Abrir menu principal
Oscar 2016
88th Academy Awards
Pôster oficial da cerimônia.
Data 28 de fevereiro de 2016
Organização Academia de Artes e Ciências Cinematográficas
Apresentação Chris Rock[1]
Local Teatro Dolby
Hollywood, Los Angeles, Califórnia
País  Estados Unidos
Destaques
Maior número de prêmios Mad Max: Fury Road (6)
Maior número de indicações The Revenant (12)
Melhor filme Spotlight
Cobertura televisiva
Estação ABC
Duração 3 horas, 37 minutos
Produtor David Hill
Reginald Hudlin[2]
Oscar 2015
Oscar 2017

A 88.ª cerimônia do Oscar ou Oscar 2016 (no original: 88th Academy Awards), apresentada pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas (AMPAS), homenageou os melhores filmes, atores e técnicos de 2015. Aconteceu em 28 de fevereiro de 2016 no Teatro Dolby, Hollywood, em Los Angeles, às 17h30min no horário local. Durante a cerimônia, foram distribuídos os prêmios da Academia em vinte e quatro categorias, e a transmissão ao vivo foi realizada pela rede televisiva estadunidense American Broadcasting Company (ABC), com produção de David Hill e Reginald Hudlin e direção de Glenn Weiss.[3] O ator e comediante Chris Rock, que havia apresentado o Oscar 2005, foi o anfitrião do evento pela segunda vez.[4]

Em eventos relacionados, a Academia realizou a sétima edição do Governors Awards no Grand Ballroom da Hollywood and Highland Center em 14 de novembro de 2015, quando foram entregues os prêmios honorários. Em 13 de fevereiro de 2016, em uma cerimônia no Beverly Wilshire Hotel, em Beverly Hills, o Oscar Científico ou Técnico foi apresentado por Olivia Munn e Jason Segel.[5]

Spotlight venceu dois prêmios, incluindo melhor filme. Mad Max: Fury Road foi a obra mais premiada da noite, com a conquista de seis estatuetas. The Revenant, com três vitórias, também se destacou em melhor diretor para Alejandro González Iñárritu e melhor ator para Leonardo DiCaprio. Brie Larson venceu a categoria de melhor atriz pelo filme Room; Mark Rylance e Alicia Vikander conquistaram as atuações coadjuvantes por Bridge of Spies e The Danish Girl, respectivamente. A edição também marcou a presença lusófona em melhor filme de animação, com a indicação do brasileiro O Menino e o Mundo.

Índice

Indicados e vencedoresEditar

Os indicados ao Oscar 2016 foram anunciados em 14 de janeiro de 2016, às 5h30min no horário local, no Samuel Goldwyn Theater em Beverly Hills, pelos cineastas Guillermo del Toro e Ang Lee, a presidente da Academia Cheryl Boone Isaacs e pelo ator John Krasinski.[6] O filme The Revenant se sobrepôs com indicação em doze categorias; Max Max: Fury Road, em seguida, recebeu dez. O brasileiro O Menino e o Mundo repercutiu no mundo lusófono, indicado em melhor filme de animação.[7]

Os vencedores foram anunciados durante a cerimônia de premiação em 28 de fevereiro de 2016.[8] Com duas estatuetas, Spotlight foi o primeiro filme, desde The Greatest Show on Earth (1952), a vencer apenas duas categorias, incluindo a principal.[9] Alejandro González Iñárritu tornou-se o terceiro diretor a conquistar a categoria de direção por dois anos consecutivos. Em virtude da indicação pelo personagem Rocky Balboa, Sylvester Stallone foi a sexta pessoa a ser nomeada em anos diferentes — anteriormente em Rocky (1976) —, pelo mesmo papel.[10] Aos oitenta e sete anos, Ennio Morricone tornou-se a pessoa mais velha a receber o Oscar, superado dois anos depois pelo roteirista James Ivory.[11] Vencedor em Gravity e Birdman or (The Unexpected Virtue of Ignorance), Emmanuel Lubezki detém o título de única pessoa a conquistar o Oscar de melhor fotografia por três anos seguidos.[12]

PrêmiosEditar

  Indica o ganhador dentro de cada categoria.

  SpotlightMichael Sugar, Steve Golin, Nicole Rocklin e Blye Pagon Faust   Alejandro G. IñárrituThe Revenant
  Leonardo DiCaprioThe Revenant como Hugh Glass   Brie LarsonRoom como Joy "Ma" Newsome
  Mark RylanceBridge of Spies como Rudolf Abel   Alicia VikanderThe Danish Girl como Gerda Wegener
  SpotlightJosh Singer e Tom McCarthy   The Big ShortCharles Randolph e Adam McKay por adaptação baseada no livro The Big Short de Michael Lewis
  Inside OutPete Docter e Jonas Rivera   Saul fia (  Hungria)László Nemes
  AmyAsif Kapadia e James Gay-Rees   A Girl in the River: The Price of ForgivenessSharmeen Obaid-Chinoy
  StuttererBenjamin Cleary e Serena Armitage   Historia de un osoPato Escala Pierart e Gabriel Osorio Vargas
  The Hateful EightEnnio Morricone   "Writing's on the Wall" por SpectreJimmy Napes e Sam Smith
  Mad Max: Fury RoadMark Mangini e David White   Mad Max: Fury RoadChris Jenkins, Gregg Rudloff e Ben Osmo
  Mad Max: Fury RoadColin Gibson e Lisa Thompson   The RevenantEmmanuel Lubezki
  Mad Max: Fury RoadLesley Vanderwalt, Elka Wardega e Damian Martin   Mad Max: Fury RoadJenny Beavan
  Mad Max: Fury RoadMargaret Sixel   Ex MachinaMark Williams Ardington, Sara Bennett, Paul Norris e Andrew Whitehurst

Prêmios honoráriosEditar

  • Spike Lee — cineasta, educador, iconoclasta e artista;[13]
  • Gena Rowlands — "iluminou a experiência humana através de suas performances brilhantes, apaixonadas e destemidas".[13][14]

Prêmio Humanitário Jean HersholtEditar

  • Debbie Reynolds — "por suas contribuições de caridade e esforços incansáveis em prol da saúde mental como membro-fundadora do The Thalians".[15]

Filmes com mais prêmios e indicaçõesEditar

Filmes com múltiplas indicações[16]
Indicações Filme
12 The Revenant
10 Mad Max: Fury Road
7 The Martian
6 Bridge of Spies
Carol
Spotlight
5 Star Wars: The Force Awakens
The Big Short
4 Room
The Danish Girl
3 Brooklyn
Sicario
The Hateful Eight
2 Ex Machina
Inside Out
Steve Jobs

Filmes com múltiplas vitórias[17]
Vitórias Filme
6 Mad Max: Fury Road
3 The Revenant
2 Spotlight

Apresentadores e performancesEditar

As seguintes personalidades apresentaram categorias ou realizaram números individuais:[18][19][20]

Apresentadores (em ordem de aparição)Editar

Nome(s) Função
Ellen K Anunciou o início da cerimônia
Blunt, EmilyEmily Blunt
Theron, CharlizeCharlize Theron
Apresentaram a categoria de melhor roteiro original
Crowe, RussellRussell Crowe
Gosling, RyanRyan Gosling
Apresentaram a categoria de melhor roteiro adaptado
Silverman, SarahSarah Silverman Introduziu a performance de "Writing's on the Wall"
Cavill, HenryHenry Cavill
Washington, KerryKerry Washington
Apresentaram os segmentos dos filme The Martian e The Big Short
Simmons, J. K.J. K. Simmons Apresentou a categoria de melhor atriz coadjuvante
Blanchett, CateCate Blanchett Apresentou a categoria de melhor figurino
Carell, SteveSteve Carell
Fey, TinaTina Fey
Apresentou a categoria de melhor direção de arte
Leto, JaredJared Leto
Robbie, MargotMargot Robbie
Apresentaram a categoria de melhor maquiagem e penteados
Garner, JenniferJennifer Garner
del Toro, BenicioBenicio del Toro
Apresentaram os segmentos dos filmes The Revenant e Mad Max: Fury Road
B. Jordan, MichaelMichael B. Jordan
McAdams, RachelRachel McAdams
Apresentaram a categoria de melhor fotografia
Chopra, PriyankaPriyanka Chopra
Schreiber, LievLiev Schreiber
Apresentaram a categoria de melhor edição
Boseman, ChadwickChadwick Boseman
Evans, ChrisChris Evans
Apresentaram a categoria de melhor edição de som e melhor mixagem de som
Serkis, AndyAndy Serkis Apresentou a categoria de melhores efeitos visuais
Munn, OliviaOlivia Munn
Segel, JasonJason Segel
Apresentaram o segmento do Oscar Científico ou Técnico
Kevin, Stuart e Bob Apresentaram a categoria de melhor curta-metragem de animação
Woody, XerifeXerife Woody
Lightyear, BuzzBuzz Lightyear
Squeeze Toy Aliens
Apresentaram a categoria de melhor filme de animação
Hart, KevinKevin Hart Introduziu a performance de "Earned It"
Winslet, KateKate Winslet
Witherspoon, ReeseReese Witherspoon
Apresentaram os segmentos dos filmes Bridge of Spies e Spotlight
Arquette, PatriciaPatricia Arquette Apresentou a categoria de melhor ator coadjuvante
C.K., LouisLouis C.K. Apresentou a categoria de melhor documentário em curta-metragem
Patel, DevDev Patel
Ridley, DaisyDaisy Ridley
Apresentou a categoria de melhor documentário em longa-metragem
Goldberg, WhoopiWhoopi Goldberg Apresentou o segmento do Oscar Honorário e do Prêmio Humanitário Jean Hersholt
Isaacs, Cheryl BooneCheryl Boone Isaacs Apresentação especial sobre diversidade
Gossett Jr., LouisLouis Gossett Jr. Apresentou o tributo In Memoriam
Attah, AbrahamAbraham Attah
Tremblay, JacobJacob Tremblay
Apresentou a categoria de melhor curta-metragem
Byung-hun, LeeLee Byung-hun
Vergara, SofíaSofía Vergara
Apresentou a categoria de melhor filme estrangeiro
Biden, JoeJoe Biden Introduziu a performance de "Til It Happens to You"
Jones, QuincyQuincy Jones
Williams, PharrellPharrell Williams
Apresentou a categoria de melhor trilha sonora original
Common Common
Legend, JohnJohn Legend
Apresentou a categoria de melhor canção original
Cohen, Sacha BaronSacha Baron Cohen
Wilde, OliviaOlivia Wilde
Apresentaram os segmentos dos filmes Room e Brooklyn
Abrams, J. J.J. J. Abrams Apresentou a categoria de melhor diretor
Redmayne, EddieEddie Redmayne Apresentou a categoria de melhor atriz
Moore, JulianneJulianne Moore Apresentou a categoria de melhor ator
Freeman, MorganMorgan Freeman Apresentou a categoria de melhor filme

Performances (em ordem de aparição)Editar

Nome(s) Papel Performance
Wheeler, HaroldHarold Wheeler Arranjo musical Orquestra
Smith, SamSam Smith Performance "Writing's on the Wall" de Spectre
The Weeknd, The Weeknd Performance "Earned It" de Fifty Shades of Grey
Grohl, DaveDave Grohl Performance "Blackbird" durante o tributo In Memoriam
Lady Gaga, Lady Gaga Performance "Til It Happens to You" de The Hunting Ground

CerimôniaEditar

 
Chris Rock foi o anfitrião do Oscar 2016.

Devido à baixa audiência obtida pela cerimônia do Oscar 2015, os produtores Craig Zadan e Neil Meron que estavam três anos como produtores do Oscar, não retornaram aos cargos na 88.ª edição do prêmio.[21] Para seus lugares, foram contratados David Hill e Reginald Hudlin em setembro de 2015 pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas (AMPAS).[22] "Estamos muito satisfeitos por ter essa talentosa equipe a bordo", disse a presidente da Academia, Cheryl Boone Isaacs, em um comunicado de imprensa anunciando a decisão, "Hill é um verdadeiro inovador com personalidade dinâmica. Sua vasta experiência como produtor de eventos ao vivo, juntamente com sua energia, criatividade e o talento mútuo de Reginald como cineasta, certamente tornarão a transmissão deste ano inesquecível".[23][24][25][26] Pouco depois da edição anterior, o ator Neil Patrick Harris anunciou que não seria o anfitrião do Oscar pelo segundo ano. Em uma entrevista para o The Huffington Post, ele disse: "não sei se a minha família, nem a minha alma, poderiam aceitar. Foi divertido estar a frente da apresentação, mas o tempo gasto e o esforço para a organização do evento foi exaustiva... não sei se é uma boa ideia repetir a experiência consecutivamente".[27]

Com o desinteresse de Patrick Harris, em outubro de 2015, Hill e Hudlin selecionaram o ator e comediante Chris Rock para comandar a cerimônia.[28] Eles justificaram o retorno de Rock como apresentador pela segunda vez: "Chris Rock é verdadeiramente o MVP, [mais valioso jogador], da indústria do entretenimento. Comediante, ator, escritor, produtor, diretor, documentarista - ele fez tudo. Ele será um fantástico anfitrião do Oscar!"[5] O comandante do Oscar 2016, portanto, expressou grande apreço pela escolha dos produtores: "Estou muito feliz por apresentar a festa, é bom voltar". Inúmeras outras personalidades participaram da produção do evento em diversas áreas de organização.[29] A radialista Ellen K foi selecionada para a locução, papel realizado no momento do anúncio dos vencedores.[30] Byron Phillips e Harold Wheeler foram os responsáveis pela produção musical e direção musical, respectivamente. Pelo terceiro ano consecutivo, Derek McLane retornou à direção de arte do teatro onde a cerimônia ocorreu.[31] Fatima Robinson coreografou os números de dança nas performances individuais. Pela primeira vez, as estatuetas foram confeccionadas pela empresa Polich Tallix Fine Art Foundry, em Nova Iorque.[32]

Antes de introduzir a apresentação de Lady Gaga, indicada pela canção "Til It Happens to You", por The Hunting Ground, o vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, solicitou aos espectadores que participassem de um abaixo-assinado de apoio ao projeto It's On Us, que visava punir assédios sexuais no meio universitário.[33] A Academia tem mais de seis mil membros aptos para votarem nos filmes indicados e vencedores, para a edição de 2016 foram convidados mais 322 novos membros. Entre eles estão os atores Emma Stone e Benedict Cumberbatch, os diretores Ira Sachs, François Ozon, Fernando Trueba e os brasileiros João Moreira Salles, Adriano Goldman e Sergio Mendes.[34][35]

Bilheteria dos filmes indicadosEditar

Bilheteria Norte-Americana dos Indicados a Melhor Filme[36]
Filme Pré-indicação
(antes 14 jan.)
Pós-indicação
(14 jan. – 28 fev.)
Pós-premiação
(após 28 fev.)
Total
The Martian $226.6 milhões $1.8 milhões $53,548 $228.4 milhões
The Revenant $54.1 milhões $116.5 milhões $11.9 milhões $182.6 milhões
Mad Max: Fury Road $153.6 milhões $153.6 milhões
Bridge of Spies $70.8 milhões $1.4 milhões $49,549 $72.3 milhões
The Big Short $44.6 milhões $23.9 milhões $1.7 milhões $70.2 milhões
Spotlight $28.8 milhões $10.3 milhões $5.5 milhões $44.6 milhões
Brooklyn $22.8 milhões $13.7 milhões $1.6 milhões $38.1 milhões
Room $5.2 milhões $8.2 milhões $1.2 milhões $14.7 milhões

No dia do anúncio dos filmes indicados, em 14 de janeiro de 2016, o valor bruto somado pelas oito obras na categoria principal era, no território norte-americano, de US$ 607 milhões, média de US$ 75.8 milhões por filme.[37] Considerando essa data, The Martian assegurou a maior bilheteria entre os aparentes no Oscar 2016, totalizando US$ 226.6 milhões em recibos de mercado doméstico. Em seguida, aparecem Mad Max: Fury Road (US$153.6 milhões); Bridge of Spies (US$70.7 milhões); The Revenant (US$54.1 milhões); The Big Short (US$44.6 milhões); Spotlight (US$28.8 milhões); Brooklyn (US$22.7 milhões) e, finalmente, Room (US$5.1 milhões).[36]

Dos cinquenta filmes mais lucrativos do ano de 2015, onze obras indicadas à cerimônia aparecem na lista: Star Wars: The Force Awakens (1.º); Inside Out (4.º); The Martian (8.º); Cinderella (9.º); Spectre (10.º); The Revenant (15.º); Fifty Shades of Grey (17.º); Straight Outta Compton (18.º); Mad Max: Fury Road (21.º); Creed (29.º) e Bridge of Spies (42.º).[38]

#OscarsSoWhite e crítica à falta de diversidadeEditar

Novamente, a Academia recebeu críticas pela pouca diversidade entre os indicados. O site Hollywood Reporter apurou que apenas 24% dos indicados são do sexo feminino.[39][40] Entre os indicados nas categorias de melhor diretor, melhor ator, melhor ator coadjuvante, melhor atriz e melhor atriz coadjuvante nenhum deles é negro, assim como no ano anterior.[41] A ativista e advogada April Reign, creditada como a criadora da hashtag #OscarsSoWhite (#OscarParaBrancos), manifestou massivamente nas redes sociais a falta de pluralidade: "está pior que o ano passado! melhor documentário, melhor roteiro, Oscar apenas para brancos! Até Straight Outta Compton, [filme de elenco afro-americano], só obteve indicações caucasianas".[42] Como resultado, a Academia foi ridicularizada nas mídias e a hashtag se espalhou em diversos países.[43] Além disso, a atriz Jada Pinkett Smith e o diretor Spike Lee, principal nome do Prêmio Humanitário Jean Hersholt, anunciaram planos de boicotar a cerimônia e encorajou outras personalidades a não assistirem à edição.[44] O ator e modelo Tyrese Gibson e o rapper 50 Cent tentaram convencer Chris Rock a abandonar a apresentação.[45]

Em resposta às críticas, vários indivíduos, incluindo membros da AMPAS, expressaram suas opiniões quanto à falta de diversidade. Alguns defenderam a Academia dizendo que as nomeações são baseadas no desempenho e no mérito, e não na etnia. A atriz Penelope Ann Miller, votante do Oscar, comentou: "votei em artistas negros e lamento que eles não tenham sido indicados. Aferir que a falta de diversidade é porque todos nós somos racistas é extremamente ofensivo. Eu não quero ser agrupada nesta categoria porque certamente não sou; apoio e aproveito o talento dos negros na indústria cinematográfica. Foi apenas um ano incrivelmente competitivo".[46] Em uma entrevista para uma estação de rádio francesa, Charlotte Rampling, indicada a melhor atriz, disse que o plano de boicotar era uma espécie de "racismo contra brancos".[47] O produtor de cinema Gerald R. Molen também se posicionou: "Não há racismo, exceto por aqueles que problematizam. Esse é o pior tipo. Usando um recurso tão baixo de se queixar".[48]

A discussão tomou proporções ainda maiores durante a temporada de premiações, e diversas figuras do cinema corroboraram a falta de diversidade e apoiaram os esforços de mudança. Lupita Nyong'o escreveu: "estou desapontada com a falta de inclusão nas indicações da premiação deste ano, me fez pensar em preconceitos inconscientes e em méritos de prestígio em nossa cultura [...] demonstro apoio aos meus pares que pedem modificações nas histórias contadas e no reconhecimento das pessoas".[49] Em um post no Facebook, Reese Witherspoon expressou sua frustração com a falta de diversidade entre os indicados e acrescentou: "nada pode diminuir a qualidade do trabalho, mas esses cineastas merecem reconhecimento; como membro da Academia, adoraria ver uma cerimônia mais diversificada".[50] Durante uma entrevista, o então presidente dos Estados Unidos Barack Obama comentou sobre a controvérsia: "acredito que quando a história de todos é contada, a arte se torna melhor, o que faz com que todos se sintam parte de uma família americana. Dessa maneira, penso que, como um todo, a indústria cinematográfica deve fazer o que qualquer outra indústria deve fazer, procurar talentos e proporcionar oportunidades a todos".[51]

Uma semana após o anúncio das indicações, a Academia anunciou várias mudanças de regras em relação à adesão, na expectativa de aumentar o número de mulheres e minorias até 2020. A partir de 2016, os novos membros também ganhariam privilégio de voto nos seguintes dez anos; após esse período, poderiam manter a supremacia na votação se mantivessem ativos no setor cinematográfico.[52] A presidente Boone Isaacs afirmou que "a Academia vai recuperar as diversas figuras do meio, e as novas medidas terão um impacto imediato e começarão o processo de mudança significativa da composição da nossa associação".[53] As novas ações também ocasionaram a remoção dos direitos de membros ausentes na indústria, como o ator Bill Mumy e a roteirista Patricia Resnick.[54][55]

Na manhã da cerimônia, em 28 de fevereiro de 2016, a National Action Network, liderada pelo ativista de direitos civis Al Sharpton, protestou a poucas quadras do teatro Dolby, em favor da diversidade. "Vocês estão fora do tempo [...] Esta será a última noite do Oscar branco", disse Sharpton.[56] Além disso, os cineastas afro-americanos Ryan Coogler e Ava DuVernay realizaram um evento de caridade abordando a crise hídrica, no mesmo horário da festa de gala, em Flint, chamado #JusticeForFlint (#JustiçaPorFlint).[57] Apesar de os organizadores negarem que o evento estava sendo realizado como afronta, quase simultaneamente com o Oscar, muitos o viram como uma alternativa para não assistir à cerimônia.[58]

Piada sobre contadores asiáticosEditar

Durante a cerimônia, Chris Rock colocou no palco três crianças de origem asiática que se apresentaram como contadores da PricewaterhouseCoopers (PwC): "eles nos enviaram seus representantes mais dedicados e precisos... sejam bem-vindos Ming Zhu, Bao Ling e David Moskowitz". Em seguida, acrescentou "se alguém se ofendeu com essa piada, por favor, tweet sua indignação em seu celular, que também foi feito por essas crianças".[59] Em resposta a esse segmento, Judy Chu, integrante da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, expressou sua insatisfação com Rock, a rede ABC e a Academia: "não é justo protestar contra a exclusão de um grupo fazendo piadas à custa de outro. Estou tão decepcionada que a Academia e o ABC dependem de caracterizações ofensivas para se promover, especialmente devido à controvérsia sobre a falta de diversidade".[60] A atriz Constance Wu comentou nas redes sociais que "expor crianças pequenas no palco simplesmente para serem alvo de uma piada racista é redutor e de mal gosto".[61] Além disso, vinte e cinco membros da AMPAS de descendência asiática, incluindo Nancy Kwan, Sandra Oh, George Takei e o cineasta Ang Lee, escreveram uma carta denunciando o comentário do anfitrião: "à luz das críticas sobre #OscarsSoWhite, esperávamos que a transmissão proporcionasse à Academia um caminho harmonioso e a chance de apresentar um espetacular exemplo de inclusão e diversão. Em vez disso, a cerimônia foi marcada por uma abordagem xenofóbica do retrato dos asiáticos".[62][63]

Em uma entrevista por telefone para a Associated Press, a presidente Boone Isaacs se desculpou em nome da Academia: "consigo entender a insatisfação e estamos organizando uma reunião para discutir o assunto, porque, como todos sabem, ninguém se propõe a ser ofensivo, e lamento muito o que aconteceu. Acredito que tudo pode ser resolvido com diálogo. E é isso que continuaremos a fazer: dialogar, ouvir e continuar a consertar".[64]

Presença lusófonaEditar

A única produção de um país lusófono que conseguiu uma indicação ao Oscar 2016 foi o brasileiro O Menino e o Mundo, na categoria de melhor animação.[65] Os diálogos de O Menino e o Mundo foram gravados em português, porém as gravações foram invertidas, de forma a tornar as falas incompreensíveis.[66] Além disso, o Ministério da Cultura do Brasil submeteu o filme Que Horas Ela Volta? para a apreciação da Academia ao prêmio de melhor filme estrangeiro, enquanto a Secretaria de Estado da Cultura de Portugal submeteu As Mil e Uma Noites, Volume 2: O Desolado. Quando foram anunciados os nove filmes pré-indicados ao prêmio de melhor filme estrangeiro em 18 de dezembro de 2015, nenhum dos dois filmes estavam entre os selecionados.[67] No entanto, o filme colombiano El abrazo de la serpiente que contém cenas dialogadas em português,[68] conseguiu ficar entre os cinco finalistas a melhor filme estrangeiro.[69]

Avaliação em retrospecto e audiênciaEditar

A cerimônia recebeu críticas diversas por meio da crítica televisiva. Alguns meios de comunicação avaliaram positivamente a transmissão comandada por Rock. A jornalista Mary McNamara, do Los Angeles Times, escreveu: "a apresentação marcou alguns dos momentos mais poderosos já vistos na história da transmissão" e concluiu "depois de anos de dissidência por sua irrelevância, o evento deste ano se posicionou; os resultados foram diversos e o anfitrião levantou questões em seu habitual equilíbrio de indignação e humanidade".[70] O colunista James Poniewozik, do The New York Times, comentou que "com Chris Rock, a Academia encontrou um sortudo anfitrião e opinador". Além disso, afirmou que "seu desempenho foi um exemplo de algo que a indústria ainda está tentando aprender: você pode alcançar a inclusão e o entretenimento, dando à pessoa certa a oportunidade certa".[71] Joanne Ostrow avaliou no The Denver Post: "Rock cutucou pontos frágeis e provocou como ninguém antes havia feito".[72]

Por outro lado, outros críticos avaliaram negativamente a festa de gala. Daniel Feinberg, colunista do The Hollywood Reporter, comentou que "Chris Rock liderou uma transmissão obrigada a se posicionar, mas ainda parecia perdido [...] foi uma falha total".[73] Frazier Moore, membro da Associated Press, disse que "quando Rock não estava em cena, o vazio prevaleceu" e acrescentou: "a tentativa de diminuir a duração dos agradecimentos com a inserção de um texto na parte inferior da tela foi horrível. Se os espectadores quiserem assistir a uma transmissão com textos irritantes a toda hora, que um canal de notícias a cabo".[74] Orlando Sentinel publicou um editorial que ressaltou: "nenhum anfitrião, por mais talentoso que seja, consegue transformar um formato enquadrado em um evento cintilante".[75]

Em seu país de origem, a transmissão da ABC atraiu uma média de 34.42 milhões de telespectadores no decorrer do evento, índice 4% menor que a audiência do Oscar 2015. Estima-se que 58 milhões de pessoas assistiram parcial ou integralmente à cerimônia.[76] Pelo Nielsen Ratings, também obteve números inferiores à edição anterior, total de 19,4 pontos. Além disso, apenas entre os espectadores de 18 a 49 anos, contabilizou 10,5 pontos. Foi a audiência mais baixa do Oscar desde a edição de 2008.[77] Em julho de 2016, a transmissão foi indicada em nove categorias do Emmy Award, mas não conquistou nenhuma.[78]

No Brasil, a cobertura foi realizada pela TNT e pela Rede Globo com tradução simultânea para o português, às 22h no horário de Brasília. Na rede fechada, Rubens Ewald Filho, Domingas Gerson e Karol Ribeiro conduziram a transmissão; na rede aberta, Maria Beltrão apresentou ao lado dos comentários de Glória Pires e Artur Xexéo.[79] Cerca de 3,26 milhões de tweets citaram a cerimônia, em território nacional, das 18h30min de domingo às 5h do dia seguinte. Um dos fatos mais repercutidos foi a participação de Glória Pires na transmissão da Rede Globo, que, segundo Zean Bravo, d'O Globo, "foram inúmeros os memes e comentários sobre a performance da atriz durante e depois da premiação. Uma das brincadeiras que viralizaram nas redes sociais usava uma imagem de Gloria desanimada com a frase "Não sou capaz de opinar" - dita por ela quando Beltrão perguntou sobre as chances de Gaga levar o prêmio na categoria de melhor canção original".[80]

In MemoriamEditar

O segmento anual In Memoriam homenageando profissionais do cinema que faleceram em 2015 foi introduzido por Louis Gossett, Jr..[81] Durante o tributo, Dave Grohl cantou a canção "Blackbird" dos Beatles.[82][83][84]

Profissionais notáveis que não foram incluídos destacam-se atores como Tony Burton, George Gaynes, Geoffrey Lewis e Abe Vigoda, e realizadores como Gene Saks, Manoel de Oliveira e Jacques Rivette.[85][86][87][88]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Ryan, Parker (21 de outubro de 2015). «It's Official: Chris Rock to Host Oscars». Prometheus Global Media. Consultado em 21 de outubro de 2015 
  2. Pete, Hammond (1 de setembro de 2015). «Oscars: David Hill & Reginald Hudlin To Produce 88th Academy Awards». Penske Media Corporation. Deadline.com. Consultado em 1 de setembro de 2015 
  3. «Oscars: Academy Announces Show Dates For Next Three Years, Dates For 2015-16 Season». Consultado em 11 de Junho de 2015 
  4. «Chris Rock vai apresentar o Oscar 2016; será segunda vez do ator». G1. Consultado em 25 de Outubro de 2015 
  5. a b Moraski, Lauren (21 de outubro de 2015). «Chris Rock will host the 2016 Oscars». CBS News. Consultado em 7 de fevereiro de 2016. Cópia arquivada em 17 de janeiro de 2016 
  6. Coggan, Devan (13 de janeiro de 2016). «John Krasinski, Guillermo del Toro, Ang Lee to announce Oscar nominations». Entertainment Weekly. Consultado em 11 de janeiro de 2016. Cópia arquivada em 13 de janeiro de 2016 
  7. Rottenberg, Josh (14 de janeiro de 2016). «Oscars 2016: 'The Revenant' and 'Mad Max: Fury Road' lead the pack in Oscar nominations». Orlando Sentinel. Consultado em 16 de junho de 2016. Cópia arquivada em 18 de agosto de 2016 
  8. Phillips, Michael (28 de fevereiro de 2016). «'Spotlight' takes best picture, DiCaprio wins first Oscar». Chicago Tribune. Consultado em 14 de julho de 2016. Cópia arquivada em 11 de julho de 2016 
  9. Clarke, Donald (28 de fevereiro de 2016). «'Spotlight' Wins Oscar For Best Picture; Pope Challenged By Producer From Stage». Deadline.com. Consultado em 29 de fevereiro de 2016. Cópia arquivada em 1 de março de 2016 
  10. King, Susan (14 de janeiro de 2016). «Oscars 2016: Sylvester Stallone is thrilled to be back in Oscar ring after 39 years». Los Angeles Times. Consultado em 24 de março de 2016. Cópia arquivada em 1 de abril de 2016 
  11. Ng, David (28 de fevereiro de 2016). «Oscar win at 87 may make Ennio Morricone the oldest winner ever». Los Angeles Times. Consultado em 2 de março de 2016. Cópia arquivada em 2 de março de 2016 
  12. Giardina, Carolyn; Szalai, George (28 de fevereiro de 2016). «Oscars: Emmanuel Lubezki Becomes First Cinematographer to Win Three Consecutive Academy Awards». The Hollywood Reporter. Consultado em 2 de março de 2016. Cópia arquivada em 2 de março de 2016 
  13. a b «Academy Awards Acceptance Speech Databases: 2015 (88th) Academy Awards». Academy of Motion Picture Arts and Sciences. Consultado em 2 de março de 2016. Cópia arquivada em 29 de junho de 2016 
  14. Bruno Carmelo (27 de agosto de 2015). «Gena Rowlands, Debbie Reynolds e Spike Lee vão receber prêmios da Academia do Oscar». AdoroCinema. Consultado em 9 de Setembro de 2015 
  15. «Spike Lee, Debbie Reynolds And Gena Rowlands To Receive Academy's 2015 Governors Awards». Academy of Motion Picture Arts and Sciences (AMPAS). 27 de agosto de 2015. Consultado em 1 de setembro de 2015. Cópia arquivada em 31 de agosto de 2015 
  16. Hipes, Patrick (14 de janeiro de 2016). «Oscar Nominations: Noms By The Numbers». Deadline.com. Consultado em 24 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 5 de setembro de 2016 
  17. Grobar, Matthew (28 de fevereiro de 2016). «Oscar Winners By Film & Studio – Chart». Deadline.com. Consultado em 24 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 27 de setembro de 2016 
  18. McDonnell, Brandy (28 de fevereiro de 2016). «Transcript: BAM's Live Blog during the 2016 Academy Awards show». The Oklahoman. Consultado em 12 de junho de 2016. Cópia arquivada em 4 de março de 2016 
  19. Boedeker, Hal (28 de fevereiro de 2016). «Oscars: Chris Rock kills it». Orlando Sentinel. Consultado em 31 de julho de 2016. Cópia arquivada em 18 de fevereiro de 2016 
  20. Burlingame, Jon (29 de fevereiro de 2016). «Morricone Wins Oscar Music Gold At Last». The Film Music Society. Consultado em 20 de maio de 2016. Cópia arquivada em 6 de junho de 2016 
  21. Hammond, Pete (25 de março de 2016). «Oscars: Craig Zadan & Neil Meron Not Returning In 2016; Academy Starts New Producer Search». Deadline. Consultado em 29 de julho de 2016. Cópia arquivada em 27 de julho de 2016 
  22. Whipp, Glenn (1 de dezembro de 2015). «And the Oscar producer job goes to ... David Hill and Reginald Hudlin». Los Angeles Times. Consultado em 29 de julho de 2016. Cópia arquivada em 26 de junho de 2016 
  23. Francisco Russo (2 de setembro de 2015). «Oscar 2016 pode ter dois apresentadores». AdoroCinema. Consultado em 12 de setembro de 2015 
  24. Kilday, Gregg (1 de setembro de 2015). «Oscars: David Hill and Reginald Hudlin to Produce». The Hollywood Reporter. Consultado em 29 de julho de 2016. Cópia arquivada em 29 de agosto de 2016 
  25. «Saiba quando vai acontecer o Oscar 2016, 2017 e 2018». CinePOP. Consultado em 11 de junho de 2015 
  26. «Após baixa audiência, produtores deixam o Oscar 2016». CinePOP. Consultado em 7 de julho de 2015 
  27. Schulz, Lisa (5 de março de 2015). «Neil Patrick Harris Doubts He'll Host the Oscars Again». Variety. Consultado em 2 de setembro de 2015. Cópia arquivada em 4 de setembro de 2015 
  28. Yahr, Emily (21 de outubro de 2015). «Chris Rock will host 2016 Oscars». The Washington Post. Consultado em 12 de junho de 2016. Cópia arquivada em 7 de novembro de 2016 
  29. «Chris Rock - Your 2016 Oscars Host!». Academy of Motion Picture Arts and Sciences. 21 de outubro de 2015. Consultado em 30 de novembro de 2015. Cópia arquivada em 30 de novembro de 2015 
  30. Caulfield, Keith (7 de outubro de 2015). «Ellen K Exits 'On Air With Ryan Seacrest' for Her Own KOST L.A. Show». Billboard. Consultado em 16 de junho de 2016. Cópia arquivada em 11 de junho de 2016 
  31. Otterson, Joe (19 de fevereiro de 2016). «Oscars Name Director, Production Team for Telecast». TheWrap. Consultado em 14 de julho de 2016. Cópia arquivada em 3 de julho de 2016 
  32. Kilday, Greg (16 de fevereiro de 2016). «Oscar Statuette Gets a Face-Lift». The Hollywood Reporter. Cópia arquivada em 5 de maio de 2016 
  33. Mallin, Alexander (28 de fevereiro de 2016). «Vice President Biden Calls on Oscars Audience to Sign Anti-Sexual Assault Pledge». ABC News. Consultado em 10 de maio de 2016. Cópia arquivada em 4 de maio de 2016 
  34. «João Moreira Salles, Adriano Goldman e Sergio Mendes são convidados a votar no Oscar». O Globo. Consultado em 6 de julho de 2015 
  35. «Três brasileiros são convidados a votar no Oscar 2016». Consultado em 6 de julho de 2015 
  36. a b «2015 Academy Award Nominations and Winner for Best Picture». Box Office Mojo. Consultado em 12 de junho de 2016. Cópia arquivada em 22 de agosto de 2016 
  37. «2015 Academy Award Nominations and Winner for Best Picture». Box Office Mojo. Consultado em 12 de junho de 2016. Cópia arquivada em 12 de junho de 2016 
  38. «2015 Domestic Grosses (as of January 13, 2016)». Box Office Mojo. Consultado em 14 de julho de 2016. Cópia arquivada em 17 de setembro de 2016 
  39. «Oscar 2016: Lista de indicados tem apenas 24% de mulheres». AdoroCinema. 16 de janeiro de 2016. Consultado em 17 de janeiro de 2016 
  40. Keegan, Rebecca; Zeitchik, Steven (14 de janeiro de 2016). «Oscars 2016: Here's why the nominees are so white -- again». Los Angeles Times. Consultado em 12 de junho de 2016. Cópia arquivada em 12 de junho de 2016 
  41. «Oscar 2016: atores negros estão ausentes pelo 2º ano seguido». G1. 15 de janeiro de 2016. Consultado em 17 de Janeiro de 2016 
  42. Griggs, Brandon (14 de janeiro de 2016). «Once again, #OscarsSoWhite». CNN. Consultado em 31 de julho de 2016. Cópia arquivada em 31 de julho de 2016 
  43. Vincent, Alice (14 de janeiro de 2016). «#OscarsSoWhite, again: the best tweets on the Oscars' whitest year yet». The Daily Telegraph. Consultado em 12 de junho de 2016. Cópia arquivada em 13 de julho de 2016 
  44. «Spike Lee, Jada Pinkett Smith Call for Oscar Boycott». Variety. 18 de janeiro de 2016. Consultado em 30 de julho de 2016. Cópia arquivada em 30 de julho de 2016 
  45. Konerman, Jennifer (20 de janeiro de 2016). «50 Cent, Tyrese Gibson Call for Chris Rock to Step Down as Oscars Host». The Hollywood Reporter. Consultado em 31 de julho de 2016. Cópia arquivada em 30 de julho de 2016 
  46. Feinberg, Scott (20 de janeiro de 2016). «Academy Members Defend Their Oscar Votes: "To Imply We Are Racists Is Extremely Offensive"». The Hollywood Reporter. Consultado em 29 de janeiro de 2015. Cópia arquivada em 20 de janeiro de 2016 
  47. Donadio, Rachel (22 de janeiro de 2016). «Charlotte Rampling Says Oscars 'Boycott' Is 'Racist Against Whites'». The New York Times. Consultado em 26 de julho de 2016. Cópia arquivada em 8 de julho de 2016 
  48. Bond, Paul (22 de janeiro de 2016). «Oscar-Winning Producer Denounces "Spoiled Brats" Crying "Racism"». The Hollywood Reporter. Consultado em 15 de abril de 2016. Cópia arquivada em 6 de abril de 2016 
  49. Khatchahtourian, Maana (20 de janeiro de 2016). «Lupita Nyong'o 'Disappointed' With Lack of Oscar Diversity, Calls for Change». Variety. Consultado em 25 de maio de 2016. Cópia arquivada em 29 de maio de 2016 
  50. Falcone, Dana Rose (22 de janeiro de 2016). «Reese Witherspoon would 'love to see a more diverse' Academy voting membership». Entertainment Weekly. Consultado em 22 de maio de 2016. Cópia arquivada em 3 de junho de 2016 
  51. Rosen, Christopher (28 de janeiro de 2016). «Barack Obama weighs in on Oscars diversity issue». Entertainment Weekly. Consultado em 21 de julho de 2016. Cópia arquivada em 11 de maio de 2016 
  52. Huggins, Sarah (27 de janeiro de 2016). «The Academy Introduces Plan to Improve Oscar Diversity». Academy of Motion Picture Arts and Sciences (AMPAS). Consultado em 28 de janeiro de 2016. Cópia arquivada em 26 de janeiro de 2016 
  53. «Academy Takes Historic Action To Increase Diversity». Academy of Motion Picture Arts and Sciences (AMPAS). 22 de janeiro de 2016. Consultado em 22 de janeiro de 2016. Cópia arquivada em 23 de janeiro de 2016 
  54. Gray, Tim (14 de janeiro de 2016). «Academy Overhauls Membership, Voting Rules to Promote Oscar Diversity». Variety. Consultado em 22 de janeiro de 2016. Cópia arquivada em 22 de janeiro de 2016 
  55. «Gay Female Oscar Voter to Academy: Don't Kick Me out "to Help You Deal With a Publicity Nightmare». The Hollywood Reporter. 28 de janeiro de 2016 
  56. Johnson, Ted (28 de fevereiro de 2016). «Al Sharpton at Diversity Protest: 'This Will Be the Last Night of an All-White Oscars'». Variety. Consultado em 20 de maio de 2016. Cópia arquivada em 25 de maio de 2016 
  57. McNary, Dave (23 de fevereiro de 2016). «Ava DuVernay, Ryan Coogler to Headline Flint Benefit on Oscars Night». Variety. Consultado em 22 de maio de 2016. Cópia arquivada em 12 de maio de 2016 
  58. Smith, Nigel M. (23 de fevereiro de 2016). «Ava DuVernay and Ryan Coogler to attend Flint benefit instead of Oscars». The Guardian. Consultado em 28 de maio de 2016. Cópia arquivada em 20 de maio de 2016 
  59. Roberts, Randall (29 de fevereiro de 2016). «Chris Rock's Oscars joke about Asian American accountants stirs outrage». Los Angeles Times. Consultado em 29 de julho de 2016. Cópia arquivada em 1 de agosto de 2016 
  60. Chu, Judy. «Rep. Chu Condemns Anti-Asian Racist Joke at the Oscars». U.S. House of Representatives. Consultado em 29 de julho de 2016. Cópia arquivada em 19 de janeiro de 2016 
  61. Ryzik, Melina (29 de fevereiro de 2016). «Chris Rock's Asian Joke at Oscars Provokes Backlash». The New York Times. Consultado em 27 de janeiro de 2016. Cópia arquivada em 20 de abril de 2016 
  62. «Ang Lee e asiáticos da Academia protestam contra piadas do Oscar». UOL. Folha de S. Paulo. 16 de março de 2016. Consultado em 2 de março de 2018 
  63. Feinberg, Scott (15 de março de 2016). «Ang Lee, George Takei Among 25 Academy Members Protesting Oscars' Asian Jokes». The Hollywood Reporter. Consultado em 29 de julho de 2016. Cópia arquivada em 24 de junho de 2016 
  64. Deerwester, Jayme (16 de março de 2016). «Academy apologizes for Asian joke at Oscars, announces new leadership roles». USA Today. Consultado em 29 de julho de 2016. Cópia arquivada em 23 de julho de 2016 
  65. «Brasil é indicado ao Oscar de melhor animação com 'O menino e o mundo'». G1. 14 de janeiro de 2016. Consultado em 14 de janeiro de 2016 
  66. O Menino e o Mundo - Crítica. Ccine10
  67. «Portugal e Brasil fora da corrida para o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro». 18 de dezembro de 2015. Consultado em 14 de Janeiro de 2016 
  68. «Filme "El abrazo de la serpiente" confirma estreno en Colombia». El Espectador. 1 de abril de 2015. Consultado em 14 de Janeiro de 2016 
  69. «Filme colombiano "El abrazo de la serpiente" é indicado ao Oscar». Terra. Consultado em 14 de Janeiro de 2016 
  70. McNamara, Mary (28 de fevereiro de 2016). «Chris Rock's hot mess of an Oscars show: powerful, confounding, possibly revolutionary». Los Angeles Times. Consultado em 1 de março de 2016. Cópia arquivada em 29 de fevereiro de 2016 
  71. Poniewozik, James (28 de fevereiro de 2016). «Review: With Chris Rock, the Oscars Find a Lucky Pairing of Host and Subject». The New York Times. Consultado em 1 de março de 2016. Cópia arquivada em 1 de março de 2016 
  72. Ostrow, Joanne (28 de fevereiro de 2016). «Chris Rock nails Oscars 2016 focus on race». The Denver Post. Consultado em 29 de julho de 2016. Cópia arquivada em 17 de agosto de 2016 
  73. Fienberg, Daniel (28 de fevereiro de 2016). «The 88th Annual Academy Awards: TV Review». The Hollywood Reporter. Consultado em 1 de março de 2016. Cópia arquivada em 1 de março de 2016 
  74. Moore, Frazier (1 de março de 2016). «Review: Rock rocks with Oscars monologue; show's a snooze». Times-Standard. Consultado em 28 de fevereiro de 2016. Cópia arquivada em 25 de agosto de 2016 
  75. Boederk, Hal (29 de fevereiro de 2016). «Oscars: Cutting Rock, boring show». Orlando Sentinel. Consultado em 29 de julho de 2016. Cópia arquivada em 28 de fevereiro de 2016 
  76. «Oscars witnesses lowest audience since 2008». Yahoo!. 1 de março de 2016. Consultado em 20 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 27 de setembro de 2016 
  77. «Academy Awards ratings» (PDF). Television Bureau of Advertising. Consultado em 27 de junho de 2013. Cópia arquivada (PDF) em 8 de agosto de 2016 
  78. «Creative Arts Emmys: 'Murderer' & 'Grease Live' Lead The Field On Night 2». Deadline.com. 11 de setembro de 2016. Consultado em 12 de setembro de 2016 
  79. Castro, Natália (28 de fevereiro de 2016). «Saiba onde ver 'E o Oscar vai para...' na TV». O Globo. Consultado em 2 de março de 2018 
  80. Bravo, Zean (1 de março de 2016). «Tarefa inglória». O Globo. Consultado em 2 de março de 2018 
  81. «OSCARS 2016: IN MEMORIAM». Steve Dove (em inglês). The Academy. 28 de fevereiro de 2016. Consultado em 1 de março de 2016 
  82. Couch, Aaron (28 de fevereiro de 2016). «Oscars 2016 Honor Stars We Lost in In Memoriam Segment». People (em inglês). Consultado em 1 de março de 2016 
  83. «Full list: Oscars 2016 In Memoriam» (em inglês). PIX11. 28 de fevereiro de 2016. Consultado em 1 de março de 2016 
  84. Robinson, Will (28 de fevereiro de 2016). «Oscars 2016: In Memoriam montage excludes Abe Vigoda». Entertainment Weekly (em inglês). Consultado em 1 de março de 2016 
  85. «Oscars In Memoriam Snubs Incude Abe Vigoda, Tony Burton, Uggie the Dog (Video)». thewrap.com (em inglês). 28 de fevereiro de 2016. Consultado em 1 de março de 2016 
  86. «Oscars 2016 'In Memoriam' Snubs Include Abe Vigoda, Geoffrey Lewis, Tony Burton and More». USA Magazine (em inglês). 28 de fevereiro de 2016. Consultado em 1 de março de 2016 
  87. «Oscars 'In Memoriam' Tribute Snubs Abe Vigoda, Other Stars». Huffington Post (em inglês). 28 de fevereiro de 2016. Consultado em 1 de março de 2016 
  88. «Where's Abe Vigoda? Late Actor Among Stars Snubbed From the Oscars 2016 In Memoriam TV Tribute». E! Online (em inglês). 28 de fevereiro de 2016. Consultado em 1 de março de 2016 

Ligações externasEditar