Abrir menu principal

River Atlético Clube

Clube de futebol
(Redirecionado de Ríver Atlético Clube)

O River Atlético Clube é um clube brasileiro de futebol, sediado na cidade de Teresina, no estado do Piauí. Fundado em 1946, é o clube que mais vezes conquistou o Campeonato Piauiense com 30 títulos ao todo.

River
RíverAtléticoClube-PI.png
Nome River Atlético Clube
Alcunhas O Eterno Campeão
Tricolor Mafrense
O Maior do Piauí
Galo Carijó
Timão
Tricolaço
Galo Maluco
RAC
Galo de Aço
Torcedor/Adepto Riverino
Mascote Galo Carijó
Fundação 1 de março de 1946 (72 anos)
Estádio Albertão
Lindolfo Monteiro
Capacidade 52.216 lugares
7.000 lugares
Localização Teresina, Brasil
Presidente Genivaldo Campelo
Treinador Oliveira Canindé
Patrocinador Noroeste
Serv Cozinha
CEV Educacional
Governo do Piauí
Loterias Caixa
Material (d)esportivo Carijó (Marca própria)
Competição Copa do Nordeste
Campeonato Piauiense
Copa do Brasil
Série D
Ranking nacional Aumento 60.º lugar, 1 387 pontos [1]
Website www.riverac.net
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

Um dos clubes mais populares do Estado do Piauí, o River tem o galo como seu mascote. Costuma mandar seus jogos no Estádio Albertão junto de seu maior rival, o Esporte Clube Flamengo, a qual fazem o maior clássico do estado: o Rivengo.

Suas cores são o preto,branco e o vermelho, o clube é conhecido entre outras coisas pela alcunha de o "Eterno Campeão", em alusão ao período entre 1948 e 1965 onde conquistou 14 títulos estaduais,ao disputar 18 finais consecutivas.

Em participações na primeira divisão do Brasileiro, o River esteve em 5 edições da Série A (a partir de 1971) e 3 da antiga Taça Brasil. O clube foi Vice-Campeão do Campeonato Brasileiro da Série D em 2015 e já disputou a Série B do Brasileiro 10 vezes.[2]

Atualmente, o clube disputa a primeira divisão estadual, a Série D nacional, e periodicamente a Copa do Brasil e a Copa do Nordeste.

Índice

HistóriaEditar

FundaçãoEditar

O dia 1 de março de 1946 é considerado pelo River a data oficial de fundação do clube. Um grupo de estudantes do "Ginásio Leão XIII", à época dirigido pelo professor Antilhon Ribeiro Soares, se reuniu, para tratar da fundação de uma sociedade desportiva que tomaria o nome de River Atlético Clube.

Todavia, o projeto não foi posto em prática, haja vista que não ocorreu a sua legalização nos órgãos desportivos competentes, como também não existe registro de qualquer atividade nos anos de 1946 e 1947. O primeiro registro histórico data de 15 de fevereiro de 1948. Nesse dia foi disputado o primeiro jogo do River contra o Amarantino. O primeiro gol do River foi marcado, nesse jogo, por Antônio Freire (Freirinho). O jogo foi realizado na cidade de Amarante-PI e o River ganhou por 4x3. Quase um mês depois, em 12 de março de 1948, houve a chamada 'reorganização' do clube, liderada por Afrânio Messias Alves Nunes (presidente mais vitorioso do River - 11 títulos). Em 15 de março de 1948, o River já havia sido admitido na Federação Piauiense de Desportos. No mesmo ano, disputou o campeonato da temporada, do qual sagrou-se campeão. Em 1967 o River Atlético Clube inaugura sua sede própria no Bairro dos Noivos, área nobre da Capital Piauiense. Afrânio Nunes, mais uma vez, foi o mentor do projeto da sede

O inicioEditar

Em 1948,o River disputaria seu primeiro Campeonato Piauiense, o clube surgia em uma época que o futebol local era dominado por duas equipes,o Botafogo de Teresina,e o Flamengo,também de Teresina.O River,então novato na competição se sagrou campeão, somando 22 pontos,ao longo das 14 partidas disputadas.segue os registros das atividades do clube durante aquele campeonato:

Primeiro Turno

  • River 0x0 Flamengo
  • River 3x2 Automóvel
  • River 4x3 Botafogo
  • River 0x1 Terríveis
  • River 3x1 Teresinense
  • River 1x5 Industrial
  • River 7x2 Artístico

Segundo Turno

  • River 4x1 Flamengo
  • River 4x1 Automóvel
  • River 1x0 Botafogo
  • River 3x0 Terríveis
  • River 4x2 Teresinense
  • River 1x1 Industrial
  • River 4x3 Artístico
 
Torcida Riverina no Estádio Lindolfo Monteiro

Década de 1950 e o HeptacampeonatoEditar

Na década de 1950 o River perpetuava a sua hegemonia sob o futebol local,ao conquistar de forma consecutiva as edições do Campeonato Piauiense de Futebol disputadas no período entre 1950 e 1956.A maior vítima do tricolor do Piauí foi o Botafogo que obteve cinco vice-campeonatos, mediante o futebol brilhante que enchia de brilho os olhos dos Piauienses que acompanhavam cada campeonato disputado pelo River.

O Hexacampeonato EstadualEditar

Com a tradição conquistada, e vindo de dez finais consecutivas 1948-1957, as expectativas tidas em cima do River não pesavam sob a equipe, tal afirmação tem conteúdo reforçado, mediante as conquistas do River do Campeonato Piauiense também no período entre 1958 e 1963.segue os registros de partidas do campeonato de 1963, a do hexacampeonato:

Primeiro Turno

  • River 1x1 Caiçara
  • Comercial 2x0 River
  • River 1x1 Piauí
  • River 2x0 Auto Esporte
  • River 7x1 Rio Negro
  • Comercial 2x2 River
  • River 2x1 Flamengo

Segundo Turno

  • Piauí 1x3 River
  • Rio Negro 0x3 River
  • River 0x0 Auto Esporte
  • River 3x0 Comercial
  • Caiçara 1x2 River
  • Flamengo 0x1 River

Terceiro Turno

  • River 3x4 Auto Esporte
  • River 5x0 Caiçara
  • Piauí 3x5 River
  • Flamengo 1x1 River
  • River 4x1 Comercial

Final

  • River 0x1 Caiçara
  • River 4x0 Caiçara
  • River 3x0 Caiçara

Campeão do Centenário de TeresinaEditar

O ano de 1952, considerado o centenário de Teresina, foi marcado por um torneio que reuniu os times do River e Botafogo (ambos de Teresina), Comercial (de Campo Maior), Ferroviário (de Parnaíba) e Sampaio Corrêa-MA. O River conquistou o título ao vencer o Botafogo por 3-2.[3] mi

A primeira participação em Torneios NacionaisEditar

O ano foi 1963,a equipe Riverina conquistou a classificação para a Taça Brasil (Campeonato Brasileiro da época),por meio de uma vitória contra a equipe do Sampaio Corrêa de São Luis do Maranhão.

Na Primeira partida no Estádio Nhozinho Santos,localizado na capital maranhense,os donos da casa venceram a equipe piauiense por um placar de 3x0,já na partida de volta,no estádio municipal Lindolfo Monteiro em Teresina,o River vencera por um resultado de 2x0,faltava então o último e decisivo jogo.No último e mais importante jogo a equipe Riverina consolidou o feito da primeira classificação de uma equipe do estado á um torneio nacional, ao vencer o Sampaio Corrêa-MA por 1x0.[4]

A quebra de jejumEditar

Em 1973, o River estava há 10 anos sem ganhar um título piauiense. Naquele ano, Afrânio Nunes montou um time mais forte que o Flamengo e Tiradentes, que estavam no auge na época. A decisão foi numa quarta feira à noite, no Estádio Lindolfo Monteiro.

A final foi entre River e Tiradentes que terminou em 0-0 no tempo normal e na prorrogação. A decisão foi para as grandes penalidades e na quinta cobrança Derivaldo marcou o gol que deu título ao River. A torcida invadiu o campo e arrancou as traves e levou para sede. Os jogadores do time campeão foram: Nilson, Bruno, Nelson, Osíris e Luizinho; Gerson Andreoti, Chubinho e Derivaldo; Botelho, Cesar e Batistinha.

Em 1977, foi realizado o maior campeonato piauiense de todos os tempos, quebrando recorde de público e renda, levando 100 mil pessoas aos três jogos decisivos Albertão. Na final foram 40 mil e o clássico Rivengo terminou empatado em 2-2, com gols de Dema (Fla) Sima (2) (River) e Dote (Fla). O gol do título foi marcado por Nivaldo "Coalhada" aos 9 minutos do 1º tempo da prorrogação.[5]

A primeira vitória contra uma Seleção EstrangeiraEditar

O ano foi 1978, um empresário mineiro chamado Pedro Nascimento trazia a Teresina, para um torneio internacional, a Seleção Uruguaia de Futebol, equipe formada por maioria jogadores com idade olímpica. Foi a primeira vez que uma equipe uruguaia atuou em solo piauiense. Com um público de um pouco mais que 13 mil pagantes em uma quarta-feira a noite, o River vencera aquela histórica partida por 1x0, com um gol do maior artilheiro e ídolo do clube, Sima, aos 13 minutos do 2° tempo.[5]

Série B de 2000Editar

Por não ter aceitado o seu rebaixamento à Série B em 1999 (caso Sandro Hiroshi, ver mais sobre o caso), o Gama, com apoio do Sindicato dos Técnicos de Futebol do Distrito Federal e do PFL, entrou com uma ação na Justiça comum exigindo sua reintegração à série A. Em junho de 2000, devido ao conflito de decisões entre STJD (contra o Gama) e a Justiça comum (a favor), com o processo ainda não tendo sido julgado em todas as instâncias, a CBF ficou impedida de publicar o regulamento do campeonato que deveria iniciar em seguida.

A confusão gerada exigiu q a CBF entregasse a organização do campeonato ao Clube dos 13 em um campeonato inchado em que todos os clubes do Brasil tiveram a oportunidade de serem campeões nacionais e onde os times foram divididos em módulos: a Copa João Havelange. Naquele ano o Tricolor do Mafrense disputou tal Copa no Módulo Amarelo, Grupo B, módulo este que equivalia a segunda divisão do Campeonato Brasileiro. Ao Final do Campeonato o River ficaria na 11º colocação com 22 pontos, o que não foi suficiente para permanecer na segundona já que o último clube da classificação de acesso, o CRB, ficou com 26 pontos e disputou a Série B do ano seguinte. Foi a melhor marca recente de um clube piauiense em campeonatos brasileiros[6]

Copa do Brasil 2008 - A melhor campanha na competiçãoEditar

Com o Albertão interditado[7], os dois representantes piauienses, o Barras e o River tiveram que escolher outros mandos para realizar suas partidas. O Barras encarou o Corinthians, que se encontrava na Série B, em Brasília. Em função da diferença técnica das duas equipes, o time paulista goleou sem dificuldades por 6 a 0. Restava o River.

Na primeira fase encontrou o Jaguaré, do Espírito Santo. Na partida de ida, fora de casa, perdeu por 3 a 2 com o gol da vitória do time adversário marcado aos 50' do segundo tempo pelo jogador Diogo. Os gols riverinos foram marcados por Jorginho e Kuriri. Na partida de volta, no Estádio Tibério Nunes, em Floriano, o River despachou a equipe do Jaguaré pelo placar de 2 a 0 (4 a 3 para o River no placar agregado), com gols de Maurício Pantera e Kuriri, ambos no segundo tempo.

Na segunda fase o River fez um grande duelo com o Botafogo. Naquela época o time carioca possuía bons jogadores como o goleiro uruguaio Castillo, o lateral direito Alessandro, os volantes Diguinho e Túlio, o meia Lúcio Flávio e os atacantes Jorge Henrique e Wellington Paulista. Cuca era o técnico do time.

Mesmo com grandes jogadores, o time treinado até então por Luís Carlos Winck não se intimidou. O mando de campo era na cidade maranhense de Bacabal e o estádio ficou dividido em riverinos, botafoguenses e, a grande maioria, simples espectadores que foram prestigiar o clássico.

Aos 16 minutos do primeiro tempo, Alex Mineiro cobra falta a favor do River. Um chute forte faz a bola quicar em frente ao goleiro Castillo matando o goleiro uruguaio. Já aos 26 minutos Jorge Henrique toca para Wellington Paulista que manda um pombo sem asas de fora da área, sem chances para o goleiro Fábio. 1 a 1.

Já no segundo tempo, aos cinco minutos Luciano toca para Kemerson, que chuta forte no canto esquerdo. O segundo gol do Galo fez com que a maioria absoluta dos torcedores passassem a incentivar ao River, que heroicamente resistiu à ofensiva do Botafogo e levou a pequena vantagem para o segundo jogo, no Rio.

No jogo da volta, o Engenhão ficou lotado e a pressão da torcida adversária foi enorme, e o time não conseguiu segurar o resultado. Derrota por 2 a 0, gols do atacante André Lima no primeiro tempo, e do atacante Wellington Paulista no segundo tempo. 3 a 2 no placar agregado para o Botafogo, o que não apaga a boa campanha do maior piauiense nessa edição da Copa do Brasil.

Time do River em River 2 x 9 Vitória: Fábio; Jorginho, Alex Mineiro, Zezé e Índio; Joãozinho, Diego Marangon, Luciano (Cláudio) e Kemerson (Lúcio), Kuriri e Maurício Pantera (Zezinho). Técnico: Luís Carlos Winck.[8]

O fim do jejum, o bi do estadual e o vice-campeonato da Série D de 2015Editar

 
Torcida Riverina na segunda partida da final do Piauiense de 2014, Estádio Albertão

O River passou anos lutando para se reestruturar no cenário piauiense a partir de 2009 quando Elizeu Aguiar tornou-se presidente do clube e pôs como meta fazer o River voltar ao cenário do futebol no Nordeste [9]. Em 2014 o time conquistou, após 7 anos, o título piauiense,com direito a um público de 24 mil pessoas no jogo de volta como mandante. No mesmo ano, a diretoria contratou Flávio Araújo com o objetivo de levar o time de volta à Série C. Após o título piauiense de 2014, o River conquistou o direito de participar da Copa do Nordeste 2015, onde iniciou bem com uma vitória sobre o Botafogo-PB em João Pessoa, mas deslizes em casa e derrotas nos últimos minutos para Fortaleza e Ceará acabaram com o sonho tricolor de se classificar para as quartas da competição.

Entretanto, o Tricolor conseguiu a volta por cima ao conquistar o bicampeonato piauiense sobre o maior rival, Flamengo-PI. O empate na prorrogação deu o título e a vaga na Série D 2015. Na fase de grupos, Palmas, Santos-AP, Imperatriz e Guarani de Juazeiro foram os adversários do tricolor. O River terminou em primeiro no seu grupo e se tornou o primeiro piauiense a passar de fase na história do Brasileirão Série D.

Nas oitavas, enfrentou o Estanciano-SE. Após perder fora de casa por 2x1, uma grande vitória por 3x0 no jogo de volta classificou o time riverino para as quartas. Nas quartas, o adversário foi o Clube Esportivo Lajeadense. O tricolor venceu de forma espetacular o primeiro jogo, novamente por 3x0, em uma atuação brilhante e segura diante de um Albertão lotado, e um empate tenso e nervoso por 1x1 em Lajeado-RS, com incidentes envolvendo rojões e bombas arremessados no banco de reservas do time piauiense, no dia 19 de outubro, garantiu o acesso riverino à Série C, o primeiro acesso de divisão no futebol nacional de um time do Estado.

Nas semifinais, outro gaúcho no caminho do Galo. O Ypiranga de Erechim tinha a vantagem de fazer o segundo jogo em casa. Em Teresina, Eduardo brilhou em um jogo muito aberto e cheio de polêmicas, onde o River venceu por 2x0 com ambos os gols do atacante. Na volta em Erechim, o Ypiranga devolveu o placar em outro jogo marcado por polêmicas de arbitragem, envolvendo pênalti mal marcado a favor do time gaúcho e impedimentos inexistentes para ambos os lados. Na decisão por pênaltis, o goleiro riverino Naylson defendeu duas cobranças e cobrou a última penalidade, convertendo e levando o River à primeira final de uma competição nacional da história do clube piauiense e do futebol do estado.

Na final, River e Botafogo-SP duelaram para mostrar quem é o melhor da Série D. O primeiro jogo ocorreu em Ribeirão Preto no dia 7 de novembro. Com um 1º tempo muito morno a equipe piauiense conseguiu segurar o ímpeto do time paulista, que investia em avanços perigosos do atacante Canela. No 2º tempo, a equipe botafoguense veio com tudo e logo aos 12 minutos, Canela deixa dois jogadores do Galo para trás e toca para Francis que marca por debaixo das pernas de Naylson. O River continuou tentando chegar à área botafoguense, mas foi surpreendido aos 25 com o segundo gol do adversário: depois do escore feito por Nunes, Francis marca para o Pantera de Ribeirão Preto. Aos 36 minutos, o time teresinense desconta: Thiago Dias recebe de Fabinho e bate com força na bola que pega na trave de Neneca e sobra para Célio Codó empurrar paras redes, que voltou a jogar depois de três meses afastado por lesão. Aos 42 do segundo tempo, de novo Francis anota para a equipe paulista. Aos 43 minutos da etapa final, quando a torcida botafoguense já gritava "é campeão", o meia Amorim cobra falta na área do Botafogo e o goleiro Neneca faz contra e decreta o placar final, frustrando a torcida do time de Ribeirão Preto.

 
Torcida Riverina na final do Campeonato Brasileiro da Série D de 2015

O resultado dava ao Galo piauiense a esperança, já que deixava a disputa em aberto para grande final do dia 14 de novembro no Albertão. Entretanto, o marcador da segunda partida decisiva ficou sem gols até o apito final dando ao River o vice-campeonato do torneio e, até o momento, a melhor campanha de uma equipe piauiense em um certame nacional. O público presente (Mais de 40 mil torcedores) foi o maior de toda a Série D 2015 e o de vários torneios no segundo semestre desse ano.

2016: o tri-estadual e o rebaixamento à Série DEditar

Após a conquista do acesso à Série C de 2016, a torcida do River estava esperançosa quanto a ter um bom ano, esperança essa que aumentou em 26 de maio daquele ano. Nesse dia o clube sofreu uma acachapante derrota por 3 a 1 para o Altos-PI, mas devido a escalação irregular de um jogador, o clube altoense foi punido e perdeu o título do segundo turno, consagrando o River como tri-campeão estadual naquele ano [10]. Meses antes, na Copa do Nordeste, o clube havia feito uma campanha razoável em um grupo complicado com Sport Recife e Fortaleza, mas acabou eliminado após um jogo polêmico contra o Fortaleza em Teresina.

Na Copa do Brasil, uma campanha histórica: o time eliminou o tradicional Goiás. Após uma vitória por 2-1 em Teresina, o clube esmeraldino devolveu o placar em Goiânia, mas o tricolor piauiense conseguiu sua classificação após incríveis vinte cobranças de penalidades máximas [11]. Na fase seguinte, o clube acabou eliminado pelo Botafogo-PB.

Entretanto, a torcida se frustrou com um desempenho terrível na Série C, onde um time apático, passando pelas mãos de vários treinadores, acabou rebaixado para a Série D de 2017 junto do América de Natal [12].

2017: campanha histórica na Copa do Nordeste e frustraçõesEditar

Depois de um tenso ano de 2016 o River buscava a conquista do tetra estadual para se garantir nas competições nacionais de 2018, boas campanhas na Copa do Brasil de 2017 e no Nordestão, mas acima de tudo, o retorno à Série C.

Na Copa do Brasil, uma enorme decepção: precisando apenas de um empate fora de casa contra o pequeno Sete de Dourados-MS, o time perdeu e foi eliminado de cara na primeira fase da competição [13]. Porém , o time fez história ao ser o primeiro piauiense a conseguir uma vaga nas quartas de final da Copa do Nordeste. Com 13 pontos, mesmo número de pontos do líder Sport Recife, o clube avançou, e parou ao ser eliminado pelo Vitória.

Após isso, uma série de decepções marcaram o ano tricolor: eliminado do Piauiense pelo Altos, estando fora de competições nacionais e regionais em 2018, e a eliminação na primeira fase da Série D com uma derrota para o Guarany de Sobral deixaram o clube sem calendário para o ano seguinte.

2018: reestruturação, nova diretoria e o retorno às competições nacionaisEditar

Em novembro de 2017, Givanildo Campelo foi eleito presidente do River e prometeu reestruturar o time, devolvendo-o às competições nacionais em 2019, mas acima de tudo, melhorando a parte de infraestrutura do clube [14]. Cumprindo parte da promessa, Givanildo investiu em obras no CT, como um novo gramado para o campo, uma sala de imprensa e melhorias gerais, para que o clube tivesse uma estrutura melhor para seus jogadores e comissão técnica [15].

Em relação ao desempenho dentro de campo, o time foi vice campeão piauiense após perder para o Altos em 4-2 no agregado. Apesar da ausência do título, o clube conquistou o direito de disputar a Copa do Brasil e a Série D em 2019, além do pré-Nordestão 2019 contra o Sampaio Corrêa, atual campeão da competição. O clube do Maranhão eliminou o River com um resultado de 5-2 no agregado, encerrando assim o ano futebolístico da equipe profissional do tricolor em 2018 [16].

SímbolosEditar

EscudoEditar

O Escudo, um dos principais símbolos do River Atlético Clube, sofreu várias alterações durante a história, sendo que atualmente, o escudo é dividido em três partes: acima, preto; ao centro, branco; abaixo,o vermelho,ao centro se encontra o "R" letra inicial do nome do Clube, e acima do escudo quatro estrelas representando o tetracampeonato dos anos 1999-2000-01-02.[17]

UniformeEditar

Nos primeiros registros de atividades do clube (15 de fevereiro de 1948) adotava como principal camisa a camisa branca, com faixa em diagonal contendo três cores, o preto, o branco e o vermelho, com um tempo a camisa da equipe sofrera alterações. Atualmente, o River tem como primeira e principal camisa a vermelha, com duas faixas centrais pretas e uma branca ao meia. A segunda principal camisa é a branca, que também contém três faixas centrais, porém, nas cores preto, branco e vermelho.

Uniformes dos jogadoresEditar

  • 1º uniforme: Camisa vermelha, com duas faixas centrais pretas e uma branca ao meio; calção e meias vermelhas;
  • 2º uniforme: Camisa branca, com três faixas centrais, uma preta, uma branca e uma vermelha; calção e meias brancas.
  • 3º uniforme: Camisa preta, com duas faixas centrais vermelhas e uma branca ao meio; calção e meias pretas.
  • 4º uniforme: Camisa com listras na vertical, nas cores preto, branco e vermelho, calção e meias pretas.

2018

     
 
 
1º Uniforme
     
 
 
2º Uniforme
     
 
 
3º Uniforme
     
 
 
4º Uniforme
2017
     
 
 
1º Uniforme
     
 
 
2º Uniforme
     
 
 
3º Uniforme
     
 
 
4º Uniforme

HinoEditar

Hino do River Atlético Clube Autor: Maestro Luis Santos[18]

"Avante, Riverinos!

Com a bandeira de glória nas mãos

Lutemos com ardor

Pela vitória do tricolor

Levemos a nossa sede

Que é orgulho do nosso torrão

A taça conquistada

Com heroísmo e sem paixão.

A nossa meta certa a seguir:

É defender o Piauí

Com o nome do tricolor

Em qualquer lugar

Gritando gol!

E ainda proporcionarmos

Um meio social

Sem igual."

Elenco AtualEditar

Goleiros
Jogador
  Vitor Paiva
  Robson
  Jefferson
Defensores
Jogador Pos.
  Lucas Dias Z
  Ismael Z
  Marlon Z
  Madson LD
  Flavinho LD
Meio-campistas
Jogador Pos.
  Gustavo Radar V
  João Paulo V
  Juliano V
  Lucas Kattah  M
  Márcio Diogo M
  Marcos Vinicius M
  Gláucio M
Atacantes
Jogador
  Sharles
  Fabiano
  Kauan Nogueira
  Lucas sereno

PresidentesEditar

TítulosEditar

REGIONAIS
Competição Títulos Temporadas
  Torneio Piauí - Maranhão 1 1980 [19]
ESTADUAIS
Competição Títulos Temporadas
  Campeonato Piauiense 30 1948, 1950, 1951, 1952, 1953, 1954, 1955, 1956, 1958, 1959, 1960, 1961, 1962, 1963, 1973, 1975, 1977, 1978, 1980, 1981, 1989, 1996, 1999, 2000, 2001, 2002, 2007, 2014, 2015, 2016.
  Copa Piauí 1 2006
  Torneio Início 10 1949, 1950, 1951, 1953, 1955, 1959, 1962, 1964, 1971 e 1978.
CAMPANHAS DE DESTAQUE
Competição Posição Temporadas
  Campeonato Brasileiro de Futebol - Série D Vice-campeão
2015
  Copa Norte de Futebol 3º colocado 2000
  Campeonato Brasileiro de Futebol - Série B 9º colocado
1972
  Campeonato Brasileiro de Futebol - Série C 12º colocado

(3ª FASE)

2006
  Copa do Brasil 20º colocado

(2ª FASE)

2008

Outras ConquistasEditar

RegionaisEditar

EstaduaisEditar

  •   Torneio Democracia: 1957.
  •   Torneio Petrônio Portela: 1965.
  •   Torneio da Fraternidade: 1966.
  •   Taça Afrânio Nunes: 1967.
  •   Quadrangular Carlos Carvalho: 1969.
  •   Taça João Silva Filho: 1970.
  •   Torneio Murilo Rezende: 1973.
  •   Taça Cidade de Teresina: 1975, 2014.
  •   Torneio Acelino Souza: 1991.
  •   Torneio Governador Wellington Dias: 2004.

RivalidadesEditar

RivengoEditar

 Ver artigo principal: Rivengo

O maior rival do River Atlético Clube é o Esporte Clube Flamengo,no qual faz o clássico de maior importãncia no estado,o Rivengo.A primeira partida entre as duas equipes aconteceu no dia 24 de abril de 1948,onde terminou em um placar de 0x0.[20] É apontado por jornalistas como o 11º maior clássico nordestino [21].

Ver estatísticas abaixo:

  • Jogos: 354.
  • Vitórias do River: 131.
  • Vitórias do Flamengo-Pi: 115.
  • Diferenças a favor do River: 15 Vitórias.
  • Empates: 107.
  • Total de gols: 856.
  • Gols do River: 455.
  • Gols do Flamengo-Pi: 401.
  • Diferença a favor do River:54 gols.
  • Maior goleada do River: 11x3,em 7 de Setembro de 1951.[22]

PatrimônioEditar

Centro de Treinamento Afrânio NunesEditar

Após vender o antigo patrimônio localizado na avenida Arêa Leão, bairro dos Noivos, área nobre na zona Leste de Teresina,era construído o novo centro de treinamento do River Atlético Clube,que em seu nome homenageia o ex presidente e ídolo do clube Afrânio Messias Alves Nunes.Em seis hectares, o novo Centro de Treinamento conta com:

  • Piscina infantil e adulta,Três campos cercados,Quadra de areia, Ginásio Poliesportivo coberto, Alojamento, Bar, Academia para musculação, Sala de troféus, Sala para administração, Sala de imprensa.[23]

CuriosidadesEditar

  • A Equipe faz parte das poucas equipes do Norte-Nordeste que venceram uma Seleção Estrangeira[24]

Em 1978 vencera a Seleção do Uruguai em um torneio realizado em Teresina.

  • Está entre os clubes que possuem o maior número de finais consecutivas do Brasil[24]

No período entre 1948 e 1965 disputou 18 finais consecutivas do Campeonato Piauiense.

O Ano foi 1963,se classificou para o torneio ao eliminar o Sampaio Corrêa-Ma.

  • Aplicou uma das maiores goleadas em clássicos do Brasil

No dia 7 de setembro de 1951, aplicou uma goleada de 11x3 em cima do arquirrival Flamengo-Pi.

  • Maior Campeão Estadual do Século XX

Conquistou 26 Títulos do Campeonato Piauiense no século passado.

Com 30 Títulos conquistados ao longos dos 70 anos de histórias,o clube é o maior campeão estadual do Piauí.

O Ex-Atleta até os dias atuais é considerado o maior artilheiro do Norte-Nordeste e do próprio clube.

  • A Equipe está entre os Maiores Campeões Consecutivos do Brasil.[27]

Tal feito foi consolidado através das conquistas de um Heptacampeonato(1950, 1951, 1952, 1953, 1954, 1955, 1956),um Hexacampeonato(1958, 1959, 1960, 1961, 1962, 1963) e um Tetracampeonato(1999, 2000, 2001, 2002).

  • Primeiro clube do Nordeste a ser Hexacampeão Estadual

Além de ser o único time Piauiense Hexacampeão,o River foi o primeiro clube do Nordeste a ser hexacampeão estadual (1958, 1959, 1960, 1961, 1962, 1963).

  • Maior Campeão Estadual do Século XXI

Conquistou 6 Títulos do Campeonato Piauiense durante esse século.

Em 2015,o River conseguiu o feito ao eliminar a Lajeadense no Rio Grande do sul,válido pela Série D do Campeonato Brasileiro.

TemporadasEditar

 Ver artigo principal: Temporadas do River-PI

ParticipaçõesEditar

Participações em 2019
Competição Temporadas Melhor campanha Estreia Última P   R  
  Campeonato Piauiense 72 Campeão (30 vezes) 1948 2019
  Copa do Nordeste 4 Quartas-de-final (2017) 2015 2019
  Campeonato Brasileiro 8 13º colocado (1963) 1962 1982 1
Série B 10 9º colocado (1972) 1971 2000
Série C 9 12º colocado (2006) 1996 2016 1
Série D 4 Vice-campeão (2015) 2014 2019 1
Copa do Brasil 12 2ª fase (2008, 2016) 1990 2019

Ranking da CBFEditar

Ranking atualizado em dezembro de 2016

  • Posição (Brasil): 65º lugar, 1.373 pontos [28]
  • Posição (Piauí): 1º

Ranking criado pela Confederação Brasileira de Futebol para pontuar todos os clubes do Brasil[29].

Torcidas OrganizadasEditar

  • Embriagalo - Fundada em 1977.
  • Torcida Independente - Fundada em 1998.
  • Jovem Galo - Fundada em 2000.
  • TEG - Torcida Esporão do Galo - Fundada em 2001, tem como presidente Fabio Fênix.
  • Torcida Império Tricolor - Fundada em 2003.
  • Torcida River Chopp - Fundada em 2015, tem como Presidente Ciro César
  • Torcida River Amigos - Fundada em 2015 , tem como presidente Jardson Muller.
  • TGA - Torcida Galo de Aço - Fundada em 2015, tem como presidente Leandro Race.

Ver tambémEditar

Referências

  1. CBF (4 de dezembro de 2017). «RNC - Ranking Nacional dos Clubes 2018» (PDF). Cópia arquivada (PDF) em 4 de dezembro de 2017 
  2. «RSSSF Brasil». www.rsssfbrasil.com. Consultado em 25 de julho de 2016. 
  3. «Centenário de Teresina (1952) - Teresina Antiga»  - acesso em 01 de novembro de 2015
  4. Piauí 100 anos de Futebol. [S.l.: s.n.] 
  5. a b «Homenagem ao maior artilheiro Piauiense de todos os tempos»  - acesso em 01 de novembro de 2015
  6. http://river40graus.blogspot.com/2012/08/river-na-copa-joao-havelange.html?m=1
  7. «Albertão é interditado até novo laudo»  - acesso em 01 de novembro de 2015
  8. «River 2 x 1 Botafogo-RJ Copa do Brasil 2008»  - acesso em 01 de novembro de 2015
  9. «Eliseu Aguiar é empossado na presidência do River Atlético Clube»  - acesso em 01 de novembro de 2015
  10. «"TJD pune Altos, e River-PI comemora tri do estadual; taça ainda é contestada"»  acesso em 10 de outubro de 2018
  11. «"Nos pênaltis, River-PI leva a melhor e elimina Goiás da Copa do Brasil "»  acesso em 10 de outubro de 2018
  12. «"River perde em casa e é rebaixado para a Série D do Brasileiro"»  acesso em 10 de outubro de 2018
  13. «"Estreante, Sete vence River-PI por 1 a 0 e pega o Sport na segunda fase"»  acesso em 10 de outubro de 2018
  14. «"Candidato único, Givanildo Campelo é eleito novo presidente do River-PI"»  acesso em 10 de outubro de 2018
  15. «"Obras avançam, e CT do River-PI ganha irrigação no campo principal; vídeo"»  acesso em 10 de outubro de 2018
  16. «"Sampaio Corrêa vence River-PI e jogará Copa do Nordeste em 2019"»  acesso em 10 de outubro de 2018
  17. «Escudos de Clubes - Clubes do Brasil - Estado do Piauí - Primeira Divisão». www.escudosdeclubes.com.br. Consultado em 29 de março de 2016. 
  18. «Hino do River Atlético Clube (PI) – Hinos de Futebol – LETRAS.MUS.BR». www.letras.mus.br. Consultado em 29 de março de 2016. 
  19. «TORNEIO MARANHÃO-PIAUÍ 1980»  River campeão do Torneio Maranhão-Piauí 1980 - acesso em 01 de novembro de 2015
  20. «UOL HOST – Hospedagem de sites com domínio GRÁTIS!». classicoeclassico.sites.uol.com.br. Consultado em 5 de fevereiro de 2016. 
  21. «25 maiores clássicos do Nordeste». www.verminososporfutebol.com.br. Consultado em 28 de março de 2016. 
  22. «River 40 Graus: Recordar é Viver - Maior Goleada em um Rivengo, foi aplicada pelo River». River 40 Graus. Consultado em 5 de fevereiro de 2016. 
  23. «River inaugura nova sede e emociona Afrânio Nunes com homenagem». CidadeVerde.com. Consultado em 29 de março de 2016. 
  24. a b livro Piauí 100 Anos de Futebol. [S.l.: s.n.] 
  25. «Campeões Piauiense da Primeira Divisão». www.campeoesdofutebol.com.br. Consultado em 9 de fevereiro de 2016. 
  26. «Sima - O Maior artilheiro do Norte e Nordeste de todos os tempos». www.campeoesdofutebol.com.br. Consultado em 9 de fevereiro de 2016. 
  27. «Campeonatos regionais: os maiores vencedores consecutivos - OTB Sports». OTB Sports. Consultado em 9 de fevereiro de 2016. 
  28. [1]
  29. [2]

Ligações externasEditar