Lockdown no Brasil em 2020

medidas extremas tomadas por governos durante a pandemia de COVID-19

Lockdown no Brasil em 2020 diz respeito a Intervenções não farmacológicas implantadas por alguns governadores e prefeitos brasileiros a partir de abril de 2020. Contrários às políticas adotadas pelo governo Jair Bolsonaro, os mandatários adotaram as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para combater a pandemia de COVID-19 no país, causada pelo coronavírus da síndrome respiratória aguda grave 2 (SARS-CoV-2).

Unidades federativas editar

Estado Isolamento total Isolamento parcial Data de início Data de término
  Amapá   Amapá 19 de maio 2 de junho
  Calçoene
  Cutias
  Ferreira Gomes
  Itaubal
  Laranjal do Jari
  Macapá
  Mazagão
  Oiapoque
  Pedra Branca do Amapari
  Porto Grande
  Pracuúba
  Santana
  Serra do Navio
  Tartarugalzinho
  Vitória do Jari
  Amazonas   Tefé 5 de maio 15 de maio
  São Gabriel da Cachoeira 9 de maio 19 de maio
  Barreirinha 11 de maio 25 de maio
  Silves 21 de maio
  Ceará   Fortaleza 8 de maio 31 de maio
  Maranhão   São Luís 5 de maio 17 de maio
  São José de Ribamar
  Paço do Lumiar
  Raposa
  Mato Grosso do Sul   Guia Lopes da Laguna 7 de maio 18 de maio
  Minas Gerais   Barbacena 9 de maio 31 de maio
  Jaboticatubas 23 de maio
  Pará   Ananindeua 7 de maio 24 de maio
  Belém
  Benevides
  Breves
  Castanhal
  Marituba
  Santo Antônio do Tauá
  Santa Bárbara do Pará
  Santa Izabel do Pará
Ficheiro:Bandeira Vigia.jpg Vigia
  Cametá 8 de maio 24 de maio
Ficheiro:Bandeira de primavera-pa.jpg Primavera
  Bragança 12 de maio 31 de maio
Ficheiro:Municipio-porto-de-moz-bandeira-simb-brnnpa0100305908.jpg Porto de Moz 14 de maio 24 de maio
  Senador José Porfírio
  Vitória do Xingu
  Abaetetuba 19 de maio
  Canaã dos Carajás
  Capanema
  Parauapebas
  Santarém
  Paraíba   Alhandra 4 de junho 14 de junho
  Bayeux
  Caaporã
  Cabedelo
  Conde
  Cruz do Espírito Santo
  João Pessoa
  Lucena
  Pedras de Fogo
  Pitimbu
  Rio Tinto
  Santa Rita
  Paraná   Campina Grande do Sul 13 de maio 29 de maio
  Pernambuco   Fernando de Noronha 20 de abril 11 de maio
  Camaragibe 12 de maio 31 de maio
  Jaboatão dos Guararapes
  Olinda
  Recife
  São Lourenço da Mata
  Bezerros 26 de junho 5 de julho
  Caruaru
  Rio de Janeiro   Rio de Janeiro 8 de maio 15 de maio
  Niterói 11 de maio 20 de maio
  São Gonçalo
  Campos dos Goytacazes 18 de maio 24 de maio
  Tocantins   Ananás 16 de maio 23 de maio
  Angico
  Aragominas
  Araguaína
  Araguatins
  Augustinópolis
  Axixá do Tocantins
  Buriti do Tocantins
  Cachoeirinha
  Cariri do Tocantins
  Carrasco Bonito
  Colinas do Tocantins
  Darcinópolis
  Esperantina
  Guaraí
  Itaguatins
  Luzinópolis
  Maurilândia do Tocantins
  Nazaré
  Nova Olinda
  Palmeiras do Tocantins
  Praia Norte
  Riachinho
  Sampaio
  Santa Terezinha do Tocantins
  São Bento do Tocantins
  São Miguel do Tocantins
  São Sebastião do Tocantins
  Sítio Novo do Tocantins
  Tocantinópolis
  Wanderlândia
  Xambioá

Pernambuco editar

Fernando de Noronha editar

 Ver artigo principal: Pandemia de COVID-19 em Pernambuco

A ilha de Fernando de Noronha, que pertence atualmente ao estado de Pernambuco, foi o primeiro lugar do Brasil a decretar o fechamento total (lockdown).[1][2] o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) determinou que a Administração de Fernando de Noronha, junto com as polícias Civil e Militar, retirasse urgentemente turistas e moradores irregulares da ilha para conter a contaminação.[1][2] A medida foi tomada no dia 20 de abril, em conjunto com várias outras, como o fechamento do aeroporto, gerando resultados positivos na contenção da pandemia na ilha. Pousadas e hotéis se esvaziaram, restaurantes e lanchonetes fecharam temporariamente as portas.[2] Fernando de Noronha chegou a apresentar 28 casos confirmados, tendo quase todos já se recuperados.[1] Como precaução foi montado um hospital de campanha no arquipélago, que ficou pronto em 27 dias, sendo que a estrutura, até então, não chegou a ser utilizada. A experiência de Fernando de Noronha está sendo vista como um modelo para o Brasil.[1][2]

Outras localidades editar

Após um crescimento no número de casos de coronavírus, em sua maioria no Recife e nas cidades de Olinda, Jaboatão dos Guararapes, Camaragibe e São Lourenço da Mata, o Governador Paulo Câmara (PSB), anunciou a situação de bloqueio total nas cinco cidades, funcionando como medida educativa de 12 a 15 de maio de 2020, tendo a aplicação de sanções a partir do dia 16 com previsão de término para o dia 31 de maio. Com o decreto, só permanecerão em funcionamento apenas os comércios essenciais, com a realização de rodízios de carros, fiscalização de veículos por números pares e ímpares, exceto para veículos de saúde e segurança pública. Na circulação de pessoas, será obrigatório a apresentação de comprovação com um documento com foto e a justificativa. Recife é a quarta capital do Brasil a entrar no Lockdown total.[3][4]

Em 23 de junho, o Governo de Pernambuco decretou lockdown em Caruaru e Bezerros, depois das cidades registrarem um acréscimo de 71% da Síndrome Respiratória Aguda Grave na última semana na região do Agreste.

Maranhão editar

 Ver artigo principal: Pandemia de COVID-19 no Maranhão

No dia primeiro de maio de 2020, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) informou que subiu para 224 o número de mortos pela COVID-19 em 94 municípios do Maranhão. O estado até a data do dia 1 de maio de 2020 tinha 89,93% dos leitos ocupados.[5] Em 2 de maio, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), emitiu decreto de lockdown (bloqueios de emergência) em quatro cidades por conta da pandemia da COVID-19. Os municípios são São Luís, Paço do Lumiar, Raposa e São José de Ribamar. O decreto de nº 35 784 tem validade de dez dias. O estado se tornou o primeiro do Brasil a adotar o isolamento total.[6] O decreto foi determinado pela justiça do Maranhão no dia 30 de abril, a pedido do Ministério Público do estado.[7][8] No dia 14 de maio de 2020, o juíz Douglas de Melo Martins, da Vara de Interesses Difusos e Coletivos, anuncia a porrogação do estado de Lockdown em São Luís e nas três cidades da região metropolitana por pelo menos mais três dias, encerrando no dia 17. Também foi antecipado o feriado de Adesão do Maranhão para o dia 15 de maio.[9] Após o fim do lockdown, o Governador Flávio Dino anunciou um decreto mais rígido, a ser publicado no dia 20, mantendo o isolamento e o uso de máscaras obrigatório no estado.[10]

Pará editar

 Ver artigo principal: Pandemia de COVID-19 no Pará

Assim como no Maranhão, o estado do Pará se tornou a segunda unidade federativa do Brasil a adotar o lockdown, mantendo apenas serviços essenciais de alimentação (supermercados, padarias, fornecimento de água mineral, mercados e feiras), medicamentos (farmácias e laboratórios) e financeiros (bancos e casas lotéricas) em funcionamento, mas com medidas restritivas como: distanciamento de 1 metro, uso obrigatório de máscaras e somente a presença de um membro por família. A medida também bloqueou o acesso a pelo menos dez cidades, como a Região Metropolitana de Belém (Ananindeua, Marituba, Benevides, Santa Bárbara do Pará, Santa Isabel do Pará e Castanhal), além da própria capital, Breves, Santo Antônio do Tauá e Vigia, sendo permitido apenas o transporte de itens essenciais. A medida funcionará em caráter educativo até o dia 10 de maio de 2020 e em seguida, dará início a aplicação de multas, sendo contado a partir do dia 7, tendo prazo inicial de 10 dias. A medida foi anunciada pelo governador Helder Barbalho (MDB) através de uma live nas redes sociais e transmitida na RecordTV Belém e RBA TV. Desde o dia 1° de maio, era discutida essa possibilidade por conta dos baixos índices no isolamento e com o constante crescimento de casos de COVID-19 e o risco de colapso no sistema de saúde.[11][12] Em 8 de maio de 2020, a cidade de Primavera foi a décima primeira do estado a aderir ao isolamento total atendendo a um pedido do Ministério Público (MP-PA). No mesmo dia, Cametá também aderiu ao lockdown.[13][14] Em 12 de maio de 2020, foi a vez da cidade de Bragança adotar o isolamento total, após decreto do prefeito Raimundo Nonato (PSDB), com toque de recolher de 24 horas, proibindo a circulação de pessoas, salvo em casos de extrema necessidade, além de manter o funcionamento de estabelecimentos essenciais. Com isso, sobe para doze o número de municípios do Pará em Lockdown.[15] Em 14 de maio de 2020, as cidades da regiões do Baixo Baixo Xingu como: Porto de Moz, Senador José Porfírio e Vitória do Xingu também decretaram lockdown com término para o dia 24 de maio.[16] No dia 15 de maio de 2020, o Lockdown em dez cidades é prorrogado por mais uma semana, agora terminando dia 24, devido ao fato dos índices de isolamento se manterem nos 50%.[17] Em 16 de maio de 2020, após uma reunião do comitê da crise em Santarém, é anunciado a inclusão da cidade e dos municípios de Canaã dos Carajás, Parauapebas, Marabá, Abaetetuba e Capanema no lockdown, agora subindo para vinte e dois municípios com o isolamento total no estado. O período inicial é de 19 a 24 de maio.[18][19] Em 18 de maio de 2020, Marabá é retirada da lista de lockdown após uma manifestação contrária da prefeitura. Com isso, 21 cidades do estado continuam em situação de isolamento geral.[20] Em 23 de maio, é anunciado que não haverá a porrogação do lockdown em Belém e nas nove cidades e o retorno gradual do comércio a partir do dia 25. No entanto, as medidas de isolamento continuação rígidas. No mesmo dia, o comitê da crise de Santarém também anunciou que não pretende estender o confinamento geral, com fim para o dia 24, mas que vai realizar medidas rígidas para o isolamento social.[21][22]

Ceará editar

 Ver artigo principal: Pandemia de COVID-19 no Ceará

O governador Camilo Santana (PT), anunciou a implementação da medida a partir do dia 8 de maio de 2020, através da capital Fortaleza, considerando uma espécie de "isolamento mais rígido", além de estender a quarentena por mais 20 dias. Mesmo com um aumento de 63% dos leitos, há uma ameaça de colapso.[23]

Rio de Janeiro editar

No Rio de Janeiro, o lockdown foi adotado no município de Niterói, por um decreto do prefeito Rodrigo Neves (PDT), com previsão de início após o Dia das Mães (10 de maio). A medida prevê a redução do número de servidores públicos em secretarias e manter apenas o funcionamento de serviços essenciais como supermercados, padarias, posto de gasolina, laboratórios, farmácias, pet shops, fornecimento de água mineral e outros. A entrada na cidade também será fechada, sendo permitida apenas a passagem de transporte de abastecimento de cargas essenciais. A cidade fluminense tem 93% dos leitos ocupados.[24] O governador Wilson Witzel (PSC) estuda adotar a medida nas cidades do Rio de Janeiro que estão em estado crítico, além de atender a um pedido do Ministério Público, após um estudo da Fiocruz.[25] Já na cidade do Rio de Janeiro, foi feito um "lockdown parcial" na zona oeste por decreto do prefeito Marcelo Crivella (Republicanos).[26] Após Niterói, foi a vez de São Gonçalo também decretar o bloqueio de emergência com um prazo inicial de cinco dias.[27] A cidade de Campos dos Goytacazes também decretou estado de bloqueio emergencial, através da medida do prefeito Rafael Diniz (Cidadania). O município é o terceiro do estado fluminense a aderir ao lockdown total, mantendo apenas meios essenciais em funcionamento e sendo permitido o deslocamento apenas para uma extrema necessidade. A partir das 22h, só será permitida apenas a passagem de profissionais de saúde e da segurança do trabalho, salvo os casos urgentes de cidadão comum. O bloqueio terá início no dia 18 de maio, com término previsto para o dia 24.[28] Em 15 de maio de 2020, as cidades de São Gonçalo e Niterói estendem o período de Lockdown, agora com previsão de término para o dia 20.[29]

Amazonas editar

 Ver artigo principal: Pandemia de COVID-19 no Amazonas

A cidade de Tefé decretou o bloqueio de emergência a partir do dia 5 de maio de 2020, com previsão de termino para o dia 15 de maio. O bloqueio no entanto, só funcionará no horário das 15h às 6h, sendo mantido o funcionamento de serviços essenciais.[30] Outras três cidades como Barreirinha, Silves e São Gabriel da Cachoeira também entraram no Lockdown, sendo que apenas a primeira está em estado de bloqueio total por 24 horas num prazo de 15 dias, com aplicação de multas de R$1.000 para pessoas físicas e jurídicas até R$100.000,00, além de apreensão para quem sair sem apresentar uma comprovação de necessidade. Também foram fechadas agências bancárias para evitar aglomerações, além de criação de barreiras terrestres e marinhas, proibindo a passagem de veículos e embarcações particulares, salvo em casos de abastecimento. Estabelecimentos como: Padarias, farmácias, lanchonetes e restaurantes só atenderão apenas em serviços de entrega a domicílio (delivery) até às 22h. Já serviços médicos e veterinários só poderão atender em serviços de urgência e emergência.[31][32][33]

Minas Gerais editar

 Ver artigo principal: Pandemia de COVID-19 em Minas Gerais

A cidade de Barbacena foi a primeira da região a aderir ao bloqueio geral. Foram instaladas zonas de bloqueio em bairros centrais, além da inauguração de um posto estratégico da Vigilância Sanitária, para trazer informações a população.[34] Em 23 de maio de 2020, a cidade de Jaboticatubas também anunciou Lockdown, mas o mesmo só valerá apenas nos finais de semana.[35]

Mato Grosso do Sul editar

Apesar do estado do Mato Grosso do Sul ter os menores índices de casos confirmados da COVID-19, a cidade de Guia Lopes da Laguna anunciou o isolamento total, iniciando no dia 7 de maio de 2020 após a confirmação de cinco casos de coronavírus através de um frigorífico da cidade, dispensando seus 300 funcionários. As saídas serão permitidas conforme as datas de nascimento, sendo proibidas nos domingos. Festas e reuniões estão proibidas, assim como o transporte de táxis, ônibus e vans. No comércio, estão permitidas apenas as vendas de medicamentos e alimentos. Já em restaurantes, bares e lanchonetes, só poderão funcionar em serviço de delivery. Só podem chegar a cidade ou circular pelas BRs 060 e 267, no perímetro do município, ambulâncias, caminhões, veículos com profissionais de saúde em deslocamento, pessoas em tratamento de saúde e veículos relacionados a serviços essenciais. Em 14 de maio, foi anunciado o prolongamento do lockdown, com o término para o dia 18, do mesmo mês.[36][37]

Amapá editar

 Ver artigo principal: Pandemia de COVID-19 no Amapá

No dia 15 de maio de 2020, o governador Waldez Góes (PDT), anunciou a decretação de lockdown em todos os 16 municípios como medida de combate ao avanço exponencial dos casos do novo coronavírus. O decreto ainda estipula multa de cinco mil reais para quem descumprir o isolamento sem a comprovação da necessidade de circulação. Em Macapá, cidade com maior o número de casos, foi determinado rodízios de circulação de veículos, medida decretada pela prefeitura. Os bairros da capital e demais municípios com os maiores índices de proliferação do novo coronavírus terão controle de circulação por meio de barreiras sanitárias. Com isso, Macapá se torna a quinta capital brasileira a aderir ao isolamento, além de São Luís, Belém, Fortaleza e Recife.[38]

Tocantins editar

 Ver artigo principal: Pandemia de COVID-19 no Tocantins

No estado do Tocantins, o governador Mauro Carlesse (DEM) anunciou situação de bloqueio emergencial na região do "Bico do Papagaio", contemplando 33 cidades, sendo esse o maior bloqueio do país, superando o estado do Pará com 21 cidades até o momento e o Amapá com 16 cidades. O prazo inicial é de sete dias, contando a partir do dia 16 de maio de 2020. Só será permitido apenas o funcionamento de meios essenciais como: Supermercados, Padarias, Farmácias, entre outros. O expediente de órgãos ligados ao Poder Executivo estará suspenso.[39]

Paraná editar

 Ver artigo principal: Pandemia de COVID-19 no Paraná

Em 13 de maio de 2020, a cidade de Campina Grande do Sul anunciou o Lockdown em apenas três bairros da zona rural. O bloqueio durou até o dia 29 de maio.[40]

Paraíba editar

 Ver artigo principal: Pandemia de COVID-19 na Paraíba

Após reunião entre o governo e os prefeitos da Região Metropolitana de João Pessoa, é anunciado o período de lockdown nessas cidades por 10 dias, entre os dias 4 e 14 de junho de 2020. Com isso, João Pessoa se torna a sexta capital brasileira a aderir ao isolamento total, com barreiras sanitárias, rodízio de veículos e sendo mantido apenas o funcionamento do comércio essencial.[41]

Ver também editar

Referências

  1. a b c d «Fernando de Noronha, primeiro 'lockdown' do país, é exemplo na contenção da Covid-19». Diário de Pernambuco. 7 de maio de 2020. Consultado em 9 de maio de 2020 
  2. a b c d Filipe Vidon (9 de maio de 2020). «Primeiro lockdown do país, Noronho está próxima de zerar casos de coronavírus». Época. Consultado em 9 de maio de 2020 
  3. «Pernambuco endurece isolamento contra coronavírus em cinco municípios; veja locais e novas regras». Jornal do Commércio. 11 de maio de 2020. Consultado em 11 de maio de 2020 
  4. «PE restringe circulação de pessoas e implanta rodízio de veículos no Recife e mais quatro cidades» 
  5. Rafaelle Fróes. «Maranhão tem 224 mortes e mais de 3,8 mil infectados pelo novo coronavírus». G1. Globo. Consultado em 4 de maio de 2020 
  6. Guilherme Padin (3 de maio de 2020). «Maranhão decreta lockdown de dez dias em São Luís e mais três cidades». R7. Consultado em 4 de maio de 2020 
  7. Mônica Bergamo. «Justiça determina lockdown em São Luís, no Maranhão». Folha de S.Paulo. UOl 
  8. Lucas Borges Pereira. «Justiça decretou lockdown no Maranhão; qual a diferença para quarentena?». Uol. Consultado em 4 de maio de 2020 
  9. «Juiz prorroga por mais três dias 'lockdown' na Região Metropolitana de São Luís». G1. Consultado em 15 de maio de 2020 
  10. «Governo do Maranhão anuncia novas medidas restritivas após 'lockdown'». G1. Consultado em 15 de maio de 2020 
  11. Jorge Sauma e Tayma Carneiro (5 de maio de 2020). «Governo do Pará vai anunciar 'lockdown' em dez municípios; serviços essenciais continuam». G1. Consultado em 5 de maio de 2020 
  12. «Helder Barbalho anuncia lockdown em 10 municípios paraenses. Acompanhe ao vivo». Diário Online - DOL. 5 de maio de 2020. Consultado em 5 de maio de 2020 
  13. «Primavera é o 11º município a decretar lockdown no Pará». Diário Online - DOL. 8 de maio de 2020. Consultado em 9 de maio de 2020 
  14. «Lockdown de Cametá prevê multa de R$ 371 para pessoa que desobedecer medida contra a Covid-19». G1. 12 de maio de 2020. Consultado em 19 de maio de 2020 
  15. «Bragança anuncia toque de recolher e entra em lockdown». Diário Online - DOL. 12 de maio de 2020. Consultado em 13 de maio de 2020 
  16. Prefeitura de Porto de Moz decreta 'lockdown'
  17. «Lockdown em Belém e mais nove municípios do Pará é prorrogado até 24 de maio». G1. 15 de maio de 2020. Consultado em 15 de maio de 2020 
  18. «Decreto de 'Lockdown' em Santarém é publicado e prevê multa para quem descumprir medidas». G1. 16 de maio de 2020. Consultado em 17 de maio de 2020 
  19. «Governador decreta lockdown em Canaã dos Carajás, Parauapebas, Marabá, Santarém, Abaetetuba e Capanema». Zé Dudu. 16 de maio de 2020. Consultado em 17 de maio de 2020 
  20. «Marabá é retirada da lista de cidades que devem cumprir lockdown». Agência Pará. 18 de maio de 2020. Consultado em 19 de maio de 2020 
  21. «Belém encerra na segunda-feira, mas governador pede atenção a isolamento». noticias.uol.com.br. Consultado em 23 de maio de 2020 
  22. «Em videoconferência, comitê de crise decide pelo fim do lockdown em Santarém». G1. Consultado em 23 de maio de 2020 
  23. «Governo do Ceará anuncia lockdown em Fortaleza para conter avanço da Covid-19». CNN Brasil. 5 de maio de 2020. Consultado em 5 de maio de 2020 
  24. «Prefeitura de Niterói vai decretar lockdown até a próxima semana». O Globo. 7 de maio de 2020. Consultado em 7 de maio de 2020 
  25. «Witzel é pressionado a decretar lockdown no Rio». Exame. 7 de maio de 2020. Consultado em 7 de maio de 2020 
  26. «Rio: Crivella anuncia 'lockdown parcial' na Zona Oeste a partir de amanhã». UOL. 6 de maio de 2020. Consultado em 7 de maio de 2020 
  27. «'Lockdown' começa em Niterói e São Gonçalo, as primeiras do RJ a adotarem a medida». G1. 11 de maio de 2020. Consultado em 11 de maio de 2020 
  28. «'Com um dos piores índices de isolamento do estado, Campos terá lockdown a partir de segunda-feira». O Globo. 15 de maio de 2020. Consultado em 15 de maio de 2020 
  29. «Niterói e São Gonçalo prorrogam confinamento para evitar covid-19». Agência Brasil. 15 de maio de 2020. Consultado em 15 de maio de 2020 
  30. «'Tefé, no AM, decreta suspensão de circulação e aglomeração de pessoas». G1. 6 de maio de 2020. Consultado em 11 de maio de 2020 
  31. «No AM, quatro cidades do interior decretam 'lockdown' como medida de prevenção ao novo coronavírus». G1. 13 de maio de 2020. Consultado em 15 de maio de 2020 
  32. «Três municípios do Amazonas estão em situação de lockdown por conta do coronavírus». A Crítica. 13 de maio de 2020. Consultado em 15 de maio de 2020 
  33. «Em lockdown, Prefeitura de Barreirinha determina medidas mais restritas». BNC Amazonas. 11 de maio de 2020. Consultado em 16 de maio de 2020 
  34. «Prefeitura de Barbacena adota 'lockdown' na região Central da cidade a partir deste sábado». G1. 8 de maio de 2020. Consultado em 11 de maio de 2020 
  35. «Após alta de 273% nos casos de COVID-19, Jaboticatubas entra em lockdown». Estado de Minas. 22 de maio de 2020. Consultado em 23 de maio de 2020 
  36. «1º cidade de MS a decretar 'lockdown' é Guia Lopes da Laguna». MS Notícias. 8 de maio de 2020. Consultado em 16 de maio de 2020 
  37. «Guia Lopes da Laguna prorroga lockdown até a próxima segunda-feira». OPantaneiro. 14 de maio de 2020. Consultado em 16 de maio de 2020 
  38. «Covid-19: Com saúde em colapso, Amapá decreta lockdown e multa de R$ 5 mil». Uol. 15 de maio de 2020. Consultado em 16 de maio de 2020 
  39. «Tocantins decreta lockdown e bloqueia mais de 30 cidades a partir de amanhã». Uol. 15 de maio de 2020. Consultado em 16 de maio de 2020 
  40. «Após 15 dias de bloqueio, Prefeitura de Campina Grande do Sul determina fim do 'lockdown' na área rural». G1. 29 de maio de 2020. Consultado em 29 de maio de 2020 
  41. «Região Metropolitana de João Pessoa terá dez dias de lockdown com instalação de barreiras e rodízio de veículos». ClickPB. 29 de maio de 2020. Consultado em 29 de maio de 2020