Abrir menu principal

Oswaldo de Oliveira (treinador de futebol)

treinador de futebol brasileiro
Disambig grey.svg Nota: Se procura outros significados de Oswaldo de Oliveira, veja Oswaldo de Oliveira.

Oswaldo de Oliveira Filho, mais conhecido como Oswaldo de Oliveira (Rio de Janeiro, 5 de dezembro de 1950), é um treinador de futebol brasileiro. Atualmente está sem clube.

Oswaldo de Oliveira
Informações pessoais
Nome completo Oswaldo de Oliveira Filho
Data de nasc. 5 de dezembro de 1950 (68 anos)
Local de nasc. Rio de Janeiro (RJ), Brasil
Altura 1,85 m
Informações profissionais
Equipa atual Sem clube
Posição Treinador
Times/Equipas que treinou
1999–2000
2000
2001–2002
2002–2003
2003
2004
2004
2005
2005–2006
2006
2006
2007–2011
2012–2013
2014
2015
2015
2016
2016
2017
2017–2018
2018–2019
2019
Corinthians
Vasco da Gama
Fluminense
São Paulo
Flamengo
Corinthians
Vitória
Santos
Al-Ahli
Fluminense
Cruzeiro
Kashima Antlers
Botafogo
Santos
Palmeiras
Flamengo
Sport
Corinthians
Al-Arabi
Atlético Mineiro
Urawa Red Diamonds
Fluminense
Última atualização: 02 de setembro de 2019

CarreiraEditar

Sua carreira como técnico iniciou-se em Janeiro de 1999, no Corinthians. Neste mesmo ano, viveu bons momentos com a conquista do Campeonato Paulista e do Campeonato Brasileiro. Em 2000, conquistou com o Corinthians o Campeonato Mundial de Clubes da FIFA de 2000[1]. Deixou o clube em Junho de 2000.

O bom início de carreira sugeria que Oswaldo teria uma trajetória de sucessos como técnico. Assumiu o Vasco da Gama em Julho de 2000 e levou o clube às finais da Copa João Havelange e da Copa Mercosul, também em 2000, mas deixou a equipe antes da decisão após uma briga com o presidente do clube Eurico Miranda. No Fluminense, foi semifinalista do Campeonato Brasileiro de 2001.

Em 2002 treinou o São Paulo, que contava com estrelas do porte de Ricardinho, Rogério Ceni e Kaká, e era o favorito absoluto para a conquista do título. Porém, nos mata-matas, foi eliminado para o Santos, que acabaria como campeão da competição.

Treinou posteriormente o Flamengo, Vitória e Santos entre outros. Teve passagem pelo futebol do Catar.

No Campeonato Brasileiro de 2006, ele treinou o time do Cruzeiro somente até o fim da temporada. Antes no mesmo ano dirigiu também o Fluminense. Deixou a equipe Tricolor na quinta colocação e, após sua saída, o time despencou se livrando do rebaixamento na última rodada.

Em 2007, Oswaldo de Oliveira foi contratado pelo Kashima Antlers, indicado pelo ídolo Zico. Depois de um início ruim, em que a equipe ficou cinco jogos sem vencer e amargou a 15ª colocação, comandou a equipe numa arrancada e bateu o recorde de nove vitórias consecutivas, conquistando o título nacional. No começo de 2008, o time do Kashima, sob comando de Oswaldo, também conquistou a Copa do Imperador, cuja conquista se repetiria na temporada 2010[2]. Já em 2011, levantou o único título que ainda não tinha, a Copa da Liga Japonesa. deixando o clube em dezembro do mesmo ano.[3]

Chegou ao Botafogo no dia 5 de dezembro de 2011,[4] e permaneceu no clube até o fim do Campeonato Brasileiro de 2013, onde a equipe finalizou em quarto lugar.[5]

No começo de 2014 foi contratado pelo Santos com contrato até o fim daquele ano.[6] No Peixe foi vice campeão do Campeonato Paulista, mas devido a uma sequência de maus resultados no Campeonato Brasileiro foi demitido no dia 2 de setembro de 2014.[7]

Assumiu o comando técnico do Palmeiras até 31 de dezembro de 2015.[8] Com isto, Oswaldo tornou-se o primeiro treinador a dirigir os quatro grandes clubes do futebol de São Paulo e os quatro grandes do Rio de Janeiro.[9] Em 9 de junho de 2015, foi demitido do Palmeiras após início ruim no Campeonato Brasileiro, com 6 pontos conquistados em 18 possíveis. Oswaldo deixa o Palmeiras depois de 31 jogos. Foram 17 vitórias, sete empates e sete derrotas, com 50 gols marcados e 26 sofridos terminando com 62,37% de aproveitamento sendo vice campeão do Campeonato Paulista e deixando a equipe em 15º lugar na época da demissão no Campeonato Brasileiro.[10]

Dia 20 de agosto de 2015 é anunciado como técnico do Flamengo, retornando ao clube após doze anos. Recebe o time na 13ª colocação, com 23 pontos e disputando também a Copa do Brasil (oitavas de finais).[11] Com 6 vitórias seguidas, ele fez o time ganhar 9 posições, e alcançar o G4 ainda na 5ª rodada do returno. Seu mérito foi ajustar o meio-campo do Flamengo, fazendo com que o futebol de todo o time crescesse de produção.[12] A mudança começou pela saída de bola: Ele recuou Márcio Araujo para a função de 1º volante (formando uma linha de 3 com os 2 zagueiros), e fez com que o argentino Canteros passasse a vir buscar a bola nesta linha de 3 zagueiros, executando a transição ofensiva, tendo como opções de passe 3 jogadores atrás de si, e os 2 laterais, que já estão a frente da linha do meio de campo, prontos para tabelar com os pontas.[13] Além disso, a transformação da equipe com o treinador passou por fazer do time carioca, antes um dos mais leais e disciplinados da competição, na equipe mais faltosa e "amarelada" do Nacional até então (contando apenas as 5 rodadas do returno).[14]

Em 26 de abril de 2016 é anunciado como novo técnico do Sport Club do Recife substituindo Paulo Roberto Falcão.[15] Deixou o clube para assumir o Corinthians.[16] No comando do Sport conquistou apenas 33% dos pontos disputados.[17]

Em outubro de 2016, o treinador, empregado do Sport Recife, acertou com o Corinthians, sendo tal anunciado pela imprensa no dia 11 do mesmo mês.[16] Oliveira foi campeão mundial em 2000 pelo clube. Só assumiu o Corinthians após comandar o time do Sport contra a Chapecoense que aconteceu no dia seguinte.[17]Mas, no dia 15 de dezembro de 2016, foi demitido do Corinthians.[18][19]

Em 11 de janeiro de 2017, foi contratado pelo Al-Arabi Sports Club, do Catar; Oswaldo retornou ao país após 12 anos (sua última passagem havia sido em 2005, pelo Al-Ahli Sports Club). Oswaldo deixou o cargo após três meses e retornou ao Brasil.

Em 26 de setembro de 2017, foi anunciado o seu acerto com o Atlético Mineiro para o restante da temporada.[20] Foi demitido do Galo no dia 09 de fevereiro de 2018 após maus resultados no início da temporada e uma polêmica com um jornalista de uma rádio mineira.[21]

No dia 19 de abril de 2018, foi contratado pelo Urawa Red Diamonds, do Japão.[22]. No clube japonês, sagrou-se campeão da tradicional Copa do Imperador, mas a permanência no clube durou até 28 de maio de 2019, quando foi demitido após goleada sofrida pelo time na liga local. [23]

No dia 20 de agosto de 2019, foi contratado pelo Fluminense.[24]

TítulosEditar

Prêmios IndividuaisEditar

 
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Oswaldo de Oliveira Filho

EstatísticaEditar

Clube J V E D Aproveitamento
Kashima Antlers 170 89 44 37 52.3%
Corinthians 121 60 25 36 49,5%
Botafogo 133 64 38 31 57,6%
São Paulo 58 32 12 14 62,0%
Fluminense 84 40 23 21 56,7%
Santos 60 34 13 13 63,8%
Palmeiras 31 17 7 7 62,4%
Flamengo 38 17 6 15 44,7%
Sport 34 9 9 16 35%
Cruzeiro 24 8 6 10 41,6%
Vitoria 14 3 4 7 31%
Atlético-MG 20 8 9 3 55%
Urawa Red Diamonds 53 27 9 17 50,9%

Referências

  1. UOL (22 de maio de 2012). «Campeão mundial em 2000, Oswaldo de Oliveira revela torcida pelo Corinthians na Libertadores». Consultado em 22 de maio de 2012 
  2. globoesporte.com (1 de janeiro de 2011). «Ex-jogador do Fla marca, e Kashima Antlers conquista Copa do Imperador». Consultado em 30 de abril de 2012 
  3. globoesporte.com (17 de dezembro de 2011). «Eliminação da Copa do Imperador libera Oswaldo para o Botafogo». Consultado em 18 de dezembro de 2011 
  4. ESPN.com com Agência Estado (5 de dezembro de 2011). «Oswaldo de Oliveira acerta para ser o novo técnico do Botafogo». Consultado em 7 de dezembro de 2011. Arquivado do original em 7 de dezembro de 2011 
  5. «Nota Oficial - Oswaldo». Site oficial do Botafogo FR. 9 de dezembro de 2013. Arquivado do original em 12 de dezembro de 2013 
  6. «Santos FC contrata Oswaldo de Oliveira como técnico para 2014». Sítio oficial do Santos FC. 16 de dezembro de 2013 
  7. Santos demite Oswaldo de Oliveira e negocia com técnico Enderson Moreira.
  8. «Oswaldo de Oliveira assina até final de 2015 e é o novo técnico do Palmeiras». Sítio oficial S.E. Palmeiras. 16 de dezembro de 2014 
  9. «No Palmeiras, Oswaldo fecha "ciclo" entre grandes de São Paulo e Rio». 16 de dezembro de 2014. Consultado em 16 de dezembro de 2014 
  10. «Palmeiras demite Oswaldo de Oliveira». Globo Esporte. 09 de junho de 2015. Consultado em 10 de junho de 2015  Verifique data em: |data= (ajuda)
  11. «Oswaldo de Oliveira substitui Cristóvão Borges no comando do Fla». Globo Esporte. 20 de agosto de 2015. Consultado em 20 de agosto de 2015 
  12. lancenet.com.br/ Fla de Oswaldo consegue melhorar nível e sonhar alto no Brasileiro
  13. globoesporte.globo.com/ Oswaldo de Oliveira já estabelece seu modelo de jogo no Flamengo
  14. espn.uol.com.br/ Perfeito, Flamengo de Oswaldo é o mais faltoso e 'amarelado' do Brasileiro
  15. «Sport confirma Oswaldo de Oliveira para restante da temporada 2016». Consultado em 2 de julho de 2016 
  16. a b Tudo certo: Oswaldo de Oliveira será o novo técnico do Corinthians
  17. a b «Sport perde da Chapecoense e se complica no adeus de Oswaldo». Terra 
  18. «Oswaldo de Oliveira deixa comando técnico do Corinthians». Site oficial do Corinthians 
  19. «Corinthians demite Oswaldo de Oliveira; Guto e Luxa os mais cotados». 15 de dezembro de 2016 
  20. «O Atlético acertou com Oswaldo de Oliveira. O treinador está a caminho de BH para assinatura do contrato e apresentação à tarde. #Galo!». 26 de setembro de 2017 
  21. «Atlético-MG demite Oswaldo de Oliveira um dia após confusão com repórter - Futebol - UOL Esporte». UOL Esporte 
  22. «Oswaldo de Oliveira é anunciado como novo treinador de clube japonês». Lance!. Consultado em 19 de abril de 2018 
  23. https://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2019/05/28/oswaldo-de-oliveira-e-demitido-de-clube-japones-apos-goleada.htm  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  24. «Oswaldo de Oliveira é o novo técnico do Fluminense». Fluminense Site Oficial. Consultado em 20 de agosto de 2019  Texto "lingua-pt-BR" ignorado (ajuda)
  25. Finalistas, Santos e Palmeiras dominam a seleção do Paulistão

Ligações externasEditar