Cabocla (2004)

telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo
 Nota: Para a novela de 1979, veja Cabocla (1979).

Cabocla é uma telenovela brasileira produzida pela TV Globo e exibida de 10 de maio a 20 de novembro de 2004, em 167 capítulos.[2] Substituiu Chocolate com Pimenta e foi substituída por Como uma Onda, sendo a 64ª "novela das seis" exibida pela emissora.

Cabocla
Cabocla (2004)
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero romance
Duração 50 minutos
Criador(es) Benedito Ruy Barbosa
Baseado em Cabocla de Ribeiro Couto
Elenco
País de origem Brasil
Idioma original português
Episódios 167
Produção
Diretor(es) Ricardo Waddington
Roteirista(s) Edmara Barbosa
Edilene Barbosa
Tema de abertura "Madrigal", LSD
Tema de encerramento "Madrigal", LSD
Exibição
Emissora original TV Globo
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 10 de maio - 20 de novembro de 2004
Cronologia
Programas relacionados Cabocla (1959)
Cabocla (1979)

Baseada no romance homônimo de Ribeiro Couto, foi adaptada por Benedito Ruy Barbosa, com a colaboração de Edmara Barbosa e Edilene Barbosa. Dirigida por Fred Mayrink, André Felipe Binder e Pedro Vasconcelos, teve direção geral de José Luiz Villamarim e Rogério Gomes. A direção de núcleo foi de Ricardo Waddington. É a terceira adaptação da obra após a versão de 1959 da TV Rio e a versão de 1979 da própria Globo.

Contou com as participações de Vanessa Giácomo, Daniel de Oliveira, Tony Ramos, Patricia Pillar, Regiane Alves, Danton Mello, Mauro Mendonça e Elena Toledo.[1]

Enredo editar

Brasil República, 1918.[2] Luís Jerônimo é um jovem rico. Mulherengo, passa a noite toda na rua bebendo e se divertindo com prostitutas, o rapaz descobre que está com uma lesão no pulmão direito. Aconselhado por Edmundo Esteves, seu médico, decide passar uma temporada na fazenda de um primo na cidadezinha capixaba de Vila da Mata, em busca de ar puro, para evitar que a doença evolua para uma tuberculose.

Quando Luís Jerônimo chega à cidade, hospeda-se no hotel do casal Sinhá Bina e Zé da Estação, para esperar o primo, o coronel Boanerges, que vai levá-lo para sua fazenda. Basta uma noite no hotel para Luís se encantar com a filha de Zé e Bina, a cabocla tímida e arredia Zuca.

Para viver esse grande amor, eles enfrentarão muita resistência por conta das diferenças sociais e do fato de Zuca ser noiva do teimoso e encrenqueiro peão Tobias. E também pela chegada da espanhola Pepa, apaixonada por Luís, ex-amante do moço rico. Ela se estabelece na fazenda vizinha, de propriedade do coronel viúvo Justino, inimigo político do coronel Boanerges.

Ao lado da trama principal se desenrola a briga política entre os coronéis da região: Boanerges e Justino, rivais na política e na disputa pelo poder. Paralelamente a esse embate, acontece o amor entre Belinha e Neco. Ela é filha de Boanerges e Emerenciana; ele, de Justino, o que transformará esse romance numa espécie de Romeu e Julieta caipira que terá grande destaque na história.

Neco irá se transformar num novo líder na cidade. Bem-intencionado, ele trabalhará em prol do povo daquela região, enfrentando até mesmo o poderio dos coronéis.

E, em meio a tudo isso, eis que os sentimentos de Mariquinha, filha do coronel Justino e irmã de Neco, por Tobias afloraram, fazendo-os viverem um quarteto amoroso ao lado de Zuca e Luís Jerônimo.

Do outro lado, Generosa é uma pobre e trabalhadora, mãe de Tobias que sofre de saudades da filha Rosa, que abandonou o namorado Tomé e fugiu com um namorado. Generosa tem ainda outra filha, Tina. Ela é apaixonada por Tomé, mas ele só tem olhos para a ex. No decorrer da trama, ele desiste de esperar Rosa e se apaixona por Tina, porém acaba morrendo, vítima de um assassinato, em meio a uma briga no bar do Zaqueu, e deixa Tina viúva e grávida dele.

Nos últimos capítulos, Jerônimo se casa com Zuca sem a presença dos pais dela, Belinha e Neco também se casam, sendo aceitos pelas famílias rivais. A trama termina com Belinha dando a luz ao filho, Neco discursando ao lado de Boanerges nas vésperas da eleição, e Emerenciana grávida novamente.

Elenco editar

Intérprete Personagem[1][2]
Vanessa Giácomo Zulmira de Oliveira Vieira Pires (Zuca)
Daniel de Oliveira Luís Jerônimo Vieira Pires
Tony Ramos Coronel Boanerges de Sousa Pereira
Patrícia Pillar Emerenciana de Jesus Pereira (Ciana)
Regiane Alves Elizabeth de Sousa Pereira Junqueira Caldas (Belinha)
Danton Mello Manuel Junqueira Caldas (Neco)
Mauro Mendonça Manuel Justino Caldas (Coronel Justino)
Elena Toledo Pepa Junqueira Caldas
Malvino Salvador Tobias de Oliveira Pinto
Carolina Kasting Maria Junqueira Caldas (Mariquinha)
Reginaldo Faria Joaquim Vieira Pires
Mareliz Rodrigues Pequetita Novais
Otávio Augusto José de Oliveira (Zé da Estação)
Jussara Freire Balbina de Oliveira (Siá Bina)
Eriberto Leão Tomé de Barretos
Maria Flor Cristina de Oliveira Pinto (Tina)
Sebastião Vasconcelos Felício Pinto
Vera Holtz Generosa de Oliveira Pinto
Cláudio Galvan Francisco (Chico da Venda)
Aisha Jambo Rita (Ritinha)
Alexandre Rodrigues Zaqueu
Cosme dos Santos Nastácio
Fernando Petelinkar Xexéu
Oscar Magrini Capitão Macário
John Herbert Vigário Gabriel
Umberto Magnani Francisco Bento (Chico Bento)
Othon Bastos Dr. Edmundo Esteves
Roberta Rodrigues Julieta
Edyr de Castro Maria
Henrique César Delegado André

Participações especiais editar

Intérprete Personagem
Vanessa Gerbelli Rosa de Oliveira Pinto
Rogério Falabella Dr. Teles
Vitor Hugo Tião
Paulo de Almeida Tonho
Marcelo Gonçalves Fernão
Paulo Vespúcio Desidério
Raphael Rodrigues Pedrinho
Raymundo de Souza Jorge Adib
Nizo Neto Irineu
Jardel Mello Coronel Olavo
Cláudio Gabriel Onofre
Renata Di Carmo Rute
Gillray Coutinho Gumercindo
Mário César Camargo Agenor

Produção editar

Para substituir Chocolate com Pimenta em meados de 2004, a Globo havia escalado um remake de O Profeta. Porém por problemas de ajustes, o remake foi descartado por aquele momento e em novembro de 2003 o canal deu carta branca à Edilene e Edmara Babosa (filhas do novelista) para produzirem uma nova versão de Cabocla.[3]

As gravações da novela começaram em março de 2004, nas fazendas localizadas em Bananal e Raia de Cavalos, em Visconde de Mauá.[4] As cenas com o trem, uma maria-fumaça da época, foram gravadas na cidade de Campinas.[5]

O autor Benedito Ruy Barbosa proibiu que os atores da trama vissem capítulos da primeira versão da novela. O objetivo era fazer com que os atores dessem personalidade própria aos seus personagens, sem se deixar influenciar.[6]

Cleo Pires foi uma das primeiras cotadas para interpretar a protagonista Zuca, porém ela recusou.[7]

Após fazer testes com mais de 15 candidatas, a Globo optou por escolher uma atriz desconhecida do público. Vanessa Giácomo, que anteriormente havia feito pequenas participações em programas da casa foi a escolhida.[8]

Audiência editar

Horário # Eps. Estreia Final Posição Temporada Classificação geral
Data Primeiro
capítulo
Data Último
capítulo
Segunda—Sábado
18:15
167
10 de maio de 2004
40
19 de novembro de 2004
42 #1 2004

34

A trama estreou com 40 pontos e 58% de participação.[9]

Seu último capítulo marcou média de 42 pontos e pico de 49, com share de 66%.[10]

Teve média geral de 34,1 pontos, uma das maiores audiências do horário nos anos 2000, perdendo apenas para Alma Gêmea e Chocolate com Pimenta ambas folhetins de Walcyr Carrasco.[11]

Reprises editar

Horário # Eps. Estreia Final Posição Temporada Classificação geral
Data Primeiro
capítulo
Data Último
capítulo
Segunda—Sexta
14:30
105
7 de abril de 2008
13
29 de agosto de 2008
22 #1 2008 17

Foi reexibida pelo Vale a Pena Ver de Novo, entre 7 de abril e 29 de agosto de 2008, em 105 capítulos, substituindo Coração de Estudante e sendo substituída por Mulheres Apaixonadas.[12]

Foi um dos raros casos em que duas versões de uma mesma novela são reprisadas na sessão, já que sua primeira versão foi reprisada em 1981.

A reprise estreou com 13 pontos, índices bastante abaixo do esperado. Esse número também é inferior a reestreia da antecessora Coração de Estudante.[13] Ao longo dos dias oscilou entre 14 e 17 pontos.

Foi reexibida na íntegra pelo Canal Viva de 7 de outubro de 2019 até 17 de abril de 2020, substituindo Porto dos Milagres e sendo substituída pela sua antecessora original Chocolate com Pimenta, às 15h30 e 00h.[14]

Outras Mídias editar

Em 12 de abril de 2021, Cabocla foi disponibilizada no Globoplay, serviço de streaming da Globo.[15]

Exibição internacional editar

Cabocla foi vendida, entre outros países, para Venezuela, Chipre, Estados Unidos, Portugal e Moçambique.[2]

Trilha sonora editar

Cabocla
 
Cabocla (2004)
Trilha sonora
Lançamento 2004
Gênero(s) MPB, sertanejo
Duração 52:38
Gravadora(s) Som Livre

Capa: Vanessa Giácomo

  1. "Nosso Amor é Ouro" - Zezé Di Camargo & Luciano (tema de Belinha e Neco e das vinhetas de intervalo)
  2. "Você, o Amor e Eu" - Cleiton & Camargo (tema de Tomé)
  3. "Floresce" - Rionegro & Solimões (tema de Felício e Generosa)
  4. "Outro lugar" - Milton Nascimento (tema de Mariquinha)
  5. "Sertaneja" - Ivan Lins (tema de Tobias)
  6. "História do Sertão" - Roberta Miranda (tema de Emerenciana)
  7. "Amora" - Renato Teixeira (tema de Zuca)
  8. "Manhã Bonita" - Rolando Boldrin
  9. "Madrigal" - Lazza, Schiavon & Deluqui (tema de abertura)
  10. "Céu de Santo Amaro" - Caetano Veloso & Flávio Venturini (tema de Zuca e Luís Jerônimo)
  11. "Sem Palavras" - Marlon & Maicon (tema de Tina)
  12. "Riacho Sereno" - Rick & Renner
  13. "Meu Cavalo Zaino" - Sérgio Reis (tema de Boanerges)
  14. "O Trem Tá Feio" - Teodoro & Sampaio (tema de locação)
  15. "Benzinho" - Almir Sater

Prêmios editar

Referências

  1. a b c Cabocla (2004)
  2. a b c d «Cabocla (2.ª versão)». Memória Globo 
  3. «Roça». Folha Ilustrada. 21 de novembro de 2003. Consultado em 14 de agosto de 2019 
  4. «Globo começa a gravar remade de "Cabocla"». Estadão. 17 de março de 2004. Consultado em 14 de agosto de 2019 
  5. «Filmagens, Ensaios Fotográficos e Pré-Wedding – Maria Fumaça Campinas». Consultado em 6 de agosto de 2020 
  6. Fabiola Reipert (29 de abril de 2004). «Neutro». Folha Ilustrada. Consultado em 14 de agosto de 2019 
  7. «Globo 'planta' câmeras em arena de rodeio». Folha Ilustrada. 24 de junho de 2004. Consultado em 26 de dezembro de 2017 
  8. «Globo seleciona atriz "desconhecida" para protagonizar "Cabocla"». Folha Ilustrada. 16 de fevereiro de 2004. Consultado em 26 de dezembro de 2017 
  9. «"Cabocla" tem a melhor estréia desde 1996». Estadão. 11 de maio de 2004 
  10. «Último capítulo de "Cabocla" rende 42 pontos». Terra. 19 de novembro de 2004 
  11. UOL (18 de setembro de 2008). «Ibope de novelas desaba na Globo; veja a queda» 
  12. «Cabocla substitui Coração de estudante em Vale a pena ver de novo». UOL. 9 de março de 2008. Consultado em 27 de julho de 2015 
  13. «Reprise de "Cabocla" estréia com baixo índice». Fábio TV. 8 de abril de 2008. Consultado em 27 de julho de 2015 
  14. Gabriel Vaquer (8 de setembro de 2019). «Canal Viva divulga primeira chamada da reprise de Cabocla; veja». Observatório da Televisão. observatoriodatelevisao.bol.uol.com.br. Consultado em 5 de dezembro de 2019 
  15. «'Cabocla' estreia no Globoplay: Remake de 2004 tem Vanessa Giácomo e Daniel de Oliveira». G1. Consultado em 12 de abril de 2021 

Ligações externas editar