Abrir menu principal

Dragon Racing

(Redirecionado de Luczo Dragon Racing)
Geox Dragon
Informações gerais
Base Los Angeles, Califórnia, Estados Unidos.
Donington Park, Reino Unido.
Fundador(es) Jay Penske
Chefe de equipe Jay Penske
Categoria(s) Fórmula E
Categoria(s) anterior(es) IndyCar Series (2007-2013)
Site www.dragonracing.com
Pilotos 6. Nova Zelândia Brendon Hartley[1]
7. Suíça Nico Müller[2]
Motor Penske EV-4[3]
Chassis Spark SRT05e
Pneu Michelin
IndyCar Series
Estreia 500 Milhas de Indianápolis de 2007
Corridas concluídas 108
Campeã de equipes 0
Campeã de pilotos 0
Vitórias 0
Pódios 3
Pole Positions 0
Volta mais rápida 1
Última corrida Grande Prêmio de Fontana de 2013
Fórmula E
Estreia ePrix de Pequim de 2014
Corridas concluídas 60
Campeã de equipes 0
Campeã de pilotos 0
Vitórias 2
Pódios 9
Pontos 413
Pole Positions 2
Volta mais rápida 4
Última corrida ePrix de Diriyah de 2019
Posição no último campeonato (2018–19) 10° lugar (23 pontos)

A Dragon Racing (anteriormente denominada Luczo-Dragon Racing e De Ferran Dragon Racing), competindo como Geox Dragon, é uma equipe estadunidense de corridas automobilísticas que compete atualmente pela Fórmula E. A equipe, entre 2007 e 2013, disputou corridas na IndyCar Series. Ela é propriedade de Jay Penske (filho de Roger Penske).

HistóriaEditar

Luczo Dragon RacingEditar

 
Tomas Scheckter guia o carro da Dragon (então Luczo Dragon) nos treinos da Indy 500 de 2008.

A equipe foi fundada em 2007 como Luczo Dragon Racing, e fez sua estreia, com um único carro, nas 500 Milhas de Indianápolis de 2007, com o piloto australiano Ryan Briscoe. Jay Penske e Stephen J. Luczo eram coproprietários da equipe. Briscoe classificou em sétimo e terminou no quinto lugar na corrida. O carro foi notável por ser pintado em um esquema de cores "retrô" para se parecer com o carro vencedor das 500 Milhas de Indianápolis de Rick Mears, com o software Norton como patrocinador principal.

Em 2008, a equipe participou de seis provas da IndyCar Series, incluindo as 500 Milhas de Indianápolis, com o veterano piloto sul-africano Tomas Scheckter.[4] Desta vez sem suporte ou carros da Penske Racing. Enquanto se classificava bem, qualificando em terceiro e liderando inúmeras voltas no Indy 500 antes de ser eliminado por problemas mecânicos.

A equipe se expandiu para uma participação em tempo integral em 2009, colocando o campeão da Indy Lights de 2008, o piloto brasileiro Raphael Matos.[5] Matos e a equipe Dragon Racing ganharam o prêmio de novato do ano em 2009 e alcançaram vários top 10.

De Ferran Dragon RacingEditar

Em 2010 a equipe fundiu-se com a De Ferran Motorsports, criando assim a De Ferran Dragon Racing,[6] com o ex-piloto brasileiro Gil de Ferran tornando-se novo coproprietário e presidente da equipe, dividindo o comando do time com os estadunidenses Stephen J. Luczo e Jay Penske.[7] A equipe estreou com um quarto lugar de Raphael Matos na São Paulo Indy 300.[8] O experiente norte-americano Davey Hamilton também disputou a temporada ao conduzir um segundo carro na Indy 500.

Em 2011, embora tivesse anunciado a contratação de Tony Kanaan, a equipe anunciou que não participaria da temporada e que estava encerrando suas operações por não conseguir patrocinadores para disputar o campeonato.[9]

Porém, ainda em 2011, a equipe anunciou sua volta para disputar cinco corridas da IndyCar Series, agora com o nome Dragon Racing e com Penske como único proprietário.[10]

Dragon RacingEditar

Após Jay Penske renomear a equipe para Dragon Racing, em abril de 2011, anunciou conjuntamente que Paul Tracy havia assinado um acordo de cinco corridas para competir pelo time. Além disso, a equipe entrou com dois carros nas 500 Milhas de Indianápolis,[11] um para o piloto chinês Ho-Pin Tung e o outro para o estadunidense Scott Speed (ex-piloto de Fórmula 1). Porém, ambos acabaram sofrendo acidentes, e enquanto Tung não teve condições de participar do Bump Day,[12] Speed ameaçou abandonar o circuito de Indianápolis, mas recuou, porém foi substituído por outro veterano, o canadense Patrick Carpentier (ex-CART e com passagem pela Indy em 2005), que também não foi bem-sucedido após bater o carro #20, encerrando as chances da Dragon de obter vaga na tradicional prova.

Para 2012, a Dragon contratou Sébastien Bourdais (tetracampeão da Champ Car) e Katherine Legge para formarem a dupla de pilotos.[13] Guiando um conjunto Dallara-Lotus, eles tiveram problemas de velocidade nas cinco primeiras corridas do campeonato. Inconformada, a Dragon solicitou a troca de fornecedora de motores, passando a usar os propulsores da Chevrolet a partir do Grande Prêmio de Detroit. Ainda foi firmado um acordo para que houvesse uma alternação entre os pilotos em circuitos mistos e de rua e em ovais: enquanto Bourdais (vigésimo-quinto lugar na temporada, com 173 pontos) guiaria o carro nos mistos e nos circuitos de rua, Katherine Legge (vigésima-sexta colocada, com 137) pilotaria nos ovais.

Em 12 de fevereiro de 2013, foi anunciado que o colombiano Sebastián Saavedra se unisse ao time para a temporada de 2013 no carro número 6, enquanto Bourdais retornaria no de nº 7.[14]

Fórmula EEditar

Em 2014, a Dragon Racing iniciou a temporada inaugural da Fórmula E com os pilotos Jérôme d'Ambrosio e Oriol Servià. Depois de quatro rodadas, Servià se retirou da disputa para assumir um cargo executivo dentro da equipe, ele foi substituído pelo piloto francês Loïc Duval. Os dois pilotos permaneceram com a equipe para o resto da temporada, bem como as duas edições seguintes.

PilotosEditar

ResultadosEditar

Fórmula EEditar

(legenda) (resultados em negrito indicam pole position; resultados em itálico indicam volta mais rápida)

Ano Nome Chassi Trem de força Pneu N.° Piloto 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 Pontos Class.
2014–15   Dragon Racing Formula E Team Spark SRT01-e SRT01-e[nota 1] M PEQ PUT PDE BUE MIA LBH MON BER MOS LON 171
6   Oriol Servià 7 7 9 9
  Loïc Duval 7 9 Ret 3 15 8 3
7   Jérôme d'Ambrosio 6 5 8 14 4 6 5 1 11 2 2
2015–16   Dragon Racing Spark SRT01-e Venturi VM200-FE-01 M PEQ PUT PDE BNA MEX LBH PAR BER LON 143
6   Loïc Duval 4 16† 4 6 4 8 Ret Ret Ret 4
7   Jérôme d'Ambrosio 5 14† 3 16 1 7 11 16 9 3
2016–17   Faraday Future Dragon Racing Spark SRT01-e Penske 701-EV M HKG MAR BNA MEX MON PAR BER NIQ MTR 33
6   Loïc Duval 14 18 6 Ret Ret 15 Ret 5 13 Ret 19
  Mike Conway 14
7   Jérôme d'Ambrosio 7 13 8 14 Ret NC 13 13 Ret 10 11 9
2017–18   Dragon Racing Spark SRT01-e Penske EV-2 M HKG MAR SAN MEX PDE ROM PAR BER ZUR NIQ 41
6   Neel Jani 18 18
  José María López 6 Ret 12 8 17† 10 18 12 Ret Ret
7   Jérôme d'Ambrosio NC 15 15 8 11 9 7 12 19 3 13 Ret
2018–19   GEOX Dragon Spark SRT05e Penske EV-3 M ADR MAR SAN MEX HKG SNY ROM PAR MON BER SUI NIQ 23 10°
6   Maximilian Günther 16 12 Ret 19† 5 Ret 14 5 Ret 19†
  Felipe Nasr 19 Ret Ret
7   José María López Ret 11 9 17 11 Ret 16 13 10 20 DSQ 12 Ret
2019–20   GEOX Dragon Spark SRT05e Penske EV-4 M DIR SAN MEX MAR SNY ROM PAR SEU JAC BER NIQ LON 2* 11°*
6   Brendon Hartley 19 9
7   Nico Müller NL Ret
Notas

* Temporada ainda em andamento.
† – Não completaram a prova, mas foram classificados pois concluíram 90% da prova.
G – Volta mais rápida na fase de grupos da classificação.

NotasEditar

  1. Na temporada inaugural, todas as equipes receberam um trem de força idêntico da McLaren.

Referências

  1. «Após ficar perto da Porsche, Hartley assina com a Dragon na Fórmula E». Motorsport.com. Consultado em 9 de agosto de 2019 
  2. Smith, Sam. «Nico Mueller Completes GEOX Dragon Lineup». e-racing365.com (em inglês). Consultado em 18 de setembro de 2019 
  3. Smith, Sam. «GEOX Dragon Signs Hartley for 2019-20». e-racing365.com. Consultado em 18 de setembro de 2019 
  4. Cavin, Curt & Ballard, Steve. Scheckter likely back at Indy 500
  5. DiZinno, Tony (7 de outubro de 2008). «Matos, Luczo Dragon latest to confirm 2009 plans». Motorsport.com. Motorsport.com, Inc. Consultado em 19 de janeiro de 2018 
  6. «Gil de Ferran monta equipe na F-Indy». Portal Terra. 17 de fevereiro de 2010 [ligação inativa]
  7. «Gil de Ferran fecha parceria para ter equipe na F-Indy». O Estado de S. Paulo. 17 de fevereiro de 2010. Consultado em 22 de janeiro de 2018 
  8. «Satisfeito, Gil de Ferran elogia pupilo na estreia de sua equipe». Portal Terra. 15 de março de 2010 
  9. «Fórmula Indy: Gil de Ferran fecha sua equipe». Terceiro Tempo. Consultado em 22 de janeiro de 2018 
  10. «Paul Tracy joins Dragon Racing» (em inglês). ESPN. 2 de abril de 2011. Consultado em 4 de abril de 2011 
  11. Miller, Robin. Tracy To Lead Restructured Dragon Racing Arquivado em 2011-04-10 no Wayback Machine., Speed TV, 2 de abril de 2011, Acessado em 22 de janeiro de 2018
  12. «Tung joins Schmidt Dragon for Sonoma». GPUpdate.net. JHED Media BV. 24 de agosto de 2011. Consultado em 22 de janeiro de 2018 
  13. Glendenning, Mark (12 de janeiro de 2012). «Sebastien Bourdais secures full-time IndyCar return with Dragon Racing». Autosport. Haymarket Publications. Consultado em 22 de janeiro de 2018 
  14. «Saavedra in at Dragon, to pair with Bourdais». IndyCar Series. IndyCar. 12 de fevereiro de 2013. Consultado em 22 de janeiro de 2018 

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Dragon Racing
  Este artigo sobre Automobilismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.