Abrir menu principal

A25 (autoestrada)

autoestrada portuguesa


A 25 - Autoestradas de Portugal
Nome: Autoestrada das Beiras Litoral e Alta
Traçado actual: Aveiro - Vilar Formoso (N 332)
Traçado previsto: Aveiro - Vilar Formoso (Fronteira Portugal-Espanha)
Tráfego médio diário: 10 694[1] Ano: 2017 (Dez.)
A 25
199
Cruza com: Concessionário: Regime:
 A 1  ,  A 17 ,  A 23 ,
 A 24 ,  A 29 ,
 A 35 *,  IP 2 ,  IP 3 , N 1, N 16, N 17,
N 102, N 109, N 228, N 231, N 234, N 235, N 324, N 328, N 332, N 333
Ascendi Portagens / Gratuito
Mapa da auto-estrada A 25.
Fim da A25: saída para o centro de Vilar Formoso e Almeida
A25 no Viaduto de Castelo Bom, sobre o rio Côa, durante vários anos o maior viaduto da Europa em pilares.
Troço na A25, perto de Castelo Bom.
A25 entre Chãs de Tavares e Fornos de Algodres

A  A 25  - Autoestrada das Beiras Litoral e Alta é oficialmente uma autoestrada portuguesa. Atravessa variadas paisagens portuguesas, desde as praias e planícies da Beira Litoral ao agreste planalto beirão e a Espanha, por terrenos dos distritos de Aveiro, Viseu e Guarda. De acordo com o Plano Rodoviário Nacional de 2000, toda a sua extensão corresponde ao Itinerário Principal nº5 ( IP 5 ). Os primeiros troços construídos desta rodovia e os troços projetados quando foi lançada (em 2001), não eram considerados uma autoestrada, mas sim uma via rápida com perfil transversal de autoestrada (similar ao IC19 ou IC32); deste modo, esta estrada estava numerada como IP5 nos troços que na altura já existiam e estava previsto que assim viesse a ser numerada no resto do seu percurso. Contudo, em meados da década de 2000 o IP5 foi reclassificado como autoestrada, recebendo então a numeração A25. Os troços mais recentes abriram já sinalizados como A25.

É uma das principais autoestradas de Portugal, sendo a principal porta rodoviária do país para o resto da Europa. Por ela circulam diariamente milhares de veículos ligeiros e pesados com destino ao estrangeiro. Resulta da duplicação do traçado original do IP5, construído entre 1983 e 1989 pela Junta Autónoma das Estradas, em quase todo o seu percurso, à excepção dos troços Vouzela-Prime, Chãs de Tavares-Fornos de Algodres e Açores-Alvendre, onde foi construída de raiz pela Ascendi em formato de autoestrada, mantendo-se o traçado original do IP5 como alternativa. Entre o nó das autoestradas A24/A25 e o nó do Caçador aproveitou a antiga variante à Estrada Nacional nº2, também construída pela Junta Autónoma das Estradas, que ligava o IP3 ao IP5. Para assegurar a continuidade entre a antiga variante à EN2 e a A25, foi reformulado o nó do Caçador, dando origem a uma polémica e perigosa curva com raio de 180º conhecida como "Bossa do Camelo", num troço onde, apesar de hoje ser taxado com portagens, a velocidade é limitada a 80 km/h e controlada por radar.

Foi concluida em 2006, após anos de reivindicações por parte das entidades locais e associações de transportadores rodoviários. Veio substituir o perfil original 2+1 do IP 5 , uma estrada bastante perigosa e congestionada - sendo até conhecida por «estrada da morte» - tendo sido em grande parte construída sobre a antiga estrada, o que provocou com que a  A 25  seja uma das mais sinuosas autoestradas de Portugal, contudo, o objetivo de reduzir a elevada sinistralidade da antiga IP5 foi conseguido.

A maioria das estações de serviço transitou do antigo IP 5 , por estas se encontrarem junto ao traçado duplicado.

As áreas de Aveiro, de Vouzela e de Viseu são as excepções, tendo sido construídas de raíz aquando da transformação em autoestrada. No entanto, as restantes áreas de serviço mantiveram-se inalteradas, com más condições e fracos serviços que contrastam com a importância desta auto-estrada no panorama nacional.

É concessionada atualmente pela Ascendi (antiga Aenor), estando integrada nas Concessões Rodoviárias da Costa de Prata (de Aveiro até Albergaria) e das Beiras Litoral e Alta (de Albergaria até Vilar Formoso). É atualmente uma auto-estrada com portagem electrónica, desde 8 de dezembro de 2011.

Traçado da A 25 no Google Maps

Índice

O IP 5Editar

A  A 25 , também conhecida pelo Itinerário Principal do qual faz parte integrante em toda a sua extensão, o IP 5 , foi construída inicialmente entre o nó da A1, em Albergaria e a Praia da Barra. Mais tarde, devido aos graves problemas de sinistralidade rodoviária e deficiências na construção, foi prolongada até Vilar Formoso. O IP5 chegou também a ser considerada a estrada mais perigosa de Portugal e a 3ª a nível mundial.

Década de 2000: a redução da sinistralidadeEditar

Além de ter diminuido os tempos de viagem entre Aveiro e Vilar Formoso, tendo para isso, por exemplo, a sua construção optado por alguns troços feitos de raíz (em vez de seguir o traçado do antigo IP 5 ) descongestionando o tráfego através de mais vias de trânsito (algumas zonas desta auto-estrada têm cinco vias de trânsito nos dois sentidos), a  A 25  diminuiu os antigos números da sinistralidade rodoviária.

Sentiram-se grandes melhorias nos números da sinistralidade rodoviária:

[2] Tipos de Sinistralidade IP5
(jan. de 2000 - dez. de 2000)
A25
(out. de 2006 - set. de 2007)
Variação
Acidentes com vítimas 134 92 –31%
Vítimas mortais 17 4 –76%

No entanto, em agosto de 2010, a A25 foi testemunha de um grande acidente em cadeia, em Talhadas, o qual provocou a morte de 6 pessoas e mais de 70 feridos.

PercursoEditar

Estado dos TroçosEditar

Troço Estado Extensão
Barra (Ílhavo)(nó de Albergaria) (  A 1  ) Em serviço (09/1991) com formato de via rápida com 2 faixas (  IP 5  )
Reclassificado (década de 2000) para A 25 
24
Albergaria-a-Velha (  A 1  ) – Albergaria-a-Velha (IC2) Em serviço (09/1991) com formato de via rápida com 1 faixa (  IP 5  )
Duplicado (2001) para formato de via rápida com 2 faixas ( IP 5  )
Reclassificado (década de 2000) para A 25 
5
Albergaria-a-Velha - Talhadas Em serviço (1987) com formato via rápida com 1 faixa ( IP 5  )
Duplicado (12/10/2005) para formato de autoestrada ( A 25  )
14
Talhadas - Vouzela Em serviço (década de 1980) como via rápida (  IP 5  )
Duplicado (12/10/2005) para formato de auto-estrada ( A 25  )
20
Vouzela - Boa Aldeia (Viseu) Em serviço (12/10/2005)
12
Boa Aldeia - Viseu ( A 24  /  IP 3  ) Em serviço (30/09/2006)
10
Viseu (  A 24  /  IP 3  ) - Prime Em serviço (11/05/2001) como via rápida com 2 faixas (  IP 3  )
Reclassificado (30/09/2006) para A 25 
10
Prime - Mangualde Em serviço (09/1983) como via rápida ( IP 5  )
Duplicado (30/09/2006) para formato de auto-estrada (  A 25  )
9
Mangualde - Chãs de Tavares Em serviço (09/1988) como via rápida ( IP 5  )
Duplicado (15/07/2006) para formato de auto-estrada ( A 25  )
13
Chãs de Tavares - Fornos de Algodres Em serviço (década de 1980) como via rápida ( IP 5  )

Duplicado (15/07/2006) para formato de autoestrada (  A 25  )

8
Fornos de Algodres - Celorico da Beira Em serviço (década de 1980) como via rápida (  IP 5  )
Duplicado (15/07/2006) para formato de auto-estrada (  A 25  )
17
Celorico da Beira - Açores Em serviço (10/1989) como via rápida (  IP 5  )
Duplicado (15/07/2006) para formato de auto-estrada ( A 25  )
2
Açores - Alvendre Em serviço (15/07/2006)
13
Alvendre - Guarda Em serviço (10/1989) como via rápida (  IP 5  )
Duplicado (15/07/2006) para formato de auto-estrada ( A 25  )
2
Guarda - Vilar Formoso Em serviço (12/1987) como via rápida ( IP 5  )
Duplicado (11/2003) para formato de auto-estrada ( A 25  )
36
Vilar Formoso - Fuentes de Oñoro (fronteira espanhola) Obras iniciadas em Maio 2019
Abertura estimada ao tráfego: Agosto 2020
2,3

PerfilEditar

A auto-estrada  A 25  possui um perfil transversal tipo de duas vias por sentido, existindo mais uma nos locais onde a elevada inclinação justifica uma via adicional de ultrapassagem.

Troço Perfil Extensão
Praia da Barra - Vilar Formoso
 
197 km

Nós de Ligação e Pórticos de PortagemEditar

Aveiro - Vilar FormosoEditar

 
Fronteira de Vilar Formoso, final da N 16 e provisório final da A 25.
 
A 25 junto ao Rio Côa, com vista para a localidade de Castelo Bom.
Número da Saída km Nome da Saída Estrada que liga
  |   0 Praia da Barra
  1 1 Gafanha da Nazaré
zona portuária (oeste)
R 591
  1A 2 Gafanha da Encarnação R 591
  2 5 Gafanha da Nazaré
Ílhavo
zona portuária (este)
R 590
  3 8 Aveiro (centro) - Pirâmides
  4 12 Aveiro (norte)
Esgueira
N 109
    Pórtico de Portagem de Esgueira - € 0,50
  5 14 Aveiro (nascente) - estádio
Lisboa / Ílhavo
A 17 
    Pórtico de Portagem de Estádio - € 0,65
  6 21 Angeja / Zona Industrial
Salreu
N 109
  6A 24 Porto
Estarreja/O.Azeméis
 A 29 
    Pórtico de Portagem de Angeja - € 0,20
  7 25 Porto / Estarreja/O.Azeméis
Lisboa /Águeda/Coimbra
A 1 
  7
(sentido Viseu)
25 Albergaria
zona industrial
N 16
    Pórtico de Portagem de Albergaria - € 0,50
  8 30 Albergaria / O.Azeméis / Porto
Águeda / Coimbra
N 1
  9 32 Macinhata do Vouga(Soutelo)
Carvoeiro
M 575
    Pórtico de Portagem de Talhadas - € 1,20
  10 45 Talhadas
Sever do Vouga/Vale de Cambra
N 328
  11 51 Reigoso M 517
    Pórtico de Portagem de Reigoso - € 0,75
  12 57 Campia
Oliveira de Frades
Caramulo
N 333-3
  13 63 Vouzela
São Pedro do Sul
(N 333)
  14
(sentido Viseu)
64 Serra da Penoita antigo IP 5 
    Pórtico de Portagem de Ventosa - € 0,90
  15 71 Ventosa
  16 76 Boa Aldeia / Tondela
Viseu (norte)
N 228
antigo IP 5 
    Pórtico de Portagem de Boa Aldeia - € 0,65
  17 86 Coimbra / Fail
Vila Real / Castro Daire
IP 3  A 24 
  18 88 Viseu (sul)
Nelas
N 231
    Pórtico de Portagem de Barbeita - € 0,65
  19 96 Viseu (norte)
Sátão
antigo  IP 5 
  20 98 Viseu (este)
Caçador
N 16
    Pórtico de Portagem de Fagilde - € 0,50
  21 103 Fagilde N 16
  22 107 Mangualde
Penalva do Castelo
N 234
    Pórtico de Portagem de Mangualde - € 1,10
  23 119 Chãs de Tavares N 16
  24 128 Fornos de Algodres
Gouveia
Aguiar da Beira
N 16
    Pórtico de Portagem de Celorico - € 1,35
  25 139 Celorico da Beira (oeste) N 16
  26 140 Celorico da Beira (sul)
Gouveia / Seia
Coimbra
N 17
N 102
    Pórtico de Portagem de Ratoeira - € 0,40
  27 145 Ratoeira
Celorico da Beira (este)
Trancoso
N 16
  28 147 Açores
Sobral da Serra
Porto da Carne
antigo  IP 5 
  28A 148 Trancoso
Bragança
 IP 2 
    Pórtico de Portagem da Guarda - € 1,55
  29 162 Guarda
  30 164 Covilhã / Guarda (sul)
Pinhel / Guarda (Gare)
A 23 
N 221
    Pórtico de Portagem de Pínzio - € 1,10
  31 179 Pínzio M 574
  32 186 Alto de Leomil
Almeida / Castelo Mendo
Pinhel / Sabugal
N 324
    Pórtico de Portagem de Castelo Bom - € 1,30
  33 197 Vilar Formoso
Almeida
N 332
  197 continua direcção
Espanha
IP 5 
  (  projetado) Fronteira  
  Espanha (  projetado)  A-62 

Nota: O preço das portagens indicado na tabela corresponde à tarifa paga por um veículo pertencente à classe 1.

Áreas de ServiçoEditar

A maioria das estações de serviço da  A 25  transitou do antigo  IP 5 , por estas se encontrarem junto ao traçado duplicado. As áreas de Aveiro, de Vouzela e de Viseu são as excepções, tendo sido construídas de raiz aquando da transformação em auto-estrada. No entanto, as restantes áreas de serviço mantiveram-se inalteradas, com más condições e fracos serviços que contrastam com a importância desta auto-estrada no panorama nacional.

  •   Área de Serviço da Gafanha da Nazaré (km 4)
  •   Área de Serviço de Aveiro (km 15)
  •   Área de Serviço de Vouzela (km 53)
  •   Área de Serviço de Viseu (km 87)
  •   Área de Serviço de Fagilde (km 103)
  •   Área de Serviço de Celorico da Beira (km 143)
  •   Área de Serviço de Leomil (km 187)

Estudos de Impacto AmbientalEditar

  1. Resumo Não-Técnico do EIA da A 25/IP 5 - Vilar Formoso / Fronteira: [1][ligação inativa]

Críticas à construçãoEditar

"Bossa do Camelo"Editar

Apesar de ter sido construída como autoestrada com a velocidade máxima de 120 km/h, o troço que passa pela zona do Caçador (Viseu) apresenta uma curva de raio apertado (240 graus), popularmente designada por " bossa do camelo", com a velocidade máxima de 80 km/h, controlada por radar[3]. Tal controlo de velocidade levou a que fossem passadas quase 100000 multas entre outubro de 2006 e dezembro de 2011, permitindo ao Estado arrecadar 10 milhões de euros nesse período de 5 anos.[4]

Notas e Referências

  1. Relatório de Tráfego na Rede Nacional de Autoestradas – 4.º trimestre de 2017 (PDF) (Relatório). Instituto de Mobilidade e dos Transportes. Fevereiro de 2018. p. 39. Consultado em 18 de Maio de 2018 
  2. «Tabela retirada do site». Consultado em 4 de novembro de 2008. Arquivado do original em 27 de outubro de 2008 
  3. «Radar na A25 apanhou 600 na "bossa do camelo"». JN. Consultado em 8 de maio de 2016 
  4. «Curva da A25 rende 10 milhões em multas». JN. Consultado em 8 de maio de 2016