José Mayer

ator brasileiro
José Mayer
José Mayer com o visual de seu personagem Pereirinha, em Fina Estampa (foto: Braswiki)
Nome completo José Mayer Drumond Araujo
Outros nomes Zé Mayer
Nascimento 3 de outubro de 1949 (70 anos)
Jaguaraçu, MG
Nacionalidade brasileiro
Ocupação ator
Atividade 1974–2017
Cônjuge Vera Fajardo (c. 1975)

José Mayer Drumond Araujo (Jaguaraçu, 3 de outubro de 1949) é um ator brasileiro.[1]

BiografiaEditar

José Mayer Drumond Araújo nasceu no interior de Minas Gerais, em Jaguaraçu,[1] na época distrito de São Domingos do Prata. A emancipação do distrito, tornando-se município ocorreria em 1953. Ainda na infância, mudou-se para a cidade de Congonhas, onde passou sua adolescência e parte da vida adulta. No município estudou num seminário católico, onde sua mãe sonhava que em algum sia seria padre. No seminário Mayer, ficou dos onze aos dezoito anos.[2]

Ingressou no curso de Letras da Faculdade de Filosofia de Belo Horizonte no ano de 1968, mesmo ano em que passou a integrar o grupo de teatro 'Geração'.[3]

Iniciou a carreira como ator, quando começou a trabalhar no Teatro Senac, onde atuou de 1973 a 1979.[4][5] Após a passagem pelo teatro mudou-se para o Rio de Janeiro, para tentar carreira na televisão.[6]

CarreiraEditar

Começou a carreira na televisão em 1977 como o Burro Falante na segunda versão do Sítio do Picapau Amarelo, ficando até 1982. Mayer acumula várias novelas de sucesso em seu currículo, como Guerra dos Sexos, A Gata Comeu, Selva de Pedra, Hipertensão, Fera Radical, Tieta, Meu Bem Meu Mal, História de Amor, A Indomada, Laços de Família, Mulheres Apaixonadas, Senhora do Destino, Páginas da Vida, A Favorita, entre outras.

Na sua carreira, interpretou dois personagens com o nome de "César": nas novelas Mulheres Apaixonadas e em A Favorita; dois personagens com o nome de "Pedro": em Pátria Minha e em Laços de Família; outros dois personagens com o nome de "Fernando": em Fera Radical e na minissérie Presença de Anita.[1] Nestas duas últimas telenovelas, contracenou com a atriz Vera Fischer.[1] Em 2009, interpretou o sedutor Marcos Ribeiro em Viver a Vida, que foi casado com Teresa (Lília Cabral) e tem três filhas com ela, Luciana (Aline Moraes), Isabel (Adriana Birolli) e Mia (Paloma Bernardi), que se apaixona pela protagonista Helena (Taís Araújo).[7]

Em 2011, viveu o divertido vilão Pererinha em Fina Estampa, fazendo par romântico com Griselda (Lília Cabral) e Teresa Cristina (Christiane Torloni).[8] Em 2013, viveu Zico Rosado, um corrupto em Saramandaia, que no passado foi apaixonado por Vitoria Villar, personagem de Lília Cabral.[9] Novamente repetindo parceria com a atriz. Em 2014, apos tantos personagens pegadores, viveu seu primeiro personagem homossexual, Claudio Bolgari, na telenovela Império.[10] Em 2016, interpretou o vilão Tião Bezerra na telenovela A Lei do Amor, de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari.[11] Em 2020, voltou ao ar na Rede Globo pela novela Fina Estampa sendo reprisada em horário nobre da televisão.[12]

Em sua carreira, Mayer é notado por ter longa parceria com os autores Manoel Carlos e Aguinaldo Silva.[13][14]

Vida pessoalEditar

Mayer tem uma única filha, que também é atriz, Júlia Fajardo, fruto de seu casamento de mais de quarenta anos com Vera Fajardo.[15][16]

Apesar dos tempos no seminário católico, José Mayer identifica-se como agnóstico.[4]

Em julho de 2018, foi diagnosticado como portador de uma doença rara e incurável, a granulomatose com poliangiite, mas que pode ser mantida sob controle com um diagnóstico precoce.[17]

ControvérsiasEditar

Acusação de assédio sexualEditar

Em 2017, foi acusado de assédio sexual pela figurinista Susllem Meneguzzi Tonani, que trabalhava com o ator na novela A Lei do Amor.[18] A TV Globo suspendeu o ator José Mayer de produções dos Estúdios Globo por tempo indeterminado, e o ator desculpou-se pelo seu comportamento em carta aberta para o público.[19][20] Em carta de sua assessoria para o jornal O Globo, Mayer admitiu o erro em carta pública: "Eu errei. Errei no que fiz, no que falei, e no que pensava. A atitude correta é pedir desculpas. Mas isso só não basta. É preciso um reconhecimento público que faço agora. Mesmo não tendo tido a intenção de ofender, agredir ou desrespeitar, admito que minhas brincadeiras de cunho machista ultrapassaram os limites do respeito com que devo tratar minhas colegas. Sou responsável pelo que faço."[21][22]

Contudo, a Globo o demitiu em janeiro de 2019, depois de 35 anos na emissora.[23] Em outubro do mesmo ano, a atriz Lília Cabral em entrevista ao programa de rádio Morning Show da Jovem Pan, saiu em defesa do ator "Não acredito que ele seja aquele homem que ele foi, da forma como falaram dele. Não consigo acreditar."[24][25] O autor Aguinaldo Silva, a atriz Betty Faria o apresentador Silvio Santos também defenderam o ator.[26][27][28]

FilmografiaEditar

TelevisãoEditar

Ano Título Personagem Notas
1977–82 Sítio do Picapau Amarelo Burro Falante (voz) Temporadas 1–6
1980 Carga Pesada Motorista Episódio: "O Foragido"
Chega Mais Repórter Episódio: "4 de março"
Malu Mulher Médico Episódio: "Com Que Roupa?"
1982 Caso Verdade Toni Episódio: "A Grande Promessa"
1983 Bandidos da Falange Jorge Fernando
Guerra dos Sexos Ulisses da Silva
1984 Partido Alto Piscina
1985 A Gata Comeu Edson
1986 Hipertensão Raul Galvão
Selva de Pedra Caio
1988 O Pagador de Promessas Zé do Burro
Fera Radical Fernando Flores
1989 Tieta Osnar
1990 Meu Bem, Meu Mal Ricardo Miranda
1992 De Corpo e Alma Carlos Henrique (Caíque)
1993 Agosto Comissário Alberto Matos
1994 Pátria Minha Pedro Fonseca
1995 História de Amor Carlos Alberto Moretti
1996 A Vida Como Ela É... Vários personagens
1997 A Indomada Teobaldo Faruk
1998 Meu Bem Querer Martinho Amoedo
2000 Laços de Família Pedro Marcondes Mendes
2001 Presença de Anita Fernando Reis
2002 Esperança Martino Rizzo Episódios: "17 de junho–30 de agosto"
2003 Mulheres Apaixonadas Dr. César Andrade de Melo
2004 Senhora do Destino Dirceu de Castro
2006 Páginas da Vida Gregório Rodrigues Lobo (Greg)
2008 A Favorita Augusto César Rodrigues
2009 Viver a Vida Marcos Ribeiro
2011 Fina Estampa José Pereira (Pereirinha)
2013 Saramandaia Zico Rosado
2014 Império Cláudio Bolgari Nascimento
2016 A Lei do Amor Sebastião Bezerra (Tião)

CinemaEditar

Ano Título
2017 Encantados
2009 Divã
Royal Flush
2001 Bufo & Spallanzani
1998 Ação Entre Amigos
1994 Mil e Uma
Chuvas e Trovoadas
1993 Capitalismo Selvagem
1992 Perfume de Gardênia
1991 Esta Não É a Sua Vida
1987 A Dama do Cine Shanghai
1984 Nunca Fomos Tão Felizes
1983 Idolatrada
1978 O Bandido Antonio Do
1975 A Mulher do Desejo
Enigma para Demônios
Eco Aliens
1974 Enigmata

TeatroEditar

Prêmios e indicaçõesEditar

Ano Prêmio Categoria Nomeações Resultado
1984 Troféu Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) Melhor Revelação Masculina
Bandidos da Falange
Venceu
1989 Troféu Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) Melhor Ator de Televisão
O Pagador de Promessas
Venceu
Troféu Imprensa Melhor Ator
Tieta
Venceu
1992 Festival Internacional de Cinema de Brasília Melhor Ator
Perfume de Gardênia
Venceu
1993 Prêmio TV Press[30] Melhor Ator
Agosto
Venceu
1995 Prêmio Globo de Melhores do Ano Melhor Ator
História de Amor
Venceu
1996 Prêmio Contigo! de TV[31] Melhor Ator Indicado
1998 Prêmio Contigo! de TV Melhor Ator
A Indomada
Indicado
2000 Prêmio Globo de Melhores do Ano Melhor Ator Coadjuvante
Laços de Família
Indicado
2003 Prêmio Globo de Melhores do Ano Melhor Ator
Mulheres Apaixonadas
Indicado
2005 Prêmio Contigo! de TV Melhor Ator
Senhora do Destino
Indicado
2012 Prêmio Shell de Teatro[32] Melhor Ator
Um Violista no Telhado
Indicado
2014 Prêmio Extra de Televisão Melhor Ator Coadjuvante
Império
Indicado
2016 Prêmio APTR de Teatro[33] Melhor Ator de Musical
Kiss Me, Kate – O Beijo da Megera
Venceu
Prêmio Reverência de Teatro Musical[34] Melhor Ator Venceu
Prêmio Cesgranrio de Teatro[35] Melhor Ator de Musical Venceu
Troféu UOL TV e Famosos Melhor Ator
A Lei do Amor
Indicado

Referências

  1. a b c d «José Mayer». Memória. Globo. Consultado em 24 de agosto de 2012 
  2. «José Mayer já foi seminarista e fala sobre a época na série 'Grandes atores', no canal Viva». Extra Online. Consultado em 9 de agosto de 2020 
  3. «Conheça a trajetória do ator José Mayer em nove fatos». BOL. 3 de outubro de 2018. Consultado em 9 de agosto de 2020 
  4. a b Bergamo, Mônica (25 de março de 2012). «Folha de S.Paulo - Ilustrada - - 25/03/2012». Folha de S. Paulo. Consultado em 9 de agosto de 2020 
  5. «ANTÔNIO GRASSI». PRÓ-TV. Consultado em 9 de agosto de 2020 
  6. «Perfil Completo – José Mayer – Memória». Memória Globo. Consultado em 9 de agosto de 2020 
  7. «José Mayer e Alinne Moraes estão em 'Viver a Vida'». Terra 
  8. «José Mayer entra em Fina Estampa como o marido desaparecido de Griselda - Fina Estampa». Fina Estampa 
  9. «Entrevista com José Mayer, o Zico Rosado de "Saramandaia" - Alto Astral». Alto Astral. 25 de junho de 2013 
  10. «Vida dupla! José Mayer encarna homem dividido entre a esposa e um amante - Império». Império 
  11. «Vilão de 'A lei do amor', José Mayer fala de audiência - Patrícia Kogut, O Globo». Patrícia Kogut 
  12. Feltrin, Ricardo (7 de maio de 2020). «Análise: Por que o público "descancelou" o ator José Mayer?». UOL. Consultado em 9 de agosto de 2020 
  13. «"Maior injustiça já cometida", diz Aguinaldo Silva sobre José Mayer». Metrópoles. 4 de outubro de 2019. Consultado em 9 de agosto de 2020 
  14. «Folha de S.Paulo - Entrevista - José Mayer: "Como ator, gosto de transgredir"». Folha de S. Paulo. 29 de julho de 2001. Consultado em 9 de agosto de 2020 
  15. Encontro com Fátima Bernardes | Julia Fajardo comenta trabalho ao lado do pai, o ator José Mayer | Globoplay, consultado em 9 de agosto de 2020 
  16. Mais Você | José Mayer é casado há 40 anos com Vera Fajardo | Globoplay, consultado em 9 de agosto de 2020 
  17. «Granulomatose com poliangiite: doença de José Mayer não tem cura». 30 de julho de 2018 
  18. Su Tonani (31 de março de 2017). «José Mayer me assediou». Folha de S.Paulo. AGORAÉQUESÃOELAS. Consultado em 4 de abril de 2017 
  19. «Globo suspende José Mayer; atrizes fazem protesto contra assédio». g1.com 
  20. O Globo (4 de abril de 2017). «Entenda o caso: José Mayer é acusado de assédio por Su Tonani, figurinista da TV Globo». O Globo. O Globo. Consultado em 4 de abril de 2017 
  21. «José Mayer sobre assédio: "Errei no que fiz"». Quem. 4 de abril de 2017. Consultado em 9 de agosto de 2020 
  22. «'Fui criado por uma sociedade machista' não é desculpa, diz figurinista que acusou José Mayer». F5. Folha de S. Paulo. 14 de agosto de 2018. Consultado em 9 de agosto de 2020 
  23. Após 35 anos, Globo dispensa José Mayer, acusado de assédio sexual
  24. «Lilia Cabral sai em defesa de José Mayer após acusação de assédio | Pop! Pop! Pop!». VEJA SÃO PAULO (em inglês). 23 de outubro de 2019. Consultado em 9 de agosto de 2020 
  25. «Lilia Cabral defende José Mayer sobre assédio». ISTOÉ Independente. 23 de outubro de 2019. Consultado em 9 de agosto de 2020 
  26. «Silvio Santos defende José Mayer e afirma que assédio é comum no SBT». Metrópoles. 19 de setembro de 2018. Consultado em 9 de agosto de 2020 
  27. «"Faz muita falta na televisão e no teatro", diz Aguinaldo Silva sobre José Mayer». ISTOÉ Independente. 9 de março de 2020. Consultado em 9 de agosto de 2020 
  28. «Betty Faria defende José Mayer de acusação de assédio: "Ficou doente de tristeza"». Rede TV. 2 de novembro de 2018. Consultado em 9 de agosto de 2020 
  29. SILVA, Jane Pessoa da. Ibsen no Brasil. Historiografia, Seleção de textos Críticos e Catálogo Bibliográfico. São Paulo: USP, 2007. Tese.
  30. TV Press
  31. Prêmio Contigo de 1996
  32. José Mayer é indicado a prêmio de teatro por papel em musical.
  33. «Krum e Caranguejo Overdrive vencem o Prêmio APTR: veja a lista!». Teatro em Cena. Consultado em 20 de abril de 2016 
  34. 2º Prêmio Reverência de Teatro Musical: conheça os vencedores!
  35. «Confira a lista de vencedores do Prêmio Cesgranrio de Teatro». Teatro em Cena. Consultado em 20 de abril de 2016 

Ligações externasEditar

 
O Wikiquote possui citações de ou sobre: José Mayer
Precedido por
Hugo Carvana
por Vai Trabalhar, Vagabundo II
Troféu Candango de Melhor Ator
por Perfume de Gardênia

1992
Sucedido por
Nuno Leal Maia
por Louco por Cinema
  Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.