Portal:Guiné-Bissau


Portal Guiné-Bissau


Portal Guiné-Bissau
Este portal pretende reunir informações sobre os mais variados temas relacionados com Guiné-Bissau.
Inep-bissau.jpg Viagem de Bissau para Bolama, Guiné-Bissau – 2018-03-02 – DSCN0944.jpg Assembleia Nacional da Guiné-Bissau.jpg Bafatá Goba River 20130609-DSC 8961 (9087213577).jpg Banco Centra Da Guine Bissau.JPG Mesquita em Bissau.jpg DC - Foto Serra No 143 - Museu (Bissau).jpg Viagem de Bissau para Bolama, Guiné-Bissau – 2018-03-02 – DSCN0973.jpg Palácio Presidencial CaravelaIvybeach1p.jpg


Guiné-Bissau

Flag of Guinea-Bissau.svg
Emblem of Guinea-Bissau.svg
Mapa de localização.

Guiné-Bissau, oficialmente República da Guiné-Bissau, é um país da África Ocidental que faz fronteira com o Senegal, ao norte, Guiné, ao sul e ao leste, e com o Oceano Atlântico, a oeste. O território guineense abrange 36.125 km² de área, com uma população estimada de 1,6 milhão de pessoas.

A Guiné-Bissau fazia parte do Reino de Gabu, bem como parte do Império do Mali. Partes deste reino persistiram até o século XVIII, enquanto algumas outras estavam sob domínio do Império Português desde o século XV. No século XIX, a região foi colonizada e passou a ser referida como Guiné Portuguesa. Após a independência, declarada em 1973 e reconhecida em 1974, o nome de sua capital, Bissau, foi adicionada ao nome do país para evitar confusão com a Guiné (a antiga Guiné Francesa) e a Guiné Equatorial (antiga Guiné Espanhola). Foi a primeira colônia portuguesa no continente africano a ter a independência reconhecida por Portugal.

A Guiné-Bissau tem um histórico de instabilidade política desde a sua independência e nenhum presidente eleito conseguiu completar com sucesso um mandato completo de cinco anos. Apenas 15% da população fala português (primeira ou segunda língua), estabelecido como língua oficial durante o período colonial. A grande maioria da população (90,4%) fala kriol, uma língua crioula baseada no português, enquanto o restante dos habitantes falam uma variedade de línguas africanas nativas. As principais religiões são as religiões tradicionais africanas e o islamismo; há uma minoria cristã, principalmente católica romana.

Artigo destacado aleatório

Avenida dos Combatentes da Liberdade da Pátria .

Bissau, oficialmente denominada Sector Autónomo de Bissau, é um sector autónomo, a capital e a maior cidade da Guiné-Bissau, localizada no estuário do rio Geba, na costa atlântica.

Surgida como um aldeamento de povos caçadores e agricultores, sua colonização começou a dar-se a partir do século XVII, quando cumpriu importante papel histórico na região, como centro de comércio e porto fortificado. Embora a Guiné Portuguesa fosse administrativamente dependente de Cabo Verde, a localidade exerceu o papel de sua capital. No século XX, torna-se a capital da colônia, até a independência da Guiné-Bissau, quando coube-lhe ser a região mais desenvolvida e segura da nação, enquanto o país ainda mergulhava em conflitos e crises.

Centro econômico da nação, Bissau concentra uma gama diversa de serviços financeiros, turísticos, educacionais e de saúde, factor possível graças à sua centralidade e à sua infraestrutura urbana, que conta um grande porto (o maior guineense), além das ligações aeroportuárias e rodoviárias, constituíndo-se também como o centro político-administrativo e militar do país.


História

Brasão da antiga Guiné portuguesa.

A história da Guiné-Bissau como nação africana remonta a períodos muito anteriores aos Descobrimentos. As origens da Guiné-Bissau não são conhecidas devido, em grande parte, à falta de pesquisa arqueológica.

Os primeiros habitantes da região foram os Felupes ou Diolas, Manjacos, Mancanhas, Balantas, Papéis e Nalu. Um dos primeiros influenciadores da Guiné foi o Império do Mali, fundado no século XIII, que se desenvolveu desde o interior até à costa da África Ocidental. Um dos seus reinos, Gabu, expandiu-se até alcançar o estatuto de império, e veio a influenciar politicamente as regiões que faziam fronteira com o Senegal, Gâmbia e Guiné-Conakry.

Devido à sua situação geográfica costeira, ao tráfico de escravos e às influências da presença portuguesa desde meados do século XV, a Guiné-Bissau também estabeleceu contatos com Cabo Verde. Os portugueses chegaram à região em 1446, e estabeleceram-se em pequenas zonas alugadas aos vários reinos.

Imagem aleatória

Rio Geba, maior rio da Guiné-Bissau.

Categorias

Como colaborar

Colabore!

Agradecemos o seu interesse por ampliar e melhorar os artigos relacionados com Guiné-Bissau na Wikipédia! Abaixo algumas coisas que esperam a sua colaboração.


Você sabia

  • ...que o ritmo musical mais conhecido da Guiné-Bissau é denominada de “gumbé“.?
  • ...que o português é falado por 11% da população e o crioulo por 44%?
  • ...que o país abriga cerca de vinte etnias?


Biografia selecionada

Amílcar Cabral

Amílcar Cabral (Bafatá, 12 de setembro de 1924Conacri, 20 de janeiro de 1973) foi um político da Guiné-Bissau e de Cabo Verde. Nascido na Guiné Portuguesa, mudou-se para Cabo Verde ainda criança, onde completou o curso liceal em 1943. Em 1945, uma bolsa de estudos permitiu-lhe ingressar no Instituto Superior de Agronomia, em Lisboa, onde se licenciou em 1950, tendo trabalhado durante dois anos na Estação Agronómica de Santarém.

Contratado pelo Ministério do Ultramar como adjunto dos Serviços Agrícolas e Florestais da Guiné, regressou a Bissau em 1952. Nestas funções, calcorreou grande parte do país, adquirindo um conhecimento profundo da sua realidade social. No entanto, as suas atividades políticas, iniciadas já em Portugal, reservam-lhe a antipatia do governador Melo e Alvim que o obrigou a ir para Angola.


Predefinições

Wikimedia

Guiné-Bissau no Wikinotícias     Guiné-Bissau no Wikiquote     Guiné-Bissau no Wikilivros     Guiné-Bissau no Wikisource     Guiné-Bissau no Wikcionário     Guiné-Bissau na Wikiversidade     Guiné-Bissau no Wikivoyage     Guiné-Bissau no Commons
Notícias Citações Livros didáticos e manuais Biblioteca Definições Recursos de aprendizado Guias de viagem Imagens e mídia
https://pt.wikinews.org/wiki/Special:Search/Guin%C3%A9-BissauWikinews-logo.png
https://pt.wikiquote.org/wiki/Special:Search/Guin%C3%A9-BissauWikiquote-logo.svg
https://pt.wikibooks.org/wiki/Special:Search/Guin%C3%A9-BissauWikibooks-logo.png
https://pt.wikisource.org/wiki/Special:Search/Guin%C3%A9-BissauWikisource-logo.svg
https://pt.wiktionary.org/wiki/Special:Search/Guin%C3%A9-BissauWiktionary-logo.svg
https://pt.wikiversity.org/wiki/Special:Search/Guin%C3%A9-BissauWikiversity-logo.svg
https://pt.wikivoyage.org/wiki/Special:Search/Guin%C3%A9-BissauWikivoyage-Logo-v3-icon.svg
//pt.wikipedia.org/wiki/Especial:Search/Commons:Guin%C3%A9-BissauCommons-logo.svg