Eleições gerais no Brasil em 1990

← 1986 • Flag of Brazil.svg • 1994
Eleições Gerais de 1990
503 Deputados Federais
31Senadores
23 Governadores
Deputados Estaduais
3 de Outubro de 1990
LogoPMDB90.png
PMDB - Jarbas Vasconcelos (PE)
Representantes obtidos: 108  
Senadores obtidos: 8  
Logotipo do Partido da Frente Liberal.svg
PFL - Guilherme Palmeira (AL)
Representantes obtidos: 83  
Senadores obtidos: 8  
PDT logo(1978-2018).png
PDT - Leonel Brizola (RJ)
Representantes obtidos: 45  
Senadores obtidos: 1  
PDS.png
PDS - Paulo Maluf (SP)
Representantes obtidos: 42  
Senadores obtidos: 2  
PRN logo.png
PRN - Daniel Tourinho (RJ)
Representantes obtidos: 40  
Senadores obtidos: 2  
PTB logo(1981-2019).png
PTB - Paiva Muniz (RJ)
Representantes obtidos: 38  
Senadores obtidos: 4  
Governadores eleitos por partido
Eleições gerais no Brasil em 1990
Câmara dos Deputados
Eleições gerais no Brasil em 1990
  PDS: 42 seats
  PRN: 40 seats
  PTB: 38 seats
  PFL: 83 seats
  PDC: 22 seats
  PL: 17 seats
  PSC: 6 seats
  PMDB: 108 seats
  PSDB: 38 seats
  PSB: 11 seats
  PDT: 45 seats
  PT: 35 seats
  PCdoB: 5 seats
  PCB: 3 seats
  PRS: 4 seats
  PTR: 2 seats
  PST: 2 seats
  PSD: 1 seat
  PMN: 1 seat
Senado Federal
Eleições gerais no Brasil em 1990
  PDS: 2 seats
  PRN: 2 seats
  PTB: 4 seats
  PFL: 8 seats
  PST: 1 seat
  PDC: 2 seats
  PMDB: 8 seats
  PSDB: 1 seat
  PDT: 1 seat
  PT: 1 seat
  PMN: 1 seat
Tribunal Superior Eleitoral

Em 1990 foram realizadas eleições gerais no Brasil e pela primeira vez todas as vinte e sete unidades federativas do país elegeram seus governadores[1][2] numa refrega onde havia 83 milhões de pessoas aptas ao voto.[nota 1] O primeiro turno ocorreu em 3 de outubro (quarta-feira)[nota 2] e o segundo em 25 de novembro (domingo).[nota 3] Ao todo os aliados do governo fizeram quinze governadores contra doze da oposição, embora o desfecho das eleições em Alagoas fosse postergado para o ano seguinte.[nota 4] Foram renovadas 31 vagas no Senado Federal[nota 5] e 503 na Câmara dos Deputados, além das vagas nas Assembléias Legislativas e na Câmara Legislativa (DF). Foi a única eleição realizada durante o Governo Collor.

Governadores eleitosEditar

O maior número de governadores eleitos ficou por conta do PFL com nove (seis dos quais no Nordeste) e do PMDB com sete (a começar por São Paulo), numa eleição marcada pelo retorno ao poder de seis governadores da safra de 1982[nota 6] além de outros seis que já haviam exercido o cargo por nomeação ou substituição do titular.[nota 7] No Rio de Janeiro Leonel Brizola reverteu a derrota de 1989 e viu seus aliados triunfarem em mais dois estados. Por outro lado o PRN não elegeu nenhum governador, apesar de ser o partido do presidente Fernando Collor. Ao final das apurações nove partidos haviam triunfado nas diferentes unidades federativas do Brasil.

Três fatos marcaram ainda as eleições: fraudes em série levaram a um novo segundo turno em Alagoas, no Distrito Federal a candidatura de Joaquim Roriz suscitou uma querela jurídica[nota 8] e em Rondônia o assassinato de Olavo Pires alterou o panorama político e o candidato originalmente terceiro colocado acabou sendo o vencedor.

Os governadores do Amapá, Distrito Federal e Roraima foram empossados em 1º de janeiro e os demais em 15 de março de 1991.

Bandeira Estado UF Governador Partido Vice-governador Resultados
  Acre AC Edmundo Pinto[nota 9] PDS Romildo Magalhães AC 1990
  Alagoas AL Geraldo Bulhões PSC Francisco de Melo[nota 10] AL 1990
  Amapá AP Aníbal Barcelos[nota 11] PFL Ronaldo Borges AP 1990
  Amazonas AM Gilberto Mestrinho PMDB Francisco Garcia AM 1990
  Bahia BA Antônio Carlos Magalhães[nota 12] PFL Paulo Souto[nota 13] BA 1990
  Ceará CE Ciro Gomes[nota 14] PSDB Lúcio Alcântara[nota 15] CE 1990
  Distrito Federal DF Joaquim Roriz[nota 16] PTR Márcia Kubitschek[nota 17] DF 1990
  Espírito Santo ES Albuíno Azeredo PDT Adelson Salvador[nota 18] ES 1990
  Goiás GO Iris Rezende[nota 19] PMDB Maguito Vilela[nota 20] GO 1990
  Maranhão MA Edison Lobão[nota 21] PFL Ribamar Fiquene MA 1990
  Mato Grosso MT Jaime Campos PFL Osvaldo Sobrinho MT 1990
  Mato Grosso do Sul MS Pedro Pedrossian PTB Ary Rigo MS 1990
  Minas Gerais MG Hélio Garcia PRS Arlindo Porto[nota 22] MG 1990
  Pará PA Jader Barbalho[nota 23] PMDB Carlos Santos PA 1990
  Paraíba PB Ronaldo Cunha Lima[nota 24] PMDB Cícero Lucena PB 1990
  Paraná PR Roberto Requião[nota 25] PMDB Mário Pereira PR 1990
  Pernambuco PE Joaquim Francisco PFL Roberto Fontes[nota 26] PE 1990
  Piauí PI Freitas Neto[nota 27] PFL Guilherme Melo PI 1990
  Rio de Janeiro RJ Leonel Brizola[nota 28] PDT Nilo Batista RJ 1990
  Rio Grande do Norte RN José Agripino Maia[nota 29] PFL Vivaldo Costa RN 1990
  Rio Grande do Sul RS Alceu Collares PDT João Gilberto RS 1990
  Rondônia RO Osvaldo Piana PTR Assis Canuto RO 1990
  Roraima RR Ottomar Pinto[nota 30] PTB Airton Dias RR 1990
  Santa Catarina SC Vilson Kleinübing[nota 31] PFL Konder Reis SC 1990
  São Paulo SP Luiz Antônio Fleury Filho PMDB Aloysio Nunes[nota 32] SP 1990
  Sergipe SE João Alves Filho PFL José Carlos Teixeira SE 1990
  Tocantins TO Moisés Avelino PMDB Paulo Sidnei TO 1990

Senadores eleitosEditar

Nesta eleição seriam renovadas cadeiras preenchidas em 1982 e cada estado escolheria um representante, exceto por Amapá e Roraima que teriam três vagas em disputa. Finda a refrega viu-se que dez partidos enviaram ao menos um representante ao Senado e a exemplo do que ocorrera nas eleições para governador, as maiores bancadas ficaram nas mãos de PFL e PMDB com oito senadores cada. O destaque ficou por conta do ex-presidente José Sarney eleito pelo Amapá. Dos senadores escolhidos em 1982 apenas quatro foram reeleitos[nota 33] sendo que a partir deste pleito desapareceu a figura da sublegenda. Comparativamente o PDS foi quem mais perdeu cadeiras em oito anos, caindo de quinze em 1982 para apenas duas em 1990 e o PT elegeu seu primeiro senador.

Bandeira Estado UF Eleito em 1990 Partido Suplente
  Acre AC Flaviano Melo PMDB
  Alagoas AL Guilherme Palmeira PFL Alcides Falcão
  Amapá AP Henrique Almeida[nota 34]
Jonas Borges[nota 35]
José Sarney
PFL
PTB
PMDB
  Amazonas AM Amazonino Mendes[nota 36] PDC Gilberto Miranda
  Bahia BA Josaphat Marinho PFL Francisco Benjamim
  Ceará CE Beni Veras[nota 37] PSDB Reginaldo Duarte
  Distrito Federal DF Valmir Campelo[nota 38] PTB Leonel Paiva
  Espírito Santo ES Élcio Álvares[nota 39] PFL Jonice Tristão
  Goiás GO Onofre Quinan[nota 40] PMDB José Saad
  Maranhão MA Epitácio Cafeteira PDC
  Mato Grosso MT Júlio Campos PFL
  Mato Grosso do Sul MS Levy Dias PST
  Minas Gerais MG Júnia Marise PRN
  Pará PA Coutinho Jorge[nota 41] PMDB Juvêncio Dias
  Paraíba PB Antônio Mariz[nota 42] PMDB Ney Suassuna
  Paraná PR Andrade Vieira[nota 43] PTB
  Pernambuco PE Marco Maciel[nota 44] PFL Joel de Holanda
  Piauí PI Lucídio Portela PDS Aquiles Nogueira
  Rio de Janeiro RJ Darcy Ribeiro[nota 45] PDT Abdias do Nascimento
  Rio Grande do Norte RN Garibaldi Alves Filho[nota 46] PMDB Fernando Bezerra
  Rio Grande do Sul RS Pedro Simon PMDB
  Rondônia RO Odacir Soares PFL
  Roraima RR César Dias[nota 47]
Hélio Campos[nota 48]
Marluce Pinto[nota 49]
PMDB
PMN
PTB
-
João França Alves
Wagner Canhedo
  Santa Catarina SC Esperidião Amin[nota 50] PDS Dilso Cecchin[nota 51]
  São Paulo SP Eduardo Suplicy PT João Felício
  Sergipe SE Albano Franco[nota 52] PRN José Alves
  Tocantins TO João da Rocha PFL

Câmara dos Deputados em 1990Editar

UF PMDB PFL PDT PDS PRN PSDB PTB PT PDC PL PSB PSC PCdoB PRS PCB PTR PST PSD PMN Soma
AC 05 03 08
AL 01 01 02 01 04 09
AP 04 01 01 01 01 08
AM 02 02 01 01 02 08
BA 08 11 04 01 03 02 02 02 03 01 01 01 39
CE 04 04 02 02 07 01 02 22
DF 02 01 01 02 01 01 08
ES 06 03 01 10
GO 10 01 01 04 01 17
MA 01 07 01 01 02 01 03 01 01 18
MT 03 01 02 02 08
MS 01 01 01 03 02 08
MG 14 06 02 06 06 03 06 01 04 01 04 53
PA 06 01 01 02 04 02 01 17
PB 04 03 03 02 12
PR 07 04 02 08 04 02 03 30
PE 04 11 03 05 01 01 25
PI 02 05 02 01 10
RJ 02 05 18 02 02 01 04 03 02 03 01 01 01 01 46
RN 03 03 01 01 08
RS 09 01 07 09 01 04 31
RO 01 07 08
RR 01 01 02 03 01 08
SC 05 03 01 05 01 01 16
SP 12 01 02 07 06 09 06 10 01 05 01 60
SE 04 02 01 01 08
TO 02 01 01 04 08
Total 108 83 45 42 40 38 38 35 22 17 11 06 05 04 03 02 02 01 01 503
Percentual 21,47% 16,50% 8,95% 8,35% 7,95% 7,55% 7,55% 6,96% 4,37% 3,38% 2,19% 1,19% 0,99% 0,80% 0,60% 0,40% 0,40% 0,20% 0,20% 100%

Eleitorado por unidade federativaEditar

As informações a seguir foram extraídas do Anuário Estatístico do Brasil, edição de 1992, disponível na Biblioteca do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.[3]

Unidade Federativa Eleitorado Percentual Variação
  São Paulo 18.727.014 22,35%  
  Minas Gerais 9.470.353 11,30%  
  Rio de Janeiro 8.277.296 9,88%  
  Bahia 6.019.317 7,18%  
  Rio Grande do Sul 5.747.083 6,86%  
  Paraná 5.112.793 6,10%  
  Pernambuco 3.885.434 4,64%  
  Ceará 3.491.994 4,17%  
  Santa Catarina 2.769.517 3,30%  
  Pará 2.309.791 2,76%  
  Maranhão 2.256.792 2,69%  
  Goiás 2.244.631 2,68%  
  Paraíba 1.810.996 2,16%  
  Espírito Santo 1.423.211 1,70%  
  Piauí 1.410.051 1,68%  
  Rio Grande do Norte 1.331.039 1,59%  
  Alagoas 1.304.271 1,56%  
  Mato Grosso 1.089.650 1,30%  
  Mato Grosso do Sul 1.024.928 1,22%  
  Distrito Federal 893.659 1,07%  
  Amazonas 885.002 1,06%  
  Sergipe 803.041 0,96%  
  Rondônia 588.691 0,70%  
  Tocantins 498.963 0,60%  
  Acre 197.709 0,24%  
  Amapá 135.939 0,16%  
  Roraima 86.226 0,10%  
Total 83.795.391 100%

Referências

  1. Banco de dados da UERJ Acesso em 12 de março de 2011.
  2. Cronologia das eleições no Brasil Acesso em 21 de janeiro de 2010.
  3. «Biblioteca do IBGE: Anuário Estatístico do Brasil». Consultado em 10 de outubro de 2013. Cópia arquivada em 8 de agosto de 2013 

Notas

  1. Veja, 3 de outubro de 1990.
  2. Nesse dia foram eleitos os governadores do Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Sergipe.
  3. Nesse dia foram eleitos os governadores do Acre, Amapá, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, São Paulo e Tocantins.
  4. Fraudes generalizadas levaram a Justiça Eleitoral a marcar um novo segundo turno para 20 de janeiro de 1991.
  5. Um terço do colegiado e mais três vagas no Amapá e em Roraima.
  6. Gilberto Mestrinho, Íris Rezende, Jader Barbalho, João Alves Filho, José Agripino Maia e Leonel Brizola.
  7. Amapá, Bahia, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Roraima.
  8. Governador nomeado (1988-1990) pelo presidente José Sarney, deixou o cargo para ser Ministro da Agricultura do governo Collor por duas semanas até deixar o cargo e disputar a eleição. Seus adversários tentaram impugná-lo alegando que Roriz pleiteava a reeleição, mas o caráter de "nomeação" presente na sua primeira gestão fez com que o Tribunal Superior Eleitoral validasse sua candidatura.
  9. Assassinado em São Paulo em 17 de maio de 1992.
  10. Faleceu vítima de infarto em Maceió em 6 de abril de 1992.
  11. Renunciou ao mandato de deputado federal em dezembro de 1990 e depois assumiu o governo.
  12. Renunciou ao cargo em abril de 1994 e foi eleito senador em outubro.
  13. Renunciou juntamente com o titular para disputar o pleito de 1994 sendo eleito governador.
  14. Renunciou em setembro de 1994 e a seguir foi empossado Ministro da Fazenda no governo Itamar Franco. Assumiu o presidente do Tribunal de Justiça e a seguir o presidente da Assembléia Legislativa
  15. Renunciou ao cargo em abril de 1994 e foi eleito senador em outubro.
  16. Após duas semanas deixou o Ministério da Agricultura do Governo Collor e foi candidato a governador, o que levantou acirrado debate político. Eleito, renunciou ao mandato de vice-governador de Goiás e foi empossado em 1º de janeiro de 1991.
  17. Renunciou ao mandato de deputado federal em dezembro de 1990 e depois assumiu o governo.
  18. Eleito deputado federal em 1994.
  19. Renunciou ao cargo em abril de 1994 e foi eleito senador em outubro.
  20. Renunciou juntamente com o titular para disputar o pleito de 1994 sendo eleito governador.
  21. Renunciou ao cargo em abril de 1994 e foi eleito senador em outubro.
  22. Eleito senador em outubro de 1994.
  23. Renunciou ao cargo em abril de 1994 e foi eleito senador em outubro.
  24. Renunciou ao cargo em abril de 1994 e foi eleito senador em outubro.
  25. Renunciou ao cargo em abril de 1994 e foi eleito senador em outubro.
  26. Eleito deputado federal em 1994.
  27. Renunciou ao cargo em abril de 1994 e foi eleito senador em outubro.
  28. Renunciou em abril de 1994 e foi candidato a presidente da República.
  29. Renunciou ao cargo em abril de 1994 e foi eleito senador em outubro.
  30. Renunciou ao mandato de deputado federal em dezembro de 1990 e depois assumiu o governo.
  31. Renunciou ao cargo em abril de 1994 e foi eleito senador em outubro.
  32. Eleito deputado federal em 1994.
  33. Albano Franco, Guilherme Palmeira, Marco Maciel e Odacir Soares.
  34. Eleito para um mandato de quatro anos a ser renovado em 1994.
  35. Eleito para um mandato de quatro anos a ser renovado em 1994.
  36. Eleito prefeito de Manaus em 1992, renunciou ao mandato.
  37. Ministro do Planejamento do governo Itamar Franco entre 3 de março de 1994 e 1º de janeiro de 1995.
  38. Nomeado ministro do Tribunal de Contas da União em 13 de novembro de 1997 pelo presidente Fernando Henrique Cardoso.
  39. Ministro da Defesa do governo Fernando Henrique Cardoso entre 1º de janeiro de 1999 e 23 de janeiro de 2000.
  40. Faleceu em Brasília em 14 de janeiro de 1998 vítima de embolia pulmonar.
  41. Ministro do Meio Ambiente do governo Itamar Franco entre 19 de outubro de 1992 e 16 de setembro de 1993. Posteriormente renunciou ao mandato para assumir uma vaga de conselheiro no Tribunal de Contas do Pará.
  42. Eleito governador de seu estado em outubro de 1994, renunciou ao mandato em dezembro.
  43. Ministro da Indústria e Comércio do governo Itamar Franco (19 de outubro de 1992 e 23 de dezembro de 1993) e Ministro da Agricultura dos governos Itamar Franco (1º de setembro a 13 de outubro de 1993) e Fernando Henrique Cardoso (1º de janeiro de 1995 a 2 de maio de 1996).
  44. Eleito vice-presidente da República em 1994 e reeleito em 1998.
  45. Faleceu em Brasília em 17 de fevereiro de 1997.
  46. Eleito governador de seu estado em outubro de 1994, renunciou ao mandato em dezembro.
  47. Eleito para um mandato de quatro anos a ser renovado em 1994.
  48. Faleceu em Brasília em 25 de abril de 1991.
  49. Eleito para um mandato de quatro anos a ser renovado em 1994.
  50. Eleito governador de Santa Catarina em outubro de 1998, renunciou ao mandato em dezembro.
  51. Faleceu durante o exercício do mandato pelo titular e teve como substituta Sandra Guidi.
  52. Eleito governador de seu estado em outubro de 1994, renunciou ao mandato em dezembro.

Ligações externasEditar