Marcos Roberto Silveira Reis

ex-futebolista brasileiro

Marcos Roberto Silveira Reis (Oriente, 4 de agosto de 1973) é um ex-futebolista brasileiro que atuava como goleiro. Chamado de "São Marcos" devido às suas defesas consideradas "milagrosas", Marcos é considerado um dos maiores ídolos da história do Palmeiras e um dos maiores goleiros da história do futebol brasileiro. É conhecido também por ter sido decisivo em cobranças de pênaltis; com ao menos trinta defesas ao longo de sua carreira, detém o recorde de arqueiro com mais defesas em cobranças de pênaltis na história da Libertadores, com onze. Transcendendo sua forte identificação com o Palmeiras, conquistou a simpatia e a admiração de torcedores de times rivais no Brasil.

Marcos
Marcos
Marcos em 2021
Informações pessoais
Nome completo Marcos Roberto Silveira Reis[1]
Data de nasc. 4 de agosto de 1973 (49 anos)[1]
Local de nasc. Oriente, São Paulo, Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,93 m[1]
destro[1]
Apelido São Marcos
Marcão
Informações profissionais
Clube atual aposentado
Posição goleiro
Clubes de juventude
1990–1992
1992
Lençoense/Bariri
Palmeiras
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1992–2012 Palmeiras 00533 0000(0)
Seleção nacional
1992–1993
1996–2005
Brasil Sub-20
Brasil

00029 0000(0)

Marcos iniciou a sua carreira jogando pelas categorias de base do Lençoense até 1992, quando transferiu-se para o Palmeiras e tornou-se atleta profissional. O goleiro então passou a sua carreira toda como atleta do Palmeiras, ostentando a camisa alviverde até o início de 2012. Inicialmente parte da reserva da equipe, virou titular definitivo em 1999, após lesão de seu antecessor, Velloso. Entre os títulos conquistados pelo clube, o mais importante foi a vitória da Libertadores da América de 1999, torneio que protagonizou e em que foi eleito o melhor jogador. Convivendo com muitas lesões ao longo de sua carreira, anunciou sua aposentadoria no início de 2012, aos 38 anos de idade. Durante seu período no alviverde, Marcos participou de 533 jogos, tornando-se o sétimo jogador com mais partidas disputadas pelo clube.

Jogando pela Seleção Brasileira, atuou em 29 jogos. Foi convocado pela primeira vez em 1996, mas tornou-se o titular da equipe apenas em 2001, quando Luiz Felipe Scolari assumiu o posto de técnico da Seleção. Viveu seu auge na Copa do Mundo FIFA de 2002, ajudando a equipe a conquistar seu quinto título mundial; Marcos participou de todos os sete jogos do Brasil no torneio, sem ser substituído. Também com a camisa da agremiação nacional, conquistou a Copa América de 1999 e a Copa das Confederações FIFA de 2005, embora como reserva.

Na sua vida fora dos gramados, Marcos é casado com a atriz Sônia Almeida e tem três filhos. Em 2011, abriu a Clínica São Marcos, centro de fisioterapia voltado para recuperação de atletas com dificuldades financeiras. Em 2017, lançou sua própria marca de cerveja, a Cerveja 12. Assumidamente palmeirense, o ex-goleiro é conhecido por aparecer na mídia em eliminações e derrotas do Palmeiras, e por provocar os rivais, seja quando estes perdem ou quando o Palmeiras vence.

Infância e juventudeEditar

Marcos nasceu em Oriente, cidade localizada no interior do São Paulo, a 450km da capital, no dia 4 de agosto de 1973.[2] Filho de Ladislau Silveira Reis (1935–2008),[3] agricultor,[4][5] e Antônia Reis (1937–2020),[6] é o caçula de seis crianças,[7] três filhos e duas filhas.[8] Antes de se profissionalizar como futebolista, trabalhou por pouco tempo na plantação de café do pai, depois em um almoxarifado de uma oficina, em uma fábrica de móveis e em uma usina de açúcar. Não permaneceu por muito tempo em nenhum desses cargos.[9][5]

Seu primeiro contato com o futebol veio jogando com os irmãos Ladislau ("Lauzinho") e Sergio (os mais velhos dos filhos) e amigos; por ser considerado ruim como jogador de linha, a contragosto viu-se forçado a jogar como goleiro.[4] O primeiro time em que jogou foi o Erva Doce Futebol Clube, onde atuou como atacante.[10] O treinador do time logo reparou que Marcos não era efetivo como jogador de linha, e o colocou no gol por conta de sua grande estatura.[10] Marcos então juntou-se ao time de uma serraria, em que os irmãos mais velhos jogavam;[10] destacou-se e transferiu-se para o Primavera FC, time da cidade que era patrocinado pelo supermercado local e que disputava competições regionais.[2][11] Em 1991, após boas atuações pelo Primavera em um torneio,[2] foi convidado pelo olheiro Antônio de Novaes, o Neno, para jogar pelas categorias de base do Lençoense, time do município de Lençóis Paulista.[2][12]

CarreiraEditar

LençoenseEditar

 
Marcos no início da carreira, nas categorias de base do Lençoense

Inicialmente contratado para ser o quarto reserva do Lençoense,[2] Marcos chegou à titularidade graças ao seu bom desempenho.[13] Jogando pelo Campeonato Paulista sub-20, o Lençoense foi vice-campeão, mas o goleiro chamou a atenção e foi convidado por Jorge Parraga, então olheiro do Corinthians, para fazer testes pela equipe sub-20 do Parque São Jorge.[13][14] No fim de 1991, foi selecionado pelo alvinegro mas diversos fatores contribuíram para que não permanecesse em São Paulo e retornasse a Oriente apenas dois meses depois: o fato de se mudar para uma cidade grande como a metrópole paulista, saudades de sua terra natal, não gozar de prestígio no time (sendo apenas o terceiro goleiro) e não conseguir jogar a Copa São Paulo de Futebol Júnior de 1992 devido à problemas em sua documentação.[13][15]

PalmeirasEditar

Raul Pratalli, na época treinador da equipe sub-20 do Palmeiras, estava à procura de jogadores para reformular seu elenco. Neno, amigo do treinador, indicou seis jogadores do Lençoense; entre eles, Marcos.[16][17] Todos foram aprovados e contratados, mas, eventualmente, apenas o arqueiro permaneceu na equipe alviverde.[16] Aos dezoito anos, prestes a completar dezenove, estreou no time principal do Palmeiras no dia 16 de maio de 1992, em um amistoso contra a Esportiva Guaratinguetá, vencido por seu time por 4–0.[16][18] Depois desse jogo, Marcos então retornou ao sub-20, onde ajudou a equipe a vencer o Campeonato Paulista de Juniores, em julho.[16] Voltou a atuar pela equipe principal apenas em 1996, quando já era o reserva imediato de Velloso, o goleiro titular.[19] Em uma das partidas disputadas, em 19 de maio, contra o Botafogo-SP, pelo Campeonato Paulista, começou como titular, já que Velloso estava suspenso. Nela, o Palmeiras venceu por 4–0 e o arqueiro defendeu um pênalti no segundo tempo.[19][20] Em novembro, durante um treinamento pelo Palmeiras, Marcos quebrou o tornozelo e teve que ficar sete meses fora de campo; voltou apenas em 1997, já com o Palmeiras sob o comando de Luiz Felipe Scolari.[21] Entre 1997 e 1998, continuou como reserva, jogando apenas quando Velloso não podia jogar, seja por lesões ou suspensões.[22][23]

Em março de 1999, às vésperas da quinta rodada da fase de grupos da Copa Libertadores da América, contra o Corinthians, Velloso contundiu-se em um treino e recebeu a notícia de que ficaria afastado por seis semanas.[24][25] Marcos então foi escalado como titular para o jogo; o alvinegro venceu por 2–1.[26] O Palmeiras avançou na competição com o arqueiro como titular, passando pelo Vasco da Gama nas oitavas de final.[24] As partidas que solidificaram a titularidade de Marcos na meta palmeirense vieram nas quartas de final, novamente contra o arquirrival Corinthians.[24] Na partida de ida, em 5 de maio, o Palmeiras venceu por 2–0, mas o goleiro foi o nome do jogo, realizando várias defesas e garantindo que o Palmeiras saísse do jogo sem sofrer gols.[24][27] Uma semana depois, na partida de volta, os alvinegros venceram pelo mesmo placar e a partida foi para os pênaltis; o Palmeiras se classificou para as semifinais ao vencer por 4–2, com Marcos defendendo o pênalti do volante corintiano Vampeta.[24] Graças às boas atuações contra o rival, recebeu a alcunha de "São Marcos".[28][29][30] Nas semifinais, o Palmeiras pegou o River Plate; o primeiro jogo foi na Argentina, onde o Palmeiras perdeu por 1–0. Entretanto, Marcos evitou um placar mais largo com várias defesas ao longo do jogo.[31][32][33] O Palmeiras venceu por 3–0 no jogo de volta e se classificou para a final, onde pegou o Deportivo Cali e sagrou-se campeão nos pênaltis. Ao final da competição, foi eleito o melhor jogador da Libertadores e a revelação do torneio continental.[34] Com o ex-titular Velloso sendo transferido para o Atlético Mineiro, Marcos foi confirmado como o primeiro goleiro do Palmeiras.[35] Em novembro, jogando pelo Copa Intercontinental, em partida única contra o Manchester United, da Inglaterra, Marcos não alcançou a bola em um cruzamento que resultou em gol para a equipe inglesa na metade do primeiro tempo. O Palmeiras não conseguiu empatar o jogo, e ficou com o vice-campeonato.[36][37]

 
Marcos defendendo o pênalti de Marcelinho Carioca, classificando o Palmeiras para a final

Já pela temporada de 2000, apesar de um interesse do Vasco da Gama,[38] o arqueiro permaneceu no Palestra Itália e foi o titular na campanha do campeonato do Torneio Rio-São Paulo, onde o Palmeiras foi campeão, em março.[39] Pela Libertadores, o Palmeiras avançou para a fase eliminatória e eliminou o Peñarol nas quartas de final nos pênaltis por 3–2, onde Marcos defendeu duas cobranças.[40] Nas semifinais, novamente o Corinthians estava pelo caminho, novamente a classificação foi resolvida nas penalidades máximas, e novamente Marcos foi destaque, defendendo a última cobrança, feita por Marcelinho Carioca e garantindo a classificação do Palmeiras para mais uma final de Libertadores.[39][41] Em 2001, novamente brilhou na Libertadores, desta vez na partida de volta das quartas de final, contra o Cruzeiro.[42] Após os dois jogos terem terminado empatados, a vaga foi decidida nos pênaltis. Marcos defendeu três cobranças adversárias e classificou a equipe paulista, que venceu por 4–3.[43]

Em 2002, após a Copa do Mundo, o Palmeiras acabou rebaixado para a Série B no Campeonato Brasileiro daquele ano.[44][45] Marcos foi titular em todos os jogos do alviverde na campanha, exceto nos últimos cinco, devido a uma lesão na coxa.[46] No início da temporada seguinte, em 2003, o goleiro recebeu uma proposta do Arsenal, da Inglaterra.[47][48] O Palmeiras, necessitando de dinheiro na época,[48] receberia quatro milhões de dólares pela transferência.[47] Marcos chegou a embarcar para Londres,[48] mas, embora a oferta tenha sido vantajosa financeiramente,[49][50] a paixão por sua família, pelo Palmeiras e pelo país o fizeram permanecer no Brasil.[48][49][51] Durante a temporada, jogando o Campeonato Brasileiro da Série B, foi um dos pilares do time que conseguiu o acesso de volta para a Série A, confirmada no final do ano, em novembro;[52][53] o goleiro foi eleito o melhor jogador da competição.[54]

Em maio de 2004, em um treino da Seleção Brasileira, lesionou o punho esquerdo, ficando fora por oito meses e perdendo o resto da temporada.[55][56][57][58] Na temporada seguinte, em 12 de agosto de 2005, o arqueiro mais uma vez recebeu uma proposta para sair do Palmeiras; de acordo com o jornal Folha de S. Paulo, que obteve o documento da proposta, não era citado o time que o arqueiro defenderia, mas relatos de pessoas próximas apontavam que ele iria para o Porto, de Portugal, assinando um contrato de três anos.[59] Entretanto, duas semanas depois, no dia 26 de agosto, o goleiro encerrou as conversas ao saber nos bastidores que era uma manobra para levá-lo ao Corinthians no início do ano seguinte.[60][61] No mesmo dia, foi anunciada a renovação do seu contrato, até o final de 2009.[62][63]

Entre 2006 e 2007, Marcos pouco jogou, já que sofreu lesões graves durante as temporadas.[64][65][55][56][57] Voltou a ter sequência no time titular do Palmeiras apenas no início da temporada de 2008, com a chegada do técnico Vanderlei Luxemburgo.[66] Sua primeira partida foi na derrota por 0–3 contra o Guaratinguetá pela sétima rodada do Campeonato Paulista, em fevereiro.[67] Em maio, sagrou-se campeão do torneio, quando o Palmeiras derrotou a Ponte Preta na final.[68] Completou quatrocentas partidas com a camisa do Palmeiras em setembro, em vitória por 2–0 contra o Vasco da Gama, jogando pelo Campeonato Brasileiro.[69][70][71][72] No fim do ano, o goleiro foi eleito pela IFFHS como o terceiro jogador mais popular do mundo.[73][74] Além disso, foi eleito o terceiro melhor goleiro do Campeonato Brasileiro.[75]

Já pela temporada de 2009, em maio, Marcos foi, mais uma vez, protagonista em uma disputa de pênaltis pela Libertadores. Os palestrinos jogavam contra o Sport, em Recife, pela partida de volta das oitavas de final. O arqueiro fez várias intervenções ao longo da partida, que foi para os pênaltis;[76][77] o arqueiro então defendeu três cobranças adversárias, ajudando o Palmeiras a vencer por 3–1 e se classificar para as quartas de final.[78] No fim do mesmo mês, o recém-eleito presidente do Palmeiras, Luiz Gonzaga Belluzzo, assegurou a renovação do contrato do arqueiro, que estava perto do fim, por mais duas temporadas, e com opção para permanecer mais três na comissão técnica do clube.[79][80] Pelo Campeonato Brasileiro, foi eleito o segundo melhor goleiro do campeonato, prêmio concedido pela CBF.[81][82]

 
Marcos pelo Palmeiras em 2010, contra a Ponte Preta

Pela temporada de 2010, em março, num clássico disputado contra o Santos, Marcos entrou em campo com a camisa do Palmeiras pela 483ª vez. Tornou-se assim o segundo goleiro a disputar mais partidas pela equipe alviverde em toda a história, ficando atrás apenas de Emerson Leão, que disputou 617.[83] Em julho, na festa de despedida do Palestra Itália para construção do Allianz Parque, foi homenageado com uma placa comemorativa, antes de um amistoso contra o Boca Juniors, da Argentina, por ser o jogador que mais atuou em toda a história do antigo estádio, com 211 partidas disputadas.[84] Em 19 de agosto, em jogo contra o Vitória pela Copa Sul-Americana, no Estádio do Pacaembu, alcançou a marca de quinhentos jogos realizados pelo Palmeiras.[85][86] Um jogo antes, no dia 14, quando o Palmeiras derrotou o Atlético Paranaense por 2–0, pelo Campeonato Brasileiro, Marcos já havia atingido outra marca: ultrapassou Djalma Santos em número de jogos pelo alviverde e se tornou o sétimo jogador a disputar mais partidas pelo Palmeiras em toda a história.[87]

Jogando pelo Palmeiras em 2011, Marcos percebeu que não conseguia mais entrar na forma ideal de outrora.[88] Revezando com Deola no gol, fez suas últimas partidas ao longo do ano, todas pelo Campeonato Brasileiro: sua última vitória foi contra o Corinthians, em agosto, em Presidente Prudente; o Palmeiras venceu por 2–1.[88] Seu último jogo em casa foi em 11 de setembro, no Pacaembu, contra o Internacional, onde o Palmeiras perdeu por 0–3.[88] Finalmente, seu último jogo oficial como atleta profissional foi uma semana depois, contra o Avaí, na Ressacada; o jogo terminou empatado em 1–1.[88][89]

AposentadoriaEditar

 
Mosaico da torcida em homenagem a Marcos, na sua partida de despedida

Levando suas limitações físicas em consideração, além da falta de títulos do Palmeiras nos últimos anos que jogou, e a dificuldade da gerência do clube em montar elencos fortes,[90][91][92] Marcos anunciou sua aposentadoria na reapresentação do elenco para a temporada 2012, em 4 de janeiro, após reunião com a diretoria.[93][94][95] De imediato, jornalistas, esportistas e clubes comentaram sobre a decisão, parabenizando-o pela vitoriosa carreira e desejando sorte.[96][97][98][99][100][101]

Em 14 de janeiro, uma legião de mais de cinco mil palmeirenses formou uma passeata chamada pela torcida de "Procissão para beatificação do Santo-Goleiro" que iria do Estádio Palestra Itália até o estádio municipal do Pacaembu, onde aconteceria um amistoso do Palmeiras contra o Ajax, da Holanda.[102][103] O jogo terminou 1–0 para o Palmeiras, com direito a muitas homenagens ao goleiro.[104] Despediu-se oficialmente dos gramados no fim do ano, em 11 de dezembro, num amistoso festivo entre Seleção Brasileira da Copa de 2002 e o Palmeiras campeão da Libertadores de 1999, no Estádio do Pacaembu.[105][106][107] Quarenta mil pessoas foram ao estádio acompanhar a partida, que terminou com o placar de 2–2, com Marcos abrindo o placar numa cobrança de pênalti.[107] À zero hora do dia 12 de dezembro de 2012, em homenagem a camisa 12 usada por ele durante sua carreira, os refletores do Pacaembu se apagaram, e Marcos discursou no centro do gramado, agradecendo à família, à torcida e aos companheiros de trabalho. Após o discurso, deu uma volta olímpica com os filhos no estádio em um carrinho da maca, dando fim à cerimônia.[107]

Seleção NacionalEditar

InícioEditar

Entre 1992 e 1993, Marcos representou a Seleção Brasileira Sub-20.[108] Em 1993, foi cortado da lista final para a Copa do Mundo FIFA Sub-20 daquele ano; revoltado, comunicou o então técnico Júlio César Leal que não queria mais ser chamado, e que só representaria a seleção brasileira pelo time principal.[108] E a primeira convocação ocorreu três anos depois, em 1996, para um amistoso com a Lituânia, com Zagallo no comando; entretanto, Marcos não chegou a jogar.[109][110] Em 1999, fez parte do grupo convocado para a Copa América (no lugar de Carlos Germano, lesionado),[111] onde o Brasil foi campeão,[112] e da Copa das Confederações FIFA.[113] Marcos teve que esperar até o fim do ano para estrear pela seleção canarinha: foi em um amistoso contra a Espanha, em novembro, que terminou sem gols.[114] Entretanto, não teve uma sequência na meta, já que o então técnico da seleção, Vanderlei Luxemburgo, seguia com a preferência em Dida.[115] Em 2001, com a chegada do técnico Luiz Felipe Scolari, que havia trabalhado com o goleiro no Palmeiras, tornou-se titular da Seleção Brasileira.[115][116] Foi titular das últimas seis partidas do Brasil nas eliminatórias,[115] e disputou a Copa América de 2001, realizada na Colômbia, onde o Brasil caiu nas quartas de final, ao ser eliminada por Honduras ao perder por 0–2.[117]

Copa do Mundo de 2002Editar

 
Marcos comemorando o título da Copa do Mundo de 2002

Foi o goleiro titular da Seleção Brasileira campeã da Copa do Mundo FIFA de 2002, realizada no Japão e na Coreia do Sul, sendo o único jogador da seleção a jogar todos os minutos do Brasil no torneio, sem ser substituído.[118][119] Em sete jogos disputados, Marcos sofreu apenas quatro gols.[115] Teve destaque na partida contra a Bélgica nas oitavas de final, quando realizou várias defesas ao longo da partida e ajudou o Brasil a vencer por 2–0.[120][121][122][123] Na final, sagrou-se campeão ao manter a meta brasileira sem levar gols, e o Brasil vencer a Alemanha por 2–0.[124] Marcos recebeu elogios ao realizar, no segundo tempo, uma defesa numa cobrança de falta de Oliver Neuville e outra num chute à queima-roupa de Oliver Bierhoff.[115][125][126][127][128] No mesmo ano, foi eleito o terceiro melhor goleiro da Copa, ficando atrás de Oliver Kahn (então vice-campeão do mundo) e Rüştü Reçber (goleiro da Turquia, terceira colocada do mundial de 2002)[129] e o quarto melhor goleiro do mundo pela IFFHS.[130]

Pós-CopaEditar

Depois de se sagrar campeão mundial, Scolari saiu da Seleção Brasileira, que foi assumida por Carlos Alberto Parreira; o novo treinador promoveu Dida para o time titular, relegando Marcos à reserva.[131] O palmeirense atuou apenas quatro vezes pela Seleção sob o comando de Parreira;[114] mesmo assim, foi convocado para a Copa das Confederações FIFA de 2005, na Alemanha, onde o Brasil se sagrou campeão.[132] Mantido como reserva de Dida,[129] o goleiro palmeirense disputou apenas uma partida na vitoriosa campanha: foi na primeira fase, no empate por 2–2 com o Japão.[133] Esta acabou sendo a última apresentação de Marcos com a Seleção Brasileira, já que não foi convocado para a Copa do Mundo FIFA de 2006,[134] e acabou não sendo mais chamado desde então.[115][135] Realizou, no total, 29 jogos pela Seleção, levando 24 gols.[115] Em 2014, o goleiro comentou que suas lesões foram o fator de terem impedido sua presença em mais Copas do Mundo.[136]

Pós-aposentadoriaEditar

LegadoEditar

 
Busto em homenagem ao goleiro, inaugurado em 2015 na Praça dos Ídolos

Marcos é considerado um dos maiores goleiros da história do Palmeiras e do futebol brasileiro.[89][137][138][139][140] É o sétimo jogador com mais partidas disputadas na história do clube, com 533, e o segundo goleiro com mais aparições, apenas atrás de Emerson Leão.[83] Também é conhecido por ter sido especialista em defesas de cobranças de pênaltis;[141] em toda sua carreira, defendeu 33.[142] É o goleiro com mais defesas de pênalti na história da Libertadores, com onze.[143] Foi o jogador com mais vitórias com o Palmeiras na Libertadores, com 27, e em partidas gerais no século XXI, com 182, até ser superado por Weverton e Dudu, respectivamente, em 2021.[144][145] Pelo seu jeito extrovertido e bem-humorado, o ex-goleiro é respeitado e admirado, além da própria torcida palmeirense, também pelas torcidas rivais.[146][147][148][149]

PalmeirasEditar

Poucos meses depois do anúncio de sua aposentadoria como goleiro, iniciou uma nova fase profissional, sem, entretanto, deixar o Palmeiras. Depois de fechar um contrato de marketing com o clube, ele foi nomeado embaixador. A função do ex-goleiro por meio de seu carisma com a torcida, seria a de cultivar os antigos fãs da equipe e conquistar novos torcedores nas diversas viagens que a equipe faria aos locais onde os jogos do Palmeiras seriam disputados.[150] Em 2017, entretanto, foi noticiado que o goleiro não exercia o cargo desde março de 2015.[151] Em março de 2022, Marcos anunciou sua despedida como embaixador do Allianz Parque, após o término do seu contrato com a construtora WTorre.[152]

Em 12 dezembro de 2015, Marcos recebeu uma homenagem do Palmeiras, após o clube inaugurar um busto de bronze em homenagem ao ex-goleiro.[153][154][155] Foi o quinto jogador a receber essa honraria pelo clube, após Oberdan Cattani, Ademir da Guia, Junqueira, e Waldemar Fiume.[153]

FilmeEditar

Em novembro de 2013, foi lançado oficialmente o documentário Santo Marcos, que conta a história do ídolo do Palmeiras.[156] Com duração de aproximadamente de 72 minutos, o filme foi realizado pela produtora Contém Conteúdo e contou com a direção de Thiago Di Fiore, Fábio Di Fiore e Adolfo Rosenthal.[156] Além de imagens históricas de sua carreira, o documentário traz mais de cinquenta entrevistas e depoimentos de vários personagens ligados ao futebol e ao ex-goleiro, como Ronaldo, Cafu, Marcelinho Carioca, Romário e Neymar, além de alguns dos maiores ídolos da história do Palmeiras, como Oberdan Cattani e Ademir da Guia, e profissionais da imprensa esportiva que acompanharam de perto a carreira do ex-atleta.[156]

EmpresariadoEditar

Ainda como jogador, em setembro de 2011, Marcos abriu a Clínica São Marcos, um centro de fisioterapia em São Paulo, voltado para recuperação de atletas com dificuldades financeiras. O projeto da clínica teve a supervisão dos irmãos José e Luiz Rosan, dois dos responsáveis do departamento de fisioterapia do Palmeiras e do São Paulo.[157] A clínica foi inaugurada oficialmente em outubro do mesmo ano.[158] Em outubro de 2017, o goleiro lançou a Cerveja 12, sua própria marca de cerveja.[159]

Vida pessoalEditar

 
Marcos em evento em 2014

Marcos é casado com Sônia Almeida, atriz que teve passagem pelo programa A Praça é Nossa, do SBT,[160] com quem tem dois filhos: Anna Júlia, nascida em 2003, e Marcos Vinícius, nascido em 2012.[161][162][163] Também é pai de Luca, nascido em 1999, fruto de um relacionamento anterior.[161]

Seu pai, Ladislau Reis, faleceu em novembro de 2008, aos 73 anos, vítima de um infarto. Na época, o goleiro foi liberado da partida contra o Santos, pelo Campeonato Brasileiro,[3] onde houve um minuto de silêncio em homenagem ao pai do goleiro.[164] Sua mãe, Antônia Reis, faleceu em novembro de 2020, aos 83 anos, após complicações devido a uma fratura no fêmur.[5] Em setembro de 2021, o goleiro publicou uma carta no The Players' Tribune, intitulada "Amor de Mãe", onde conta sobre o relacionamento com os pais durante a carreira.[5]

Marcos é católico e atribui muito do seu sucesso no futebol à sua fé e as orações que fazia com a mãe, antes dos jogos do Palmeiras.[5][165] Na disputa de pênaltis contra o Corinthians, pela Libertadores de 1999, usou um escapulário abençoado pelo padre Pedro Bauer da Cunha, que costumava fazer parte das concentrações da equipe.[166] Na maioria dos seus pênaltis defendidos, o goleiro ajoelhava-se e erguia os dedos indicadores para o céu após a defesa, gesto o qual o goleiro ficou conhecido.[167][168][169]

Em 20 de julho de 2017, passou por uma cirurgia cardíaca para corrigir uma disfunção.[170] A cirurgia ocorreu com sucesso, e o ex-atleta recebeu alta uma semana depois.[171]

Assumidamente palmeirense, o goleiro também é conhecido por dar entrevistas e tecer comentários polêmicos, tanto na época como jogador e até depois de ter se aposentado, sobretudo em eliminações e derrotas do Palmeiras (e algumas da Seleção Brasileira),[172][173][174][175] e por provocar os rivais, quando estes perdem, ou quando o Palmeiras vence.[176][177][178]

O ex-goleiro é um ávido apoiador do político Jair Bolsonaro.[179][180][181] Em janeiro de 2022, em postagem no Instagram, Marcos questionou sobre a segurança da vacinação contra a COVID-19 realizada em crianças.[182]

EstatísticasEditar

ClubeEditar

Clube Ano Campeonato Brasileiro Copa do Brasil Competições
internacionais[a]
Outros
torneios[b]
Total Ref.
Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
Palmeiras
1992 1 0 1 0 [183]
1996 12 0 2 0 6 0 20 0
1997 6 0 5 0 11 0
1998 1 0 3 0 7 0 11 0
1999 15 0 8 0 19 0 17 0 59 0
2000 2 0 14 0 23 0 39 0
2001 14 0 16 0 9 0 39 0
2002 19 0 2 0 20 0 41 0
2003 30 0 5 0 2 0 9 0 46 0
2004 5 0 6 0 8 0 19 0
2005 22 0 9 0 10 0 41 0
2006 4 0 2 0 8 0 14 0
2007 1 0 13 0 14 0
2008 37 0 4 0 3 0 16 0 60 0
2009 35 0 10 0 10 0 55 0
2010 13 0 6 0 1 0 16 0 36 0
2011 19 0 2 0 2 0 4 0 27 0
Total 232 0 36 0 83 0 182 0 533 0

Seleção BrasileiraEditar

Seleção Ano Jogos Gols Ref.
Brasil 1999 1 0 [115]
2001 11 0
2002 13 0
2003 1 0
2004 1 0
2005 2 0
Total 29 0

TítulosEditar

Palmeiras
Seleção Brasileira

Outras conquistasEditar

Palmeiras

Prêmios individuais e honrariasEditar

Referências

  1. a b c d «Marcos :: Marcos Roberto Silveira Reis ::». O Gol. Consultado em 21 de setembro de 2022 
  2. a b c d e Marinho & Natacci 2016, p. 8–9
  3. a b «Falecimento do pai de Marcos tira o goleiro do clássico da Vila Belmiro». ge. 1 de novembro de 2008. Consultado em 21 de agosto de 2022. Arquivado do original em 12 de janeiro de 2022 
  4. a b Beting & Reis 2012, p. 12.
  5. a b c d e Marcos Roberto Silveira Reis (17 de setembro de 2021). «Amor de Mãe». The Players' Tribune. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  6. «Morre Antônia Reis, mãe do goleiro Marcos, ídolo do Palmeiras». Lance!. 30 de novembro de 2020. Consultado em 13 de janeiro de 2022 
  7. Cavalari & Marques 2021, 29:08–29:11.
  8. Beting & Reis 2012, p. 11.
  9. Beting & Reis 2012, p. 12–14.
  10. a b c Beting & Reis 2012, p. 14
  11. Campos Jr. 2011, p. 18.
  12. Marcos Júnior Micheletti (9 de agosto de 2018). «Marcos relembra o início de carreira e sua chegada ao Palmeiras». Terceiro Tempo. Consultado em 16 de janeiro de 2022 
  13. a b c Beting & Reis 2012, p. 16
  14. Campos Jr. 2011, p. 21.
  15. Cavalari & Marques 2021, 25:55–27:18.
  16. a b c d Marinho & Natacci 2016, p. 12–13
  17. Cavalari & Marques 2021, 27:59–28:17.
  18. Campos Jr. 2011, p. 32–33.
  19. a b Marinho & Natacci 2016, p. 14–15
  20. Beting & Reis 2012, p. 22.
  21. Campos Jr. 2011, p. 77–78.
  22. Marinho & Natacci 2016, p. 16–17
  23. Campos Jr. 2011, p. 78–79.
  24. a b c d e Marinho & Natacci 2016, p. 22–25
  25. Campos Jr. 2011, p. 91.
  26. «Velloso 'paga pecados' para Marcos ser 'canonizado'». Gazeta Esportiva. 16 de junho de 2009. Consultado em 12 de janeiro de 2022. Arquivado do original em 16 de junho de 2009 
  27. Campos Jr. 2011, p. 95–96.
  28. «CANONIZAÇÃO DE MARCOS E TÍTULO INÉDITO». Site oficial do Palmeiras. Consultado em 16 de janeiro de 2022 
  29. Felipe Zito (27 de maio de 2020). «De reserva a santo: veja como foi o processo de canonização do ídolo Marcos no Palmeiras de 1999». ge. Consultado em 16 de janeiro de 2022 
  30. Ricardo Fontanesi (13 de maio de 2009). «"Primeiro milagre de São Marcos" completa dez anos». Terra. Consultado em 16 de janeiro de 2022 
  31. Ver:
  32. «Noite de São Marcos - River Plate 1 x 0 Palmeiras - Semifinal Libertadores 1999». YouTube - CONMEBOL Libertadores. 19 de maio de 2020. Consultado em 30 de janeiro de 2022 
  33. «O início do bi! Relembre como foi a primeira conquista do Palmeiras, em 1999». Confederação Brasileira de Futebol. 30 de janeiro de 2021. Consultado em 30 de janeiro de 2022 
  34. a b «Marcos é o melhor do torneio». Folha de S.Paulo. 17 de junho de 1999. Consultado em 24 de outubro de 2021 
  35. Campos Jr. 2011, p. 112.
  36. Ver:
  37. GloboEsporte.com (30 de novembro de 2019). «Ex-goleiro Marcos relembra derrota na final do Mundial de 1999 com o Palmeiras: "Erro meu"». ge. Consultado em 4 de outubro de 2022 
  38. Campos Jr. 2011, p. 122.
  39. a b Marinho & Natacci 2016, p. 34–39
  40. «Nos pênaltis, Palmeiras vence Peñarol e avança na Libertadores». Folha de S.Paulo. 11 de maio de 2000. Consultado em 13 de janeiro de 2022 
  41. «Marcos x Marcelinho: o pênalti que consagrou o goleiro como 'santo'». ge. 4 de janeiro de 2012. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  42. Campos Jr. 2011, p. 136–140.
  43. «Nos pênaltis, Marcos brilha e coloca o Palmeiras nas semifinais». Folha de S.Paulo. 31 de maio de 2001. Consultado em 24 de outubro de 2021 
  44. «Pesadelo se torna realidade e Palmeiras é rebaixado para a 2ª divisão». Folha de S.Paulo. 17 de novembro de 2002. Consultado em 24 de outubro de 2021 
  45. «Palmeiras perde na Bahia e é rebaixado». UOL. 17 de novembro de 2002. Consultado em 24 de outubro de 2021 
  46. Ver:
  47. a b Vladimir Bianchini (19 de janeiro de 2018). «Há 15 anos, São Marcos quase trocou Palmeiras pelo Arsenal; relembre». ESPN Brasil. Consultado em 24 de outubro de 2021 
  48. a b c d Campos Jr. 2011, p. 186–189
  49. a b Beting & Reis 2012, p. 49–50
  50. Simon 2010, p. 196.
  51. Tozzi 2003, p. 30.
  52. Marinho & Natacci 2016, p. 62–63.
  53. «Palmeiras vence o Sport e está de volta à Série A do Brasileiro». Folha de S.Paulo. 22 de novembro de 2003. Consultado em 14 de janeiro de 2022 
  54. Campos Jr. 2011, p. 204.
  55. a b Beting & Reis 2012, p. 66–68
  56. a b Leandro Canônico (12 de março de 2007). «Marcos vê explosão de contusões após atingir o auge». UOL. Consultado em 24 de outubro de 2021 
  57. a b «São Marcos lutou contra lesões em sua carreira». Extra. 5 de janeiro de 2012. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  58. Campos Jr. 2011, p. 215.
  59. Kleber Tomaz e Paulo Galdieri (12 de agosto de 2005). «Empresário oferece US$ 2 mi por Marcos». Folha de S.Paulo. Consultado em 30 de janeiro de 2022 
  60. Campos Jr. 2011, p. 226.
  61. Tomás Rosolino (5 de junho de 2020). «Proposta do Corinthians por Marcos, em 2005, envolvia até 'pulo' em Portugal; relembre». Goal. Consultado em 30 de janeiro de 2022 
  62. Paulo Galdieri (27 de agosto de 2005). «Palmeiras e Marcos fazem acerto de risco». Folha de S.Paulo. Consultado em 30 de janeiro de 2022 
  63. «Marcos renova com Palmeiras até 2009». Gazeta do Povo. 26 de agosto de 2005. Consultado em 30 de janeiro de 2022 
  64. Campos Jr. 2011, p. 232–234.
  65. Campos Jr. 2011, p. 235
  66. «Luxa conta que chamou Marcos de gordo em 2008 e foi elogiado em 94». Lance!. 12 de maio de 2020. Consultado em 15 de janeiro de 2022 
  67. «Palmeiras perde terceira e ouve coro de "timinho"; Guará segue líder». UOL. 6 de fevereiro de 2008. Consultado em 24 de outubro de 2021 
  68. Carlos Padeiro e Julyana Travaglia (4 de maio de 2008). «Palmeiras goleia Ponte e conquista Paulista em casa após 12 anos». UOL. Consultado em 15 de janeiro de 2022 
  69. «Marcos chega a 400 jogos pelo Palmeiras». ESPN Brasil. 18 de setembro de 2008. Consultado em 10 de janeiro de 2022 
  70. Guilherme Costa (19 de setembro de 2008). «Por 400 jogos, Marcos recebe homenagem e pedido de renovação». UOL. Consultado em 10 de janeiro de 2022 
  71. Carlos Padeiro (21 de setembro de 2008). «Na festa de Marcos, Palmeiras bate Vasco e fica a um ponto do topo». UOL. Consultado em 10 de janeiro de 2022 
  72. Marinho & Natacci 2016, p. 68–69
  73. «Marcos bate Ceni e é o 3º mais popular do mundo». Terra. 1 de dezembro de 2008. Consultado em 24 de outubro de 2021. Arquivado do original em 7 de maio de 2010 
  74. «Em votação, Marcos é o 3º jogador mais popular do mundo». ESPN Brasil. 1 de dezembro de 2008. Consultado em 24 de outubro de 2021 
  75. Momento do Futebol (9 de novembro de 2008). «Prêmio Craque do Brasileirão 2008». Consultado em 8 de agosto de 2011. Arquivado do original em 8 de março de 2010 
  76. Cavalari & Marques 2021, 2:19:03–2:19:10.
  77. «Marcos lembra jogo contra Sport na Libertadores de 2009: "Um dos melhores momentos da carreira"». ge. 21 de setembro de 2021. Consultado em 20 de janeiro de 2022 
  78. «"Palmeiras vence Sport nos pênaltis em noite de 'São Marcos'». UOL. 12 de maio de 2009. Consultado em 24 de outubro de 2021 
  79. «Belluzzo exalta defesas de Marcos e confirma renovação». Correio Braziliense. 24 de maio de 2009. Consultado em 10 de janeiro de 2022 
  80. «Marcos renova: mais cinco anos na Academia». O Globo. 23 de maio de 2009. Consultado em 30 de janeiro de 2022. Arquivado do original em 28 de maio de 2009 
  81. Momento do Futebol (9 de novembro de 2009). «Prêmio Craque do Brasileirão 2009». Consultado em 8 de agosto de 2011. Arquivado do original em 4 de março de 2016 
  82. Paula Almeida (24 de novembro de 2009). «Flamengo domina lista de indicados a prêmio de Craque do Brasileirão». UOL. Consultado em 30 de janeiro de 2022 
  83. a b «Marcos ultrapassa Valdir na história do Palmeiras e descarta busca a Leão». UOL. 14 de março de 2010. Consultado em 10 de janeiro de 2022. Arquivado do original em 23 de março de 2010 
  84. «Recordista no Palestra, Marcos recebe placa comemorativa». Gazeta Esportiva. 9 de julho de 2010. Consultado em 5 de janeiro de 2012 
  85. Beting & Reis 2012, p. 59.
  86. «Marcos é ovacionado e vê mosaico na arquibancada». O Globo. 19 de agosto de 2010. Consultado em 10 de janeiro de 2022 
  87. «'Marcos 500': goleiro ganha material personalizado para duelo com Vitória». ge. 18 de agosto de 2010. Consultado em 10 de janeiro de 2022 
  88. a b c d Ver:
  89. a b c d e f g h i «MARCOS - Palmeiras». Site oficial do Palmeiras. Consultado em 15 de janeiro de 2022 
  90. Beting & Reis 2012, p. 85–86.
  91. Tiago Leme (4 de janeiro de 2012). «VÍDEO: Ídolo, Marcos superou falhas e lesões e se tornou querido até entre os rivais». ESPN Brasil. Consultado em 15 de janeiro de 2022 
  92. «Marcos explica aposentadoria: 'Perdi o prazer de esperar por títulos'». UOL. 21 de setembro de 2021. Consultado em 15 de janeiro de 2022 
  93. Diego Ribeiro (4 de janeiro de 2012). «Fim de uma era: maior ídolo recente do Verdão, Marcos encerra a carreira». ge. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  94. Luiza Oliveira (4 de janeiro de 2012). «Marcos anuncia aposentadoria, ganha dois meses de férias e 'mega evento' de despedida». UOL. Consultado em 10 de janeiro de 2022 
  95. Miguel Amado (4 de janeiro de 2012). «Maior ídolo recente do Palmeiras, Marcos se aposenta dos gramados». Terra. Consultado em 10 de janeiro de 2022 
  96. Emerson Gonçalves (5 de janeiro de 2012). «Fair Play: Marcos no Corinthians e no São Paulo». Olhar Crônico Esportivo. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  97. «Após adeus, Timão divulga nota em homenagem ao 'algoz' Marcos». ge. 5 de janeiro de 2012. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  98. Fabiano Arruda (5 de janeiro de 2012). «Antecessor de Marcos, Veloso reconhece goleiro como ídolo maior do Palmeiras». Campo Grande News. Consultado em 16 de janeiro de 2022 
  99. Kaue Freitas e Felipe Espíndola (5 de janeiro de 2012). «São Paulo FC deseja sorte a Marcos». Site oficial do São Paulo. Consultado em 16 de janeiro de 2022 
  100. «Seja bem-vindo, Marcão, diz Ronaldo no Twitter; leia mais homenagens». Folha de S.Paulo. 5 de janeiro de 2012. Consultado em 16 de janeiro de 2022 
  101. «VÍDEO: Jornalistas que acompanharam carreira de Marcos lamentam aposentadoria». ESPN Brasil. 5 de janeiro de 2012. Consultado em 16 de janeiro de 2022 
  102. Diego Ribeiro (14 de janeiro de 2012). «Procissão por São Marcos arrasta cinco mil palmeirenses às ruas». ge. Consultado em 18 de abril de 2020 
  103. «Procissão do São Marcos». Folha de S.Paulo. 14 de janeiro de 2012. Consultado em 16 de janeiro de 2022 
  104. Diego Ribeiro (14 de janeiro de 2012). «Em dia de 'São Marcos', Carmona brilha, e Palmeiras derrota o Ajax». ge. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  105. Marinho & Natacci 2016, p. 72–73.
  106. Marcos Guerra (12 de dezembro de 2012). «No adeus, Marcos joga no gol e na linha, faz de pênalti e se emociona». ge. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  107. a b c «Em noite de homenagens, Marcos faz gol e se despede do futebol». Site oficial do Palmeiras. 12 de dezembro de 2012. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  108. a b Beting & Reis 2012, p. 19
  109. Beting & Reis 2012, p. 24.
  110. Antônio Strini (13 de maio de 2009). «"Fui o primeiro a convocar o Marcos", relembra Zagallo». ESPN Brasil. Consultado em 24 de outubro de 2021 
  111. Ver:
  112. «Copa América - 1999». Memória Globo. Consultado em 30 de janeiro de 2022 
  113. «Luxemburgo convoca para Copa das Confederações». Folha de Londrina. 11 de julho de 1999. Consultado em 30 de janeiro de 2022 
  114. a b Lycio Vellozo Ribas (4 de janeiro de 2012). «O aposentado goleiro Marcos: 29 partidas pela seleção brasileira». O Mundo das Copas. Consultado em 17 de janeiro de 2022 
  115. a b c d e f g h «Sob batuta de Felipão, Marcos participa até de preleção na final da Copa». Terra. 4 de janeiro de 2012. Consultado em 17 de janeiro de 2022 
  116. Ver:
  117. Lello Lopes (23 de julho de 2001). «Brasil perde para Honduras e é eliminado da Copa América». UOL. Consultado em 24 de outubro de 2021 
  118. «Marcos: um paredão no gol do Brasil». Confederação Brasileira de Futebol. 15 de fevereiro de 2012. Consultado em 24 de outubro de 2021 
  119. «FIFA.com no Twitter». Twitter oficial da FIFA. 4 de agosto de 2021. Consultado em 17 de janeiro de 2022 
  120. Ver:
  121. «Marcos: fundamental para a Seleção nas oitavas». Confederação Brasileira de Futebol. 17 de junho de 2017. Consultado em 30 de janeiro de 2022 
  122. «Golaço e polêmica... Há 16 anos, Brasil bateu a Bélgica e avançou na Copa». Lance!. 17 de junho de 2018. Consultado em 30 de janeiro de 2022 
  123. Vitor Villar (6 de julho de 2018). «Brasil x Bélgica em 2002: a derrota que os belgas não aceitaram». Correio 24 Horas. Consultado em 30 de janeiro de 2022 
  124. «Alemanha 0x2 Brasil Lance-a-lance». Folha de S.Paulo. 30 de junho de 2002. Consultado em 30 de janeiro de 2022 
  125. Ver:
  126. «Defesa contra a Alemanha na Copa de 2002 é eleita maior 'milagre' de Marcos». Arena SporTV. 7 de dezembro de 2012. Consultado em 30 de janeiro de 2022 
  127. «O lance contra Alemanha que fez Cafu pensar: "agora a gente não perde mais"». UOL. 29 de junho de 2017. Consultado em 30 de janeiro de 2022 
  128. «Ronaldo relembra emoção na final de 2002 e exalta defesa de Marcos». UOL. 3 de junho de 2018. Consultado em 30 de janeiro de 2022 
  129. a b «Pentacampeão em 2002, Marcos completa 45 anos neste sábado». Confederação Brasileira de Futebol. 4 de agosto de 2018. Consultado em 30 de janeiro de 2022 
  130. «Marcos é eleito o 4º melhor do mundo». Estadão. 14 de janeiro de 2003. Consultado em 30 de janeiro de 2022 
  131. Campos Jr. 2011, p. 214.
  132. «Seleção brasileira campeã em 2005: veja onde estão todos os jogadores daquela Copa das Confederações». ESPN Brasil. 17 de abril de 2020. Consultado em 24 de outubro de 2021 
  133. João Henrique Medice (22 de junho de 2005). «Mesmo com tropeço, Brasil avança na Copa das Confederações». UOL. Consultado em 24 de outubro de 2021 
  134. «Marcos fica chateado, mas entende sua ausência na Copa». UOL. 15 de maio de 2006. Consultado em 14 de janeiro de 2022 
  135. Marinho & Natacci 2016, p. 70–71.
  136. Thiago Gomes (3 de julho de 2014). «Marcos culpa lesões por não ter participado de mais Copas». Palmeiras Online. Consultado em 14 de janeiro de 2022 
  137. «Os 5 melhores goleiros da história do Palmeiras». 90min. 24 de abril de 2020. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  138. «Conheça os 7 goleiros do futebol brasileiro que ficaram na história». Estado de Minas. 27 de maio de 2021. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  139. Cauê Rademaker, Raphael Zarko e Thiago Benevenutte (26 de abril de 2021). «No dia do goleiro, especialistas elegem os melhores brasileiros da história; veja lista e vote!». ge. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  140. Marcello Neves (7 de fevereiro de 2022). «Os 30 maiores ídolos da história do Palmeiras; veja ranking». O Globo Esportes. Consultado em 7 de fevereiro de 2022 
  141. Di Fiore & Di Fiore & Rosenthal 2013, 0:57:52–1:00:07.
  142. Fábio Finelli (18 de agosto de 2010). «Marcos 500 jogos: Veja um pouco da história do Santo palmeirense». Site oficial do Palmeiras. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  143. Rodolfo Rodrigues (15 de maio de 2015). «Marcos é o goleiro que mais pegou pênaltis em Libertadores». Blog Futebol em Números. Consultado em 16 de janeiro de 2022 
  144. «São Weverton: goleiro supera Marcos e bate recorde pelo Palmeiras na Libertadores». ge. 18 de agosto de 2021. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  145. Marina Barrios (18 de outubro de 2021). «Dudu supera Marcos e se torna o jogador com mais vitórias pelo Palmeiras no século». Nosso Palestra. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  146. Beting & Reis 2012, p. 74–75.
  147. «São Marcos: 48 anos do goleiro que é amado até pelos rivais». Blog do Milton Neves. 4 de agosto de 2021. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  148. «10 motivos para Marcos ser ídolo até de quem não é palmeirense». UOL. 4 de agosto de 2018. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  149. «Alma alviverde, carisma nacional: Marcos deixa saudade pelo Brasil». ge. 4 de janeiro de 2012. Consultado em 22 de fevereiro de 2022 
  150. Danilo Lavieri (30 de março de 2012). «Marcos inicia carreira de embaixador do Palmeiras nesta terça-feira, no Ceará». UOL. Consultado em 10 de janeiro de 2022 
  151. Guilherme Seto (13 de fevereiro de 2017). «Ex-goleiro Marcos não é embaixador do Palmeiras desde 2015». Folha de S.Paulo. Consultado em 16 de janeiro de 2022 
  152. Danilo Lavieri (15 de março de 2022). «Marcos entrega camarote e deixa de ser embaixador do Allianz Parque». UOL 
  153. a b Tossiro Neto (12 de dezembro de 2015). «Marcos eterniza busto no Palestra e brinca: "Beleza nunca foi meu forte"». ge. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  154. «Bustos». Site oficial do Palmeiras. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  155. Bruno Ceccon (12 de dezembro de 2015). «Ex-goleiro Marcos é homenageado com busto na sede do Palmeiras». Gazeta Esportiva. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  156. a b c Daniel Batista (12 de novembro de 2013). «Filme que conta a história do goleiro Marcos é lançado em São Paulo». Exame. Consultado em 22 de agosto de 2022 
  157. Luiza Oliveira (28 de setembro de 2011). «Marcos abre clínica para recuperar atletas carentes; conheça as instalações». UOL. Consultado em 31 de maio de 2022 
  158. Fábio Finelli (3 de outubro de 2011). «Marcos inaugura clínica para recuperação de atletas e pacientes». Site oficial do Palmeiras. Consultado em 16 de janeiro de 2022 
  159. Bruno Ceccon (24 de outubro de 2017). «Marcos lança cerveja, brinca com vitória do Botafogo e apoia Valentim». Gazeta Esportiva. Consultado em 16 de janeiro de 2022 
  160. Mariana Maziero (31 de março de 2009). «A bonitona da Praça». Agora. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  161. a b Beting & Reis 2012, p. 83
  162. «São Marcos comemora dia dos pais cercado pelos três filhos». ge. 11 de agosto de 2013. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  163. «Marcos publica foto de filho: "agora é correr atrás para pagar as contas"». Terra. 13 de novembro de 2012. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  164. «Palmeiras vence o Santos e fica bem na briga pelo título». Cassilândia Notícias. 2 de novembro de 2008. Consultado em 16 de janeiro de 2022 
  165. Di Fiore & Di Fiore & Rosenthal 2013, 0:26:00–0:26:41.
  166. Campos Jr. 2011, p. 96.
  167. Di Fiore & Di Fiore & Rosenthal 2013, 0:03:26–0:03:46.
  168. «Torcedor homenageia Marcos e tatua defesa do pênalti contra o Sport». ge. 13 de janeiro de 2012. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  169. Felipe Zito (16 de julho de 2017). «Dono da camisa 12 do Palmeiras, Mayke dedica seu gol ao ex-goleiro Marcos». ge. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  170. «Ex-goleiro Marcos passa por cirurgia cardíaca em São Paulo». Gazeta Esportiva. 20 de julho de 2017. Consultado em 16 de janeiro de 2022 
  171. «Ex-goleiro Marcos recebe alta após cirurgia cardíaca bem-sucedida». Gazeta Esportiva. 27 de julho de 2017. Consultado em 16 de janeiro de 2022 
  172. Ver:
  173. Campos Jr. 2011, p. 113, 140–141, 146, 149, 174, 200–201, 205, 291, 297.
  174. Eduardo Knapp (6 de janeiro de 2003). «Marcos decreta seu cessar-fogo». Folha de S.Paulo. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  175. «Veja algumas das declarações polêmicas de Marcos durante sua carreira». UOL. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  176. Campos Jr. 2011, p. 125 e 134.
  177. «Marcos recorda Libertadores e provoca o Flamengo após revés contra o Santos: 'Estava ventando no Maracanã?'». Lance!. 7 de dezembro de 2021. Consultado em 25 de janeiro de 2022 
  178. «Marcos provoca Corinthians após vitória do Palmeiras e eliminação no Paulistão». Gazeta Esportiva. 16 de maio de 2021. Consultado em 31 de maio de 2022 
  179. Julinho Bittencourt (1 de julho de 2021). «Marcos, ex-goleiro do Palmeiras e bolsonarista, defende realização de Copa América no Brasil». Revista Fórum. Consultado em 5 de fevereiro de 2022 
  180. «Marcos critica partidos de esquerda: 'Defendem o trancamento de pobres para derrubar o presidente'». Jovem Pan. 18 de março de 2021. Consultado em 5 de fevereiro de 2022 
  181. «Marcos provoca no Instagram: 'Se veio falar mal do Bolsonaro, lugar errado'». UOL. 18 de junho de 2020. Consultado em 5 de fevereiro de 2022 
  182. «Ídolo do Palmeiras, Marcos questiona vacinação em crianças». Terra. 9 de janeiro de 2022. Consultado em 5 de fevereiro de 2022 
  183. «Marcos Estatísicas e Biografia». Verdazzo!. Consultado em 15 de janeiro de 2022 
  184. a b c d e «Galeria de Títulos - Palmeiras». Site oficial do Palmeiras. Consultado em 22 de fevereiro de 2022 
  185. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v Marinho & Natacci 2016, p. 81
  186. «Marcos é eleito 4º melhor goleiro do mundo». Terra. 14 de janeiro de 2003 
  187. «Artigo: Altos e baixos de 2003». Folha de S.Paulo. 22 de dezembro de 2003. Consultado em 10 de janeiro de 2022 
  188. «Festa inédita na capital do futebol mundial». PSDB. 3 de julho de 2002. Consultado em 16 de janeiro de 2022 
  189. «Hernanes fica com o Troféu Mesa Redonda de melhor jogador». iG. 9 de dezembro de 2008. Consultado em 18 de janeiro de 2022 
  190. «TV Gazeta revela os melhores do Brasileirão 2009». Gazeta Esportiva. Consultado em 17 de março de 2010 
  191. «Marcos é o 3º mais popular do mundo». Destak Jornal. Consultado em 2 de dezembro de 2008. Arquivado do original em 31 de maio de 2014 
  192. «Recordista no Palestra, Marcos recebe placa comemorativa». Gazeta Esportiva. Consultado em 12 de julho de 2010 
  193. «Presidente Dilma homenageia ex-goleiro Marcos com medalha». Estadão. 16 de março de 2012. Consultado em 18 de janeiro de 2022 
  194. «Ranking Brazil's 10 Best Goalkeepers of All Time» (em inglês). Bleacher Report. Consultado em 10 de janeiro de 2013 
  195. «No Dia do Goleiro, PLACAR escolhe os dez 'paredões' do futebol brasileiro». Placar. 26 de abril de 2014. Consultado em 24 de outubro de 2021 
  196. «Opinião ESPN: o Palmeiras dos sonhos e dos pesadelos». ESPN Brasil. 26 de agosto de 2014. Consultado em 24 de outubro de 2021 
  197. «Palmeiras eterniza São Marcos e inaugura busto no Palestra Italia». Mídia Palmeirense. Consultado em 6 de maio de 2016. Arquivado do original em 9 de junho de 2016 

BibliografiaEditar

Livros e revistasEditar

EntrevistasEditar

DocumentáriosEditar

  • Santo Marcos (em Português Brasileiro). Prime Video. 2013. Consultado em 20 de agosto de 2022 

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Marcos Roberto Silveira Reis
 
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Marcos Roberto Silveira Reis