Brasil na Copa do Mundo FIFA de 2018

desempenho em competição esportiva

O Brasil participou pela vigésima primeira vez numa Copa do Mundo FIFA, mantendo a situação de única seleção a participar de todas as edições do torneio da FIFA.

Seleção Brasileira de Futebol
Associação CBF
Confederação CONMEBOL
Treinador Tite
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

O técnico foi Tite e adotou-se um rodízio de capitães, com Thiago Silva, Miranda e Marcelo adotando a faixa. O Brasil foi eliminado nas quartas de final e acabou a competição na sexta colocação.

Classificação

editar
Equipes qualificadas para a Copa do Mundo de 2018
Equipe qualificada para a repescagem
Equipes eliminadas
Pos. Seleção Pts J V E D GP GC SG
1   Brasil 41 18 12 5 1 41 11 +30
2   Uruguai 31 18 9 4 5 32 20 +12
3   Argentina 28 18 7 7 4 19 16 +3
4   Colômbia 27 18 7 6 5 21 19 +2
5   Peru 26 18 7 5 6 27 26 +1
6   Chile 26 18 8 2 8 26 27 –1
7   Paraguai 24 18 7 3 8 19 25 –6
8   Equador 20 18 6 2 10 26 29 –3
9   Bolívia 14 18 4 2 12 16 38 –22
10   Venezuela 12 18 2 6 10 19 35 –16


Primeira rodada

editar
8 de outubro de 2015 Santiago Chile   2:0 (0:0)   Brasil
13 de outubro de 2015 Fortaleza Brasil   3:1 (2:0)   Venezuela
13 de novembro de 2015 Buenos Aires Argentina   1:1 (1:0)   Brasil
17 de novembro de 2015 Salvador Brasil   3:0 (1:0)   Peru
25 de março de 2016 Recife Brasil   2:2 (2:1)   Uruguai
29 de março de 2016 Assunção Paraguai   2:2 (1:0)   Brasil
1 de setembro de 2016 Quito Equador   0:3 (0:0)   Brasil
6 de setembro de 2016 Manaus Brasil   2:1 (1:1)   Colômbia
6 de outubro de 2016 Natal Brasil   5:0 (4:0)   Bolivia

Segunda rodada

editar
11 de outubro de 2016 Mérida Venezuela   0:2 (0:1)   Brasil
10 de novembro de 2016 Belo Horizonte Brasil   3:0 (2:0)   Argentina
15 de novembro de 2016 Lima Peru   0:2 (0:0)   Brasil
23 de março de 2017 Montevidéu Uruguai   1:4 (1:1)   Brasil
28 de março de 2017 São Paulo Brasil   3:0 (1:0)   Paraguai
31 de agosto de 2017 Porto Alegre Brasil   2:0 (0:0)   Equador
5 de setembro de 2017 Barranquilla Colômbia   1:1 (0:1)   Brasil
5 de outubro de 2017 La Paz Bolívia   0:0   Brasil
10 de outubro de 2017 São Paulo Brasil   3:0 (0:0)   Chile

Estatísticas

editar
Jogador       PJ
Gabriel Jesus 7 5 791 10
Paulinho 6 2 962 11
Neymar 6 9 1233 14
Philippe Coutinho 4 1 792 13
Willian 4 5 986 17
Renato Augusto 3 2 1315 16
Ricardo Oliveira 2 - 244 5
Douglas Costa 2 4 465 8
Filipe Luís 2 1 810 9
Lucas Lima 1 - 137 7
Roberto Firmino 1 - 210 4
Marcelo 1 - 540 6
Dani Alves 1 - 1170 13
Miranda 1 - 1257 14

Ciclo da Copa do Mundo

editar

Duas semanas após a partida Brasil 1–7 Alemanha (2014), Dunga foi confirmado como técnico da seleção brasileira. Dunga havia dirigido o Brasil na na Copa do Mundo FIFA de 2010. A CBF queria um treinador com perfil linha dura e descartou os nomes de Muricy Ramalho, por já ter rejeitado à seleção brasileira em 2010, e Tite, devido à à ligação com Andrés Sanchez, principal adversário político de José Maria Marin e Marco Polo del Nero. [1]

Dunga implantou uma cartilha de comportamento proibindo a postagens de fotos da concentração em redes sociais, uso de chinelos, brincos e bonés, e obrigação de cantar o hino nacional. Dois anos depois, Dunga foi demitido. A seleção foi eliminada nas quartas de final da Copa América de 2015 para o Paraguai e na primeira fase da Copa América de 2016. Criticou-se o tratamento privilegiado dado a Neymar. O jogador foi expulso contra a Colômbia na Copa América de 2015, mas voltou à seleção brasileira como capitão mesmo depois do deslize. Enquanto Thiago Silva teria sido barrado por ter falhado na mesma competição. Segundo o Uol: Thiago Silva era "influente sobre alguns dos principais jogadores da seleção, mantém aliados e é defendido por muitos, que discordam do veto. Estes jogadores consideram Thiago um dos melhores zagueiros do mundo e entendem que a seleção perde em qualidade e em liderança sem ele." Além disso, Neymar teria recebido "autorização para se apresentar com um dia de atraso à seleção para o jogo contra o Uruguai nas eliminatórias, sendo que os companheiros de Barcelona Lionel Messi e Luis Suárez se apresentaram às seleções de Argentina e Uruguai um dia antes, na mesma data." [2]

Outra controvérsia envolveu o diretor da CBF, Gilmar Rinaldi, que possuía duas empresas de agenciamento de jogador ativas, cujas remunerações vinham de negociações de jogadores.[3] Zico reclamou: " Seleção não é um balcão de negócios. Mas temos lá um empresário do futebol (Gilmar) comandando... Ou ele já não é mais empresário? Quando saiu do Flamengo, ele levou os três melhores: Adriano, Juan e Reinaldo. Então, vamos ver se quando sair da seleção, ele vai voltar a ser empresário?" [4] Romário: “Para piorar, eles conseguem fazer o que ninguém espera. Colocam como diretor o Gilmar Rinaldi, que não tem história. Ele foi um mero coadjuvante na Copa de 94, que filmou bastante, deve ter muita história para contar sobre isso. Colocam uma pessoa que não vai ajudar em nada, que era agente Fifa no dia anterior”[5] A convocação de Ederson foi objeto de denúncia em que documentos mostravam que o treinador recebeu R$ 407 mil por atuar como intermediário da negociação do meia entre RS Futebol e um grupo de investimento em 2004. Ederson alegou ter sido convocado anteriormente por Mano Menezes.[6] Outra crítica foi a convocação de Geferson, que tinha apenas 16 partidas entre os profissionais no Internacional, mas o treinador alegou que conhecia o atleta por ter trabalhado no clube antes de assumir a seleção brasileira.[7] Dunga reagiu dizendo ter sofrido ameaças de empresários por não convocar atletas "Nunca tivemos pressão antes das convocações. Mas já tivemos problemas por não convocar certos jogadores. Fomos, de certa forma e entre aspas, ameaçados por mensagens. Eles [os empresários] comandam o futebol. Não adianta fazer as coisas certas. Eles vão acabar se voltando contra nós. Mas foi um episódio. Tem que jogar para merecer ser chamado".[8]

Tite foi anunciado como treinador em 2016. Para não se desgastar, Tite prefeiru não treinar o Brasil nos Jogos Olímpicos de Verão de 2016. O Brasil conquistou a inédita medalha de ouro treinado por Rogério Micale, que após a conquista acusou Tite de "surfar na onda do título": "Me senti desrespeitado depois da Olimpíada. O Tite não foi contundente em algumas das entrevistas dele afirmando categoricamente que não teve participação. Fiquei um pouco frustrado. (..) Jogaram o mérito da conquista no colo dele e ele absorveu isso. Fiquei chateado na época. Ele não deixou claro que não teve participação nenhuma no processo. E não teve. Nada! Se algum repórter que soltou isso fosse sério e quisesse ouvir a verdade era só perguntar aos jogadores."[9]

Com Tite, o Brasil classificou-se facilmente para a Copa do Mundo de 2018, faltando quatro rodadas para o encerramento das Eliminatórias Sul-Americanas. Tite fechou a fase de preparação com 84% de aproveitamento em 21 jogos, a melhor campanha de um treinador pré-Copa desde 1970.[10]

Equipe

editar

Em 14 de maio de 2018, O técnico da Seleção Brasileira, Tite, anunciou os 23 jogadores convocados para a Copa do Mundo FIFA de 2018.[11] [12]

Número Nome Posição Idade Jogos Clube
1 Alisson Goleiro 25 24 Liverpool
16 Cássio Goleiro 31 1 Corinthians
23 Ederson Goleiro 24 1 Manchester City
6 Filipe Luís Lateral 32 31 Atlético de Madrid
12 Marcelo Lateral 30 52 Real Madrid
14 Danilo Lateral 26 16 Juventus
22 Fagner Lateral 28 4 Corinthians
2 Thiago Silva Zagueiro 33 69 PSG
3 Miranda Zagueiro 33 45 Inter de Milão
4 Pedro Geromel Zagueiro 32 2 Grêmio
13 Marquinhos Zagueiro 24 24 Paris Saint-Germain
5 Casemiro Volante 26 22 Real Madrid
8 Renato Augusto Meia 30 28 Beijing Guoan
11 Philippe Coutinho Meia 25 34 FC Barcelona
15 Paulinho Volante 29 49 Guangzhou Evergrande
17 Fernandinho Volante 33 42 Manchester City
18 Fred Meia 25 7 Shakhtar Donetsk
19 Willian Meia 29 55 Chelsea Football Club
7 Douglas Costa Atacante 27 24 Juventus
9 Gabriel Jesus Atacante 21 15 Manchester City
10 Neymar Atacante 26 83 Paris Saint-Germain
20 Roberto Firmino Atacante 26 19 Liverpool
21 Taison Atacante 30 6 Shakhtar Donetsk

Comissão técnica

editar
Nome Função
- Tite Treinador
- Sylvinho Auxiliar técnico
- Eduardo Gaspar Coordenador técnico
- Fábio Mahseredjian Preparador físico
- Taffarel Preparador de goleiros
- Rodrigo Lasmar Médico
- Ricardo Sasaki Fisioterapeuta


Uniformes

editar

Uniformes dos jogadores

editar
  • Uniforme principal: Camisa amarela, calção azul e meias brancas
  • Uniforme de visitante: Camisa azul, calção branco e meias azuis.
1º Uniforme
2º Uniforme

Uniformes dos goleiros

editar
2

Uniformes de treino

editar
Jogadores
Goleiros
C. Técnica

Fornecedor

editar

  Nike

Amistosos

editar
23 de março Rússia   0 – 3   Brasil Estádio Lujniki, Moscou
13:00 (UTC-3)
19:00 (UTC+3)
Relatório Miranda   52'
Coutinho   61' (pen)
Paulinho   65'
Público: 65 000
Árbitro:  BLR Aleksei Kulbakov
Rússia
Brasil

27 de março Alemanha   0 – 1   Brasil Estádio Olímpico de Berlim, Berlim
15:45 (UTC-3)
20:45 (UTC+1)
Relatório Gabriel Jesus   37' Público: 72 717
Árbitro:  SUE Jonas Eriksson
Alemanha
Brasil

3 de junho Brasil   2 – 0   Croácia Anfield, Liverpool
11:00 (UTC-3)
15:00 (UTC+0)
Neymar   68'
Roberto Firmino   90+3'
Relatório Árbitro:  ENG Michael Oliver
Brasil
Croácia

10 de junho Áustria   0 – 3   Brasil Ernst-Happel-Stadion, Viena
11:00 (UTC-3)
16:00 (UTC+1)
Relatório Gabriel Jesus   34'
Neymar   62'
Philippe Coutinho   68'
Árbitro:  HUN Viktor Kassai
Áustria
Brasil

Sedes de treinamento

editar

Em 9 de fevereiro de 2018 a FIFA e o Comitê Organizador Local divulgou o local de treinamento da seleção.[13]

Seleção Cidade Divisão
  Brasil   Sóchi   Krai de Krasnodar

Campanha

editar
 
Frederico Rodrigues de Paula Santos, mais conhecido como Fred, é um futebolista brasileiro que atua como volante. Atualmente joga no Fenerbahçe. .

O Brasil estreou empatando com a Suíça por 1 a 1. O jogo ficou marcado por dois pedidos pelo árbitro de vídeo, uma novidade da Copa do Mundo FIFA de 2018. A equipe de Tite saiu na frente com golaço de Philippe Coutinho, recuou demais e sofreu o empate com cabeçada de Steven Zuber na Arena Rostov, diante de pouco mais de 43 mil pessoas. O 1 a 1 foi a primeira estreia sem vitória da equipe verde-amarela desde 1978. “Até o gol, o volume foi forte. E depois retraímos demais, que não é o nosso normal. No intervalo, corrigimos alguns posicionamentos, tentamos ter uma saída mais adiantada. Mas, durante o jogo, a Suíça conseguiu ser melhor a partir do gol de empate”, afirmou Tite. Neymar sofreu dez faltas na partida, desde a Copa do Mundo de 1998 um jogador não sofria tantas faltas em um jogo. Na ocasião, o inglês Alan Shearer sofreu 11 faltas na vitória por 2 a 0 contra a Tunísia. [14] Gelson Fernandes, meia da seleção suíça declarou: ""É...muita falta. Mas ele cai muito também. Não [planejamos fazer faltas em Neymar]. A maioria dos duelos foi cravada de forma limpa e bastante correta. Tinha homem a homem com o Neymar, mas acho que foi um ingrediente chave para neutralizá-lo. Mas a seleção brasileira tem outros jogadores com qualidade". O maior algoz de Neymar na partida foi Blerim Džemaili, autor de cinco infrações, nenhuma punida com cartão pelo árbitro mexicano Cesar Ramos.[15]

Na segunda partida, o Brasil venceu a Costa Rica por 2 a 0 com gols de Coutinho —eleito novamente o melhor em campo—, aos 46min, e Neymar, aos 52min. Neymar ficou dois dias fora dos treinos da semana por causa de dores no tornozelo direito. Segundo o Uol, o Brasil se salvou nos acréscimos: "A ansiedade tomou conta, a pressão fez Neymar demonstrar descontrole, o VAR cancelou um pênalti e a retranca de Costa Rica foi desafiadora". O jornal descreve: "Foi, também, um prêmio à insistência depois de muitas chances desperdiçadas. O momento mais tenso envolveu Neymar, que tentou um corte no zagueiro dentro da área, sentiu uma mão no peito e caiu. O árbitro Bjorn Kuipers chegou a assinalar pênalti, mas consultou o árbitro de vídeo na sequência e voltou atrás. Irritado desde o início da partida, o camisa 10 do Brasil ainda levaria cartão amarelo na sequência por reclamação". [16] A seleção cresceu com a entrada do atacante Douglas Costa no lugar do meia Willian. Diante da retranca costa-riquenha, o Brasil chegou a jogar com cinco jogadores com características ofensivas: Douglas Costa, Coutinho, Neymar, Gabriel Jesus e Firmino.[17] Segundo Tostão: "Tite precisa ser mais duro, franco, com Neymar e exigir que ele pare de dar chiliques, de reclamar, de discutir e de simular, como no pênalti corretamente anulado contra a Costa Rica."[18]

No terceiro jogo, o Brasil venceu a Sérvia por 2 a 0. Os gols foram marcados por Paulinho, aos 35min do primeiro tempo, e por Thiago Silva, aos 22 min da etapa final. Segundo Carlos Eduardo Mansur: "O Brasil tem um trunfo dificílimo de encontrar em qualquer outra seleção deste Mundial: a imposição técnica nas duas áreas. O time pode ainda ter problemas, não chegar pronto às oitavas de final, como aliás nenhuma seleção da Copa parece chegar, mas ter jogadores tão influentes na zona em que o jogo costuma se decidir é algo precioso. O jogo contra a Sérvia ressaltou do que são capazes Casemiro, Thiago Silva e Miranda defendendo a área brasileira; e o poder de Philippe Coutinho e Neymar de produzir enormes perigos nos metros finais do campo de ataque. Ser tão forte nas proximidades dos dois gols faz do Brasil um time temível mesmo quando o domínio tático do jogo não lhe pertence. Mesmo quando o controle do jogo escapa, como andou acontecendo diante da Sérvia.".[19] Após o jogo, uma série de Meme (Internet) sobre as quedas de Neymar viraram piada mundial.[20]

Nas oitavas de final, o Brasil venceu o México por 2 a 0. Segundo Tostão: "O Brasil foi melhor e teve maiores e mais claras chances de gol. Os mexicanos foram habilidosos, velozes, mas o Brasil tem tudo isso e muito mais técnica. Foi um jogo de risco, já que o México chegou várias vezes perto do gol. Diferentemente das três partidas anteriores, Coutinho não voltou para marcar, e havia quase sempre um mexicano livre na intermediária do Brasil, para receber a bola.".[21] Segundo Paulo Vinícius Coelho: "O objetivo mexicano era obrigar o Brasil a fazer passes longos e pelo alto. A bola batia na defesa e voltava para o ataque verde. Só existe um antídoto para isso: o passe. Tem de ter apoio, ou seja, a cada bola recebida pelo lado do campo a passagem de dois jogadores que deem opção para receber. Isso só começou a acontecer depois dos 25 minutos. Por causa disso, o Brasil sofreu muito contra o México, apesar de a seleção de Juan Carlos Osorio não acertar o gol de Alisson.".[22]

Nas quartas de final, o Brasil foi eliminado pela Bélgica ao perder por 2 a 1. Casemiro suspenso deu lugar à Fernandinho, que fez um gol contra no jogo. Tostão lamentou: "Faltou um De Bruyne no Brasil. O receio que eu sempre tive de que a ausência de um craque meio-campista, que joga de uma intermediária à outra, pudesse ser um fator muito negativo se concretizou."[23]

Vincent Kompany, na época zagueiro do Manchester City, declarou que o primeiro gol da Bélgica partiu de uma jogada discutida antes da partida: "A história desse gol é interessante. Na véspera do jogo, no hotel, não consegui dormir e tomei um remédio, mas esqueci de colocar meu despertador. Resultado: perdi a primeira reunião pela manhã. Acordei só depois disso. Depois, pedi desculpas ao grupo e ao treinador. Em seguida, perguntei se podia discutir algumas coisas com Thierry Henry (auxiliar de Roberto Martínez), pois era ele que cuidada das fases ofensivas. Assim que conversamos, mudamos totalmente os planos que haviam sido combinados. Eu disse a ele que o Brasil se defendia exatamente da mesma maneira que o Manchester City. Eu havia visto o treinador da seleção brasileira (Tite) com Guardiola no centro de treinamento do City. Eles copiaram tudo que o City fazia. Eu conhecia as debilidades do sistema." O jogador conclui: "Se você olhar o VT do jogo, veja que eu faço uma corrida curta entre as duas linhas (defensivas) e ninguém da primeira linha, que é a que tem a responsabilidade de afastar a bola, me vê chegar. Se eu não tivesse esquecido de colocar o despertador e não tivesse tido a conversa cara-a-cara com Thierry Henry, talvez essa jogada não tivesse acontecido. É uma coisa maluca.".[24]

Gabriel Jesus, artilheiro do Brasil nas Eliminatórias Sul-Americanas teve o pior desempenho de um "camisa 9" do Brasil em Copas. Atacante se igualou a Alcindo e Mirandinha ao passar em branco durante um Mundial. Jesus, no entanto, disputou maior número de jogos.[25] Gabriel Jesus declarou: "Eu fui para a Copa com a camisa 9, sendo o centroavante, e acabei não marcando. Isso pesa. Eu sempre vou ser lembrado por isso, não adianta o que eu faça. Mesmo se eu for para outra Copa e for artilheiro, campeão, as pessoas sempre vão lembrar do Gabriel que não fez gol na Copa de 2018.".[26] André Jardine, técnico campeão nos Jogos Olímpicos de Verão de 2020, declarou que tomou a lição em conversa com Tite: "Em várias conversas, ele nos disse que em Copas a gente não pode perder tempo. Quando a gente entender que precisa fazer mudanças, isso precisa ser feito de uma maneira mais rápida do que é a realidade dos clubes.".[27]

O técnico da Bélgica, Roberto Martínez, acredita que surpreendeu o Brasil: "Quando você pega o Brasil, tem que ter uma vantagem tática. Seria fácil esperar chegar lá e a coisa dar certo. Isso não poderia acontecer com o Brasil, eles trazem essa barreira psicológica. São pentacampeões, a camiseta amarela...Claro que foi uma grande aposta mudar as coisas taticamente em uma Copa, mas os jogadores precisavam acreditar".[28] O treinador espanhol surpreendeu na escalação da equipe, ele sacou Dries Mertens e Yannick Carrasco e colocou na equipe Marouane Fellaini e Nacer Chadli. A mudança permitiu que Martinez desse mais liberdade para Kevin De Bruyne. Martinez foi além, colocou Romelu Lukaku, o 9 clássico para atuar pelos lados do campo, assim como Eden Hazard; De Bruyne, com liberdade no meio, chegava sempre ao ataque e até aparecia como um falso 9. A troca de posição entre esses três atletas era constante, dificultando ainda mais a marcação brasileira. [29]

No final do jogo, Renato Augusto, que já havia feito um gol, perdeu uma grande oportunidade. O jogador descreveu os dois lances: "Eu entrei, o Tite falou: ‘fica por trás e vai alimentando o Douglas. Bola no Douglas, faz ele jogar’. Só que quando eu entrei, o lateral já estava marcando Douglas, e tinha um espaço entre o zagueiro e o lateral." Renato Augusto decidiu, que ao invés de passar para Douglas Costa como Tite pediu, iria ele aproveitar o espaço que os belgas ofereciam: "E eu fui em uma bola e o Coutinho, que estava jogando do lado esquerdo, não me viu. Falei: ‘Couto, olha para mim que estou entrando sozinho’. A segunda bola, quando ele dominou, já jogou a bola em mim e eu fiz de cabeça. Falei: ‘me dá mais uma que eu vou empatar o jogo’. E foi a bola que eu já dominei e bati”. Segundo Renato, o tamanho do goleiro belga, que mede 2 metros, foi determinante para que ele tirasse demais do gol e acabasse chutando para fora. "Quando eu dominei, a bola ficou um pouco curta, e se dou mais um toque, os caras me fecham. Então eu tinha um segundo para bater. E eu tentei tirar mais por conta do tamanho dele (Courtois), ele é muito grande. Cara, eu tentei. Quando ele começou a cair pra cá, eu rodei. E aí a bola tirou tinta da trave e não entrou, infelizmente"."[30]

Após o Brasil descontar com Renato Augusto, leitura labial do canal Fox Sports flagrou o técnico Tite chamar Philippe Coutinho para a beira do campo, apontar para Neymar e pedir: "Coutinho, eu preciso de uma bola para ele aqui. Uma bola tem que dar nele".[31]

Segundo o UOL, nenhum familiar ficaria hospedado no mesmo hotel em que os jogadores estavam. A regra, contudo, foi quebrada com o pai de Neymar, que se hospedou no local antes do torneio começar. As famílias dos outros jogadores da seleção brasileira ficaram sem vaga no mesmo hotel, e tiveram que providenciar um novo local para permanecerem próximas aos atletas.[32] Assim a família de Neymar foi a única que ficou hospedada no hotel da seleção em Sochi. Louise Costa, esposa do atacante Douglas Costa, chegou até a reclamar da mudança em uma rede social. [33]

Tite, ainda foi criticado pela convocação de Fred. O jogador estava lesionado há um mês, quando sofreu uma entorse no tornozelo direito em dividida com o volante Casemiro, em treinamento realizado no dia 7 de junho, no CT do Tottenham, em Londres. E não teve condições físicas de disputar o mundial. O regulamento da Copa do Mundo previa que as seleções poderiam fazer trocas por lesão na lista dos convocados até 24 horas antes da estreia na competição. O Brasil debutou no dia 17 de junho, dez dias após Fred se lesionar. [34] Em 21 de junho de 2018 (um dia antes do jogo contra a Costa Rica), Fred foi anunciado pelo Manchester United, assinando contrato por cinco temporadas ao custo de 55 milhões de euros (R$ 240 milhões).[35] Outra convocação criticada foi de Taison, que não foi utilizado pelo treinador.[36]

Fase de grupos

editar

Grupo E

editar
Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG Classificado
1   Brasil 7 3 2 1 0 5 1 +4 Fase eliminatória
2   Suíça 5 3 1 2 0 5 4 +1
3   Sérvia 3 3 1 0 2 2 4 −2 Eliminado
4   Costa Rica 1 3 0 1 2 2 5 −3
Fonte: FIFA


17 de junho Brasil  [37] 1 – 1   Suíça Arena Rostov, Rostov do Don
21:00 (UTC+3)
Coutinho   20' Relatório Zuber   50' Público: 43 109
Árbitro:  MEX César Ramos
Brasil
Suiça
G 1 Alisson
LD 14 Danilo
Z 2 Thiago Silva
Z 3 Miranda
LE 12 Marcelo  
V 5 Casemiro   47'   60'
V 15 Paulinho   67'
M 19 Willian
M 11 Philippe Coutinho
M 10 Neymar
A 9 Gabriel Jesus   79'
Substituições:
M 17 Fernandinho   60'
M 8 Renato Augusto   67'
M 20 Roberto Firmino   79'
Treinador:
  Tite
 
G 1 Yann Sommer
LD 2 Stephan Lichtsteiner     31'   87'
Z 22 Fabian Schär   65'
Z 5 Manuel Akanji
LE 13 Ricardo Rodríguez
V 11 Valon Behrami   68'   71'
V 10 Granit Xhaka
M 23 Xherdan Shaqiri
M 15 Blerim Džemaili
M 14 Steven Zuber
A 9 Haris Seferović   80'
Substituições:
M 17 Denis Zakaria   71'
A 7 Breel Embolo   80'
Z 6 Michael Lang   87'
Treinador:
  Vladimir Petković

Homem do jogo:
  Philippe Coutinho [38]

Bandeirinhas:[38]
  Marvin Torrentera
  Miguel Hernández
Quarto árbitro:
  John Pitti
Quinto árbitro:
  Gabriel Victoria
Árbitro assistente de vídeo:
  Paolo Valeri
Árbitros assistentes de árbitro de vídeo:
  Mauro Vigliano
  Elenito Di Liberatore
  Gianluca Rocchi


22 de junho Brasil  [37] 2 – 0   Costa Rica Estádio Krestovsky, São Petersburgo
15:00 (UTC+3)
Coutinho   90+1'
Neymar   90+7'
Relatório
Brasil
Costa Rica
G 1 Alisson
LD 22 Fagner
Z 2 Thiago Silva  
Z 3 Miranda
LE 12 Marcelo
V 5 Casemiro
V 15 Paulinho   68'
M 19 Willian   46'
M 11 Philippe Coutinho   81'
M 10 Neymar   81'
A 9 Gabriel Jesus   90+3'
Substituições:
A 7 Douglas Costa   46'
A 20 Roberto Firmino   68'
V 17 Fernandinho   90+3'
Treinador:
  Tite
 
G 1 Keylor Navas
Z 2 Johnny Acosta   84'
Z 3 Giancarlo González
Z 6 Óscar Duarte
LD 16 Cristian Gamboa   75'
LE 8 Bryan Oviedo
M 20 David Guzmán   83'
M 5 Celso Borges
M 11 Johan Venegas
M 10 Bryan Ruiz  
A 21 Marco Ureña   54'
Substituições:
M 7 Christian Bolaños   54'
Z 15 Francisco Calvo   75'
V 17 Yeltsin Tejeda   83'
Treinador:
  Óscar Ramírez

Homem do Jogo:
  Philippe Coutinho[39]

Bandeirinhas:
  Sander van Roekel
  Erwin Zeinstra
Quarto árbitro:
  Damir Skomina
Quinto árbitro:
  Jure Praprotnik
Árbitro assistente de vídeo:
  Danny Makkelie
Árbitros assistentes de árbitro de vídeo:
  Artur Soares Dias
  Joe Fletcher
  Mark Geiger


27 de junho Sérvia   0 – 2   Brasil[37] Arena Otkrytie, Moscou
21:00 (UTC+3)
Relatório Paulinho   36'
Thiago Silva   68'
Público: 44 190
Árbitro:  IRN Alireza Faghani
Sérvia
Brasil
G 1 Vladimir Stojković
LD 2 Antonio Rukavina
Z 15 Nikola Milenković
Z 13 Miloš Veljković
LE 11 Aleksandar Kolarov  
V 21 Nemanja Matić   48'
V 20 Sergej Milinković-Savić
M 10 Dušan Tadić
M 22 Adem Ljajić   33'   75'
M 17 Filip Kostić   82'
A 9 Aleksandar Mitrović   70'   89'
Substituições:
MF 7 Andrija Živković   75'
FW 18 Nemanja Radonjić   82'
FW 19 Luka Jović   89'
Treinador:
  Mladen Krstajić
 
G 1 Alisson
LD 22 Fagner
Z 2 Thiago Silva
Z 3 Miranda  
LE 12 Marcelo   10'
V 15 Paulinho   66'
V 5 Casemiro
M 19 Willian
M 11 Philippe Coutinho   80'
M 10 Neymar
A 9 Gabriel Jesus
Substituições:
Z 6 Filipe Luís   10'
M 17 Fernandinho   66'
M 8 Renato Augusto   80'
Treinador:
  Tite

Homem do Jogo:
  Paulinho[40]

Bandeirinhas:
  Reza Sokhandan
  Mohammadreza Mansouri
Quarto árbitro:
  Nawaf Shukralla
Quinto árbitro:
  Anouar Hmila
Árbitro assistente de vídeo:
  Massimiliano Irrati
Árbitros assistentes de árbitro de vídeo:
  Paweł Gil
  Pawel Sokolnicki
  Paolo Valeri

Fase final

editar

Oitavas de final

editar
2 de julho Brasil   2 – 0   México Estádio de Samara, Samara
18:00 (UTC+4)
Neymar   50'
Firmino   88'
Relatório Público: 41 970
Árbitro:  ITA Gianluca Rocchi
Brasil
México
G 1 Alisson
LD 22 Fagner
Z 2 Thiago Silva  
Z 3 Miranda
LE 6 Filipe Luís   43'
V 15 Paulinho   80'
V 5 Casemiro   59'
M 19 Willian   90+1'
M 11 Philippe Coutinho   86'
M 10 Neymar
A 9 Gabriel Jesus
Substituições:
M 17 Fernandinho   80'
A 20 Roberto Firmino   86'
Z 13 Renato Augusto   90+1'
Treinador:
  Tite
 
G 13 Guillermo Ochoa
LD 21 Edson Álvarez   38'   55'
Z 2 Hugo Ayala
Z 3 Carlos Salcedo   77'
LE 23 Jesús Gallardo
M 16 Héctor Herrera   55'
M 4 Rafael Márquez     46'
M 18 Andrés Guardado   90+2'
PD 11 Carlos Vela
A 14 Javier Hernández   60'
PE 22 Hirving Lozano
Substituições:
M 7 Miguel Layún   46'
M 6 Jonathan dos Santos   55'
A 9 Raúl Jiménez   60'
Treinador:
  Juan Carlos Osorio

Homem do Jogo:
  Neymar[41]

Bandeirinhas:
  Elenito Di Liberatore
  Mauro Tonolini
Quarto árbitro:
  Antonio Mateu Lahoz
Quinto árbitro:
  Pau Cebrián Devís
Árbitro assistente de vídeo:
  Massimiliano Irrati
Árbitros assistentes de árbitro de vídeo:
  Paweł Gil
  Carlos Astroza
  Daniele Orsato

Quartas de final

editar
6 de julho Brasil   1 – 2   Bélgica Arena Kazan, Cazã
21:00 (UTC+3)
Renato Augusto   76' Relatório Fernandinho   13' (g.c.)
De Bruyne   31'
Público: 42 873
Árbitro:  SRB Milorad Mažić
G 1 Alisson
LD 22 Fagner   90'
Z 2 Thiago Silva
Z 3 Miranda  
LE 12 Marcelo
V 15 Paulinho   73'
V 17 Fernandinho   85'
M 19 Willian   46'
M 11 Philippe Coutinho
A 10 Neymar
A 9 Gabriel Jesus   58'
Substituições:
A 20 Roberto Firmino   46'
A 7 Douglas Costa   58'
M 8 Renato Augusto   73'
Treinador:
  Tite
 
G 1 Thibaut Courtois
Z 2 Toby Alderweireld   47'
Z 4 Vincent Kompany
Z 5 Jan Vertonghen
M 15 Thomas Meunier   71'
V 8 Marouane Fellaini
V 6 Axel Witsel
M 22 Nacer Chadli   83'
A 7 Kevin De Bruyne
A 9 Romelu Lukaku   87'
A 10 Eden Hazard  
Substituições:
Z 3 Thomas Vermaelen   83'
M 17 Youri Tielemans   87'
Treinador:
  Roberto Martínez

Homem do Jogo:
  Kevin De Bruyne[42]

Bandeirinhas:
  Milovan Ristić
  Dalibor Đurđević
Quarto árbitro:
  Jair Marrufo
Quinto árbitro:
  Corey Rockwell
Árbitro assistente de vídeo:
  Daniele Orsato
Árbitros assistentes de árbitro de vídeo:
  Paweł Gil
  Mark Borsch
  Felix Zwayer

Estatísticas

editar
JG Local PB TP Time PO     PN CH CG IM ES   SC   FC FS
E2[43] RO 43 109 62  BRA 54% 1 0 0 20 4 1 7 1 0 0 12 19
 SUI 46% 1 0 0 6 2 0 2 3 0 0 19 12
E3[44] SA 64 468 64  BRA 66% 2 0 0 23 9 3 10 2 0 0 11 11
 CRC 34% 0 0 0 4 0 3 1 1 0 0 11 11
E5[45] SP 44 190 64  SRB 44% 0 0 0 10 1 2 5 3 0 0 13 7
 BRA 56% 2 0 0 13 6 4 9 0 0 0 7 13
OF5[46] SM 41 970 57  BRA 46% 2 0 0 21 10 0 8 2 0 0 6 18
 MEX 54% 0 0 0 13 1 2 7 4 0 0 18 6
QF2[47] KZ 42 873 61  BRA 57% 1 1 0 26 9 1 8 2 0 0 14 16
 BEL 43% 1 0 0 8 3 0 4 2 0 0 16 14
(5 jogos) 236 610 308 10 1 0 144 45 16 61 20 0 0 127 127
(média) 47 322 61,6 2 0,2 0 28,8 9 3,2 12,2 4 0 0 25,4 25,4

Legenda: JG:Jogos; RD:Fase ou rodada; PB:Público; TP:Tempo de bola em jogo (em minutos); PO:Posse de Bola; PN:Penâlti convertido; CH:Chutes; CG:Chutes em direção ao gol; IM:Impedimento; ES:Escanteio; SC:Expulsão por segundo cartão amarelo; FC:Faltas cometidas; FS:Faltas sofridas.
Referência de Locais: KZ: Arena Kazan, Cazã; RO: Arena Rostov, Rostov do Don; SA: Estádio de São Petersburgo, São Petersburgo;SM: Samara Arena, Samara; SP: Estádio Spartak, Moscou.

Artilharia e Assistências

editar
Jogador Nº de Gols Assistências
Philippe Coutinho 2 2
Neymar 2 1
Firmino 1 0
Paulinho 1 0
Renato Augusto 1 0
Thiago Silva 1 0
Douglas Costa 0 1
Gabriel Jesus 0 1
Willian 0 1

Dados disciplinares

editar

Por jogos

editar
Mandante Placar Visitante Fase         Faltas Árbitro
Brasil   1 – 1   Suíça E2 4 0 0 31  MEX César Ramos
Brasil   2 – 0   Costa Rica E3 3 0 0 22  NED Björn Kuipers
Sérvia   0 – 2   Brasil E5 3 0 0 20  IRN Alireza Faghani
Brasil   2 – 0   México OF5 6 0 0 24  ITA Gianluca Rocchi
Brasil   1 – 2   Bélgica QF2 4 0 0 30  SRB Milorad Mažić

Por jogador

editar
Jogador         Suspenso para o jogo contra
Casemiro 2 0 0   Bélgica - Cumprido[47]
Fagner 1 0 0
Fernandinho 1 0 0
Filipe Luís 1 0 0
Neymar 1 0 0
Philippe Coutinho 1 0 0
Jogos         Faltas cometidas Faltas sofridas
5 7 0 0 50 77

Públicos

editar
Público Mandante Placar Visitante Estádio Cidade Data Rodada Ref.
64 468 Brasil   2–0   Costa Rica Estádio de São Petersburgo São Petesburgo 22 de junho 2ª – Grupo E [44]
44 190 Sérvia   0–2   Brasil Estádio Spartak Moscou 17 de junho 3ª – Grupo E [45]
43 109 Brasil   1–1   Suíça Arena Rostov Rostov do Don 17 de junho 1ª – Grupo E [43]
41 970 Brasil   2–0   México Estádio de Samara Samara 2 de julho Oitavas de final [46]
42 873 Brasil   1–2   Bélgica Arena Kazan Cazã 6 de julho Quartas de final [47]

Tecnologia

editar

Árbitro de vídeo

editar

O Árbitro assistente de vídeo foi utilizado para auxiliar em lances difíceis, como marcação de pênaltis ou aplicação de cartões.

Dia Mandante Placar Visitante Fase Árbitros Minuto Tipo de lance Conclusão
9 Brasil   2 – 0   Costa Rica E3  NED Björn Kuipers
 NED Danny Makkelie (VAR)
79' Pênalti Não aplicado[44]

Ver também

editar

Referências

  1. «Dunga voltará à seleção». UOL. Consultado em 19 de junho de 2014 
  2. «Como Dunga irritou jogadores e o maior desafio de Tite: liderá-los». UOL. Consultado em 19 de junho de 2014 
  3. «Chefe da seleção tem agências de jogadores ativas, mas promete encerrá-las». UOL. Consultado em 19 de junho de 2014 
  4. «Zico levanta suspeita sobre Dunga e Gilmar: 'Seleção não é balcão de negócios'». UOL. Consultado em 19 de junho de 2014 
  5. «Romário critica histórico de Gilmar Rinaldi: "Em 94, só ficou filmando"». UOL. Consultado em 19 de junho de 2014 
  6. «'Dunga nunca foi meu empresário' afirma meia Ederson». Extra. Consultado em 19 de junho de 2014 
  7. «Agente diz que Geferson não é 'convocação de empresário' e cita passado de Dunga». Espn. Consultado em 19 de junho de 2014 
  8. «Dunga diz ter sofrido ameaças de empresários por não convocar atletas». Extra. Consultado em 19 de junho de 2014 
  9. «Micale cita frustração com Tite: 'Podia ter sido mais contundente em 2016». UOL. Consultado em 19 de junho de 2014 
  10. «Seleção chega à Rússia com a melhor campanha pré-Copa desde 1970». UOL. Consultado em 19 de junho de 2014 
  11. «Seleção Brasileira é convocada para Copa do Mundo». CBF. 14 de maio de 2018. Consultado em 14 de maio de 2018 
  12. «Numeração oficial para a Copa do Mundo Rússia 2018». CBF. 1 de junho de 2018. Consultado em 1 de junho de 2018 
  13. «Team Base Camps for 2018 FIFA World Cup™ confirmed». FIFA.com. 9 de fevereiro de 2018. Cópia arquivada em 10 de fevereiro de 2018 
  14. «Neymar manca, Brasil tropeça e tem pior estreia em Mundiais em 40 anos». UOL. Consultado em 19 de junho de 2014 
  15. «Jogador da Suíça minimiza faltas sobre Neymar: 'Ele cai muito também'». UOL. Consultado em 19 de junho de 2014 
  16. «Brasil se salva com gols nos acréscimos e vence a primeira na Copa do Mundo». UOL. Consultado em 19 de junho de 2014 
  17. «Tite foge do padrão, e Douglas Costa muda time e entra na briga por vaga». UOL. Consultado em 19 de junho de 2014 
  18. «Neymar, drible na hora certa!». UOL. Consultado em 19 de junho de 2014 
  19. «Análise: O Brasil é fortíssimo perto das duas áreas, por isso é difícil vencê-lo». Globo. Consultado em 19 de junho de 2014 
  20. «Memes estrangeiros mostram que as quedas de Neymar viraram piada mundial». UOL. Consultado em 19 de junho de 2014 
  21. «Nelson Rodrigues vive». UOL. Consultado em 19 de junho de 2014 
  22. «Defesa segura e Neymar decisivo empurram Brasil». UOL. Consultado em 19 de junho de 2014 
  23. «Faltou um De Bruyne no Brasil». UOL. Consultado em 19 de junho de 2014 
  24. «Kompany relembra história de gol da Bélgica sobre Brasil: "Conhecia as debilidades do sistema"». UOL. Consultado em 19 de junho de 2014 
  25. «Sem gols, Jesus tem pior desempenho de um "camisa 9" do Brasil em Copas». UOL. Consultado em 19 de junho de 2014 
  26. «Gabriel Jesus admite peso por Copa do Mundo em branco: 'Serei lembrado por isso'». Superesportes. Consultado em 19 de junho de 2014 
  27. «Jardine diz como lição tomada por Tite na Copa foi decisiva no Pré-Olímpico». UOL. Consultado em 19 de junho de 2014 
  28. «Martínez explica seu nó tático e exalta a Bélgica». UOL. Consultado em 19 de junho de 2014 
  29. «No duelo tático, Martinez surpreende Tite e carimba vaga na semifinal da Copa do Mundo da Rússia». UOL. Consultado em 19 de junho de 2014 
  30. «Renato Augusto conta bastidores do gol perdido contra a Bélgica». UOL. Consultado em 19 de junho de 2014 
  31. Leitura labial de Tite "Couto manda uma bola para o Neymar" durante o jogo Brasil 1 x 2 Bélgica. Youtube. 15 de maio 2022. Em cena em dur: 06.15. Consultado em 15 de maio de 2023 
  32. «Falta de vaga em hotel obriga famílias de jogadores da seleção a se mudarem». UOL. Consultado em 19 de junho de 2014 
  33. «Família de Neymar teve jatinhos e privilégio em hotel da seleção na Rússia». UOL. Consultado em 19 de junho de 2014 
  34. «Tite admite que não usou Fred na Copa por conta de lesão sofrida há um mês». UOL. Consultado em 19 de junho de 2014 
  35. «Fred assina por cinco anos com o United e é anunciado sob os elogios de Mourinho». Globoesporte.com. 21 de junho de 2018 
  36. «Convocado, Taison é xingado por torcedores: "Espero que quebre a perna"». UOL. Consultado em 19 de junho de 2014 
  37. a b c «Uniformes definidos: Seleção estreia com a camisa amarela contra a Suíça, 20.05.2018» (Nota de imprensa) (em por). Globo.com. 15 de junho de 2018. Consultado em 15 de junho de 2018 
  38. a b «Relatório oficial: Brasil vs. Suíça» (PDF). FIFA.com. Fédération Internationale de Football Association. 17 de junho de 2018. Consultado em 17 de junho de 2018 
  39. «Match report - Brazil vs. Costa Rica» (PDF). FIFA.com. Fédération Internationale de Football Association. 22 de junho de 2018. Consultado em 22 de junho de 2018 
  40. «Serbia vs. Brazil – Man of the Match». FIFA.com. Fédération Internationale de Football Association. 27 de junho de 2018. Consultado em 27 de junho de 2018 
  41. «Brazil vs. Mexico – Man of the Match». FIFA.com. Fédération Internationale de Football Association. 2 de julho de 2018. Consultado em 2 de julho de 2018 
  42. «Brazil v Belgium – Man of the Match». FIFA.com. Fédération Internationale de Football Association. 6 de julho de 2018. Consultado em 6 de julho de 2018 
  43. a b «Match Report - Brazil vs. Switzerland» (PDF). FIFA. 17 de junho de 2018. Consultado em 17 de junho de 2018 
  44. a b c «Match Report - Brazil vs. Costa Rica» (PDF). FIFA. 22 de junho de 2018. Consultado em 22 de junho de 2018 
  45. a b «Match Report - Serbia vs. Brazil» (PDF). FIFA. 27 de junho de 2018. Consultado em 28 de junho de 2018 
  46. a b «Match Report - Brazil vs. Mexico» (PDF). FIFA. 2 de julho de 2018. Consultado em 2 de julho de 2018 
  47. a b c «Match Report - Brazil vs. Belgium» (PDF). FIFA. 6 de julho de 2018. Consultado em 6 de julho de 2018