Abrir menu principal

Lista de governadores de Minas Gerais

artigo de lista da Wikimedia


Esta é uma lista de governantes do estado brasileiro de Minas Gerais.

Governador de Minas Gerais
Bandeira do governo do estado de Minas Gerais.svg
Bandeira do Governador
do Estado de Minas Gerais
Residência Palácio das Mangabeiras [nota 1]
Duração 4 anos
Criado em 19 de março de 1947 [nota 2]
Primeiro titular Milton Campos
Último titular Alberto Pinto Coelho Júnior
Sucessão Romeu Zema
Website http://www.mg.gov.br/

Minas Gerais integrava primeiramente a capitania do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. Por Carta Régia de 9 de novembro de 1709 foi criada a capitania de São Paulo e Minas de Ouro, separada da do Rio de Janeiro. Por Alvará de D. João V, de 2 de dezembro de 1720, foi separada de São Paulo. Tornou-se uma província do Brasil em 28 de fevereiro de 1821, e um estado integrante, após a proclamação do novo regime em 1889, dos Estados Unidos do Brasil (posteriormente República Federativa do Brasil).

Índice

Governantes do período colonial (1553 — 1822)Editar

Capitania do Rio de JaneiroEditar

Governante Início do mandato Fim do mandato
Antônio Pais de Sande 25 de março de 1693 19 de abril de 1695
Sebastião de Castro Caldas 19 de abril de 1695 2 de abril de 1697
Artur de Sá e Meneses 2 de abril de 1697 15 de julho de 1702
Álvaro da Silveira e Albuquerque 15 de julho de 1702 1º de agosto de 1705
Fernando de Lencastro 1º de agosto de 1705 11 de junho de 1709
Antônio Coelho de Carvalho 11 de junho de 1709 18 de junho de 1710

Capitania de São Paulo e Minas do OuroEditar

Governante Início do mandato Fim do mandato
Antônio Coelho de Carvalho 18 de junho de 1710 31 de agosto de 1713
Brás Baltasar da Silveira 31 de agosto de 1713 4 de setembro de 1717
Pedro de Almeida Portugal, Conde de Assumar 4 de setembro de 1717 18 de agosto de 1720

Capitania de Minas GeraisEditar

 
O Palácio dos Governadores, em Ouro Preto, residência oficial e palácio de governo até 1898.

Em meio ao chamado "ciclo do ouro" no Brasil, era criada a capitania de Minas Gerais, em um dia como este, no ano de 1720. Sua origem partiu de uma cisão da capitania de São Paulo e Minas de Ouro. Sua capital era Vila Rica (atual Ouro Preto). Praticamente 100 anos depois, em 28 de fevereiro de 1821, a capitania de Minas foi transformada em província, que seria o atual estado de Minas Gerais com a Proclamação da República.

Por conta do ouro encontrado em seu território, na primeira metade do século XVIII, Minas Gerais era o centro econômico da colônia, com rápido crescimento populacional. Este fluxo migratório começou no final do século anterior, quando foi encontrado ouro na Serra do Sabarabuçu e nos ribeirões do Carmo e do Tripuí. Em 1696, foi fundado o arraial de Nossa Senhora do Ribeirão do Carmo, que, em 1711, se tornou a primeira vila de Minas Gerais (atual município de Mariana).  A descoberta do ouro também trouxe conflitos, como Guerra dos Emboabas (1707-1710) e a Revolta de Felipe dos Santos (1720).

No auge da exploração do ouro em Minas, 500 mil negros escravos foram inseridos na capitania para fazer o trabalho de extração e lavoura. Mais de 30% da população era formada pelos escravos.

Os negros chamados "Minas", de Gana, eram os mais requisitados para os garimpos, pois já faziam este trabalho na África. Já os de Angola e Moçambique eram usados na lavoura.

O declínio da produção aurífera começou a partir de 1750. Portugal precisou aumentar a arrecadação e elevou os impostos, o que causou a revolta popular que resultou na Inconfidência Mineira, em 1789.[1]

Governante Imagem Início do mandato Fim do mandato Observações
1 Lourenço de Almeida 18 de agosto de 1720 1º de setembro de 1732
2 André de Melo e Castro 1º de setembro de 1732 26 de março de 1735 Conde das Galveias
3 Gomes Freire de Andrade 26 de março de 1735 15 de maio de 1736 1.º Conde de Bobadela

(Primeira vez)

Martinho Proença 15 de maio de 1736 26 de dezembro de 1737 Governador regente interino
4 Gomes Freire de Andrade 26 de dezembro de 1737 17 de fevereiro de 1752 1.º Conde de Bobadela

(Segunda vez)

José António Freire de Andrade 17 de fevereiro de 1752 28 de abril de 1758 2.º Conde de Bobadela

Governador regente interino

5 Gomes Freire de Andrade 28 de abril de 1758 1º de janeiro de 1763 1.º Conde de Bobadela

(Terceira vez)

Antônio do Desterro
José Fernandes Pinto Alpoim
João Alberto Castelo Branco
1º de janeiro de 1763 16 de outubro de 1763 Junta Governativa provisória
Antônio Álvares da Cunha 16 de outubro de 1763 28 de dezembro de 1763 Conde da Cunha

Governador regente interino

6 Luís Diogo Lobo da Silva 28 de dezembro de 1763 16 de julho de 1768
7 José Luís Castelo Branco
16 de julho de 1768 22 de maio de 1773 Conde de Valadares
8 Antônio Carlos Furtado 22 de maio de 1773 13 de janeiro de 1775
Pedro Antônio Freitas 13 de janeiro de 1775 29 de maio de 1775 Governador regente interino
9 António de Noronha 29 de maio de 1775 20 de fevereiro de 1780
10 Rodrigo Meneses e Castro 20 de fevereiro de 1780 10 de outubro de 1783 Conde de Cavaleiros
11 Luís da Cunha Meneses 10 de outubro de 1783 11 de julho de 1788 Conde de Lumiares
12 Luís António Faro
11 de julho de 1788 9 de agosto de 1797 Visconde de Barbacena
13 Bernardo Lorena e Silveira 9 de agosto de 1797 21 de julho de 1803 Conde de Sarzedas
14 Pedro de Ataíde e Melo 21 de julho de 1803 5 de fevereiro de 1810 Visconde de Condeixa
15 Francisco de Assis Mascarenhas 5 de fevereiro de 1810 11 de abril de 1814 Conde da Palma
16 Francisco Portugal 11 de abril de 1814 21 de setembro de 1821
Francisco Portugal

(Presidente)
José Vasconcelos
Visconde de Caeté

(Vice-Presidente)
João Mendes Ribeiro

(Secretário)

21 de setembro de 1821 24 de maio de 1822 Junta Governativa provisória
Francisco Portugal

(Presidente)
Luís Maria da Silva Pinto

(Secretário)

24 de maio de 1822 29 de fevereiro de 1824 Junta Governativa provisória

Governantes do período imperial (1822 — 1889)Editar

Legenda

     Partido Conservador

     Partido Liberal

     Partido Democrático

     Partido Popular

     Partido Moderado

Presidente da Província Imagem Partido Início Fim Observações
Primeiro Reinado (1822-1831)
1 José Teixeira Vasconcelos Partido Democrático[2] 29 de fevereiro de 1824 2 de maio de 1826 Visconde de Caeté
Teotônio Oliveira Maciel Partido Democrático[2] 2 de maio de 1826 29 de maio de 1826 Vice-presidente
Francisco Santa Apolônia Partido Democrático[2] 29 de maio de 1826 6 de outubro de 1826 Vice-presidente Cônego (Primeira vez)
José Teixeira Vasconcelos Partido Democrático[2] 6 de outubro de 1826 19 de março de 1827 Reassume o governo Visconde de Caeté
Francisco Santa Apolônia Partido Democrático[2] 19 de março de 1827 18 de dezembro de 1827 Vice-presidente Cônego (Segunda vez)
2 João Mendes Ribeiro Partido Popular[2] 18 de dezembro de 1827 18 de abril de 1828 Desembargador (Primeira vez)
Francisco Santa Apolônia Partido Democrático[2] 18 de abril de 1828 13 de outubro de 1828 Vice-presidente Cônego (Terceira vez)
3 João Mendes Ribeiro Partido Popular[2] 13 de outubro de 1828 19 de abril de 1829 Desembargador (Segunda vez)
Francisco Santa Apolônia Partido Democrático[2] 19 de abril de 1829 3 de outubro de 1829 Vice-presidente Cônego (Quarta vez)
4 João Mendes Ribeiro Partido Popular[2] 3 de outubro de 1829 22 de abril de 1830 Presidente Desembargador (Terceira vez)
5 José Manuel de Almeida Partido Moderado[2] 22 de abril de 1830 3 de fevereiro de 1831 Marechal
6 Manuel Antônio Galvão Partido Moderado[2] 3 de fevereiro de 1831 22 de abril de 1831 Desembargador
Período regencial (1831-1840)
7 Manuel de Melo e Sousa Partido Conservador[3] 22 de abril de 1831 23 de janeiro de 1833 Barão de Pontal (Primeira vez)
Bernardo Pereira de Vasconcelos Partido Conservador[3] 23 de janeiro de 1833 21 de fevereiro de 1833 Vice-presidente Desembargador (Primeira vez)
8 Manuel de Melo e Sousa Partido Conservador[3] 21 de fevereiro de 1833 22 de março de 1833 Barão de Pontal (Segunda vez)
Manuel Soares do Couto Partido Moderado[2] 23 de março de 1833 4 de julho de 1833 Vice-presidente aclamado por golpe militar

Tenente-coronel

10 José de Araújo Ribeiro Partido Popular[2] 4 de julho de 1833 5 de novembro de 1833 Visconde de Rio Grande
11 Antônio Limpo de Abreu Partido Conservador[3] 5 de novembro de 1833 31 de março de 1834 Visconde de Abaeté (Primeira vez)
João Baptista Leitão Partido Conservador[3] 31 de março de 1834 3 de dezembro de 1834 Vice-presidente
12 Antônio Limpo de Abreu Partido Conservador[3] 3 de dezembro de 1834 5 de abril de 1835 Visconde de Abaeté (Segunda vez)
Bernardo Pereira de Vasconcelos Partido Conservador[3] 5 de abril de 1835 11 de maio de 1835 Vice-presidente Desembargador (Segunda vez)
Manuel de Melo e Sousa Partido Conservador[3] 11 de maio de 1835 1º de junho de 1835 Vice-presidente Barão de Pontal
13 José Feliciano Pinto Coelho Partido Liberal[4] 1º de junho de 1835 19 de dezembro de 1835 Barão de Cocais
14 Manuel Dias de Toledo Partido Liberal[4] 19 de dezembro de 1835 19 de abril de 1836
Antônio da Costa Pinto Partido Liberal[4] 19 de abril de 1836 2 de outubro de 1836 Vice-presidente Desembargador
15 Antônio da Costa Pinto Partido Liberal[4] 2 de outubro de 1836 13 de novembro de 1837 Desembargador
16 José Cesário de Miranda Ribeiro Partido Conservador[3] 13 de novembro de 1837 21 de março de 1838 Visconde de Uberaba
17 Bernardo Jacinto da Veiga Partido Conservador[3] 21 de março de 1838 22 de agosto de 1840 Conselheiro (Primeira vez)
Segundo Reinado (1840-1889)
18 Sebastião Barreto Pereira Partido Conservador[3] 22 de agosto de 1840 7 de junho de 1841
19 Manuel Machado Nunes Partido Liberal[4] 7 de junho de 1841 16 de julho de 1841
José Lopes da Silva Viana Partido Liberal[4] 16 de julho de 1841 15 de janeiro de 1842 Vice-presidente Desembargador (Primeira vez)
20 Carlos Carneiro de Campos Partido Conservador[3] 15 de janeiro de 1842 18 de abril de 1842 Visconde de Caravelas (Primeira vez)
Herculano Ferreira Pena Partido Conservador[3] 18 de abril de 1842 18 de maio de 1842 Vice-presidente
21 Bernardo Jacinto da Veiga Partido Conservador[3] 18 de maio de 1842 23 de março de 1843 Conselheiro (Segunda vez)
22 Francisco Soares de Andréa Partido Conservador[3] 23 de março de 1843 1º de julho de 1844 Tenente General, Barão de Caçapava
23 João Paulo Barreto Partido Conservador[3] 1º de julho de 1844 17 de dezembro de 1844 Brigadeiro
Quintiliano José da Silva Partido Conservador[3] 17 de dezembro de 1844 1º de outubro de 1845 Vice-presidente
24 Quintiliano José da Silva Partido Conservador[3] 1º de outubro de 1845 29 de dezembro de 1847
Pedro Dias de Carvalho Partido Conservador[3] 29 de dezembro de 1847 14 de março de 1848 Vice-presidente
25 Pedro Dias de Carvalho Partido Conservador[3] 14 de março de 1848 10 de abril de 1848
Manuel Rebelo Horta Partido Conservador[3] 10 de abril de 1848 11 de maio de 1848 Vice-presidente
Bernardino José de Queiroga Partido Conservador[3] 11 de maio de 1848 22 de junho de 1848 Vice-presidente
27 Bernardino José de Queiroga Partido Conservador[3] 22 de junho de 1848 4 de novembro de 1848
28 José Ildefonso Ramos Partido Liberal[4] 4 de novembro de 1848 29 de novembro de 1849 Visconde de Jaguari
Manuel Antônio Pacheco Partido Conservador[3] 29 de novembro de 1849 1º de março de 1850 Vice-presidente Barão de Sabará
30 Alexandre Joaquim de Sequeira Partido Conservador[3] 1º de março de 1850 10 de junho de 1850
Romualdo Monteiro de Barros Partido Conservador[3] 10 de junho de 1850 17 de julho de 1850 Vice-presidente Barão de Paraopeba
31 José Ricardo de Sá Rego Partido Liberal[4] 17 de julho de 1850 4 de abril de 1851
Luís Antônio Barbosa Partido Liberal[4] 4 de abril de 1851 13 de janeiro de 1852 Vice-presidente
32 Luís Antônio Barbosa Partido Liberal[4] 13 de janeiro de 1852 12 de maio de 1852 (Primeira vez)
José Lopes da Silva Viana Partido Liberal[4] 12 de maio de 1852 24 de setembro de 1852 Vice-presidente Desembargador (Segunda vez)
33 Luís Antônio Barbosa Partido Liberal[4] 24 de setembro de 1852 19 de abril de 1853 (Segunda vez)
José Lopes da Silva Viana Partido Liberal[4] 19 de abril de 1853 22 de outubro de 1853 Vice-presidente Desembargador (Terceira vez)
34 Francisco Pereira de Vasconcelos Partido Liberal[4] 22 de outubro de 1853 1º de maio de 1854 (Primeira vez)
José Lopes da Silva Viana Partido Liberal[4] 1º de maio de 1854 6 de novembro de 1854 Vice-presidente Desembargador (Quarta vez)
35 Francisco Pereira de Vasconcelos Partido Liberal[4] 6 de novembro de 1854 2 de fevereiro de 1856 (Segunda vez)
36 Herculano Ferreira Pena Partido Conservador[3] 2 de fevereiro de 1856 1º de junho de 1857
Joaquim Ribeiro da Luz Partido Conservador[3] 1º de junho de 1857 12 de novembro de 1857 Vice-presidente (Primeira vez)
37 Carlos Carneiro de Campos Partido Conservador[3] 12 de novembro de 1857 1º de maio de 1859 Visconde de Caravelas (Segunda vez)
Joaquim Ribeiro da Luz Partido Conservador[3] 1º de maio de 1859 22 de setembro de 1859 Vice-presidente (Segunda vez)
38 Carlos Carneiro de Campos Partido Conservador[3] 22 de setembro de 1859 22 de abril de 1860 Visconde de Caravelas (Terceira vez)
Manuel Teixeira de Sousa Partido Liberal[4] 22 de abril de 1860 3 de maio de 1860 Vice-presidente Barão de Camargos (Primeira vez)
Joaquim Ribeiro da Luz Partido Conservador[3] 3 de maio de 1860 13 de junho de 1860 Vice-presidente (Terceira vez)
39 Vicente Pires da Mota   Partido Liberal[4] 13 de junho de 1860 2 de outubro de 1861 Padre
Manuel Teixeira de Sousa Partido Liberal[4] 2 de outubro de 1861 25 de outubro de 1861 Vice-presidente Barão de Camargos (Segunda vez)
40 José Bento Figueiredo Partido Conservador[3] 25 de outubro de 1861 17 de maio de 1862 Visconde de Bom Conselho
Joaquim Camilo da Mota Partido Conservador[3] 17 de maio de 1862 3 de novembro de 1862 Vice-presidente
José Joaquim Fernandes Partido Conservador[3] 3 de novembro de 1862 9 de dezembro de 1862 Vice-presidente (Primeira vez)
41 Francisco Pereira de Vasconcelos Partido Liberal[4] 9 de dezembro de 1862 27 de fevereiro de 1863 (Terceira vez)
Manuel Teixeira de Sousa Partido Liberal[4] 27 de fevereiro de 1863 11 de março de 1863 Vice-presidente Barão de Camargos (Terceira vez)
José Joaquim Fernandes Partido Conservador[3] 11 de março de 1863 4 de junho de 1863 Vice-presidente (Segunda vez)
42 João Crispiniano Soares Partido Liberal[4] 4 de junho de 1863 2 de abril de 1864
Fidélis de Andrade Botelho Partido Liberal[4] 2 de abril de 1864 26 de setembro de 1864 Vice-presidente
43 Pedro Alcântara Leite Partido Liberal[4] 26 de setembro de 1864 18 de dezembro de 1865 Barão de São João Nepomuceno
44 Saldanha Marinho Partido Conservador[3] 18 de dezembro de 1865 24 de março de 1866 (Primeira vez)
Joaquim José de Santana Partido Conservador[3] 24 de março de 1866 2 de novembro de 1866 Vice-presidente
45 Saldanha Marinho Partido Conservador[3] 2 de novembro de 1866 28 de junho de 1867 (Segunda vez)
Elias Pinto de Carvalho Partido Conservador[3] 28 de junho de 1867 24 de outubro de 1867 Vice-presidente
46 José Machado de Sousa Partido Liberal[4] 24 de outubro de 1867 10 de agosto de 1868
Manuel Teixeira de Sousa Partido Liberal[4] 10 de agosto de 1868 25 de agosto de 1868 Vice-Presidente Barão de Camargos (Quarta vez)
47 Domingos de Andrade Partido Conservador[3] 25 de agosto de 1868 14 de maio de 1869
48 José Maria Benevides Partido Liberal[4] 14 de maio de 1869 16 de maio de 1870
Manuel Teixeira de Sousa Partido Liberal[4] 16 de maio de 1870 26 de maio de 1870 Vice-Presidente Barão de Camargos (Quinta vez)
Agostinho Ferreira Bretas Partido Liberal[4] 26 de maio de 1870 27 de outubro de 1870 Vice-presidente
50 Antônio Affonso de Carvalho Partido Conservador[3] 27 de outubro de 1870 27 de abril de 1871
Francisco Leite da Costa Belém Partido Conservador[3] 27 de abril de 1871 8 de novembro de 1871 Vice-presidente (Primeira vez)
51 Joaquim Machado Portella Partido Conservador[3] 8 de novembro de 1871 28 de abril de 1872
Francisco Leite da Costa Belém Partido Conservador[3] 28 de abril de 1872 11 de junho de 1872 Vice-presidente (Segunda vez)
52 Joaquim Floriano de Godói Partido Conservador[3] 11 de junho de 1872 17 de janeiro de 1873
Francisco Leite da Costa Belém Partido Conservador[3] 17 de janeiro de 1873 1º de março de 1873 Vice-presidente (Terceira vez)
53 Venâncio José de Oliveira Lisboa Partido Liberal[4] 1º de março de 1873 27 de maio de 1874
Francisco Leite da Costa Belém Partido Conservador[3] 27 de maio de 1874 26 de outubro de 1874 Vice-presidente (Quarta vez)
54 João Antônio de Araújo Freitas Partido Conservador[3] 26 de outubro de 1874 6 de março de 1875
Francisco Leite da Costa Belém Partido Conservador[3] 6 de março de 1875 22 de março de 1875 Vice-presidente (Quinta vez)
55 Pedro Vicente de Azevedo Partido Conservador[3] 22 de março de 1875 26 de janeiro de 1876
Manuel Teixeira de Sousa Partido Liberal[4] 26 de janeiro de 1876 10 de março de 1876 Vice-Presidente Barão de Camargos (Sexta vez)
56 Francisco Bonifácio de Abreu Partido Liberal[4] 10 de março de 1876 1º de dezembro de 1876 Barão da Villa da Barra
Manuel Teixeira de Sousa Partido Liberal[4] 1º de dezembro de 1876 24 de janeiro de 1877 Vice-Presidente Barão de Camargos (Sétima vez)
57 João Bandeira de Mello Partido Conservador[3] 24 de janeiro de 1877 11 de fevereiro de 1878
Elias Pinto de Carvalho Partido Conservador[3] 11 de fevereiro de 1878 6 de maio de 1878 Vice-Presidente
58 Francisco Silveira Lobo Partido Conservador[3] 6 de maio de 1878 26 de novembro de 1878
Joaquim José de Santana Partido Conservador[3] 26 de novembro de 1878 5 de janeiro de 1879 Vice-Presidente (Primeira vez)
59 Manuel Rebelo Horta Partido Conservador[3] 5 de janeiro de 1879 8 de dezembro de 1879
Joaquim José de Santana Partido Conservador[3] 8 de dezembro de 1879 22 de janeiro de 1880 Vice-Presidente (Segunda vez)
60 Graciliano Pimentel Partido Conservador[3] 22 de janeiro de 1880 24 de abril de 1880
Joaquim José de Santana Partido Conservador[3] 24 de abril de 1880 30 de dezembro de 1880 Vice-Presidente (Terceira vez)
José Francisco Neto Partido Conservador[3] 30 de dezembro de 1880 5 de maio de 1881 Vice-Presidente Barão de Coromandel
61 João Meira de Vasconcelos Partido Conservador[3] 5 de maio de 1881 12 de dezembro de 1881
Joaquim José de Santana Partido Conservador[3] 12 de dezembro de 1881 31 de março de 1882 Vice-Presidente (Quarta vez)
62 Teófilo Ottoni Partido Liberal[4] 31 de março de 1882 27 de dezembro de 1882
Henrique Magalhães Partido Liberal[4] 27 de dezembro de 1882 7 de março de 1883 Vice-presidente
63 Antônio Gonçalves Chaves Partido Liberal[4] 7 de março de 1883 22 de maio de 1884 (Primeira vez)
Carlos Ottoni Partido Liberal[4] 22 de maio de 1884 28 de maio de 1884 Vice-Presidente
José Antônio Alves Partido Liberal[4] 28 de maio de 1884 8 de junho de 1884 Vice-Presidente (Primeira vez)
64 Antônio Gonçalves Chaves Partido Liberal[4] 8 de junho de 1884 4 de setembro de 1884 (Segunda vez)
65 Olegário Herculano Partido Liberal[4] 4 de setembro de 1884 13 de abril de 1885
José Antônio Alves Partido Liberal[4] 13 de abril de 1885 2 de setembro de 1885 Vice-Presidente (Segunda vez)
Antônio de Sousa Magalhães Partido Conservador[3] 2 de setembro de 1885 19 de outubro de 1885 Vice-Presidente Barão de Camargos (Primeira vez)
66 Manuel Portella Partido Conservador[3] 19 de outubro de 1885 13 de abril de 1886
Antônio de Sousa Magalhães Partido Conservador[3] 13 de abril de 1886 1º de maio de 1886 Vice-Presidente Barão de Camargos (Segunda vez)
70 Francisco Lemos Partido Conservador[3] 1º de maio de 1886 8 de junho de 1886 (Primeira vez)
Antônio de Sousa Magalhães Partido Conservador[3] 8 de junho de 1886 14 de junho de 1886 Vice-Presidente Barão de Camargos (Terceira vez)
71 Francisco Lemos Partido Conservador[3] 14 de junho de 1886 1º de janeiro de 1887 (Segunda vez)
Antônio de Sousa Magalhães Partido Conservador[3] 1º de janeiro de 1887 4 de fevereiro de 1887 Vice-Presidente Barão de Camargos (Quarta vez)
72 Carlos Augusto Figueiredo Partido Conservador[3] 4 de fevereiro de 1887 9 de julho de 1887
Antônio de Sousa Magalhães Partido Conservador[3] 9 de julho de 1887 20 de agosto de 1887 Vice-Presidente Barão de Camargos (Quinta vez)
73 Luís Eugênio Horta Partido Conservador[3] 20 de agosto de 1887 1º de junho de 1888
Antônio de Sousa Magalhães Partido Conservador[3] 1º de junho de 1888 7 de dezembro de 1888 Vice-Presidente Barão de Camargos (Sexta vez)
74 Antônio Gonçalves Ferreira Partido Conservador[3] 7 de dezembro de 1888 29 de abril de 1889
Antônio de Sousa Magalhães Partido Conservador[3] 29 de abril de 1889 18 de junho de 1889 Vice-Presidente Barão de Camargos (Sétima vez)
Joaquim José de Santana Partido Conservador[3] 18 de junho de 1889 28 de junho de 1889 Vice-Presidente (Quinta vez)
75 João Batista dos Santos Partido Conservador[3] 28 de junho de 1889 17 de novembro de 1889 Barão de Ibituruna

Governantes do período republicano (1889 — 2018)Editar

 
Vista frontal do Palácio da Liberdade. Foi o palácio do governo entre 1898 e 2010 e residência oficial de 1898 à década de 1950.[5]

No início do período republicano, os governadores eram denominados "presidentes", termo que perdurou até a Revolução de 1930. A partir de 1930, o mandatário estadual passou a ser nomeado pelo governo federal, e o termo usado para se referir a ele era "interventor". O termo "governador" aparece na primeira Constituição Estadual de Minas Gerais, de 1890, mas, já no ano seguinte, foi feita nova Constituição Estadual, em que o termo "governador" é trocado para "presidente". A Constituição Estadual de Minas Gerais de 1891 manterá o termo "presidente". Apenas em 1947, quando o primeiro mandatário foi eleito após a ditadura Vargas, o ocupante do cargo passou a ser chamado de "governador", sendo assim a maneira como se designam os governantes de Minas Gerais até os dias atuais.

  Mandatários eleitos por votação direta
  Mandatários que assumiram o governo por serem vice-governadores
  Mandatários eleitos por votação indireta
  Mandatários nomeados diretamente pelo governo central em épocas de convulsão político-social e ditadura militar
Governador Imagem Partido Início do mandato Fim do mandato Observações
Primeira República Brasileira (1889-1930)
Antônio Olinto Pires Partido Republicano Mineiro

PRM

17 de novembro de 1889 24 de novembro de 1889 Presidente interino nomeado
pelo Governo Federal
Cesário Alvim Partido Republicano Mineiro

PRM

24 de novembro de 1889 10 de fevereiro de 1890 Presidente interino nomeado
pelo Governo Federal
João Pinheiro Partido Republicano Mineiro

PRM

10 de fevereiro de 1890 20 de julho de 1890 Presidente interino nomeado
pelo Governo Federal
Domingos José da Rocha Partido Republicano Mineiro

PRM

20 de julho de 1890 23 de julho de 1890 Vice-Presidente no cargo de
titular interinamente
Jacques Bias Fortes Partido Republicano Mineiro

PRM

23 de julho de 1890 5 de agosto de 1890 Presidente interino nomeado
pelo Governo Federal
Domingos José da Rocha Partido Republicano Mineiro

PRM

5 de agosto de 1890 13 de agosto de 1890 Vice-Presidente no cargo de
titular interinamente
Jacques Bias Fortes Partido Republicano Mineiro

PRM

13 de agosto de 1890 3 de outubro de 1890 Presidente interino nomeado
pelo Governo Federal
Domingos José da Rocha Partido Republicano Mineiro

PRM

3 de outubro de 1890 28 de dezembro de 1890 Vice-Presidente no cargo de
titular interinamente
Jacques Bias Fortes Partido Republicano Mineiro

PRM

28 de dezembro de 1890 27 de dezembro de 1890 Presidente interino nomeado
pelo Governo Federal
Frederico Augusto Álvares da Silva Partido Republicano Mineiro

PRM

27 de dezembro de 1890 6 de janeiro de 1891 Vice-Presidente no cargo de
titular interinamente
Jacques Bias Fortes Partido Republicano Mineiro

PRM

6 de janeiro de 1891 12 de fevereiro de 1891 Presidente interino nomeado
pelo Governo Federal
Frederico Augusto Álvares da Silva Partido Republicano Mineiro

PRM

12 de fevereiro de 1891 18 de março de 1891 Vice-Presidente no cargo de
titular interinamente
Augusto de Lima Partido Republicano Mineiro

PRM

18 de março de 1891 16 de junho de 1891 Presidente interino nomeado
pelo Governo Federal
1 Cesário Alvim Partido Republicano Mineiro

PRM

16 de junho de 1891 9 de fevereiro de 1892 Nomeado Presidente de Estado
por Deodoro da Fonseca
Eduardo Ernesto Gama Partido Republicano Mineiro

PRM

9 de fevereiro de 1892 13 de julho de 1892 Vice-Presidente no cargo de titular
2 Afonso Pena Partido Republicano Mineiro

PRM

14 de julho de 1892 7 de setembro de 1894 Presidente eleito em sufrágio universal
3 Jacques Bias Fortes Partido Republicano Mineiro

PRM

7 de setembro de 1894 7 de setembro de 1898 Presidente eleito em sufrágio universal
4 Silviano Brandão Partido Republicano Mineiro

PRM

7 de setembro de 1898 21 de fevereiro de 1902 Presidente eleito em sufrágio universal
5 Joaquim Cândido Senna Partido Republicano Mineiro

PRM

21 de fevereiro de 1902 7 de setembro de 1902 Vice-Presidente eleito assumiu,
após o afastamento do titular por questões de saúde
6 Francisco Salles Partido Republicano Mineiro

PRM

7 de setembro de 1902 7 de setembro de 1906 Presidente eleito em sufrágio universal
7 João Pinheiro Partido Republicano Mineiro

PRM

7 de setembro de 1906 25 de outubro de 1908 Presidente eleito em sufrágio universal
8 Júlio Bueno Brandão Partido Republicano Mineiro

PRM

27 de outubro de 1908 3 de abril de 1909 Vice-Presidente eleito assumiu,
após a morte do titular
9 Venceslau Brás Partido Republicano Mineiro

PRM

3 de abril de 1909 7 de setembro de 1910 Presidente eleito em sufrágio universal,
deixou o cargo para assumir a
Vice-Presidência da República
10 Júlio Bueno Brandão Partido Republicano Mineiro

PRM

7 de setembro de 1910 7 de setembro de 1914 Presidente eleito em sufrágio universal
11 Delfim Moreira Partido Republicano Mineiro

PRM

7 de setembro de 1914 7 de setembro de 1918 Presidente eleito em sufrágio universal
12 Arthur Bernardes Partido Republicano Mineiro

PRM

7 de setembro de 1918 7 de setembro de 1922 Presidente eleito em sufrágio universal
13 Raul Soares de Moura Partido Republicano Mineiro

PRM

7 de setembro de 1922 4 de agosto de 1924 Presidente eleito em sufrágio universal
Olegário Maciel Partido Republicano Mineiro

PRM

4 de agosto de 1924 21 de dezembro de 1924 Vice-Presidente eleito, assumiu
após doença e morte do titular
14 Fernando de Mello Vianna Partido Republicano Mineiro

PRM

21 de dezembro de 1924 7 de setembro de 1926 Presidente eleito em sufrágio universal,
deixou o cargo para assumir a
Vice-Presidência da República
15 Antônio Carlos Ribeiro de Andrada Partido Republicano Mineiro

PRM

7 de setembro de 1926 7 de setembro de 1930 Presidente eleito em sufrágio universal
Segunda e Terceira Repúblicas Brasileiras (1930-1945)
16 Olegário Maciel Partido Social Nacionalista

PSN

7 de setembro de 1930 5 de setembro de 1933 Presidente eleito em sufrágio universal
17 Gustavo Capanema Partido Progressista

PP

5 de setembro de 1933 15 de dezembro de 1933
18 Benedito Valadares Aliança Liberal

AL

15 de dezembro de 1933 4 de novembro de 1945 Interventor Federal nomeado
pelo Presidente Getúlio Vargas
Quarta República Brasileira (1945-1964)
Nísio Batista 4 de novembro de 1945 3 de fevereiro de 1946 Presidente do Tribunal de Justiça
19 João Beraldo Partido Progressista

PP

3 de fevereiro de 1946 14 de agosto de 1946 Interventor Federal nomeado
pelo Presidente Eurico Dutra
20 Júlio Ferreira de Carvalho Aliança Liberal

AL

14 de agosto de 1946 16 de novembro de 1946 Interventor Federal nomeado
pelo Presidente Eurico Dutra
21 Noraldino Lima Aliança Liberal

AL

17 de novembro de 1946 20 de dezembro de 1946 Interventor Federal nomeado
pelo Presidente Eurico Dutra
22 Alcides Lins Partido Progressista

PP

21 de dezembro de 1946 19 de março de 1947 Interventor Federal nomeado
pelo Presidente Eurico Dutra
23 Milton Campos União Democrática Nacional
UDN
19 de março de 1947 31 de janeiro de 1951 Governador eleito em sufrágio universal
em 19 de janeiro de 1947
24 Juscelino Kubitschek   Partido Social Democrático
PSD
31 de janeiro de 1951 31 de março de 1955 Governador eleito em sufrágio universal
em 3 de outubro de 1950
Clóvis Salgado   Partido Social Democrático
PSD
31 de março de 1955 31 de janeiro de 1956 Vice-governador eleito assumiu
após a renúncia do titular
25 José Bias Fortes Partido Social Democrático
PSD
31 de janeiro de 1956 31 de janeiro de 1961 Governador eleito em sufrágio universal
em 1955
26 José Magalhães Pinto União Democrática Nacional
UDN
31 de janeiro de 1961 31 de janeiro de 1966 Governador eleito em sufrágio universal
em 1960
Quinta República Brasileira (1964-1985)
27 Israel Pinheiro Partido Social Democrático
PSD
31 de janeiro de 1966 15 de março de 1971 Governador eleito em sufrágio universal
em 1965
28 Rondon Pacheco   Aliança Renovadora Nacional
ARENA
15 de março de 1971 15 de março de 1975 Governador eleito pela
Assembleia Legislativa
em 3 de outubro de 1970
29 Aureliano Chaves   Aliança Renovadora Nacional
ARENA
15 de março de 1975 5 de julho de 1978 Governador eleito pela
Assembleia Legislativa
em 3 de outubro de 1974
Ozanam Coelho   Aliança Renovadora Nacional
ARENA
5 de julho de 1978 15 de março de 1979 Vice-governador eleito pela
Assembleia Legislativa
assumiu após a renúncia do titular
30 Francelino Pereira   Partido Democrático Social

PDS

15 de março de 1979 15 de março de 1983 Governador eleito pelo Colégio Eleitoral
em 1º de setembro de 1978
31 Tancredo Neves   Partido do Movimento Democrático Brasileiro
PMDB
15 de março de 1983 14 de agosto de 1984 Governador eleito em sufrágio universal
em 15 de novembro de 1982
Sexta República Brasileira (1985-presente)
Hélio Garcia   Partido do Movimento Democrático Brasileiro
PMDB
14 de agosto de 1984 15 de março de 1987 Vice-governador eleito assumiu
após a renúncia do titular
32 Newton Cardoso   Partido do Movimento Democrático Brasileiro
PMDB
15 de março de 1987 15 de março de 1991 Governador eleito em sufrágio universal
em 15 de novembro de 1986
33 Hélio Garcia   Partido das Reformas Sociais
PRS
Partido Trabalhista Brasileiro
PTB
15 de março de 1991 1º de janeiro de 1995 Governador eleito em sufrágio universal
em 25 de novembro de 1990 (2º turno)
34 Eduardo Azeredo   Partido da Social Democracia Brasileira
PSDB
1º de janeiro de 1995 1º de janeiro de 1999 Governador eleito em sufrágio universal
em 15 de novembro de 1994 (2º turno)
35 Itamar Franco   Partido do Movimento Democrático Brasileiro
PMDB
1º de janeiro de 1999 1º de janeiro de 2003 Governador eleito em sufrágio universal
em 25 de outubro de 1998 (2º turno)
36 Aécio Neves Partido da Social Democracia Brasileira
PSDB
1º de janeiro de 2003 1° de janeiro de 2007 Governador eleito em sufrágio universal
em 6 de outubro de 2002
1° de janeiro de 2007 31 de março de 2010 Governador reeleito em sufrágio universal
em 1º de outubro de 2006,
que renuncia o mandato
Antônio Anastasia   Partido da Social Democracia Brasileira
PSDB
31 de março de 2010 1º de janeiro de 2011 Vice-governador eleito assumiu
após a renúncia do titular
37 Antônio Anastasia   Partido da Social Democracia Brasileira
PSDB
1º de janeiro de 2011 4 de abril de 2014 Governador eleito em sufrágio universal
em 3 de outubro de 2010
Alberto Pinto Coelho Jr   Partido Progressista
PP
4 de abril de 2014 1º de janeiro de 2015 Vice-governador eleito assumiu
após a renúncia do titular
38 Fernando Pimentel   Partido dos Trabalhadores
PT
1º de janeiro de 2015 Em exercício Governador eleito em sufrágio universal
em 5 de outubro de 2014
39 Romeu Zema   Partido Novo
NOVO
1º de janeiro de 2019 Eleito Governador eleito em sufrágio universal
em 28 de outubro de 2018 (2º turno)

Ver tambémEditar

Notas

  1. O Palácio das Mangabeiras é a residência oficial dos governadores desde a década de 1950 e sua construção foi encomendada por Juscelino Kubitschek
  2. O 1º Governador do Estado empossado foi Milton Campos. Até então as nomenclaturas e funções do cargo alternam-se.

Referências

  1. superuser (12 de setembro de 2013). «Capitania de Minas Gerais é criada em meio à corrida do ouro». HISTORY 
  2. a b c d e f g h i j k l m n «Do Império à República: a história dos partidos políticos no Brasil, em 13.11.2014». www.tse.jus.br. Consultado em 19 de outubro de 2018 
  3. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab ac ad ae af ag ah ai aj ak al am an ao ap aq ar as at au av aw ax ay az ba bb bc bd be bf bg bh bi bj bk bl bm bn bo bp bq br bs bt bu bv bw bx by Dutoit, Yann Picand, Dominique. «Partido Conservador (Brasil Império) : definição de Partido Conservador (Brasil Império) e sinónimos de Partido Conservador (Brasil Império) (português)». dicionario.sensagent.com. Consultado em 5 de outubro de 2018 
  4. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab ac ad ae af ag ah ai aj ak al am an ao «O Liberalismo no Brasil - Os primeiros partidos - Fernanda Barth». Fernanda Barth. 3 de fevereiro de 2016 
  5. «Linha do tempo do Palácio da Liberdade». Circuito Cultural Praça da Liberdade. 2013. Consultado em 22 de janeiro de 2015