Pedro Paulo Diniz

Pedro Paulo Diniz (São Paulo, 22 de maio de 1970) é empreendedor e dedica a sua vida a projetos que promovem impacto positivo do ponto de vista ambiental, social e econômico. É sócio-fundador da Fazenda da Toca, a maior produtora de ovos orgânicos da América Latina, e da Rizoma Agro, líder na produção de grãos e pecuária em sistemas regenerativos orgânicas no país.

Pedro Paulo Diniz
Nome completo Pedro Paulo Falleiros dos Santos Diniz
Nascimento 22 de maio de 1970 (51 anos)
São Paulo, SP
Nacionalidade brasileiro
Filho(a)(s) 3
Ocupação Empresário

É também fundador da PPD Holding, empresa de investimentos especializada em projetos que aliam regeneração do meio ambiente, responsabilidade social e retorno financeiro. Entre eles está o premiado restaurante Maní, de alimentação orgânica, e a Urban Remedy, especializada em produtos naturais e saudáveis.

Antes de iniciar a sua jornada na agricultura regenerativa orgânica, Pedro ficou conhecido mundialmente como piloto de Fórmula 1, categoria na qual atuou por cinco anos.

BiografiaEditar

Filho do empresário Abilio Diniz e Maria Aparecida Auriluce Falleiros, Pedro Paulo Diniz nasceu em 22 de maio de 1970. Coincidentemente, a data de seu aniversário cai no Dia Internacional da Biodiversidade, instituído pela ONU com o intuito de engajar a população de todo o mundo para a preservação dos ecossistemas naturais, tema a que Pedro dedica sua vida.

Durante uma boa parte de sua juventude (entre 1989 e 2000), viveu na Europa e se tornou internacionalmente conhecido nos circuitos do automobilismo, tendo competido por cinco anos na Fórmula 1. Hoje, em suas entrevistas, ele se refere a esse período como sua “vida pregressa” por guardar tão pouca relação com o campo e as atividades a que se dedica atualmente.

Em 2000, de volta ao Brasil, Pedro aprofundou a sua relação com a prática da Yoga, com a natureza e com a alimentação orgânica e saudável. Aí começa a sua transformação de vida, da elite do automobilismo para negócios de impacto ambiental e social positivo. Enquanto ainda nutria sua relação com as pistas ao organizar e dar o pontapé inicial ao campeonato Fórmula Renault (de 2000 a 2005) no Brasil, começou a enveredar para negócios sustentáveis.

De 2005 a 2010, foi conselheiro e presidente do Comitê de Sustentabilidade do Grupo Pão de Açúcar, fundado por sua família e que se tornou um dos maiores grupos empresariais do país. A partir daí, passou a canalizar a sua veia empreendedora para negócios de impacto até se tornar o maior investidor do mercado de orgânicos e do segmento de agricultura regenerativa no país.

Em 2008, fundou a Fazenda da Toca Orgânicos, que se consolidou como um polo de produção orgânica em larga escala. Lá fixou residência e morou por sete anos (2011 a 2018). Em 2018, retornou à capital paulista, onde criou sua mais nova empresa, a Rizoma Agro, dedicada ao desenvolvimento de modelos agrícolas regenerativos.

Além de comandar a PPD Holding, Pedro também é sócio e atua no conselho da Península Participações, Family Office fundada em 2006 para gerir os ativos da Família Diniz.

Paralelamente à sua vida empresarial, participa ativamente de diversas iniciativas, nacionais e globais, com o intuito de promover um modelo de desenvolvimento econômico regenerativo e sustentável. É conselheiro do Projeto Drawdown, que lançou no Brasil o livro Drawdown: 100 Iniciativas Poderosas para Resolver a Crise Climática. Foi também produtor-executivo do documentário Solo Fértil, lançado pela Netflix e produzido pela organização internacional Kiss the Ground, que tem como missão máxima a regeneração do solo. No Brasil, é também membro da Concertação pela Amazônia, voltado para o desenvolvimento sustentável da região amazônica.

Nos negóciosEditar

Em 2004, enquanto presidia o Comitê de Sustentabilidade do Grupo Pão de Açúcar, Pedro fundou a PPD Holding, sua empresa de investimentos. Sua primeira investida foi a Greentech, voltada ao desenvolvimento de tecnologias limpas e sustentáveis. Dois anos depois, em 2006, fundou o restaurante Maní ao lado da atriz Fernanda Lima, da chef Helena Rizzo e de Giovana Baggio.

Mas foi na propriedade pertencente à sua família desde 1970, que Pedro lançou-se em sua jornada pela agricultura regenerativa em larga escala ao fundar a Fazenda da Toca Orgânicos, em 2008. Localizada no município de Itirapina (SP), a fazenda de 2.300 hectares, que até então dedicava-se a atividades agropecuárias convencionais, foi inteiramente convertida para o modelo de produção orgânica e regenerativa.

Em 2018, para escalar os sistemas produtivos desenvolvidos na Toca, Pedro criou a Rizoma Agro, um spin-off que hoje opera na Fazenda da Toca e na Fazenda Takaoka, situada em Iaras (SP), na região de Avaré. Os principais negócios da PPD Holding, de Pedro Paulo Diniz, são

Fazenda da Toca Orgânicos: Fundada em 2008, a Fazenda da Toca consolidou-se como a maior produtora de ovos orgânicos da América Latina e um polo de produção orgânica em larga escala. Com um modelo de negócios baseado na geração de valor econômico e promoção de impacto ambiental e social positivo, a Toca mantém uma série de ações de regeneração e sustentabilidade. Foi reconhecida pelo Sistema B como Best for the World na categoria Environment, foi listada como Empresa Humanizada pelo Capitalismo Consciente e hoje mantém diversos programas ambientais e sociais. É a primeira empresa do setor avícola a aderir ao programa Carbon Free, zerando todas as suas emissões de carbono por meio de uma ampla ação de reflorestamento. É a primeira também em seu segmento a garantir a reciclagem de 100% de suas embalagens em parceria com a Eureciclo. A Toca é considerada por três anos consecutivos um excelente lugar para se trabalhar pelo Great Place to Work. E, na frente social, apoia e patrocina o Movimento Orgânico Solidário, que compra alimentos orgânicos direto de produtores, monta cestas e as distribui gratuitamente para famílias em situação de vulnerabilidade. [1]

Rizoma Agro: Empresa produtora, pesquisadora e desenvolvedora de tecnologia para a produção regenerativa orgânica. Fundada em 2018 já é a maior produtora de grãos e leguminosas regenerativas orgânicas do Brasil. Os sistemas de produção da Rizoma Agro são carbono negativo e incrementam matéria orgânica no solo. A empresa opera em duas áreas produtivas. Na Fazenda da Toca, gerencia os Sistemas Agroflorestais (SAFs) com foco em citricultura. Já na Fazenda Takaoka, conduz atividades de produção de grãos e leguminosas, como milho, soja, grão-de-bico e aveia. As últimas análises conduzidas em suas fazendas confirmaram que as lavouras são mais biodiversas e resilientes ao estresse hídrico quando comparadas às lavouras convencionais. Em termos de produtividade, os resultados da Rizoma Agro se mostram iguais ou superiores aos modelos convencionais. As operações da Rizoma Agro são certificadas orgânicas no mercado brasileiro e também nos mercados europeus e norte-americano. A empresa também possui a cetificação Certified Humane, de bem-estar animal, e é parte do Sistema B (um movimento global de companhias que buscam fomentar negócios com impacto positivo ambiental, social e econômico). [2]

O Maní: Restaurante contemporâneo e autoral da chef Helena Rizzo focado especialmente em ingredientes brasileiros e orgânicos. Sua história começa com a busca de Pedro Paulo Diniz e a atriz Fernanda Lima por uma alimentação orgânica e mais natural. No dia 3 de março de 2006 o Maní abria as portas com um ambiente contemporâneo e a busca pela simplicidade e aconchego. O grupo cresceu e hoje tem também a Casa Manioca (espaço de eventos), o Restaurante Manioca (no Shopping Iguatemi) e a Padoca do Maní (com uma matriz na Joaquim Antunes e uma filial no Shopping Iguatemi). Em 2013, após receber inúmeros prêmios nacionais e internacionais, o Maní passou a integrar o ranking anual The World’s 50 Best Restaurants, um dos maiores balizadores da gastronomia internacional –atualmente está na 73ª posição. Desde 2015, o restaurante tem uma estrela no guia Michelin. [3]


Urban Remedy: Empresa de bebidas e alimentos naturais e 100% plantbased, produz sucos, shakes e snacks feitos a partir de ingredientes comprados direto de produtores locais no Estado de São Paulo, ou provenientes de sua horta, em Tatuí (SP). A empresa foi fundada por Neka Pasquale, acupunturista licenciada, nutricionista certificada em medicina chinesa e herbalista, com a idéia de que uma dieta saudável traz saúde vibrante. [4]

Nos esportesEditar

Parte de uma família conhecida pelo gosto e dedicação aos esportes, Pedro Paulo Diniz também seguiu a mesma trilha. Surgiu como promessa para o automobilismo brasileiro na Fórmula 1 após a morte de Ayrton Senna, em 1994. Seu primeiro grande prêmio disputado foi o GP do Brasil em 1995 pela equipe Forti.

Sua melhor temporada ocorreu em 1988/1999 quando conquistou o 14° lugar obtendo três pontos. Correu pelas equipes Forti, Arrows e Sauber até encerrar a sua carreira no automobilismo em 2001. Todavia, não se afastou definitivamente da categoria, tornando-se sócio da escuderia Prost Grand Prix, criada pelo ex-piloto Alain Prost, que posteriormente foi à falência.

Voltando ao Brasil, depois de morar anos na Europa, em parceria com a Renault, organizou o campeonato de Fórmula Renault. Hoje longe dos circuitos do automobilismo, Pedro é um praticante de esportes, como ciclismo, e também de Ioga. [5]

Outras atividades profissionaisEditar

Além de empresário, Pedro Paulo Diniz mantém atividades voltadas à causa da regeneração ambiental, entre elas:

Project Drawdown – conselheiro da organização internacional sem fins lucrativos dedicada a propor soluções para reverter a crise climática. O termo Drawdown refere-se a um determinado ponto no futuro em que os níveis de gases de efeito estufa na atmosfera param de subir e passam a declinar constantemente. Pedro viabilizou a tradução e o lançamento no Brasil do livro Drawdown: 100 Iniciativas Poderosas para Resolver a Crise Climática. [6]


Kiss the Ground – conselheiro da organização sem fins lucrativos voltada a disseminar o conceito de agricultura regenerativa, preservação e regeneração do solo. Pedro foi produtor-executivo do filme Kiss the Ground (Solo Fértil no título em português) lançado pela Netflix em 2020. [7]


Concertação pela Amazônia – Iniciativa que reúne empresários e pesquisadores engajados em soluções para desenvolver a região sem derrubar a floresta. A aliança tem como temas centrais a regularização fundiária, bioeconomia e engajamento do setor privado. [8]



Referências

  Este artigo sobre automobilista é um esboço relacionado ao Projeto Automobilismo. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.