Eleições estaduais no Rio Grande do Sul em 1974

As eleições estaduais no Rio Grande do Sul em 1974 aconteceram em duas etapas conforme previa o Ato Institucional Número Três e assim a eleição indireta do governador Sinval Guazzelli e do vice-governador Amaral de Sousa foi em 3 de outubro e a escolha do senador Paulo Brossard, 32 deputados federais e 56 estaduais se deu em 15 de novembro a partir de um receituário aplicado aos 22 estados e aos territórios federais do Amapá, Rondônia e Roraima. Os gaúchos residentes no Distrito Federal escolheram seus representantes no Congresso Nacional por força da Lei n.º 6.091 de 15 de agosto de 1974.[1][2][3][4][5][nota 1][nota 2]

1970 Brasil 1978
Eleições estaduais no  Rio Grande do Sul em 1974
3 de outubro de 1974
(Eleição indireta)
15 de novembro de 1974
(Eleição direta)


Sinval Sebastião Duarte Guazelli, Governador do Rio Grande do Sul..tif
Candidato Sinval Guazzelli


Partido ARENA


Natural de Vacaria, RS


Vice Amaral de Sousa
Votos 27
Porcentagem 100%

Nascido em Vacaria o governador Sinval Guazzelli é advogado formado em 1953 pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul e depois de filiar-se à UDN foi eleito vice-prefeito de sua cidade natal em 1955 e deputado estadual em 1958 e 1962. Vencido por Sereno Chaise na disputa pela prefeitura de Porto Alegre em 1963, foi secretário de Obras Públicas no governo Ildo Meneghetti e ingressou na ARENA devido ao Regime Militar de 1964 e por esse partido foi candidato a senador via sublegenda em 1966 sendo derrotado pelo arenista Guido Mondin. Superintendente da Caixa Econômica Federal no Rio Grande do Sul após o pleito, elegeu-se deputado federal em 1970 sendo escolhido governador pelo presidente Ernesto Geisel.[6][7]

Para vice-governador foi escolhido o advogado e professor Amaral de Sousa. Nascido em Palmeira das Missões, ingressou na ala jovem do PSD aos dezesseis anos. Graduado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul e em Direito na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, ocupou a vice-presidência da União Nacional dos Estudantes. Em 1959 foi eleito vereador em sua cidade natal e em 1962 foi eleito deputado estadual. Posteriormente filiado à ARENA, elegeu-se deputado federal em 1966 e 1970.[8]

Para senador o vitorioso foi o agropecuarista, advogado, jurista e professor Paulo Brossard.[9] Formado na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, ele nasceu em Bagé e ingressou no PL sob o ardor de Raul Pilla. Após dois fiascos em eleições para deputado estadual, tornou-se docente na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul em 1952. Opositor do trabalhismo, elegeu-se deputado estadual em 1954, 1958 e 1962. Com a vitória do Regime Militar de 1964 chegou a ocupar, brevemente, a secretaria de Justiça no segundo governo Ildo Meneghetti e a seguir passou a lecionar na Universidade Federal do Rio Grande do Sul.[10] Após ingressar no MDB foi eleito deputado federal em 1966. Derrotado na eleição para senador em 1970, conquistou a referida vaga em 1974.

Resultado da eleição para governadorEditar

Em sinal de protesto contra o sistema de eleições indiretas, os vinte e três deputados estaduais do MDB não compareceram à Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul.[11]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Sinval Guazzelli
ARENA
Amaral de Sousa
ARENA
11
ARENA (sem coligação)
27
100%
  Eleito

Resultado da eleição para senadorEditar

Dados fornecidos pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul que apurou 2.281.091 votos nominais (88,42%) 195.303 votos em branco (7,57%) e 103.380 votos nulos (4,01%) resultando no comparecimento de 2.579.774 eleitores.[12]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Paulo Brossard
MDB
Ney de Almeida Brito
MDB
151
MDB (sem coligação)
1.383.288
60,64%
Nestor Jost
ARENA
Manoel Braga Gastal
ARENA
111
ARENA (sem coligação)
897.803
39,36%
  Eleito

Deputados federais eleitosEditar

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[13][14]

Representação eleita

  MDB: 19
  ARENA: 13
Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Alceu Collares MDB 120.702 Bagé   Rio Grande do Sul
Antônio Bresolin MDB 89.842 Cruz Alta   Rio Grande do Sul
Nelson Marchezan[nota 3] ARENA 81.076 Santa Maria   Rio Grande do Sul
Getúlio Dias MDB 77.861 Pelotas   Rio Grande do Sul
Rosa Flores MDB 74.447 Montenegro   Rio Grande do Sul
Nadir Rosseti[nota 4] MDB 73.261 São Francisco de Paula   Rio Grande do Sul
Otávio Germano[nota 3] ARENA 70.471 Cachoeira do Sul   Rio Grande do Sul
Fernando Gonçalves ARENA 70.232 Palmeira das Missões   Rio Grande do Sul
Alexandre Machado ARENA 64.090 Arroio Grande   Rio Grande do Sul
Lauro Rodrigues MDB 61.630 General Câmara   Rio Grande do Sul
Alberto Hoffmann ARENA 50.977 Ijuí   Rio Grande do Sul
Eloy Lenzi MDB 50.253 Lagoa Vermelha   Rio Grande do Sul
Aluizio Paraguassu MDB 50.243 Porto Alegre   Rio Grande do Sul
Aldo Fagundes MDB 49.457 Alegrete   Rio Grande do Sul
Lidovino Fanton MDB 49.020 Farroupilha   Rio Grande do Sul
Amaury Müller[nota 4] MDB 48.614 Cruz Alta   Rio Grande do Sul
Magnus Guimarães MDB 47.473 Santo Ângelo   Rio Grande do Sul
Paulo Nunes Leal[nota 3] ARENA 41.316 Carangola   Minas Gerais
Harry Sauer MDB 40.630 Taquara   Rio Grande do Sul
José Mandelli Filho MDB 40.502 Bento Gonçalves   Rio Grande do Sul
Carlos Santos MDB 38.665 Rio Grande   Rio Grande do Sul
Jairo Brum MDB 36.876 Guaporé   Rio Grande do Sul
Vasco Amaro ARENA 36.651 Pelotas   Rio Grande do Sul
João Gilberto MDB 36.616 Quaraí   Rio Grande do Sul
Jorge Uequed MDB 36.440 Rio Grande   Rio Grande do Sul
Arlindo Kunzler ARENA 34.830 Montenegro   Rio Grande do Sul
Odacir Klein MDB 34.765 Getúlio Vargas   Rio Grande do Sul
Lauro Leitão[nota 5] ARENA 31.418 Soledade   Rio Grande do Sul
Augusto Trein ARENA 31.417 Passo Fundo   Rio Grande do Sul
Norberto Schmidt ARENA 30.226 Santa Cruz do Sul   Rio Grande do Sul
Célio Fernandes ARENA 28.622 Porto Alegre   Rio Grande do Sul
Cid Furtado ARENA 28.336 Pelotas   Rio Grande do Sul

Deputados estaduais eleitosEditar

Das 50 cadeiras da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul o MDB conquistou 33 e a ARENA por conseguiu 23.[12]

Representação eleita

  MDB: 33
  ARENA: 23
Fonteː[1]
Deputados estaduais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Pedro Simon MDB 141.883 Caxias do Sul   Rio Grande do Sul
Lélio Souza MDB 39.181 Rosário do Sul   Rio Grande do Sul
Carlos Giacomazzi MDB 38.865 Erechim   Rio Grande do Sul
João Carlos Gastal MDB 37.170 Pelotas   Rio Grande do Sul
Américo Copetti MDB 33.687
Cezar Schirmer MDB 32.286 Santa Maria   Rio Grande do Sul
Hugo Mardini ARENA 31.556 Porto Alegre   Rio Grande do Sul
Rubem Scheid ARENA 31.024 Serafina Corrêa   Rio Grande do Sul
Celso Testa MDB 29.785 Passo Fundo   Rio Grande do Sul
Lino Zardo MDB 28.765 Nova Prata   Rio Grande do Sul
Ivo Sprandel MDB 28.748
Romildo Bolzan MDB 27.648 Cachoeira do Sul   Rio Grande do Sul
André Nivaldo Jager Soares MDB 26.920 Uruguaiana   Rio Grande do Sul
Waldir Walter MDB 26.788 Santa Maria   Rio Grande do Sul
Elton Fensterseifer MDB 26.201 Roca Sales   Rio Grande do Sul
Fernando Guedes do Canto MDB 24.962 Roca Sales   Rio Grande do Sul
Júlio Brunelli ARENA 24.495 Porto Alegre   Rio Grande do Sul
Guido Moesch ARENA 24.119 Arroio do Meio   Rio Grande do Sul
Geraldo Germano ARENA 23.807
Celestino Granato Goulart ARENA 23.109 Bagé   Rio Grande do Sul
Silverius Kist ARENA 22.854 Santa Cruz do Sul   Rio Grande do Sul
Hed Santos Borges ARENA 22.810 Soledade   Rio Grande do Sul
Rodolfo Rospide Netto MDB 22.331 Iraí   Rio Grande do Sul
Dercy Furtado ARENA 21.725 Gravataí   Rio Grande do Sul
Algir Lorenzon MDB 21.386 Catuípe   Rio Grande do Sul
Valdir Antônio Lopes MDB 21.322 Porto Alegre   Rio Grande do Sul
Jorge Alberto Pillar Bandarra MDB 20.866
Amarílio Borges Moreira MDB 20.861 Alegrete   Rio Grande do Sul
Júlio Costamilan MDB 20.787 Caxias do Sul   Rio Grande do Sul
Edgar Marques de Mattos MDB 20.673
Porfírio Peixoto MDB 20.413 São Luiz Gonzaga   Rio Grande do Sul
Walter Troina MDB 20.136
Sérgio Ilha Moreira ARENA 20.041 Porto Alegre   Rio Grande do Sul
João Satte MDB 19.937
Firmino Girardello ARENA 19.737
Sedenir Martins MDB 19.146
Caetano Peruchin MDB 18.749
Loris Reali ARENA 18.520
Júlio Vianna MDB 18.049
Cícero Viana ARENA 18.000
Carlos Augusto de Souza MDB 17.621
Rubi Diehl ARENA 17.532
Jarbas Lima ARENA 16.457 Lagoa Vermelha   Rio Grande do Sul
Victorio Trez MDB 17.005 Guaporé   Rio Grande do Sul
Nolly Joner MDB 16.673
Aldo Pinto MDB 16.620 Palmeira das Missões   Rio Grande do Sul
Eligio Meneghetti MDB 16.375
Pedro Américo Leal ARENA 16.045
Adolfo Puggina ARENA 15.959 Rio Grande   Rio Grande do Sul
Moisés Velasques MDB 15.893
Urbano Alves de Moraes ARENA 15.506
José Pederzolli Sobrinho ARENA 15.278
Antonino Fornari ARENA 15.145 Arroio do Meio   Rio Grande do Sul
Oscar Westendorff ARENA 15.145 São Lourenço do Sul   Rio Grande do Sul
Victor Bachieri ARENA 15.017
Affonso dos Santos Tacques ARENA 14.747 Palmeira das Missões   Rio Grande do Sul

Notas

  1. Nos referidos territórios o pleito serviu apenas para a escolha de deputados federais, não havendo eleições em Fernando de Noronha.
  2. Originalmente a Lei n.º 6.091 não previa a eleição para deputados estaduais, algo que ocorreria anos depois.
  3. a b c Durante os últimos dias do governo Euclides Triches três deputados federais compuseram sua equipe: Nelson Marchezan foi Secretário do Trabalho e Ação Social, Otávio Germano foi secretário de Justiça e Paulo Nunes Leal foi secretário dos Transportes. Foram convocados os suplentes Mário Mondino, Daniel Faraco e Otávio Cardoso.
  4. a b Teve o mandato cassado em 29 de março de 1976 com base no Ato Institucional Número Cinco cujos dispositivos proibiam a convocação de suplentes.
  5. Nomeado ministro do Tribunal Federal de Recursos ao final de 1977 pelo presidente Ernesto Geisel, foi substituído por Mário Mondino.

Referências

  1. a b «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 25 de maio de 2018 
  2. «Subsecretaria de Informações do Senado Federal: Ato Institucional Número Três». Consultado em 13 de novembro de 2013 
  3. «BRASIL. Presidência da República: Lei n.º 6.091 de 15/08/1974». Consultado em 25 de novembro de 2013 
  4. A ARENA no dia do MDB. Disponível em Veja, ed. 324 de 20/11/1974. São Paulo: Abril. Página visitada em 25 de novembro de 2013.
  5. «Acervo digital Veja». Consultado em 25 de novembro de 2013. Arquivado do original em 29 de outubro de 2013 
  6. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Sinval Guazzelli». Consultado em 12 de julho de 2016 
  7. Missão de Petrônio termina e prefere políticos (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 17/06/1974. Primeiro caderno, p. 07. Página visitada em 25 de maio de 2018.
  8. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Amaral de Sousa». Consultado em 12 de julho de 2016 
  9. «Senado Federal do Brasil: senador Paulo Brossard». Consultado em 12 de julho de 2016 
  10. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Paulo Brossard». Consultado em 12 de julho de 2016 
  11. De Norte a Sul, espetáculo igual (online). O Estado de S. Paulo, São Paulo (SP), 04/10/1974. Primeiro caderno, p. 05. Página visitada em 12 de julho de 2016.
  12. a b «Banco de dados do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul». Consultado em 25 de novembro de 2013 
  13. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 12 de julho de 2016. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  14. BRASIL. Presidência da República. «Lei n.º 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 12 de julho de 2016