Abrir menu principal

Eleições estaduais no Maranhão em 1998

As eleições estaduais no Maranhão em 1998 aconteceram em 4 de outubro como parte das eleições gerais no Distrito Federal e em 26 estados.[1] O resultado apontou a reeleição[nota 1] da governadora Roseana Sarney e do vice-governador José Reinaldo Tavares já no primeiro turno para outro mandato de quatro anos a se iniciar em 1º de janeiro de 1999.[nota 2] A coligação vitoriosa elegeu também o senador João Alberto Souza e fez as maiores bancadas dentre os 18 deputados federais e 42 deputados estaduais eleitos.

‹ 1994 Brasil 2002
Eleições estaduais no  Maranhão em 1998
4 de outubro de 1998
(Decisão em primeiro turno)
Roseane Sarney 2007.jpg EpitacioCafeteira.jpg
Candidato Roseana Sarney Epitácio Cafeteira
Partido PFL PPB
Natural de São Luís, MA João Pessoa, PB
Vice José Reinaldo Tavares Clay Lago
Votos 1.005.755 401.578
Porcentagem 66,01% 26,36%


Brasão do Maranhão.png
Governador do Maranhão

Passados quatro anos o Maranhão assistiu a um novo duelo entre Roseana Sarney e Epitácio Cafeteira e desta vez a filha de José Sarney colheu dois terços dos votos válidos enquanto o rival repetiu o papel encenado nos anos 1970 quando se opunha ao "sarneísmo" embora tenha sido eleito governador em 1986 com o apoio da referida força política numa disputa onde cravou o recorde de 81,02% dos votos válidos. Para a governadora reeleita a vitória veio numa campanha onde teve que sofrer intervenções cirúrgicas em pleno processo eleitoral quando as ações foram confiadas ao vice-governador José Reinaldo Tavares, a quem Roseana Sarney assessorou na Companhia Urbanizadora da Nova Capital em Brasília antes de se formar em Sociologia na Universidade de Brasília em 1978 quando já auxiliava o pai no Senado Federal,[2] atribuição da qual se afastou para assumir uma Secretária Extraordinária no governo Luís Rocha. Após a morte de Tancredo Neves, a presidência da República foi entregue a José Sarney que nomeou a filha como assessora da Casa Civil onde ficou por dois anos. Nascida em São Luís, tornou-se a primeira mulher a representar o Maranhão em Brasília[2] ao vencer as eleições de 1990 pelo PFL e como oposição ao Governo Collor votou a favor do impeachment do presidente em 1992[3] e venceu a corrida ao Palácio dos Leões em 1994, após uma vitória apertada sobre Epitácio Cafeteira em segundo turno.[1]

Natural de São Luís, o engenheiro civil José Reinaldo Tavares formou-se pela Universidade Federal do Ceará em 1964 com especialização na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro em 1970. Quando José Sarney governou o Maranhão, José Reinaldo Tavares foi diretor do Departamento de Estradas e Rodagem e a seguir secretário de Planejamento no governo Pedro Santana. Ao mudar para Brasília presidiu a Companhia Urbanizadora da Nova Capital em 1975 no governo Elmo Serejo tendo Jorge Murad e Roseana Sarney como assessores até que foi nomeado Secretário de Viação e Obras Públicas do Distrito Federal e durante a passagem de João Figueiredo pela presidência da República foi diretor do Departamento Nacional de Obras de Saneamento (DNOS).[4] Após a morte de Tancredo Neves, o Palácio do Planalto ficou sob o comando de José Sarney e este escolheu José Reinaldo Tavares para comandar a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste e depois foi nomeado ministro dos Transportes. Eleito deputado federal via PFL em 1990 e depois vice-governador do Maranhão em 1994 e 1998 junto a Roseana Sarney.[4][1]

Na eleição direta para senador o vitorioso foi o economista João Alberto Souza. Nascido em São Vicente Ferrer, ele se formou em 1966 pela Universidade Candido Mendes.[5] Membro da ARENA e do PDS, foi eleito deputado estadual em 1970 e deputado federal em 1978 e 1982. Voto favorável à Emenda Dante de Oliveira em 1984 e eleitor de Tancredo Neves no Colégio Eleitoral em 1985, ingressou no PFL e foi eleito vice-governador na chapa de Epitácio Cafeteira em 1986 e prefeito de Bacabal em 1988, causando polêmica ao acumular os dois cargos tendo que renunciar à prefeitura para assumir o Palácio dos Leões quando o titular deixou o cargo para disputar a eleição para senador e após uma disputa judicial sua posse como governador foi confirmada.[6] Eleito deputado federal em 1994, afastou-se para ocupar o cargo de secretário de Governo a pedido de Roseana Sarney[5] e após migrar para o PMDB foi eleito senador, o primeiro do partido no estado.[nota 3][7]

Índice

Resultado da eleição para governadorEditar

Segundo o Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão houve 1.523.734 votos nominais (73,99%), 377.993 votos em branco (18,35%) e 157.817 votos nulos (7,66%) totalizando o comparecimento de 2.059.544 eleitores.[1]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Roseana Sarney
PFL
José Reinaldo Tavares
PFL
25
Frente Popular do Maranhão
(PFL, PMDB, PSD, PL, PTB, PSC, PSL, PCdoB, PRP, PST, PRTB, PRONA, PSDC)
1.005.755
66,01%
Epitácio Cafeteira
PPB
Clay Lago
PDT
11
União pelo Maranhão
(PPB, PDT, PSDB, PPS, PSB, PRN, PMN, PTdoB)
401.578
26,36%
Domingos Dutra
PT
Uílio Silva
PT
13
Maranhão presente, Lula presidente
(PT, PCB)
97.536
6,40%
Marcos Igreja
PV
Gonçalo Paz Santos
PV
43
PV (sem coligação)
10.569
0,69%
Marcos Silva
PSTU
Francisco Chagas
PSTU
16
PSTU (sem coligação)
8.296
0,54%
  Eleita)

Resultado da eleição para senadorEditar

Segundo o Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão houve 1.285.565 votos nominais (62,42%), 515.669 votos em branco (25,04%) e 258.310 votos nulos (12,54%) totalizando o comparecimento de 2.059.544 eleitores.[1]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
João Alberto Souza
PMDB
Antônio Leite
PMDB
15
O Maranhão segue em frente
(PFL, PMDB, PSD, PL, PTB, PSC, PSL, PCdoB, PRP, PST, PRTB, PRONA, PSDC)
760.576
59,16%
Haroldo Saboia
PT
Não disponível
-
13
Maranhão presente, Lula presidente
(PT, PCB)
390.005
30,34%
José Luís Lago
PPS
Não disponível
PPS
23
União pelo Maranhão
(PPB, PDT, PSDB, PPS, PSB, PRN, PMN, PTdoB)
69.044
5,37%
Washington Rio Branco
PV
Não disponível
PV
43
PV (sem coligação)
38.306
2,98%
Luiz Noleto
PSTU
Não disponível
PSTU
16
PSTU (sem coligação)
27.634
2,15%
  Eleito

Deputados federais eleitosEditar

Notas

  1. Novidade inserida na ordem jurídica brasileira pela Emenda Constitucional nº 16 de 4 de junho de 1997 e que beneficiou os detentores de mandatos executivos obtidos a partir de 1994.
  2. A posse dos governadores eleitos em 1990 no Amapá, Distrito Federal e Roraima aconteceu em 1º de janeiro de 1991 conforme o Art. 28 da Carta de 1988 que estabeleceu o primeiro dia do ano para a posse de todos os governadores eleitos a partir de 1994.
  3. Sobre a bancada maranhense no Senado Federal, a mesma mudou antes das eleições com a morte de Alexandre Costa vítima de pneumonia em agosto de 1998. Quatro vezes senador, ele se licenciou para tratar da saúde em março de 1995 e desde então seu mandato era exercido por Bello Parga que, nascido em São Luís, é contabilista formado no Instituto Federal do Maranhão, além de bancário e jornalista. Contemporâneo de José Sarney na UDN, foi presidente do Banco do Estado do Maranhão, dirigiu o Banco do Nordeste, foi superintendente do Banco do Brasil e trabalhou em O Estado do Maranhão. Esta é a terceira vez de Bello Parga como senador: na primeira foi efetivado em 1986 quando Américo de Souza renunciou para assumir uma cadeira no Tribunal Superior do Trabalho e a mais recente fora na passagem de Alexandre Costa pelo Governo Itamar Franco como ministro da Integração Nacional. Tanto Bello Parga quanto Edison Lobão, outro senador em exercício, são do PFL.
  4. Nomeado ministro do Meio Ambiente pelo presidente Fernando Henrique Cardoso nos últimos dias da legislatura anterior, manteve o cargo por três anos e nesse período foi convocado o suplente, Antônio Joaquim Araújo.
  5. Foi secretário extraordinário de Assuntos Políticos da prefeitura de São Luís na administração Jackson Lago e assim foi convocado o suplente, Chico Leitoa.

Referências

  1. a b c d e «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 19 de março de 2019 
  2. a b «Câmara dos Deputados do Brasil: deputada Roseana Sarney». Consultado em 19 de março de 2019 
  3. Collor fora (online). O Estado de S. Paulo, 30/09/1992. Página visitada em 18 de junho de 2014.
  4. a b «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado José Reinaldo Tavares». Consultado em 20 de março de 2019 
  5. a b «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado João Alberto Souza». Consultado em 19 de março de 2019 
  6. Justiça mantém mandato de governador do Maranhão (online). Folha de S. Paulo, 19/06/1990. Página visitada em 19 de junho de 2014.
  7. Suplente "trabalha" dois dias e ganha Cz$ 30 mil (online). Folha de S. Paulo, 04/12/1986. Página visitada em 19 de junho de 2014.
  8. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 9 de maio de 2016. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  9. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 9 de maio de 2016