Abrir menu principal

Laureados com o Nobel da Paz

O Instituto Nobel Norueguês auxilia o Comitê Nobel Noruguês na seleção dos vencedores do Prêmio Nobel da Paz e na organização da premiação anual em Oslo.

O Prêmio Nobel da Paz (em norueguês: Nobelpriset i litteratur) é concedido anualmente pelo Comitê Nobel Norueguês "para a pessoa que tenha feito o maior ou o melhor trabalho pela fraternidade entre nações, pela abolição ou redução dos exércitos permanentes e pela manutenção e promoção de congressos de paz."[1] É um dos cinco Prêmios Nobel criados em razão do desejo expresso pelo testamento de Alfred Nobel em 1895, atribuídos por contribuições destacáveis em química, física, literatura, paz, e fisiologia ou medicina.[2] Como escrito no testamento, o prêmio é gerido pelo Comitê Nobel Norueguês e concedido por um comitê de cinco pessoas eleitas pelo Parlamento da Noruega.[3] O primeiro Prêmio Nobel da Paz foi concedido em 1901 ao francês Frédéric Passy e ao suíço Henry Dunant; a premiação mais recente laureou o presidente etíope Abiy Ahmed Ali em 2019. Cada premiado recebe uma medalha, um diploma e uma quantia monetária de valor variado ao longo dos anos.[4] Em 1901, Passy e Dunant dividiram o prêmio de 150 782 SEK, o equivalente a 8 823 637,78 SEK em janeiro de 2018, enquanto que o laureado de 2017 recebeu a quantia de 8 000 000 SEK.[5][6] O Nobel da Paz é apresentado anualmente em Oslo, na presença do Rei da Noruega, no dia 10 de dezembro, aniversário da morte de Alfred Nobel, e é o único Prêmio Nobel que não é apresentado em Estocolmo.[7] Diferentemente dos outros prêmios, o da Paz é por vezes concedido a uma organização (como, por exemplo, o Comitê Internacional da Cruz Vermelha, vencedor em três anos) em vez de um ou mais indivíduos.

O prêmio é considerado o mais controverso dos Nobel, com diversas de suas escolhas sendo alvo de críticas.[8][9] Apesar de ter sido indicado cinco vezes, Mahatma Gandhi jamais ganhou. Após o seu assassinato em 1948, o Comitê considerou premiá-lo postumamente, porém decidiu por não fazê-lo e, em vez disso, não atribuiu o Prêmio naquele ano, justificando que "não havia candidato vivo apropriado".[10] Em 1961, Dag Hammarskjöld, que havia morrido após sua nomeação, porém muitos meses antes do anúncio, tornou-se o único laureado a ser reconhecido postumamente; posteriormente, as regras do Prêmio foram modificadas para impossibilitar futuras premiações póstumas.[11] Em 1973, Lê Đức Thọ recusou a honraria, explicando que "ele não estava em condições de aceitar o Prêmio, citando a situação do Vietnã como razão para tal."[12] Linus Pauling, laureado em 1962, é a única pessoa a ter vencido o Nobel duas vezes como único premiado; ele ganhara o Nobel de Química de 1954.[12] Aos 17 anos de idade, Malala Yousafzai, vencedora do Nobel da Paz de 2014, é a pessoa mais jovem a receber tal distinção.

Lista dos laureadosEditar

Século XXEditar

Década de 1900Editar

Ano Laureado
(Nascimento/Fundação–Falecimento/Término)
País
[nota 1]
Citação
1901 Henri Dunant
(1828–1910)
  Suíça Pelo seu papel na fundação do Comitê Internacional da Cruz Vermelha[11][13]
Frédéric Passy
(1822–1912)
  França "[Por] ser um dos principais fundadores da União Interparlamentar e também o principal organizador do primeiro Congresso Universal de Paz"[11][13]
1902 Élie Ducommun
(1833–1906)
  Suíça "[Por seu papel como] primeiro secretário honorário do Gabinete Internacional Permanente para a Paz"[11][14]
Charles Albert Gobat
(1843–1914)
  Suíça "[Por seu papel como] primeiro Secretário Geral da União Interparlamentar"[11][14]
1903 William Randal Cremer
(1828–1908)
  Reino Unido "[Por seu papel como] o 'primeiro pai' da União Interparlamentar"[11][15]
1904 Instituto de Direito Internacional
(1873–)
  Bélgica "[P]or seus esforços como órgão não-oficial para formular os princípios gerais da ciência do direito internacional"[11][16]
1905 Bertha von Suttner
(1843–1914)
  Áustria-Hungria Por ter escrito Abaixo as Armas! e ter contribuído para a criação do Prêmio[11][17]
1906 Theodore Roosevelt
(1858–1919)
  Estados Unidos "[Por] sua mediação exitosa para o fim da Guerra Russo-Japonesa e por seu interesse em arbitragem, tendo fornecido ao Tribunal Permanente de Arbitragem seu primeiro caso"[11][18]
1907 Ernesto Teodoro Moneta
(1833–1918)
  Itália "[Por seu trabalho como] líder principal do movimento pacifista italiano"[11][19]
Louis Renault
(1843–1918)
  França "[Por seu trabalho como] importante jurista internacional francês e membro do Tribunal Permanente de Arbitragem"[11][19]
1908 Klas Pontus Arnoldson
(1844–1916)
  Suécia "[Por seu trabalho como] fundador da Sociedade Sueca para a Paz e a Arbitragem"[11][20]
Fredrik Bajer
(1837–1922)
  Dinamarca "[Por ser] o principal defensor da paz na Escandinávia, conciliando seu trabalho na União Interparlamentar com a presidência do Gabinete Internacional Permanente para a Paz"[11][20]
1909 Auguste Beernaert
(1829–1919)
  Bélgica "[Por ser] membro do Tribunal Permanente de Arbitragem e uma figura central da União Interparlamentar"[11][21]
Estournelles de Constant
(1852–1924)
  França "[Por] combinar seu trabalho diplomático pela conciliação franco-alemã e franco-britânica com uma carreira destacável na arbitragem internacional"[11][21]

Década de 1910Editar

Ano Laureado
(Nascimento/Fundação–Falecimento/Término)
País
[nota 1]
Citação
1910 Gabinete Internacional Permanente para a Paz
(1891–)
  Suíça "[Por atuar] como uma ligação entre as sociedades de paz e vários países"[22][23]
1911 Tobias Asser
(1838–1913)
  Países Baixos "[Por ser] membro do Tribunal Permanente de Arbitragem, bem como o fundador das Confederências sobre Direito Privado Internacional"[11][24]
Alfred Fried
(1864–1921)
  Áustria-Hungria "[Por seu trabalho como] fundador da Sociedade Alemã pela Paz[11][24]
1912
[nota 2]
Elihu Root
(1845–1937)
  Estados Unidos "[P]or seu grande interesse em arbitragem internacional e por sua idealização de uma corte mundial"[11][25]
1913 Henri La Fontaine
(1854–1943)
  Bélgica "[Por seu trabalho como] presidente do Gabinete Internacional Permanente para a Paz"[11][29]
1914 O prêmio não foi atribuído.[30][31][32]
1915
1916
1917 Comitê Internacional da Cruz Vermelha
(1863–)
  Suíça "[Por assumir] a enorme tarefa de tentar proteger os direitos dos muitos prisioneiros de guerra de todos os lados [da Primeira Guerra Mundial], incluindo seus direitos de estabelecer contato com suas famílias"[11][33]
1918 O prêmio não foi atribuído.[34]
1919 Woodrow Wilson
(1856–1924)
  Estados Unidos "[P]or seu papel crucial na criação da Liga das Nações"[11][35]

Década de 1920Editar

Ano Laureado
(Nascimento/Fundação–Falecimento/Término)
País
[nota 1]
Citação
1920 Léon Bourgeois
(1851–1925)
  França "[Por sua participação] em ambas as Convenções da Haia de 1899 e 1907" e por seu trabalho para o "que tornou-se a Liga das Nações, a tal ponto que era frequentemente chamado de seu 'pai espiritual'"[11][36]
1921 Hjalmar Branting
(1860–1925)
  Suécia "[P]or seu trabalho na Liga das Nações"[11][37]
Christian Lange
(1869–1938)
  Noruega "[Por seu trabalho como] primeiro-secretário do Comitê Nobel Norueguês" e "secretário-geral da União Interparlamentar"[11][37]
1922 Fridtjof Nansen
(1861–1930)
  Noruega "[Por] seu trabalho no auxílio a milhões de pessoas na Rússia lutando contra a fome" e "seu trabalho pelos refugiados na Ásia Menor e Trácia"[38][39]
1923 O prêmio não foi atribuído.[40][41]
1924
1925
[nota 2]
Sir Austen Chamberlain
(1863–1937)
  Reino Unido Por seu trabalho nos Tratados de Locarno[11][26]
Charles G. Dawes
(1865–1951)
  Estados Unidos "[P]or [seu trabalho no] Plano Dawes para reparações alemães, que foi visto como tendo proporcionado a base econômica do Pacto de Locarno de 1925"[11][26]
1926 Aristide Briand
(1862–1932)
  França Por seu trabalho nos Tratados de Locarno[11][42]
Gustav Stresemann
(1878–1929)
  Alemanha
1927 Ferdinand Buisson
(1841–1932)
  França "[Por] suas contribuições pela reconciliação popular franco-alemã"[11][43]
Ludwig Quidde
(1858–1941)
  Alemanha
1928 O prêmio não foi atribuído.[44]
1929
[nota 2]
Frank B. Kellogg
(1856–1937)
  Estados Unidos "[P]elo Pacto Kellogg-Briand, cujos signatários concordam em resolver todos os conflitos por meios pacíficos e renunciar a guerra como um instrumento de política nacional"[11][27]

Década de 1930Editar

Ano Laureado
(Nascimento/Fundação–Falecimento/Término)
País
[nota 1]
Citação
1930 Nathan Söderblom
(1866–1931)
  Suécia "[P]or seus esforços em envolver as igrejas não apenas no trabalho pela unidade ecumênica, mas também para a paz mundial"[11][45]
1931 Jane Addams
(1860–1935)
  Estados Unidos "[P]or seu trabalho de reforma social" e por "liderar a Liga Internacional de Mulheres pela Paz e Liberdade"[11][46]
Nicholas Murray Butler
(1862–1947)
  Estados Unidos "[Pela promoção] do Pacto Briand-Kellogg"[11][46]
1932 O prêmio não foi atribuído.[47]
1933
[nota 2]
Norman Angell
(1872–1962)
  Reino Unido Por ter escrito A Grande Ilusão e por ser um "apoiador da Liga das Nações, bem como um influente jornalista [e] educador pela paz em geral"[11][28]
1934 Arthur Henderson
(1863–1935)
  Reino Unido "[P]or se trabalho na Liga [das Nações], particularmente por seus esforços pelo desarmamento"[11][48]
1935
[nota 3]
Carl von Ossietzky
(1889–1938)
  Alemanha "[Por seus] esforços contra o rearmamento alemão"[11][50]
1936 Carlos Saavedra Lamas
(1878–1959)
  Argentina "[P]or sua mediação pelo fim da Guerra do Chaco entre o Paraguai e a Bolívia"[11][51]
1937 Robert Cecil,
1º Visconde Cecil de Chelwood

(1864–1958)
  Reino Unido Por seu trabalho com a Liga das Nações[11][52]
1938 Comitê Internacional
Nansen para os Refugiados

(1930–1939)
  Suíça Por seu trabalho no auxílio a refugiados[53]
1939 O prêmio não foi atribuído.[54]

Década de 1940Editar

Ano Laureado
(Nascimento/Fundação–Falecimento/Término)
País
[nota 1]
Citação
1940 O prêmio não foi atribuído.[55][56][57][58]
1941
1942
1943
1944 Comitê Internacional da Cruz Vermelha
(1863–)
  Suíça "[P]elo grande trabalho que fez durante a guerra em nome da humanidade"[59][60]
1945 Cordell Hull
(1871–1955)
  Estados Unidos "[Por] seus esforços para criar um bloco de estados de paz nos continentes americanos e seu trabalho para a Organização das Nações Unidas"[61][62]
1946 Emily Greene Balch
(1867–1961)
  Estados Unidos "Ex-professora de História e Sociologia; Presidente internacional honorária, Liga Internacional de Mulheres pela Paz e Liberdade"[63]
John Raleigh Mott
(1865–1955)
"Presidente, Conselho Missionário Internacional; Presidente, Aliança Mundial das Associações Cristãs de Moços"[63]
1947 Conselho da Sociedade dos Amigos
(1827–)
  Reino Unido "[Por sua] compaixão para com os outros e seu desejo de ajudá-los"[64][65]
Comitê Americano da Sociedade dos Amigos
(1917–)
  Estados Unidos
1948 O prêmio não foi atribuído.[66]
1949 John Boyd Orr,
1º Barão Boyd Orr

(1880–1971)
  Reino Unido "Médico; Político alimentar; proeminente organizador e diretor, Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura; Presidente, Conselho de Paz Nacional e das Organizações de Paz do Mundo"[67]

Década de 1950Editar

Ano Laureado
(Nascimento/Fundação–Falecimento/Término)
País
[nota 1]
Citação
1950 Ralph Bunche
(1904–1971)
  Estados Unidos "Professor, Universidade Harvard Cambridge, MA; Diretor, divisão de Tutela, ONU.; Mediator na Palestina, 1948"[68]
1951 Léon Jouhaux
(1979–1954)
  França "Presidente do Comitê Internacional do Conselho Europeu, vice-presidente da Confederação Internacional de Sindicatos Livres, vice-presidente da Federação Sindical Mundial, membro do Conselho da OIT, delegado junto das Nações Unidas"[69]
1952 Albert Schweitzer
(1975–1965)
"Cirurgião missionário; Fundador do Lambaréné (République de Gabon)"[70]
1953 George Marshall
(1980–1959)
  Estados Unidos "Presidente da Cruz Vermelha Americana; Ex-Secretário de Estado e de Defesa; Delegado ONU; Criador d[o] 'Plano Marshall'"[71]
1954 Gabinete do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados
(1951–)
  Suíça "Uma organização internacional de assistência fundada pela ONU em 1951"[72]
1955 O prêmio não foi atribuído.[73][74]
1956
1957 Lester B. Pearson
(1897–1972)
  Canadá "Ex-secretário de Estado para Assuntos Externos do Canadá; ex-presidente da 7ª Seção da Assembleia Geral das Nações Unidas"; "por seu papel no fim do conflito de Suez e na tentativa de resolver a questão do Oriente Médio por meio das Nações Unidas."[75]
1958 Dominique Pire
(1910–1969)
  Bélgica "Padre na Ordem Dominicana; Líder da organização de ajuda a refugiados L'Europe du Coeur au Service du Monde"[76]
1959 Philip Noel-Baker
(1889–1982)
  Reino Unido "Membro do Parlamento; ativista ardente por toda sua vida pela paz e cooperação internacionais"[77]

Década de 1960Editar

Ano Laureado
(Nascimento/Fundação–Falecimento/Término)
País
[nota 1]
Citação
1960 Albert Lutuli
(1898–1967)
  África do Sul
[nota 4]
"Presidente do Congresso Nacional Africano,"[78] "esteve na vanguarda da luta contra o apartheid na África do Sul."[11]
1961
[nota 5]
Dag Hammarskjöld
(1905–1961)
  Suécia "Secretário-Geral da ONU,"[79] premiado "por ter fortalecido a organização."[11]
1962 Linus Pauling
(1901–1994)
  Estados Unidos "Por sua campanha contra testes com armas nucleares."[80]
1963 Comitê Internacional
da Cruz Vermelha

(1863–)
  Suíça Por seu trabalho na proteção dos direitos humanos nos 100 anos de existência do CICV.[81]
Liga das Sociedades
da Cruz Vermelha

(1919–)
1964 Martin Luther King Jr.
(1929–1968)
  Estados Unidos Ativista pelos direitos civis, "primeira pessoa do mundo ocidental a ter nos mostrado que uma luta pode ser travada sem violência." King ocupou seu tempo trabalhando em várias áreas do movimento dos direitos civis; da educação igualitária à privação econômica das minorias. King também organizou a Marcha sobre Washington, quando proferiu seu famoso "Discurso Eu Tenho um Sonho"[82]
1965 Fundo das Nações Unidas para a Infância
(1946–)
  Estados Unidos "Uma organização internacional de ajuda."[83]
1966 O prêmio não foi atribuído.[84][85]
1967
1968 René Cassin
(1887–1976)
  França "Presidente do Tribunal Europeu dos Direitos Humanos"[86]
1969 Organização Internacional do Trabalho
(1919–)
  Suíça "[Pelo] princípio de que a paz deve ser baseada na justiça social."[11][87]

Década de 1970Editar

Ano Laureado
(Nascimento/Fundação–Falecimento/Término)
País
[nota 1]
Citação
1970 Norman Borlaug
(1914–2009)
  Estados Unidos "Centro Internacional de Melhoramento de Milho e Trigo;" "por suas contribuições à "revolução verde" que tinha muito impacto na produção de alimentos, particularmente na Ásia e América Latina."[88]
1971 Willy Brandt
(1913–1992)
  Alemanha Ocidental "Chanceler da República Federal da Alemanha; pela Ostpolitik da Alemanha Ocidental"[89]
1972 O prêmio não foi atribuído.
1973
[nota 6]
Henry Kissinger
(1923–)
  Estados Unidos
[nota 7]
"Pelo acordo de Paris de 1973, cuja intenção era um cessar-fogo na guerra do Vietnã e a retirada das tropas americanas"[90]
Lê Đức Thọ
(1911–1990)
  Vietnã do Norte
1974 Seán MacBride
(1904–1988)
  Irlanda
[nota 8]
"Presidente do Gabinete Internacional Permanente para a Paz; Presidente da Comissão [das Nações Unidas] para a Namíbia." "Por seu forte interesse pelos direitos humanos: liderando a Convenção Europeia dos Direitos Humanos por meio do Conselho da Europa, ajudando a fundar e liderar a Anistia Internacional e servindo como secretário-geral da Comissão Internacional de Juristas"[91]
Eisaku Satō
(1901–1975)
  Japão "Primeiro-ministro do Japão," "por sua renúncia da opção nuclear para o Japão e seus esforços para promover uma reconciliação regional"[91]
1975
[nota 9]
Andrei Sakharov
(1921–1989)
  União Soviética "[Por sua] luta pelos direitos humanos, pelo desarmamento, e pela cooperação entre todas as nações"[93]
1976 Betty Williams
(1943–)
  Reino Unido "Fundador[as] do Movimento pela Paz na Irlanda do Norte (posteriormente renomeado Comunidade Gente de Paz)"[94]
Mairead Corrigan
(1944–)
1977 Anistia Internacional
(1961–)
  Reino Unido "[Por] proteger os direitos humanos dos prisioneiros de consciência."[95]
1978 Anwar Al Sadat
(1918–1981)
  Egito "Pelo Acordo de Camp David, que promoveu uma paz negociada entre Egito e Israel."[96]
Menachem Begin
(1913–1992)
  Israel
  Polônia
[nota 10]
1979 Madre Teresa de Calcutá
(1910–1997)
  Índia
[nota 11]
"Fundadora da Missionárias da Caridade."[97]

Década de 1980Editar

Ano Laureado
(Nascimento/Fundação–Falecimento/Término)
País
[nota 1]
Citação
1980 Adolfo Pérez Esquivel
(1931–)
  Argentina "Líder dos direitos humanos;" "fundou organizações de direitos humanos não-violentas para combater a junta militar que governava seu país (Argentina)."[98]
1981 Gabinete do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados
(1951–)
  Suíça "Uma organização internacional de assistência fundada pela ONU em 1951"[99]
1982 Alva Myrdal
(1902–1986)
  Suécia "[por] seus trabalhos magníficos nas negociações de desarmamento das Nações Unidas, nas quais ambas tiveram papel crucial e ganharam reconhecimento internacional"[100]
Alfonso García Robles
(1911–1991)
  México
1983 Lech Wałęsa
(1943–)
  Polônia "Fundador do Solidarność; ativista por direitos humanos"[101]
1984 Desmond Tutu
(1931–)
  África do Sul "como uma figura líder unificadora na campanha para resolver o problema do apartheid na África do Sul. (...) Pela atribuição do Prêmio da Paz deste ano, o Comitê gostaria de direcionar a atenção à luta não-violenta pela libertação a qual Desmond Tutu pertence, uma luta na qual sul-africanos negros e brancos se unem para tirar seu país do conflito e da crise."[102]
1985 Médicos Internacionais para a Prevenção da Guerra Nuclear
(1980–)
  Estados Unidos Por "criar uma consciência das consequências catastróficas da guerra atômica. O comitê acredita que isto, por sua vez, contribui para um aumento na pressão da oposição pública à proliferação de armas atômicas e para uma redefinição de prioridades, com maior atenção sendo dada à saúde e a outras questões humanitárias."[103]
1986 Elie Wiesel
(1928–2016)
  Estados Unidos
[nota 12]
"Presidente da "The President's Commission on the Holocaust""[104]
1987 Óscar Arias
(1940–)
  Costa Rica "por seu trabalho pela paz na América Central, esforços que levaram ao acordo assinado na Guatemala em 7 de agosto deste ano"[105]
1988 Forças de manutenção da paz das Nações Unidas
(1948–)
  Estados Unidos "[por] seus esforços [que] fizeram importantes contribuições para a realização de um dos princípios fundamentais das Nações Unidas"[106]
1989 Tenzin Gyatso,
14º Dalai Lama

(1935–)
  Índia
[nota 13]
"Em sua luta pela libertação do Tibete, consistentemente opôs-se ao uso de violência. Em vez disso, defendeu soluções pacíficas baseadas na tolerância e respeito mútuo, a fim de preservar a herança histórica e cutural de seu povo."[107]

Década de 1990Editar

Ano Laureado
(Nascimento/Fundação–Falecimento/Término)
País
[nota 1]
Citação
1990 Mikhail Gorbachev
(1931–)
  União Soviética Secretário-geral do Partido Comunista da União Soviética e Presidente da União Soviética, "por seu papel de liderança no processo de paz que hoje caracteriza partes importantes da comunidade internacional"[108]
1991
[nota 14]
Aung San Suu Kyi
(1945–)
  Myanmar "por sua luta não-violenta pela democracia e direitos humanos"[110]
1992 Rigoberta Menchú
(1959–)
  Guatemala "por seu trabalho por justiça social e reconciliação étnico-cultural baseada no respeito pelos direitos dos povos indígenas"[111]
1993 Nelson Mandela
(1918–2013)
  África do Sul "por seus trabalhos pelo término pacífico do regime do apartheid, e por lançar as bases para uma nova África do Sul democrática"[112]
Frederik Willem de Klerk
(1936–)
1994 Yasser Arafat
(1929–2004)
  Palestina
[nota 15]
"[por] honrarem um ato político que clamava por grande coragem em ambos os lados, e que abriu oportunidades para um novo desenvolvimento em direção à fraternidade no Oriente Médio."[113]
Yitzhak Rabin
(1922–1995)
  Israel
[nota 16]
Shimon Peres
(1923–2016)
1995 Józef Rotblat
(1908–2005)
  Reino Unido
  Polônia
"por seus esforços para diminuir o papel desempenhado pelas armas nucleares em política internacional e, a longo prazo, para eliminar tais armas"[114]
Conferências Pugwash sobre Ciência e Negócios Mundiais
(1957–)
  Canadá
1996 Carlos Filipe Ximenes Belo
(1948–)
  Indonésia
[nota 17]
"por seus trabalhos em direção a uma solução justa e pacífica para o conflito no Timor-Leste."[115]
José Ramos-Horta
(1949–)
1997 Campanha Internacional para a Eliminação de Minas
(1992–)
  Suíça "por seu trabalho pela proibição e limpeza de minas antipessoais"[116]
Jody Williams
(1950–)
  Estados Unidos
1998 John Hume
(1937–)
  Irlanda "por seu esforço para encontrar uma solução pacífica para o conflito na Irlanda do Norte"[117]
David Trimble
(1944–)
  Reino Unido
1999   Médicos sem Fronteiras
(1971–)
  Suíça "em reconhecimento do trabalho humanitário pioneiro da organização em vários continentes"[118]

Século XXIEditar

Década de 2000Editar

Ano Laureado
(Nascimento/Fundação–Falecimento/Término)
País
[nota 1]
Citação
2000 Kim Dae-jung
(1924–2009)
  Coreia do Sul "por seu trabalho pela democracia e pelos direitos humanos na Coreia do Sul e no Leste Asiático em geral, e pela paz e reconcilização com a Coreia do Norte em especial"[119]
2001 Organização das
Nações Unidas

(1945–)
  Estados Unidos "por seu trabalho por um mundo melhor organizado e mais pacífico"[120]
Kofi Annan
(1938–2018)
  Gana
2002 Jimmy Carter
(1924–)
  Estados Unidos "por suas décadas de esforços incansáveis para encontrar soluções pacíficas para conflitos internacionais, em prol da democracia e dos direitos humanos, e promover desenvolvimento econômico e social"[121]
2003 Shirin Ebadi
(1947–)
  Irã "por seus esforços pela democracia e os direitos humanos. Concentrou-se especialmente na luta pelos direitos das mulheres e das crianças."[122]
2004 Wangari Maathai
(1940–2011)
  Quênia "por sua contribuição para o desenvolvimento sustentável, a democracia e a paz"[123]
2005 Agência Internacional
de Energia Atômica

(1957–)
  Áustria "por seus esforços para prevenir o uso de energia nuclear com propósitos militares e para garantir que a energia nuclear para fins pacíficos seja usada da maneira mais segura possível"[124]
Mohamed ElBaradei
(1942–)
  Egito
2006 Muhammad Yunus
(1940–)
  Bangladesh "por promover oportunidades econômicas e sociais para os mais pobres, especialmente as mulheres, por eu trabalho pioneiro de microcrédito"[125]
Grameen Bank
(1983–)
2007 Painel Intergovernamental
sobre Mudanças Climáticas

(1988–)
  Suíça "por seus esforços para construir e disseminar conhecimento sobre mudanças climáticas provocadas pelo homem, e por estabelecer as bases para as medidas necessárias para reagir sobre tais mudanças"[126]
Al Gore
(1948–)
  Estados Unidos
2008 Martti Ahtisaari
(1937–)
  Finlândia "por seus esforços em diversos continentes e por mais de três décadas, para resolver conflitos internacionais"[127]
2009 Barack Obama
(1961–)
  Estados Unidos "por seus esforços extraordinários para fortalecer a diplomacia internacional e a cooperação entre os povos."[127]

Década de 2010Editar

Ano Laureado
(Nascimento/Fundação–Falecimento/Término)
País
[nota 1]
Citação
2010
[nota 18]
Liu Xiaobo
(1955–2017)
  China "pela sua longa não-violenta luta por direitos humanos fundamentais na China"[129]
2011 Ellen Johnson Sirleaf
(1938–)
  Libéria "pela sua luta não-violenta pela segurança de mulheres e pelos direitos das mulheres de sua plena participação no trabalho de construção da paz"[130]
Leymah Gbowee
(1972–)
Tawakel Karman
(1979–)
  Iêmen
2012 União Europeia
(1992–)
  Bélgica "por mais de seis décadas contribuiu para o avanço da paz e reconciliação, democracia e direitos humanos na Europa."[131]
2013 Organização para a
Proibição de Armas Químicas

(1997–)
  Países Baixos "por seus vastos esforços em eliminar armas químicas."[132]
2014 Kailash Satyarthi
(1954–)
  Índia "por sua luta contra a repressão de crianças e jovens e pelo direito de todas as crianças à educação"[133]
Malala Yousafzai
(1997–)
  Paquistão
2015 Quarteto para o
Diálogo Nacional da Tunísia

(2013–)
  Tunísia "por sua contribuição decisiva para a construção de uma democracia pluralista na Tunísia na sequência da Revolução de Jasmim de 2011"[134]
2016 Juan Manuel Santos
(1951–)
  Colômbia "por seus esforços resolutos para trazer a guerra civil de mais de 50 anos do país a um fim, uma guerra que custou a vida de, pelo menos, 220 000 colombianos e deslocou cerca de seis milhões de pessoas"[135]
2017 Campanha Internacional para a
Abolição de Armas Nucleares

(2007–)
  Suíça "por seu trabalho em chamar a atenção para as consequências humanitárias catastróficas de qualquer uso de armas nucleares e por seus esforços inovadores para se chegar a uma proibição, baseada em tratado, de tais armas"[136]
2018 Denis Mukwege
(1955–)
  República Democrática do Congo "por seus esforços pelo fim do uso da violência sexual como uma arma de guerra e de conflito armado"[137]
Nadia Murad
(1993–)
  Iraque
2019   Abiy Ahmed Ali
(1976–)
  Etiópia "Por passar vários meses a tentar alcançar a amnistia do país, acabando com a censura dos meios de comunicação, promovendo a paz social, e aumentando a importância das mulheres na comunidade da Etiópia."[138]

EstatísticasEditar

No total, foram 133 prêmios concedidos em 99 anos de premiações do Nobel da Paz (uma vez que, em 118 anos de história, houve 19 anos nos quais o prêmio não foi atribuído), com uma média, portanto, de 1,37 distinções por ano. Dos 131 laureados, 27 foram instituições (20,6%) e 104, indivíduos (79,4%). O Comitê Internacional da Cruz Vermelha e o Gabinete do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados são as duas únicas entidades a serem galardoadas mais de uma vez (1917, 1944 e 1963 para a primeira e 1954 e 1981 para a segunda); nenhuma pessoa jamais alcançou este feito. A lista abaixo organiza as estatísticas relativa aos anos de atribuição do Nobel da Paz conforme a natureza do(a) premiado(a) (indivíduo ou instituição):

Combinação Qtd. % Ano do prêmio
1 indivíduo 50 50,5% 1903, 1905, 1906, 1912, 1913, 1919, 1920, 1922, 1929, 1930, 1932, 1934, 1935, 1936, 1937, 1945, 1949, 1950, 1951, 1952, 1953, 1957, 1958, 1959, 1960, 1961, 1962, 1964, 1968, 1970, 1971, 1975, 1979, 1980, 1983, 1984, 1986, 1987, 1989, 1990, 1991, 1992, 2000, 2002, 2003, 2004, 2008, 2009, 2010, 2016
2 indivíduos 22 22,2% 1901, 1902, 1907, 1908, 1909, 1911, 1921, 1925, 1926, 1927, 1931, 1946, 1973, 1974, 1976, 1978, 1982, 1993, 1986, 1998, 2014, 2018
3 indivíduos 2 2,0% 1994, 2011
1 instituição 17 17,2% 1904, 1910, 1917, 1938, 1944, 1954, 1965, 1969, 1977, 1981, 1985, 1988, 1999, 2012, 2013, 2015, 2017
2 instituições 2 2,0% 1947, 1963
1 indivíduo +
1 instituição
6 6,1% 1995, 1997, 2001, 2005, 2006, 2007
Subtotal 99 100% Anos nos quais houve premiação.
Não atribuído 19 1914, 1915, 1916, 1918, 1923, 1924, 1928, 1932, 1939, 1940, 1941, 1942, 1943, 1948, 1955, 1956, 1966, 1967, 1972
Total 118 Todos os anos desde a primeira premiação em 1901.

Por paísEditar

A lista abaixo refere-se às nacionalidades dos 105 indivíduos laureados à época da concessão do prêmio. Menachem Begin e Józef Rotblat tinham dupla nacionalidade à época em que receberam o Nobel, aparecendo, portanto, duas vezes na lista seguinte.

# País Qtd. Laureados (ano do prêmio)
1   Estados Unidos 22 Roosevelt (1906), Root (1912), Wilson (1919), Dawes (1925), Kellogg (1929), Addams (1931), Butler (1931), Hull (1945), Balch (1946), Mott (1946), Orr (1949), Bunche (1950), Marshall (1953), Pauling (1962), Luther King Jr. (1964), Borlaug (1970), Kissinger (1973), Wiesel (1986), Williams (1997), Carter (2002), Gore (2007), Obama (2009)
2   Reino Unido 10 Cremer (1903)[nota 19], Chamberlain (1925), Angell (1933), Henderson (1934), Cecil (1937), Noel-Baker (1959), Williams (1976), Corrigan (1976), Rotblat (1995), Trimble (1998)
3   França 9 Passy (1901), Renault (1907), de Constant (1909), Bourgeois (1920), Briand (1926), Buisson (1927), Jouhaux (1951), Schweitzer (1952), Cassin (1968)
4   Suécia 5 Arnoldson (1908), Branting (1921), Söderblom (1930), Hammarskjöld (1961), Myrdal (1982)
5   África do Sul 4 Lutuli (1960), Tutu (1984), Mandela (1993), de Klerk (1993)
  Alemanha 4 Stresemann (1926)[nota 20], Quidde (1927)[nota 20], von Ossietzky (1935)[nota 21], Brandt (1971)[nota 22]
7   Bélgica 3 Beernaert (1909), La Fontaine (1913), Pire (1958)
  Índia 3 Madre Teresa (1979), Gyatso (1989), Satyarthi (2014)
  Israel 3 Begin (1978), Rabin (1994), Peres (1994)
  Polônia 3 Begin (1978), Wałęsa (1983), Rotblat (1995)
  Suíça 3 Dunant (1901), Ducommun (1902), Gobat (1902)
12   Argentina 2 Lamas (1936), Esquivel (1980)
  Áustria-Hungria 2 von Suttner (1905), Fried (1911)
  Egito 2 Al Sadat (1978), ElBaradei (2005)
  Indonésia 2 Belo (1996), Ramos-Horta (1996)
  Irlanda 2 MacBride (1974), Hume (1998)
  Libéria 2 Sirleaf (2011), Gbowee (2011)
  Noruega 2 Lange (1921), Nansen (1922)
  União Soviética 2 Sakharov (1975), Gorbachev (1990)
23   Bangladesh 1 Yunus (2006)
  Birmânia 1 Suu Kyi (1991)
  Canadá 1 Pearson (1957)
  Colômbia 1 Santos (2016)
  República Democrática do Congo 1 Mukwege (2018)
  Coreia do Sul 1 Dae-jung (2000)
  Costa Rica 1 Arias (1987)
  Dinamarca 1 Bajer (1908)
  Etiópia 1 Ali (2019)
  Finlândia 1 Ahtisaari (2008)
  Gana 1 Annan (2001)
  Guatemala 1 Menchú (1992)
  Iêmen 1 Karman (2011)
  Itália 1 Moneta (1907)[nota 23]
  Irão 1 Ebadi (2003)
  Iraque 1 Murad (2018)
  Japão 1 Satō (1974)
  México 1 Robles (1982)
  Países Baixos 1 Asser (1911)
  Palestina 1 Arafat (1994)
  Paquistão 1 Yousafzai (2014)
  Quênia 1 Maathai (2004)
  Vietnã do Norte 1 Thọ (1973)

A lista abaixo refere-se à localização da sede das 25 instituições laureadas à época da concessão do prêmio. Uma delas era associada à Liga das Nações, enquanto seis são associadas à Organização das Nações Unidas (além da própria ONU também ter recebido o prêmio).

# Sede Qtd. Laureados (ano do prêmio)
1   Suíça 10 Gabinete Internacional Permanente para a Paz (1910)
Comitê Internacional da Cruz Vermelha (1917, 1944, 1963)
Comitê Internacional Nansen para os Refugiados (1938)[nota 24]
Gabinete do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (1954, 1981)[nota 25]
Liga das Sociedades da Cruz Vermelha (1963)
Organização Internacional do Trabalho (1969)[nota 25]
Campanha Internacional para a Eliminação de Minas (1997)
Médicos sem Fronteiras (1998)
Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (2007)[nota 25]
Campanha Internacional para a Abolição de Armas Nucleares (2017)
11   Estados Unidos 5 Comitê Americano da Sociedade dos Amigos (1947)
Fundo das Nações Unidas para a Infância (1965)[nota 25]
Médicos Internacionais para a Prevenção da Guerra Nuclear (1985)
Forças de manutenção da paz das Nações Unidas (1988)[nota 25]
Organização das Nações Unidas (2001)
16   Bélgica 2 Instituto de Direito Internacional (1904)
União Europeia (2012)
  Reino Unido 2 Conselho da Sociedade dos Amigos (1947)
Anistia Internacional (1977)
20   Áustria 1 Agência Internacional de Energia Atômica (2005)[nota 25]
  Canadá 1 Conferências Pugwash sobre Ciência e Negócios Mundiais (1995)
  Países Baixos 1 Organização para a Proibição de Armas Químicas (2013)
  Tunísia 1 Quarteto para o Diálogo Nacional da Tunísia (2015)

Por sexoEditar

Os 106 indivíduos laureados de 1901 a 2018 foram dos seguintes sexos:

Década Homens Mulheres Total
Qtd. Porc. Qtd. Porc.
1900 12 92,3% 1 7.7% 13
1910 5 100% 0 0% 5
1920 11 100% 0 0% 11
1930 7 87,5% 1 12,5% 8
1940 3 75% 1 25% 4
1950 7 100% 0 0% 7
1960 5 100% 0 0% 5
1970 9 75% 3 25% 12
1980 7 87,5% 1 12,5% 8
1990 11 78,6% 3 21,4% 14
2000 8 80% 2 20% 10
2010 4 44,4% 5 55,6% 9
Total 89 84% 17 16% 106

Notas

  1. a b c d e f g h i j k l Nacionalidade do laureado ou sede da instituição à época da concessão do prêmio.
  2. a b c d Elihu Root, Austen Chamberlain, Charles Dawes, Frank Kellogg, e Norman Angell foram premiados com seus respectivos Nobel com um ano de atraso, pois o Comitê decidiu que nenhuma das nomeações do ano em que foram listados se encaixava nos critérios do testamento de Nobel; seguindo suas regras, o Comitê adiou a premiação para o ano seguinte, embora eles tenham sido laureados como vencedores do Prêmio do ano anterior.[25][26][27][28]
  3. O Prêmio de Carl von Ossietzky foi concedido in absentia, pois ele teve seu passaporte recusado pelo governo da Alemanha.[49]
  4. Nascido na Rodésia do Sul, em território que hoje corresponde ao Zimbábue.
  5. Premiado postumamente.
  6. Lê Đức Thọ recusou o Prêmio.[90]
  7. Nascido na República de Weimar.
  8. Nascido na França.
  9. O Prêmio de Andrei Sakharov foi concedido in absentia, pois ele teve seu passaporte recusado pelo governo da União Soviética.[92]
  10. Nascido no Império Russo.
  11. Nascida no Império Otomano, região hoje pertencente à República da Macedônia.
  12. Nascido na Romênia.
  13. Nascido no Reino do Tibete, atualmente uma província disputada da República Popular da China.
  14. O Prêmio de Aung San Suu Kyi foi concedido in absentia, pois ela encontrava-se mantida prisioneira pelo governo da Birmânia. Após sua soltura da prisão domiciliar, Suu Kyi aceitou o prêmio pessoalmente no dia 16 de junho de 2012.[109]
  15. Nascido no Egito.
  16. Nascido no Mandato Britânico da Palestina.
  17. Nascido no Timor Português, então colônia do Império Português.
  18. O Prêmio de Liu Xiaobo foi concedido in absentia, pois ele encontrava-se preso na China.[128]
  19. À época, o Reino Unido da Grã-Bretanha e da Irlanda.
  20. a b À época, a República de Weimar.
  21. À época, a Alemanha Nazi.
  22. À época, a Alemanha Ocidental.
  23. À época, o Reino de Itália.
  24. Órgão associado à Liga das Nações.
  25. a b c d e f Órgão associado à Organização das Nações Unidas.

Referências

  1. «Excerpt from the Will of Alfred Nobel» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 6 de outubro de 2011. Arquivado do original em 30 de maio de 2013 
  2. «Alfred Nobel: The Man Behind the Nobel Prize» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 6 de outubro de 2011 
  3. «Prize Awarder for the Nobel Peace Prize» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 6 de outubro de 2011 
  4. «The Nobel Prize» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 6 de outubro de 2011 
  5. «The Nobel Prize amounts» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 7 de setembro de 2018 
  6. «Prize amount and market value of invested capital converted into 2017 year's monetary value» (PDF). Fundação Nobel. Consultado em 7 de setembro de 2018 
  7. «The Nobel Peace Prize Award Ceremonies» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 6 de outubro de 2011 
  8. Tønnesson, Øyvind (29 de junho de 2000). «Controversies and Criticisms» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 6 de outubro de 2011 
  9. Murphy, Clare (8 de outubro de 2000). «The Nobel: Dynamite or damp squib?» (em inglês). BBC News. Consultado em 6 de outubro de 2011 
  10. Tønnesson, Øyvind (1 de dezembro de 1999). «Controversies Mahatma Gandhi, the Missing Laureate» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 6 de outubro de 2011 
  11. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab ac ad ae af ag ah ai aj ak al am an Lundestad, Geir (15 de março de 2001). «The Nobel Peace Prize, 1901–2000» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 6 de outubro de 2011 
  12. a b «Nobel Laureates Facts» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 6 de outubro de 2011. Arquivado do original em 1 de setembro de 2012 
  13. a b «Nobel Peace Prize 1901» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 8 de agosto de 2018 
  14. a b «Nobel Peace Prize 1902» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 8 de agosto de 2018 
  15. «Nobel Peace Prize 1903» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 10 de agosto de 2018 
  16. «Nobel Peace Prize 1904» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 10 de agosto de 2018 
  17. «Nobel Peace Prize 1905» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 10 de agosto de 2018 
  18. «Nobel Peace Prize 1906» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 10 de agosto de 2018 
  19. a b «Nobel Peace Prize 1907» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 8 de agosto de 2018 
  20. a b «Nobel Peace Prize 1908» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 8 de agosto de 2018 
  21. a b «Nobel Peace Prize 1909» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 8 de agosto de 2018 
  22. «Award Ceremony Speech (1910)» (em inglês). Fundação Nobel. 10 de dezembro de 1910. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  23. «Nobel Peace Prize 1910» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 10 de agosto de 2018 
  24. a b «Nobel Peace Prize 1911» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 10 de agosto de 2018 
  25. a b «Nobel Peace Prize 1912» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 10 de agosto de 2018 
  26. a b c «Nobel Peace Prize 1925» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 13 de agosto de 2018 
  27. a b «Nobel Peace Prize 1929» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 13 de agosto de 2018 
  28. a b «Nobel Peace Prize 1933» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 15 de agosto de 2018 
  29. «Nobel Peace Prize 1913» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 10 de agosto de 2018 
  30. «Nobel Peace Prize 1914» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  31. «Nobel Peace Prize 1915» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  32. «Nobel Peace Prize 1916» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  33. «Nobel Peace Prize 1917» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 10 de agosto de 2018 
  34. «Nobel Peace Prize 1918» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  35. «Nobel Peace Prize 1919» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 10 de agosto de 2018 
  36. «Nobel Peace Prize 1920» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 11 de agosto de 2018 
  37. a b «Nobel Peace Prize 1921» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 13 de agosto de 2018 
  38. Stang, Fredrik. «Award Ceremony Speech (1922)» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  39. «Nobel Peace Prize 1922» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 13 de agosto de 2018 
  40. «Nobel Peace Prize 1923» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  41. «Nobel Peace Prize 1924» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  42. «Nobel Peace Prize 1926» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 13 de agosto de 2018 
  43. «Nobel Peace Prize 1927» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 13 de agosto de 2018 
  44. «Nobel Peace Prize 1928» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  45. «Nobel Peace Prize 1930» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 13 de agosto de 2018 
  46. a b «Nobel Peace Prize 1931» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 15 de agosto de 2018 
  47. «Nobel Peace Prize 1932» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  48. «Nobel Peace Prize 1934» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 15 de agosto de 2018 
  49. «Biography:Carl von Ossietzky» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  50. «Nobel Peace Prize 1935» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 15 de agosto de 2018 
  51. «Nobel Peace Prize 1936» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 15 de agosto de 2018 
  52. «Nobel Peace Prize 1937» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 15 de agosto de 2018 
  53. «Nobel Peace Prize 1938» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 15 de agosto de 2018 
  54. «Nobel Peace Prize 1939» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  55. «Nobel Peace Prize 1940» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  56. «Nobel Peace Prize 1941» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  57. «Nobel Peace Prize 1942» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  58. «Nobel Peace Prize 1943» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  59. Jahn, Gunnar. «Award Ceremony Speech (1944)» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  60. «Nobel Peace Prize 1944» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 15 de agosto de 2018 
  61. Jahn, Gunnar. «Award Ceremony Speech (1945)» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  62. «Nobel Peace Prize 1945» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 17 de agosto de 2018 
  63. a b «Nobel Peace Prize 1946» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 17 de agosto de 2018 
  64. Jahn, Gunnar. «Award Ceremony Speech (1947)» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  65. «Nobel Peace Prize 1947» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 17 de agosto de 2018 
  66. «Nobel Peace Prize 1948» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  67. «Nobel Peace Prize 1949» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 17 de agosto de 2018 
  68. «Nobel Peace Prize 1950» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 17 de agosto de 2018 
  69. «Nobel Peace Prize 1951» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 25 de agosto de 2018 
  70. «Nobel Peace Prize 1952» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 25 de agosto de 2018 
  71. «Nobel Peace Prize 1953» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 25 de agosto de 2018 
  72. «Nobel Peace Prize 1954» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 25 de agosto de 2018 
  73. «Nobel Peace Prize 1955» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  74. «Nobel Peace Prize 1956» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  75. «Nobel Peace Prize 1957» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  76. «Nobel Peace Prize 1958» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  77. «Nobel Peace Prize 1959» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  78. «Nobel Peace Prize 1960» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  79. «Nobel Peace Prize 1961» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  80. «Nobel Peace Prize 1962» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  81. «Nobel Peace Prize 1963» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  82. «Nobel Peace Prize 1964» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  83. «Nobel Peace Prize 1965» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  84. «Nobel Peace Prize 1966» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  85. «Nobel Peace Prize 1967» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  86. «Nobel Peace Prize 1968» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  87. «Nobel Peace Prize 1969» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  88. «Nobel Peace Prize 1970» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  89. «Nobel Peace Prize 1971» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  90. a b «Nobel Peace Prize 1973» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  91. a b «Nobel Peace Prize 1974» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  92. Lionaes, Aase. «Award Ceremony Speech (1975)» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  93. «Nobel Peace Prize 1975» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  94. «Nobel Peace Prize 1976» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  95. «Nobel Peace Prize 1977» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  96. «Nobel Peace Prize 1978» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  97. «Nobel Peace Prize 1979» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  98. «Nobel Peace Prize 1980» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  99. «Nobel Peace Prize 1981» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  100. «Nobel Peace Prize 1982» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  101. «Nobel Peace Prize 1983» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  102. «Nobel Peace Prize 1984» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  103. «Nobel Peace Prize 1985» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  104. «Nobel Peace Prize 1986» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  105. «Nobel Peace Prize 1987» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  106. «Nobel Peace Prize 1988» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  107. «Nobel Peace Prize 1989» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  108. «Nobel Peace Prize 1990» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  109. Sejersted, Francis. «Award Ceremony Speech (1991)» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  110. «Nobel Peace Prize 1991» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de agosto de 2018 
  111. «Nobel Peace Prize 1992» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de agosto de 2018 
  112. «Nobel Peace Prize 1993» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de agosto de 2018 
  113. «Nobel Peace Prize 1994» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de agosto de 2018 
  114. «Nobel Peace Prize 1995» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de agosto de 2018 
  115. «Nobel Peace Prize 1996» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de agosto de 2018 
  116. «Nobel Peace Prize 1997» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de agosto de 2018 
  117. «Nobel Peace Prize 1998» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de agosto de 2018 
  118. «Nobel Peace Prize 1999» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de agosto de 2018 
  119. «Nobel Peace Prize 2000» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de agosto de 2018 
  120. «Nobel Peace Prize 2001» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de agosto de 2018 
  121. «Nobel Peace Prize 2002» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de agosto de 2018 
  122. «Nobel Peace Prize 2003» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de agosto de 2018 
  123. «Nobel Peace Prize 2004» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de agosto de 2018 
  124. «Nobel Peace Prize 2005» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de agosto de 2018 
  125. «Nobel Peace Prize 2006» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de agosto de 2018 
  126. «Nobel Peace Prize 2007» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de agosto de 2018 
  127. a b «Nobel Peace Prize 2008» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de agosto de 2018 
  128. Jagland, Thorbjørn. «Award Ceremony Speech (2010)» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  129. «Nobel Peace Prize 2010» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de agosto de 2018 
  130. «Nobel Peace Prize 2011» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de agosto de 2018 
  131. «Nobel Peace Prize 2012» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de agosto de 2018 
  132. «Nobel Peace Prize 2013» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de agosto de 2018 
  133. «Nobel Peace Prize 2014» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de agosto de 2018 
  134. «Nobel Peace Prize 2015» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de agosto de 2018 
  135. «Nobel Peace Prize 2016» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de agosto de 2018 
  136. «Nobel Peace Prize 2017» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de agosto de 2018 
  137. «Nobel Peace Prize 2018» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 6 de outubro de 2018 
  138. «Primeiro-ministro etíope Abiy Ahmed Ali distinguido com o Nobel da Paz de 2019». Público. 11 de outubro de 2019. Consultado em 11 de outubro de 2019 

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Laureados com o Nobel da Paz