Abrir menu principal

Em matemática, e, em especial, em análise funcional, um operador linear em um espaço de Hilbert pode possuir um operador adjunto. Essa relação é a generalização, para qualquer dimensão, do conceito da matriz transposta conjugada. Se pensarmos no espaço de Hilbert como uma "generalização dos números complexos", então o adjunto de um operador desempenha o papel do conjugado de um número complexo.[1]

O adjunto de um operador é, por vezes, chamado de conjugado Hermitiano de (após Charles Hermite) e é denotado por ou , sendo a última notação especialmente utilizada em conjunto com a notação Bra-ket.[2]


[3]


Definição para os operadores limitadosEditar

Suponha que   é um espaço de Hilbert, com o produto interno  . Considere uma operador linear contínuo   (isso é o mesmo que um operador linear limitado).


Usando o teorema da representação de Riesz, pode-se mostrar que existe um operador linear contínuo único   com a seguinte propriedade:

 

Esse operador   é o adjunto de  . Isto pode ser visto como uma generalização da matriz adjunta.


PropriedadesEditar

Propriedades imediatas:

  1.   - Involução
  2. Se   é inversível, então assim é  , com  
  3.  
  4.  , onde   denota o conjugado do número complexo  
  5.  

Se nós definimos a norma operacional de   por

 

então

 .

Além disso,

 

O conjunto de operadores lineares limitados em um espaço de Hilbert   juntamente com a operação adjunta e norma operacional formam um protótipo de uma álgebra  .

ComponentesEditar

Seja  um espaço vetorial finito sobre o corpo complexo e  dois vetores ortonormais contidos na base canônica desse espaço vetorial. Para qualquer dois vetores contidos nesse espaço na base canônica  teremos que

 .

Assim considere o operador  ( é endomórfico a  ), suas componentes são dadas por

 

mas note que

 

portanto

 

desse modo

 

portanto o adjunto de um operador representado matricialmente é igual à transposta da sua matriz com os conjugados complexos tomados.

Operador HermitianoEditar

 Ver artigo principal: Operador autoadjunto

Um operador   que atua num determinado espaço vetorial é dito Hermitiano se satisfaz

 

um exemplo de operador hermitiano é o operador momento visto na mecânica quântica. Suas componentes na base do operador posição  são encontradas a partir da relação de completeza (estamos supondo que o espaço vetorial onde esses operadores atuam é completo)

 

pois as componentes do operador de derivação não são hermitianas (é anti-hermitiano)

 
o fator   torna o operador Hermitiano:

 


Conjugado Hermitiano de um operador constanteEditar

Temos um operador   , onde   e   são números reais, pela definição temos que o conjugado Hermitiano

 

Substituimos   por   ,

 

temos que, o conjugado de um operador hermitiano constante é o seu conjugado complexo.[4]

Adjuntos de operador antilinearEditar

Para um operador antilinear a definição de adjunto necessita ser ajustado a fim de compensar a conjugação complexa. Um operador adjunto do operador antilinear   em um espaço de Hilbert   é um operador antilinear   com a propriedade:

 

Outros adjuntosEditar

Está Equação

 

é formalmente semelhantes a definição de propriedades de pares de functor adjuntos na teoria da categoria, e neste momento que functor adjunto tem seu nome retirado.

Ver tambémEditar

Referências