Copa América de 2021

47ª edição da Copa América, que ocorre no Brasil

A Copa América de 2021, oficialmente CONMEBOL Copa América 2021, foi a 47.ª edição da Copa América, o principal torneio de futebol masculino entre seleções da América do Sul. Foi organizada pela Confederação Sul-Americana de Futebol (CONMEBOL). Contou com a participação de todas as dez seleções sul-americanas afiliadas à CONMEBOL.

XLVII Copa América
Brasil 2021
Logotipo oficial da competição.
Dados
Participantes 10
Organização CONMEBOL
Anfitrião Brasil[a]
Período 13 de junho – 10 de julho
Gol(o)s 64
Partidas 27
Média 2,37 gol(o)s por partida
Campeão Argentina (15º título)
Vice-campeão Brasil
3.º colocado Colômbia
4.º colocado Peru
Melhor marcador 4 gols:
Melhor ataque (fase inicial) Brasil – 10 gols
Melhor defesa (fase inicial) 2 gols:
Maior goleada
(diferença)
Brasil 4–0 Peru
Estádio Nilton SantosRio de Janeiro
17 de junho de 2021, fase de grupos, 2ª rodada
Premiações
Melhor jogador
Argentina Lionel Messi
Melhor goleiro Argentina Emiliano Martínez
Fair play Brasil
◄◄ Brasil 2019 Soccerball.svg 2024 Flag of None.svg ►►

Originalmente, ela seria disputada em junho e julho de 2020, porém com o avanço da pandemia de COVID-19 a edição foi remarcada para 2021. No dia 20 de maio de 2021, a Colômbia, que iria sediar junto a Argentina a competição, abdicou a vaga devido a protestos contra o presidente colombiano Iván Duque Márquez, e em seguida, no dia 30 de maio, a Argentina também renunciou ao evento por conta do regime geral de quarentena no país.[1] Por conta disso, a CONMEBOL anunciou que o Brasil seria sede do evento, por já ter sediado a edição anterior e possuir uma melhor infraestrutura para abrigar a competição.[2] Essa também foi a primeira vez na história da competição que o país recebe duas edições consecutivas do torneio.

A competição foi vencida pela Argentina, que disputou a partida final contra o Brasil, no Estádio do Maracanã, alcançando seu décimo quinto título na competição. A Argentina teve o seu primeiro título continental desde a última vez que venceu o torneio em 1993. Também foi a primeira vez na história do evento que a seleção brasileira é derrotada em casa numa decisão.[3][4] As seleções da Colômbia e do Peru conquistaram o terceiro e quarto lugar, respectivamente, após definição na partida realizada em Brasília.[5]

A partir desta edição, a Copa América passou a ser realizada em anos pares, concomitantemente com o Campeonato Europeu de Futebol, como forma de auxiliar os clubes na liberação dos jogadores e remodelando o calendário de competições anuais da FIFA e UEFA.

ContextoEditar

Em março de 2017, a CONMEBOL propôs que a Copa América ocorresse em 2020 como parte de uma mudança no calendário.[6] Após a edição de 2019 no Brasil, o torneio quadrienal passaria dos anos ímpares para os pares a partir de 2020, com a seguinte edição ocorrendo no Equador em 2024. Isso colocaria as datas do torneio de acordo com a Eurocopa, que também ocorre em anos pares.[7] Especulações sugeriram que os Estados Unidos poderiam sediar o torneio, tendo anteriormente sediado a Copa América Centenário em 2016, que comemorou o centenário da CONMEBOL e da Copa América.[8] Em 18 de setembro de 2018, os planos de mudança de calendário foram confirmados pelo presidente da CONMEBOL Alejandro Domínguez, depois de apresentar um pedido oficial à FIFA.[9]

No dia 26 de outubro de 2018, durante reunião do Conselho da FIFA em Kigali, Ruanda, o pedido foi aprovado para que a Copa América fosse realizada em anos pares, começando com a edição de 2020.[10] O torneio decorreria entre 12 de junho e 12 de julho de 2020, as mesmas datas do Campeonato Europeu de Futebol de 2020.[11]

Em 13 de março de 2019, a CONMEBOL anunciou a Argentina e a Colômbia como anfitriões da edição de 2020, depois que a proposta dos Estados Unidos foi rejeitada, juntamente com as propostas da Austrália, China, Rússia e Catar.[12] Foi oficialmente anunciado em 9 de abril de 2019 no congresso da CONMEBOL no Rio de Janeiro, assim como a forma de disputa.[13]

Em 4 de junho foi revelado que a Austrália seria a outra seleção convidada a participar dessa edição do torneio, junto com o Catar, que estava confirmado desde abril.[14] Em 15 de março de 2021 a Conmebol divulgou uma nova tabela da competição, reformulada após a desistência da Austrália e Catar por causa da Covid-19.[15]

AdiamentoEditar

Em março de 2020, a pandemia de COVID-19 na América começou a impactar o futebol. A Federação Internacional de Futebol (FIFA) anunciou que as duas primeiras rodadas das eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2022, que deveriam ocorrer em março, foram adiadas, enquanto a CONMEBOL suspendeu temporariamente a Copa Libertadores.[16][17] Em 17 de março de 2020, a CONMEBOL anunciou que a Copa América seria adiada para o ano seguinte, passando a ocorrer de 12 de junho a 12 de julho de 2021, com o objetivo de proteger a saúde e segurança das equipes, mídia, visitantes e cidades-sede.[18] No dia seguinte, o Conselho da FIFA aprovou a mudança de data no Calendário de Jogos Internacionais da entidade. Com isso, o novo formato da Copa do Mundo de Clubes da FIFA, que deveria ocorrer em junho e julho de 2021, será adiada.[19]

Desistência da Colômbia e ArgentinaEditar

Em 22 de abril de 2021, durante a exibição do programa Blog Desportivo da BluRadio de Bogotá na Colômbia, a Argentina estava cogitando desistir de sediar a Copa América de 2021 por conta da segunda onda da Pandemia de COVID-19, gerando preocupações do Governo Argentino. Se caso houvesse a desistência da Argentina, a Colômbia passaria a ser sede única, com a inclusão das cidades de Ibagué, Palmira, Manizales e Armênia.[20]

No dia 28 de abril de 2021, a Colômbia viveu o início de uma onda de manifestações contra a reforma tributária, com números maiores na capital Bogotá e em Cali, ambas cidades sedes da Copa América e a última sendo sede da primeira edição dos Jogos Pan-Americanos Juniores que acontecerão em novembro.[21] A tensão cresceu com o uso da força policial no segundo dia de protestos no dia 29, com várias greves sendo realizadas de diversos setores como caminhoneiros e taxistas. No dia 3 de maio, o presidente Ivan Duque anunciou a revogação do processo de reforma tributária após o crescimento do movimento de oposição, já que a medida afetaria as classes médias e baixas. Além disso, passaram a circular nas redes sociais, vídeos de repressão policial, trazendo preocupação para as entidades como a União Europeia e a ONU, que emitiram notas oficiais no dia 4 de maio. O governo colombiano nega que tenha usado o exército para reprimir os manifestantes.[22]

Os protestos também afetaram em cheio os jogos da Copa Libertadores da América, sobretudo a partida entre Atlético Nacional (Colômbia) e Nacional (Uruguai) em Pereira, que aconteceu com atraso no dia 12 de maio, após os manifestantes bloquearem o hotel onde estavam hospedados a equipe técnica e os jogadores do time uruguaio, além do bloqueio das pistas da cidade pedindo o cancelamento de todos os jogos da Libertadores e da Copa América na Colômbia. A partida aconteceu por volta da meia noite do dia 13, terminando em empate de zero a zero.[22] No mesmo dia, uma partida entre Atlético Mineiro e América de Cali precisou ser interrompida por cinco vezes devido ao fato dos jogadores sentirem o gás lacrimogêneo de uma manifestação que ocorria em frente ao Estádio Romelio Martínez em Barranquilla. O jogo terminou com a vitória do time brasileiro.[23]

Em 13 de maio, apesar do pior momento da Pandemia de COVID-19 na Argentina e pela Crise Social na Colômbia, a CONMEBOL anunciou que iria bancar a realização da Copa América nos dois países.[24] No dia 18, através de comentários internos na confederação, passou a ser discutido uma possibilidade dos jogos acontecerem apenas na Argentina por conta das tensões sociais e instabilidade na Colômbia. O presidente argentino Alberto Fernández, em entrevista, anunciou que colocaria o país à disposição da CONMEBOL para assumir os jogos que aconteceriam na Colômbia (Lado Norte).[25]

No dia 20 de maio, por meio de uma publicação do Jornal Marca, foi anunciado que a Colômbia teria desistido de sediar a Copa América em razão da onda de protestos no país e pela altos números de casos confirmados e de óbitos da COVID-19, fazendo com que a Argentina se tornasse sede única das competições.[26] Tal fato se confirmou horas depois pela Conmebol, que anunciou que a Argentina, até o momento, iria receber todas as partidas da competição. Houve até mesmo uma tentativa de migrar as competições do Lado Norte para o Chile, reutilizando os estádios da edição de 2015, porém, foi descartada por questões comerciais.[27] Após a confirmação, a entidade passou a discutir uma possibilidade de escolher um novo país para substituir a Colômbia, com o objetivo de realizar algumas partidas com uma parte do público.[28]

Com a saída da Colômbia, a Argentina também apresentou projetos de estádios para receber a competição junto com os outros quatro aprovados desde o início, sendo eles: o Estádio Jorge Luis Hirschi e Estádio Único, ambos localizados em La Plata, além do La Bombonera, Nuevo Gasometro, El Cilindro e Libertadores da America, todos em Buenos Aires, evitando assim o deslocamento de atletas a outras cidades. Países como Chile, Equador e Venezuela também mostraram interesse em receber os jogos do Lado Sul, sendo o Chile o favorito devido ao avanço da vacinação no país, facilitando assim o plano da Conmebol de realizar as competições com público, mesmo sendo limitado. Entre os estádios chilenos confirmados, caso a proposta chilena fosse escolhida, estavam o Estádio Nacional e o Estádio Monumental em Santiago, Estádio Sausalito em Viña del Mar e Estádio El Teniente em Rancagua.[29]

Em 30 de maio, a Conmebol anunciou que a Copa América não iria mais acontecer na Argentina, sem maiores explicações. Além disso, os países interessados em receber o evento teriam as propostas analisadas e, em seguida, a confederação anunciaria a decisão final.[30] Antes do anúncio da suspensão da competição no país, a Ministra da Saúde argentina, Carla Vizzoti, teria dito que a realização do evento não está "100% definida". Uma pesquisa de opinião pública, divulgada no dia 28, mostrou que 70% dos argentinos rejeitavam a Copa América no país.[31]

Brasil como nova sedeEditar

Em 31 de maio de 2021, a Conmebol anunciou que os jogos iriam acontecer no Brasil, sob os argumentos de que o país possuía a melhor estrutura para abrigar as competições.[32] Tal anúncio pegou a imprensa e o mercado esportivo de surpresa, levando a várias matérias criticando a escolha do país, sob argumentos da alta no número de óbitos pela COVID-19 e pelo ritmo lento de vacinação.[33][34] O vice-presidente da República, Hamilton Mourão (PRTB), destacou que a realização da Copa América no Brasil representava menos risco do que na Argentina.[35] Contudo, a posição do governo brasileiro frente à realização da Copa América contrastava com a sua posição diante da possibilidade de sediar a Copa do Mundo Feminina de 2023, quando o Brasil havia desististido de sediar o torneio alegando falta de apoio do Governo Federal, o qual citou dificuldades resultantes da pandemia de Covid-19.[36]

Logo após o anúncio, o governo de Pernambuco anunciou que não iria receber as competições, vetando qualquer proposta.[37] Além de Pernambuco, os estados do Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Minas Gerais também recusaram a proposta de receber o torneio se fossem sondados. Os governos da Bahia, São Paulo, Mato Grosso e Amazonas anunciaram que não iriam se opor ao evento, desde que acontecessem sem a presença de público e seguindo protocolos locais.[38][39][40] No dia 1° de junho, foi anunciada a confirmação do Brasil como nova sede, com jogos nas cidades de Brasília, Goiânia, Cuiabá e Rio de Janeiro, podendo ter mais sedes quando saísse a confirmação oficial.[41]

Ameaças de boicote e saída de patrocinadoresEditar

Logo após o anúncio da escolha do Brasil como sede, jogadores da Seleção Argentina teriam se irritado com a decisão, manifestando um desejo de um possível boicote.[42] Em 4 de junho, o técnico da seleção Lionel Scaloni, demonstrou preocupação do evento no país, mas garantiu que a seleção estaria presente, descartando um boicote visto inicialmente.[43]

Um grupo de jogadores da Seleção Brasileira, formado por Neymar, Casemiro, Thiago Silva, Alisson, Marquinhos e Danilo participaram de uma conversa com o presidente da CBF, Rogério Caboclo, para afirmar que não foram consultados sobre a decisão da CONMEBOL de realizar a Copa América no Brasil, sob ameaças de não participar do evento. Tal decisão de oposição ao evento também motivou jogadores de outros países como Luis Suárez e Edinson Cavani da Seleção Uruguaia e Lionel Messi da Argentina.[44] Patrocinadores da CBF também demonstraram indignação com a escolha do país na Copa América.[45] Logo após um dos jogos das Eliminatórias da Copa, contra o Equador, Casemiro afirmou em uma entrevista à TV Globo que a posição dos jogadores e da comissão técnica quanto a Copa América, seguia sendo a mesma, dando a entender a oposição ao torneio no país e a suposta ameaça de boicote.[46] A crise na CBF, sendo também agravada por uma denúncia contra o presidente da confederação por assédio moral e sexual a uma funcionária, levou a uma suposta interferência do Governo Federal na Seleção Brasileira, pensando em retirar jogadores e o técnico Tite por conta dos protestos contra a Copa América, indo contra a uma determinação no estatuto publicado pela FIFA.[47][48]

Em 6 de junho, a Argentina decidiu participar da Copa América, após especulações de um possível boicote com protestos de jogadores.[49] Em 7 de junho, os jogadores da Seleção Brasileira decidiram participar da Copa América, mediante protestos.[50] Posteriormente, Mastercard, Ambev, Diageo e TCL decidiram não vincular suas marcas à Copa América 2021.[51][52] Em 11 de junho, o Kwai, um dos patrocinadores das transmissões no SBT decidiu também não vincular sua marca ao evento.[53] Apesar da desistência do aplicativo de vídeos de patrocinar o evento nas transmissões em TV aberta, a Havan anunciou o patrocínio e a vinculação da marca ao evento, junto ao site de apostas Betfair.[54][55]

SedesEditar

Em 1 de junho de 2021, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou as cidades de Brasília, Goiânia, Cuiabá e Rio de Janeiro como sedes da Copa América de 2021.[56]

Copa América de 2021 (Brasil)
Brasília
Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha
Capacidade: 69.349
 
Cuiabá
Arena Pantanal
Capacidade: 44.097
 
Rio de Janeiro Goiânia
Estádio do Maracanã Estádio Olímpico Nilton Santos Estádio Olímpico Pedro Ludovico Teixeira
Capacidade: 78.838 Capacidade: 44.661 Capacidade: 13.500
     

EquipesEditar

Todas as dez seleções nacionais da CONMEBOL estavam elegíveis para participar.[13]

Equipe Participação Melhor desempenho
  Argentina 43.ª Campeão (1921, 1925, 1927, 1929, 1937, 1941, 1945, 1946, 1947, 1955, 1957, 1959, 1991 e 1993)
  Bolívia 28.ª Campeão (1963)
  Brasil 37.ª Campeão (1919, 1922, 1949, 1989, 1997, 1999, 2004, 2007 e 2019)
  Chile 40.ª Campeão (2015 e 2016)
  Colômbia 23.ª Campeão (2001)
  Equador 29.ª 4.º lugar (1959 e 1993)
  Paraguai 38.ª Campeão (1953 e 1979)
  Peru 33.ª Campeão (1939 e 1975)
  Uruguai 45.ª Campeão (1916, 1917, 1920, 1923, 1924, 1926, 1935, 1942, 1956, 1959, 1967, 1983, 1987, 1995 e 2011)
  Venezuela 19.ª 4.º lugar (2011)

ArbitragemEditar

Em 21 de abril de 2021, a CONMEBOL anunciou um total de 14 árbitros, 22 árbitros assistentes, 16 árbitros assistentes de vídeo (VAR) e 10 árbitros de apoio nomeados para o torneio.[57][58] A edição contou com a participação de uma equipa de arbitragem espanhola no âmbito do memorando de entendimento assinado pela CONMEBOL e pela UEFA em fevereiro de 2020, que incluiu um programa de intercâmbio de árbitros.[59]

Em 5 de junho de 2021, os árbitros assistentes de vídeo uruguaios Leodán González e Daniel Fedorczuk foram substituídos por Andrés Cunha do Uruguai. Além disso, Juan Soto da Venezuela e Jhon Alexander León da Colômbia substituíram o árbitro assistente de vídeo Nicolás Gallo e o árbitro assistente Miguel Roldán, respectivamente, ambos de Colômbia.[60] Nicolás Gallo e Miguel Roldán haviam sido suspensos por tempo indeterminado em decorrência de sua atuação na partida entre Uruguai e Paraguai válida pela Eliminatórias para a Copa do Mundo da CONMEBOL.[61][62]

Associação Árbitros Árbitros assistentes Árbitros de vídeo Árbitros de apoio Árbitros assistentes de suporte
  Argentina Néstor Pitana
Patricio Loustau
Ezequiel Brailovsky
Gabriel Chade
Mauro Vigliano
Facundo Tello
Cristian Navarro
  Bolívia Gery Vargas José Antelo
Edwar Saavedra
Ariel Guizada
  Brasil Wilton Pereira Sampaio
Raphael Claus
Danilo Manis
Bruno Pires
Wagner Reway
Rafael Traci
Rafael Alves
  Chile Roberto Tobar Christian Schiemann
Claudio Ríos
Julio Bascuñán
Cristián Garay
Ángelo Hermosilla
  Colômbia Wilmar Roldán
Andrés Rojas
Alexander Guzmán
Jhon Alexander León
Jhon Ospina Sebastián Vela
  Equador Guillermo Guerrero Christian Lescano
Byron Romero
Augusto Aragón
  Paraguai Eber Aquino Eduardo Cardozo
Milciades Saldívar
Derlis López
Juan Gabriel Benítez
José Cuevas
  Peru Víctor Hugo Carrillo Jonny Bossio
Raúl López Cruz
Diego Haro Kevin Ortega
  Espanha Jesús Gil Manzano Diego Barbero Sevilla
Ángel Nevado Rodríguez
Ricardo de Burgos Bengoetxea
José Luis Munuera Montero
  Uruguai Esteban Ostojich Carlos Barreiro
Martín Soppi
Andrés Cunha Andrés Matonte
  Venezuela Alexis Herrera Carlos López
Jorge Urrego
Jesús Valenzuela
Juan Soto
Alberto Ponte

Fase de gruposEditar

Legenda
Equipes classificadas para a fase final
Equipes eliminadas

As seleções foram divididas inicialmente duas zonas, conforme sua posição geográfica.[13] Com a mudança de sede para o Brasil, as competições aconteceram integralmente no país.

Grupo AEditar

 Ver artigo principal: Copa América de 2021 - Grupo A
Pos. Seleção Pts J V E D GP GC SG
1   Argentina 10 4 3 1 0 7 2 +5
2   Uruguai 7 4 2 1 1 4 2 +2
3   Paraguai 6 4 2 0 2 5 3 +2
4   Chile 5 4 1 2 1 3 4 –1
5   Bolívia 0 4 0 0 4 2 10 –8
14 de junho
Argentina 1 – 1 Chile Rio de Janeiro (Nilton Santos)
Paraguai 3 – 1 Bolívia Goiânia
18 de junho
Chile 1 – 0 Bolívia Cuiabá
Argentina 1 – 0 Uruguai Brasília
21 de junho
Uruguai 1 – 1 Chile Cuiabá
Argentina 1 – 0 Paraguai Brasília
24 de junho
Bolívia 0 – 2 Uruguai Cuiabá
Chile 0 – 2 Paraguai Brasília
28 de junho
Bolívia 1 – 4 Argentina Cuiabá
Uruguai 1 – 0 Paraguai Rio de Janeiro (Nilton Santos)

Grupo BEditar

 Ver artigo principal: Copa América de 2021 - Grupo B
Pos. Seleção Pts J V E D GP GC SG
1   Brasil 10 4 3 1 0 10 2 +8
2   Peru 7 4 2 1 1 5 7 –2
3   Colômbia 4 4 1 1 2 3 4 –1
4   Equador 3 4 0 3 1 5 6 –1
5   Venezuela 2 4 0 2 2 2 6 –4
13 de junho
Brasil 3 – 0 Venezuela Brasília
Colômbia 1 – 0 Equador Cuiabá
17 de junho
Colômbia 0 – 0 Venezuela Goiânia
Brasil 4 – 0 Peru Rio de Janeiro (Nilton Santos)
20 de junho
Venezuela 2 – 2 Equador Rio de Janeiro (Nilton Santos)
Colômbia 1 – 2 Peru Goiânia
23 de junho
Equador 2 – 2 Peru Goiânia
Brasil 2 – 1 Colômbia Rio de Janeiro (Nilton Santos)
27 de junho
Brasil 1 – 1 Equador Goiânia
Venezuela 0 – 1 Peru Brasília

Fase finalEditar

 Ver artigo principal: Copa América de 2021 – Fase final
Quartas de final Semifinais Final
                   
3 de julho — Goiânia        
   Argentina  3
6 de julho — Brasília
   Equador  0  
   Argentina (pen)  1 (3)
3 de julho — Brasília
     Colômbia  1 (2)  
   Uruguai  0 (2)
10 de julho – Rio de Janeiro (M.)
   Colômbia (pen)  0 (4)  
   Argentina  1
2 de julho — Rio de Janeiro (N. S.)
     Brasil  0
   Brasil  1
5 de julho — Rio de Janeiro (N. S.)
   Chile  0  
   Brasil  1 3º lugar
2 de julho — Goiânia
     Peru  0  
   Peru (pen)  3 (4)    Colômbia  3
   Paraguai  3 (3)      Peru  2
9 de julho — Brasília

Quartas de finalEditar

2 de julho Peru   3 – 3   Paraguai Estádio Olímpico, Goiânia
18:00 (UTC−3)
Lapadula   21',   40'
Yotún   80'
Relatório Gómez   11'
Alonso   54'
Ávalos   90'
Árbitro:  URU Esteban Ostojich
    Penalidades  
Lapadula  
Yotún  
Ormeño  
Tapia  
Cueva  
Trauco  
4 – 3   Ángel Romero
  Alonso
  Martínez
  Samudio
  Piris da Motta
  Espínola
 

2 de julho Brasil   1 – 0   Chile Estádio Nilton Santos, Rio de Janeiro
21:00 (UTC−3)
Paquetá   46' Relatório Árbitro:  ARG Patricio Loustau

3 de julho Uruguai   0 – 0   Colômbia Estádio Mané Garrincha, Brasília
19:00 (UTC−3)
Relatório Árbitro:  ESP Jesús Gil Manzano
    Penalidades  
Cavani  
Giménez  
Suárez  
Viña  
2 – 4   Zapata
  Sánchez
  Mina
  Borja
 

3 de julho Argentina   3 – 0   Equador Estádio Olímpico, Goiânia
22:00 (UTC−3)
De Paul   40'
Martínez   84'
Messi   90+3'
Relatório Árbitro:  BRA Wilton Pereira Sampaio

SemifinalEditar

5 de julho Brasil   1 – 0   Peru Estádio Nilton Santos, Rio de Janeiro
20:00 (UTC−3)
Paquetá   35' Relatório Árbitro:  CHI Roberto Tobar

6 de julho Argentina   1 – 1   Colômbia Estádio Mané Garrincha, Brasília
22:00 (UTC−3)
Martínez   7' Relatório Díaz   61' Árbitro:  VEN Jesús Valenzuela
    Penalidades  
Messi  
De Paul  
Paredes  
La. Martínez  
3 – 2   Cuadrado
  Sánchez
  Mina
  Borja
  Cardona
 

Disputa pelo terceiro lugarEditar

9 de julho Colômbia   3 – 2   Peru Estádio Mané Garrincha, Brasília
21:00 (UTC−3)
Cuadrado   49'
Díaz   66',   90+3'
Relatório Yotún   45'
Lapadula   82'
Árbitro:  BRA Raphael Claus

FinalEditar

 Ver artigo principal: Final da Copa América de 2021
10 de julho Argentina   1 – 0   Brasil Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
21:00 (UTC−3)
Di Maria   22' Relatório Público: 7 800
Árbitro:  URU Esteban Ostojich

PremiaçãoEditar

Copa América de 2021
 
Argentina
Campeã
(15.º título)
Prêmio Bola de Ouro[63] Prêmio Chuteira de Ouro Prêmio Luva de Ouro[63]
 ARG Lionel Messi  ARG Lionel Messi  ARG Emiliano Martínez
Prêmio Fair Play[63]
  Brasil

Seleção do CampeonatoEditar

A Seleção desta edição da Copa América foi feita pelo Grupo de Estudo Técnico da Conmebol.[64]

Goleiro/Guarda-Redes Defensores/Defesas Meias/Médios Atacantes/Avançados

EstatísticasEditar

ArtilhariaEditar

4 gols (3)


3 gols (1)


2 gols (10)


1 gol (26)


Gols contra (4)

Classificação finalEditar

 
Países participantes segundo a fase alcançada no torneio

A classificação final é determinada através da fase em que a seleção alcançou e a sua pontuação, levando em conta os critérios de desempate.

Pos. Seleção Gr Pts J V E D GP GC SG
Final
1   Argentina A 17 7 5 2 0 12 3 +9
2   Brasil B 16 7 5 1 1 12 3 +9
Disputa pelo terceiro lugar
3   Colômbia B 9 7 2 3 2 7 7 0
4   Peru B 8 7 2 2 3 10 14 –4
Eliminados nas quartas de final
5   Uruguai A 8 5 2 2 1 4 2 +2
6   Paraguai A 7 5 2 1 2 8 6 +2
7   Chile A 5 5 1 2 2 3 5 –2
8   Equador B 3 5 0 3 2 5 9 –4
Eliminados na fase de grupos
9   Venezuela B 2 4 0 2 2 2 6 –4
10   Bolívia A 0 4 0 0 4 2 10 –8

Direitos de transmissãoEditar

No Brasil, os jogos foram transmitidos pelo SBT em TV aberta, após a conclusão das negociações com a produtora Dentsu. Além da SBT, outro canal que mostrou interesse na Copa América 2021 foi o canal por assinatura ESPN Brasil, que anteriormente tinha recusado as transmissões, mas de "última hora", aceitou transmitir o torneio em conjunto com o Fox Sports. Foi a primeira edição da história a não ter a cobertura da TV Globo em TV aberta e do SporTV na TV por assinatura.[65][66] As transmissões dos jogos pelo SBT renderam uma audiência média de 13 pontos na Grande São Paulo, principal mercado publicitário do país, dobrando os índices do canal paulista. Porém, apesar da boa audiência, os índices foram inferiores as edições de 2011 a 2019, a última até então era considerada a menos assistida. Além disso, chegou a atingir a liderança em cidades como Manaus, Goiânia, Fortaleza, Brasília e Recife.[67] Já a grande final atingiu média de 21 pontos contra 19 pontos da TV Globo com a exibição do Jornal Nacional e a reprise de Império, além de liderar em 14 capitais.[68][69]

Na Índia, a cobertura foi feita pelos canais da Sony Pictures Entertainment tanto em TV por assinatura, como no streaming. Nos Estados Unidos, a cobertura aconteceu pelo canal hispânico Univisión (também no Canadá) e Fox Sports, no caso do último, a cobertura foi feita simultaneamente pelo aplicativo oficial.[70][71]

América do Sul (CONMEBOL)Editar

País Emissora Notas Ref
  Brasil (Anfitrião) SBT Todos os jogos da seleção brasileira e a fase final [72]
ESPN Brasil Cobertura de todos os jogos [66][73][74]
Fox Sports
Rede Transamérica
Rádio Jornal
  Argentina Televisión Pública Argentina Todos os jogos da seleção argentina e a fase final [71][75]
TyC Sports Cobertura de todos os jogos
DirecTV Sports
  Bolívia Unitel Todos os jogos da seleção boliviana e a fase final
Tigo Sports Cobertura de todos os jogos
  Chile Canal 13 Todos os jogos da seleção chilena e a fase final
TNT Sports Cobertura de todos os jogos
DirecTV Sports
  Colômbia Caracol Televisión Todos os jogos da seleção colombiana e a fase final
RCN Televisión
Win Sports Cobertura de todos os jogos
DirecTV Sports
  Equador TC Televisión Todos os jogos da seleção equatoriana e a fase final
El Canal del Fútbol Cobertura de todos os jogos
DirecTV Sports
  Peru América Televisión Todos os jogos da seleção peruana e a fase final
DirecTV Sports Cobertura de todos os jogos
  Paraguai Trece Todos os jogos da seleção paraguaia e as finais
Telefuturo
SNT
Tigo Sports Cobertura de todos os jogos
  Uruguai Dexary Todos os jogos da seleção uruguaia e a fase final
Canal 4
Canal 10
Canal 12
DirecTV Sports Cobertura de todos os jogos
  Venezuela La Tele Tuya Todos os jogos da seleção venezuelana e a fase final
IVC
DirecTV Sports Cobertura de todos os jogos
Simple TV

América do Norte e CaribeEditar

País Emissora Notas Ref
América Central, América do Norte e Caribe International Media Content Cobertura de todos os jogos, exceto em Cuba, Costa Rica, El Salvador, Guiana Francesa, Honduras, Nicaragua, Panamá, Polinesia Francesa e Porto Rico [75]
Sports Max
Fox Sports
L'Equipe Cobertura de todos os jogos apenas em países que usam a língua francesa
  Canadá Univisión Cobertura de todos os jogos
RDS
TNS
  Costa Rica Repertel Cobertura de todos os jogos
Radio Monumental
Telemovil
  Cuba Instituto Cubano de Radio y Televisión Cobertura de todos os jogos
Tele Rebelde
  El Salvador Telecorporación Salvadoreña Cobertura de todos os jogos
Telemovil
Tigo Sports
  Estados Unidos Univisión Cobertura de todos os jogos em espanhol [71]
Fox Sports Cobertura de todos os jogos em inglês
  Guiana Sports Max Cobertura de todos os jogos [75]
L’Equipe
Honduras Rmedia Cobertura de todos os jogos
Todo Deportes
  Nicarágua Canal 13 Cobertura de todos os jogos
Tigo Sports
  Porto Rico Univisión Cobertura de todos os jogos
  Suriname SCCN Cobertura de todos os jogos
International Media Content
Sports Max

ÁfricaEditar

País Emissora Notas Ref
África Canal + Internacional Cobertura de todos os jogos para todo o continente [75]

EuropaEditar

País Emissora Nota Ref
  União Europeia SARAN ULUSLARARASI FILMCILIK ORGANIZASYON REKLAM TICARET PAZARLAMA A.S. Cobertura de todos os jogos na Armênia, Azerbaijão, Bielorrússia, Cazaquistão, Chéquia, Eslováquia, Estônia, Geórgia, Letônia, Lituânia, Moldávia, Turquia e Ucrânia [75]
Silver Spring Media Cobertura de todos os jogos na Bósnia e Herzegovina, Croácia, Eslovênia, Kosovo, Macedônia do Norte, Montenegro e Sérvia
Pitch International Cobertura de todos os jogos na Bélgica, Dinamarca, Espanha, Finlândia, Noruega, Países Baixos, Polônia, Portugal e Suécia
BT Sport Cobertura de todos os jogos em países filiados [76][75]
BeIN Sports
  Albânia P.B. BOURNIOTI & SIA E.E. Cobertura de todos os jogos
  Andorra L’Equipe Cobertura de todos os jogos
  Bulgária PRAGOSPORT Cobertura de todos os jogos
  Chipre Dentsu Cobertura de todos os jogos
  França L’Equipe Cobertura de todos os jogos
  Grécia Dentsu Cobertura de todos os jogos
  Hungria PRAGOSPORT Cobertura de todos os jogos
ZRT
  Islândia PARETEO GmbH&Co.KG Cobertura de todos os jogos
  Mónaco L’Equipe Cobertura de todos os jogos
  Portugal Sport TV Cobertura de todos os jogos
  Reino Unido BBC Cobertura de todos os jogos e também na Irlanda do Norte e Ilha de Man
  Rússia Telesport Cobertura de todos os jogos

Ásia e OceaniaEditar

País Emissora Nota Ref
Ásia Sony Pictures Entertainment Cobertura de todos os jogos no Afeganistão, Bangladesh, Butão, Índia, Maldivas, Nepal, Paquistão e Sri Lanka [75]
Médio Oriente BeIN Sports Cobertura de todos os jogos [71]
  Austrália Optus Sport Cobertura de todos os jogos
  China CCTV Cobertura de todos os jogos [75]
China Sports Media
  Coreia do Sul Eclat Cobertura de todos os jogos
  Hong Kong i-Cable Communications Limited Cobertura de todos os jogos
  Japão Abema TV Cobertura de todos os jogos
  Nova Zelândia Spark New Zealand Trading Limited Cobertura de todos os jogos
  Singapura StarHub Cable Vision Cobertura de todos os jogos
  Tajiquistão State Enterprise of Television Cobertura de todos os jogos
  Tailândia PPTV Cobertura de todos os jogos

NotasEditar

  1. Originalmente, a competição ocorreria na Argentina e na Colômbia. No dia 20 de maio de 2021, a Colômbia foi removida como co-anfitriã devido a problemas políticos no país, enquanto no dia 30 de maio, a Argentina foi removida devido ao aumento de casos da COVID-19 no país.[1] No dia 31 de maio de 2021, a CONMEBOL decidiu que a competição seria sediada no Brasil.[2]

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b «Colombia removed as co-host of next month's Copa America». Sportsnet.ca. 20 de maio de 2021 
  2. a b «Copa América será disputada no Brasil, decide Conmebol». www.uol.com.br. Consultado em 31 de maio de 2021 
  3. «Argentina bate o Brasil no Maracanã e volta a ganhar a CONMEBOL Copa América». CONMEBOL. 10 de julho de 2021. Consultado em 10 de julho de 2021 
  4. «Brasil perde primeira Copa América em casa e vê escrita recente contra a Argentina em 'grandes finais' acabar». ESPN.com. 11 de julho de 2021. Consultado em 11 de julho de 2021 
  5. «No último minuto, Colômbia bate Peru e fica em terceiro». CONMEBOL. 9 de julho de 2021. Consultado em 10 de julho de 2021 
  6. Gonzalez, Roger (20 de março de 2017). «The Copa America is reportedly coming back to the United States in 2020». CBSSports.com. CBS Interactive. Consultado em 26 de outubro de 2018 
  7. Fernandez, Martín (20 de março de 2017). «Conmebol fará Copa América nos mesmos anos da Euro a partir de 2020» [CONMEBOL to have Copa América in same years of Euros from 2020]. Globo Esporte. Grupo Globo. Consultado em 26 de outubro de 2018 
  8. Wahl, Grant (24 de março de 2017). «Wheels are in motion for another combined Copa America in USA for 2020». Sports Illustrated. Meredith Corporation. Consultado em 26 de outubro de 2018 
  9. «CONMEBOL to change Copa America calendar». SuperSport. Naspers. 18 de setembro de 2018. Consultado em 26 de outubro de 2018 
  10. Gabilondo, Aritz (26 de outubro de 2018). «Oficial: la Copa América será los años pares desde 2020» [Official: Copa América will be in even years from 2020]. Diario AS (em Spanish). PRISA. Consultado em 26 de outubro de 2018 
  11. «FIFA Council makes key decisions for the future of football development». FIFA.com. Fédération Internationale de Football Association. 26 de outubro de 2018. Consultado em 26 de outubro de 2018 
  12. «Argentina and Colombia to host 2020 Copa America». Mundo Albiceleste Argentina. 13 de março de 2019. Consultado em 13 de março de 2019 
  13. a b c «Copa América 2020: Duas Zonas geográficas na América do Sul e maior acessibilidade dos torcedores aos jogos». CONMEBOL. Consultado em 9 de abril de 2019 
  14. «Austrália deve disputar a Copa América de 2020; Catar será o outro convidado». Globoesporte. Consultado em 11 de junho de 2019 
  15. «Conmebol publica novo calendário da Copa América com dois dias a menos; Brasil estreia contra a Venezuela». Globoesporte. Consultado em 15 de março de 2021 
  16. «Update on upcoming FIFA World Cup qualifiers in South America». FIFA.com. 12 de março de 2020 
  17. «La CONMEBOL Libertadores queda suspendida temporalmente». CONMEBOL.com. 12 de março de 2020 
  18. Superesportes; Superesportes (17 de março de 2020). «Fifa adia Mundial de Clubes de 2021 e define nova data nesta quarta» 
  19. «Bureau of the FIFA Council decisions concerning impact of COVID-19». FIFA.com. Fédération Internationale de Football Association. 18 de março de 2020. Consultado em 18 de março de 2020 
  20. «Argentina vai desistir de sediar Copa América, diz rádio». www.uol.com.br. Consultado em 19 de maio de 2021 
  21. Semana (29 de abril de 2021). «Paro Nacional: así titularon los medios internacionales la jornada de protesta en Colombia». Semana.com Últimas Noticias de Colombia y el Mundo (em spanish). Consultado em 19 de maio de 2021 
  22. a b «Colômbia: Reforma tributária causa manifestações e 19 mortes foram registradas, diz organização». CNN Brasil. Consultado em 19 de maio de 2021 
  23. «América de Cali 1 x 3 Atlético-MG - Taça Libertadores rodada 4 - Tempo Real - Globo Esporte». ge.globo. Consultado em 19 de maio de 2021 
  24. «Apesar de tensões sociais, Conmebol banca Copa América em Colômbia e Argentina». ge. Consultado em 19 de maio de 2021 
  25. «Tensão social na Colômbia eleva risco de Copa América ser disputada apenas na Argentina». ge. Consultado em 19 de maio de 2021 
  26. «Colombia se queda sin Copa América y Argentina la asumiría toda». MARCACOLOMBIA (em espanhol). 20 de maio de 2021. Consultado em 20 de maio de 2021 
  27. «Reportagem: Marcel Rizzo - Conmebol decide tirar Copa América da Colômbia após 'guerra' com governo». www.uol.com.br. Consultado em 21 de maio de 2021 
  28. «Conmebol quer público e pode não realizar Copa América inteira na Argentina». www.uol.com.br. Consultado em 21 de maio de 2021 
  29. «Reportagem: Marcel Rizzo - Conmebol vistoria estádios na Argentina, mas escuta países por Copa América». www.uol.com.br. Consultado em 24 de maio de 2021 
  30. «Conmebol suspende Copa América na Argentina e estuda outras sedes». www.uol.com.br. Consultado em 31 de maio de 2021 
  31. «Ministra da Saúde da Argentina diz que Copa América 'não está definida 100%'». esportes.yahoo.com (em inglês). Consultado em 31 de maio de 2021 
  32. «Em reviravolta, Brasil é escolhido a nova sede da Copa América». ge. Consultado em 31 de maio de 2021 
  33. «Mundo do futebol repercute o anúncio do Brasil como sede da Copa América». ge. Consultado em 31 de maio de 2021 
  34. «Copa América no Brasil: veja números da piora da pandemia na América do Sul». G1. Consultado em 31 de maio de 2021 
  35. «Mourão diz que Copa América no Brasil representa "menos risco" que na Argentina». ge. Consultado em 31 de maio de 2021 
  36. «Brasil retira candidatura da Copa Feminina por falta de apoio do Governo». CB. 8 de junho de 2020. Consultado em 2 de junho de 2021 
  37. «Governo de Pernambuco se posiciona contra a Copa América e veta jogos no estado». ge. Consultado em 31 de maio de 2021 
  38. «Governador da Bahia libera jogos da Copa América, sem público: "Não há possibilidade de flexibilizar"». ge. Consultado em 31 de maio de 2021 
  39. «Governo de SP afirma que não se opõe a realização de jogos da Copa América no estado desde que sigam protocolos do Plano SP». G1. Consultado em 31 de maio de 2021 
  40. «Governos estaduais se posicionam sobre realização da Copa América no Brasil: veja a lista». ge. Consultado em 1 de junho de 2021 
  41. «Cidades e estádios que vão receber a Copa América 2021: raio-x das sedes | Goal.com». www.goal.com. Consultado em 1 de junho de 2021 
  42. «Copa América: jogadores da Argentina se revoltam e ameaçam boicote». Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes. 1 de junho de 2021. Consultado em 4 de junho de 2021 
  43. «Técnico da Argentina diz que Brasil 'não é lugar ideal' para Copa América, mas garante: 'Se tivermos que ir, vamos jogar'». ESPN.com. 2 de junho de 2021. Consultado em 4 de junho de 2021 
  44. «Reunião com presidente da CBF insufla revolta da seleção com Copa América». Folha de S.Paulo. 4 de junho de 2021. Consultado em 4 de junho de 2021 
  45. «Neymar e mais 5: quem liderou e como foi o movimento e a cobrança da seleção a Caboclo por Copa América». ESPN.com. 4 de junho de 2021. Consultado em 4 de junho de 2021 
  46. «Casemiro vê seleção unânime sobre Copa América: "Mais claro impossível" - 04/06/2021 - UOL Esporte». www.uol.com.br. Consultado em 6 de junho de 2021 
  47. «Funcionária da CBF apresenta denúncia de assédio sexual e moral contra Rogério Caboclo». ge. Consultado em 6 de junho de 2021 
  48. «Análise: Lei em Campo - Bolsonaro não pode interferir na CBF. É o que diz Estatuto da FIFA». www.uol.com.br. Consultado em 6 de junho de 2021 
  49. «Argentina confirma participação na Copa América marcada para o Brasil». www.uol.com.br. Consultado em 6 de junho de 2021 
  50. «Jogadores da seleção brasileira decidem disputar a Copa América». ge. Consultado em 7 de junho de 2021 
  51. «Análise: Com medo de boicotes, patrocinadores desembarcam da Copa América». UOL. Consultado em 11 de junho de 2021 
  52. «Mastercard e Ambev se desvinculam da Copa América no Brasil». UOL. Consultado em 9 de junho de 2021 
  53. «Kwai desiste de mostrar sua marca nas transmissões da Copa América no SBT». Poder360. 11 de junho de 2021. Consultado em 11 de junho de 2021 
  54. «Luciano Hang: Havan anuncia que vai patrocinar Copa América no SBT | VEJA». veja.abril.com.br. Consultado em 11 de junho de 2021 
  55. Possamai, Cristina (21 de maio de 2021). «Betfair patrocinará transmissões da Copa América 2021 no SBT». iGaming Brazil. Consultado em 11 de junho de 2021 
  56. «Bolsonaro anuncia estados-sede e diz que Brasil receberá a Copa América deste ano». G1. Consultado em 1 de junho de 2021 
  57. «Árbitros convocados para la CONMEBOL Copa América 2021» (em espanhol). CONMEBOL.com. 21 de abril de 2021 
  58. «CONMEBOL COPA AMÉRICA 2021 ÁRBITROS CONVOCADOS» (PDF) (em espanhol). CONMEBOL.com. 21 de abril de 2021 
  59. «La CONMEBOL y la UEFA acuerdan cooperación en materia arbitral» CONMEBOL e UEFA concordam em cooperação em questões de arbitragem (em espanhol). CONMEBOL.com. 21 de abril de 2021 
  60. «Sustitución de árbitros y árbitros asistentes VAR» Substituição de árbitros e árbitros assistentes (em espanhol). CONMEBOL.com. 5 de junho de 2021 
  61. «Comunicado de la Comisión de Árbitros de la CONMEBOL» (em espanhol). CONMEBOL.com. 4 de junho de 2021 
  62. «DECISIÓN» (PDF) (em espanhol). CONMEBOL.com. 4 de junho de 2021 
  63. a b c «Melhor jogador, artilheiro e o grande goleiro: os destaques da CONMEBOL Copa América 2021». copaamerica.com. Consultado em 15 de julho de 2021 
  64. «Com três brasileiros e Messi, Conmebol divulga a seleção da Copa América; veja a escalação». GE. 13 de julho de 2021. Consultado em 13 de julho de 2021 
  65. Flávio Ricco. «Copa América está muito próxima do SBT. Só falta assinar». R7.com. Consultado em 13 de abril de 2021 
  66. a b ANDRADE, VINÍCIUS (1 de junho de 2021). «Disney fecha acordo com o SBT e vai transmitir Copa América na TV paga». Notícias da TV. Consultado em 1 de junho de 2021 
  67. «Copa América dobra audiência do SBT, mas ibope do torneio fica longe do menor índice na Globo». F5. 10 de julho de 2021. Consultado em 11 de julho de 2021 
  68. «Audiência final da Copa América: SBT vence Globo». www.uol.com.br. Consultado em 11 de julho de 2021 
  69. MIYASHIRO, VINÍCIUS ANDRADE E. KELLY (12 de julho de 2021). «Pela primeira vez na história, SBT derrota novela das nove da Globo». Notícias da TV. Consultado em 12 de julho de 2021 
  70. «Sony Six and Sony Ten to broadcast Copa America 2021 Live in India» (em inglês). 14 de fevereiro de 2020. Consultado em 14 de abril de 2021 
  71. a b c d Desk, S. F. (5 de junho de 2021). «Copa America 2021 Live Streaming Free and TV Channels List». SportingFree (em inglês). Consultado em 11 de junho de 2021 
  72. «SBT fecha acordo pela Copa América e "ganha" outras competições da Conmebol». NaTelinha. Consultado em 14 de abril de 2021 
  73. «Transamérica irá transmitir a Copa América no Brasil». Consultado em 14 de junho de 2021 
  74. Torcedor, Blog do (11 de junho de 2021). «TV Jornal/SBT e Rádio Jornal trazem toda a emoção da Copa América para os pernambucanos». Blog do Torcedor. Consultado em 14 de junho de 2021 
  75. a b c d e f g h «Onde ver a CONMEBOL Copa América 2021 no mundo todo». copaamerica.com. Consultado em 1 de julho de 2021 
  76. Desk, S. F. (30 de dezembro de 2020). «Copa America 2021 Live Streaming Free and TV Channels List». SportingFree (em inglês). Consultado em 14 de abril de 2021 

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Copa América de 2021