Abrir menu principal

Ratinho Júnior

Governador do Estado do Paraná
(Redirecionado de Ratinho Junior)
Ratinho Júnior
57.º Governador do Paraná
Período 1 de janeiro de 2019
até a atualidade
Vice-governador Darci Piana
Antecessor Cida Borghetti
Deputado estadual do Paraná
Período 11 de setembro de 2017
até 1 de janeiro de 2019
Período 1 de fevereiro de 2003
até 1 de fevereiro de 2007
Secretário do Desenvolvimento Urbano do Paraná
Período janeiro de 2015
até setembro de 2017
Governador Beto Richa
Antecessor João Carlos Ortega
Sucessor João Carlos Ortega
Período janeiro de 2013
até abril de 2014
Governador Beto Richa
Antecessor Cezar Silvestri
Sucessor João Carlos Ortega
Deputado federal pelo Paraná
Período 4 de abril de 2014
até 1 de janeiro de 2015
Período 6 de dezembro de 2012
até 7 de fevereiro de 2013
Período 1 de fevereiro de 2007
até 7 de agosto de 2012
Dados pessoais
Nome completo Carlos Roberto Massa Júnior
Nascimento 19 de abril de 1981 (38 anos)
Jandaia do Sul, Paraná
Partido
Religião cristianismo
Profissão empresário
Website Sítio oficial

Carlos Roberto Massa Júnior (Jandaia do Sul, 19 de abril de 1981), mais conhecido como Ratinho Júnior, é um empresário, comunicador e político brasileiro filiado ao Partido Social Democrático (PSD). Foi deputado estadual, deputado federal, secretário de Estado e atualmente é o governador do estado do Paraná.

BiografiaEditar

Filho de Carlos Roberto Massa e Solange Martinez Massa, Carlos Roberto Massa Júnior nasceu em 19 de abril de 1981 em Jandaia do Sul, interior do Paraná, mas mudou-se para a cidade de Curitiba ainda com três anos de idade.

Seu pai, mais conhecido como Ratinho, tornou-se famoso no Brasil como apresentador do Programa do Ratinho, um programa de televisão de grande audiência do SBT, e também por ser o proprietário do Grupo Massa, um conglomerado empresarial atuante nas áreas de comunicação (Rede Massa), agronegócio, gestão e licenciamento de marcas. Além disso, seu pai também foi deputado federal pelo Paraná entre os anos de 1991 e 1995.[1]

Ratinho Júnior cursou toda a educação básica no estado do Paraná no colégio Tuiuti (1988-1992), em Curitiba, no Colégio Unidade São José dos Pinhais (1993-1995) e no Colégio Ideal (1996-1998), ambos em São José dos Pinhais.[2] Em 2004, graduou-se em Marketing e Propaganda na Faculdade Internacional de Curitiba (FACINTER) e, ainda antes de concluir a graduação, trabalhou em diversas emissoras de rádio e TV do Paraná apresentando, inclusive, o programa Microfone Aberto na Rádio Massa FM, pertencente ao conglomerado empresarial de seu pai.[3] Em 2011, concluiu a pós-graduação em Direito do Estado pela Universidade Católica de Brasília, no Distrito Federal,[2] além de realizar cursos de especialização em Administração tributária e Reforma Fiscal e Sociedade pela Universidade Complutense, em Madri, na Espanha.[4] Além disso, cuidou da administração de cinco empresas de sua família, dentre elas duas emissoras de rádio, a Estação FM, em Curitiba, e a Eldorado AM 1120, em São José dos Pinhais, exercendo a função de diretor do Grupo Massa.[1]

Desde 2003, Carlos Roberto Massa Júnior é casado com a empresária Luciana Saito Azevedo[1][5] e tem três filhos: Alana Massa, Yasmim Massa e Carlos Roberto Massa Neto.[4][6][7]

Trajetória políticaEditar

Ratinho Júnior iniciou sua trajetória política aos 21 anos de idade, quando candidatou-se ao cargo de deputado estadual pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB) em outubro de 2002. Durante sua campanha teve o apoio das empresas de seu pai e conseguiu ser eleito o deputado estadual mais votado do partido no estado do Paraná, contabilizando mais de 189 mil votos.[1][8] Na Assembleia Legislativa do Paraná, foi vice-presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Companhia Paranaense de Energia (COPEL).[1] Ainda em 2001, foi eleito segundo-vice-presidente do diretório estadual do PSB exercendo o cargo até julho de 2003, quando deixou o partido e filiou-se ao Partido Popular Socialista (PPS) do qual também se tornou vice-líder em 2004, mesmo ano em que concluiu sua graduação.[1]

Em 2006, candidatou-se ao pleito para deputado federal pelo PPS, elegendo-se para a 53.ª legislatura como a segunda maior votação do estado com a soma de 205.286 votos.[1][8] Logo após ser eleito, mudou sua filiação para o Partido Social Cristão (PSC), tornando-se presidente do diretório estadual do partido e ocupando a vice-presidência da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática.[1] Ainda na Câmara dos Deputados, foi um dos signatários da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que visava apurar irregularidades na transferência de recursos do governo federal para o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), foi a favor da redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais e assinou a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que regulamentava a possibilidade de um terceiro mandato para chefes do Executivo, inclusive o presidente da República.[3]

Em 2010, Ratinho Júnior candidatou-se à reeleição na Câmara Federal pelo PSC e obteve a maior votação da história do Paraná, contabilizando quase 360 mil votos.[8] Eleito para a 54.ª legislatura, foi escolhido líder da bancada partidária do PSC na câmara e titular para a Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTCI).[2]

Após as eleições municipais de 2012, período que ficou licenciado, retornou à Câmara Federal, ficou no cargo até janeiro de 2013, quando licenciou-se novamente para assumir a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano do Paraná (SEDU) na gestão Beto Richa. Já em abril de 2014, tirou licença do cargo de secretário para reassumir sua posição como deputado federal.[2] Ainda no mesmo ano, Ratinho Júnior afastou-se novamente da câmara para concorrer a uma vaga na Assembleia Legislativa do Paraná.

Durante sua permanência na câmara dos deputados, apesar de ter apresentado um grande número de Projetos de Lei e sendo eleito por dois anos como o deputado paranaense que mais apresentou projetos, poucos foram aprovados. Seu primeiro projeto como deputado foi o PL 1958/2007, que propunha que motoristas de ônibus escolares estivessem isentos de pagar o IPI.[9] Desde 2007, apresentou 45 PLs na câmara, entre eles o PL 6569/2009, que propunha que os estádios de futebol deveriam vender ingressos apenas à equipe mandante da partida.[10]

Nas eleições de 2014, Ratinho Júnior foi novamente eleito deputado estadual pelo estado do Paraná com a candidatura mais votada em todo o Brasil, contabilizando mais de 300 mil votos.[8] Durante o segundo mandado na Assembleia Legislativa paranaense e no início do segundo mandato de Beto Richa (PSDB), licenciou-se do cargo para retornar à posição de Secretário do Desenvolvimento Urbano do Paraná (SEDU), permanecendo até 11 de setembro de 2017, quando pediu exoneração para retornar às funções de deputado estadual.[8]

Candidato à Prefeitura de CuritibaEditar

Em 2012, licenciou-se do mandato de deputado federal para concorrer à prefeitura de Curitiba ainda pelo PSC, com a coligação Curitiba Criativa (PSC, PCdoB, PR e PTdoB) mas, mesmo vencendo o primeiro turno, foi derrotado por Gustavo Fruet (PDT) no segundo turno.[11][4]

Governador do ParanáEditar

Na convenção realizada pelo Partido Social Democrático (PSD) em 21 de julho de 2018, Ratinho Júnior foi confirmado como candidato ao governo do Paraná pela coligação Paraná Inovador, contando com o apoio do Partido Social Cristão (PSC), Partido Verde (Brasil) (PV), Partido da República (PR), Partido Humanista da Solidariedade (PHS), Avante, Partido Republicano Brasileiro (PRB) e Partido Popular Socialista (PPS).[12] Com a soma de 3.210.712 votos (59,99% dos válidos), Ratinho Júnior foi eleito governador do estado do Paraná ao lado do vice Darci Piana, ainda no primeiro turno das eleições.[13][14] Já no primeiro dia do mandato, nomeou os 15 secretários de Estado a comporem a sua gestão.[15]

Referências

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar