Grande Prêmio da Estíria de 2020

Grande Prêmio da Estíria de F-1 2020
Circuit Red Bull Ring.svg
Grande Prêmio da Estíria de 2020.
Detalhes da corrida
Data 12 de julho de 2020
Nome oficial Formula 1 Pirelli Großer Preis der Steiermark
Local Red Bull Ring, Spielberg, Estíria, Áustria
Total 71 voltas / 309,690 km
Pole
Piloto
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Tempo 1:19.273
Volta mais rápida
Piloto
Espanha Carlos Sainz Jr. McLaren-Renault
Tempo 1:05.619 (na volta 68)
Pódio
Primeiro
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Segundo
Finlândia Valtteri Bottas Mercedes
Terceiro
Países Baixos Max Verstappen Red Bull-Honda

O Grande Prêmio da Estíria de 2020 (formalmente denominado Formula 1 Pirelli Großer Preis der Steiermark) foi a segunda etapa do Campeonato Mundial de 2020 da Fórmula 1. A corrida foi disputada em 12 de julho de 2020 no Red Bull Ring em Spielberg, Áustria,[1] que excepcionalmente recebeu duas corridas seguidas na mesma temporada em virtude das mudanças no calendário provocadas pela pandemia de COVID-19. O evento marcou a primeira corrida do Grande Prêmio da Estíria, que foi criado para diferenciar a segunda corrida realizada no país do Grande Prêmio da Áustria, que abriu a temporada.[2]

RelatórioEditar

AntecedentesEditar

Treino ClassificatórioEditar

Pré-Treino

Houve o atraso de 47 minutos do horário previsto do treino classificatório.

Q1

A pista começou muito molhada, mas as condições melhoraram gradualmente conforme o Q1 se desenrolou. Com isso, Giovinazzi, Russell, Leclerc, Vettel, Verstappen, Bottas, Norris e Sainz se revezaram na primeira colocação até Hamilton assumir o primeiro lugar faltando cinco minutos para o fim.

Como esperado, houve algumas rodadas e escapadas, como de Romain Grosjean, que nem sequer marcou tempo, Nicholas Latifi, Alexander Albon e Antonio Giovinazzi. O italiano, aliás, chegou a bater de traseira na penúltima curva do traçado e não conseguiu voltar aos boxes - a parada do carro na pista causou uma bandeira vermelha no último minuto.

A grande surpresa do Q1 foi a eliminação de Sergio Pérez, que foi muito bem nos treinos livres de sexta-feira em pista seca mas não conseguiu encaixar boas voltas no molhado e ficou numa decepcionante 17ª colocação, enquanto o companheiro Lance Stroll avançou ao Q2 em oitavo.

Q2

Hamilton e Bottas começaram dominando o Q2, com Norris e Sainz logo atrás, mas Verstappen fez o melhor tempo a nove minutos do fim. Faltando cinco minutos para a bandeira quadriculada, o hexacampeão recuperou a primeira colocação.

Nos minutos finais do Q2, a chuva aumentou novamente, e Leclerc acabou atrapalhado justamente quando tinha colocado um novo jogo de pneus. Com isso, o monegasco foi eliminado do Q3, enquanto o companheiro Sebastian Vettel avançou em décimo.

Outra surpresa foi a eliminação de Lance Stroll, que tinha ido bem no Q1 com o carro da Racing Point mas ficou apenas em 13º. À frente dele ficou George Russell, que, com um carro bem inferior (Williams), ficou em 12º, sua melhor posição de largada na F1.

Q3

A etapa final do treino começou com Verstappen fazendo o melhor tempo, com 1m21s800. Em seguida, o holandês baixou para 1m21s570. Mas aí a Mercedes apareceu: Hamilton fez 1m21s272, e Bottas conseguiu 1m21s036. Logo depois, o inglês baixou para 1m20s649.

As condições da pista melhoraram ligeiramente nos minutos finais, e Verstappen reassumiu a pole provisória, com 1m20s489, mas Hamilton melhorou ainda mais e conseguiu 1m19s702. Na última tentativa, Max deu uma rodada, e o inglês baixou a melhor marca para 1m19s273.

 
Grid de Largada

CorridaEditar

Dentre os dez primeiros colocados no grid, somente dois optaram por iniciar a prova com pneus médios: Daniel Ricciardo e Sebastian Vettel. Todos os outros preferiram os compostos macios para a primeira parte da corrida.

A largada foi tranquila para Lewis Hamilton, que manteve a ponta, enquanto Carlos Sainz chegou a atacar Max Verstappen, mas não conseguiu fazer a ultrapassagem e ficou em terceiro, seguido por Valtteri Bottas e Esteban Ocon, o quinto.

Pior mesmo foi para a Ferrari, como se já não bastasse mais crise neste ano. Charles Leclerc forçou a ultrapassagem sobre Vettel na entrada da curva 3, não conseguiu frear e acertou o carro do alemão, que ficou com a asa traseira da SF1000 danificada. O acidente levou a direção de prova a acionar o safety-car, enquanto Sebastian teve de abandonar. Leclerc continuou na corrida, mas na última posição. Um desastre.

A relargada foi dada na quarta volta. Hamilton escapou na frente, com Verstappen em segundo e Sainz em terceiro. Russell, no pelotão intermediário, cometeu um erro e passeou pela caixa de brita, mas conseguiu voltar para a pista, enquanto Lance Stroll e Lando Norris duelavam pelo nono lugar, com o canadense à frente. Pouco depois, Leclerc completou o domingo pavoroso da Ferrari e voltou para os boxes, desta vez para abandonar a corrida.

Ainda no começo da prova, a McLaren provou que ainda não tem condições reais de lutar com Mercedes e Red Bull. Sainz foi ultrapassado por Bottas e Alexander Albon, que subiram para terceiro e quarto, respectivamente. O espanhol caiu para quinto, à frente das Renault de Ocon e Ricciardo. Pierre Gasly, com a AlphaTauri, fazia boa corrida e era o nono, seguido por Stroll, Norris e Pérez, que pulou de 17º para 11º em dez voltas.

Na frente, Hamilton reinava soberano e abria vantagem para Verstappen com seguidas voltas mais rápidas. A corrida estava mais animada no pelotão intermediário: Ocon e Ricciardo brigavam pelo sexto lugar; Stroll superava Gasly e trazia Pérez a reboque depois de o mexicano passar também Norris.

Ricciardo finalmente fez a ultrapassagem sobre Ocon e subiu para sexto na volta 21. E Hamilton, mesmo depois de ter cometido um pequeno erro na curva 3, conseguiu controlar bem a diferença para Verstappen. Bottas, por sua vez, tentava se aproximar do holandês. E foi justamente o piloto da Red Bull o primeiro dentre os ponteiros a fazer o pit-stop, na volta 25, mudando de pneus macios para os médios.

Dois giros depois, foi a vez de Ocon abandonar com problemas no radiador, encerrando o que vinha sendo um fim de semana positivo do francês. Assim, Stroll e Pérez, por exemplo, ganhavam mais uma posição e subiam para sétimo e oitavo, respectivamente. Na volta 28, Hamilton fez o pit-stop, com a Mercedes adotando a mesma estratégia de pneus da Red Bull. Bottas seguiu na pista por mais algum tempo para tentar o ‘undercut’ e ganhar a posição de Verstappen.

Sainz partiu para fazer seu pit-stop na volta 33, mas perdeu tempo. Os mecânicos da McLaren tiveram dificuldades em fixar a roda traseira esquerda do carro do espanhol, o que prejudicou totalmente a chance de um bom resultado. No giro seguinte, Stroll partiu para a troca de pneus depois de começar a ser pressionado por Pérez na luta pelo sétimo lugar.

Ao mesmo tempo, Bottas foi para os boxes para enfim a Mercedes realizar o pit-stop. Mas a estratégia da equipe para o finlandês não deu certo. Valtteri voltou 8s atrás de Verstappen.

Na volta 40, Pérez enfim foi aos boxes para o seu pit-stop. O mexicano voltou atrás de Stroll e logo à frente de Sainz, que vinha em oitavo. O piloto da McLaren chegou a usar a asa móvel para fazer a ultrapassagem, mas levou o troco e foi superado por fora por ‘Checo’ na curva 5, retomando o sétimo lugar com uma bela manobra.

Enquanto Hamilton sobrava na frente, a grande atração da corrida era a briga entre os dois pilotos da Racing Point. Pérez e Stroll duelaram de forma limpa pelo sexto lugar. O mexicano fez outra grande ultrapassagem, deixou para trás o companheiro de equipe e partiu para cima de Ricciardo para buscar o quinto posto.

O australiano sequer esboçou reação quando Pérez encostou e fez a ultrapassagem na volta 49. O piloto de Guadalajara, um dos grandes destaques do domingo, passava a ter a Red Bull de Albon como alvo, enquanto Stroll chegava para também deixar para trás a Renault de Ricciardo.

Na raça e na experiência, Ricciardo segurou Stroll ao máximo com uma pilotagem valente mesmo tendo carro inferior. Mais à frente, Pérez se destacava novamente e passava a atacar Albon na disputa pelo quarto lugar.

Daniil Kvyat surpreendia ao aparecer em décimo, contrastando com a queda de Gasly na prova em razão da estratégia adotada pela AlphaTauri, que se mostrou equivocada, ao calçar o carro do francês, em 15º, com pneus duros para o stint final.

O ótimo pelotão intermediário voltava a entregar espetáculo. Daquela vez, com o duelo interno da McLaren. Norris passou Sainz na volta 62 e subiu para a oitava colocação, ficando logo atrás da disputa entre Ricciardo e Stroll pelo sexto posto. Mais à frente, Pérez seguia na batalha contra Albon pelo quarto lugar.

Quando restavam cinco voltas para o fim da corrida, Bottas encostou de vez em Verstappen, que não conseguia tirar o máximo dos pneus e perdia muito rendimento. Os dois travaram um grande duelo roda a roda. Mesmo muito aguerrido, Max não conseguiu resistir à melhor performance da Mercedes do nórdico, que partiu para completar a dobradinha liderada por Hamilton.

As últimas voltas foram igualmente empolgantes no pelotão intermediário. Pérez tentou passar Albon, mas tocou a asa dianteira esquerda do seu carro na Red Bull do anglo-tailandês, que passou na quarta colocação. O mexicano perdeu rendimento no fim e acabou perdendo o quinto posto para Norris — que havia ultrapassado Stroll e Ricciardo também no giro final —. ‘Checo’ ainda conseguiu se arrastar o bastante para terminar em sexto, à frente do companheiro de equipe e da Renault do australiano. Carlos Sainz, com direito à volta mais rápida da corrida, e Kvyat, fecharam o top-10.[3]

 
Posições de chegada da corrida

PneusEditar

Os compostos de pneus fornecidos pela Pirelli para este Grande Prêmio[4]
Nome do composto Cor Banda de rolamento Condições de Tempo Dry Type Aderência Longevidade
Macio (C4)   Slick
(P Zero)
Seco Soft Mais aderência Menos durável
Médio (C3)   Slick
(P Zero)
Seco Medium Médio Médio
Duro (C2)   Slick
(P Zero)
Seco Hard Menos aderência Mais durável
Intermediário   Sulcos
(Cinturato)
Molhado Intermediate
(água não estagnante)
Chuva   Sulcos
(Cinturato)
Molhado Wet
(água estagnante)

ResultadosEditar

Treino classificatórioEditar

Pos. Piloto Construtor Q1 Q2 Q3 Grid
1 44   Lewis Hamilton Mercedes 1:18.188 1:17.825 1:19.273 1
2 33   Max Verstappen Red Bull-Honda 1:18.297 1:17.938 1:20.489 2
3 55   Carlos Sainz Jr. McLaren-Renault 1:18.590 1:18.836 1:20.671 3
4 77   Valtteri Bottas Mercedes 1:18.791 1:18.657 1:20.701 4
5 31   Esteban Ocon Renault 1:19.687 1:18.764 1:20.922 5
6 4   Lando Norris McLaren-Renault 1:18.504 1:18.448 1:20.925 9 [a]
7 23   Alexander Albon Red Bull Racing-Honda 1:20.882 1:19.014 1:21.011 6
8 10   Pierre Gasly AlphaTauri-Honda 1:20.192 1:18.744 1:21.028 7
9 3   Daniel Ricciardo Renault 1:19.662 1:19.229 1:21.192 8
10 5   Sebastian Vettel Ferrari 1:20.243 1:19.545 1:21.651 10
11 16   Charles Leclerc Ferrari 1:20.871 1:19.628 N/A 14 [b]
12 63   George Russell Williams-Mercedes 1:20.382 1:19.636 N/A 11
13 18   Lance Stroll Racing Point-BWT Mercedes 1:19.697 1:19.645 N/A 12
14 26   Daniil Kvyat AlphaTauri-Honda 1:19.824 1:19.717 N/A 13
15 20   Kevin Magnussen Haas-Ferrari 1:21.140 1:20.211 N/A 15
16 7   Kimi Räikkönen Alfa Romeo-Ferrari 1:21.372 N/A N/A 16
17 11   Sergio Pérez Racing Point-BWT Mercedes 1:21.607 N/A N/A 17
18 6   Nicholas Latifi Williams-Mercedes 1:21.759 N/A N/A 18
19 99   Antonio Giovinazzi Alfa Romeo-Ferrari 1:21.831 N/A N/A 19
Tempo dos 107%: 1:23.661
20 8   Romain Grosjean Haas-Ferrari S/Tempo N/A N/A 20
Fonte:[5]
Notas

CorridaEditar

Pos. Nu. Piloto Construtor Voltas Tempo/Retirado Grid Pontos
1 44   Lewis Hamilton Mercedes 71 1:30:55.739 1 25
2 77   Valtteri Bottas Mercedes 71 +13.719 4 18
3 33   Max Verstappen Red Bull-Honda 71 +33.698 2 15
4 23   Alexander Albon Red Bull-Honda 71 +44.440 6 12
5 4   Lando Norris McLaren-Renault 71 +1:01.470 9 10
6 11   Sergio Pérez Racing Point-Mercedes 71 +1:02.387 17 8
7 18   Lance Stroll Racing Point-Mercedes 71 +1:02.453 12 6
8 3   Daniel Ricciardo Renault 71 +1:02.591 8 4
9 55   Carlos Sainz Jr. McLaren-Renault 70 +1 Volta 3 2+1
10 26   Daniil Kvyat Alpha Tauri-Honda 70 +1 Volta 13 1
11 7   Kimi Räikkönen Alfa Romeo-Ferrari 70 +1 Volta 16
12 20   Kevin Magnussen Haas-Ferrari 70 +1 Volta 15
13 8   Romain Grosjean Haas-Ferrari 70 +1 Volta 20
14 99   Antonio Giovinazzi Alfa Romeo-Ferrari 70 +1 Volta 19
15 10   Pierre Gasly Alpha Tauri-Honda 70 +1 Volta 7
16 63   George Russell Williams-Mercedes 69 +2 Voltas 11
17 6   Nicholas Latifi Williams-Mercedes 69 +2 Volstas 18
Ret 31   Esteban Ocon Renault 25 Retirou-se 5
Ret 16   Charles Leclerc Ferrari 4 Colisão 14
Ret 5   Sebastian Vettel Ferrari 1 Colisão 10
Volta mais rápida:   Carlos Sainz Jr. (McLaren-Renault) – 1:05.619 (volta 68)
Fonte:[8]

CuriosidadesEditar

Voltas na LiderançaEditar

Nº de Voltas Piloto Voltas
64   Lewis Hamilton 1-27; 35-71
7   Valtteri Bottas 28-34

2020 DHL Fastest Pit Stop AwardEditar

ResultadoEditar

Pos. Nu. Piloto Construtor Tempo Pontos
1 33   Max Verstappen Red Bull-Honda 1.95 25
2 23   Alexander Albon Red Bull-Honda 2.22 18
3 77   Valtteri Bottas Mercedes 2.39 15
4 7   Kimi Räikkönen Alfa Romeo Racing-Ferrari 2.58 12
5 44   Lewis Hamilton Mercedes 2.62 10
6 63   George Russell Williams-Mercedes 2.80 8
7 3   Daniel Ricciardo Renault 2.83 6
8 26   Daniil Kvyat Alpha Tauri-Honda 2.85 4
9 99   Antonio Giovinazzi Alfa Romeo Racing-Ferrari 2.95 2
10 8   Kevin Magnussen Haas-Ferrari 2.98 1
Fonte: [9]

ClassificaçãoEditar

Tabela do campeonato após a corridaEditar

Somente as cinco primeiras posições estão incluídas nas tabelas.

Referências

  1. «F1 confirms first 8 races of revised 2020 calendar, starting with Austria double header». formula1.com (em inglês). Formula One. 2 de junho de 2020. Consultado em 2 de junho de 2020 
  2. «F1 confirma oito primeiras corridas da temporada 2020; campeonato começa na Áustria». Globoesporte. Consultado em 2 de junho de 2020 
  3. Silva, Fernando (12 de julho de 2020). «Hamilton vence fácil GP da Estíria. Leclerc acerta Vettel e amplia crise na Ferrari». Grande Prêmio. Consultado em 12 de julho de 2020 
  4. «Same P-Zero compounds for Austria double-header, different nominations for each race at Silverstone» (em inglês). Pirelli. 17 de junho de 2020. Consultado em 17 de junho de 2020 
  5. «Formula 1 Pirelli Grosser Preis der Steiermark 2020 – Qualifying». Formula1.com. 11 de julho de 2020. Consultado em 11 de julho de 2020 
  6. «Norris handed Styrian GP grid penalty for FP1 yellow flag infraction». formula1.com. 10 de julho de 2020. Consultado em 10 de julho de 2020 
  7. «Charles Leclerc hit with three place grid penalty for Styrian Grand Prix». formula1.com. 11 de julho de 2020. Consultado em 11 de julho de 2020 
  8. «Standings». Formula 1® - The Official F1® Website (em inglês). Consultado em 12 de julho de 2020 
  9. «2020 DHL Fastest Pit Stop Award» (em inglês). Formula1.com. Consultado em 12 de julho de 2020 

Ligações externasEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Categoria no Commons
Prova Anterior:
Grande Prêmio da Áustria de 2020
Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1
Temporada 2020
Próxima Prova:
Grande Prêmio da Hungria de 2020

Prova Anterior:
edição única
Grande Prêmio da Estíria Próxima Prova:
edição única