Túlio Maravilha

futebolista brasileiro

Túlio Humberto Pereira Costa (Goiânia, 2 de junho de 1969), conhecido como Túlio Maravilha, é um ex-futebolista, que atuava como atacante, e político brasileiro.[1]

Túlio Maravilha
Túlio Maravilha
Informações pessoais
Nome completo Túlio Humberto Pereira Costa
Data de nascimento 2 de junho de 1969 (54 anos)
Local de nascimento Goiânia, Goiás, Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,75 m
Ambidestro
Apelido Túlio Maravilha
Informações profissionais
Período em atividade 1988–2014
2018–2019
2022
Posição atacante
Clubes de juventude
1981–1988 Goiás
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1988–1992
1992–1993
1994–1996
1997
1997
1998
1999
1999
1999
2000
2000
2001
2001
2002
2002–2003
2003
2003
2004
2004
2004–2005
2005
2006
2006
2006
2006–2007
2007–2008
2009
2009
2009–2010
2010
2011
2011
2011
2012
2012
2012
2013
2014
2018
2018–2019
2022
Goiás
Sion
Botafogo
Corinthians
Vitória
Botafogo
Fluminense
Cruzeiro
Vila Nova
São Caetano
Botafogo
Vila Nova
Santa Cruz
Újpest
Brasiliense
Atlético Goianiense
Tupy
Jorge Wilstermann
Anapolina
Volta Redonda
Juventude
Al Shabab
Volta Redonda
Fast
Canedense
Vila Nova
Itumbiara
Goiânia
Botafogo
Potyguar
Barras
Canedense
Bonsucesso
CSE
Tanabi
Botafogo
Vilavelhense
Araxá
Atlético Carioca
Taboão da Serra
Sport-ES
0165 00000(94)
0035 00000(19)
0096 00000(52)
0033 00000(14)
0024 000000(9)
0024 00000(10)
0022 00000(10)
0009 000000(1)
0017 00000(10)
0031 00000(30)
0014 000000(4)
0027 00000(21)
0007 000000(1)
0010 000000(4)
0025 00000(15)
0001 000000(3)
0007 000000(5)
0021 00000(24)
0009 000000(1)
0022 00000(13)
0012 000000(2)
0006 000000(2)
0025 00000(20)
0012 00000(10)
0032 00000(30)
0053 00000(33)
0022 00000(14)
0010 000000(5)
0040 00000(32)
0011 000000(6)
0015 00000(13)
0021 00000(20)
0007 000000(4)
0017 000000(8)
0019 00000(18)
0004 000000(5)
0005 000000(5)
0001 000000(1)
0002 000000(0)
0004 000000(1)
0001 000000(0)
Seleção nacional
1990–1995 Brasil 0015 00000(13)

Foi três vezes artilheiro do Campeonato Brasileiro de Futebol da Série A (1989, 1994 e 1995), um recorde dividido com Romário, Dadá Maravilha e Fred. É o único jogador do futebol brasileiro a ter sido artilheiro em três divisões do futebol nacional - tendo sido o maior goleador da Série B (2008) e da Série C (2002 e 2007). Ficou também conhecido por seu estilo irreverente e pouco modesto, de autopromoção e sem ter papas na língua.[2][3][4][5][6]

Começou sua carreira no Goiás em 1987 e em pouco tempo, ganhou projeção nacional. Seu auge veio no Botafogo, onde foi ídolo e ajudou o clube carioca a conquistar o Campeonato Brasileiro de 1995. A boa fase naquele ano lhe rendeu convocação para a Seleção Brasileira que disputou a Copa América de 1995. Depois da passagem destacada pelo Botafogo, Túlio passou por Corinthians, Vitória, Santa Cruz, Fluminense e Cruzeiro, mas sem o mesmo brilho dos tempos de Botafogo. Com sua carreira em declínio, defendeu diversos clubes de menor expressão do futebol nacional.[7] Seu último clube foi o Araxá, no qual chegou ao milésimo gol, pelas contas do próprio Túlio, já que não há registro oficial sobre os 1000 gols que o jogador tenha feito ao longo de sua carreira.[8] Nestas contas, somam-se os gols marcados não apenas em partidas oficiais, mas também em jogo-treino, amistoso e até partida festiva.[9] Conforme Goal.com (2023), em jogos oficiais Túlio possui 545 gols, um a menos que o húngaro Ferenc Deák, sendo o 12° artilheiro de todos os tempos; considerando amistosos oficiais, o número sobe para 699 tentos.[10]

Na vida pública, Túlio foi eleito vereador por Goiânia em 2008, tendo exercido o cargo até 2011. Na televisão, integrou o elenco da primeira temporada reality show brasileiro da Rede Record Power Couple, juntamente com sua esposa Cristiane Maravilha.[11][12] Atualmente, atua como comentarista do Os Donos da Bola, na Band Rio.

Em setembro de 2019 participou do elenco da 11ª temporada do reality show A Fazenda.[13]

Carreira futebolística editar

Primeiros anos editar

Túlio começou sua carreira na base do Goiás, aos 12 anos. Subiu para o time principal em 1988, após se destacar na Taça BH daquele ano e ser o artilheiro do torneio.[14] Túlio estreou profissionalmente no dia 12 de março de 1988 na partida em que o Goiás venceu por 4 a 0 o Ceres. Seu primeiro técnico no futebol profissional foi Luiz Felipe Scolari.[15] Em 1988, Felipão teve uma breve passagem pelo Goiás. Um ano mais tarde, em 1989 ganhou seu primeiro título, o Campeonato Goiano de 1989, numa boa campanha. Ainda nesse mesmo ano, aos 20 anos, foi artilheiro do Campeonato Brasileiro de 1989 com onze gols, na época, sendo o mais jovem artilheiro de uma edição do Brasileirão.[16]

Em 1990 ganhou mais uma vez o Campeonato Goiano.[17] A carreira de Túlio começava a ganhar expressão após a final da Copa do Brasil de 1990, quando por pouco não foi campeão, perdendo a final para o Flamengo.[18] Em 1991 foi, pela terceira vez seguida Campeão Goiano e pela primeira vez artilheiro com 18 gols.[19]

Europa e retorno ao Brasil editar

Devido ao valor muito alto pedido pelo Goiás, Túlio foi comprado por um grupo de empresários e repassado ao Sion, em 1992,[20] onde em sua lista, anotou 64 gols, entretanto, a Federação Suíça de Futebol registrou 19 gols marcados entre as temporadas de 1992 e 1993. Conquistou o primeiro Campeonato Suíço do clube. O clima gelado e a adaptação com a cultura suíça dificultaram sua passagem por lá. Apesar da falta de adaptação na vida pessoal, Túlio teve uma passagem considerada perfeita na Suíça, sendo até chamado para jogar na Seleção Suíça. Depois de ter saído do Sion, voltou para o Brasil para atuar no Botafogo, em 1994. Logo em sua estreia, marcou 3 gols contra o America. E assim, foi apelidado pela torcida como Túlio Maravilha.[21] Novamente foi artilheiro do Campeonato Brasileiro, dessa vez por duas vezes consecutivas: 1994 e 1995.[22] Ele conquistou o Campeonato Brasileiro de 1995, com uma final contra o Santos bastante polêmica. No primeiro jogo, vitória do Botafogo por 2 a 1 e um gol de Túlio anulado, além de um pênalti não dado em cima de Donizete. No segundo jogo, um empate em 1 a 1 com o gol de Túlio impedido. Mais tarde, em 1996, atuaria junto com seu irmão gêmeo, Télvio.[23]

Túlio foi contratado pelo Corinthians em 6 de janeiro de 1997, vindo como uma contratação badalada e recebendo o maior salário do Brasil na época.[24] Na época, o clube do Parque São Jorge fez uma parceria com o Banco Excel, que injetou dinheiro em reforços e para quitação de dívidas.[25] O Corinthians foi campeão paulista de 1997 e Túlio foi artilheiro do time (vice-artilheiro da competição com 14 gols), apesar de ter ficado a maior parte do campeonato no banco de reservas. Tinha começado bem o campeonato, sendo titular na maioria dos jogos, mas se machucou e não voltou a jogar como antigamente perdendo a continuação do seu auge.[26] Além disso neste período, o técnico Nelsinho Baptista resolveu mudar o esquema tático pelo time não estar fazendo gols com naturalidade. Assim, colocou Donizete e Mirandinha como dupla de ataque. Assim, Túlio ficou encostado no banco pelo resto do campeonato, só entrando no decorrer das partidas.[26] Diante do fato do jogador pertencer ao Banco Excel, foi cedido ao Vitória para a disputa do Brasileirão de 1997. A equipe também era patrocinada pelo banco, e Túlio (que queria ser contratado por grandes europeus) formou uma das duplas de ataque mais badaladas da história da equipe baiana, com Bebeto. Ao final do ano se transferiu para o Botafogo.[27]

Segunda e terceira passagem pelo Botafogo editar

Na volta de Túlio, em 1998, fez novamente dupla de ataque com Bebeto e foram campeões do Torneio Rio-São Paulo. Foram apenas 21 gols nesse ano. Em 1999 fez três passagens em clubes: Fluminense, Cruzeiro e Vila Nova. No primeiro, fez apenas 10 gols, no segundo 4 (foi no Cruzeiro que ele marcara o gol 500 de sua carreira) e no terceiro, 6. Na passagem pelo Cruzeiro, o time era comandado por Levir Culpi, e por conta deste e da diretoria do Cruzeiro, praticamente não colocaram Túlio para jogar, pois o jogador ainda pertencia ao Banco Excel. O clube deixou Túlio de lado em detrimento de Alex Alves, revelado pelo Vitória e outros jogadores prata da casa. Como consequência disso, Túlio ficou de 4 a 5 meses só treinando.

Quando a imprensa questionava o desempenho de Túlio em 1999, dizendo que ele já estava em fase final de carreira, mesmo com apenas 30 anos de idade e 11 como profissional, o jogador não se abalou e decidiu seguir jogando. Em 2000, foi para o São Caetano, levando este modesto e desconhecido time a subir para a Primeira Divisão do Campeonato Paulista. Ficou 6 meses no mesmo, foi campeão e artilheiro da Série A2, com dezoito gols. Na partida em que decidiria o campeão, Túlio simplesmente fez um gol de bicicleta contra o Paulista, garantindo assim a elite para o São Caetano. Ele parecia ter voltado aos tempos de Botafogo. Entretanto, Túlio ficou muito pouco tempo nesse time. Depois de ter saído do São Caetano, ele voltou mais uma vez ao Botafogo, onde disputou somente 14 partidas.

Santa Cruz Futebol Clube e futebol húngaro editar

Em 2001 foi para o Santa Cruz e só disputou o Campeonato Brasileiro daquele ano. Foram 7 jogos e 1 gol. Após a curtíssima passagem pelo Santa Cruz, retornou ao Vila Nova para a disputa do Campeonato Goiano desse ano. Foi, pela quarta vez campeão, e pela segunda vez artilheiro, com dezesseis gols. Após o término do Campeonato Goiano, se transferiu para o Újpest, em 2002. Ganhou a tradicional Copa da Hungria, ele chegou no clube na metade da competição.

Atlético Goianiense, Associação Atlética Anapolina e Volta Redonda editar

Em 2003 foi para o Atlético Goianiense, para jogar a Série C.[28] Nesse mesmo time, Túlio marcou seu gol 600 da carreira. Logo após o Atlético Goianiense, passou rapidamente pelo Tupy. Disputou a Copa Espírito Santo onde marcou 5 gols, mas seu time acabou eliminado.

Em dezembro de 2003 posou nu para a revista G Magazine. Em 2004, foi para o Jorge Wilstermann. Essa passagem foi mais pela Libertadores. Mas seu time foi eliminado logo na primeira fase.[29] Fora da Libertadores, ele foi campeão da Copa Aerosul e artilheiro, com seis gols. Em 2004, ao fazer seu terceiro retorno ao Brasil, jogou a Série B pelo Anapolina, onde balançou as redes só 2 vezes. Ao lado de Sérgio Manoel, Túlio comandou a excelente campanha do modesto Volta Redonda, time do interior fluminense, à conquista inédita da Taça Guanabara. Na decisão do Carioca, na primeira partida, o Volta Redonda venceu por 4 a 3 o Fluminense. Na segunda partida, porém seu time sofreu um revés, e perdeu por 3 a 1. O Fluminense faturou o título. Túlio ainda foi o artilheiro da competição.

Esporte Clube Juventude e retorno ao Vila Nova editar

Nesse mesmo ano, também foi para o Juventude, onde disputou o Campeonato Brasileiro daquele ano. Foram 12 jogos e 2 gols. Logo depois do Juventude, Túlio se transferiu para o Al Shabab da Arábia Saudita, em 2005 mas não atuou sequer uma partida. Depois do Al Shabab, voltou novamente para o Brasil, em 2006 para o Volta Redonda. Disputou a Copa do Brasil, mas foi eliminado. Logo após a segunda passagem pelo Volta Redonda, se transferiu para o Fast, onde disputou pela terceira vez a Série C e mais alguns amistosos. Túlio sentiu na pele o contraste entre ter jogado num time de ponta e num time modesto, porque para o time disputar amistosos, teria que viajar de barco para chegar ao estádio do adversário. Na metade de 2006, foi contratado pela Federação Goiana e designado para jogar no Canedense. Túlio chegou no meio do Campeonato Goiano da Segunda Divisão, marcou 9 gols em 6 jogos (média superior a um por partida). Nesse campeonato, o time de Túlio subiu para a primeira divisão. Ainda nesse mesmo ano (2006), fechou contrato com o Nerópolis para disputar o Campeonato Goiano da Terceira Divisão. Foi campeão e artilheiro, com sete gols em 7 partidas. Em janeiro de 2007, Túlio na volta para o Canedense marcou seu gol 700 em jogos oficiais, após fazer dois num jogo válido pelo Campeonato Goiano contra o Trindade (segundo sua contagem). No fim do Campeonato, marcou 16 gols em 17 partidas. Com a camisa do Canedense foram 25 gols em 23 jogos.

Com o fim do Campeonato Goiano de 2007, Túlio Maravilha volta ao Vila Nova (6 anos depois) para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série C, formando dupla de ataque com Wando. Túlio foi o artilheiro da competição com 27 gols e ajudou o time a subir para a Série B de 2008. Jogou a Série B de 2008 pelo Vila Nova e foi o artilheiro da competição, com 24 gols (isso com 39 anos de idade). Depois disso foi dispensado do Vila Nova.

Itumbiara e o Botafogo de Brasília editar

 
Túlio e Denílson no Itumbiara.

Em 2009 foi contratado pelo Itumbiara para a disputa do Campeonato Goiano, onde fez companhia para Denílson, como um presente pelo 100º aniversário da cidade de Itumbiara. Apesar da boa campanha, o Itumbiara acabou eliminado nas semifinais do Campeonato. Mais tarde, em 26 de maio de 2009 Túlio voltou para o Botafogo para apenas uma partida amistosa, contra o Brasil de Pelotas, time gaúcho que se preparava para a Série C de 2009. O Botafogo saiu derrotado por 2 a 1.[30] Logo após esta derrota, foi para o Goiânia para disputar a Segunda Divisão do Campeonato Goiano. O time fez uma má campanha, e não conseguiu a classificação para a fase seguinte.[31]

Após a eliminação no Campeonato Goiano da Segunda Divisão, Túlio foi jogar no Botafogo de Brasília. Seu time conseguiu subir para a Primeira Divisão e disputar a final contra o Ceilandense. Mas o Botafogo sofreu um revés, foi derrotado por 2 a 1 e perdeu o título. Após a curtíssima passagem pelo Potyguar de Currais Novos, Túlio voltou ao Botafogo-DF para a disputa do Campeonato Brasiliense de Futebol de 2010. Entretanto, num dos jogos decisivos do campeonato, contra o Gama, no dia 10 de abril, sequer foi relacionado, complicando ainda mais sua situação no clube. Não tendo oportunidades de atuar como titular, e não aceitando essa posição, se desligou do clube no dia 14 de abril de 2011.[32] Em 8 de fevereiro de 2011, Túlio foi contratado por apenas uma partida, fechou contrato com o Barras para o primeiro jogo da Copa do Brasil, contra o ABC,[33] onde batizou o gol que faria, com o nome de cajuína. Mas como a estreia do time se deu somente no dia 24, Túlio ainda defendeu o Botafogo-DF por alguns jogos. Mas no confronto contra o ABC, o Barras foi eliminado ao empatar o jogo de ida em casa por 1 a 1 e perder o jogo de volta por 2 a 1. Túlio saiu de campo em branco nas duas partidas.[34]

Canedense, CSE, Laranjal e Tanabi editar

Túlio seguiu jogando no Canedense, pelo Campeonato Goiano da Segunda Divisão.[35] Mas seu time terminou o campeonato com a pior campanha: em 11 jogos, 10 derrotas e apenas 1 vitória. Foi a pior campanha de Túlio defendendo um time, sendo que na última rodada, apenas 1 torcedor pagou ingresso para assistir o jogo Canedense 0 x 5 Goiatuba.[36] Depois de passagens por Mimosense-ES (1 gol em amistoso)[37] e Bonsucesso (2 gols em amistoso contra o União de Marechal Hermes),[38][39] foi contratado pelo CSE de Palmeira dos Índios como a principal contratação do marketing do clube para o Campeonato Alagoano de 2012. Logo na estreia fez seu primeiro gol com a camisa do CSE na vitória de 2 a 0 sobre o Coruripe. No dia 10 de abril de 2012, Túlio foi dispensado pelo CSE.[40]

Túlio acertou com o Esporte Clube Laranjal, em que na estreia marcou um gol sobre o Democratas pela Copa Integração 2012. Novamente Túlio jogou com a camisa do Laranjal desta vez marcando 2 gols. Depois, Túlio acertou com o Tanabi, time da quarta divisão do campeonato paulista.

Amistosos pelo Botafogo editar

Posteriormente, retornou ao Botafogo do Rio de Janeiro, firmando com o clube o projeto "Túlio a 1000 - 7 gols de solidariedade".[41][42] Em 27 de agosto de 2012, Túlio foi apresentado pelo Botafogo, com o intuito de marcar os sete gols restantes ao milésimo, em jogos amistosos atuando pelo time sub-23, embora não fosse descartada a possibilidade de atuação em jogo oficial.[43][44]

Após passar em branco contra Boavista-RJ e Cachoeiro-ES, Túlio marcou dois gols diante do Rio Branco-RJ (ambos de pênalti), em 27 de dezembro de 2012.[45] Em 24 de fevereiro de 2013, fez três gols sobre o Santos de Angola (dois em penalidade e um da entrada da área), ficando a apenas dois gols de fazer seu milésimo.[46][47] O projeto do milésimo usando a camisa do Glorioso acabou não se concretizado, não tendo sido feita renovação contratual.[42]

Vilavelhense editar

Em 11 de junho de 2013, foi anunciado como o atacante do Vilavelhense-ES. Fez o gol 999 em jogo da Copa Espírito Santo.[48][49]

Araxá e o milésimo gol editar

Em 8 de fevereiro de 2014, vestindo a camisa do Araxá, Túlio chegou ao milésimo gol de sua carreira, segundo suas próprias contas. O gol foi marcado diante do Mamoré, pela Segunda Divisão do Campeonato Mineiro, ainda no primeiro tempo e em cobrança de pênalti, similar ao de Pelé e Romário. Com o gol, o jogador tirou a camisa que vestia, com a numeração 999, e colocou um uniforme que indicava o número mil. Houve invasão do campo da torcida, da família de Túlio e da diretoria do clube e por dez minutos o jogo teve que ser paralisado.

Voltou aos gramados em 2015, numa partida amistosa ao lado de seu filho, Túlio Filho, pelo Aparecida, time da terceira divisão do futebol goiano.[50] No início de setembro confirmou o acerto com o Força Jovem Aquidabã, time sergipano que joga a segunda divisão estadual. Porém uma semana depois declarou por meio de sua conta pessoal no Facebook a sua desistência de atuar pelo Força Jovem Aquidabã, segundo ele, pela falta de ética e profissionalismo.[51] Em 7 de novembro de 2016, Túlio Maravilha foi anunciado como novo jogador do Clube Atlético Taboão da Serra, onde jogaria ao lado de seu filho Tulinho no Campeonato Paulista A-3, mas não chegou a atuar pelo clube.[52]

Atlético Carioca e Taboão da Serra (2018-2019) editar

Após dois meses de negociação, aos 48 anos, Túlio resolve voltar aos gramados após 3 anos para atuar pelo Atlético Carioca[53], clube da cidade de São Gonçalo, que disputa a 4ª divisão do estadual do Rio de Janeiro. Uma de suas motivações foi o fato do clube recém criado ter inspirações nas cores e uniformes do Botafogo-RJ e seu presidente ser botafoguense e fã do jogador.

Na sua estreia pelo clube, Túlio não marcou, mas o time venceu por 1 a 0 o Brasileirinho, pela primeira rodada da Quarta divisão carioca. Tornou-se o jogador mais velho a atuar por um clube carioca, aos 49 anos.[54] No segundo jogo, sofreu uma das suas piores derrotas de sua carreira, um 8 a 1 para o Paduano, sendo substituído no intervalo do jogo.

Em outubro de 2018, Túlio Maravilha finalmente foi anunciado para o Clube Atlético Taboão da Serra. O atacante de 49 anos chega para disputar a Série A-3 do Campeonato Paulista de 2019, onde jogou 4 jogos e fez 1 gol, que segundo o próprio jogador foi o 1001º gol da sua carreira, feito no dia 31 de março de 2019 em jogo realizado pelo Campeonato Paulista de Futebol de 2019 - Série A3, contra o São Carlos em São Carlos, jogo que terminou 3 a 1 para o time da casa, marcando de vez o fim de sua carreira.[55][56][57]

Sport-ES editar

No dia 30 de maio de 2022, aos 52 anos de idade, Túlio anunciaria seu retorno aos gramados, voltando da aposentadoria que foi anunciada em 2019, quando atuava no Taboão da Serra. A equipe em que Túlio anunciou seu retorno ao futebol, foi do Sport-ES de Serra, Espírito Santo, disputando o Campeonato Capixaba Série B de 2022.[58]

Carreira política editar

Túlio Humberto Pereira Costa
Túlio Maravilha
Vereador de Goiânia
Período 1º de janeiro de 2009
16 de setembro de 2011
Dados pessoais
Nascimento 2 de junho de 1969 (54 anos)
Goiânia
Partido PMDB
Profissão Futebolista

Túlio disse que teria que jogar em um time goiano, para exercer seu mandato de vereador.[59] E então escolheu o Itumbiara, para disputar o Campeonato Goiano e a Copa do Brasil.[60] Meses mais tarde, Túlio foi eleito vereador de Goiânia pelo PMDB, nas Eleições municipais do Brasil em 2008, com quase 9 mil votos.[61]

Polêmica de suposto envolvimento com Carlinhos Cachoeira editar

 Ver artigo principal: Operação Monte Carlo

Túlio Maravilha teve seu nome citado em telefonemas de Carlinhos Cachoeira, gravados pela Polícia Federal entre os dias 11 e 31 de março de 2011, durante a Operação Monte Carlo.[62]

Túlio pediu a Cachoeira cerca de R$ 30 mil reais, o que foi confirmado por meio de seu advogado, Levy Leonardo, informando, porém, que o dinheiro teria sido recebido para sua campanha para deputado estadual, em 2010.

Títulos editar

Goiás
Botafogo
Corinthians
Vitória
Cruzeiro
Vila Nova
São Caetano
Újpest
Brasiliense
Jorge Wilstermann
Volta Redonda
Itauçu

Prêmios individuais editar

Goiás
Botafogo
  • Bola de Prata da Revista Placar: 1994 e 1995
  • Melhor atacante do Campeonato Brasileiro: 1995
  • Chuteira de Ouro do Campeonato Brasileiro: 1994 e 1995
  • Melhor atacante do Brasil: 1994 e 1995
  • Chuteira de Ouro do Brasil: 1994, 1995 e 1996
  • Jogador Brasileiro do Ano: 1995
  • Prêmio Sharp: 1995
  • Prêmio Sony: 1995

Artilharias editar

Referências

  1. futrio.net (16 de outubro de 2018). «Túlio Maravilha confirma acerto com Atlético Carioca para o estadual serie C!». UOL esporte 
  2. Felipe Santos (10 de março de 2014). «Túlio se aposenta neste domingo: veja motivos para lamentar seu adeus». Globoesporte.com 
  3. Raphael Ramos (6 de maio de 2012). «Túlio Maravilha não desiste nunca». O Estado de S.Paulo. Consultado em 10 de março de 2014 
  4. «Túlio luta por gols e Guinness"». Folha de S.Paulo. 25 de abril de 2003. Consultado em 10 de março de 2014 
  5. Gabriel Francisco Ribeiro (2 de Fevereiro de 2014). «"Marqueteiro" e pouco modesto, Túlio quer gol 1000 antes da Copa». Terra. Consultado em 10 de março de 2014 
  6. Sebastião Montalvão (23 de julho de 2008). «Atacante Túlio Maravilha lança candidatura a vereador em Goiânia». UOL. Consultado em 10 de março de 2014 
  7. Felipe Pereira (10 de março de 2014). «"Falastrão" Túlio se aposenta em clima melancólico diante de 36 torcedores». UOL Esporte. Consultado em 10 de março de 2014 
  8. «Túlio Maravilha faz gol 1000 e ganha festa no meio do jogo». UOL Esporte. 8 de fevereiro de 2014. Consultado em 10 de março de 2014 
  9. Mariana Kneipp (18 de fevereiro de 2011). «Dossiê Túlio 1.000: memória e matemática em busca de um sonho». Globoesporte.com. Consultado em 10 de março de 2014 
  10. «Pelé, Cristiano Ronaldo, Romário, Messi e mais: os maiores artilheiros na história do futebol | Goal.com Brasil». www.goal.com. 9 de abril de 2023. Consultado em 14 de abril de 2023 
  11. EGO - Cristiane Maravilha
  12. Power Couple Brasil estreia dia 12 de abril com apresentação de Roberto Justus
  13. «Conheça os participantes de A Fazenda 11». R7.com. 19 de setembro de 2019. Consultado em 27 de novembro de 2019 
  14. «Batemos um papo com Túlio Maravilha - O artilheiro do Brasil | Papo com Boleiro | LANCE!». Papo com Boleiro (em inglês). 26 de agosto de 2017. Consultado em 20 de janeiro de 2022 
  15. Diego Ribeiro (23 de fevereiro de 2013). «Com problema em voo, Felipão deixa de encontrar 'pupilo' Túlio Maravilha». Globo.com. GloboEsporte.com. Consultado em 4 de maio de 2013 
  16. «"Túlio Maravilha, nós gostamos de você", a história de um dos maiores ídolos de todos os tempos do Botafogo». Bolavip Brasil. Consultado em 20 de janeiro de 2022 
  17. Fernando Júnior. «Túlio Maravilha jogará a Copa TV Integração pelo E.C. Laranjal». Difusoras JN. Consultado em 28 de fevereiro de 2013 
  18. «#Tbt relembra gol que deu título da Copa do Brasil de 1990 ao Flamengo». ge. 9 de abril de 2020. Consultado em 14 de fevereiro de 2024 
  19. «Goiás é tricampeão estadual pela terceira vez, feito inédito no futebol goiano». ge. 7 de maio de 2017. Consultado em 14 de fevereiro de 2024 
  20. Rafael Maranhão (25 de agosto de 2011). «Apesar de mentir na conta, Túlio ainda é lembrado com carinho na Hungria». Globo.com. Consultado em 19 de fevereiro de 2013 
  21. «Em forma, Túlio Maravilha treina pela primeira vez no Botafogo». Gazeta. GazetaEsportiva.net. 4 de setembro de 2012. Consultado em 20 de fevereiro de 2013 
  22. Janeiro, Por André Casado Rio de (23 de agosto de 2011). «Túlio mira gol 995 e até Libertadores pelo Bonsucesso: 'Rei do Rio voltou'». globoesporte.com. Consultado em 14 de fevereiro de 2024 
  23. Janeiro, Por Mariana Kneipp Rio de (17 de setembro de 2011). «'Lembra Dele?' Télvio, irmão gêmeo de Túlio, conta 15 gols na carreira». globoesporte.com. Consultado em 14 de fevereiro de 2024 
  24. «Folha de S.Paulo - 'Fantasma' paga contratação de Túlio - 7/1/1997». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 14 de fevereiro de 2024 
  25. «Folha de S.Paulo - Futebol: Banco assume Corinthians por 20 anos - 04/12/98». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 14 de fevereiro de 2024 
  26. a b «Túlio lamenta ter ido para o Corinthians em 1997 e deseja ajudar o Botafogo». www.uol.com.br. Consultado em 14 de fevereiro de 2024 
  27. «Os Gols». São Paulo: Editora Abril. Placar Magazine (1256). 166 páginas. 2003 
  28. «Túlio Maravilha jogará a Série C». Terra. 11 de setembro de 2003. Consultado em 14 de abril de 2013 
  29. Gustavo Heldt (2 de março de 2011). «Ex-jogador do Jorge Wilstermann, Túlio Maravilha chuta: "Inter passa"». clicrbs.com. Hora de Santa Catarina. Consultado em 11 de maio de 2013 
  30. [1]
  31. «Túlio Maravilha acerta com o Goiânia para disputar segunda divisão». Gazeta Press. Terra. 20 de maio de 2009. Consultado em 16 de fevereiro de 2013 
  32. [2]
  33. «Túlio Maravilha chega ao Barras-PI para disputa da Copa do Brasil». Gazeta Press. Placar. 8 de fevereiro de 2011. Consultado em 14 de maio de 2013 
  34. Marcelo Baltar (5 de fevereiro de 2011). «Túlio Maravilha assina contrato por um jogo e vai defender o Barras-PI». Globo.com. GloboEsporte.com. Consultado em 17 de fevereiro de 2013 
  35. «Túlio Maravilha segue busca por 1000º gol e acerta com a Canedense». GazetaEsportiva.net. 17 de junho de 2011. Consultado em 14 de abril de 2013 
  36. Igor Siqueira (4 de agosto de 2011). «Jogo de Túlio Maravilha tem só um pagante. Que fase!». Lance!Net. Consultado em 14 de abril de 2013 
  37. «Túlio Maravilha negocia com o América-RJ em busca do milésimo gol». www.uol.com.br. Consultado em 14 de abril de 2023 
  38. «Túlio Maravilha acerta com o Bonsucesso-RJ em busca do milésimo gol». Agência Futebol Interior. 20 de agosto de 2011. Consultado em 17 de fevereiro de 2013 
  39. «Capitão do Bonsucesso, Túlio Maravilha estreia em novo time com dois gols». www.uol.com.br. Consultado em 14 de abril de 2023 
  40. «Em busca do gol mil, Túlio Maravilha rescinde com CSE-AL». Agência Futebol Interior. 10 de abril de 2012. Consultado em 17 de fevereiro de 2013 
  41. «Túlio Maravilha diz estar muito perto de marcar seu milésimo gol». R7. Esporte Fantástico. 21 de janeiro de 2012. Consultado em 17 de fevereiro de 2013 
  42. a b «Sem contrato, Túlio culpa Botafogo por projeto 'falido' do gol 1000». ESPN. Consultado em 14 de abril de 2023 
  43. Bernardo Gentile (27 de agosto de 2013). «Apresentado pelo Bota, Túlio será inscrito no BR e gol mil pode ocorrer em jogo oficial». UOL - Esporte. Consultado em 6 de janeiro de 2013 
  44. «Para Túlio, cinco jogos podem ser suficientes para milésimo gol». Extra Online. Consultado em 14 de abril de 2023 
  45. Pedro Veríssimo; Thiago Fernandes. «Túlio supera marcação de Odvan, marca duas vezes e chega a 995 gols». Consultado em 14 de abril de 2023 
  46. Túlio marca três gols contra o Santos de Angola e fica a dois do milésimo
  47. «Túlio volta ao Caio Martins, marca três gols e fica a dois do milésimo». globoesporte.com. Consultado em 15 de abril de 2023 
  48. «Vilavelhense anuncia contratação do atacante Túlio Maravilha.». Terra. 11 de junho de 2013. Consultado em 11 de junho de 2013 
  49. «Túlio Maravilha faz o gol 999 e Vilavelhense derrota o Linhares». globoesporte.com. Consultado em 14 de abril de 2023 
  50. «Túlio Maravilha joga amistoso ao lado do filho e cogita disputar 3ª divisão». globoesporte.com. Consultado em 14 de abril de 2023 
  51. «Túlio Maravilha encerra contrato com Força Jovem: "Falta profissionalismo"». globoesporte.com. Consultado em 14 de abril de 2023 
  52. «Túlio Maravilha jogará a terceira divisão do Paulista ao lado do filho». UOL Esporte. 7 de novembro de 2016. Consultado em 22 de novembro de 2016 
  53. «Ele voltou! Aos 48 anos, Túlio anuncia retorno ao futebol carioca». Lancenet. 9 de março de 2018. Consultado em 9 de março de 2018 
  54. «Túlio Maravilha não marca, mas seu time vence na quarta divisão do Rio». Lance!. Consultado em 30 de maio de 2022 
  55. Paulo, iG São (16 de outubro de 2018). «Túlio Maravilha anuncia volta ao futebol e disputará Série C do Paulista de 2019». Portal iG. Consultado em 30 de maio de 2022 
  56. CONTEÚDO, ESTADÃO. «Túlio desafia o tempo, fecha contrato com o Taboão e mira gol 1001 | Esporte | O Dia». odia.ig.com.br. Consultado em 30 de maio de 2022 
  57. «Túlio Maravilha marca o gol 1001, mas Taboão da Serra é derrotado». www.uol.com.br. Consultado em 30 de maio de 2022 
  58. «Aos 52 anos, Túlio Maravilha anuncia volta da aposentadoria e diz que vai jogar a Série B do Capixaba». ge. Consultado em 30 de maio de 2022 
  59. Leonardo Velasco (2 de dezembro de 2008). «Túlio Maravilha é dispensado do Vila Nova e ataca a diretoria». Globo.com. Globo Esporte. Consultado em 6 de fevereiro de 2013 
  60. «Túlio Maravilha acerta com o Itumbiara-GO». Globo.com. Globo Esportes. 10 de janeiro de 2009. Consultado em 13 de abril de 2013 
  61. Vinicius Jorge Sassine (5 de outubro de 2008). «Túlio Maravilha é eleito vereador em Goiânia». Terra. Consultado em 6 de fevereiro de 2013 
  62. «CPI do Cachoeira». Revista Veja. 1 de Maio de 2012. Consultado em 16 de Maio de 2012 

Ligações externas editar

 
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Túlio Humberto Pereira da Costa

Precedido por
Nílson
Artilheiro do Campeonato Brasileiro
1990
Sucedido por
Charles
Precedido por
Guga
Artilheiro do Campeonato Brasileiro
1994
Sucedido por
Túlio Maravilha
Precedido por
Túlio Maravilha e Amoroso
Artilheiro do Campeonato Brasileiro
1995
Sucedido por
Paulo Nunes e Renaldo