Vox (partido político)

partido político espanhol

Vox é um partido político de Espanha fundado em dezembro de 2013 por antigos militantes do Partido Popular.[22] Vox tem sido descrito como um partido populista[23] de direita[24][25] a extrema-direita.[26][27][28][29]

Vox
Presidente Santiago Abascal
Vice-Presidente Jorge Buxadé
Secretário-Geral Javier Ortega Smith
Porta-Voz do
Congresso
Iván Espinosa de los Monteros
Fundação 17 de dezembro de 2013
Sede Calle de Diego de León, 60, 28006 Madrid, Flag of Spain.svg Espanha
Ideologia
Espectro político Direita[18] a Extrema-direita[19]
Antecessor Partido Popular (cisão)
Membros (2020) 62,374[20]
Afiliação europeia Aliança dos Reformistas e Conservadores Europeus
Grupo no Parlamento Europeu Reformistas e Conservadores Europeus[21]
Congresso dos Deputados
52 / 350
Senado
3 / 265
Parlamentos regionais
84 / 1 268
Parlamento Europeu
4 / 59
Cores Verde
www.voxespana.es

O partido foi fundado em 2013 por antigos membros do PP insatisfeitos com a política seguida pelo governo de Rajoy em relação ao grupo terrorista basco ETA, bem como a sua oposição ao Estatuto das Autonomias com estes membros a defender um estado espanhol mais centralista.[30]

Após ter falhado a eleição de 1 eurodeputado nas eleições europeias de 2014[31] e com a saída de muitos dos seus fundadores, o partido tornou-se um partido irrelevante ao obter resultados residuais nas eleições nacionais de 2015 e 2016.[32]

Entre 2017 e 2018, com a crise na Catalunha[33] e a crise migratória a afectar Espanha, o partido, liderado por Santiago Abascal desde do verão de 2014, viu a sua militância a crescer e as sondagens começaram a indicar que o Vox poderia entrar no parlamento espanhol.[34] A eclosão do Vox a nível nacional ocorre nas eleições regionais em dezembro de 2018 na Andaluzia, onde o partido consegue obter mais de 11% dos votos e 12 deputados regionais.[35] Atualmente a nivel nacional o Vox tem 52 deputados na Câmara dos Deputados, 3 senadores no Senado e 4 eurodeputados no Parlamento Europeu.

HistóriaEditar

OrigemEditar

O Vox foi fundado a 17 de dezembro de 2013 e lançada publicamente numa coletiva de imprensa em Madrid a 16 de janeiro de 2014 como uma separação do Partido Popular (PP).[36][37][38] Esta separação foi interpretada como um desdobramento de membros do partido "neoconservador"[39] ou "conservador social".  A plataforma do partido procurou reescrever a Constituição para abolir a autonomia regional e os parlamentos regionais.[40] Vários dos seus promotores (por exemplo: Alejo Vidal-Quadras, José Antonio Ortega Lara e Santiago Abascal) foram os membros da plataforma "reconversion.es" que emitiu um manifesto em 2012 atestando a recentralização do Estado.[41] Vidal-Quadras foi proclamado como o primeiro presidente em março de 2014.[42]

O financiamento inicial, totalizando cerca de 972.000 euros, veio de transferências individuais de dinheiro de partidários do Conselho Nacional de Resistência do Irã (NCRI) e Mujahedin do Povo do Irã (MEK), graças à sua "relação pessoal" com Vidal-Quadras, que apoiou o NCRI durante todo o seu mandato no Parlamento Europeu até 2014. Dessas transferências não existem qualquer evidência de que o Vox tenha infringido as regras do financiamento de partidos políticos de Espanha ou mesmo da União Europeia ao aceitar essas doações.[43][44]

O Vox concorreu pela primeira vez nas eleições europeias de 2014, mas por pouco não conseguiu um assento no Parlamento Europeu.[45]

Em setembro de 2014, o partido elegeu Santiago Abascal, um dos fundadores, como novo presidente, e Iván Espinosa de los Monteros, também fundador, como Secretário-Geral. Onze membros do Comitê Executivo Nacional também foram eleitos.

O partido participou das eleições de 2015 e 2016 , mas não se saiu bem, obtendo 0,23% e 0,20% dos votos, respectivamente.

Após o referendo catalão em 2017 e o início de uma crise constitucional espanhola, o Vox optou por não participar das eleições regionais catalãs de 2017.[46] Após a declaração de independência da Catalunha, o partido processou o Parlamento da Catalunha e vários políticos independentistas,[47] após essa situação o número dmilitantes do vox aumentou 20% em quarenta dias.[48]

Entrada nas instituiçõesEditar

A 10 de setembro de 2018, Vox recrutou um legislador independente no parlamento regional da Extremadura (que havia abandonado o grupo parlamentar do PP) como membro do partido.[49] A 2 de dezembro de 2018, eles conquistaram 12 assentos parlamentares nas eleições regionais da Andaluzia, entrando num parlamento regional pela primeira vez.[50][51] Apoiou o governo regional de coalizão do Ciudadanos e o Partido Popular. Com este resultado, o Vox também obteve um primeiro assento no Senado da Espanha, que foi ocupado por Francisco José Alcaraz.[52]

O partido obteve 10,26% dos votos nas eleições gerais de abril de 2019, elegendo 24 deputados e entrando pela primeira vez no Congresso dos Deputados.[53] Mais tarde, o partido entrou pela primeira vez no Parlamento Europeu com 6,2% dos votos e três eurodeputados, que após o Brexit tornaram-se quatro. Após esta eleição, o partido aderiu ao grupo de Conservadores e Reformistas Europeus e à Aliança de Conservadores e Reformistas na Europa.[54] Na segunda eleição geral do ano, em novembro, o Vox ficou em terceiro lugar e aumentou seu número de deputados de 24 para 52.[55] Foi o partido mais votado na Região de Múrcia e na cidade autónoma de Ceuta.[56]

No início de 2020, durante o início da pandemia global do COVID-19, o Vox pediu restrições de viagem entre China e Espanha e, posteriormente, entre Itália e Espanha, para se proteger contra o "vírus chinês".[57] Naquela época, a epidemia já estava em pleno andamento nesses países, mas foi antes de qualquer caso de COVID ser oficialmente confirmado em Espanha com números significativos. Essa posição não encontrou apoio entre outros partidos e foi criticada como retórica xenófoba.[58][59] O partido alegou que as medidas sérias de combate à COVID foram deliberadamente adiadas na Espanha pelo governo, que ocultou as informações e minimizou os riscos conhecidos para permitir eventos públicos em massa no Dia Internacional da Mulher (8 de março), pois esses eventos foram importantes para a agenda da esquerda do recém-formado governo de coalizão do PSOE e do Podemos.[60] Ao mesmo tempo, o Vox avançou com a sua própria conferência global do partido a 8 de março em Vistalegre, onde foram convidados partidários de todas as partes da Espanha. A conferência resultou em vários casos de infecção por COVID, incluindo casos confirmados de transmissão de COVID entre membros da liderança da Vox.[61][62] Esse fato foi frequentemente levantado pelos oponentes do Vox para criticar a atitude do Vox em relação à situação do COVID na Espanha.[63]

Durante o bloqueio anti-COVID e as restrições de acompanhamento, o Vox criticou rotineiramente as medidas do governo como ineficientes, partidárias e parcialmente inconstitucionais.[64] Em abril de 2020, o partido recorreu ao Tribunal Constitucional da Espanha contra o primeiro Estado de Emergência (15 de março a 21 de junho) declarado pelo governo.[65] Em outubro de 2020, o grupo parlamentar do Vox no Congresso dos Deputados apresentou uma moção de censura contra o atual primeiro-ministro Pedro Sánchez, trazendo Santiago Abascal como candidato alternativo.[66] A moção não obteve qualquer apoio entre os outros grupos parlamentares, reunindo 52 votos 'sim' (os deputados do Vox) e 298 votos 'não' (o resto da câmara).[67] Em novembro de 2020, a Vox recorreu ao Tribunal Constitucional da Espanha contra o segundo Estado de Emergência (25 de outubro de 2020 – 9 de maio de 2021) declarado pelo governo.[68]

Diante das eleições presidenciais de 2020 nos Estados Unidos, o Vox apoiou totalmente a candidatura do presidente Donald Trump,[69] inclusive twittando da conta oficial que Joe Biden era o candidato preferido de "El País, Podemos, Otegi, Maduro, China, Irã e pedófilos", e que segundo a agência internacional de notícias EFE estava ecoando as teorias da conspiração QAnon. O Vox participou da conferência CPAC de 2021 e recusou-se a reconhecer a vitória de Biden.

 
Santiago Abascal durante um comício

Durante as campanhas eleitorais de 2020 e 2021 para eleições regionais no País Basco,[70] na Catalunha,[71] e na Comunidade de Madrid[72] vários eventos eleitorais legais do Vox foram fisicamente atacados por opositores políticos radicais nas instalações do partido. A visão dos eventos como provocações foi endossada por membros de alto escalão do Podemos, incluindo o seu porta-voz Pablo Echenique, e o seu líder, o segundo vice-primeiro-ministro da Espanha na época, Pablo Iglesias.[73]

A 14 de julho de 2021, em resposta ao recurso do Vox do ano anterior, o Tribunal Constitucional da Espanha declarou por estreita maioria (6 votos a favor vs. 5 votos contra) que o primeiro estado de emergência anti-COVID era inconstitucional na parte de suprimir a liberdade de circulação estabelecida pelo artigo 19.º da Constituição.[74] Em outubro de 2021, o Tribunal Constitucional da Espanha apoiou dois outros recursos do Vox e declarou inconstitucional o fechamento do Parlamento e do Senado espanhóis no início da pandemia e o segundo estado de emergência.[75][76] Conforme relatado a 22 de outubro de 2021, o governo da Espanha ordenou que todas as multas cobradas em relação ao primeiro estado de alarme fossem devolvidas aos cidadãos.[77]

A 13 de fevereiro de 2022, o Vox ficou em terceiro lugar nas eleições regionais de Castela e Leão em 2022, aumentando a sua representação de 1 para 13 deputados e tornando-se o principal aliado para o rival Partido Popular (PP), que venceu as eleições, para formar um governo.[78] Após esse resultado eleitoral, e uma crise na liderança no PP,[79]  o Vox pela primeira vez foi reconhecido como a segunda força política de Espanha, de acordo com algumas pesquisas de opinião para as próximas eleições gerais.[80] Em março de 2022, foi anunciado que Vox formaria governo com o PP em Castela e Leão, assumindo três dos dez cargos ministeriais, incluindo vice-presidente regional Juan García-Gallardo.[81] O membro do Vox Carlos Pollán foi eleito Presidente da Assembleia de Castela e Leão.[82] Isso representa a primeira participação da Vox em qualquer governo regional.[83]

IdeologiaEditar

Vox assume uma posição pró-vida na questão do aborto e é contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo porque considera a palavra "matrimónio" como inapropriada para descrever tal relação. O partido pretende criar um novo tipo de união, denominada de "união civil", para substituir o casamento gay.[84]

Inicialmente, o partido focava-se no liberalismo económico e na sua oposição às autonomias regionais em Espanha, mas nos últimos tempos Vox começou-se a alinhar com o populismo de direita cada vez mais popular pela Europa fora. O partido é completamente contra a entrada de mais imigrantes no país, em especial, imigrantes muçulmanos. Esta posição levam muitos a considerar Vox como um partido anti-Islão ou Islamofóbico.[85][86][87][88] Uma das propostas do partido para travar a imigração é a construção de um muro em Ceuta e Melilha para defender o território espanhol, segundo o partido.[89]

Vox também um posicionamento eurocéptico, defendendo que a soberania espanhola deve ser salvaguardada.[90] Esta posição de defesa da soberania de Espanha leva o partido também a defender um estado centralista,[91] a proibição de partidos que ponham em causa a unidade de Espanha[92] e a defesa da Monarquia no país.[93]

Resultados eleitoraisEditar

Eleições legislativasEditar

Câmara dos deputadosEditar

Data Líder CI. Votos % +/- Deputados +/- Status
2015 Santiago Abascal 15.º 58 114
0,2 / 100,0
0 / 350
Extra-parlamentar
2016 13.º 47 182
0,2 / 100,0
 
0 / 350
  Extra-parlamentar
2019-A 5.º 2 677 173
10,3 / 100,0
 10,1
24 / 350
 24 Oposição
2019-N 3.º 3 640 063
15,1 / 100,0
 4,8
52 / 350
 28 Oposição

Eleições europeiasEditar

Data CI. Cabeça de lista Votos % +/- Deputados +/-
2014 11.º Alejo Vidal-Quadras 246 833
1,6 / 100,0
0 / 54
2019 5.º Jorge Buxadé 1 388 681
6,2 / 100,0
 4,6
3 / 54
 3

Eleições regionaisEditar

AndaluziaEditar

Data CI. Cabeça de lista Votos % +/- Deputados +/-
2015 9.º Francisco Serrano 18 422
0,5 / 100,0
Novo
0 / 109
Novo
2018 5.º 395 978
10,97 / 100,0
 10,5
12 / 109
 12
2022 3.º Macarena Olona 490 525
13,46 / 100,0
 2,49
14 / 109
 2

Castela e LeãoEditar

Data CI. Cabeça de lista Votos % +/- Deputados +/-
2022 3.º Juan García-Gallardo 212 605
17,64 / 100,0
Novo
13 / 81
Novo

Comunidade de MadridEditar

Data Cabeça de lista Votos % +/- Deputados +/-
2015 Santiago Abascal 37 043
1,17 / 100,0
Novo
0 / 81
Novo
2019 Rocio Monasterio 285 099
8,86 / 100,0
 7,69
12 / 81
 12
2021 330 660
9,13 / 100,0
 0,27
13 / 81
 1

CríticaEditar

Em dezembro de 2019, o governo de Gibraltar tomou medidas para levar o Vox a tribunal por comentários feitos por eles, que pretendiam causar incitação ao ódio contra os habitantes de Gibraltar.[94]

A Vox apelou a um protesto marcado para 12 de janeiro de 2020, com uma imagem com as palavras 'Espanha existe', uma imagem que sugeriria que Portugal é uma província da Espanha, uma ideologia que não é vista na Espanha por um partido político desde a Falange partido em 1939.[95]

Referências

  1. Fredrik Engelstad, Trygve Gulbrandsen (7 de outubro de 2019). Elites and People: Challenges to Democracy. [S.l.]: Comparative Social Research. p. 199. ISBN 978-1838679156 
  2. Casals, Xavier (19 de janeiro de 2019). «Vox habla sobre Vox. Tres libros para conocer el partido». Agenda Pública. Su ideario parece hallarse aún en construcción y tiene como eje vertebrador un ultranacionalismo bélico asociado a la “Reconquista” o a una “Covadonga 2.0”, El partido lo identifica con una visión biológica y palingenética de la patria, la “España viva”, pero también con una cultura de inspiración católica. 
  3. Acha, Beatriz (6 de janeiro de 2019). «No, no es un partido (neo)fascista». Agenda Pública 
  4. a b Antón-Mellón, Joan (29 de abril de 2019). «Vox. Del nacional-catolicismo al ultranacionalismo neoliberal». Agenda Pública. Consultado em 29 de abril de 2019. Arquivado do original em 3 de maio de 2019 
  5. Nordsieck, Wolfram (2019). «Spain». Parties and Elections in Europe 
  6. «Spanish election: victory for Socialists as VOX surge fragments right-wing vote». Yahoo News. 29 de abril de 2019 
  7. a b «Factbox: The rise of Spain's far-right - Vox becomes third-biggest party». Reuters. 10 de novembro de 2019 
  8. «Far-right claims first victories in Spain since Franco era». Axios. 5 de dezembro de 2018 
  9. Turnbull-Dugarte, Rama & Santana 2020.
  10. Álvarez Barba, Yago. «Si a HSBC y Goldman Sachs les gusta Vox, a ti no te debería gustar». elsaltodiario.com. Diría eso de que “con esto a Vox se le ha caído la careta”, pero es que no creo que Vox se haya puesto nunca caretas que oculten su vertiente neoliberal y de servidumbre a las élites financieras. 
  11. «En España el partido más liberal en materia económica es VOX». panampost.com (em Spanish) 
  12. «Vox es más ultraderecha clásica que populismo contemporáneo». letraslibres.com (em Spanish). su nacionalismo se conjuga con [...] un discurso económico liberal 
  13. Macías, C. S. (1 de março de 2019). «El discurso de Vox en Europa». La Razón (em espanhol). Consultado em 11 de novembro de 2019 
  14. Field, Bonnie; Rodríguez-Teruel, Juan (26 de abril de 2019). «Can Spain's elections on Sunday deliver a functioning government?». Monkey Cage 
  15. García Rey, Marcos (18 de março de 2017). «Los musulmanes de España entre dos fuegos: el yihadismo y la extrema derecha xenófoba». El Confidencial 
  16. «El programa de Vox para "reconquistar" España». RTVE. 3 de dezembro de 2018 
  17. Remírez de Ganuza, Carmen (17 de janeiro de 2014). «Nace Vox pidiendo la eliminación de los parlamentos regionales». El Mundo 
  18. WELCOME TO VOX Spain. The Leader. Published 4 September 2017. Retrieved 3 November 2018.
    Spain’s new PP leader seeks to move the party ‘back to its roots’. The Olive Press. Author - Bradley Stokes. Published 25 July 2018. Retrieved 3 November 2018.
  19. "Hay un gran espacio a la derecha del PP, pero nadie ha sabido aún cómo ocuparlo". El Confidencial, 29/07/2017.
    Sin espacio en España para la nueva derecha populista. El Mundo, 26/12/2017.
    Will Bannonism Play in Spain?. Slate, 02/07/2018.
    Explained: Who is VOX? Spain's latest far-right party gaining popularity. Euronews. Author - Cristina Abellan Matamoros. Last updated 8 October 2018. Retrieved 3 November 2018.
    Spanish far right gains increased support. The Government Europa. Published 2 November 2018. Retrieved 3 November 2018.
    Magma Ultra. El Periódico
    Here’s how bad economically a Spain-Catalonia split could really be. CNBC, 04/05/2018.
    Vox: la ultraderecha irrelevante en las urnas agita los juzgados. eldiario.es, 17/12/2017.
    La afiliación al partido ultraderechista VOX aumenta un 20% en 40 días. Público, 02/10/2017.
    Spain's far-right gains visibility in Catalonia crisis. AFP, 2017.
    Spain proves sterile ground for far-right parties. Deutsche Welle, 31/05/2017.
    Spain: No country for old fascists. Politico Europe, 26/12/2016.
  20. https://www.voxespana.es/wp-content/uploads/2021/04/CCAA-2020-Informe-audit-firmados.pdf
  21. Press, Europa (13 de junho de 2019). «Vox compartirá grupo en la Eurocámara con el partido que apoyó a Puigdemont». elperiodico 
  22. Quintero, L. F.; Alonso, M (14 de janeiro de 2014). «Nace Vox, el partido político de Santiago Abascal y Ortega Lara». Libertad Digital (em espanhol). Consultado em 3 de dezembro de 2018 
  23. Loucaides, Darren. «Spain Has Resisted the Right-Wing Populist Wave. A New Party Is Trying to Change That With Help From Steve Bannon.». Slate Magazine (em inglês) 
  24. «El partido Vox aboga por ser la alternativa a la derecha en España - Lanza Digital». Lanza Digital (em espanhol). 19 de março de 2017 
  25. «Spain's new PP leader seeks to move the party 'back to its roots' - Olive Press News Spain». Olive Press News Spain (em inglês). 25 de julho de 2018 
  26. «Nuno Melo. Vox não é um partido de extrema-direita». www.dn.pt. Consultado em 3 de maio de 2019 
  27. «"Hay un gran espacio a la derecha del PP, pero nadie ha sabido aún cómo ocuparlo"». El Confidencial (em espanhol) 
  28. «Spanish far right gains increased support | Government Europa». Government Europa (em inglês). 2 de novembro de 2018 
  29. «Vox: La extrema derecha irrumpe en España». La Vanguardia 
  30. O'Leary, Elisabeth (16 de janeiro de 2014). «Spanish ruling party rebels launch new conservative party». Reuters (em inglês). Consultado em 3 de dezembro de 2018 
  31. Muro, Miriam (26 de maio de 2014). «Tristeza y decepción en Vox tras los resultados de las Elecciones Europeas». Libertad Digital (em espanhol). Consultado em 3 de dezembro de 2018 
  32. Precedo, José (17 de dezembro de 2017). «Vox: la ultraderecha irrelevante en las urnas agita los juzgados». eldiario.es (em espanhol). Consultado em 3 de dezembro de 2018 
  33. García, Jesús (11 de outubro de 2017). «El TSJ catalán admite la querella de Vox por rebelión contra Puigdemont». Madrid. El País (em espanhol). ISSN 1134-6582 
  34. Gil, Iván (15 de setembro de 2018). «Vox irrumpe en el Congreso superando la barrera del 3% al 'robar' 500.000 votos al PP». El Confidencial (em espanhol). Consultado em 3 de dezembro de 2018 
  35. «Far-right gains foothold in Spanish region». BBC News (em inglês). 3 de dezembro de 2018 
  36. «VOX España - Aviso legal». web.archive.org. 17 de julho de 2014. Consultado em 20 de maio de 2022 
  37. Alonso, L. F. Quintero / M. (14 de janeiro de 2014). «Nace Vox, el partido político de Santiago Abascal y Ortega Lara». Libertad Digital (em espanhol). Consultado em 20 de maio de 2022 
  38. «Spanish ruling party rebels launch new conservative party». Reuters (em inglês). 16 de janeiro de 2014. Consultado em 20 de maio de 2022 
  39. Fernández, Guillermo. «Vox abre la puerta». ctxt.es | Contexto y Acción (em espanhol). Consultado em 20 de maio de 2022 
  40. «Spanish ruling party rebels launch new conservative party». Reuters (em inglês). 16 de janeiro de 2014. Consultado em 20 de maio de 2022 
  41. Casals, Xavier (1 de abril de 2019). «Catalunya i 'la España viva' de Vox». política&prosa (em catalão). Consultado em 20 de maio de 2022 
  42. «Vox elige a Vidal-Quadras como su primer presidente». Crónica Global (em espanhol). Consultado em 20 de maio de 2022 
  43. Casals, Xavier (1 de abril de 2019). «Catalunya i 'la España viva' de Vox». política&prosa (em catalão). Consultado em 20 de maio de 2022 
  44. Loucaides, Sohail Jannessari, Darren. «Spain's Vox Party Hates Muslims—Except the Ones Who Fund It». Foreign Policy (em inglês). Consultado em 20 de maio de 2022 
  45. Muro, Miriam (26 de maio de 2014). «Tristeza y decepción en Vox tras no conseguir un escaño». Libertad Digital (em espanhol). Consultado em 20 de maio de 2022 
  46. «VOX: "El 21D es fruto de un pacto oculto entre Rajoy y los golpistas"». El Plural (em espanhol). 3 de novembro de 2017. Consultado em 20 de maio de 2022 
  47. Bueno, Jesús García (11 de outubro de 2017). «El TSJ catalán admite la querella de Vox por rebelión contra Puigdemont». Madrid. El País (em espanhol). ISSN 1134-6582. Consultado em 20 de maio de 2022 
  48. «La afiliación al partido ultraderechista VOX aumenta un 20% en 40 días». www.publico.es. Consultado em 20 de maio de 2022 
  49. Company, The Geco (10 de setembro de 2018). «Los ex 'populares' Juan Antonio Morales y Antonio Pozo se incorporan a Vox». Región Digital. Consultado em 20 de maio de 2022 
  50. Turnbull-Dugarte, Stuart J. (abril de 2019). «Explaining the end of Spanish exceptionalism and electoral support for Vox». Research & Politics (em inglês) (2). 205316801985168 páginas. ISSN 2053-1680. doi:10.1177/2053168019851680. Consultado em 20 de maio de 2022 
  51. «Spain far-right Vox party gains foothold in Andalusia election - BBC News». web.archive.org. 3 de dezembro de 2018. Consultado em 20 de maio de 2022 
  52. 20minutos (19 de fevereiro de 2019). «¿Quién es Francisco José Alcaraz, el primer senador de Vox?». www.20minutos.es - Últimas Noticias (em espanhol). Consultado em 20 de maio de 2022 
  53. González, Miguel (29 de abril de 2019). «Vox enters Congress for the first time but falls short of expectations». EL PAÍS English Edition (em inglês). Consultado em 20 de maio de 2022 
  54. Press, Europa (13 de junho de 2019). «Vox compartirá grupo en la Eurocámara con el partido que apoyó a Puigdemont». elperiodico (em espanhol). Consultado em 20 de maio de 2022 
  55. «Spain election: grand coalition ruled out as far-right Vox surges». the Guardian (em inglês). 11 de novembro de 2019. Consultado em 20 de maio de 2022 
  56. «Vox gana las elecciones en Murcia y Ceuta». El Plural (em espanhol). 10 de novembro de 2019. Consultado em 20 de maio de 2022 
  57. «Vox pide que los extranjeros que hayan visitado China no entren en España». Redacción Médica (em espanhol). Consultado em 20 de maio de 2022 
  58. Vilaseró, Manuel (4 de fevereiro de 2020). «España descarta restringir los vuelos o el comercio con China por el coronavirus». elperiodico (em espanhol). Consultado em 20 de maio de 2022 
  59. «La embajada china critica por racista a Ortega Smith tras hablar de "malditos virus chinos"». La Vanguardia (em espanhol). 14 de março de 2020. Consultado em 20 de maio de 2022 
  60. Press, Europa (22 de fevereiro de 2021). «Vox pide declarar el 8 de marzo Día Nacional de las Víctimas de Coronavirus». www.europapress.es. Consultado em 20 de maio de 2022 
  61. «Los besos y apretones de manos de Ortega Smith en Vistalegre: su baño de masas con el coronavirus». El Español (em espanhol). 10 de março de 2020. Consultado em 20 de maio de 2022 
  62. González, Miguel (10 de março de 2020). «Vox confirma que Ortega Smith tiene coronavirus y pide perdón por su mitin del domingo». El País (em espanhol). Consultado em 20 de maio de 2022 
  63. «8 de marzo de 2020: las marchas más criticadas». www.efe.com (em espanhol). Consultado em 20 de maio de 2022 
  64. Alonso, Juanjo (9 de outubro de 2020). «Vox convoca una manifestación para el 12-O contra el estado de alarma en Madrid». Libertad Digital (em espanhol). Consultado em 20 de maio de 2022 
  65. Esteban, Paloma (27 de abril de 2020). «Vox lleva al Tribunal Constitucional el estado de alarma de Sánchez por "abusivo"». elconfidencial.com (em espanhol). Consultado em 20 de maio de 2022 
  66. Hermida, Xosé (21 de outubro de 2020). «Vox's motion of no confidence against the government: what you need to know about the two-day debate». EL PAÍS English Edition (em inglês). Consultado em 20 de maio de 2022 
  67. «La moción de censura de Vox fracasa con 298 'no', 52 'sí' y un Gobierno respaldado por la mayoría». www.lasexta.com (em espanhol). 22 de outubro de 2020. Consultado em 20 de maio de 2022 
  68. «VOX recurre ante el TC el estado de alarma». Confilegal (em espanhol). 6 de novembro de 2020. Consultado em 20 de maio de 2022 
  69. «Vox se entrega al trumpismo». abc (em espanhol). 1 de março de 2020. Consultado em 20 de maio de 2022 
  70. «Vox arranca la campaña en Euskadi con mítines blindados entre piedras y botellas». El Independiente (em espanhol). 26 de junho de 2020. Consultado em 20 de maio de 2022 
  71. «Lanzan piedras a Abascal en un acto de Vox en Girona». ElHuffPost (em espanhol). 30 de janeiro de 2021. Consultado em 20 de maio de 2022 
  72. «Vox sufre un nuevo ataque en un mitin y Abascal amenaza con responder si la Policía no les protege». ELMUNDO (em espanhol). 21 de abril de 2021. Consultado em 20 de maio de 2022 
  73. «Podemos justifica la violencia contra Vox en Vallecas: «Son unos pijos que han ido a provocar»». abc (em espanhol). 8 de abril de 2021. Consultado em 20 de maio de 2022 
  74. «Un Constitucional dividido anula el confinamiento domiciliario impuesto en el primer estado de alarma». ELMUNDO (em espanhol). 14 de julho de 2021. Consultado em 20 de maio de 2022 
  75. Brunet, José María (5 de outubro de 2021). «El Constitucional falla que la restricción de la actividad del Parlamento en la pandemia vulneró los derechos de los diputados». El País (em espanhol). Consultado em 20 de maio de 2022 
  76. Brunet, José María (27 de outubro de 2021). «El Constitucional anula el segundo decreto del estado de alarma contra la pandemia». El País (em espanhol). Consultado em 20 de maio de 2022 
  77. «El Gobierno devolverá todas las multas del primer e inconstitucional estado de alarma». abc (em espanhol). 22 de outubro de 2021. Consultado em 20 de maio de 2022 
  78. Fortuny, Pol Afonso (14 de fevereiro de 2022). «Spanish regional elections leads far-right party to record results». www.euractiv.com (em inglês). Consultado em 20 de maio de 2022 
  79. Arrebola, Alberto Ortiz, África Gelardo (18 de fevereiro de 2022). «Última hora sobre el coronavirus y la actualidad política». ElDiario.es (em espanhol). Consultado em 20 de maio de 2022 
  80. «EP (22F): la guerra del PP les deja con su peor resultado histórico y catapulta a PSOE y Vox. Sorpasso de EH Bildu al PNV». EM (em espanhol). 22 de fevereiro de 2022. Consultado em 20 de maio de 2022 
  81. Reuters (10 de março de 2022). «Far-right gains first share of power in Spain since Franco». Reuters (em inglês). Consultado em 20 de maio de 2022 
  82. «Vox speaker in Spain's Castilla y Leon regional parliament - Politics». ANSAMed (em inglês). 10 de março de 2022. Consultado em 20 de maio de 2022 
  83. «Vox speaker in Spain's Castilla y Leon regional parliament - Politics». ANSAMed (em inglês). 10 de março de 2022. Consultado em 20 de maio de 2022 
  84. Intereconomiatube (7 de março de 2014), VOX se pronuncia sobre el matrimonio gay, consultado em 3 de dezembro de 2018 
  85. El exilio iraní financió el 80% de la campaña de Vox de 2014
  86. Ellyatt, Holly (3 de dezembro de 2018). «Far-right party's success sends shock waves through Spain's political establishment». CNBC 
  87. «Anti-Immigrant Party Breaks Socialist Stronghold In Spain». NPR.org (em inglês) 
  88. Dias, João de Almeida. «Vox. Até onde irá o partido dos netos de Franco e dos filhos rebeldes do PP?». Observador. Consultado em 3 de dezembro de 2018 
  89. VOX España (26 de julho de 2018), VOX exige la construcción de un muro infranqueable en Ceuta y Melilla, consultado em 3 de dezembro de 2018 
  90. Abascal, Santiago (8 de novembro de 2015). «Cádiz, Covadonga y Bruselas». Libertad Digital (em espanhol). Consultado em 3 de dezembro de 2018 
  91. «VOX, el partido a la derecha del PP que se come el voto ultra». laSexta.com (em espanhol) 
  92. «Barcelona: Vox pide ilegalizar a partidos independentistas». La Vanguardia 
  93. «VOX - A new political party, an offshoot of the PP - Spain News in English». www.typicallyspanish.com. Consultado em 3 de dezembro de 2018 
  94. «Gibraltar takes far-right party VOX to court in Spain for 'inciting hatred' towards the Rock». Consultado em 5 de janeiro de 2020 
  95. «Vox. Partido de extrema-direita considera Portugal como província de Espanha». Consultado em 5 de janeiro de 2020 

<