Abrir menu principal

Eleições estaduais em São Paulo em 1970

As eleições estaduais em São Paulo em 1970 aconteceram em duas etapas conforme previa o Ato Institucional Número Três e assim a eleição indireta do governador Laudo Natel e do vice-governador Rodrigues Filho foi em 3 de outubro e a escolha dos senadores Franco Montoro e Orlando Zancaner, 43 deputados federais e 67 estaduais ocorreu em 15 de novembro a partir de um receituário aplicado aos 22 estados e aos territórios federais do Amapá, Rondônia e Roraima.[1][2][3][4][nota 1]

1966 Brasil 1974
Eleições estaduais em  São Paulo em 1970
3 de outubro de 1970
(Eleição indireta)
15 de novembro de 1970
(Eleição direta)


Laudo Natel Dec 80 REFON.jpg
Candidato Laudo Natel


Partido ARENA


Natural de São Manuel, SP


Vice Rodrigues Filho
Votos 69
Porcentagem 100%


Brasão do estado de São Paulo.svg
Governador de São Paulo

O governador Laudo Natel nasceu em São Manuel, formou-se em Economia pela Universidade de São Paulo e trabalhou no Banco Noroeste ao lado de Amador Aguiar antes que este fundasse o Bradesco, onde Laudo Natel ocupou cargos de direção. Membro da Associação Comercial de São Paulo e do Conselho Monetário Nacional, presidiu o Sindicato de Bancos de São Paulo e também o São Paulo Futebol Clube por doze anos a partir de 1958. Sua vida política começou no PR em 1962 quando foi eleito vice-governador de São Paulo junto com Ademar de Barros.[nota 2] Derrotado ao disputar a prefeitura de São Paulo via PL em 1965, foi efetivado governador com a cassação de Ademar de Barros pelo Regime Militar de 1964 assumiu o poder em 6 de junho de 1966 quando estava na ARENA[5] e no ano anterior foi o segundo colocado ao disputar a prefeitura de São Paulo sendo vencido por José Vicente Faria Lima, ligado a Jânio Quadros. O retorno de Laudo Natel ao Palácio dos Bandeirantes aconteceu por escolha do presidente Emílio Garrastazu Médici em 1970 e seu vice-governador era Antônio José Rodrigues Filho, secretário de Agricultura no governo Abreu Sodré e presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras.

Com o mandato de Carvalho Pinto ainda em curso, o eleitorado paulista foi chamado a escolher dois senadores e destes o mais votado foi o advogado e professor Franco Montoro. Nascido em São Paulo ele se formou em 1938 na Universidade de São Paulo graduando-se no mesmo ano em Filosofia e Pedagogia.[6] Filiado ao PDC foi eleito sucessivamente vereador em São Paulo, deputado estadual em 1954 e deputado federal em 1958, interrompeu o mandato ao ser nomeado ministro do Trabalho na fase parlamentarista do governo João Goulart sob liderança do primeiro-ministro Tancredo Neves. Reeleito deputado federal em 1962 foi eleito presidente nacional do PDC e com o bipartidarismo imposto pelos militares ingressou no MDB conquistando um novo mandato em 1966 sendo eleito senador em 1970.[7]

Por coincidência o também eleito Orlando Zancaner é advogado pela Universidade de São Paulo. Nascido em Catiguá ele fez carreira em Catanduva onde eleito vereador em 1950 e vice-prefeito em 1954. Filiado ao PSP e à ARENA foi eleito deputado estadual em 1958, 1962 e 1966 até ser eleito senador, mandato ao qual renunciaria em 1976 em favor de Otto Lehmann para assumir uma cadeira no Tribunal de Contas do Estado de São Paulo[8] sendo empossado em 13 de abril de 1976.[9]

Resultado da eleição para governadorEditar

No dia da eleição compareceram à Assembleia Legislativa de São Paulo o vice-governador Hilário Torloni, o prefeito Paulo Maluf, o senador Carvalho Pinto e o presidente estadual da ARENA, Lucas Nogueira Garcez[10] e o resultado apontou a vitória de Laudo Natel com 69 votos e se não recebeu o voto de Orlando Zancaner (mesmo presente à votação ele estava licenciado) foi apoiado pelo oposicionista Heitor Botura. Os demais quinze votos do MDB foram em branco (sendo que quatro de seus parlamentares não compareceram) e houve três abstenções.[11][12]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Laudo Natel
ARENA
Rodrigues Filho
ARENA
11
ARENA (sem coligação)
69
100%
  Eleito(a)

Resultado das eleições para senadorEditar

Com informações oriundas do Tribunal Superior Eleitoral que apurou 7.564.333 votos válidos, 2.101.327 votos em branco e 1.136.136 votos nulos.[1]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Franco Montoro
MDB
Tito Costa
MDB
151
MDB (sem coligação)
1.953.868
25,83%
Orlando Zancaner
ARENA
Otto Lehmann[nota 3][13]
ARENA
111
ARENA (sem coligação)
1.944.646
25,71%
Lino de Matos
MDB
Ruy Amaral Lemos
MDB
155
MDB (sem coligação)
1.835.821
24,27%
Hilário Torloni
ARENA
Antônio Celidônio Ruette
ARENA
112
ARENA (sem coligação)
1.829.998
24,19%
  Eleito(a)

Deputados federais eleitosEditar

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[14][15]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Ademar de Barros Filho ARENA 195.458 São Paulo   São Paulo
Baldacci Filho ARENA 159.138 Caçapava   São Paulo
Faria Lima ARENA 154.914 Rio de Janeiro   Rio de Janeiro
Herbert Levy ARENA 89.383 São Paulo   São Paulo
Henrique Turner ARENA 66.595 Cruzeiro   São Paulo
Sílvio Lopes ARENA 66.092 Santos   São Paulo
Oscar Pedroso Horta MDB 64.223 São Paulo   São Paulo
Francisco Amaral MDB 63.890 Campinas   São Paulo
Diogo Nomura ARENA 61.428 Registro   São Paulo
Cantídio Sampaio ARENA 58.809 São Paulo   São Paulo
Paulo Abreu ARENA 50.834 São Paulo   São Paulo
Ítalo Fittipaldi ARENA 48.220 Rio de Janeiro   Rio de Janeiro
Monteiro de Barros ARENA 47.267 Barretos   São Paulo
Ulysses Guimarães MDB 44.704 Itirapina   São Paulo
Freitas Nobre MDB 44.430 Fortaleza   Ceará
João Arruda MDB 44.430 São Paulo   São Paulo
Mário Teles ARENA 44.397 São Paulo   São Paulo
Chaves Amarante ARENA 43.137 Rio de Janeiro   Rio de Janeiro
Amaral Furlan ARENA 42.167 Sertãozinho   São Paulo
Adalberto Camargo MDB 41.961 Araraquara   São Paulo
Bezerra de Melo ARENA 41.959 Crateús   Ceará
João Batista Ramos[nota 4] ARENA 40.815 Queluz   São Paulo
Santilli Sobrinho MDB 40.381 Mineiros do Tietê   São Paulo
Ernesto Pereira Lopes ARENA 40.107 São Paulo   São Paulo
Sussumu Hirata ARENA 39.948 São Manuel   São Paulo
Braz Nogueira ARENA 39.764 Botucatu   São Paulo
Alfeu Gasparini ARENA 39.468 Batatais   São Paulo
Athiê Jorge Coury MDB 38.778 Itu   São Paulo
Artur Fonseca ARENA 38.208 Santos   São Paulo
Aldo Lupo ARENA 38.004 Araraquara   São Paulo
Ildélio Martins ARENA 37.152 Rio de Janeiro   Rio de Janeiro
Pacheco Chaves MDB 37.132 São Paulo   São Paulo
Roberto Gebara ARENA 34.502 São Paulo   São Paulo
Cardoso de Almeida ARENA 33.476 São Paulo   São Paulo
Orensy Rodrigues ARENA 32.586 Jataí   Goiás
Plínio Salgado ARENA 31.646 São Bento do Sapucaí   São Paulo
Sales Filho ARENA 31.636 São Paulo   São Paulo
Maurício Toledo ARENA 31.544 Juiz de Fora   Minas Gerais
Paulo Alberto ARENA 31.532 Prata   Minas Gerais
Sílvio Venturolli ARENA 31.496 Corumbataí   São Paulo
Rui de Almeida Barbosa ARENA 31.489 São Simão   São Paulo
Dias Menezes MDB 27.976 São Paulo   São Paulo
José Camargo MDB 25.726 São Roque   São Paulo

Deputados estaduais eleitosEditar

Estavam em jogo 67 vagas na Assembleia Legislativa de São Paulo.[1]

Deputados estaduais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
José Eduardo de Faria Lima ARENA 93.042 Rio de Janeiro   Rio de Janeiro
Salvador Julianelli ARENA 72.974 São Paulo   São Paulo
Agnaldo de Carvalho Júnior ARENA 53.108 Recife   Pernambuco
José Maria Marin ARENA 48.355 São Paulo   São Paulo
José Felício Castellano ARENA 44.673 Rio Claro   São Paulo
Gioia Júnior ARENA 44.237 Campinas   São Paulo
Ivair Garcia ARENA 40.758 Mogi das Cruzes   São Paulo
Welson Gasparini ARENA 38.853 Batatais   São Paulo
Armando Pannunzio ARENA 38.176 São Paulo   São Paulo
Dulce Braga ARENA 37.544 São José do Rio Preto   São Paulo
Fauze Carlos MDB 37.321 Catiguá   São Paulo
Maluly Neto ARENA 37.177 Fartura   São Paulo
Januário Mantelli Neto ARENA 36.263
Ademar de Barros[nota 5] ARENA 35.994 Olímpia   São Paulo
Antônio Salim Curiati ARENA 33.849 Avaré   São Paulo
Pedro Geraldo Costa ARENA 33.167
Renato Cordeiro ARENA 31.045
Sólon Borges dos Reis ARENA 30.571 Casa Branca   São Paulo
Marco Antônio de Oliveira ARENA 29.922
Guaçu Piteri MDB 28.458 Pindorama   São Paulo
José Rosa da Silva ARENA 28.125
Hermógenes Walter Braido ARENA 27.968
Abílio Nogueira Duarte MDB 27.794 Assis   São Paulo
Rui Silva ARENA 27.605
Archimedes Lammoglia ARENA 26.703
Ricardo Izar ARENA 26.426 São Paulo   São Paulo
Wadih Helu ARENA 26.413 Tatuí   São Paulo
Antônio Morimoto ARENA 25.990 Promissão   São Paulo
Armando Simões Neto ARENA 25.972
Cunha Bueno ARENA 25.930 São Paulo   São Paulo
Nabi Abi Chedid ARENA 25.575 Ramarith   Líbano
Abrahim Dabus ARENA 25.181 Avaré   São Paulo
Hatiro Shimomoto ARENA 24.925
Astolfo Araújo ARENA 24.513
Agenor Lino de Matos MDB 24.510 Santa Cruz do Rio Pardo
Lineu de Paula Leão ARENA 24.481
José Ozi ARENA 23.979
Pedro Carolo ARENA 23.358 Pontal   São Paulo
Benedito Matarazzo ARENA 23.310
Nesralla Rubez ARENA 23.219
Waldemar Lopes Ferraz ARENA 22.310
Hélvio Nunes da Silva ARENA 22.000
Theodosina Rosário Ribeiro MDB 21.500 Barretos   São Paulo
Geraldino dos Santos ARENA 21.129
Shiro Kiono ARENA 21.080
Ruy Codo MDB 20.780 Santa Gertrudes   São Paulo
Jamil Assuf Dualibi ARENA 20.692
Caio Pompeu de Toledo ARENA 20.550 São Paulo   São Paulo
Ari da Silva ARENA 20.044
Alfeu Brandão Praça ARENA 19.060
José Costa[nota 6] ARENA 18.945
João Lázaro de Almeida Prado ARENA 18.839
Antônio Pinheiro Camargo Júnior ARENA 18.708
José Sabino ARENA 18.654
Alex Freua Neto ARENA 18.569
Jacob Salvador Zveibil ARENA 18.455
Manoel Severo Lins Neto ARENA 18.328
Jihei Noda MDB 17.300 Saga   Japão
Alberto Goldman MDB 17.226 São Paulo   São Paulo
Arlindo Antônio dos Santos MDB 16.436
Del Bosco Amaral MDB 16.370 Santos   São Paulo
Aurélio Rosalindo de Campos MDB 15.212 Santos   São Paulo
Carlos Nelson Bueno MDB 14.508
Leonel Júlio MDB 14.380 Duartina   São Paulo
Francisco Antônio Coelho MDB 14.064
Carlos Vicente Cerchiari MDB 13.854
Jayro Maltoni MDB 13.569 Ribeirão Preto   São Paulo

Notas

  1. Nos referidos territórios o pleito serviu apenas para a escolha de deputados federais, não havendo eleições no Distrito Federal e no Território Federal de Fernando de Noronha.
  2. Até então o eleitor poderia votar separadamente para governador e vice-governador.
  3. Homônimo do físico alemão Otto Lehmann, o novo senador paulista nasceu na cidade de São Paulo e formou-se advogado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1938. Professor na Universidade do Vale do Paraíba e na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, foi secretário de Negócios Jurídicos durante o mandato de Ademar de Barros como prefeito de São Paulo. Nomeado conselheiro do Tribunal de Contas de São Paulo em 1964, permaneceu na corte por cinco anos e chegou a presidi-la e em 1970 foi eleito suplente de senador pela ARENA.
  4. Renunciou em 27 de junho de 1973 para assumir uma cadeira de ministro no Tribunal de Contas da União sendo efetivado Ortiz Monteiro.
  5. Homônimo do político paulista Ademar de Barros.
  6. Homônimo de José Costa, aviador português.

Referências

  1. a b c «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 23 de maio de 2018 
  2. «Subsecretaria de Informações do Senado Federal do Brasil: Ato Institucional Número Três». Consultado em 5 de novembro de 2013 
  3. ... e fez-se o Arenão. Disponível em Veja, ed. 116 de 25/11/1970. São Paulo: Abril. Página visitada em 5 de novembro de 2013.
  4. «Acervo digital Veja». Consultado em 5 de novembro de 2013. Arquivado do original em 29 de outubro de 2013 
  5. Laudo assume; Ademar deixa São Paulo (online). Folha de S. Paulo, 07/06/1966. Página visitada em 5 de novembro de 2013.
  6. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Franco Montoro». Consultado em 9 de outubro de 2017 
  7. «Senado Federal do Brasil: senador Franco Montoro». Consultado em 9 de outubro de 2017 
  8. Assembleia aprova nome de Zancaner (online). Folha de S. Paulo, 10/04/1976. Página visitada em 6 de novembro de 2013.
  9. «Senado Federal do Brasil: senador Orlando Zancaner». Consultado em 9 de outubro de 2017 
  10. «Acervo digital da Folha de S.Paulo». Consultado em 6 de novembro de 2013 
  11. «Natel eleito com 1 voto do MDB (online). O Estado de S. Paulo, São Paulo (SP), 04/10/1970. Geral, p. 05.». Consultado em 23 de maio de 2018 
  12. Assembléias (sic) estaduais elegem os governadores (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 04/10/1970. Primeiro caderno, p. 26. Página visitada em 23 de maio de 2018.
  13. «Senado Federal do Brasil: senador Otto Lehmann». Consultado em 10 de outubro de 2017 
  14. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 9 de outubro de 2017. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  15. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 9 de outubro de 2017