Os Cavaleiros do Zodíaco

(Redirecionado de Cavaleiros do Zodíaco)

Saint Seiya (em japonês: 聖闘士星矢セイントセイヤ, transl. Seinto Seiya) ou Os Cavaleiros do Zodíaco (nos países lusófonos) é uma série japonesa de mangá e anime escrito e ilustrada por Masami Kurumada. Foi publicada originalmente na revista Weekly Shōnen Jump de dezembro de 1985, sendo sua primeira edição divida em duas partes entre dezembro de 1985 e janeiro de 1986 (partes 1 e 2 respectivamente), até dezembro de 1990.[6][7] Foi adaptada para anime de 114 episódios pelo estúdio Toei Animation (o mesmo que produziu Dragon Ball) de 1986 a 1989.[8]

Saint Seiya
聖闘士星矢 (セイントセイヤ)
Seinto Seiya
Saint Seiya vol 1j.jpg
Capa japonesa original do primeiro volume de Saint Seiya, com Pegasus Seiya.
Informações gerais
Gêneros
Mangá
Escrito e ilustrado por Masami Kurumada
Editoração Shueisha
Editoração lusófona
Revistas Weekly Shōnen Jump
Demografia Shōnen
Período de publicação 1 de janeiro de 1986 (1986-01-01) 12 de dezembro de 1990 (1990-12-12)
Volumes 28 (Lista de Volumes)
Anime
Produção
  • Chiaki Imada
  • Hiroshi Takeda
  • Kazuo Yokoyama
  • Masayoshi Kawata
  • Yoshifumi Hatano
Direção
  • Kōzō Morishita (#1–73)
  • Kazuhito Kikuchi (#74–114)
Roteiro
  • Takao Koyama (#1–73)
  • Yoshiyuki Suga (#74–114)
Música Seiji Yokoyama
Estúdio de animação Toei Animation
Distribuição/
Licenciamento
Emissoras de televisão originais
Emissoras de televisão lusófonas
Período de exibição 11 de outubro de 1986 1 de abril de 1989
Episódios 114 (Lista de episódios)
Light novel
Os Cavaleiros do Zodíaco Gigantomachia
Escrita por Tatsuya Hamazaki
Ilustrada por Shingo Araki
Editoração Jump J Books
Editoração lusófona
Demografia Público masculino
Período de publicação 23 de agosto de 2002 (2002-08-23) 6 de dezembro de 2002 (2002-12-06)
Volumes 2
OVA
Os Cavaleiros do Zodíaco: Hades
Produção
  • Hiroyuki Sakurada
  • Yoichi Shimizu
Direção
  • Shigeyasu Yamauchi (#01–13)
  • Tomoharu Katsumata (#14–31)
Roteiro
Estúdio de animação Toei Animation
Período de exibição 9 de novembro de 2002 (2002-11-09) 1 de agosto de 2008 (2008-08-01)
Episódios 31 (Lista de episódios)
Mangá
Saint Seiya Meiō Iden: Dark Wing
Escrito por Kenji Saito
Ilustrado por Shinshu Ueda
Editoração Akita Shoten
Revistas Champion Red
Demografia Seinen
Data de publicação 19 de dezembro de 2020 (2020-12-19)
Volumes 1
Sequência
Anime
Mangás spin-off
Wikipe-tan face.svg Portal Animangá

Saint Seiya começou a ser conhecido no ocidente como Os Cavaleiros do Zodíaco depois que se tornou sucesso na França em 1988, onde recebeu o nome de Les Chevaliers du Zodiaque, o que foi também o primeiro lançamento estrangeiro da série. Tanto o mangá original quanto a adaptação em anime foram muito bem sucedidos em vários países asiáticos, europeus e latino-americanos,[9][10] No entanto, nenhum deles foram dublados em inglês até 2003.[10] Quatro filmes foram exibidos nos cinemas japoneses no período de 1987 à 1989.[6] Porém o anime foi cancelado e ficou inacabado em 1989, deixando uma parte do mangá sem animação.[11] Mas em 2002, a Toei Animation continuou o anime na forma de três séries OVAs de 31 episódios, tendo a última finalizada em 2008,[12][13][14] a fim de adaptar o restante da história do mangá e seguindo este renascimento da franquia, um quinto filme foi exibido em 2004.[15] Em 2006, o autor Kurumada retomou a publicação do mangá, a partir da conclusão da obra original, continuando a história em Saint Seiya: Next Dimension.

Um sexto filme em CGI estreou em junho de 2014 no Japão e em setembro no Brasil.[16] Embalado pelo filme, em 30 de agosto a animação foi completada, após 20 anos desde a primeira exibição no Brasil.[17] Em 2016, para comemorar o trigésimo aniversário do mangá Saint Seiya (Complete Works of Saint Seiya) no Japão, ocorreu uma grande exposição contendo diversos produtos fabricados para a série, como as armaduras em tamanho real.[18] Anteriormente em 2014, algumas armaduras foram exibidas no Brasil durante o evento Comic Con Experience, em São Paulo. Numerosos produtos comemorativos (um artbook, um CD da trilha sonora, action figures, bolsas, pinturas, carteles, figuras, relógio, etc...) para o 30º aniversário do manga e de animação, foram lançados em 2016. A edição definitiva (Kanzenban) do mangá clássico de Saint Seiya será lançada no Brasil pela Editora JBC (previsto para 2016 ou 2017). No Japão, o Kanzenban foi lançado entre 2005 e 2006 e possui 22 volumes. Esta versão é feita com um material de melhor qualidade e contém algumas páginas coloridas por volume.[19] No verão de 2019 houve uma nova exposição comemorativa das obras de Masami Kurumada em Taiwan, onde numerosas armaduras da obra original de Saint Seiya foram exibidas, perfeitamente reproduzidas em uma escala de 1: 1. Além disso, também foram vendidos numerosos produtos comemorativos do mangá de Masami Kurumada.[20] Em 19 de julho de 2019, saiu na Netflix (plataforma de streaming) o remake de 12 episódios da primeira parte da série clássica de Saint Seiya, lançado em 3D CGI, chamado Knights of the Zodiac.[21] Um filme live action baseado na clássica série Saint Seiya está agendado para ser lançado nos cinemas em todo o mundo em 2020.[22] Recentemente o anime foi campeão da primeira Batalha de Animes Clássicos promovida pelo Podcast Multifinito.

EnredoEditar

O enredo se concentra em um órfão chamado Seiya, forçado a ir ao Santuário na Grécia para obter a Armadura de Bronze de Pégaso, uma veste usada pelos 88 guerreiros da deusa grega Athena, conhecidos como Cavaleiros.

Após despertar o poder dos Cavaleiros, que é uma essência espiritual chamada de Cosmo (que se originou com o Big Bang), Seiya rapidamente se torna o Cavaleiro de Pégaso e retorna ao Japão para encontrar sua irmã mais velha, pois esta havia desaparecido no mesmo dia em que ele foi ao Santuário. Saori Kido - a neta do homem responsável por enviar os órfãos para o treinamento - fez um trato com Seiya, pedindo para que participe de um torneio chamado de Guerra Galática, onde o vencedor dentre os cavaleiros de bronze receberia a Armadura de Ouro de Sagitário. O trato era que se Seiya vencesse o torneio, Saori ajudaria na busca por sua irmã.

O torneio é interrompido pelo vingativo Cavaleiro de Fênix, Ikki - que tenta eliminar os vestígios de sua ligação com as pessoas que o forçaram a seguir o treinamento - roubando partes da Armadura de Sagitário e enfrentando os Cavaleiros de Bronze restantes (Seiya, Shun, Shiryu e Hyoga). Com a derrota de Ikki, os Cavaleiros de Bronze são atacados pelos Cavaleiros de Prata, enviados pelo Grande Mestre do Santuário para eliminá-los. Enquanto lutam, os Cavaleiros de Bronze descobrem que Saori é a reencarnação de Athena e o Grande Mestre tentou matá-la ainda bebê. O Cavaleiro de Ouro de Sagitário, Aioros, salva Saori, mas é morto em seguida. Antes disso, entrega Saori a um homem, que se torna seu avô adotivo. Decididos a apoiar Saori, os Cavaleiros partem para o Santuário para enfrentar o Grande Mestre, mas antes de sua chegada, Saori é gravemente ferida por uma flecha especial advinda do golpe de um dos cavaleiros que estavam ali. Devido isto, os Cavaleiros procuram o Grande Mestre, pois acreditam que pode curá-la, mas são confrontados por diversos Cavaleiros de Ouro no caminho. Após diversas batalhas, Seiya chega ao templo do Grande Mestre e descobre que este é Cavaleiro de Gêmeos, Saga, que matou o antigo Grande Mestre, Shion de áries, com um ataque surpresa quando o mesmo estava distraído, em busca de poder. Tal feito foi possível porque Shion confiava em Saga.

Saga, por ser o cavaleiro da constelação de Gêmeos, é atormentado por suas duas faces, a face do bem e a do mal. Durante o período em que esteve como Mestre do Santuário, a face má dominou sobre a boa (na verdade de acordo com o mangá Saint Seiyan Origins, o lado mal de Saga era na verdade um lêmur, estrela maligna do infortúnio de Ker, que o possuiu). Com a ajuda do Cosmo de seus amigos, Seiya derrota Saga e usa o reflexo do sol no escudo da armadura de Athena para curar Saori. Em seguida, com a parte boa imperando sobre si, Saga comete suicídio como forma de auto punição.

Na segunda saga do mangá, o deus dos mares Poseidon reencarna no corpo de Julian Solo, com o objetivo de alagar a Terra. Saori vai ao seu templo na tentativa de resolver a situação de maneira diplomática, mas Julian a aprisiona. Seiya, Hyoga, Shun e Shiryu vão ao templo e enfrentam os Marinas, que são cavaleiros subordinados de Poseidon. Enquanto isso, Ikki descobre que o responsável por esta guerra é o irmão de Saga, Kanon de Gêmeos, que manipulou Julian. Durante a batalha final, o espírito de Julian desperta dentro de Poseidon, e assim os cavaleiros conseguem derrotar o deus dos mares. Salva pelos Cavaleiros, Saori guarda a alma de Poseidon em sua ânfora.

A saga seguinte do mangá mostra a ascensão de Hades, deus do submundo e o maior inimigo de Athena. Ele reencarna no corpo do cavaleiro Shun de Andrômeda, o mais puro dentre os cavaleiros, após se libertar de sua prisão (que havia sido imposta por Athena após ela ter vencido a última guerra entre ambos). Seu propósito era lançar a terra em trevas criando o chamado “Grande Eclipse”, então revive os Cavaleiros de Ouro e o Grande Mestre Shion de Áries, oferecendo nova vida em troca de fidelidade, e os envia ao Santuário para matar Athena junto de seus espectros, que são cavaleiros fiéis a Hades. Os Cavaleiros de Ouro que restam conseguem rechaçar o ataque, mas Saori entende que os cavaleiros do aceitaram a oferta de Hades para poder contar algo a ela e, assim que ela descobre o que é, comete suicídio enfiando uma adaga na sua garganta. Ela faz isso porque entende que precisa ter acesso ao submundo, para enfrentar Hades com a ajuda de seus Cavaleiros no domínio do próprio inimigo, uma vez que assim ela poderia ter acesso e destruir o corpo real de Hades.

Shion revela a intenção real dos Cavaleiros ressuscitados para os cavaleiros de bronze, e restaura suas armaduras com o sangue de Athena que havia ficado no local do suicídio. No submundo, os Cavaleiros de Bronze enfrentam mais Espectros de Hades e Pandora. Em Giudeca, a oitava e última das prisões do inferno, onde Hades costuma ficar, os cavaleiros de ouro se juntam com a alma dos cavaleiros de ouro já mortos e abrem o muro das lamentações para que os cavaleiros de bronze possam passar para os campos elísios, mas isto custa a vida de todos eles. Os cavaleiros de bronze conseguem atravessar o caminho até os campos elísios somente porque suas armaduras foram banhadas com o sangue de uma deusa. Apesar de Ikki não ter tido sua armadura banhada pelo sangue de Athena, atravessa o caminho até os campos elísios com a ajuda de Pandora. Nos campos elísios, os cavaleiros lutam contra o deus da morte, Thanatos, e o deus do sono, Hypnos, onde desenvolvem suas armaduras sagradas. Na batalha final contra o deus da morte, os Cavaleiros, já com as Armaduras Celestiais e juntamente com Saori, atacam Hades. Seiya sacrifica-se ao receber o ataque final de Hades que iria contra a deusa, que revida e atinge o imperador do mal.

Após isso, iniciam os acontecimentos de Next Dimension.

ProduçãoEditar

A princípio, Kurumada planejava criar um mangá com tema de luta livre, já que ele gosta de escrever sobre esportes individuais ao invés de esportes coletivos.[23] Ele foi inicialmente inspirado por The Karate Kid (1984) para conceber uma história sobre um jovem karateca chamado Seiya encontrado por um mestre de karatê e sua assistente; no entanto, seu departamento editorial não aprovou a ideia.[24] Como ele achava que esportes simples como judô ou karatê não seriam interessantes o suficiente, ele acrescentou aspectos da mitologia grega e constelações para torná-lo inovador.[23] No entanto, o conceito básico de Saint Seiya era ser um mangá nekketsu com um toque de "moda" adicionado pelas Armaduras dos Cavaleiros. Após o rápido cancelamento de seu trabalho anterior, Otoko Zaka, em 1984, esse "senso de moda" foi algo que Kurumada pensou que seria um aspecto que atrairia fãs, tornando-o diferente de seu mangá anterior com uniformes simples do ensino médio.[25] Embora pareçam armaduras medievais européias, Kurumada disse que sua principal inspiração para as Armaduras foi o livro de ilustração de Hajime Sorayama de 1983, Sexy Robot.[23] Além da moda, as Armaduras foram criadas porque Kurumada queria que os personagens lançassem faíscas explosivas e as Armaduras eram uma forma de dar-lhes alguma proteção.[24] Inicialmente, ele não conseguia decidir que tipo de armadura seria, considerando até mesmo a kasaya budista; com base no motivo grego, ele desenhou as atuais Armaduras dos Cavaleiros.[24]

Quando Kurumada estava no processo de criação de Saint Seiya, ele deu a Seiya o nome Rin no início, já que Kurumada iria intitular seu mangá "Ginga no Rin" (Rin da Galáxia). No entanto, como Kurumada continuou desenvolvendo seu mangá, ele decidiu mudar o nome para Seiya, que era mais adequado. Primeiro ele escreveu o nome com o kanji que significava "Flecha Sagrada", para relacioná-lo com a condição de Seiya como um Cavaleiro, mas depois decidiu usar o kanji que significava "Flecha Estelar", para enfatizar a constelação e o motivo mitológico. Finalmente, ele também mudou o título do mangá, para Saint Seiya, uma vez que desenvolveu completamente o conceito dos Cavaleiros. Além disso, Kurumada afirmou que uma das primeiras ideias que ele concebeu para Saint Seiya foi o Meteoro de Pégaso. Como seu mangá usaria as constelações como um tema muito importante e sempre presente, ele queria que seu protagonista tivesse um movimento especial que seria como uma chuva de meteoros.[26]

Quando Kurumada desenhou a imagem de Seiya, ele se inspirou em seu personagem Ryuji Takane, o protagonista de seu mangá de sucesso de Ring ni Kakero, que ele criou 9 anos antes de Seiya. A maioria dos protagonistas das obras de Kurumada tem uma semelhança com Ryuuji, já que Kurumada adota a técnica Star System do reverenciado Osamu Tezuka (um elenco estável de personagens). O mesmo processo é feito com quase todos os outros personagens da série.[26] Depois de criar Seiya como um personagem nekketsu, ele decidiu dar diferentes traços de personalidade para cada um dos outros personagens principais: Shiryu é o "justo e sério"; Hyoga é "posado e elegante"; Shun é o "menino adorável"; e Ikki é o lobo solitário.[24]

MídiasEditar

MangáEditar

 Ver artigo principal: Lista de capítulos de Saint Seiya

Escrito e ilustrado por Masami Kurumada, Saint Seiya foi serializado na revista de mangá shōnen Weekly Shōnen Jump da Shueisha de 1 de janeiro de 1986,[27] a 19 de novembro de 1990.[28] O último capítulo foi publicado na primeira edição da V Jump (lançada como uma edição extra da Weekly Shōnen Jump) em 12 de dezembro de 1990.[29][30] A Shueisha coletou seus capítulos em vinte e oito volumes tankōbon, lançados de 10 de setembro de 1986,[31] a 10 de abril de 1991.[32] A Shueisha também lançou a série em outras edições; quinze volumes aizōban, de 20 de novembro de 1995 a 20 de janeiro de 1997;[33] quinze volumes bunkoban, de 18 de janeiro a 10 de agosto de 2001;[34] vinte e dois volumes kanzenban, de 2 de dezembro de 2005,[35] até 4 de outubro de 2006.[36] A Akita Shoten está lançando a série em uma edição shinsōban desde 8 de junho de 2021.[37] Em 8 de julho de 2021, cinco volumes haviam sido lançados.[38]

Na América do Norte, a série foi licenciada para lançamento em inglês pela Viz Media em 2003.[39] Sob o título Saint Seiya: Knights of the Zodiac, a Viz Media lançou seus vinte e oito volumes de 21 de janeiro de 2004,[40] a 2 de fevereiro de 2010.[41]

No Brasil, Os Cavaleiros do Zodíaco foi lançado primeiramente pela Conrad Editora em 48 volumes, que foram posteriormente relançados com correção de erros da primeira edição.[42] Em 13 de janeiro de 2012, a [[[Editora JBC]] começou a relançar o mangá no formato original tankōbon, com 28 volumes. Em 2016, a JBC começou a lançar uma edição de luxo no formato kanzenban, com 22 volumes.[42]

Kurumada publicou no Champion Red, da Akita Shoten, uma série de capítulos especiais em profundidade de eventos do mangá; Saint Seiya: Episódio Zero, de 19 de dezembro de 2017,[43] a 19 de fevereiro de 2018.[44] Saint Seiya Origin, de 19 de dezembro de 2018 a 19 de janeiro de 2019;[45] e Saint Seiya: Destiny, em 19 de dezembro de 2018.[46] Os três capítulos do Episódio Zero foram incluídos no primeiro volume da edição shinsōban da série.[37]

Outras sériesEditar

Uma série spin-off de Megumu Okada, intitulada Saint Seiya Episode.G, foi serializada na Champion Red, da Akita Shoten, de 19 de dezembro de 2002,[47] a 19 de junho de 2013.[48]

Kurumada começou uma sequência de Saint Seiya, intitulada Saint Seiya: Next Dimension, em 2006. Um capítulo de prólogo foi publicado na Weekly Shōnen Champion, da Akita Shoten, em 27 de abril de 2006,[49] e a série estreou oficialmente na revista em 23 de agosto de no mesmo ano.[50] Os volumes coletados são publicados em cores.[51]

Uma segunda série spin-off de Shiori Teshirogi, intitulada Saint Seiya: The Lost Canvas, foi serializada na Weekly Shōnen Champion de 24 de agosto de 2006,[52] a 7 de abril de 2013.[53]

Uma terceira série spin-off de Chimaki Kuori, Saint Seiya: Saintia Shō, foi serializada na Champion Red de 19 de agosto de 2013,[54] a 19 de julho de 2021.[55]

Uma quarta série spin-off de Kenji Saito e Shinshu Ueda, intitulada Saint Seiya: Meiō Iden – Dark Wing (聖闘士星矢・冥王異伝 ダークウィング Seinto Seiya – Meiō Iden Dāku Wingu?, "Saint Seiya: Outra História de Hades – Dark Wing") começou ns Champion Red em 19 de dezembro de 2020.[56][57] Seu primeiro volume foi lançado em 18 de junho de 2021.[58]

AnimeEditar

Visão geralEditar

Títle Episódios Exibido originalmente / Data de lançamento
Primeira exibição Última exibição
Séries
1 Saint Seiya 114 11 de outubro de 1986 (1986-10-11) 1 de abril de 1989 (1989-04-01)
2 Saint Seiya: Hades 31 9 de novembro de 2002 (2002-11-09) 1 de agosto de 2008 (2008-08-01)
3 Saint Seiya: The Lost Canvas 26 24 de junho de 2009 (2009-06-24) 20 de julho de 2011 (2011-07-20)
4 Saint Seiya Omega 97 1 de abril de 2012 (2012-04-01) 30 de março de 2014 (2014-03-30)
5 Saint Seiya: Soul of Gold 13 11 de abril de 2015 (2015-04-11) 26 de setembro de 2015 (2015-09-26)
6 Saint Seiya: Saintia Shō 10 10 de dezembro de 2018 (2018-12-10) 18 de fevereiro de 2019 (2019-02-18)
7 Knights of the Zodiac: Saint Seiya 12 19 de julho de 2019 (2019-07-19) 23 de janeiro de 2020 (2020-01-23)
Total 303 episódios 11 de outubro de 1986 (1986-10-11) 23 de janeiro de 2020 (2020-01-23)
Filmes
1 Os Cavaleiros do Zodíaco: O Santo Guerreiro 18 de julho de 1987 (1987-07-18)
2 Os Cavaleiros do Zodíaco: A Grande Batalha dos Deuses 12 de março de 1988 (1988-03-12)
3 Os Cavaleiros do Zodíaco: A Lenda dos Defensores de Atena 23 de julho de 1988 (1988-07-23)
4 Os Cavaleiros do Zodíaco: Os Guerreiros do Armagedon 18 de março de 1989 (1989-03-18)
5 Os Cavaleiros do Zodíaco: Prólogo do Céu 14 de fevereiro de 2004 (2004-02-14)
6 Os Cavaleiros do Zodíaco: A Lenda do Santuário 21 de junho de 2014 (2014-06-21)
Total 6 filmes 18 de julho de 1987 (1987-07-18) presente

LançamentoEditar

Uma adaptação para anime de Saint Seiya foi proposta pela primeira vez em junho de 1986, três meses antes do primeiro volume do mangá ser publicado.[25] Depois que a Toei Animation iniciou uma parceria com a TV Asahi, eles procuraram patrocinadores.[59] A Bandai se interessou em vender as Armadurdas dos Cavaleiros como mercadoria, então começou o desenvolvimento.[25] Masayoshi Kawata, produtor da TV Asahi, achou que Saint Seiya era o ajuste perfeito para o "show de heróis" que eles estavam procurando. Em julho, o roteirista Takao Koyama havia escrito o primeiro episódio programado para ser transmitido em outubro.[59] Como um episódio adapta vários capítulos, o anime avança mais rápido que o mangá, o que levou a equipe da série de TV a criar algumas histórias originais para preencher a lacuna.[25][59] A adaptação em anime foi transmitida na TV Asahi de 11 de outubro de 1986 a 1 de abril de 1989.[60] Foi dirigido primeiro por Kōzō Morishita (episódios 1–73) e depois por Kazuhito Kikuchi (episódios 74–114). Os designers de personagens e esteticistas foram Shingo Araki e Michi Himeno, e Seiji Yokoyama compôs as trilhas sonoras. Seguindo as histórias de Kurumada do mangá de perto, os principais roteiristas foram Takao Koyama (1–73) e Yoshiyuki Suga (74–114). A série tem três partes principais: Santuário (episódios 1–73), Asgard, um arco de história original do anime (episódios 74–99) e Poseidon (episódios 100–114). A série foi cancelada e deixada inacabada em 1989, deixando um arco do mangá não animado, até finalmente ser adaptado em uma série de OVAs em 2002.[61] A série de cento e quatorze episódios foi relançada no Japão em duas caixas Blu-ray em 20 de junho e 24 de setembro de 2014.[62] A série foi retransmitida na TV Asahi em 2015.[63]

Depois do Japão, Saint Seiya foi transmitido pela primeira vez na França em 1988 no Club Dorothée do TF1, sob o título Les Chevaliers du Zodiaque (que inspirou o título em outras versões linguísticas),[64] e a série tornou-se rapidamente popular.[65][64][66] A série foi transmitida em toda a Ásia, Europa e América Latina, onde também foi um sucesso.[67][68][69] Na América do Norte, a série foi licenciada pela DIC Entertainment, sob o título Knights of the Zodiac, em 2003.[70][71] A versão da DIC foi editada para transmissão, cortando cenas excessivamente violentas, colorindo o sangue vermelho para azul, adicionando transições de cenas digitais anteriormente inexistentes, reescrevendo os roteiros, renomeando vários personagens e substituindo os temas musicais e a trilha sonora original.[72][73][74][75] Esta versão estreou nos Estados Unidos no Cartoon Network em 30 de agosto de 2003,[10] e no Canadá na YTV em 5 de setembro do mesmo ano.[76] Ao contrário de outros territórios, Saint Seiya não teve sucesso na América do Norte,[75][77] e a DIC apenas dublou quarenta episódios.[78] A ADV Films licenciou os direitos de vídeo caseiro da série. Eles lançaram a versão editada pela DIC e uma versão sem cortes do programa com legendas em inglês,ref>Berryhill, Garry (13 de janeiro de 2003). «ADV To Release Two Varieties Of St. Seiya». Anime News Network (em inglês). Consultado em 10 de novembro de 2021 </ref>[79] que também incluiu uma nova dublagem (com um elenco de voz diferente do usado pela DIC).[80][81] A ADV Films lançou os primeiros vinte e oito episódios da versão editada em sete (dos doze planejados) DVDs de 27 de janeiro a 25 de outubro de 2004,[73][82] e lançou apenas sessenta episódios da versão sem cortes em doze DVDs de 21 de outubro de 2003[83] a 31 de maio de 2005.[84] Uma coleção de box foi lançada em 13 de janeiro de 2009.[85] A New Video lançou os primeiros setenta e três episódios em um DVD com legendas, intitulado Saint Seiya: Sanctuary Classic Complete Collection, em 15 de abril de 2014.[86][87] Em 15 de outubro de 2019, a Netflix começou a transmitir uma terceira dublagem em inglês, apresentando o elenco de Knights of the Zodiac: Saint Seiya; os primeiros quinze episódios estrearam primeiro e os episódios 16–41 foram adicionados alguns dias depois;[88] os episódios 42 a 73 foram adicionados em janeiro de 2020;[89] e os episódios 74 a 114 foram adicionados em abril de 2020, com efeito, tornando a dublagem da Netflix a única dublagem completa em inglês de toda a série original.[90] A série foi removida da plataforma em dezembro de 2021.[91]

Uma série de televisão spin-off, Saint Seiya Omega, foi transmitida por noventa e sete episódios na TV Asahi de 1 de abril de 2012,[92] a 30 de março de 2014.[93]

PortugalEditar

A série foi originalmente exibida em Portugal pela RTP (canal 1) entre 1992 e 1993, na sua versão original japonesa legendada, sem genérico de abertura ou encerramento. Porém, a exibição da série acabou por ser prematuramente cancelada, com apenas 36 episódios, devido a queixas relacionadas com o seu conteúdo violento por parte de pais e responsáveis. Embalada pelo estrondoso sucesso de Dragon Ball Z, a SIC iniciou a transmissão de uma versão dobrada em português da série em 1999, marcada pelas constantes mudanças de horário. A série foi reprisada em 2002 na SIC Gold e em 2009 no canal Animax, que transmitiu a versão original japonesa legendada e a saga de Hades, até então inédita no país. Saint Seiya Omega estreou na SIC K a 3 de Fevereiro de 2014 e The Lost Canvas estreou na SIC Radical a 8 de fevereiro de 2015 sob o título de Saint Seiya: A Tela Perdida.[94]

BrasilEditar
Transmissão

O anime estreou no Brasil em 1 de setembro de 1994 pela Rede Manchete,[95] e permaneceu na programação do canal até 1997. Sua exibição foi possível graças a uma permuta com a fabricante de brinquedos Samtoy, que produziu os bonecos da série, em troca da exibição dos comerciais da empresa. O canal exibiu o anime sem nenhum custo e a versão dublada foi feita pelo extinto estúdio de dublagem Gota Mágica[96][95] Nessa época, era série era licenciada pela Alien International.[97] Foi reprisada pelo Cartoon Network a partir de 2003 e pela Band a partir de 2004, ambos em uma versão redublada pelo extinto estúdio de dublagem Álamo. Em 2005, teve transmissão na Rede 21.[98] Nesse período, a franquia estava sendo representada pela empresa Imagem & Action - Dá Licença.[99]

Em 2010, a Band exibiu a saga de Hades, até então inédita no país,[100] e que foi reprisada em 24 de dezembro de 2012 em uma véspera de natal. Em 2016, a Rede Brasil anunciou a transmissão de Os Cavaleiros do Zodíaco em uma versão remasterizada em alta definição. O anime estreou no canal em 31 de outubro como parte do programa Senpai TV, que estreou no mesmo dia ao lado do anime Dragon Ball Z.[101] A partir do dia 6 de fevereiro de 2017 o programa foi reprisado desde o início, na semana em que a saga do Santuário estava na reta final, faltando apenas três episódios para sua conclusão, e a saga de Asgard estava começando apenas com seus dois primeiros episódios, com um total de 70 episódios exibidos.[102] No dia 16 de maio de 2017, a exibição da Saga do Santuário foi finalizada normalmente, dessa vez sem reprise e sendo iniciada assim a Saga de Asgard.

Classificação indicativa

Por ser adaptado de um mangá não recomendado para menores de 14 anos, Os Cavaleiros do Zodíaco recebeu variadas classificações restritivas e censura. Eduardo Miranda, chefe da divisão de cinema da Rede Manchete, só aprovou a exibição do anime na emissora após receber cinco episódios completos da Samtoy.

Me sentaram para assistir a um trailer de 15 minutos do desenho. O vídeo era exatamente assim: sangue, violência, tentativa de suicídio, autoflagelação, cara furando os olhos... aí você pensa: estou com uma programação completamente infantil. Como posso dar um parecer positivo a isso?[95]

Eduardo Miranda

Para transmitir em qualquer horário com classificação "livre" na TV aberta, em 2004, a Band editou todos os 73 episódios da Saga do Santuário que são inadequados para menores de 14 anos, sendo registrados no site da Justiça do Brasil e Diário Oficial da União por serem transmitidos em uma rede nacional.[103][104][105][106][107][108] Após o início da transmissão na Band, a Playarte conseguiu autorização para distribuir os episódios não recomendados para menores de 12 anos em DVD, porém, com o selo no encarte indicando que é "livre", constando também "versão original/sem cortes".[109] Para o retorno da transmissão nacional pela Band em 2010, a Saga de Hades recebeu a classificação "10 anos".[110] Em maio de 2015, Renata Medeiros do Segredos do Mundo, listou seis cenas proibidas do anime por conterem violência, sensualidade e uma apresentando a queima de uma bíblia.[111] Na Netflix, a classificação é de 14 anos.[112]

Audiência

Quando o anime foi exibido entre 1994 e 1997 na Rede Manchete, a emissora sofria com baixos índices de audiência, o que se reverteu com a transmissão do anime. No início das transmissões, o desenho marcava entre quatro e cinco pontos no IBOPE, o dobro da audiência para aquele horário.[95] Devido ao destaque no IBOPE e a falta de episódios novos que ainda estavam sem dublar, a Rede Manchete editou os capítulos que estavam sendo reprisados e criou resumos semanais para segurar a audiência. Quando foi anunciado o novo pacote de episódios com o final da Saga do Santuário, foram registrados 15 pontos no IBOPE em horário nobre.[95]

Em 2010 foi publicada uma análise por "O Crítico" no ANMTV, avaliando o mau desempenho comercial do anime na Band, dizendo que "CDZ (Cavaleiros do Zodíaco) é um anime que poderia estar lucrando muito no Brasil, (...) que talvez em épocas da TV Manchete estivesse dando picos de audiência e ultrapassando a Globo (como fez em outrora). Porém, os tempos são outros (...) apareceram em 2004 na Band (...) como simples coadjuvantes, (...) a série foi um fracasso comercial; a audiência, apesar de boa, não foi suficiente para atrair anunciantes, e ela acabou indo parar no buraco onde ninguém deseja estar: a programação regional. A Band começou errando com CDZ, em sua estreia nas férias de 2004. Tentaram utilizá-lo como produto para emplacar a pseudocantora Kelly Key como apresentadora."[113]

Quando estreou na Rede Brasil, a audiência média da emissora chegou a aumentar três vezes na primeira semana de exibição, de 0.1 a 0.4 de média e 0.9 de pico.[114]

RomancesEditar

Em 9 de novembro de 1988, a Weekly Shōnen Jump lançou o Jump Gold Selection Anime Special 2, escrito por Takao Koyama, com ilustrações dos designers de animação da série, Shingo Araki e Michi Himeno. Este especial é apenas um flashback de Saga de Gêmeos tentando assassinar a recém-nascida Athena.

Há também uma série de dois romances escritos por Kurumada e Tatsuya Hamazaki com o nome de Saint Seiya - Gigantomachia , que foram publicados pela Jump J Books. O primeiro romance foi lançado no Japão em 23 de agosto de 2002,[115] e o segundo foi publicado em 16 de dezembro de 2002.[116]

FilmesEditar

 Ver artigo principal: Lista de filmes de Saint Seiya

Quatro longas-metragens de animação foram exibidos nos cinemas japoneses de 1987 a 1989. Um quinto filme de animação foi lançado nos cinemas japoneses em 2004, O Prólogo do Céu (天界編 序奏 Tenkai Hen Josō?), que deveria seguir a cronologia regular logo após o final do mangá (que terminou de ser adaptado em 1º de agosto de 2008) como um prólogo para um novo capítulo.[117] A Toei Animation anunciou pela primeira vez que este novo capítulo seria uma nova série animada, mas depois Kurumada afirmou que queria que o filme fizesse parte de uma trilogia. Tōru Furuya revelou os desejos de Kurumada para a série durante uma conferência de imprensa. Depois que Seiya de Pégaso finalmente derrota Zeus, ele deve seguir em frente e enfrentar Chronos, o Deus do Tempo. Toru não teve permissão para dizer mais nada.[118] Com a serialização de Saint Seiya: Next Dimension, Kurumada removeu Prologo do Céu do cânone do universo Saint Seiya, embora alguns elementos que apareciam nele permaneçam na continuidade.

Apesar do primeiro filme ter sido lançado em 1987, nenhum dos filmes recebeu um lançamento oficial em inglês na América do Norte até que foi anunciado pela Discotek em 2012 que eles haviam adquirido os direitos de vídeo caseiro dos quatro primeiros filmes e pretendia lançá-los em dois DVDs, cada um contendo dois filmes. Os DVDs contêm áudio em japonês com legendas em inglês.[119]

Em 2003, a revista francesa AnimeLand publicou uma entrevista com Masami Kurumada onde o autor revelou que uma empresa de Hollywood o havia abordado alguns anos antes com um piloto de quinze minutos de um filme live-action de Saint Seiya. O projeto foi abandonado porque Kurumada não sentiu que a essência da série havia sido preservada. Em uma entrevista posterior publicada em 2005, o repórter teve permissão para ver o vídeo e comentou sobre como os nomes dos personagens principais foram alterados e observou que um deles, Shun de Andrômeda, havia sido alterado de masculino para feminino.[120][121]

Em 21 de junho de 2014, A Lenda do Santuário foi lançado. Animado em CGI, Legend of Sanctuary é baseado na série clássica de 1986. Foi produzido pela Toei para comemorar o 25º aniversário da franquia.[122]

Além dos filmes Prólogo do Céu e A Lenda do Santuário, o terceiro filme animado da franquia também foi lançado nos cinemas brasileiros. A Lenda dos Defensores de Atena, também conhecido como Os Cavaleiros do Zodíaco - O Filme, foi lançado em 14 de julho de 1995 no Brasil, tendo vendido 1.048.203 ingressos em seu total de bilheteria.[123][124][125][126][127][128]

Em 2017, foi anunciada uma colaboração entre a Toei Animation e a produtora de Hong Kong, A Really Good Film Company. Na conferência de imprensa, os planos para um filme live-action de Saint Seiya foram detalhados,[129] e o diretor polonês Tomasz Bagiński foi anunciado como responsável pelas filmagens, com base na série clássica de 1986, que deveria ocorrer no verão do hemisfério norte de 2019.[130] O título oficial do filme é Saint Seiya: Knights of the Zodiac. Em 21 de setembro de 2021, o The Hollywood Reporter revelou que o filme será estrelado por Mackenyu Arata como Seiya, Madison Iseman como Sienna (Athena), Sean Bean como Alman Kiddo e Diego Tinoco como um homem contratado para matar a deusa vulnerável. Famke Janssen, Nick Stahl e Mark Dacascos também estão no elenco. A produção em filme será filmada na Hungria e na Croácia.[131]

ONAsEditar

Há uma série de animações de vídeo originais (OVAs) que cobrem o último arco do mangá, que não foi adaptado anteriormente para anime. Os primeiros 13 episódios foram transmitidos no Animax (um canal pay-per-view japonês) de 9 de novembro de 2002 a 12 de abril de 2003,[132] e depois lançado em DVD durante o ano de 2003. Esses 13 episódios foram nomeados Hades: A Saga do Santuário (冥王ハーデス十二宮編 Meiō Hādesu Jyūnikyū Hen?) e adapta os volumes 19 a 22 do mangá. Esta série OVA foi dirigida por Shigeyasu Yamauchi, ainda com desenhos de personagens de animação de Shingo Araki e Michi Himeno, enquanto os roteiros foram adaptados do mangá desta vez por Michiko Yokote, e a trilha sonora foi inteiramente tirada do trabalho de Yokoyama na série de TV anterior.[133]

Dois anos após a primeira parte da saga de Hades, A Saga do Santuário, uma segunda parte foi produzida em 2005. Este segundo capítulo foi nomeado Hades: A Saga do Inferno (冥王ハーデス冥界編 前章 Meiō Hādesu Meikai Hen - Zenshō?) e consiste em seis episódios, adaptando os volumes 23 a 25 do mangá. No entanto, a maioria dos dubladores originais não reprisou seus papéis, além de Hideyuki Tanaka como narrador. Hirotaka Suzuoki, o dublador original de Shiryu de Dragão, morreu em 6 de agosto de 2006, devido a um câncer de pulmão.[134]

No mesmo canal Animax, a Toei Animation lançou os dois primeiros OVAs em 17 de dezembro de 2005, seguidos pelos próximos dois em 21 de janeiro de 2006. O último par foi lançado em 18 de fevereiro de 2006. Pouco depois de sua transmissão na TV, que durou 2 meses, os episódios foram lançados em DVD em 2006. Esta curta série OVA foi dirigida por Tomoharu Katsumata, mas a outra equipe permaneceu a mesma. A Toei Animation anunciou oficialmente a notícia em seu site em 18 de julho de 2006. Então, Hades: A Saga do Inferno - Parte 2 (冥王ハーデス冥界編 後章 Meiō Hādesu Meikai Hen - Kōshō?), que contém 6 episódios no total, foi lançado, adaptando os volumes 25 a 26 do mangá.

Em 28 de junho, Masami Kurumada anunciou em seu blog pessoal que a produção dos OVAs de Hades: A Saga dos Elísios (冥王ハーデス エリシオン編 Meiō Hādesu Erishion Hen?) havia começado. Pensava-se que o lançamento seria em meados de dezembro de 2007, a partir dos últimos dois anos com o desempenho dos dois capítulos de Inferno (Zenshō e Kōshō), mas nenhuma prévia ou imagens divulgadas estavam disponíveis no final de outubro.[135] Em novembro de 2007, a Toei Animation anunciou que o lançamento oficial de A Saga dos Elísios seria em março de 2008 e não em dezembro de 2007 como planejado originalmente.[136] Os OVAs de Elísios foram lançados em março (episódios #26 e #27), maio (#28 e #29) e agosto (#30 e #31), e adaptaram os dois volumes finais do mangá, 27 e 28.[137]

Uma série original de animação de internet (ONA) intitulada Saint Seiya: Soul of Gold começou a ser transmitida em 2015.[138] Outra série ONA, Knights of the Zodiac: Saint Seiya, estreou na Netflix, com seis episódios, em 19 de julho de 2019.[139] Outros seis episódios estrearam em 23 de janeiro de 2020.[140]

MusicaisEditar

Em agosto de 1991, um musical, patrocinado pela Bandai, foi apresentado no teatro Aoyama em Tóquio, Japão. A história reconta os capítulos de Santuário e Poseidon. O elenco incluía membros do SMAP como os cinco Cavaleiros de Bronze e Poseidon. Os personagens Mu de Áries, Aiolia de Leão e Milo de Escorpião foram interpretados por membros de outra banda, Tokio.

Em maio de 2011, Masami Kurumada anunciou em seu site que um novo musical de Saint Seiya estava em andamento.[141] Estreando no final de 2011, a peça de teatro foi intitulada Saint Seiya Super Musical e apresentou uma adaptação live-action do primeiro filme de Saint Seiya, O Santo Guerreiro.

Jogos eletrônicosEditar

Vários jogos eletrônicos foram lançados com base na série.

Trilha sonoraEditar

Temas de aberturaEditar

  • Episódios 1 a 73, primeiros OVAs de Hades 1 a 11 e filmes I e II: "Pegasus Fantasy" por MAKE-UP (no Brasil, por Edu Falaschi após a redublagem dos estúdios Álamo e Dubrasil, nos filmes apenas a versão original, Os Cavaleiros do Zodíaco cantada por Willian e Larissa Tassi na Gota-Mágica). Na primeira versão até o 52 Os Guardiões do Universo e o Os Cavaleiros do Zodíaco para os demais episódios cantada por Willian e Larissa Tassi na versão da Gota-Mágica.
  • Episódios 74 a 114 e movie IV: "Soldier Dream" por Hironobu Kageyama & Broadway (no Brasil, por Che Leal após a redublagem dos estúdios Álamo, Dubrasil e Gota-Mágica, apenas os filmes). Na versão Gota-Mágica mantém-se o tema cantada por Willian e Larissa Tassi.
  • OVAs 1 a 13: "Chikyuugi" por Yumi Matsuzawa (no Brasil, por Larissa Tassi)
  • OVAs 14 a 31: "Megami no Senshi ~Pegasus Forever~" Marina del Rey (no Brasil, por Ricardo Cruz, na Band manteve seu padrão original)
  • Lost Canvas: "Reino de Atena" por EUROX (no Brasil, por Rodrigo Rossi, feita pelo mesmo estúdio que gravou Cavaleiros na falecida Manchete pela Flash Star e Dubrasil)
  • Omega 1 a 27: "Pegasus Fantasy" por MAKE-UP e Shoko Nakagawa (no Brasil, por Larissa Tassi e Rodrigo Rossi dublagem da Dubrasil)
  • Omega 28 ao 51: "Nova Geração" por Root Five (no Brasil, por Ricardo Cruz, Rodrigo Rossi e Larissa Tassi)
  • Omega 52 ao 77: "Cavaleiros Evoluidos" por Nagareda Project (no Brasil, por Ricardo Cruz, Rodrigo Rossi e Larissa Tassi)
  • Omega 78 ao 97: "Cordas de Luz" por Cyntia (no Brasil, por Larissa Tassi e Rodrigo Rossi)
  • Soul of Gold: "Soldier Dream" por Root Five (no Brasil, por Ricardo Cruz, Rodrigo Rossi e Larissa Tassi, integrantes da banda Danger 3)
  • Saintia Sho: "Beleza Valente" por Aina Suzuki, Mao Ichimichi, Inori Minase, e Megumi Nakajima (possívelmente Larissa Tassi)
  • Saint Seiya Knights of the Zodiac (Netflix): "Pegasus Fantasy" por The Struts

Temas de encerramentoEditar

Episódios 1 a 73 e OVAs 1 ao 10 da saga de Hades
  • "Blue Forever" por MAKE-UP (no Brasil, por Edu Falaschi)
Episódios 74 a 114
  • "Blue Dream" por Hironobu Kageyama & Broadway (no Brasil, por Che Leal)
OVAs 1 a 13 e especial Mito dos Cavaleiros Renegados
  • "Kimi to Onaji Aozora" por Yumi Matsuzawa (no Brasil, por Larissa Tassi)
OVAs 14 a 25
  • "Takusu Mono he ~My Dear~" por Yumi Matsuzawa (no Brasil, por Larissa Tassi)
OVAs 26 a 31
  • "Kami no En ~Del Regno~" por Yuuko Ishibashi (não teve versão brasileira, durante a exibição na Band, a exibição dos episódios 14 a 31 manteve esse mesmo tema)
Lost Canvas
  • "Pulseira de Flores" por Maki Ikuno e Marina del Ray (no Brasil, por Larissa Tassi)
Soul of Gold
  • "Promessa do Amanhã" por Root Five (no Brasil, por Ricardo Cruz, Rodrigo Rossi e Larissa Tassi, integrantes da banda Danger 3)
Saintia Sho
  • "Hohoemi no Resonance" por Aina Suzuki e Mao Ichimichi (MAO) (possivelmente Larissa Tassi, 1-6, 8-10)
Saintia Sho
  • "Arasoi Shiniyukumono-tachi ni Shukufuku" por Mao Ichimichi (MAO) (possivelmente Larissa Tassi, 7)
Saint Seiya Knights of the Zodiac (Netflix)
  • "Somebody new" por The Struts
Filme A Lenda do Jovem Escarlate
  • "You Are My Reason To Be" por Oren Waters e Hitomi Tōyama (primeira estreia dos Cavaleiros nos cinemas brasileiros, tema dos filmes I e II usado como abertura, incersão, karaokê, versão instrumental e encerramento cantada por Willian e Larissa Tassi na versão Gota-Mágica, tema inserido na versão instrumental de Marin no Brasil também é tocada, a Dubrasil nunca teve tradução).
Filme Prólogo do Céu
  • "Never Stop" por MAKE-UP (no Brasil, por Edu Falaschi)
Filme Lenda do Santuário
  • "Hero" por YOSHIKI featuring Kate Fitzgerald (Violet UK)

Trilha musical brasileiraEditar

Durante a exibição na extinta Rede Manchete, a emissora, juntamente com os selos Sony Wonder e Columbia Records, produziu temas de abertura e encerramento especialmente para o Brasil no ano de 1995.[142] Estiveram envolvidos nesta produção, que deu origem a um álbum de 12 faixas, compositores de renome, como Carlos Colla, Michael Sullivan e Paulo Sérgio Valle.[142] Duas cantoras que participaram do projeto foram Sarah Regina e Larissa Tassi, esta quando criança, em dupla que formava com Willian Kawamura (Larissa & Willian), que também participou do álbum.[143][144] Em algumas faixas, participaram os dubladores Walter Breda e Hermes Baroli.[142] Augusto César e Mário Lúcio de Freitas assinam a produção musical do disco. Miguel Plopschi, ex-The Fevers, foi responsável pela direção artística.[142]

O álbum Os Cavaleiros do Zodíaco: As Músicas do Seriado da TV vendeu mais de 500 mil cópias, rendendo-lhes Discos de Ouro, Platina e Platina Duplo.[145][146]

Temas de abertura (Rede Manchete)
  • Guardiões do Universo (uma canção advinda da França e versionada para português que deu origem à canção Força Astral. Foi veiculada durante os primeiros episódios da primeira exibição);

Os Cavaleiros do Zodíaco (segundo tema de abertura, mas também foi veiculada durante os primeiros episódios nas exibições posteriores da Rede Manchete).

Temas de encerramento (Rede Manchete)

Foram vários os temas de encerramento, que foram veiculados alternadamente. São eles:

  • Saori
  • Shina
  • Marin
  • Força Astral (canção original brasileira que lembra a antiga música de abertura)

A trilha sonora brasileira, também lançada em fita cassete e CD, ainda continha as faixas Seiya, o cavaleiro de Pégaso, Mestre do Mal e Rap do Zodíaco, além do segundo tema de abertura e mais três músicas em versão karaokê.

Essa trilha foi muito bem produzida, com arranjos cheios de contraponto e muito criativos. As letras eram dirigidas ao público infantil, mas até hoje embalam os eventos de anime.

MerchandisingEditar

Ao longo dos anos, o clássico anime (1986/1990) gerou inúmeros produtos de merchandising, incluindo: cartões, figuras de ação representando os vários personagens, videogames, produtos escolares, camisetas, bonés, relógios, etc., comercializados em muitos países do mundo. Entre os produtos relacionados a esta série histórica animada de `` Os Cavaleiros do Zodíaco, também mencionamos os numerosos modelos Myth Cloth, incluindo os dos cinco protagonistas Seiya, Shiryu, Hyoga, Shun e Ikki (em várias versões ), o clássico 12 Gold Saint, o 7 General de Marinha de Poseidon, o 8 God Warrior of Asgard, o clássico Silver Saint, o clássico Spectre, os "deuses" que sempre aparecem na série clássica. Uma nova linha de figuras de ação com acessórios, relativa aos 5 principais cavaleiros de bronze e aos 12 cavaleiros de ouro do anime clássico, foi lançada no Japão em 2016, esta linha é chamada Saint Seiya D.D. Panorâmica. Uma nova linha de figuras de ação na versão Super Deformer, referente aos personagens do anime clássico, foi lançada no Japão em novembro de 2016, chamada Saint Seiya Daizenshu.[147] Uma nova linha de modelo referente aos personagens principais do anime clássico é produzida em 2019 e é chamada de 'Saint Seiya Revival'[148]

RecepçãoEditar

Saint Seiya popularizou o termo "yaoi", em 1987.[149] A série foi particularmente popular em versões dōjinshi yaoi, principalmente por ter um elenco que era predominantemente masculino. Shun de Andromeda foi um dos personagens mais populares nos doujinshis yaois.[150]

O mangá original de Masami Kurumada vendeu mais de 25 milhões de cópias no Japão até 2007,[151] e mais de 34 milhões de cópias no Japão até 2013, está entre os 100 mangás mais vendidos no Japão.[152]

Esta série tem sido muito bem sucedida no Japão, China, França, Itália, Espanha, Portugal, Brasil, Chile, México, Argentina, Peru. No Brasil, o lançamento da série em 1994 foi responsável por mudar a maneira que o público assistia animes, desencadeando uma "anime-mania", dando origens a revistas especializadas[153] e surgimento de quadrinhos no estilo mangá[154] Conjuntamente, surge um grande número de fanzines e revistas em quadrinhos baseados em animes e mangás.[155] A Magnum (editora que publicava a revista Animax) publica a revista Hyper Comix (que originalmente era um fanzine) e Megaman (adaptação do jogo eletrônico homônimo), ambas produzidas por artistas brasileiros. Com exceção de Daniel HDR, que já trabalhava para a Marvel Comics, vários artistas fazem suas estreias profissionais nessas revistas, como a desenhista Érica Awano).[154][a][156] Em outros países latino-americanos, como México e Argentina, o sucesso também foi grande, apesar de a animação japonesa ter sido exibida eventualmente em ambos os países na década anterior, com programas como Robotech e Mazinger Z. Em função do sucesso nos países de língua espanhola, a tradução brasileira do anime foi feita com base na dublagem em espanhol. Tanto o anime quanto o mangá foram lançados na China, Hong Kong e Taiwan por volta de 1990, dando início à adoração da animação japonesa e do mangá nesses países.

O mangá serviu de inspiração para diversas séries futuras, incluindo B't X, do próprio Kumarada, Shurato, Yoroiden Samurai Troopers, Gulkeeva, and Mobile Suit Gundam Wing[157]

Mangakás famosos atualmente como o grupo Clamp, Tite Kubo, Yun Kouga, Kouta Hirano e Masashi Kishimoto, o criador de Naruto, já declararam terem sido muito influenciados pelas obras de Kurumada. Tite Kubo, autor da série de mangá Bleach, considera Saint Seiya uma de suas maiores inspirações para os desenhos dos diferentes tipos de armas que seus personagens usam na história, assim como as cenas de batalha.[158]

No Canadá e Estados Unidos, a série não fez sucesso em sua primeira exibição. Somente em 2003, com o nome Knights of the Zodiac a série começou a ganhar fãs do continente norte-americano (mais especificamente nos estados de Quebec (Canadá) e Wisconsin (EUA)). A empresa responsável pelo licenciamento foi a DiC Entertainment. A série sofreu muitos cortes e enormes alterações na trilha sonora e na história, o que desapontaram muitos fãs. A saída foi lançar DVDs (caixas) na íntegra (sem cortes e alterações). Alguns produtos começaram a ser lançados junto com o mercado japonês com isso é crescente o número de fãs que estão se formando nos Estados Unidos e no Canadá.

Em 2002, o ilustrador e fã francês Jérôme Alquié ficou famoso no mundo inteiro ao lançar curta de animação baseadas na série.[159]

Mídia domésticaEditar

Todos os episódios e filmes da série em DVD no Brasil, foram lançados pela Playarte. A série clássica de 114 episódios fora lançada em 21 volumes no mês de agosto de 2013.[160] Anos mais tarde, seria lançada a saga de Hades direto para DVD, já completa em 11 discos, totalizando 32 DVDs. Em 2016, a Playarte confirmou o relançamento da série clássica, saga do santuário, remasterizada em qualidade 1080p.[161]

A série Omega já teve sua primeira temporada lançada em DVD/BD, sendo que o dublador Antônio Akira morreu antes do quarto volume ser lançado.[162]

Os cinco primeiros filmes dá série foram lançados; com a única exceção sendo o filme Os Cavaleiros do Zodíaco: A Lenda do Santuário, que fora lançada pela Paris Filmes.

Em Portugal, apenas os dois primeiros filmes foram lançados em VHS pela Prisvídeo em 2001, em uma tiragem limitada. Nem a série, nem os demais filmes foram, infelizmente, até à data lançados em VHS, DVD, ou qualquer outro formato de vídeo.

Prêmios e honrariasEditar

  • Em 1987, a série foi eleita o melhor anime do ano na premiação Anime Grand Prix realizada pela revista japonesa Animage.[163][164]
  • Em 1988, a série foi eleita o segundo melhor anime do ano, sendo superado apenas pelo filme Tonari no Totoro.[165]
  • Em ranking publicado em 2001 pela TV Asahi, Os Cavaleiros do Zodíaco aparecem entre os cem melhores animes (53ª posição).[166]
  • Em 2005 a TV Asahi realizou uma pesquisa no qual todas as pessoas japonesas que quisessem poderiam votar em sua série animada favorita de todos os tempos. Os Cavaleiros do Zodíaco apareceram na 11ª posição do Ranking.[167]
  • A mesma TV Asahi publicou um novo ranking, em 2006 (os cem melhores seriados de animes da TV). Os Cavaleiros do Zodíaco aparecem na 25ª posição.[168]

Notas e referências

Notas

  1. Embora o país seja um dos pioneiros no estilo fora do Japão, com publicações iniciadas na década de 1960

Referências

  1. «The Official Website for Knights of the Zodiac (Saint Seiya)» (em inglês). Viz Media. Consultado em 28 de outubro de 2017 
  2. Thompson, Jason (18 de novembro de 2010). «Jason Thompson's House of 1000 Manga - Saint Seiya: Knights of the Zodiac». Anime News Network (em inglês) 
  3. Toole, Mike (18 de fevereiro de 2004). «Saint Seiya vol. 1». Anime Jump (em inglês). Consultado em 24 de junho de 2020. Cópia arquivada em 10 de maio de 2006 
  4. Loo, Egan (12 de março de 2009). «Masami Kurumada Hints at New Ring ni Kakero Work». Anime News Network (em inglês). Consultado em 29 de julho de 2018. Kurumada é mais conhecido em todo o mundo pelo mangá mitológico Saint Seiya e seus vários animes 
  5. «Editora JBC: Checklist de março traz Ga-Rei e Fullmetal Alchemist». Anmtv.xpg.com.br 
  6. a b «Profile of Masami Kurumada». Viz Media. Consultado em 30 de agosto de 2009. Arquivado do original em 18 de outubro de 2006 
  7. «Saint Seiya manga, volume 28 (final)» (em japonês). Amazon.com. Consultado em 11 de maio de 2008 
  8. «Saint Seiya (Toei Animation Film List)». Toei Animation. Consultado em 30 de agosto de 2009. Arquivado do original em 4 de dezembro de 2009 
  9. «Introduction to Saint Seiya». Viz Media. Consultado em 30 de agosto de 2009. Arquivado do original em 3 de maio de 2012 
  10. a b c «Knights of the Zodiac on Cartoon Network». Anime News Network. 2 de agosto de 2003. Consultado em 16 de outubro de 2008 
  11. Arnaldo Massato Oka; Marcelo Del Greco (fevereiro de 2002). «Exclusive interview with Masami Kurumada». JBC Editora. Henshin (31): 14–21 
  12. «SAINT SEIYA The Hades Chapter-Sanctuary». Toei Animation. Consultado em 30 de agosto de 2009. Arquivado do original em 18 de fevereiro de 2009 
  13. «Saint Seiya Hades OVA» (em japonês). Toei Animation 
  14. «Saint Seiya Hades Elysion OVA» (em japonês). Toei Animation 
  15. «Saint Seiya The Heavens-Overture- (Toei Animation Film List)». Toei Animation. Consultado em 30 de agosto de 2009. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2009 
  16. «2014 Saint Seiya Film's Title, Date, Story Basis Unveiled». Anime News Network. 29 de outubro de 2013. Consultado em 29 de outubro de 2013 
  17. [1]
  18. Clarissa Brunholo. «Japáo terá exposição de armaduras em tamanho real dos Cavaleiros dos Zodíacos». IGN Brasil. Consultado em 28 de junho de 2016 
  19. https://m.cavzodiaco.com.br/noticia/30/09/2016/kanzeban-edicao-de-luxo-e-definitiva-do-manga-sera-lancada-no-brasil-pela-editora-jbc
  20. http://kurumadapro.com/column/detail.php?id=82
  21. http://www.saintseiya-kotz.com/
  22. https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn%3AANd9GcT5aVCcDfh3VAlEhx8bc-X50Pmz8ZWdPNEid79bWaeJPlR7d6ED
  23. a b c 聖闘士星矢 黄金伝説 打倒教皇! 奥義の書!!. [S.l.]: Home-sha. 31 de agosto de 1987. p. 97–. ISBN 4-8342-1057-X 
  24. a b c d «車田正美インタビュー: 昨日、今日、そして未来へ!!...». 聖闘士星矢 コスモスペシャル. [S.l.]: Shueisha. 10 de agosto de 1988. p. 153– 
  25. a b c d 熱血漫画屋インタビュー. June (34). Maio de 1987 
  26. a b Kappa Magazine, number 80 (em japonês). [S.l.: s.n.] 1999 
  27. 週刊少年ジャンプ 1986/01/01 表示号数1・2. Media Arts Database (em japonês). Agência para Assuntos Culturais. Consultado em 26 de maio de 2018. Arquivado do original em 21 de julho de 2019 
  28. 週刊少年ジャンプ 1990/11/19 表示号数49. Media Arts Database (em japonês). Agência para Assuntos Culturais. Consultado em 4 de janeiro de 2019. Arquivado do original em 5 de maio de 2019 
  29. コミック雑誌 付録無)ブイジャンプ 1990年12月12日号. suruga-ya.jp (em japonês). Consultado em 6 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 11 de novembro de 2021 
  30. 集英社 Vジャンプ 1990年(平成2年)12/12増刊号(巻頭カード完品) 901212 (em japonês). Mandarake Inc. Consultado em 25 de janeiro de 2022. Cópia arquivada em 25 de janeiro de 2022 
  31. 聖闘士星矢 1 (em japonês). Shueisha. Cópia arquivada em 12 de março de 2005 
  32. 聖闘士星矢 28 (em japonês). Shueisha. Cópia arquivada em 28 de agosto de 2004 
  33. 聖闘士星矢 愛蔵版. s-book.com (em japonês). Shueisha. Consultado em 10 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 31 de março de 2004 
  34. 聖闘士星矢 文庫版. s-book.com (em japonês). Shueisha. Consultado em 10 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 12 de julho de 2003 
  35. 聖闘士星矢 完全版 1. s-book.com (em japonês). Shueisha. Consultado em 10 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 15 de novembro de 2006 
  36. 聖闘士星矢 完全版 22 (em japonês). Shueisha. Consultado em 10 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 15 de novembro de 2006 
  37. a b 「聖闘士星矢 Final Edition」刊行スタート、1巻には「EPISODE.0」収録. Natalie (em japonês). Natasha, Inc. 8 de junho de 2021. Consultado em 10 de novembro de 2021 
  38. 【7月8日付】本日発売の単行本リスト. Natalie (em japonês). Natasha, Inc. 8 de julho de 2021. Consultado em 10 de novembro de 2021 
  39. Mays, Jonathan (11 de agosto de 2003). «Viz picks up Saint Seiya manga». Anime News Network (em inglês). Consultado em 10 de novembro de 2021 
  40. «Knights of the Zodiac (Saint Seiya), Vol. 1» (em inglês). Viz Media. Consultado em 10 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 10 de novembro de 2021 
  41. «Knights of the Zodiac (Saint Seiya), Vol. 28» (em inglês). Viz Media. Consultado em 10 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 10 de novembro de 2021 
  42. a b «Mangá clássico». CavZodiaco. Consultado em 12 de abril de 2022 
  43. Ressler, Karen (16 de novembro de 2017). «Saint Seiya Gets 'Episode Zero' Manga Next Month». Anime News Network (em inglês). Consultado em 10 de novembro de 2021 
  44. 「ニンジャスレイヤー」第2部マンガ版が4月からREDで、今号には予告版が掲載. Natalie (em japonês). Natasha, Inc. 19 de fevereiro de 2018. Consultado em 10 de novembro de 2021 
  45. Pineda, Rafael (19 de novembro de 2018). «Saint Seiya Episode Zero Manga's 2nd Season Will Run for 2 Chapters». Anime News Network (em inglês). Consultado em 10 de novembro de 2021 
  46. 「聖闘士星矢」車田正美が描く新作がREDに、付録は2世代の黄金聖闘士ポスター. Natalie (em japonês). Natasha, Inc. 19 de dezembro de 2019. Consultado em 10 de novembro de 2021 
  47. Macdonald, Christopher (19 de novembro de 2002). «New Author for Saint Seiya». Anime News Network (em inglês). Consultado em 10 de novembro de 2021 
  48. 若き愚地独歩の激闘!バキ外伝「拳刃」 REDで連載開始. Natalie (em japonês). Natasha, Inc. 19 de junho de 2013. Consultado em 10 de novembro de 2021 
  49. 週刊少年チャンピオン 2006年No.22+23 (em japonês). Akita Shoten. Consultado em 10 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 10 de novembro de 2021 
  50. 週刊少年チャンピオン 2006年No.36+37 (em japonês). Akita Shoten. Consultado em 10 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 10 de novembro de 2021 
  51. «Critique du volume manga». manga-news.com (em francês). 12 de novembro de 2010. Consultado em 10 de novembro de 2021 
  52. 週刊少年チャンピオン 2006年No.39 (em japonês). Akita Shoten. Consultado em 10 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 10 de novembro de 2021 
  53. Loo, Egan (28 de março de 2011). «Saint Seiya: The Lost Canvas Manga to End on April 7». Anime News Network (em inglês). Consultado em 10 de novembro de 2021 
  54. 美少女の聖闘士描く新連載がREDで開幕、野上武志も登場. Natalie (em japonês). Natasha, Inc. 19 de agosto de 2013. Consultado em 10 de novembro de 2021 
  55. Hodgkins, Crystalyn (20 de junho de 2021). «Saint Seiya: Saintia Shō Manga Ends in July (Updated)». Anime News Network (em inglês). Consultado em 10 de novembro de 2021 
  56. Mateo, Alex (18 de novembro de 2020). «Saint Seiya Series Gets New Manga on December 19». Anime News Network (em inglês). Consultado em 10 de novembro de 2021 
  57. 「聖闘士聖矢」×異世界転生の新連載がREDで!普通の高校生がエリシオンに. Natalie (em japonês). Natasha, Inc. 19 de dezembro de 2020. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  58. 上田信舟が描く、聖闘士星矢×異世界転生「冥王異伝 ダークウィング」1巻. Natalie (em japonês). Natasha, Inc. 18 de junho de 2021. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  59. a b c 聖闘士星矢アニメスペシャル2. [S.l.]: Shueisha. 9 de novembro de 1988. pp. 87–93 
  60. «Saint Seiya (Toei Animation Film List)» (em inglês). Toei Animation. Consultado em 30 de agosto de 2009. Arquivado do original em 4 de dezembro de 2009 
  61. Arnaldo Massato Oka; Marcelo Del Greco (Fevereiro de 2002). «Exclusive interview with Masami Kurumada». Henshin (31): 14–21 
  62. アニメ「聖闘士星矢」Blu-ray BOX化、星矢の活躍を再び. Natalie (em japonês). 9 de março de 2014. Consultado em 10 de novembro de 2021 
  63. 聖闘士星矢 (em japonês). Consultado em 26 de abril de 2015. Arquivado do original em 8 de maio de 2015 
  64. a b Cusseau, Clément (17 de julho de 2019). «Les Chevaliers du Zodiaque : l'histoire derrière le titre français de Saint Seiya». AlloCiné (em francês). Consultado em 27 de janeiro de 2022. Cópia arquivada em 20 de fevereiro de 2020 
  65. Croquet, Pauline (13 de março de 2015). «Trente ans après, « Les Chevaliers du zodiaque » toujours à l'attaque» (em francês). Le Monde. Consultado em 25 de janeiro de 2022. Cópia arquivada em 4 de maio de 2015 
  66. Cailleaud, Nicolas (10 de outubro de 2021). «Saint Seiya : retour sur les 35 ans d'une série animée toujours vénérée» (em francês). CNews. Consultado em 27 de janeiro de 2022. Cópia arquivada em 13 de outubro de 2021 
  67. «Bandai.com - About Bandai America - Media/Press: find toys for Power Rangers, Ben 10, Dragon Ball, Tamagotchi, and Action Figures». www.bandai.com (em inglês). Arquivado do original em 7 de maio de 2010 
  68. «Knights of the Zodiac» (em inglês). Viz Media. Consultado em 27 de janeiro de 2022. Cópia arquivada em 17 de outubro de 2006 
  69. Pineda, Rafael (14 de abril de 2015). «Saint Seiya: Soul of Gold TV Anime Listed With 13 Episodes». Anime News Network (em inglês). Consultado em 27 de janeiro de 2022 
  70. Macdonald, Christopher (11 de junho de 2003). «DiC Aquires Saint Seiya». Anime News Network (em inglês). Consultado em 10 de novembro de 2021 
  71. «DIC Shows» (em inglês). DIC Entertainment. Consultado em 10 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 2 de abril de 2003 
  72. Merrill, Dave (16 de junho de 2004). «Knights of the Zodiac vols. 1-2». Anime Jump (em inglês). Consultado em 10 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 10 de maio de 2006 
  73. a b Cruz, Luis (2 de março de 2004). «Knights of the Zodiac Vol. #01 (of 0)». AnimeOnDVD (em inglês). Consultado em 10 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 13 de março de 2005 
  74. Bertschy, Zac (24 de outubro de 2003). «Answerman and the Column of Doom». Anime News Network (em inglês). Consultado em 10 de novembro de 2021 
  75. a b Oppliger, John (8 de março de 2007). «Ask John: Why Didn't St. Seiya Succeed in North America?». AnimeNation (em inglês). Consultado em 10 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 1 de novembro de 2007 
  76. Oppliger, John (25 de agosto de 2003). «Inuyasha & St. Seiya Coming to YTV». AnimeNation (em inglês). Consultado em 10 de novembro de 2021 
  77. Sevakis, Justin (15 de fevereiro de 2016). «Why Did Saint Seiya Bomb In North America?». Anime News Network (em inglês). Consultado em 27 de janeiro de 2022 
  78. «ICv2: Knights Of The Zodiac Invade U.S.». ICv2 (em inglês). 10 de junho de 2003. Consultado em 10 de novembro de 2021 
  79. Bertschy, Zac (12 de dezembro de 2003). «Saint Seiya DVD 1 - Review». Anime News Network (em inglês). Consultado em 10 de novembro de 2021 
  80. «ADV Films Announces Five Titles for Release». ADV Films via Anime News Network (em inglês). 14 de abril de 2004. Consultado em 10 de novembro de 2021 
  81. Toole, Mike (18 de fevereiro de 2004). «Saint Seiya vol. 1». Anime Jump (em inglês). Consultado em 10 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 4 de abril de 2004 
  82. Sinnott, John (26 de outubro de 2004). «Knights of the Zodiac: Vol 7 Battle of The Ages». DVD Talk (em inglês). Consultado em 10 de novembro de 2021 
  83. Beveridge, Chris (14 de outubro de 2003). «Saint Seiya Vol. #01 (also w/box) (of 12)». AnimeOnDVD (em inglês). Consultado em 10 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 1 de novembro de 2006 
  84. Beveridge, Chris (6 de junho de 2005). «Saint Seiya Vol. #12 (of 12)». AnimeOnDVD (em inglês). Consultado em 10 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 1 de novembro de 2006 
  85. Saint Seiya: Collection 1. [S.l.]: ADV Films. ASIN B001KXZG2I 
  86. Loo, Egan (27 de outubro de 2013). «New Video Group's Saint Seiya DVD Set Listed on April 15». Anime News Network (em inglês). Consultado em 10 de novembro de 2021 
  87. Sinnott, John (9 de abril de 2014). «Saint Seiya: Sanctuary Classic Complete Collection». DVD Talk (em inglês). Consultado em 10 de novembro de 2021 
  88. Pineda, Rafael (17 de outubro de 2019). «Netflix Adds 1st 41 Episodes of 1986 Saint Seiya Anime With New English Dub, Subtitles (Updated)». Anime News Network (em inglês). Consultado em 18 de outubro de 2019 
  89. Sherman, Jennifer (2 de janeiro de 2020). «Netflix Adds 32 More Episodes of 1986 Saint Seiya Anime With New English Dub, Subtitles». Anime News Network (em inglês). Consultado em 2 de janeiro de 2020 
  90. Hodgkins, Crystalyn (7 de abril de 2020). «Netflix Adds Final 41 Episodes of 1986 Saint Seiya Anime With New English Dub, Subtitles». Anime News Network (em inglês). Consultado em 7 de abril de 2020 
  91. Mateo, Alex (17 de novembro de 2021). «1986 Saint Seiya Anime Leaves Netflix in December». Anime News Network (em inglês). Consultado em 17 de novembro de 2021 
  92. Loo, Egan (25 de março de 2012). «Saint Seiya Omega TV Anime 4th Ad Aired with Athena». Anime News Network (em inglês). Consultado em 10 de novembro de 2021 
  93. 聖闘士星矢Ω ストーリー (em japonês). TV Asahi. Consultado em 10 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 10 de novembro de 2021 
  94. DIAS, Patrícia Costa (2011). A Vida com um Sorriso - Histórias, experiências, gargalhadas, reflexões de Isabel Wolmar. Lisboa: Ésquilo. p. 226-227. ISBN 978-989-8092-97-7. OCLC 758100535 
  95. a b c d e «Os 20 anos de Cavaleiros do Zodíaco no Brasil». Omelete. UOL. 1 de setembro de 2014. Consultado em 19 de maio de 2017 
  96. João Eduardo (2014). «Os Cavaleiros do Zodíaco». Editora Escala. Anime>Do (129): 6-13 
  97. «SBT e Manchete compram novos desenhos animados japoneses». Folha de S.Paulo. 27 de setembro de 1996 
  98. Redação Henshin! (23 de agosto de 2005). «Fãs de CDZ de todo Brasil podem sintonizar a Rede 21». Henshin!. henshin.com.br. Consultado em 7 de novembro de 2016 
  99. Peixoto Silva, Sérgio (2002). «Otaku News - Reaparecem as fitas masters de Cavaleiros». Editora Escala. Anime Ex (20). 4 páginas 
  100. Almeida, Edu (21 de outubro de 2010). «Band vai exibir episódios inéditos de Cavaleiros do Zodíaco». UOL. O Capacitador. Consultado em 14 de julho de 2012. Arquivado do original em 21 de setembro de 2013 
  101. Matheus Sousa (20 de outubro de 2016). «CDZ e DBZ: chamada de estreia na Rede Brasil e versão HD». ANMTV. Consultado em 20 de outubro 2016 
  102. «Emissora volta com "Cavaleiros" e "Dragon Ball" desde o início e revolta fãs». Na Telinha. UOL. 7 de fevereiro de 2017. Consultado em 24 de abril de 2022 
  103. Diário Oficial da União (5 de julho de 2004). «Página 43• Seção 1• 05/07/2004• DOU». Justiça do Brasil. www.jusbrasil.com.br. Consultado em 11 de novembro de 2016. 1 ao 12 
  104. Diário Oficial da União (3 de junho de 2006). «Página 39• Seção 1• 03/06/2004• DOU». Justiça do Brasil. www.jusbrasil.com.br. Consultado em 11 de novembro de 2016. 1 ao 12 
  105. Diário Oficial da União (15 de julho de 2004). «Página 27• Seção 1• 15/07/2004• DOU». Justiça do Brasil. www.jusbrasil.com.br. Consultado em 11 de novembro de 2016. 13 ao 24 
  106. Diário Oficial da União (1 de julho de 2004). «Página 212• Seção 1• 01/07/2004• DOU». Justiça do Brasil. www.jusbrasil.com.br. Consultado em 11 de novembro de 2016. 13 ao 24 
  107. Diário Oficial da União (7 de julho de 2004). «Página 46• Seção 1• 07/07/2004• DOU». Justiça do Brasil. www.jusbrasil.com.br. Consultado em 11 de novembro de 2016. 25 ao 39 
  108. Diário Oficial da União (13 de agosto de 2004). «Página 49• Seção 1• 13/08/2004• DOU». Justiça do Brasil. www.jusbrasil.com.br. Consultado em 11 de novembro de 2016. 40 ao 73 
  109. Diário Oficial da União (8 de outubro de 2004). «Página 41• Seção 1• 08/10/2004• DOU». Justiça do Brasil. www.jusbrasil.com.br. Consultado em 11 de novembro de 2016 
  110. Diário Oficial da União (18 de fevereiro de 2011). «Página 82• Seção 1• 18/02/2011• DOU». Justiça do Brasil. www.jusbrasil.com.br. Consultado em 11 de novembro de 2016 
  111. Renata Medeiros (8 de maio de 2015). «6 cenas proibidas de Cavaleiros do Zodíaco». Segredos do Mundo. segredosdomundo.r7.com. Consultado em 15 de novembro de 2016 
  112. «Os Cavaleiros do Zodíaco - Hades». Netflix Brasil. Consultado em 8 de julho de 2020 [ligação inativa] 
  113. O Crítico (5 de novembro de 2010). «O Crítico: A volta dos Cavaleiros do Zodíaco». anmtv.xpg.uol.com.br. Consultado em 11 de novembro de 2016 
  114. Mauricio Barreto (5 de novembro de 2016). «Audiência de Cavaleiros do Zodíaco e Dragon Ball Z na Rede Brasil». Heroi X. Consultado em 13 de outubro de 2021 
  115. «聖闘士星矢 ギガントマキア 血の章 セイントセイヤ» (em japonês). Shueisha. Consultado em 3 de maio de 2008 
  116. «聖闘士星矢 ギガントマキア 盟の章 セイントセイヤ» (em japonês). Shueisha. Consultado em 3 de maio de 2008 
  117. «Saint Seiya The Heavens-Overture- (Toei Animation Film List)». Toei Animation. Consultado em 30 de agosto de 2009. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2009 
  118. Yamauchi, Shigeyasu (2004). Saint Seiya Tenkai-hen Overture (DVD). Toei Animation 
  119. «Discotek Announces DVD Release of Saint Seiya Movies (Updated)». Anime News Network (em inglês) 
  120. AnimeLand # 97 (em francês). [S.l.: s.n.] Dezembro de 2003 
  121. AnimeLand # 117 (em francês). [S.l.: s.n.] Dezembro de 2005 
  122. «'Saint Seiya: Legend of Sanctuary' Review: Anime Saints Get CG Upgrade». Variety (em inglês). 3 de julho de 2014. Consultado em 4 de setembro de 2014 
  123. «Filme B - Database Brasil». Filme B. 15 de janeiro de 2019. Consultado em 15 de janeiro de 2019 
  124. «Filme B - Database Brasil». Filme B. 15 de janeiro de 2019. Consultado em 15 de janeiro de 2019 
  125. «Filme B - Database Brasil». Filme B. 15 de janeiro de 2019. Consultado em 15 de janeiro de 2019 
  126. «Filme B - Database Brasil». Filme B. 15 de janeiro de 2019. Consultado em 15 de janeiro de 2019 
  127. «Filme B - Database Brasil». Filme B. 15 de janeiro de 2019. Consultado em 15 de janeiro de 2019 
  128. «Filme B - Database Brasil». Filme B. 15 de janeiro de 2019. Consultado em 15 de janeiro de 2019 
  129. Green, Scott. «"Saint Seiya" Inspires International Live-Action Production». Crunchyroll (em inglês). Consultado em 20 de julho de 2019 
  130. «GFM Films boosts AFM slate with 'Monkey Prince', 'Knights Of The Zodiac' (exclusive) | News | Screen» (em inglês). 26 de outubro de 2018. Consultado em 20 de julho de 2019. Cópia arquivada em 26 de outubro de 2018 
  131. Couch, Aaron (21 de setembro de 2021). «Mackenyu, Madison Iseman, Sean Bean, Famke Janssen to Star in Live-Action 'Knights of the Zodiac' Adaptation (Exclusive)». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 22 de setembro de 2021 
  132. Shueisha Visual Remix: Saint Seiya the Hades Chapter-Sanctuary, Analysis Stage (em japonês). [S.l.]: Shueisha. 18 de agosto de 2003. p. 61. ISBN 978-4-08-782056-0 
  133. «SAINT SEIYA The Hades Chapter-Sanctuary». Toei Animation. Consultado em 30 de agosto de 2009. Arquivado do original em 18 de fevereiro de 2009 
  134. «Gundam Voice Actor Dies» (em inglês). Anime News Network. 10 de agosto de 2006. Consultado em 4 de fevereiro de 2008 
  135. «Kurumadapro.jp». Consultado em 29 de junho de 2007. Cópia arquivada em 6 de junho de 2007 
  136. «Toei-anim.co.jp» (em japonês). Consultado em 1 de novembro de 2008 
  137. «Saint Seiya Hades Elysion OVA» (em japonês). Toei Animation 
  138. «Saint Seiya Soul of Gold Anime Teased for Next Spring». Anime News Network (em inglês) 
  139. «Netflix Posts Knights of the Zodiac: Saint Seiya CG Anime's Japanese-Dubbed Video». Anime News Network. 23 de março de 2019. Consultado em 26 de junho de 2019 
  140. Pineda, Rafael (23 de janeiro de 2020). «Netflix Posts Video for Knights of the Zodiac: Saint Seiya CG Anime's Part 2». Anime News Network (em inglês). Consultado em 10 de novembro de 2021 
  141. «Archived copy» (em japonês). Consultado em 17 de março de 2011. Arquivado do original em 15 de março de 2011 
  142. a b c d (1995) Créditos do álbum Os Cavaleiros Do Zodíaco (As músicas do seriado da TV.) por Vários [CD]. Brasil: Columbia Records (2-758.229).
  143. «William: confira uma super entrevista com o primeiro cantor dos CDZ + no ano em que a série faz 20 anos, escute a raríssima versão da música Rap do Zodíaco gravada pela dupla Larissa e William!». Cavzodiaco.com.br. 26 de dezembro de 2014. Consultado em 1 de janeiro de 2021. Cópia arquivada em 23 de março de 2016 
  144. Butcher, Pedro (20 de julho de 1995). «Samba doido de um japonês grego». Jornal do Brasil. Rio de Janeiro. Consultado em 3 de janeiro de 2021 
  145. «Saudação da Larissa Tássi e Che Leal para os fãs brasileiros - Os Cavaleiros do Zodíaco». www.cavzodiaco.com.br. Consultado em 23 de novembro de 2014 
  146. «Anime Pró». www.animepro.com.br. Consultado em 23 de novembro de 2014 
  147. «Saint Seiya Daizenshu: Bandai anunciou nova linha de bonecos no formato SD veja como imagens!». CavZodiaco.com.br. 17 de junho de 2016. Consultado em 18 de junho de 2016 
  148. http://www.starshopbs.com/bronze-saint-seiya- mito-pano-pegasus-seiya-v1-renascimento-ver-.1 .10.304.gp.53692.uw & ved = 2ahUKEwix8-RZG-fiAhUFJ1AKHbKnAyAQFjAAegQIAxAB & usg = AOvVaw0s-CPBI-Vv0AMsFqc85OWw
  149. McHarry, Mark. Yaoi: Redrawing Male Love The Guide Novembro de 2003
  150. imbergt, Sébastien (2008). "Ces mangas qui utilisent le yaoi pour doper leurs ventes". In Brient, Hervé.Homosexualité et manga : le yaoi. Manga: 10000 images (in French). Editions H. pp. 113–115. ISBN 978-2-9531781-0-4.
  151. «Comipress News article on "The Rise and Fall of Weekly Shōnen Jump"». comipress.com. 6 de maio de 2007. Consultado em 14 de fevereiro de 2007 
  152. «映画『聖闘士星矢 LEGEND of SANCTUARY』». saintseiya2014.com. Consultado em 23 de novembro de 2014. Arquivado do original em 14 de fevereiro de 2014 
  153. Marcelo Naranjo (18 de agosto de 2006). «Revista Herói está de volta». Universo HQ 
  154. a b Sergio Miranda. «Novos Mangás nas Bancas». Editora Globo. Wizard (8). ISSN 1413-6082 
  155. Guilherme Kroll Domingues (31 de agosto de 2010). «Relembrando a aventura de Ranma ½ pela Animangá». Univero HQ 
  156. Elydio dos Santos Neto (2009). «Minami Keizi, a Edrel e as HQs brasileiras: Memórias do desenhista, do roteirista e do editor» (PDF). Universidade Municipal de São Caetano do Sul. Caderno.com. 4 (1): 28-48. ISSN 1980-0916 
  157. Clements, Jonathan; Helen McCarthy (1 de setembro de 2001). The Anime Encyclopedia: A Guide to Japanese Animation Since 1917 1st ed. Berkeley, California: Stone Bridge Press. pp. 48, 157, 160. ISBN 1-880656-64-7. OCLC 47255331 
  158. Deb Aoki. «Interview: Tite Kubo (page 1)». About.com. Consultado em 16 de setembro de 2008 
  159. 15 anos atrás, desenho animado de fã inspirou anime inédito de "Cavaleiros"
  160. Aline Diniz (2 de julho de 2013). «Os Cavaleiros do Zodíaco: Ômega | DVDs da série animada tem capas e data de lançamento no Brasil». Omelete. Consultado em 13 de outubro de 2021 
  161. Bruno Silva (18 de fevereiro de 2016). «Cavaleiros do Zodíaco | Série clássica será relançada em alta definição no Brasil». Omelete. Consultado em 13 de outubro de 2021 
  162. «Antonio Akira, dublador de 'Cavaleiros do Zodíaco', morre aos 27 anos». G1. 28 de julho de 2015. Consultado em 13 de outubro de 2021 
  163. «第10回アニメグランプリ [1988年6月号]» (em japonês). Animage. Junho de 1988. Consultado em 6 de dezembro de 2012. Arquivado do original em 6 de outubro de 2014 
  164. «Confira 12 curiosidades sobre a saga 'Os Cavaleiros do Zodíaco'». Superinteressante. 31 de outubro de 2016. Consultado em 13 de outubro de 2021 
  165. «第11回アニメグランプリ [1989年5月号]» (em japonês). Animage. Maio de 1989. Consultado em 6 de dezembro de 2012. Arquivado do original em 14 de outubro de 2013 
  166. «Animage Top-100 Anime Listing» (em inglês). Anime News Network. 15 de janeiro de 2001. Consultado em 13 de outubro de 2021 
  167. Christopher Macdonald (23 de setembro de 2005). «TV Asahi Top 100 Anime» (em inglês). Anime News Network. Consultado em 13 de outubro de 2021 
  168. Christopher Macdonald (12 de outubro de 2006). «Japan's Favorite TV Anime» (em inglês). Anime News Network. Consultado em 13 de outubro de 2021 

Ligações externasEditar

 
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Cavaleiros do Zodíaco
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Os Cavaleiros do Zodíaco