a bandeira do Reino Unido cobrindo seus órgãos genitais e a postou no Twitter. A atitude causou uma revolta geral no Reino Unido e o atleta já retirou a foto da rede social.[62]
  • As duas atletas da Arábia Saudita (Sarah Attar e Wojdan Shaherkani), que fizeram história por se tornaram as primeiras mulheres da história a representar o país em Jogos Olímpicos (elas só conseguiram participar após o COI permitir que elas usassem o hijab), foram ignoradas pela mídia do país e expostas a uma campanha de ódio, tendo sido chamadas de "prostitutas". Jornais que exaltaram as atletas também receberam críticas de extremistas por exaltar as atletas.[63]
  • A luta de boxe entre o japonês Satoshi Shimizu e o azeri Magomed Abdulhamidov terminou com um resultado controverso. Mesmo após aplicar 5 nocautes no adversário, Satoshi foi considerado perdedor. Além do japonês, todo o público presente ficou indignado com o resultado divulgado. Dias depois, após apelação, o japonês foi considerado vencedor do embate.[64] Essa não foi a única polemica envolvendo lutas de pugilistas do azerbaijão nos Jogos. Estas lutas foram investigadas, pois em setembro de 2011, um programa da TV inglesa BBC, denunciou um suposto esquema de corrupção em que dois atletas do país ganhariam duas medalhas de ouro.[65]
  • O atleta argelino Taoufik Makhloufi, simulou uma lesão e deixou a semifinal dos 800 metros pouco após a prova ter começado, a fim de reservar energia para a final dos 1.500 metros (prova que ele ganhou a medalha de ouro). Por conta deste episódio, em novembro de 2012, ele apareceu na relação de atletas mais antidesportivos de 2012 publicada pela revista Sports Illustrated, que tradicionalmente premia o mais esportivo[66].

DopingEditar

Quadro de medalhasEditar

As medalhas distribuídas em Londres 2012 foram as maiores e mais pesadas da história dos Jogos de Verão, até serem superadas pelas dos Jogos do Rio 2016.[84] Elas pesam 400 gramas, o dobro da média das edições anteriores, e têm 85 milímetros de diâmetro.

Apenas as medalhas de Vancouver 2010, são maiores e mais pesadas (pesam praticamente o dobro).[85]

A parte da frente das medalhas possui um ícone sobreposto ao rio Tâmisa, e linhas geométricas que supostamente representam a energia da cidade. A parte de trás apresenta o design obrigatório, o da deusa Nice e o Estádio Panathinaiko.[86]

 Ver artigo principal: Quadro completo de medalhas

     País sede destacado

 Ordem  País        
1  USA Estados Unidos 46 28 29 103
2  CHN China 38 27 23 88
3  GBR Grã-Bretanha 29 17 19 65
4  RUS Rússia 24 25 32 81
5  KOR Coreia do Sul 13 8 7 28
6  GER Alemanha 11 19 14 44
7  FRA França 11 11 12 34
8  ITA Itália 8 9 11 28
9  AUS Austrália 8 15 12 35
10  HUN Hungria 8 4 6 18
22  BRA Brasil 3 5 9 17
69  POR Portugal   1   1
Os demais países lusófonos não conquistaram medalhas.

RecordesEditar

Data Esporte Evento Atleta País Marca Etapa Recorde
27 de julho Tiro com arco Individual masculino Dong Hyun Im  KOR Coreia do Sul 669 Ranqueamento  
Equipes masculinas Im Dong-Hyun
Kim Bub-Min
Oh Jin-Hyek
 KOR Coreia do Sul 2087 Ranqueamento  
28 de julho Remo Dois sem masculino Eric Murray
Hamish Bond
 NZL Nova Zelândia 6:08.50 Eliminatória  
Natação 400 m medley feminino Ye Shiwen  CHN China 4:28:43 Final  
29 de julho Halterofilismo Até 53 kg feminino Zulfiya Chinshanlo  KAZ Cazaquistão 131 kg Arremesso  
Natação 100 m borboleta feminino Dana Vollmer  USA Estados Unidos 55.98 Final        
Natação 100 m peito masculino Cameron van der Burgh  RSA África do Sul 58.46 Final        
Tiro Skeet feminino Kim Rhode  USA Estados Unidos 74 Qualificatória  
99 (74+25) Final  
30 de julho Halterofilismo Até 62 kg masculino Kim Un-Guk  PRK Coreia do Norte 327 kg Total    
1 de agosto Natação 200 m peito masculino Daniel Gyurta  HUN Hungria 2:07.28 Final        
Halterofilismo Até 77 kg masculino Lu Xiaojun  CHN China 175 kg Arranque  
379 kg Total  
Natação 200 m peito feminino Rebecca Soni  USA Estados Unidos 2:20.00 Semifinal  
Natação
  • Austrália - Revezamento 4 x100m livre - individual feminino - eliminatórias - 3:33:15 - Recorde Olímpico - 28 de julho de 2012
  • Sun Yang da China - 400m livre - individual masculino - final - 3:40:14 - Recorde Olímpico - 28 de julho de 2012
  • Cameron van der Burgh da África do Sul - 100m peito - individual masculino - bateria 1 semifinal - 58:83 - Recorde Olímpico - 28 de julho de 2012
  • Dana Vollmer dos Estados Unidos - 100m borboleta - individual feminino - bateria 6 eliminatórias - 56:25 - Recorde Olímpico - 28 de julho de 2012
  • Camille Muffat da França - 400m livre - individual feminino - final - 4:01:45 - Recorde Olímpico - 29 de julho de 2012
  • Emily Seebohm da Austrália - 100m costas - individual feminino - bateria 4 eliminatórias - 58:23 - Recorde Olímpico - 29 de julho de 2012
  • Ye Shiwen da China - 200m medley - individual feminino - bateria 2 semifinal - 2:08:39 - Recorde Olímpico - 30 de julho de 2012
  • Matthew Grevers dos Estados Unidos - 100m costas - individual masculino - final - 56:16 - Recorde Olímpico - 30 de julho de 2012
  • Ye Shiwen da China - 200m medley - individual feminino - final - 2:07:57 - Recorde Olímpico - 31 de julho de 2012
  • Allison Schmitt dos Estados Unidos - 200m livre - individual feminino - final - 1:53:61 - Recorde Olímpico - 31 de julho de 2012
Halterofilismo
  • Li Xueying da China - até 58 kg - individual feminino - 246 kg - Recorde Olímpico - 30 de julho de 2012
  • Maiya Maneza do Cazaquistão - até 63 kg - individual feminino - 245 kg - Recorde Olímpico - 31 de julho de 2012

TransmissãoEditar

 
A BBC foi a host broadcaster desta edição dos Jogos.

Os Jogos foram transmitidos por vários meios globais e seus direitos foram vendidos juntamente com os direitos de mídia dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2010 para os mesmos meios de mídia.

NotasEditar

  • PRIM. ^ Atenas também sediou três Jogos Olímpicos, mas os Jogos de 1906, que não são considerados oficiais pelo Comitê Olímpico Internacional, por não respeitar o período de tempo de quatro anos entre duas edições, embora tenha servido para reavivar o espírito olímpico, depois dos fracassos de organização consecutivos nos Jogos de 1900 e 1904.

Referências

  1. «We are the London 2012 mascots» (em inglês). Sítio oficial sobre os mascotes de Londres 2012. Consultado em 13 de julho de 2012 
  2. a b «Just the ticket». London 2012. Consultado em 20 de Julho de 2012. Cópia arquivada em 2 de Fevereiro de 2002 
  3. «Hot ticket! Paralympic sales outshine expectations with many sessions sold out». Daily Mail. Consultado em 20 de Julho de 2012 
  4. «London Opens Ticket Process for 2012 Olympics». ABC News. Consultado em 20 de Maio de 2010 
  5. ISAF (28 de Julho de 2011). «ISAF: London 2012 Olympic Games Sailing Competition: What Is The Weymouth And Portland International Regatta?». Sailing.org. Consultado em 15 de Outubro de 2011 
  6. Adam, Karla (30 de Julho de 2012). «At London Olympics, empty seats have organizers scrambling, giving away tickets to children and soldiers». The Washington Post 
  7. Lynn, Guy (22 de Maio de 2012). «Ukrainian Olympic official 'willing to sell tickets to black market'». BBC News. Consultado em 8 de Junho de 2012 
  8. «Olympic tickets offered to UK Armed Forces members». BBC News. 14 de Junho de 2011 
  9. «2012 Olympic tickets for 7/7 bomb attack victims». BBC News. 6 de Maio de 2011 
  10. «Olympic ticket demand passes 20m». BBC News. 27 de Abril de 2011 
  11. «750,000 Olympics tickets sold in 'second chance' round». BBC News. 3 de Julho de 2011 
  12. «Olympic tickets on sale in 'second chance' phase». BBC News. 11 de Julho de 2011. Consultado em 17 de Agosto de 2011. Cópia arquivada em 18 de Julho de 2011 
  13. «2012 Hopefuls miss out on tickets». BBC News. 26 de Junho de 2011 
  14. «Arábia Saudita terá mulheres nos Jogos Olímpicos pela primeira vez». Yahoo! News. 12 de julho de 2012. Consultado em 13 de julho de 2012 
  15. Geoghegan, Tom (5 de junho de 2007). «'Oh no' logo» (em inglês). BBC News. Consultado em 13 de julho de 2012 
  16. «Curtain comes down on 123rd IOC Session» (em inglês). Sítio do COI. 9 de julho de 2011. Consultado em 14 de julho de 2012 
  17. «Atleta do Sudão do Sul vai correr em Londres sob a bandeira do COI». GloboEsporte.com. 21 de julho de 2012. Consultado em 21 de julho de 2012 
  18. «Asian Qualification Tournament for London 2012 – Medallists» (PDF) (em inglês). World Taekwondo Federation. 26 de novembro de 2011. Consultado em 14 de julho de 2012 
  19. «London 2012 Olympic Games schedule released» (em inglês). BBC News. 15 de fevereiro de 2011. Consultado em 14 de julho de 2012 
  20. «Dirigente do COI comemora: todos os 204 países têm mulheres em Londres». SporTV Online. 1 de agosto de 2012. Consultado em 1 de agosto de 2012 
  21. «Coreano 'cego' bate recorde mundial, e brasileiro tem problema na estreia». GloboEsporte.com. 27 de julho de 2012. Consultado em 27 de julho de 2012 
  22. «Árbitro turco de boxe é encontrado morto em quarto de hotel em Londres». GloboEsporte.com. 27 de julho de 2012. Consultado em 27 de julho de 2012 
  23. «Cristiane se torna maior artilheira das Olimpíadas». Veja Online. 25 de julho de 2012. Consultado em 1 de agosto de 2012 
  24. «Derrota do Uruguai para Senegal é a primeira do país na história dos Jogos». Zero Hora Online. 29 de julho de 2012. Consultado em 31 de julho de 2012 
  25. Fletcher, Paul (29 de julho de 2012). «Olympics football: Ryan Giggs inspires GB win over UAE» (em inglês). BBC Sports Online. Consultado em 1 de agosto de 2012 
  26. «Neta da rainha volta a colocar realeza no pódio olímpico». R7. 31 de julho de 2012. Consultado em 31 de julho de 2012 
  27. «Zara Phillips contribuiu para prata britânica no Adestramento». Terra Networks. 31 de julho de 2012. Consultado em 2 de julho de 2012 
  28. «Barack Obama parabeniza Michael Phelps por marca histórica nas Olimpíadas». GloboEsporte.com. 1 de agosto de 2012. Consultado em 1 de agosto de 2012 
  29. «Egípcio faz história e é o primeiro africano a ganhar medalha na esgrima». GloboEsporte.com. 31 de julho de 2012. Consultado em 1 de agosto de 2012 
  30. «Venezuelano ganha inédita medalha para a América do Sul na esgrima». GloboEsporte.com. 1 de agosto de 2012. Consultado em 1 de agosto de 2012 
  31. «Melo e Soares vencem jogo de mais de quatro horas e vão às quartas». Lance! Online. 1 de agosto de 2012. Consultado em 4 de agosto de 2012 
  32. «EUA massacram Nigéria e superam recorde do Brasil no basquete masculino». R7. 2 de agosto de 2012. Consultado em 4 de agosto de 2012 
  33. «EUA fazem história, anotam 156 pontos e batem recorde de Brasil de Oscar na Olimpíada». MSN. 2 de agosto de 2012. Consultado em 4 de agosto de 2012 
  34. «Italiana faz história e leva seu sexto ouro olímpico na esgrima». Yahoo!. 3 de agosto de 2012. Consultado em 4 de agosto de 2012 
  35. «br.reuters.com»  Phelps é o 1o nadador tricampeão olímpico na mesma prova
  36. «olimpiadas.ig.com.br»  Phelps vence 100 m borboleta e conquista mais um tricampeonato olímpico
  37. «Liberada, judoca árabe faz história nos Jogos Olímpicos de Londres». Lance! Online. 2 de agosto de 2012. Consultado em 4 de agosto de 2012 
  38. Balassiano, Fábio (2 de agosto de 2012). «Australiana Cambage torna-se a primeira mulher a enterrar em Olimpíada». Universo Online. Consultado em 4 de agosto de 2012 
  39. «Em jogo recorde de 4h26m, Federer derrota Del Potro e vai à final olímpica». GloboeEporte.com. 3 de agosto de 2012. Consultado em 4 de agosto de 2012 
  40. «oglobo.globo.com»  Biamputado, Pistorius faz história e se classifica para as semifinais dos 400m rasos
  41. «esportes.br.msn.com»  Sensação, Pistorius fica em último na bateria, é eliminado nos 400m, mas ganha elogios e pedido inusitado
  42. «oglobo.globo.com»  Recordista de Olimpíadas, Ian Millar sonha estar no Rio em 2016
  43. «globoesporte.globo.com»  Numerólogos: Equilíbrio histórico e de olhos puxados
  44. «noticias.bol.uol.com.br»  Com bronze no boxe, Brasil chega à centésima medalha olímpica
  45. «lancenet.com.br»  Seleção Brasileira bate com tranquilidade a Itália, chega à final e faz história nos Jogos Olímpicos
  46. «olimpiadas.ig.com.br»  Decisão do futebol tem público recorde, mas pouca animação no Wembley
  47. «olimpiadas.ig.com.br»  Brasil sofre gol mais rápido da história olímpica e fica com a prata no futebol
  48. «gazetadopovo.com.br»  Brasil sofre virada para a Rússia e perde a chance do tri olímpico
  49. «Recusa em cantar hino vira polêmica no Reino Unido». Lance! Online. 27 de julho de 2012. Consultado em 31 de julho de 2012 
  50. «Saltadora grega é cortada após comentário racista». Lance! Online. 25 de julho de 2012. Consultado em 30 de julho de 2012 
  51. «Jogador suíço de futebol é excluído da Olimpíada por racismo». Lance! Online. 30 de julho de 2012. Consultado em 31 de julho de 2012 
  52. «Sul-coreana que esperou resultado sentada pode ganhar medalha especial». GloboEsporte.com. 1 de agosto de 2012. Consultado em 4 de agosto de 2012 
  53. «Federação de esgrima admite erro e sul-coreanos esperam pedido de desculpas». ESPN Online. 31 de julho de 2012. Consultado em 4 de agosto de 2012 
  54. «Federação de Esgrima dará medalha especial a Shin A Lam». Universo Online. 31 de julho de 2012. Consultado em 4 de agosto de 2012 
  55. «Londres 2012: esgrimista Shin Lam recusa 'medalha especial'». SidneyRezende.com. 1 de agosto de 2012. Consultado em 4 de agosto de 2012 
  56. «Atletas olímpicos que se comportaram mal». Yahoo!. 29 de julho de 2012. Consultado em 1 de agosto de 2012 
  57. «Federação expulsa dos Jogos atletas que tentaram entregar no badminton». GloboEsporte.com. 1 de agosto de 2012. Consultado em 1 de agosto de 2012 
  58. Farina, Allan (2 de agosto de 2012). «Cubano é desclassificado por morder dedo de adversário no judô». Terra Networks. Consultado em 4 de agosto de 2012 
  59. «Torcedor sem noção imita ditador nazista na arquibancada e leva multa de R$ 10 mil nos Jogos Olímpicos». R7. 2 de agosto de 2012. Consultado em 4 de agosto de 2012 
  60. «Lituano preso por ato racista no basquete é multado em Londres». Terra Networks. 1 de agosto de 2012. Consultado em 4 de agosto de 2012 
  61. Sacco, Leonardo (7 de agosto de 2012). «Campeão olímpico admite tática ilegal para vencer». Yahoo!. Consultado em 8 de agosto de 2012 
  62. «La medalla lo viste» (em espanhol). Olé. 10 de agosto de 2012. Consultado em 10 de agosto de 2012 
  63. «br.esportes.yahoo.com»  Mídia da Arábia Saudita ignora histórico Jogos Olímpicos de atletas mulheres
  64. «espn.estadao.com.br»  Japonês vence apelação, ganha luta e volta à disputa do boxe após derrota polêmica
  65. «olimpiadas.uol.com.br»  Lutas obscuras envolvendo atletas do Azerbaijão revivem denúncia de compra de medalhas
  66. «br.esporteinterativo.yahoo.com/»  Sports Illustrated elege os atletas mais antidesportivo de 2012
  67. «Antes mesmo da abertura, Londres 2012 já acumula casos de doping». iG. 26 de julho de 2012. Consultado em 1 de agosto de 2012 
  68. «Albanês Hysen Pulaku é expulso dos Jogos por doping». Veja Online. 28 de julho de 2012. Consultado em 1 de agosto de 2012 
  69. «COI expulsa atleta usbeque após confirmação de doping». O Diario. 1 de agosto de 2012. Consultado em 1 de agosto de 2012 
  70. «Atleta de São Cristóvão e Nevis é cortada dos Jogos Olímpicos por doping». Universo Online. 30 de julho de 2012. Consultado em 1 de agosto de 2012 
  71. «Doping tira remadora Kissya Cataldo dos Jogos de Londres». Associated Press. 4 de agosto de 2012. Consultado em 8 de agosto de 2012 
  72. Mello, Fernando Figueiredo (6 de agosto de 2012). «Judoca americano é expulso das Olimpíadas por ter comido maconha». Yahoo!. Consultado em 8 de agosto de 2012 
  73. «globoesporte.globo.com»  Pego no antidoping, atleta francês é suspenso pela federação do país
  74. «globoesporte.globo.com»  Ciclista russa é expulsa dos Jogos Olímpicos de Londres por doping
  75. «globoesporte.globo.com»  Atleta do Marrocos é pego no doping nos Jogos de Londres
  76. «washingtonpost.com»  "Moldova hammer thrower Marina Marghieva tossed from Olympics for positive doping test"
  77. «lancenet.com.br»  Velocista colombiano e ciclista russa são excluídos por doping
  78. «abcnews.go.com»  IOC Announces 2 More Olympic Doping Cases
  79. «esportes.terra.com.br»  Por doping, italiano campeão olímpico é banido dos Jogos de Londres
  80. «br.reuters.com»  Corredora síria é 11a atleta banida dos Jogos por doping
  81. «Campeã do arremesso de peso é pega no doping e perde medalha». GloboEsporte.com. 13 de agosto de 2012. Consultado em 13 de agosto de 2012 
  82. «www.aroundtherings.com/articles/view.aspx?id=41585». Aroundtherings.com. 7 de novembro de 2012. Consultado em 8 de novembro de 2012 
  83. «www.insidethegames.biz/sports/summer/athletics/1011888-russian-faces-losing-london-2012-olympic-silver-medal-after-positive-test-confirmed». Insidethegames.biz. 29 de novembro de 2012. Consultado em 30 de novembro de 2012 
  84. «Curiosidades olímpicas da modernidade». Yahoo! Esportes. 9 de abril de 2012. Consultado em 13 de julho de 2012 
  85. Romanzoti, Natasha (28 de julho de 2011). «Medalhas olímpicas de 2012 são as maiores e mais pesadas da história». Hypescience.com. Consultado em 13 de julho de 2012 
  86. «Medalhas dos Jogos de 2012 são as maiores e mais pesadas da história!a». Portal Educação. 23 de março de 2012. Consultado em 13 de julho de 2012 
  87. Deans, Jason (9 de novembro de 2005). «BBC key to London's Olympic win» (em inglês). The Guardian. Consultado em 8 de outubro de 2009 
  88. «Record teria comprado direitos da Olimpíada de 2012». Terra Networks. 9 de março de 2007. Consultado em 8 de outubro de 2009 
  89. «Olympics 2012: Brazilian TV Record Wins the Rights to Broadcast the Games; But Ratings Flop» (em inglês). The Hollywood Reporter. 6 de agosto de 2012. Consultado em 12 de dezembro de 2016 
  90. «Canal 13 y TVN revivirán competencia olímpica en Londres 2012» (em espanhol). Emol.com. Consultado em 13 de julho de 2012 

Ligações externasEditar