Malta (Paraíba)

município brasileiro do estado da Paraíba

Malta é um município brasileiro do estado da Paraíba, situado próximo a Patos, o qual integra as suas regiões geográficas imediata e intermediária, bem como a sua região metropolitana. Possui limites com Catingueira, Condado, Patos, São José de Espinharas, Santa Terezinha e Vista Serrana e uma área de 172 quilômetros quadrados (km²).[2] Anteriormente integrante da antiga mesorregião do Sertão Paraibano, a sede do município fica distante cerca de 332 quilômetros de João Pessoa, e o seu acesso principal é feito por meio da BR-230, a Rodovia Transamazônica.[5]

Malta
  Município do Brasil  
Praça Francisco Marques de Souza e Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição
Praça Francisco Marques de Souza e Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição
Símbolos
Bandeira de Malta
Bandeira
Brasão de armas de Malta
Brasão de armas
Hino
Gentílico maltense
Localização
Localização de Malta na Paraíba
Localização de Malta na Paraíba
Malta está localizado em: Brasil
Malta
Localização de Malta no Brasil
Mapa de Malta
Coordenadas 6° 54' 14" S 37° 31' 19" O
País Brasil
Unidade federativa Paraíba
Região metropolitana Patos
Municípios limítrofes Norte: Vista Serrana;

Sul: Catingueira e Santa Terezinha;
Leste: Patos e São José de Espinharas;
Oeste: Condado

Distância até a capital 332 km
História
Fundação Fundado em 9 de dezembro de 1953 (68 anos) Instalado em 26 de dezembro de 1953 (68 anos)
Administração
Prefeito(a) Igor Xavier de Lucena[1] (PDT, 2021 – 2024)
Características geográficas
Área total [2] 172,010 km²
População total (IBGE/2020[2]) 5 752 hab.
 • Posição PB: 139.º
Densidade 33,4 hab./km²
Clima Semiárido (Bsh)
Altitude 257 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010[3]) 0,642 médio
 • Posição PB: 12.º
PIB (IBGE/2018[4]) R$ 54 625,020 mil
PIB per capita (IBGE/2018[4]) R$ 9 473,64
Sítio malta.pb.gov.br (Prefeitura)
camaramalta.pb.gov.br (Câmara)

A cidade, que evoluiu de um dos povoados mais antigos do sertão da Paraíba,[6] atingiu o pico populacional de 11 621 habitantes em 1960,[7] quando a população municipal passou a diminuir até por volta de 2010, em parte devido à migração[6] e também pela emancipação de distritos, chegando a registrar 5 613 habitantes em 2010.[2] Estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para 2020 indica que a população local aumentou para 5 752 habitantes, sendo esse o primeiro crescimento decenal em quatro décadas.[2]

O município de Malta destaca-se por sediar um parque solar integrado por duas usinas, a Angicos I e a Malta, que fornecem energia para cerca de um milhão de pessoas.[8] Também merece destaque o Santuário Divino Pai Eterno, em construção no alto de uma colina e que, quando pronto, deverá ser um dos maiores do estado.[9] Integram a paisagem urbana da cidade igrejas, casarios centenários e logradouros bem arborizados[2] que interagem com um espaço urbano onde muitas vezes, por vários anos não são registrados homicídios,[10] além de ter o 12.º maior IDH do estado.[3] Imponentes serras e pequenos corpos hídricos inseridos no bioma da caatinga compõem a paisagem natural local.[5]

HistóriaEditar

Origem do nomeEditar

Credita-se ao primeiro colonizador europeu a nomeação do local, pois quando Teodósio de Oliveira Lêdo lá esteve, acabou por comparar a fazenda que fundou no local e seus arredores à freguesia portuguesa de Malta, em Vila do Conde, Portugal.[6][11]

Dos habitantes nativos ao distritoEditar

Inscrições rupestres encontradas esparsamente pelo município confirmam que tribos indígenas habitavam o lugar desde bem antes da chegada de colonos europeus.[12] Estavam entre essas tribos os Pêgas, uma divisão dos índios Cariris, ramo da nação Tapuia. O ano de 1695[13] marca a chegada do primeiro europeu ao local, Teodósio de Oliveira Lêdo, que dominou os Pêgas, no intuito de escravizá-los e abrir currais para a criação de gado.[14]

 
Teodósio de Oliveira Lêdo

No ano de 1830, um grupo de escravos liderados por João Fernandes de Freitas, sob a orientação de Frei Herculano, construiu uma capela em homenagem a Nossa Senhora da Conceição, a qual atraiu moradores às proximidades e onde, trinta anos mais tarde, uma aldeia com duas ruas já se organizava ao seu redor.[6] O solo fértil atraiu muitos criadores de gado, que organizaram fazendas tanto para a criação dos animais como para o cultivo de algodão.[11] Tudo isso favoreceu que a povoação de Malta fosse elevada à condição de distrito de paz, subordinado ao município de Pombal, por meio da lei provincial n.º 836, de 9 de novembro de 1877.[15]

No final do século XIX, a figura de Padre Avelino, um pároco da localidade, apresentava-se como uma das mais importantes autoridades do local, sendo uma espécie de líder do povoado, em vista da importância da Igreja Católica naquela época, tendo trabalhado também na restauração da capela do lugar. Após o falecimento do padre, a localidade entrou em estagnação, e somente após a oficialização de sua primeira feira livre (no ano de 1908) é que viria a apresentar um bom crescimento de novo.[6]

As mudanças locais observadas no período entre guerras foram muito importantes para a história do distrito de Malta, em especial a década de 1920, visto que nessa década foi verificado um bom crescimento do comércio local e algumas melhorias foram implantadas, a exemplo da instalação da empresa de luz, a qual servia aos seus moradores mais abastados das 18h às 23h.[6] Tal período foi acompanhado de uma severa seca, que durou de 1927 a 1932, exceto o ano de 1929, que registrou a ocorrência de boa quantidade de precipitações.[16]

A seca prolongada levou a Inspetoria Federal de Obras Contra as Secas, atualmente conhecida como DNOCS, a elaborar um projeto, no ano de 1931, para a construção de um açude no distrito de Malta, cujas obras duraram de 1932 a 1936. Às margens do referido açude, hoje denominado Açude Engenheiro Arcoverde, formou-se o povoado de Condado.[17] O progresso alimentado pelas obras e melhorias implementadas no local levou o então distrito de paz a ser elevado à categoria de distrito, integrante do município de Pombal, pelo Decreto Lei n.º 1164 de 13 de novembro de 1938.[11]

Da chegada da ferrovia e da emancipação aos dias atuaisEditar

A década de 1940 marcou a chegada do transporte ferroviário. A estação ferroviária local, inaugurada em 19 de abril de 1944,[18] integrava o ramal de Campina Grande, que inicialmente partia de Itabaiana e ia até a cidade de Campina Grande e, depois de concluída a ligação entre Sousa-Pombal, Pombal-Patos e Patos-Campina, permitiu que a cidade se ligasse por meio de trilhos às principais cidades do estado, ou mesmo com os estados vizinhos.[19]

O crescimento do distrito alcançado na década de 1950 reuniu a elite local em torno do ideal de emancipação, feito esse conquistado em 9 de dezembro de 1953, quando o distrito foi elevado à categoria de município, com a denominação de Malta, pela lei estadual n.º 985, apresentada pelo deputado estadual Octacílio Nóbrega de Queiroz,[6] desmembrado de Pombal e sendo instalado oficialmente no dia 26 de dezembro de 1953;[11] foi nomeado Sebastião Rodrigues dos Santos o interventor local até que se realizassem as primeiras eleições.[6]

Discurso de Octacílio de Queiroz sobre a emancipação de Malta

[...] este distrito precisa ser emancipado, já que existe uma escola, cartório e um povo altaneiro. (...). Malta pede um pouco e pede muito, porque pede a sua independência. Deseja crescer e progredir e só poderá atingir essa precípua nacionalidade, sendo livre, sendo independente.

(SOUSA, 2014, p. 17)[6]

Após instalado o município, permaneceu unicamente formado pelo distrito-sede até 1960, quando foi criado e anexado o distrito de Condado, emancipado já no ano seguinte.[11] Em 1963 foi a vez da criação e emancipação do distrito de Desterro de Malta, atual Vista Serrana. A partir de então, Malta permanece constituída apenas do distrito-sede.[20]

A década de 1960 também viu a chegada do religioso Padre Acácio Cartaxo Rolim, tendo este sido uma figura religiosa de grande influência na cidade, tendo trabalhado em sua paróquia por mais de cinco décadas, vindo a afastar-se pouco antes de falecer em 2011.[21] Durante o período em que esteve como pároco, Padre Acácio recebeu por diversas vezes a visita de Frei Damião, que constantemente realizava romarias pelas cidades da região, vindo a visitar Malta pela última vez entre 5 e 9 de setembro de 1988.[6]

A partir de 2015, a cidade começou a passar por um período de execução de grandes obras em seu território, sendo as principais delas a construção de duas usinas solares fotovoltaicas, investimento privado que colocou o município com um dos principais produtores de energia renovável do estado;[22] no ano seguinte, iniciou-se a construção do Santuário do Divino Pai Eterno, na zona rural ao norte do município.[9]

O crescimento da zona urbana e a necessidade de melhorar o planejamento levaram a Câmara Municipal a aprovar a criação de bairros na cidade, fato ocorrido em abril de 2018.[23] Nesse mesmo ano, Malta teve a sua última alteração territorial, quando a lei estadual n.º 11.259 de 28 de dezembro de 2018 alterou e consolidou os seus limites com os municípios vizinhos.[24]

GeografiaEditar

Distante 2 132 quilômetros de Brasília, a capital federal,[25] e 332 da capital estadual,[5] o município possui limites com Catingueira, Condado, Patos, São José de Espinharas, Santa Terezinha e Vista Serrana.[11] A sede municipal situa-se a uma altitude de 257 metros acima do nível do mar e tem como coordenadas geográficas 6,54° sul e 37,31° oeste.[2]

A nova divisão regional brasileira, estabelecida pelo IBGE em 2017, incluiu Malta nas regiões geográficas imediata e intermediária de Patos,[26] dada a importância da ligação socioeconômica de Malta em relação a Patos, e estando elas separadas por apenas 30 quilômetros.[27] Anteriormente, o município integrava a Microrregião de Sousa e Mesorregião do Sertão Paraibano.[2]

O relevo do município, com altitudes variando entre 220 e 650 metros, está inserido na Depressão Sertaneja-São Francisco, que compreende uma série de terrenos baixos de transição entre o Planalto da Borborema e a Chapada do Apodi,[5] sendo suas principais formações montanhosas as serras do Negro, da Mucunã e do Feijão, na porção norte do município, o Serrote São José, a Serra Macapá, o Serrote Caboclo e a Serra do Pico de Malta, a principal do município, na porção central; mais para sul se sobressaem o Monte Fernandes e a Serra do José Pereira.[28]

A geologia local apresenta formações geológicas em sua maioria das eras Paleoproterozoica e Neoproterozoica, além de uma pequena porção da era Cenozoica.[5] A partir do município surge uma falha geológica que corre no sentido leste–oeste, recebendo o nome de Falha de Malta;[29] somada a ela, há a Zona de Cisalhamento Malta, ambas inseridas na Província Geológica da Borborema.[30]

A vegetação do município pertence ao bioma da caatinga, que cobre atualmente 91% do solo no município, dividida entre 45% correspondente à cobertura de caatinga original preservada e 46% de caatinga degradada. O restante da cobertura perfaz cerca de 6% de solo exposto e 3% ocupado por lavouras, sendo que os corpos hídricos e as construções somam menos de 1% do total de uso e cobertura do solo municipal.[31] Sua flora é rica e bastante diversificada, sendo composta principalmente por espécies como a catingueira verdadeira e a rasteira, o xiquexique, o cardeiro, a coroa-de-frade, a favela, o mororó, o juazeiro, o jatobá, a jurema, a aroeira, a baraúna, o pinhão, o marmeleiro, o angico, entre outras,[5] observando-se crescimento na quantidade de espécies conforme se aumenta a altitude.[27]

HidrografiaEditar

 
Açude Paiambuco, o sétimo maior do local

Sua rede hidrográfica dendrítica é composta por riachos e córregos, bem como cento e cinquenta corpos hídricos, sendo em sua maioria açudes e algumas pequenas lagoas intermitentes,[32] estando inserida nos domínios da bacia hidrográfica do Rio Piranhas. Os principais tributários são os riachos do Castelo, do Feijão e Pitombeira, na porção norte do município e correndo para oeste, o riacho da Aguilhada, que corre para leste, na porção norte do município, os riachos da Furna, de Malta e Poço de Malta, que estão localizados no centro do município e correm para oeste, e os riachos Macapá, Timbaubinha, do Juá e o córrego Araújo, localizados na porção sul do município e que correm para o Açude Engenheiro Arcoverde.[5][28]

Estimativas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), apontam como maior corpo hídrico do território municipal o Açude Público de Malta, localizado junto à sede municipal, com área de 253 mil m² e volume estimado de até mais de 750 mil metros cúbicos (m³). Apresentam-se também como maiores corpos hídricos o Açude de Gabriel, Açude Grande do Castelo, Barragem de Santo André, Açude da Panela e Açude do Padre, todos com mais de 100 mil m² de área e pelo menos 300 mil m³ de volume. Completam a lista dos dez maiores corpos hídricos do local a Barragem da Furna, o Açude Paiambuco, Açude de Antônio de Apolónio e o Açude do Macapá.[31]

ClimaEditar

O município está incluído na área geográfica de abrangência do semiárido brasileiro, definida pelo Ministério da Integração Nacional em 2005. Esta delimitação tem como critérios o índice pluviométrico, o índice de aridez e o risco de seca.[33]

Dados do Departamento de Ciências Atmosféricas, da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), mostram que Malta apresenta um clima com média pluviométrica anual de 727,5 mm[34] e temperatura média anual de 25,6 °C.[35] A localidade está inserida no Polígono das Secas[5] e possui um balanço hídrico-climatológico com uma deficiência hídrica que persiste durante a maior parte do ano, notadamente de maio a janeiro.[36] Assim sendo, as diferentes classificações climáticas conhecidas tendem a classificar o clima local como sendo seco ou subúmido e quente.

 
Nuvens de tempestade se aproximando da cidade

A pequena estação chuvosa que vai de janeiro a abril costuma apresentar uma quantidade razoável de tempestades, o que coloca o município como líder estadual na incidência de raios, segundo aponta estudo do Grupo de Eletricidade Atmosférica do INPE, com uma média anual de quase sete raios por quilômetro quadrado.[37]

A classificação climática de Köppen-Geiger categoriza o clima municipal como "semiárido" (Bsh);[38] já a classificação do clima de Thornthwaite identifica o clima da cidade como sendo "subúmido seco megatérmico" (C1S2A'a').[38] O IBGE, por sua vez, avalia o mesmo como um "clima quente semiárido com 6 a 8 meses secos"[39] e há ainda a divisão do Estado da Paraíba em regiões bioclimáticas, a qual coloca o município como possuindo o bioclima "Tropical quente de seca acentuada com 7 a 8 meses secos" (4aTh).[5]

Dados climatológicos para Malta
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 33,7 32,8 32,0 31,5 30,8 30,1 30,2 31,7 33,1 34,3 34,7 34,5 32,5
Temperatura média (°C) 26,7 26,1 25,6 25,4 24,8 24,0 23,9 24,5 25,5 26,4 26,8 27,0 25,6
Temperatura mínima média (°C) 21,5 21,3 21,1 20,8 20,2 19,3 18,6 18,6 19,7 20,5 21,1 21,5 20,4
Precipitação (mm) 65,3 121,4 215,9 177,3 62,7 28,9 15,0 2,3 2,9 6,3 10,6 18,8 727,5
Fonte: Departamento de Ciências Atmosféricas da UFCG.[34][35][40][41]

DemografiaEditar

Crescimento populacional
Censo Pop.
195010 689
196011 6218,7%
19705 262−54,7%
19806 08015,5%
19916 023−0,9%
20005 962−1,0%
20105 613−5,9%
Est. 20205 752[2]2,5%
Fonte: IBGE[42][7]

A população do município de Malta no censo demográfico de 2010 foi de 5 613 habitantes, divididos entre 4 905 (87%) moradores da cidade e 708 do campo, sendo o 141.º município mais populoso do estado, apresentando uma densidade por volta de 35,93 habitantes por km².[43] A expectativa de vida de seus moradores evoluiu de 66,18 anos em 2000 para 73,01 em 2010, um ano a mais que a média estadual.[3]

Da população total registrada em 2010, 51,84% eram do sexo feminino e 48,16% do sexo masculino, tendo uma razão de sexo de 93 homens para cada cem mulheres.[44] Quanto à faixa etária, 62,53% dos habitantes tinham entre 15 e 64 anos, 26,19% eram jovens com menos de quinze anos e 11,28% da população era composta por idosos com 65 anos ou mais.[3] Ainda segundo dados do censo de 2010, a maioria da população era formada por pardos (53,8% dos habitantes), havendo também brancos (40,00%), pretos (5,60%) e amarelos (0,60%), não sendo registrados indígenas entre os moradores.[45] Levando-se em conta a nacionalidade da população, todos os habitantes eram brasileiros natos,[46] entre os quais 97,55% eram naturais da própria Região Nordeste,[47] sendo 5 299 paraibanos (94,41% do total), dos quais 3 935 declararam ter nascido no próprio município.[48]

O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M) calculado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) define um valor de 0,642 para Malta, considerado médio, encontrando-se o município com o 12 º melhor índice no estado e o 3 254 º do Brasil. Considerando-se apenas o índice de longevidade, seu valor é 0,800, o valor do índice de renda é 0,620 e o de educação 0,533.[3] Desde 1991 o índice de Gini, com valores provenientes dos censos demográficos, indica que a desigualdade social tem aumentado constantemente em Malta, partindo de 0,47 em 1991, subindo para 0,56 em 2000 e alcançando 0,58 em 2010, contudo a porcentagem de pobres e extremamente pobres reduziu-se consideravelmente no período.[49]

ReligiãoEditar

 
Um dos templos católicos no município

Dados do censo de 2010 revelaram que 5 020 dos residentes no município, ou 89,44% da população, declararam-se católicos apostólicos romanos, sendo essa a maior filiação religiosa do local.[50] Os católicos da cidade possuem como padroeira Nossa Senhora da Conceição, cuja paróquia local remonta aos primórdios da cidade e pertence à Forania de Malta, parte integrante da Diocese de Patos, tendo sido oficialmente criada em 14 de janeiro de 1954.[51]

A segunda crença religiosa com mais adeptos no município está com os evangélicos, que perfazem um total de 398 moradores (7,09% da população total), sendo o ramo Pentecostal o que possui mais adeptos, seguido pela Igreja Assembleia de Deus. O número de pessoas que declararam não possuir religião foi de 164, o que correspondeu a 2,92% dos maltenses, perfazendo o terceiro maior grupo do quesito "religião" no censo de 2010. Entre os moradores, foram verificadas também filiações minoritárias representativas às Testemunhas de Jeová e ao espiritismo.[50]

PolíticaEditar

A administração municipal se dá pelos poderes executivo, representado pelo prefeito e seu gabinete de secretários, e legislativo, representado pela câmara municipal, composta por nove vereadores. Cabe à casa elaborar e votar leis fundamentais à administração e ao executivo, especialmente o orçamento municipal, conhecido como Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).[52]

Sede da Prefeitura Municipal de Malta
Sede da Câmara Municipal de Malta

Após ser emancipado de Pombal em 1953, foi definido que o primeiro administrador de Malta seria o senhor Sebastião Rodrigues dos Santos, nomeado para ocupar o cargo de prefeito até que se realizassem as primeiras eleições, tendo o mesmo ocupado o cargo de 23 de dezembro de 1953 até 30 de novembro de 1955, sendo substituído por Francisco Marques de Souza.[6] Também constam como tendo ocupado o cargo de prefeito do município os senhores Redy Wanderley da Nóbrega, Desmoulins Wanderley de Farias, Antônio Fernandes Filho, José Maurício da Silva Cajuaz, João Marques de Sousa e Joselito Bandeira de Lucena,[53] já falecidos,[6][54] além de Antônio Fernandes Neto,[55] Ajácio Gomes Wanderley[56] e José Benedito de Lucena Filho.[57]

Malta se rege por sua lei orgânica, promulgada em 3 de abril de 1990,[58] e abrigava até 2019 uma comarca do poder judiciário estadual, de primeira entrância, criada junto com a lei que emancipou o município em 1953,[59] cujos termos eram Condado e Vista Serrana, vindo a encerrar as atividades no município em 2019 e ser agregada à Comarca de Patos,[60] permanecendo no município apenas com um posto avançado, que visa facilitar a realização de atos processuais por meio de videoconferência.[61]

Câmara e composição política atualEditar

 
Composição cameral 2021-2024:
     Partido Democrático Trabalhista
     Republicanos
     Partido Liberal

Em 1959, a vereadora Maria José Marques tomou posse na presidência da Câmara Municipal do município, tornando-se a primeira mulher a ocupar o referido cargo no Brasil, sendo esse um importante fato político e na luta pelos direitos da mulher no país, tendo permanecido no cargo até 1963.[6] Desde as as eleições de 2008 a participação feminina na Câmara Municipal chega a 44,4% dos cargos, portanto superior à media estadual e nacional, de 14,7%[62] e 12,32%, respectivamente.[63]

O atual prefeito é Igor Xavier de Lucena, eleito no pleito de 2020, com aproximadamente 66% dos votos válidos. Além de eleger o prefeito, o Partido Democrático Trabalhista (PDT) elegeu 3 vereadores para a Casa Juvenilo Tomé da Silva (a Câmara Municipal), inclusive o mais bem votado. A chapa de apoio ao atual prefeito conta ainda com 3 vereadores eleitos pelo partido Republicanos, e as outras três vagas foram ocupadas pelo Partido Liberal (PL), que está na oposição no município.[1]

SubdivisõesEditar

Com uma área total de 172 km² e um perímetro que soma 86,3 quilômetros,[24] desde 1963 o município constitui-se apenas do distrito-sede, estando a sua zona urbana de 1,232 km²[64] subdividida em quatro partes, seguindo-se a aprovação de uma lei pela Câmara Municipal e sancionada pelo prefeito em 2018, que instituiu a divisão da zona urbana municipal em bairros e centro.[23]

 
Subdivisões da zona urbana de Malta:
1. Centro
2. Jardim Estação
3. Jardim Nazareth Martins
4. Jardim Tobias Marques

O centro da cidade corresponde ao núcleo mais antigo de povoamento e onde até hoje situam-se os principais equipamentos urbanos, comércio e também onde ocorrem as principais manifestações socioculturais. As demais subdivisões são oficialmente denominadas de Jardim Estação, localizado ao norte da sede municipal; Jardim Nazareth Martins, a oeste da sede; e Jardim Tobias Marques, localizada a leste do centro,[23] sendo essa a área de mais recente ocupação residencial urbana.[65] Quatro conjuntos habitacionais encontram-se espalhados por todos os bairros da cidade,[66][67][68][69] sendo inexistentes os aglomerados subnormais, loteamentos irregulares ou mesmo processos de regularização fundiária.[62]

O município é o sétimo mais urbanizado do estado, residindo apenas 708 pessoas na zona rural da cidade, contados em 2010,[43] aparecendo como principais localidades rurais do município (de norte a sul): Castelo, São Francisco, Trapiá, Riacho do Feijão, Saco do Feijão, Rachada, Barro Branco, Tapuio, Riacho do Negro, Peambuco, Santo André, Angicos, Furnas, Pau de Leite, Poço de Malta, Saco, Pitombeira, Lagamar, Aurora, Macapá, Areias, Riacho Preto, Fazenda Nova, Salobro e Monte Fernandes.[28]

Casario preservado no Centro da cidade
Vista para a estação ferroviária no bairro de Jardim Estação
Ponto de ônibus no bairro de Jardim Nazareth Martins
Acesso ao bairro de Jardim Tobias Marques

EconomiaEditar

O Produto Interno Bruto (PIB) do município de Malta em 2018 era de 54 625,02 mil reais, o 134.º maior da Paraíba e o 4 811.º do Brasil, dos quais 29 453,46 mil dos setores de administração, saúde e educação e seguridade social; 14 576,97 mil do setor terciário; 3 883,82 mil de impostos; 3 407,55 mil da indústria e 3 303,22 mil do setor primário. A soma desses setores resultou em um PIB per capita para o município no valor de 9 473,64 reais.[4]

A última publicação do Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil, sobre dados de 2010, considera que da população municipal com idade igual ou superior a dezoito anos, 49,51% eram economicamente ativas ocupadas, 40,96% inativas e 9,53% ativas desocupadas. Ainda no mesmo ano, levando-se em conta a população ativa ocupada na mesma faixa etária, 35,64% trabalhavam no setor de serviços, 26,24% na agropecuária, 18,11% no comércio, 11,17% na construção civil, 5,96% em indústrias de transformação e 1,76% na utilidade pública.[49]

 
Criação de ovelhas no município

Segundo o IBGE, em 2019 o município possuía um rebanho de 4 476 bovinos, dos quais 1 342 vacas ordenhadas, que produziram 966 mil litros de leite, pouco mais de três mil galináceos (frangos, galinhas, galos e pintinhos), 1 003 ovinos, 712 caprinos, 141 suínos e 138 equinos.[70] Na lavoura temporária do mesmo ano foram produzidos milho (120 t), batata-doce (80 t) e feijão (43 t),[71] e na lavoura permanente o coco-da-baía teve uma produção de sete mil frutos no ano de 2012.[72]

Infraestrutura e transporteEditar

Informações do Censo de 2010 apontam que o município tinha naquele ano 88,27% dos domicílios com água encanada,[73] com o esgotamento sanitário adequado chegando a 75,1% dos domicílios[2] e a coleta de lixo alcançando 85,49% das residências do município.[74] O abastecimento na zona urbana é realizado com a água proveniente do açude Engenheiro Arcoverde, localizado no vizinho município de Condado, e do Açude Coremas, em Coremas, sendo o transporte de água para o município feito por meio de duas adutoras, a adutora Condado-Malta e adutora Coremas-Patos-Sabugi,[32] com fornecimento em ambos assegurado pela Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (CAGEPA).[75] Já a zona rural utiliza, em sua maioria, a água coletada diretamente nos açudes do município, em poços (um total de quarenta e cinco)[5] ou guardada em cisternas de placa, tendo um estudo da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), identificado um total de quarenta e uma cisternas.[32]

A Energisa Paraíba, subsidiária do Grupo Energisa, é a fornecedora de energia elétrica para todo o município,[76] com voltagem de rede de 220 volts,[77] alcançando 98,05% de domicílios com eletricidade.[78] A energia que chega até o município utiliza duas linhas de transmissão paralelas de 69 kV, que ligam a Subestação Malta à Subestação Jatobá, em Patos, e à Subestação Coremas.[79] Já a energia produzida no município é enviada através de uma linha de transmissão de 69 kV da Subestação Elevatória Angicos I, localizada nas proximidades do parque solar até a Subestação Malta, a partir de então inserida no Sistema Interligado Nacional e transmitida pelas mesmas linhas que trazem energia para a cidade.[80]

 
Módulos solares da Usina Fotovoltaica Malta

O código de área (DDD) de Malta é 083[81] e o Código de Endereçamento Postal (CEP) é 58713-000.[82] Em 2010, 61,95% das residências eram equipadas somente com telefone celular, 10,37% tinham celular e fixo, 4,8% apenas telefone fixo e 22,88% não possuíam nenhum.[83] Dados da Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL), apontam que Malta possui três Estações Rádio Base (ERB), sendo duas da operadora Vivo, as quais oferecem sinal 2G e 3G, e uma da TIM, com sinal 2G, 3G e 4G.[84]

As atividades físicas e esportivas no município têm como principal local de realização o Estádio Municipal Desmoulins Wanderley de Farias, campo com relva natural, vestiário, refletores e arquibancada coberta.[85] Os esportes de quadra geralmente são praticados no Ginásio de Esportes Deputado Edivaldo Motta ou nas quadras poliesportivas existentes nas escolas do município.[86] Há ainda uma quadra para esportes de areia, localizada na Praça da Saúde,[87] e um parque de vaquejada, denominado Parque Pedro Miguel, localizado no Jardim Estação.[31]

Na área da segurança pública, a cidade possui um destacamento do 3.º batalhão de Polícia Militar,[88] bem como uma delegacia da Polícia Civil[89] e uma cadeia pública,[90] que recebe detentos oriundos do próprio município e de Condado e Vista Serrana, com capacidade para 36 pessoas.[91] Desde 2018 a cidade também passou a contar com uma Guarda Municipal, criada para realizar ações de auxílio à segurança pública.[92]

 
BR-230 próximo à entrada da cidade

A frota municipal em 2018 era de 724 motocicletas, 273 automóveis, 172 motonetas, 72 caminhonetes, 13 camionetas, 12 caminhões, nove reboques, 8 micro-ônibus, três ônibus, dois ciclomotores e um utilitário, totalizando 1 289 veículos.[93] No transporte rodoviário, Malta é cortada por duas rodovias asfaltadas, a principal delas a BR-230, que cruza todo o estado de leste a oeste;[5] a outra rodovia é a PB-293, denominada de Prefeito Saturnino Gil de Medeiros, que tem o seu início na cidade[94] e trata-se da principal ligação com Vista Serrana, tendo sido asfaltada em 2015.[95] Além das rodovias, as principais vias internas do município também são asfaltadas e sinalizadas.[96] No transporte ferroviário, possui uma estação ferroviária do antigo Ramal de Campina Grande (desativado nos anos 2000), inaugurada em 1944 e parcialmente preservada.[18]

SaúdeEditar

O município pertence à 6.ª região de saúde do estado da Paraíba. Dados do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), disponíveis para consulta por meio do endereço eletrônico do DATASUS, indicam que a rede de saúde pública está formada por oito estabelecimentos que prestam serviços ao Sistema Único de Saúde (SUS), encontrando-se divididos entre três unidades básicas de saúde (UBS), dois laboratórios, sendo um para a realização de exames e outro para próteses dentárias, uma unidade de vigilância em saúde, uma academia da saúde e a Secretaria Municipal de Saúde.[97] Na parte privada, um laboratório de análises clínicas oferece serviços aos moradores do município.[98] Casos de saúde mais graves ou complexos geralmente são encaminhados para hospitais em Patos.[99]

 
Sede da Secretaria Municipal de Saúde

Entre 1998 e 2017 nenhuma morte materna (de grávidas ou puérperas) foi registrada entre as residentes do município, o acompanhamento pré-natal alcançou quase 99% em 2017 e o número de nascimentos cesáreos, em taxa média ascendente, atingiu 53,62% no mesmo ano. A taxa de mortalidade infantil entre 2012 e 2017 foi zero, contudo entre 1998 e 2011 morreram 28 crianças menores de cinco anos, das quais 25 eram menores de um ano.[100] A taxa de fecundidade no município foi de 2,2 filhos por mulher em 2010.[3] Segundo dados do Ministério da Saúde, 12 casos de Síndrome da imunodeficiência adquirida (SIDA) foram registrados em Malta entre 1990 e 2018, sendo seis em homens e seis em mulheres, e de 2001 a 2016 foram notificados 505 casos de dengue, um de leishmaniose e um de tuberculose. Em 2015, a morte de pessoas jovens do município (entre 30 e 69 anos) ocorreu principalmente por fatores ligados a doenças cardiovasculares e neoplasias.[100]

EducaçãoEditar

IDEB de Malta[101]
Ano Ensino fundamental Ensino
médio
Anos
iniciais
Anos
finais
2005 3,1 2,5 -
2007 3,4 3,5 -
2009 3,5 3,4 -
2011 4,2 3,2 -
2013 4,7 3,5 -
2015 4,6 3,7 -
2017 5,1 3,9 -
2019 5,6 4,0 3,5

O "fator educação" do IDH-M no município foi de 0,150 em 1991, tendo dobrado de valor no ano 2000 e alcançado em 2010 a marca de 0,533, sendo que, apesar da significativa melhora, ainda é o pior fator entre os três analisados,[3] ao passo que a taxa de alfabetização da população acima dos dez anos indicada pelo último censo demográfico do mesmo ano foi de 74,3% (70,1% para os homens e 78,2% para as mulheres).[102] As taxas de conclusão dos ensinos fundamental (15 a 17 anos) e médio (18 a 24 anos) eram de 51,78% e 36,32%, respectivamente,[103] e apresentava uma expectativa de 9,66 anos de estudo, valor superior à média estadual (9,24 anos).[3]

 
Uma das escolas da comunidade

Ainda em 2010, o percentual de crianças de cinco a seis anos na escola era de 98,46% e de onze a treze anos cursando o fundamental de 85,39%. Entre os jovens, a proporção na faixa de quinze a dezessete anos com fundamental completo era de 51,78% e de 18 a 20 anos com ensino médio completo de 36,32%. Considerando-se apenas a população com idade maior ou igual a 25 anos, 34,8% eram analfabetos, 36,5% possuíam o ensino fundamental incompleto, 10,2% tinham ensino fundamental completo, 15,2% o médio completo e 3,3% possuíam superior completo.[3]

Assim como ocorre na área da saúde, o município de Malta está vinculado à 6.ª região de ensino do estado, com sede em Patos.[104] No ano de 2018, o município possuía uma rede de cinco escolas de ensino fundamental (com 44 docentes) mantidas pelo município e uma de ensino médio (15 docentes), mantida pelo estado.[2] Em 2019, a distorção idade-série entre alunos do ensino fundamental, ou seja, com idade superior à recomendada, era de 9,1% para os anos iniciais e 31,4% nos anos finais, sendo essa defasagem no ensino médio de 32,3%.[103]

CulturaEditar

A Secretaria Municipal de Cultura, Esportes e Turismo é o órgão da prefeitura responsável pela área cultural e turística do município de Malta, sendo ela um dos órgãos da administração específica, cabendo a organização de atividades e projetos culturais.[105] Entre os principais pontos de interesse no município estão a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, as diversas praças do município, sendo as principais: a Praça Francisco Marques de Souza, Praça Frei Damião[6] e a Praça do Portal, além da própria natureza do município, que assim como o restante do sertão, é possuidora de grande potencial ecoturístico, ainda pouco explorado.[106] De acordo com a lista do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas, o município possui uma biblioteca pública, localizada no centro da cidade.[107]

 
Letreiro na entrada da cidade

Os principais eventos do município são os festejos juninos da cidade, caracterizados pelas apresentações de quadrilhas estilizadas e tradicionais, comidas típicas e bandas de forró;[108] a festa da padroeira da cidade, principal evento religioso do município, que se inicia em 28 de novembro e se encerra no dia 8 de dezembro;[109] e ainda o Malta Brega Fest, realizado no penúltimo ou último final de semana de dezembro, em comemoração ao aniversário da cidade.[110]

Na área esportiva, destaca-se a prática de esportes coletivos amadores, como o futebol. A cidade não possui clubes profissionais, sendo suas principais equipes amadoras o Centro Sportivo Maltense (CSM)[111] e a Cruz de Malta,[112] que participam de torneios no município, tal como o campeonato municipal de futebol,[111] e em cidades do sertão.[112]

FeriadosEditar

São feriados municipais, definidos por meio da Lei municipal n.º 4 de 1996:[109]

Data Nome Descrição
19 de março Dia de São José Dia de procissão ao Cruzeiro de São José, na zona rural do município.
24 de junho Dia de São João Em comemoração ao nascimento de São João Batista e às festas juninas.
8 de dezembro Dia de Nossa Senhora da Conceição Encerramento da Festa da Padroeira.
26 de dezembro Aniversário da cidade Data magna do município.

Referências

  1. a b UOL (15 de novembro de 2020). «Eleições 2020 - Resultados». São Paulo. Consultado em 18 de abril de 2021. Cópia arquivada em 19 de abril de 2021 
  2. a b c d e f g h i j k Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Panorama de Malta-PB». Cidades@IBGE. Consultado em 11 de abril de 2021. Cópia arquivada em 18 de abril de 2021 
  3. a b c d e f g h i Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e Fundação João Pinheiro (FJP). «Malta, PB». Consultado em 12 de abril de 2021. Cópia arquivada em 12 de abril de 2021 
  4. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2018). «Produto Interno Bruto dos Municípios». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 12 de abril de 2021. Cópia arquivada em 16 de abril de 2021 
  5. a b c d e f g h i j k Ministério de Minas e Energia (Setembro de 2015). «Diagnóstico do Município de Malta.» (PDF). Projeto Cadastro de Fontes de Abastecimento Por Água Subterrânea no Estado da Paraíba. Serviço Geológico do Brasil. Consultado em 8 de abril de 2021. Cópia arquivada (PDF) em 18 de maio de 2021 
  6. a b c d e f g h i j k l m n Sousa, Raimundo Alves de (2014). Memórias de Um Moleque Que Não Queria Estudar. Malta-PB: Gráfica Visão 
  7. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2010). «Tabela 1.4 - População nos Censos Demográficos, segundo as Grandes Regiões e as Unidades da Federação - 1872/2010». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 29 de agosto de 2014. Cópia arquivada em 7 de julho de 2014 
  8. Jornal da Paraíba (8 de setembro de 2015). «Multinacional Alemã Vai Investir em Energia Solar no Sertão da Paraíba». jornaldaparaiba.com.br. Consultado em 3 de agosto de 2018. Cópia arquivada em 4 de agosto de 2018 
  9. a b Comunidade Servos de Maria do Coração de Jesus. «Santuário Pai Eterno». Comunidade Servos de Maria do Coração de Jesus. Consultado em 8 de abril de 2021. Cópia arquivada em 11 de setembro de 2019 
  10. Governo da Paraíba (3 de fevereiro de 2021). «56 cidades da Paraíba não registraram homicídios em 2020». Governo da Paraíba. paraiba.pb.gov.br. Consultado em 8 de abril de 2021. Cópia arquivada em 4 de fevereiro de 2021 
  11. a b c d e f Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Malta-PB - Histórico». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 24 de agosto de 2020. Cópia arquivada em 25 de setembro de 2020 
  12. Fernandes, Almair de Albuquerque (2012). «A arte rupestre na Paraíba: Um estudo sobre o sítio arqueológico da localidade Algodões, no município de Condado». Pombal-PB: Revista Brasileira de Filosofia e História. p. 6-10. Consultado em 9 de abril de 2021. Cópia arquivada em 21 de março de 2020 
  13. Morais, Yan Bezerra de (2014). «Nativos e terras, colonizadores e gados: experiências e conflitos nas ribeiras do Piancó e Piranhas, Capitania da Paraíba, c. 1695 -c. 1750». UFCG/CCHLA. Consultado em 9 de abril de 2021 
  14. Formiga, Maiara Millena Moreira (2014). «Nas Veredas do Sertão Colonial: o processo de conquista e a formação de elites locais no Sertão de Piranhas e Piancó (Capitania da Parahyba do Norte, c. 1690 — c. 1772)» (PDF). UFCG/CCHLA. Consultado em 9 de abril de 2021. Cópia arquivada (PDF) em 18 de maio de 2021 
  15. Soares, Lucimar Formiga (2012). «A Formação Histórica e Política do Município de Condado, Estado da Paraíba.». Pombal-PB: Revista Brasileira de Filosofia e História. p. 30-34. Consultado em 24 de agosto de 2020. Cópia arquivada em 18 de maio de 2021 
  16. José Tavares de Araújo Neto (12 de março de 2018). «Pombal e a Seca de 1932: a construção do Açude de Condado». Consultado em 24 de agosto de 2020. Cópia arquivada em 18 de maio de 2021 
  17. Câmara Municipal de Condado (29 de janeiro de 2019). «História da Câmara e do município de Condado». Consultado em 24 de agosto de 2020. Cópia arquivada em 20 de setembro de 2020 
  18. a b Ralph Mennucci Giesbrecht (10 de janeiro de 2019). «Estações Ferroviárias do Brasil - Malta». Estações Ferroviárias do Brasil. www.estacoesferroviarias.com.br. Consultado em 10 de abril de 2021. Cópia arquivada em 9 de janeiro de 2020 
  19. Ralph Mennucci Giesbrecht (13 de novembro de 2019). «Estação Ferroviária Campina Grande». Estações Ferroviárias do Brasil. estacoesferroviarias.com.br. Consultado em 10 de abril de 2021. Cópia arquivada em 10 de abril de 2021 
  20. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Vista Serrana-PB - Histórico». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 9 de abril de 2021. Cópia arquivada em 23 de outubro de 2018 
  21. Antônio Silva (8 de maio de 2011). «Morre Padre Acácio Cartaxo Rolim». Patosonline. Consultado em 16 de abril de 2021. Cópia arquivada em 16 de abril de 2021 
  22. Faerman, Henrique (30 de outubro de 2019). «MME aprova UFVs no interior da Paraíba como projetos prioritários». Canal Energia. Consultado em 8 de abril de 2021. Cópia arquivada em 11 de novembro de 2020 
  23. a b c MALTA-PB, Lei nº 373, de 01 de junho de 2018. Dispõe Sobre o Acréscimo do Inciso XI do Artigo 13 da Lei Municipal N.º 135/2005, Referente a Poderes da Secretaria Municipal de Educação e Dá Outras Providências. Arquivado em 25 de abril de 2021, no Wayback Machine.
  24. a b PARAÍBA, Lei nº 11.259, de 28 de dezembro de 2018. Consolida e Moderniza a Divisão Intermunicipal do Estado da Paraíba e dá Outras Providências. Arquivado em 10 de abril de 2021, no Wayback Machine.
  25. Jornal da Paraíba. «Distância de Brasília a Malta». Distância entre cidades. Consultado em 9 de maio de 2021. Cópia arquivada em 10 de maio de 2021 
  26. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Divisão Regional do Brasil». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 10 de abril de 2021. Cópia arquivada em 1 de setembro de 2017 
  27. a b Ferreira, Karla Cecilia de Sousa. (2013). «Diversidade, estrutura e dispersão de espécies arbóreas e arbustivas em área de caatinga no município de Malta, PB.» (PDF). Patos-PB: CSTR/UFCG. Consultado em 10 de abril de 2021. Cópia arquivada (PDF) em 11 de abril de 2021 
  28. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2018). «Mapas Municipais Estatísticos das Estimativas Populacionais» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 11 de abril de 2021. Cópia arquivada (PDF) em 11 de abril de 2021 
  29. Araújo, Renata Emily Brito de (2018). «O Papel das Falhas na Evolução das Bandas de Deformação na Bacia do Rio do Peixe» (PDF). Dissertação de Mestrado. Natal: Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Consultado em 21 de abril de 2021. Cópia arquivada (PDF) em 21 de abril de 2021 
  30. Casagrande, Pedro Ivo (2013). «Mapeamento geológico da região de Quitaiús (CE) – Complexo Granjeiro – Província Borborema». Trabalho de Conclusão de Curso. Campinas-SP: Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Consultado em 21 de abril de 2021. Cópia arquivada em 21 de abril de 2021 
  31. a b c Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (9 de março de 2015). «Malta - PB». Construindo o Mapa Municipal Visto do Espaço. Geoprocessamento INPE. Consultado em 1 de maio de 2021. Cópia arquivada em 1 de maio de 2021 
  32. a b c Araújo Segundo Neto, Francisco Vilar; Cunha, Gisele Souza; Araújo, Rejane da Silva; Viana, Pedro Costa Guedes (2013). «Criação de um SIG de Pequenas Obras Hídricas Para O Disgnóstico dos Municípios de Malta-PB e Vista Serrana-PB» (PDF). João Pessoa: VII Simpósio Nacional de Geografia Agrária. Consultado em 11 de abril de 2021. Cópia arquivada (PDF) em 11 de abril de 2021 
  33. Ministério das Cidades (2005). «Nova Delimitação do Semiárido Brasileiro» (PDF). mdr.gov.br. Consultado em 10 de abril de 2021. Cópia arquivada (PDF) em 11 de abril de 2021 
  34. a b Departamento de Ciências Atmosféricas (1911–1990). «Precipitação Mensal». ufcg.edu.br. Consultado em 11 de abril de 2021. Cópia arquivada em 11 de junho de 2014 
  35. a b Departamento de Ciências Atmosféricas. «Temperatura Compensada Mensal e Anual da Paraíba». ufcg.edu.br. Consultado em 11 de abril de 2021. Cópia arquivada em 11 de junho de 2014 
  36. MEGNA, Paulo Roberto; MEDEIROS, Francisco Raimundo Mainar de; SANTOS, Djail (2018). «Balanço Hídrico Climatológico para a Capacidade de Campo de 100 mm – Estado da Paraíba» (PDF) 1.ª ed. Campina Grande: EDUFCG. Consultado em 11 de abril de 2021. Cópia arquivada (PDF) em 22 de janeiro de 2021 
  37. Portal Correio (16 de fevereiro de 2016). «Internauta Registra Vídeo e Foto Com Queda de Raio em JP; Paraíba tem 80 mil por ano.». João Pessoa: Portal Correio. Consultado em 12 de abril de 2021. Cópia arquivada em 12 de abril de 2021 
  38. a b Francisco, Paulo Roberto Megna; Medeiros, Raimundo Mainar de; Santos, Djail Santos; Matos, Rigoberto Moreira de (2015). «Classificação Climática de Köppen e Thornthwaite para o Estado da Paraíba» (PDF). Revista Brasileira de Geografia Física. ufpe.br/rbgfe. pp. 1006–1016. Consultado em 11 de abril de 2021. Cópia arquivada (PDF) em 12 de abril de 2021 
  39. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Mapa de clima do Brasil.» (PDF). Atlas Escolar do IBGE. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 10 de abril de 2021. Cópia arquivada (PDF) em 17 de janeiro de 2019 
  40. Departamento de Ciências Atmosféricas (1911–1980). «Temperatura Máxima Mensal e Anual da Paraíba». ufcg.edu.br. Consultado em 11 de abril de 2021. Cópia arquivada em 11 de junho de 2014 
  41. Departamento de Ciências Atmosféricas. «Temperatura Mínima Mensal e Anual da Paraíba». ufcg.edu.br. Consultado em 11 de abril de 2021. Cópia arquivada em 11 de junho de 2014 
  42. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1960). Enciclopédia dos Municípios Brasileiros. Rio de Janeiro: [s.n.] 
  43. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Tabela 2.1 - População residente, total, urbana total e urbana na sede municipal, em números absolutos e relativos, com indicação da área total e densidade demográfica, segundo as Unidades da Federação e os municípios – 2010». Consultado em 12 de abril de 2021. Cópia arquivada em 12 de abril de 2021 
  44. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2010). «Tabela 608 - População residente, por situação do domicílio e sexo». Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA). Consultado em 12 de abril de 2021. Cópia arquivada em 28 de dezembro de 2016 
  45. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2010). «Tabela 2093 - População residente por cor ou raça, sexo, situação do domicílio e grupos de idade - Amostra - Características Gerais da População». Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA). Consultado em 12 de abril de 2021. Cópia arquivada em 10 de agosto de 2017 
  46. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2010). «Tabela 1497 - População residente, por nacionalidade - Resultados Gerais da Amostra». Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA). Consultado em 12 de abril de 2021. Cópia arquivada em 5 de junho de 2017 
  47. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2010). «Tabela 631 - População residente, por sexo e lugar de nascimento». Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA). Consultado em 12 de abril de 2021. Cópia arquivada em 5 de junho de 2017 
  48. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2010). «Tabela 1505 - População residente, por naturalidade em relação ao município e à unidade da federação - Resultados Gerais da Amostra». Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA). Consultado em 12 de abril de 2021. Cópia arquivada em 5 de junho de 2017 
  49. a b Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2 de agosto de 2013). «Perfil do Município de Malta, PB» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013. Consultado em 12 de abril de 2021. Cópia arquivada (PDF) em 12 de abril de 2021 
  50. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2010). «Tabela 2094 - População residente por cor ou raça e religião». Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA). Consultado em 12 de abril de 2021. Cópia arquivada em 15 de fevereiro de 2016 
  51. Diocese de Patos. «Forania de Malta». Consultado em 17 de maio de 2021. Cópia arquivada em 18 de maio de 2021 
  52. MALTA-PB, Lei nº 2, de 01 de agosto de 1996. Dispõe sobre as Diretrizes Orçamentárias no Município de Malta-PB e Dá Outras Providências. Arquivado em 13 de abril de 2021, no Wayback Machine.
  53. Tribunal de Contas da União (TCU). «Ficha de Joselito Bandeira de Lucena». Sistema de Contas Irregulares. Consultado em 13 de abril de 2021. Cópia arquivada em 13 de abril de 2021 
  54. Patos on-line (3 de setembro de 2022). «Morre em Malta, ex-vereador, ex-prefeito e atual secretário da Prefeitura, Joselito Bandeira de Lucena». patosonline.com. Consultado em 3 de setembro de 2022 
  55. Tribunal de Contas da União (TCU). «Ficha de Antonio Fernandes Neto». Sistema de Contas Irregulares. Consultado em 13 de abril de 2021. Cópia arquivada em 13 de abril de 2021 
  56. Tribunal de Contas da União (TCU). «Ficha de Ajácio Gomes Wanderley». Sistema de Contas Irregulares. Consultado em 13 de abril de 2021. Cópia arquivada em 13 de abril de 2021 
  57. G1 (29 de junho de 2018). «MPF pede condenação de prefeito de Malta, PB, por desvio de recursos públicos». g1.globo.com. Consultado em 13 de abril de 2021. Cópia arquivada em 13 de abril de 2021 
  58. MALTA-PB, Lei nº 1, de 03 de abril de 1990. Estabelece a Lei Orgânica do Município de Malta-PB. Arquivado em 26 de setembro de 2018, no Wayback Machine.
  59. PARAÍBA, Lei nº 985, de 09 de dezembro de 1953. Cria o Município de Malta e Dá Outras Providências. Arquivado em 29 de abril de 2021, no Wayback Machine.
  60. Portal Correio (17 de outubro de 2019). «TJPB decide desinstalar e agregar 15 comarcas». Consultado em 13 de abril de 2021. Cópia arquivada em 13 de abril de 2021 
  61. Leila do Vôlei (8 de março de 2020). «Artigo: por mais mulheres na política!». Correio Braziliense. Consultado em 23 de abril de 2021. Cópia arquivada em 18 de fevereiro de 2021 
  62. a b Instituto de Desenvolvimento Municipal e Estadual (IDEME) (2012). «Perfil Municipal - Malta- PB» (PDF). Relatórios Dinâmicos Indicadores Municipais. Consultado em 23 de abril de 2021. Cópia arquivada (PDF) em 23 de abril de 2021 
  63. Marcus Vinícius (21 de outubro de 2020). «Acesso à Justiça: Município de Malta vai receber Posto Avançado do TJPB». Gecom-TJPB. Consultado em 18 de abril de 2021. Cópia arquivada em 19 de abril de 2021 
  64. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) (2015). «Áreas Urbanas no Brasil em 2015». Consultado em 16 de abril de 2021. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2021 
  65. Cordeiro, Cledilma (25 de janeiro de 2011). «Cidade cresce com a chegada de um novo empreendimento imobiliário». Políticas e Negócios. Consultado em 23 de abril de 2021. Cópia arquivada em 25 de abril de 2021 
  66. MALTA-PB, Lei nº 21, de 02 de junho de 1998. Dá Nome a Rua Outras Providências. Arquivado em 25 de abril de 2021, no Wayback Machine.
  67. MALTA-PB, Lei nº 54, de 28 de dezembro de 2000. Dá Nome a Conjunto Habitacional e Adota Outras Providências. Arquivado em 25 de abril de 2021, no Wayback Machine.
  68. MALTA-PB, Lei nº 251, de 31 de dezembro de 2012. Dá Nome a Conjunto Habitacional e Dá Outras Providências. Arquivado em 25 de abril de 2021, no Wayback Machine.
  69. MALTA-PB, Requerimento nº 13, de 27 de abril de 2017. Arquivado em 25 de abril de 2021, no Wayback Machine.
  70. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2019). «Pecuária». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 16 de abril de 2021. Cópia arquivada em 16 de abril de 2021 
  71. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2019). «Produção Agrícola - Lavoura Temporária». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 16 de abril de 2021. Cópia arquivada em 16 de abril de 2021 
  72. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2012). «Produção Agrícola - Lavoura Permanente». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 16 de abril de 2021. Cópia arquivada em 16 de abril de 2021 
  73. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2010). «Tabela 2065 - Domicílios particulares permanentes, por existência de água canalizada e forma de abastecimento de água - Resultados Gerais da Amostra». Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA). Consultado em 17 de abril de 2021. Cópia arquivada em 17 de abril de 2021 
  74. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2010). «Tabela 3341 - Domicílios particulares permanentes, total e com rendimento domiciliar, e valor do rendimento nominal médio e mediano mensal dos domicílios particulares permanentes, total e com rendimento domiciliar, segundo a situação do domicílio, o tipo de domicílio e o destino do lixo». Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA). Consultado em 17 de abril de 2021. Cópia arquivada em 17 de abril de 2021 
  75. Ministério das Cidades (2012). «Manual Para Apresentação de Propostas Para Sistemas de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitários» (PDF). Programa 2068. Brasília: mdr.gov.br. p. 38. Consultado em 11 de abril de 2021. Cópia arquivada (PDF) em 11 de abril de 2021 
  76. Grupo Energisa (2013). «Estrutura Societária». Consultado em 17 de abril de 2021. Cópia arquivada em 17 de abril de 2021 
  77. Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) (12 de janeiro de 2016). «Tensões nominais». Consultado em 17 de abril de 2021. Cópia arquivada em 17 de abril de 2021 
  78. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2010). «Tabela 1398 - Domicílios particulares permanentes e Moradores em domicílios particulares permanentes, cuja condição no domicílio não era pensionista, nem empregado(a) doméstico(a) ou seu parente, por classes de rendimento nominal mensal domiciliar, a situação do domicílio, a existência e número de banheiros de uso exclusivo do domicílio, a principal forma de abastecimento de água, o destino do lixo e a existência de energia elétrica». Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA). Consultado em 17 de abril de 2021. Cópia arquivada em 17 de abril de 2021 
  79. Click PB (13 de dezembro de 2009). «Energisa investe quase R$ 30 milhões em linhas de transmissão no sertã». Consultado em 17 de abril de 2021. Cópia arquivada em 17 de abril de 2021 
  80. Paiva, Juliana Lopes Barroso Villas Boas Carvalho de (4 de março de 2016). «Diário Oficial da União – 04 de Março de 2016.». Associação Brasileira de Geração de Energia Limpa. Consultado em 17 de abril de 2021. Cópia arquivada em 17 de abril de 2021 
  81. «DDD das cidades no estado Paraíba». Códigos DDD. Consultado em 17 de abril de 2021. Cópia arquivada em 19 de abril de 2021 
  82. Correios. «Busca CEP - Faixas de CEP». Correios. Consultado em 17 de abril de 2021 
  83. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2010). «Tabela 3516 - Domicílios particulares permanentes, por existência de telefone, segundo a situação do domicílio e as classes de rendimento nominal mensal domiciliar per capita». Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA). Consultado em 17 de abril de 2021. Cópia arquivada em 17 de abril de 2021 
  84. Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL). «Anatel – Serviço Móvel.». Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL). Consultado em 17 de abril de 2021. Cópia arquivada em 20 de abril de 2021 
  85. Alysson Pereira (24 de outubro de 2020). «Com conclusão e cobertura de arquibancada, estádio municipal de Malta-PB é entregue a população da cidade». Rádio Liberdade. Consultado em 24 de abril de 2021. Cópia arquivada em 25 de abril de 2021 
  86. MALTA-PB, Lei nº 07, de 16 de dezembro de 1996. Dá Denominação ao Ginásio de Esportes da Cidade e dá Outras Providências. Arquivado em 25 de abril de 2021, no Wayback Machine.
  87. MALTA-PB, Requerimento nº 20, de 24 de março de 2017. Arquivado em 25 de abril de 2021, no Wayback Machine.
  88. Estado da Paraíba. «Resolução - transcrição» (PDF). Polícia Militar. Consultado em 24 de abril de 2021. Cópia arquivada (PDF) em 24 de abril de 2021 
  89. Secretaria de Estado da Administração Penitenciária. «PJe - Processo Judicial Eletrônico». paraiba.pb.gov.br. Consultado em 24 de abril de 2021. Cópia arquivada em 24 de abril de 2021 
  90. Polícia Civil do Estado da Paraíba. «Penitenciárias do Estado da Paraíba». policiacivil.pb.gov.br. Consultado em 24 de abril de 2021. Cópia arquivada em 24 de abril de 2021 
  91. Ministério Público da Paraíba. «Comportamento Carcerário do Estado da Paraíba». mppb.mp.br. Consultado em 24 de abril de 2021. Cópia arquivada em 18 de maio de 2021 
  92. MALTA-PB, Lei nº 8, de 18 de maio de 2018. Dispõe sobre a criação da Guarda Civil Municipal de Malta-PB com fundamento na Constituição Federal, Constituição Estadual, na Lei Orgânica do Município e na Lei 13.022/2014 cuja competência e atribuições e dá outras providências. Arquivado em 24 de abril de 2021, no Wayback Machine.
  93. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2018). «Frota de veículos». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 17 de abril de 2021. Cópia arquivada em 17 de abril de 2021 
  94. PARAÍBA, Lei nº 9289, de 17 de dezembro de 2010. Denomina de Saturnino Gil de Medeiros a PB 293, trecho que inicia no município de Malta e chega ao município de Vista Serrana. Arquivado em 19 de abril de 2021, no Wayback Machine.
  95. Mais PB (6 de novembro de 2015). «Ricardo Inaugura Pavimentação de Trecho da PB-293 no Sertão». João Pessoa: Mais PB. Consultado em 17 de abril de 2021. Cópia arquivada em 17 de abril de 2021 
  96. MALTA-PB, Tomada de preços nº 009, de 2014. Contratação de empresa especializada, cujo critério de seleção da proposta mais vantajosa será a de menor preço global, para a execução de pavimentação em CBUQ em diversas ruas de Malta, conforme especificações na planilha orrçamentária e edital e seus anexos, e lei 8.663/93. Arquivado em 19 de abril de 2021, no Wayback Machine.
  97. Ministério da Saúde (2021). «Dados da Mantenedora». CNES Web. Consultado em 18 de abril de 2021 
  98. Ministério da Saúde (3 de março de 2021). «Estabelecimento de Saúde». CNES Web. Consultado em 18 de abril de 2021 
  99. Governo da Paraíba (10 de novembro de 2020). «Hospital Regional de Patos registra 233 atendimentos durante o fim de semana». paraiba.pb.gov.br. Consultado em 18 de abril de 2021. Cópia arquivada em 18 de abril de 2021 
  100. a b Relatórios Dinâmicos: Monitoramento de indicadores. «Saúde e Bem Estar». ODS03. Consultado em 18 de abril de 2021. Cópia arquivada em 18 de abril de 2021 
  101. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). «IDEB - Resultados e Metas». Consultado em 19 de abril de 2021. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014 
  102. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2010). «Tabela 1383 - Taxa de alfabetização das pessoas de 10 anos ou mais de idade por sexo». Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA). Consultado em 19 de abril de 2021. Cópia arquivada em 30 de novembro de 2018 
  103. a b Relatórios Dinâmicos: Monitoramento de indicadores. «Educação de qualidade». ODS04. Consultado em 19 de abril de 2021. Cópia arquivada em 19 de abril de 2021 
  104. Estado da Paraíba. «Gerências Regionais de Educação» (PDF). paraiba.pb.gov.br. Consultado em 3 de maio de 2021. Cópia arquivada (PDF) em 2 de janeiro de 2019 
  105. MALTA-PB, Lei nº 8, de 26 de dezembro de 1996. Dispõe Sobre a Estrutura Administrativa da Prefeitura Municipal de Malta e dá Outras Providências. Arquivado em 24 de abril de 2021, no Wayback Machine.
  106. Araújo, Sérgio Murilo Santos de; Silva, Eudivânio Lopes da (2006). «Ecoturismo, desenvolvimento sustentável e planejamento: política brasileira e potencialidades do Sertão Paraibano». Caderno Virtual de Turismo. Consultado em 24 de abril de 2021. Cópia arquivada em 24 de abril de 2021 
  107. Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas (SNBP). «Relação de bibliotecas públicas no estado da Paraíba». Ministério da Cultura. Consultado em 24 de abril de 2021. Cópia arquivada em 24 de abril de 2021 
  108. «São João Danado de Bom tem público recorde em Malta». Ferreira Silva. Folha Patoense. 15 de junho de 2019. Consultado em 24 de abril de 2021. Cópia arquivada em 24 de abril de 2021 
  109. a b MALTA-PB, Lei nº 4, de 02 de dezembro de 1996. Cria o Feriado Municipal e Dá Outras Providências. Arquivado em 24 de abril de 2021, no Wayback Machine.
  110. «Programação do Brega Fest em Malta, PB, tem shows de Zezo e Vicente Nery». G1 PB. G1. 26 de dezembro de 2018. Consultado em 24 de abril de 2021. Cópia arquivada em 24 de abril de 2021 
  111. a b «Uma homenagem pelos 38 anos do CSM, clube amador da cidade de Malta». Folha Patoense. Folha Patoense. 21 de abril de 2019. Consultado em 24 de abril de 2021. Cópia arquivada em 24 de abril de 2021 
  112. a b «Cruz de Malta vence Esporte de Patos nos penaltis e é campeão do Campeonato Regional Sub 21 2015». Francisco Sales. Esporte do Vale. 2015. Consultado em 24 de abril de 2021. Cópia arquivada em 24 de abril de 2021 

Ligações externasEditar