Abrir menu principal

Campeonato Brasileiro de Futebol de 1974

(Redirecionado de Campeonato Brasileiro de 1974)
XVIII Campeonato Brasileiro de Futebol
Campeonato Nacional de Clubes de 1974
Dados
Participantes 40
Organização CBD
Local de disputa Brasil
Período 9 de março1º de agosto
Gol(o)s 948
Partidas 447
Média 2,12 gol(o)s por partida
Campeão Vasco da Gama (1º título)
Vice-campeão Cruzeiro
Melhor marcador Roberto Dinamite (Vasco da Gama) – 16 gols
Melhor ataque (fase inicial) Atlético Mineiro – 33 gols
Melhor defesa (fase inicial) 8 gols:
Público 5 184 753
Média 11 599 pessoas por partida
◄◄ 1973 Soccerball.svg 1975 ►►

O Campeonato Brasileiro de Futebol de 1974, originalmente denominado Campeonato Nacional de Clubes pela CBD, foi a décima oitava edição do Campeonato Brasileiro e que terminou[1][2][3] com o clube carioca Vasco da Gama se consagrando campeão.

Como era ano de Copa do Mundo, a pressão para aumentar o número de clubes no Campeonato Brasileiro foi deixada um pouco de lado, para dar uma maior atenção à Seleção Brasileira de Futebol. Permaneceram, portanto, quarenta clubes em uma única divisão para todo o campeonato, porém incluindo o inédito critério de maior renda no critério de desempate, que favoreceu a classificação do Nacional/AM e do Fluminense para a segunda fase.

Índice

Fórmula de disputaEditar

Primeira Fase: Em turno único, duas chaves com vinte clubes em cada. Classificando para a próxima fase os dez primeiros colocados de cada chave, mais os dois próximos na classificação independente de chave, mais os dois clubes com maior arrecadação/público entre os não classificados pelos critérios anteriores.

Segunda Fase: Quatro grupos com seis clubes, em turno único. Classificando para a próxima fase o campeão de cada grupo.

Terceira Fase: Quadrangular final, turno único, onde todos os clubes se enfrentam, e sendo campeão aquele que tiver melhor campanha na fase final.

Primeira FaseEditar

Grupo AEditar

ResultadosEditar

Casa/Visitante AM-RN AM-RJ AT-PR AVA BAH BOT COTB DES FLA FLU GRÊ INT ITA OLA PAY REM SAM TIR VAS VIT
América-RN 1-3 0-1 1-1 0-1 1-0 0-0 0-2 1-0 0-2 2-0 0-0 2-3
América-RJ 2-0 3-0 2-0 1-2
Atlético-PR 1-2 1-0 1-0 1-2 3-0 1-0 4-0 2-0 1-1
Avaí 0-2 1-0 0-2 1-2 0-1 2-2 0-1 1-2 0-2 1-2 3-0 0-0
Bahia 1-0 1-1 1-1 0-2 1-0 0-1 0-0 1-0 2-1 1-1 1-1
Botafogo 1-1 3-1 5-1 0-0 0-2 1-0 2-3 0-0
Coritiba 0-1 0-1 0-1 3-2 2-1 0-2 1-1 3-0 1-1 3-2 1-1
Desportiva 1-0 2-3 0-1 1-1 0-5 1-0 0-1 0-0 2-1 1-0 0-0 1-1
Flamengo 2-1 4-0 0-0 1-0 0-0 3-0 4-0 1-1
Fluminense 1-1 1-1 0-1 2-1 2-3 2-0
Grêmio 2-1 2-0 2-2 1-2 1-0 1-0 2-0 4-0 1-0
Internacional 3-0 3-0 1-1 1-1 2-0 5-1 2-0 1-1
Itabaiana 1-3 1-0 2-0 0-1 2-1 0-1 0-1 1-2 1-0 2-1 0-3
Olaria 1-2 4-0 2-0
Paysandu 0-1 1-1 3-1 1-0 0-0 1-1 2-0 2-0 1-0 0-0 1-2
Remo 2-0 2-4 2-2 2-3 3-1 1-1 1-0 2-2 0-0 2-0 1-2 3-1
Sampaio Corrêa 0-0 1-0 0-1 1-0 2-2 1-1 0-2 1-2 3-1 1-1 2-0 0-3
Tiradentes 3-0 0-1 2-2 3-0 2-1 0-0 1-0 2-0 0-0 0-0 2-0 0-1
Vasco da Gama 0-1 1-0 0-0 0-0 2-0 1-2 3-1 1-1
Vitória 1-1 2-2 3-0 3-1 1-0 0-0 1-0 2-0 0-0 1-2 0-0

ClassificaçãoEditar

Pos. Squadra Pt J V E D GF GS SG
1 Grêmio 30 19 14 2 3 30 8 +22
2 Flamengo 29 19 12 5 2 29 8 +21
3 America 26 19 12 2 5 30 15 +15
4 Vitória 25 19 8 9 2 26 15 +11
5 Internacional 24 19 9 6 4 30 19 +11
6 Atlético Paranaense 22 19 9 4 6 24 17 +7
7 Vasco da Gama 22 19 7 8 4 19 13 +6
8 Bahia 22 19 7 8 4 15 14 +1
9 Coritiba 21 19 8 5 6 24 21 +3
10 Paysandu 20 19 6 8 5 16 16 0
11 Tiradentes 19 19 7 5 7 19 20 -1
12 Remo 16 19 5 6 8 22 27 -5
13 Olaria 16 19 5 6 8 17 22 -5
14 América de Natal 15 19 5 5 9 12 23 -11
15 Botafogo 15 19 4 7 8 26 29 -3
16 Fluminense 15 19 3 9 7 16 22 -6
17 Desportiva Ferroviária 14 19 4 6 9 11 27 -16
18 Sampaio Corrêa 12 19 4 4 11 14 26 -12
19 Itabaiana 10 19 5 0 14 11 30 -19
20 Avaí 7 19 2 3 14 11 30 -19

ClassificadosEditar

  • Grêmio, Flamengo, América-RJ, Vitória, Internacional, Atlético Paranaense, Vasco da Gama, Bahia, Coritiba, Paysandu e Fluminense[4] qualificados para a proxima fase.

Grupo BEditar

ResultadosEditar

Casa/Visitante AM-MG AT-MG CEA CEUB COTH CRU CSA FOR GOI GUA NA-AM NAÚ OP-MS PAL POR RNE SPA SCR SAN SPO
América-MG 2-1 1-0 0-1 0-1 0-3 2-0 0-0 0-2
Atlético-MG 1-1 2-1 0-1 3-1 0-1 1-0 0-0 2-1
Ceará 1-2 2-1 0-1 1-1 1-1 0-1 0-0 2-1 1-1 1-0 1-1
CEUB 0-2 2-4 1-2 1-0 0-0 0-2 1-1 0-0 1-1 1-1 1-3 1-0
Corinthians 3-1 0-1 1-1 2-0 1-0 0-0 2-2 1-1
Cruzeiro 2-2 1-2 1-0 0-0 3-0 1-0 0-0 1-1 0-1
CSA 0-5 1-3 1-0 0-3 0-1 0-1 1-2 0-1 0-2 0-0 0-0 0-1
Fortaleza 2-0 2-0 0-2 1-0 2-1 3-0 2-1 2-1 1-1 0-2 3-3
Goiás 3-1 0-0 0-1 4-0 0-0 0-0 1-1 0-0 2-0 0-3 3-2 1-0
Guarani 3-3 2-0 3-0 2-1 1-0 1-0 2-2 1-1
Nacional-AM 0-2 1-1 0-2 2-0 0-3 1-2 2-1 0-1 1-1 0-1 1-1 0-1
Náutico 2-0 2-1 2-0 1-1 0-0 2-0 0-1 3-1 0-0 1-1
Operário-MS 1-0 0-0 0-0 3-2 1-0 1-0 1-0 1-1 0-2 3-0 1-0 1-1
Palmeiras 1-0 1-2 1-1 0-0 2-2 1-0 4-3 0-4
Portuguesa 0-0 2-2 2-1 3-0
Rio Negro 1-0 1-1 0-0 3-1 1-0 1-0 2-1 0-4 0-1 2-4 2-0
São Paulo 1-2 2-0 1-1 1-1 1-1 0-0 2-1
Santa Cruz 2-3 3-3 0-0 1-3 3-0 0-0 2-1 0-0 0-0 0-3
Santos 1-0 1-0 1-2 3-0 1-1 1-1
Sport 2-2 1-0 1-1 1-4 0-0 0-2 1-0 1-1 1-1 1-1 1-1

ClassificaçãoEditar

Pos. Squadra Pt G V E P GF GS GP
1 Atlético Mineiro 26 19 11 4 4 33 20 +13
2 Cruzeiro 24 19 8 8 3 18 9 +9
3 Guarani 24 19 8 8 3 21 15 +6
4 São Paulo 24 19 7 10 2 22 12 +10
5 Santos 23 19 8 7 4 29 17 +12
6 Náutico 22 19 8 6 5 22 12 +10
7 Operário-MS 22 19 8 6 5 15 14 +1
8 Corinthians 22 19 7 8 4 26 16 +10
9 Portuguesa 21 19 5 11 3 19 16 +3
10 Fortaleza 20 19 8 4 7 21 19 +2
11 Goiás 20 19 7 6 6 21 18 +3
12 Palmeiras 20 19 6 8 5 22 20 +2
13 Rio Negro 19 19 6 7 6 17 23 -6
14 Sport 18 19 4 10 5 20 22 -2
15 América Mineiro 16 19 5 6 8 19 25 -6
16 Ceará 16 19 4 8 7 19 23 -4
17 Nacional-AM 14 19 5 4 10 14 27 -13
18 Santa Cruz 13 19 2 9 8 17 27 -10
19 CEUB 12 19 3 6 10 12 23 -11
20 CSA 4 19 1 2 16 6 35 -29

ClassificadosEditar

  • Atlético Mineiro, Cruzeiro, Guarani, São Paulo, Santos, Náutico, Operário-MS, Corinthians, Portuguesa, Fortaleza, Goiás,[5] Palmeiras[5] e Nacional-AM[4] qualificados para a proxima fase.

Segunda FaseEditar

Grupo 1Editar

Time P J V E D GP GC SG
1 Cruzeiro 10 5 5 0 0 11 3 8
2 Palmeiras 8 5 4 0 1 10 5 5
3 Flamengo 5 5 2 1 2 12 7 5
4 Guarani 4 5 2 0 3 5 7 -2
5 Bahia 2 5 0 2 3 3 8 -5
6 Paysandu 1 5 0 1 4 3 14 -11
  BAH CRU FLA GUA PAL PAY
BAH 0-1 1-1 1-1
CRU 1-0 2-1 4-1
FLA 1-3 3-0 6-0
GUA 3-1
PAL 2-0 3-1 2-1
PAY 0-1 1-2
Classificado para a terceira fase

Grupo 2Editar

Time P J V E D GP GC SG
1 Vasco da Gama 8 5 3 2 0 7 0 7
2 Vitória 6 5 2 2 1 5 3 2
3 Atlético Mineiro 5 5 2 1 2 8 6 2
4 Corinthians 4 5 1 2 2 3 5 -2
5 Nacional-AM 4 5 1 2 2 3 6 -3
6 Operário-MS 3 5 1 1 3 2 8 -6
  CAM COR NAC OPE VAS VIT
CAM 3-0 0-2 2-2
COR 1-0 2-2 0-0
NAC 0-1 0-0 1-0
OPE 1-3 0-2
VAS 2-0 3-0
VIT 1-0 0-0
Classificado para a terceira fase

Grupo 3Editar

Time P J V E D GP GC SG
1 Santos 9 5 4 1 0 8 2 6
2 Grêmio 8 5 4 0 1 7 3 4
3 Fortaleza 5 5 1 3 1 5 4 1
4 Náutico 4 5 1 2 2 7 8 -1
5 Coritiba 3 5 1 1 3 5 7 -2
6 America 1 5 0 1 4 2 10 -8
  AME CTB FOR GRE NAU SAN
AME 0-1 0-2
CTB 2-0 0-0
FOR 3-0 0-0 1-3 0-0 1-1
GRE 1-0 2-1 0-1
NAU 2-2 4-2 0-2
SAN 2-1 1-1
Classificado para a terceira fase

Grupo 4Editar

Time P J V E D GP GC SG
1 Internacional 8 5 3 2 0 6 2 4
2 Atlético Paranaense 7 5 2 3 0 5 3 2
3 São Paulo 5 5 1 3 1 3 3 0
4 Portuguesa 4 5 1 2 2 4 6 -2
5 Fluminense 3 5 1 1 3 4 6 -2
6 Goiás 3 5 0 3 2 4 6 -2
  ATP FLU GOI INT POR SPA
ATP 2-1 1-1
FLU 0-1 3-1 0-1
GOI 1-1 0-1 1-1
INT 1-1 2-0 1-1
POR 0-1
SPA 0-0 0-1 1-1
Classificado para a terceira fase

Fase finalEditar

Quandrangular final
Time PG J V E D GP GC SG
1   Cruzeiro 4 3 1 2 0 5 3 2
2   Vasco da Gama 4 3 1 2 0 5 4 1
3   Santos 2 3 1 0 2 4 5 -1
3   Internacional 2 3 0 2 1 3 5 -2
PG - pontos ganhos; J - jogos; V - vitórias; E - empates; D - derrotas;
GP - gols pró; GC - gols contra; SG - saldo de gols
21 de julho de 1974 Vasco da Gama 2 – 1 Santos Maracanã, Rio de Janeiro
Público: 97.676
Árbitro:   Agomar Martins (RS)

Luís Carlos   15'
Roberto Dinamite   88'
Pelé   75'

21 de julho de 1974 Internacional 1 – 1 Cruzeiro Estádio Beira-Rio, Porto Alegre
Árbitro:   Oscar Scolfaro (SP)

Valdomiro   19' Roberto Batata   42'

24 de julho de 1974 Cruzeiro 1 – 1 Vasco da Gama Mineirão, Belo Horizonte
Público: 71.325
Árbitro:   Sebastião Rufino (PE)

Zé Carlos   44' Alfinete   58'

24 de julho de 1974 Santos 2 – 1 Internacional Morumbi, São Paulo
Público: 19.882
Árbitro:   Saul Mendes (BA)

Brecha   31'
Fernandinho   83'
Claudiomiro   50'

28 de julho de 1974 Santos 1 – 3 Cruzeiro Morumbi, São Paulo
Público: 40.616
Árbitro:   Armando Marques (SP)

Nenê Belarmino   77' Palhinha   30'
Nelinho   31'
Dirceu Lopes   36'

28 de julho de 1974 Vasco da Gama 2 – 2 Internacional Maracanã, Rio de Janeiro
Público: 118.777
Árbitro:   Manuel Amaro de Lima (PE)

Roberto Dinamite   4'
Zanata   22'
Lula   65'
Escurinho   77'

Jogo extraEditar

Cruzeiro e Vasco ficaram empatados em primeiro lugar com quatro pontos, enquanto que Santos e Internacional ficaram com dois pontos. Nesse caso, o regulamento previa um jogo extra entre os dois primeiros colocados, com o jogo devendo ser realizado em Belo Horizonte, em função da melhor campanha do Cruzeiro ao longo do campeonato (38 pontos contra 34). Porém, em seu artigo 59, o regulamento do Campeonato Brasileiro de 1974 definia.

"Art 59 - Quando houver tentativa de agressão ou agressão por parte do público ou de dirigente, associado ou empregado do clube local a árbitro, seus auxiliares, dirigentes, empregados ou jogadores do clube visitante, o Departamento de Futebol da CBD reestruturará a tabela do Campeonato, invertendo o mando de campo de três jogos subsequentes do clube local". [Jornal O Globo, p. 40, 30/07/1974]

Na partida disputada no Mineirão, em 24/07/1974, entre Cruzeiro e Vasco que terminou empatada, o Vice-presidente do Cruzeiro, Carmine Furletti, invadiu o campo de jogo e tentou agredir o árbitro Sebastião Rufino após uma possível penalidade envolvendo Palhinha do Cruzeiro e Joel do Vasco na área do clube carioca. O jornal O Globo, em sua edição do dia 26/07/1974 publicou:

"Para Sebastião Rufino, Palhinha se atirou na o chão, encenando uma falta para tentar ganhar o jogo em seu final. Na súmula, o dirigente do Cruzeiro, Carmine Furletti, sofreu violenta carga. 'Ele tentou agredir-me'".

Os cruzeirenses alegavam que o artigo 59 não havia sido aplicado em outras oportunidades do mesmo campeonato, por isso, não deveria ser aplicado novamente. Mas na edição do dia 31/07/1974 do jornal O Globo, o presidente do Fluminense explicou o caso:

"O Regulamento visto pelo Flu

Explicação de Jorge Frias de Paula, presidente do Fluminense, para o fato de o artigo 59 do regulamento não ter sido aplicado antes: 'nenhum clube se lembrou de recorrer em tempo hábil. Os regulamentos existem para serem usados, desde que alguém se lembre de usá-los". [O Globo, p. 28, 31/07/1974)

Baseada, então, no regulamento, em razão do incidente de invasão de campo na partida anterior no Mineirão, a CBD, em comum acordo com os dirigentes do Vasco e do Cruzeiro determinou que a partida fosse disputada no Maracanã. Os mineiros tiveram de se contentar com a escalação de Wilson Piazza que teve um terceiro cartão amarelo não relatado pelo juiz na súmula, no jogo anterior, contra o Santos, e foram muito criticados pela imprensa local por estarem interessados na maior arrecadação com o público no Maracanã, e por isso aceitarem a decisão da CBD.

Durante a partida, os dois times apresentavam um futebol muito equilibrado. Apesar de o Cruzeiro ter um futebol mais técnico, o Vasco se mostrava bem no jogo. Mas o jogo se tornou um jogo nervoso e truncado, por conta de lances polêmicos protagonizados pelo juiz Armando Marques durante a partida. O Vasco abriu o placar com Ademir aos 14 minutos do primeiro tempo,após jogada ensaiada. O jogo seguia equilibrado, o Vasco teve sua chance ampliar o placar ainda na etapa inicial, em gol marcado por Jorginho Carvoeiro, mas anulado por alegado impedimento, configurando o primeiro de uma série de lances polêmicos do jogo. O Cruzeiro voltou melhor no segundo tempo, e o lateral direito Nelinho empatou a partida, num belo chute, aos 19 minutos do segundo tempo. Quando o Cruzeiro era melhor, Jorginho Carvoeiro foi lançado e colocou o Vasco na frente, aos 31 minutos do segundo tempo. O Cruzeiro ainda marcou o gol de empate, após jogada de linha de fundo, através do volante Zé Carlos, aos 43 minutos, porém o árbitro Armando Marques anulou o gol, em outro lance polêmico e muito reclamado pelos cruzeirenses. Ao final do jogo o juiz não deu nenhum acréscimo e encerrou a partida aos 45 minutos, fechando sua arbitragem com mais polêmica uma vez que os cruzeirenses reclamavam que o goleiro Andrada fizera a chamada "cera", retardando o jogo. Com um time que era marcado pela garra e não pela técnica, o Vasco se sagrou campeão sobre um poderoso Cruzeiro recheado de craques, em um jogo de muita polêmica em ambos os lados, antes mesmo de a bola rolar.

1 de agosto de 1974 Vasco da Gama 2 – 1 Cruzeiro Maracanã, Rio de Janeiro
Público: 112.933
Árbitro:   Armando Marques (SP)

Ademir   14'
Jorginho Carvoeiro   78'
Nelinho   64'

Vasco: Andrada; Fidelis, Miguel, Moisés e Alfinete; Alcir, Zanata e Ademir; Jorginho Carvoeiro, Roberto Dinamite e Luis Carlos. Técnico: Mário Travaglini.

Cruzeiro: Vitor; Nelinho, Perfumo, Darci Menezes e Vanderlei; Piazza, Zé Carlos e Dirceu Lopes; Roberto Batata, Palhinha (Joãozinho) e Eduardo (Baiano). Técnico: Hilton Chaves.

PremiaçãoEditar

Campeonato Brasileiro de Futebol de 1974
 
Club de Regatas Vasco da Gama
Campeão
(1° título)

Classificação finalEditar

Classificação final
Time PG J V E D GP GC SG
1   Vasco da Gama 38 28 14 10 4 35 17 18
2   Cruzeiro 36 28 12 14 4 33 18 15
3   Santos 34 27 13 8 6 41 25 16
4   Internacional 34 27 12 10 5 40 26 14
5   Grêmio 38 24 18 2 4 37 11 26
6   Flamengo 34 24 14 6 4 41 15 26
7   Atlético Mineiro 31 24 13 5 6 41 26 15
8   Vitória 31 24 10 11 3 31 18 13
9   Atlético Paranaense 29 24 11 7 6 29 20 9
10   São Paulo 29 24 8 13 3 25 15 10
11   Palmeiras 28 24 10 8 6 32 25 7
12   Guarani 28 24 10 8 6 26 22 4
13   America 27 24 12 3 9 32 25 7
14   Náutico 26 24 9 8 7 29 20 9
15   Corinthians 26 24 8 10 6 29 21 8
16   Fortaleza 25 24 9 7 8 26 23 3
17   Operário-MS 25 24 9 7 8 17 22 -5
18   Portuguesa 25 24 6 13 5 23 22 1
19   Coritiba 24 24 9 6 9 29 28 1
20   Bahia 24 24 7 10 7 18 22 -4
21   Goiás 23 24 7 9 8 25 24 1
22   Paysandu 21 24 6 9 9 19 30 -11
23   Nacional-AM 18 24 6 6 12 17 33 -16
24   Fluminense 18 24 4 10 10 20 28 -8
25   Tiradentes 19 19 7 5 7 19 20 -1
26   Rio Negro 19 19 6 7 6 17 23 -6
27   Sport 18 19 4 10 5 20 22 -2
28   Remo 16 19 5 6 8 22 27 -5
29   Olaria 16 19 5 6 8 17 22 -5
30   América Mineiro 16 19 5 6 8 19 25 -6
31   Ceará 16 19 4 8 7 19 23 -4
32   América de Natal 15 19 5 5 9 12 23 -11
33   Botafogo 15 19 4 7 8 26 29 -3
34   Desportiva Ferroviária 14 19 4 6 9 11 27 -16
35   Santa Cruz 13 19 2 9 8 17 27 -10
36   Sampaio Corrêa 12 19 4 4 11 14 26 -12
37   CEUB 12 19 3 6 10 12 23 -11
38   Itabaiana 10 19 5 0 14 11 30 -19
39   Avaí 7 19 2 3 14 11 30 -19
40   CSA 4 19 1 2 16 6 35 -29
PG – pontos; J – jogos disputados; V - vitórias; E - empates; D - derrotas;
GP – gols pró; GC – gols contra; SG – saldo de gols
Fase Final e classificados para a Taça Libertadores da América de 1975
Eliminados nas Semifinais
Eliminados na Segunda Fase

Maiores públicosEditar

  • Aonde não consta informação sobre público pagante e presente, a referência é aos pagantes.[6]
  1. Vasco 2-2 Internacional, 118.777, 28 de julho de 1974, Maracanã.
  2. Vasco 2-1 Cruzeiro, 112.993, 1 de agosto de 1974, Maracanã.

ArtilheirosEditar

  1. Roberto Dinamite (Vasco da Gama), 16 gols
  2. Luisinho Tombo (America RJ), 15 gols

Ver tambémEditar

Referências