Abrir menu principal

A Temporada de Fórmula 1 de 2006 foi a 57° realizada pela FIA. Teve como campeão o espanhol Fernando Alonso, da Renault, sendo vice-campeão o alemão Michael Schumacher, da Ferrari. Foi a primeira temporada a legalizar somente a utilização de motores V8, limitados a 19000 rpm, abolindo qualquer outra configuração, com exceção da equipe Toro Rosso, que devido a questões financeiras para o projeto de um novo motor V8 e um consenso com todas as equipes, adotou a utilização da configuração V10,[1] limitada a 17000 rpm por toda a temporada, não sendo permitida pela FIA a mais nenhuma equipe utilizar. Nesta temporada o recordista Michael Schumacher se aposentou como piloto, vindo a retornar quatro anos depois à categoria, pela equipe Mercedes GP, para a temporada de 2010. A temporada marcou ainda a despedida da fornecedora de pneus Michelin da categoria.

A temporada foi marcada pela grande disputa entre Fernando Alonso, campeão em 2005, e Michael Schumacher, maior campeão de todos. A Ferrari, após um ano decepcionante em 2005, deu a volta por cima, fez um carro competitivo, também tendo uma ajuda do regulamento, que voltou a permitir trocas de pneus. A equipe italiana teve muitas dificuldades por conta disso. Na primeira etapa da temporada, no Bahrein, Schumacher marcou sua pole de número 65, se igualando a Ayrton Senna, que era o recordista. Porém, na corrida, Alonso levou a melhor na estratégia, deixando o alemão em segundo. Vale destacar a grande atuação de Kimi Raikkonen, que saiu em último e chegou em terceiro. Tudo parecia indicar que a disputa seria entre os 3. Porém, a McLaren não conseguiria acompanhar o ritmo das duas rivais. A etapa seguinte foi na Malásia e a vitória acabou com Giancarlo Fisichella, que venceu de ponta a ponta e dessa vez não foi ofuscado por Alonso. A Ferrari teve problemas nos treinos e Schumacher teve que fazer uma corrida de recuperação, chegando em sexto, atrás do companheiro Felipe Massa. Na etapa seguinte, na Austrália, Alonso voltou a vencer e como é tradição, a corrida em Melbourne foi bastante confusa, com vários acidentes. Dois deles proporcionaram o abandono de ambos os pilotos da Ferrari. Com isso, Alonso ficava tranquilo na liderança.

A Ferrari se recuperou correndo em casa, no GP de San Marino. Schumacher fez sua pole 66 e quebrou mais um recorde (que recentemente foi superado por Lewis Hamilton) e venceu a corrida, só não ocupando a liderança quando parou nos boxes. Alonso bem que tentou e perseguiu muito o alemão nas últimas voltas, mas Schumacher se defendeu muito bem e o circuito travado de Ímola, onde ultrapassagens ficaram quase impossíveis depois das reformas, também ajudou. A etapa seguinte foi o GP da Europa, e novamente Schumacher fez a alegria de sua torcida, dessa vez correndo em seu país, no circuito de Nurburgring. Alonso fez a pole, mas o alemão se fez valer de sua boa e velha estratégia nos boxes, vencendo a corrida. Vale destacar o primeiro pódio do brasileiro Felipe Massa, que foi terceiro, segurando a pressão de Raikkonen no fim. Nesse momento, Alonso tinha 44 pontos e Schumacher 31. A Renault 62 e a Ferrari 46.

A corrida seguinte foi o GP da Espanha e Alonso, depois de bater na trave em 2005, finalmente comemorou uma vitória diante de sua torcida, numa corrida bastante monótona, voltando a abrir vantagem para Schumacher, segundo colocado. A etapa seguinte foi em Mônaco e nos treinos teve uma polêmica com Schumacher: o alemão tinha a pole, mas bateu o carro na Rascasse, impossibilitando os demais de bater seu tempo. Como resultado, foi punido e largou em último. Alonso largou na pole e venceu a corrida, seguido de Montoya e Coulthard, que conquistava o primeiro pódio da RBR. Schumacher fez uma boa corrida de recuperação, chegando em quinto, pressionando seu ex companheiro Rubens Barrichello no fim. As duas etapas seguintes não tiveram muitas emoções e Alonso venceu com facilidade na Grã Bretanha e no Canadá, com o alemão em segundo nas duas corridas. Alonso chegava a 84 pontos e Schumacher a 59, dando a impressão de que conquistaria o bicampeonato facilmente.

Porém, no GP dos EUA, começaria a reação do alemão, que fez a pole em Indianápolis. A corrida foi bastante confusa, com um acidente envolvendo 7 carros na largada, causado por Montoya, que tirou também seu companheiro Kimi Raikkonen da corrida. O acidente causou a demissão do colombiano. Lá na frente, um passeio da Ferrari, com vitória de Schumacher e Felipe Massa completando a dobradinha. Alonso chegou apenas em quinto, chegando a 88 pontos, contra 69 do alemão. A Renault tinha 131 pontos e a Ferrari 105. A corrida seguinte foi na França e Schumacher manteve sua reação, vencendo pela oitava vez em Magny Cours, um recorde absoluto. Felipe Massa, dessa vez, não conseguiu tirar pontos de Alonso, que chegou em segundo, entre os carros da Ferrari. Ainda tinha uma boa vantagem, de 96 a 79, mas a Ferrari se aproximou muito da Renault, com 121 pontos, enquanto os azuis tinham 142. No GP da Alemanha, a pole ficou com o finlandês Kimi Raikkonen, mas ele foi superado facilmente pela dupla da Ferrari nos boxes. Schumacher venceu diante da torcida e Felipe completou a dobradinha, colado no alemão. A Renault teve um péssimo rendimento, com Alonso em quinto e Fisichella em sexto. A partir desse momento, pela primeira vez no ano, de acordo com ele mesmo, Alonso estava preocupado. Tinha 100 pontos e Schumacher 89. A Renault tinha 149, 10 a mais que a Ferrari.

Porém, o GP da Hungria acabou sendo atípico, pois pela primeira vez na história chovia no dia da corrida em Hungaroring. Além disso, os protagonistas largavam atrás e acabaram errando: Alonso arrancou na hora errada no pit stop e perdeu a roda. Tudo indicava que Schumacher iria se dar dar bem, pois estava em segundo, mas errou, teve sua suspensão quebrada e se arrastou no fim, ficando em oitavo. Lá na frente, Jenson Button surpreendeu, largou em décimo quarto e venceu sua primeira em 113 corridas. Com os erros dos protagonistas, a corrida acabou quase não alterando a situação no campeonato. No GP da Turquia, Felipe Massa marcou a sua primeira pole, com Schumacher em segundo e Alonso em terceiro. O planejamento da Ferrari era que o alemão passasse Felipe no primeiro pit stop, mas o italiano Vitantonio Liuzzi rodou e ficou atravessado na pista, provocando um carro de segurança, fazendo com que todos os pilotos parassem na mesma volta. Schumacher teve de esperar o pit stop do companheiro até ser atendido e quem agradeceu foi Alonso, que voltou na frente do alemão. Felipe Massa conquistou sua primeira vitória e Schummy foi pra cima do alemão com todas as forças, chegando a ultrapassar e escapar. Não era o dia do alemão. Apesar do resultado ruim para o campeonato (Alonso tinha 108 pontos e Schumacher 96), a primeira vitória do brasileiro foi muito festejada e o resultado foi muito bom para o campeonato de construtores, pois a equipe italiana tinha 158 pontos, dois a menos que a rival.

A etapa seguinte foi o GP de Itália e a torcida ferrarista, como sempre, lotou o autódromo de Monza, ainda mais pelo fato de que o futuro de Schumacher seria definido ali. No Sábado, Kimi Raikkonen fez a pole, mas Schumacher não teve problemas para superá-lo e vencer a corrida, com o finlandês em segundo e um surpreendente Robert Kubica, que disputava sua terceira corrida, completando o pódio. Fernando Alonso estava em terceiro quando seu motor quebrou, ficando estagnado nos 108 pontos, enquanto Schumacher encostava de vez, com 106. Para completar o delírio dos italianos, a Ferrari tomou a dianteira nos construtores, com 168 a 165. Na coletiva após a cerimônia do pódio, o alemão anunciou o que todos já esperavam: que iria se aposentar no final daquele ano. A etapa seguinte, na China, parecia ser favorável á Renault. que colocou seus dois carros na primeira fila, com Alonso na pole. Schumacher era apenas o sexto. Mas o alemão tirou um coelho da cartola, deu um show de ultrapassagens e venceu a corrida, seguido de Alonso e Fisichella. Os dois estavam empatados em 116 pontos, com vantagem do alemão pelo número de vitórias (7 a 6). Por ter colocado seus dois pilotos no pódio, aliado ao abandono de Massa, a Renault retomou a ponta nos construtores, com 179 a 178. No Gp do Japão, a Ferrari dominou o treino em Suzuka, com Felipe Massa marcando a pole. A equipe fez a "mágica" para Schummy assumir a liderança. O alemão caminhava para uma tranquila vitória, mas o motor Ferrari deixou ele na mão, o que não acontecia havia 6 anos. O Caminho ficou livre para a vitória de Fernando Alonso, que abriu 10 pontos de vantagem, praticamente ganhando o título. A Renault chegou a 195 pontos, contra 186 da Ferrari.

A equipe Ferrari estava totalmente desolada em Suzuka, mas chegou em Interlagos, na etapa final, com Schumacher querendo uma despedida digna e Felipe Massa querendo vencer em casa. O título de pilotos era praticamente impossível, pois Schumacher precisava da vitória, torcendo para que Alonso não pontuasse. Para piorar, o alemão teve problemas no treino, largando em décimo, já descartando suas chances de título. Felipe marcou a pole. Na corrida, Felipe Massa não deu chances para ninguém, só deixando de ocupar a liderança em duas voltas. Chegou 18 segundos na frente de Fernando Alonso, que foi o segundo e comemorou o bi no pódio. Ele quebrava o recorde do próprio Schumacher: era o bicampeão mais jovem da história, feito que seria superado por Sebastian Vettel em 2011. Schumacher deu um show na despedida. Ovacionado pela torcida no fim de semana inteiro, recebeu um troféu de Pelé antes da corrida. Nas primeiras voltas, ultrapassou Nick Heidfeldt, Robert Kubica, o irmão Ralf, Rubinho e Fisichella. Porém, esse último tocou levemente seu pneu com a asa dianteira, fazendo Schumacher ter que parar e cair para último. Mas o alemão deu um show: fez voltas rápidas em sequência, inclusive a melhor da prova, deu novo show de ultrapassagens, a mais emblemática no final, sobre Kimi Raikkonen, e chegou em quarto. No fim das contas, um final feliz para os 3 protagonistas: Fernando Alonso bicampeão, Felipe Massa conquistando a primeira vitória brasileira em casa desde Ayrton Senna em 1993 e Michael Schumacher encerrando sua brilhante carreira com uma grande corrida. Depois o alemão ainda voltaria, pilotando a Mercedes entre 2010 e 2012, mas sem grandes resultados.

Para os brasileiros, uma grande temporada para Felipe Massa e uma frustrante para Rubinho. Massa cresceu na equipe Ferrari ao longo do ano, venceu duas corridas, fez 3 poles e deu uma alegria ao torcedor brasileiro. Foi terceiro no mundial, com 80 pontos. Já Rubens Barrichello, após 6 temporadas na Ferrari, estreava pela Honda, mas não foi ao pódio, teve dificuldades para se adaptar e viu Jenson Button dar a primeira vitória á equipe na Hungria. Marcou 30 pontos, ficando numa discreta sétima colocação.

Índice

Pré-temporadaEditar

O Calendário foi inicialmente anunciado como o mesmo que em 2005, com o GP da Bélgica, marcado para o dia 17 de setembro. No entanto, em 8 de fevereiro, a FIA anunciou que a RACB estava retirando Spa Francorchamps do Calendário de 2006 da Fórmula 1 devido à falta de tempo para concluir as melhorias para a pista. A tradicional corrida recebeu forte apoio dos pilotos e do presidente da FIA Max Mosley e teve a sua volta em 2007.

2006 foi a última temporada com dois fabricantes de Pneus (Bridgestone e Michelin). Em Dezembro de 2005, a FIA anunciou que a partir da Temporada de 2008, haveria apenas um fornecedor de pneus. Cinco dias depois, a Michelin anunciou que iria parar de fornecer pneus para a Fórmula 1 no fim da temporada de 2006, pois não queria estar na Fórmula 1 como única fonecedora de pneus.

No fim de 2005, três equipes foram compradas: Minardi, Sauber Petronas e Jordan. A Minardi foi comprada pela Red Bull, tornando-se Toro Rosso, Red Bull em italiano. A equipe Sauber foi vendida para o grupo BMW. A Jordan, que havia sido comprada pelo Grupo Midland em 2004, mudou seu nome para MF1 Racing após um ano de transição em 2005.

Em 2006, houve também a introdução de uma nova equipe Japonesa: A Super Aguri Honda, fundada pelo ex-piloto de Fórmula 1 Aguri Suzuki, que entrou de última hora. A Super Aguri Honda notificou à FIA em 1 de Novembro de 2005 (antes do prazo de 15 de novembro) sua intenção de entrar como equipe em 2006, mas a lista inicial de entrada da FIA declarou que não havia aprovado a entrada da mesma. No entanto, a equipe recebeu a permissão das dez equipes existentes para competir e pagou aos EUA US$ 48 milhões (48 milhões de dólares) exigidos como depósito. A equipe foi confirmada pela FIA em 26 de janeiro de 2006.


Pilotos e construtoresEditar

Os três primeiros colocados da temporada de 2006:

Campeão Vice-campeão 3º Lugar
     
  Fernando Alonso   Michael Schumacher   Felipe Massa
  Renault   Ferrari   Ferrari
Equipe Construtor Chassis Motor Pneu Piloto Corridas
Disputadas
Piloto Reserva
  Mild Seven Renault F1 Team Renault R26 Renault RS26 2.4 V8 M 1   Fernando Alonso Todas -   Jonathan Cochet
  Heikki Kovalainen
  José María López
  Nelson Piquet Jr.
2   Giancarlo Fisichella Todas
  Team McLaren Mercedes McLaren MP4-21 Mercedes FO 108S 2.4 V8 M 3   Kimi Räikkönen Todas -   Pedro de la Rosa
  Gary Paffett
  Lewis Hamilton
4   Juan Pablo Montoya 1-10
  Pedro de la Rosa 11-18
  Scuderia Ferrari Marlboro Ferrari 248 F1 Ferrari 056 2.4 V8 B 5   Michael Schumacher Todas -   Luca Badoer
  Marc Gené
6   Felipe Massa Todas
  Panasonic Toyota Racing Toyota TF106 Toyota RVX-06 2.4 V8 B 7   Ralf Schumacher Todas -   Olivier Panis
  Andy Soucek
  Ricardo Zonta
8   Jarno Trulli Todas
  Williams F1 Team Williams FW28 Cosworth CA2006 2.4 V8 B 9   Mark Webber Todas 35   Alexander Wurz
  Narain Karthikeyan
10   Nico Rosberg Todas
  Lucky Strike Honda Racing F1 Team Honda RA106 Honda RA806E 2.4 V8 M 11   Rubens Barrichello Todas 36   Anthony Davidson
  James Rossiter
  Marco Andretti
12   Jenson Button Todas
  Red Bull Racing Red Bull RB2 Ferrari 056 2.4 V8 M 14   David Coulthard Todas 37   Robert Doornbos
  Michael Ammermüller
15   Christian Klien 1-15
  Robert Doornbos 16-18
  BMW Sauber F1 Team BMW F1.06 BMW P86 2.4 V8 M 16   Nick Heidfeld Todas 38   Robert Kubica
  Sebastian Vettel
17   Jacques Villeneuve 1-12
  Robert Kubica 13-18
  Midland F1 Racing
  Spyker MF1 Racing
Midland
Spyker
M16 Toyota RVX-06 2.4 V8 B 18   Tiago Monteiro Todas 39   Markus Winkelhock
  Giorgio Mondini
  Adrian Sutil
  Alexandre Prémat
  Ernesto Viso
19   Christijan Albers Todas
  Scuderia Toro Rosso Toro Rosso STR01 Cosworth TJ2006 3.0 V101[1] M 20   Vitantonio Liuzzi Todas 40   Neel Jani
21   Scott Speed Todas
  Super Aguri F1 Team Super Aguri SA05
SA06
Honda RA806E 2.4 V8 B 22   Takuma Sato Todas 41   Franck Montagny
  Sakon Yamamoto
23   Yuji Ide 1-4
  Franck Montagny 5-11
  Sakon Yamamoto 12-18

Renault: campeã em 2005, a equipe manteve Fernando Alonso e Giancarlo Fisichella, visando conquistar o bicampeonato entre pilotos e construtores.

Mclaren: Depois de ver o domínio da Ferrari, a equipe teve problemas de motor e perdeu a chance de retomar a hegemonia em 2005, mas para 2006 prometia lutar novamente pelo título, equipada pelos motores Mercedes e com a sua dupla de pilotos mantida: Kimi Raikkonen e Juan Pablo Montoya.

Ferrari: Dominante no começo do século, a equipe decepcionou e perdeu a hegemonia em 2005. Para 2006, apostava na mudança de regulamento, que voltou a permitir trocas de pneus, além de apresentar um novo piloto para ser companheiro de Schumacher: o brasileiro Felipe Massa, vindo da Sauber para substituir o compatriota Rubens Barrichello.

Toyota: Surpreendeu com o quarto lugar em 2005, almejando lutar por vitórias em 2006. Manteve Ralf Schumacher e Jarno Trulli como seus pilotos.

Williams: A equipe começou "do zero" em 2006. Depois de um 2005, modesto, sem vitórias, a equipe se separou da BMW, assinando com a Cossworth para 2006, ou seja, sem grandes expectativas. O australiano Mark Webber permaneceu na equipe e o alemão Nico Rosberg, campeão da GP 2, assumiu a vaga de Nick Heidfeld, cercado de expectativas.

Honda: A montadora comprou o espólio da BAR, para quem forneceu motores entre 1999 e 2005. Jenson Button seguiu na equipe e Rubens Barrichello, insatisfeito na Ferrari, chegou para ocupar o lugar de Takuma Sato. Eram grandes as expectativas em torno da nova equipe.

Red Bull: Depois de uma boa estreia em 2005, a equipe ampliou suas ambições: trocou os motores Cosworth pelos Ferrari, além de criar um time B, mantendo seus dois pilotos: David Coulthard e Chistian Klein.

BMW Sauber: A montadora alemã, depois do fim da parceria com a Williams, comprou a equipe Sauber, mas mantendo o nome e Peter Sauber como chefe. O alemão Nick Heidfeld deixou a Williams para pilotar a nova equipe, ao lado de Jacques Villeneuve, que já havia pilotado a Sauber em 2005.

Midland: Equipe que surgiu com a compra da Jordan por investidores russos, mantendo Tiago Monteiro na equipe e trazendo Christijan Albers, que havia pilotado a Minardi no ano anterior.

Toro Rosso: A Red Bull comprou a Minardi, montando um time B e passando a realizar um programa de desenvolvimento de jovens pilotos. Para 2006, contou com o italiano Vitantonio Liuzzi,, que pilotou a Red Bull em 2005 em algumas provas, e Scott Speed, norte americano, que era egresso da GP2.

Super Aguri: A equipe foi criada para ser um time B da Honda, chefiada pelo ex piloto Aguri Suzuki. Teria uma dupla de japoneses: o já experiente Takuma Sato, que liderava o time após uma temporada decepcionante na BAR e o novato Yuji Ide.

↑1 Limitação de giro[1]

Trocas de pilotosEditar

Mudanças de Pilotos durante a temporada.

Piloto Equipe Posição Inicial Posição Final
  Montoya   McLaren-Mercedes Segundo Piloto Desempregado
  De La Rosa   McLaren-Mercedes Piloto de Testes Segundo Piloto
  Klien   Red Bull-Ferrari Segundo Piloto Desempregado
  Doornbos   Red Bull-Ferrari Terceiro Piloto Segundo Piloto
  Villeneuve   BMW Sauber Segundo Piloto Desempregado
  Kubica   BMW Sauber Terceiro Piloto Segundo Piloto
  Ide   Super Aguri-Honda Segundo Piloto Desempregado
  Montagny   Super Aguri-Honda Terceiro Piloto Segundo Piloto
  Yamamoto   Super Aguri-Honda Terceiro Piloto Segundo Piloto
  Montagny   Super Aguri-Honda Segundo Piloto Terceiro Piloto

Trocas de equipesEditar

A MF1 Racing foi comprada pela empresa automobilística holandesa Spyker.

Equipe GP Inicial GP Final
  MF1 Racing   Grande Prêmio de Bahrain   Grande Prêmio da Turquia
  Spyker F1   Grande Prêmio da Itália   Grande Prêmio do Brasil

CalendárioEditar

Foram disputadas um total de 18 corridas. O Grande Prêmio da Austrália foi realizado mais tarde do que o habitual, para evitar um confronto com os Jogos da Commonwealth de 2006. Pela primeira vez, o Bahrein sediou o primeiro Grand Prix. O Brasil sediou a última corrida, enquanto o Japão e a China trocaram suas datas originais.

Em relação a temporada 2005, a FIA anunciou que o Grande Prêmio da Bélgica foi retirado do calendário, por conta das reformas que estavam sendo realizadas no Circuito de Spa-Francorchamps durante esse período.

GP Título Oficial do GP de FORMULA 1 Grande Prêmio Circuito Local Data Hora
Local Brasília
1   Gulf Air Bahrain Grand Prix GP de Bahrain Bahrain International Circuit Manama 12 de março 14:30 08:30
2   Petronas Malaysian Grand Prix GP da Malásia Sepang International Circuit Kuala Lumpur 19 de março 15:00 04:00
3   Foster's Australian Grand Prix GP da Austrália Melbourne Grand Prix Circuit Melbourne 2 de abril 14:00 01:00
4   Gran Premio Foster's di San Marino GP de San Marino Autodromo Enzo e Dino Ferrari Ímola 23 de abril 14:00 09:00
5   European Grand Prix GP da Europa Nürburgring Nürburg 7 de maio 14:00 09:00
6   Gran Premio Telefónica de España GP da Espanha Circuit de Catalunya Barcelona 14 de maio 14:00 09:00
7   Grand Prix de Monaco GP de Mônaco Circuit de Monaco Monte-Carlo 28 de maio 14:00 09:00
8   Foster's British Grand Prix GP da Grã-Bretanha Silverstone Circuit Silverstone 11 de junho 13:00 08:00
9   Grand Prix du Canada GP do Canadá Circuit Gilles Villeneuve Montreal 25 de junho 13:00 14:00
10   United States Grand Prix GP dos EUA Indianapolis Motor Speedway Indianapolis 2 de julho 14:00 15:00
11   Grand Prix de France GP da França Circuit de Nevers Magny-Cours Magny Cours 16 de julho 14:00 09:00
12   Großer Mobil 1 Preis von Deutschland GP da Alemanha Hockenheimring Hockenheim 30 de julho 14:00 09:00
13   Magyar Nagydij GP da Hungria Hungaroring Budapeste 6 de agosto 14:00 09:00
14   Petrol Ofisi Turkish Grand Prix GP da Turquia Istanbul Park Istambul 27 de agosto 15:00 09:00
15   Gran Premio Vodafone d'Italia GP da Itália Autodromo Nazionale Monza Monza 10 de setembro 14:00 09:00
16   Sinopec Chinese Grand Prix GP da China Shanghai International Circuit Shangai 1 de outubro 14:00 03:00
17   Fuji Television Japanese Grand Prix GP do Japão Suzuka Circuit Suzuka 8 de outubro 14:00 02:00
18   Grande Prêmio do Brasil GP do Brasil Autódromo de Interlagos São Paulo 22 de outubro 14:00 14:00

ResultadosEditar

Grandes PrêmiosEditar

GP Grande Prê(é)mio Pole Position Volta mais rápida Vencedor Equipe(a) Descrição
1   GP do Bahrain   Michael Schumacher   Nico Rosberg   Fernando Alonso   Renault descrição
2   GP da Malásia   Giancarlo Fisichella   Fernando Alonso   Giancarlo Fisichella   Renault descrição
3   GP da Austrália   Jenson Button   Kimi Raikkonen   Fernando Alonso   Renault descrição
4   GP de San Marino   Michael Schumacher   Fernando Alonso   Michael Schumacher   Ferrari descrição
5   GP da Europa   Fernando Alonso   Michael Schumacher   Michael Schumacher   Ferrari descrição
6   GP da Espanha   Fernando Alonso   Felipe Massa   Fernando Alonso   Renault descrição
7   GP de Mônaco   Fernando Alonso   Michael Schumacher   Fernando Alonso   Renault descrição
8   GP da Grã-Bretanha   Fernando Alonso   Fernando Alonso   Fernando Alonso   Renault descrição
9   GP do Canadá   Fernando Alonso   Kimi Raikkonen   Fernando Alonso   Renault descrição
10   GP dos EUA   Michael Schumacher   Michael Schumacher   Michael Schumacher   Ferrari descrição
11   GP da França   Michael Schumacher   Michael Schumacher   Michael Schumacher   Ferrari descrição
12   GP da Alemanha   Kimi Raikkonen   Michael Schumacher   Michael Schumacher   Ferrari descrição
13   GP da Hungria   Kimi Raikkonen   Felipe Massa   Jenson Button   Honda descrição
14   GP da Turquia   Felipe Massa   Michael Schumacher   Felipe Massa   Ferrari descrição
15   GP da Itália   Kimi Raikkonen   Kimi Raikkonen   Michael Schumacher   Ferrari descrição
16   GP da China   Fernando Alonso   Fernando Alonso   Michael Schumacher   Ferrari descrição
17   GP do Japão   Felipe Massa   Fernando Alonso   Fernando Alonso   Renault descrição
18   GP do Brasil   Felipe Massa   Michael Schumacher   Felipe Massa   Ferrari descrição

Campeonato de PilotosEditar

Pos Piloto BHR   MYS   AUS   SMR   EUR   SPA   MÔN   GBR   CAN   EUA   FRA   GER   HUN   TUR   ITA   CHN   JAP   BRA   Pts
1   Fernando Alonso 1 2 1 2 2 1 1 1 1 5 2 5 Ret 2 Ret 2 1 2 134
2   Michael Schumacher 2 6 Ret 1 1 2 5 2 2 1 1 1 8 3 1 1 Ret 4 121
3   Felipe Massa 9 5 Ret 4 3 4 9 5 5 2 3 2 7 1 9 Ret 2 1 80
4   Giancarlo Fisichella Ret 1 5 8 6 3 6 4 4 3 6 6 Ret 6 4 3 3 6 72
5   Kimi Räikkönen 3 Ret 2 5 4 5 Ret 3 3 Ret 5 3 Ret Ret 2 Ret 5 5 65
6   Jenson Button 4 3 10 7 Ret 6 11 Ret 9 Ret Ret 4 1 4 5 4 4 3 56
7   Rubens Barrichello 15 10 7 10 5 7 4 10 Ret 6 Ret Ret 4 8 6 6 12 7 30
8   Juan Pablo Montoya 5 4 Ret 3 Ret Ret 2 6 Ret Ret NP NP NP NP NP NP NP NP 26
9   Nick Heidfeld 12 Ret 4 13 10 8 7 7 7 Ret 8 Ret 3 14 8 7 8 17* 23
10   Ralf Schumacher 14 8 3 9 Ret Ret 8 Ret Ret Ret 4 9 6 7 15 Ret 7 Ret 20
11   Pedro de la Rosa NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP 7 Ret 2 5 Ret 5 11 8 19
12   Jarno Trulli 16 9 Ret Ret 9 10 17* 11 6 4 Ret 7 12* 9 7 Ret 6 Ret 15
13   David Coulthard 10 Ret 8 Ret Ret 14 3 12 8 7 9 11 5 15* 12 9 Ret Ret 14
14   Mark Webber 6 Ret Ret 6 Ret 9 Ret Ret 12 Ret Ret Ret Ret 10 10 8 Ret Ret 7
15   Jacques Villeneuve Ret 7 6 12 8 12 14 8 Ret Ret 11 Ret Les NP NP NP NP NP 7
16   Robert Kubica NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP DSQ 12 3 13 9 9 6
17   Nico Rosberg 7 Ret Ret 11 7 11 Ret 9 Ret 9 14 Ret Ret Ret Ret 11 10 Ret 4
18   Christian Klien 8 Ret Ret Ret Ret 13 Ret 14 11 Ret 12 8 Ret 11 11 NP NP NP 2
19   Vitantonio Liuzzi 11 11 Ret 14 Ret 15* 10 13 13 8 13 10 Ret Ret 14 10 14 13 1
20   Scott Speed 13 Ret 9 15 11 Ret 13 Ret 10 Ret 10 12 11 13 13 14 18* 11 0
21   Tiago Monteiro 17 13 Ret 16 12 16 15 16 14 Ret Ret DSQ 9 Ret Ret Ret 16 15 0
22   Christijan Albers Ret 12 11 Ret 13 Ret 12 15 Ret Ret 15 DSQ 10 Ret 17 15 Ret 14 0
23   Takuma Sato 18 14 12 Ret Ret 17 Ret 17 15* Ret Ret Ret 13 NC 16 DSQ 15 10 0
24   Robert Doornbos NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP 12 13 12 0
25   Yuji Ide Ret Ret 13 Ret NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP 0
26   Sakon Yamamoto NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP Ret Ret Ret Ret 16 17 16 0
27   Franck Montagny NP NP NP NP Ret Ret 16 18 Ret Ret 16 NP NP NP NP NP NP NP 0
Pos Piloto BHR   MYS   AUS   SMR   EUR   SPA   MÔN   GBR   CAN   EUA   FRA   GER   HUN   TUR   ITA   CHN   JAP   BRA   Pts
Cor Resultado
Ouro Vencedor
Prata 2.º lugar
Bronze 3.º lugar
Verde Terminou, nos pontos
Azul Terminou, sem pontos
Púrpura Retirou-se
(Ret)
Vermelho Não qualificado
(NQ)
Preto Desqualificado
(DSQ)
Branco Não largou
(NL)
Azul claro Apenas Treino (AT)
Sem cor Não participou
(NP)
Lesionado
(Les)
Excluído
(EX)

Negrito – Pole position
Itálico – Volta mais rápida

  • Em negrito indica pole position e itálico volta mais rápida.
Pos Piloto Construtor(es) Largadas Vitórias Pódiums Poles Voltas Rápidas Pontos
1   Fernando Alonso   Renault 18 7 14 6 5 134
2   Michael Schumacher   Ferrari 18 7 12 4 7 121
3   Felipe Massa   Ferrari 18 2 7 3 2 80
4   Giancarlo Fisichella   Renault 18 1 5 1 0 72
5   Kimi Räikkönen   McLaren-Mercedes 18 0 6 3 3 65
6   Jenson Button   Honda 18 1 3 1 0 56
7   Rubens Barrichello   Honda 18 0 0 0 0 30
8   Juan Pablo Montoya   McLaren-Mercedes 10 0 2 0 0 26
9   Nick Heidfeld   Sauber BMW 18 0 1 0 0 23
10   Ralf Schumacher   Toyota 18 0 1 0 0 20
11   Pedro de la Rosa   McLaren-Mercedes 8 0 1 0 0 19
12   Jarno Trulli   Toyota 18 0 0 0 0 15
13   David Coulthard   Red Bull-Ferrari 18 0 1 0 0 14
14   Mark Webber   Williams-Cosworth 18 0 0 0 0 7
15   Jacques Villeneuve   BMW Sauber 12 0 0 0 0 7
16   Robert Kubica   BMW Sauber 6 0 1 0 0 6
17   Nico Rosberg   Williams-Cosworth 18 0 0 0 1 4
18   Christian Klien   Red Bull-Ferrari 15 0 0 0 0 2
19   Vitantonio Liuzzi   Toro Rosso-Cosworth 18 0 0 0 0 1
20   Scott Speed   Toro Rosso-Cosworth 18 0 0 0 0 0
21   Tiago Monteiro   MF1-Toyota 18 0 0 0 0 0
22   Christijan Albers   MF1-Toyota 18 0 0 0 0 0
23   Takuma Sato   Super Aguri-Honda 18 0 0 0 0 0
24   Robert Doornbos   Red Bull-Ferrari 3 0 0 0 0 0
25   Yuji Ide   Super Aguri-Honda 4 0 0 0 0 0
26   Sakon Yamamoto   Super Aguri-Honda 7 0 0 0 0 0
27   Franck Montagny   Super Aguri-Honda 7 0 0 0 0 0

ConstrutoresEditar

Pos Construtor Carro
no.
BHR   MYS   AUS   SMR   EUR   SPA   MÔN   GBR   CAN   EUA   FRA   GER   HUN   TUR   ITA   CHN   JAP   BRA   Pontos
1   Renault 1 1 2 1 2 2 1 1 1 1 5 2 5 Ret 2 Ret 2 1 2 206
2 Ret 1 5 8 6 3 6 4 4 3 6 6 Ret 6 4 3 3 6
2   Ferrari 5 2 6 Ret 1 1 2 5 2 2 1 1 1 8 3 1 1 Ret 4 201
6 9 5 Ret 4 3 4 9 5 5 2 3 2 7 1 9 Ret 2 1
3   McLaren-Mercedes 3 3 Ret 2 5 4 5 Ret 3 3 Ret 5 3 Ret Ret 2 Ret 5 5 110
4 5 4 Ret 3 Ret Ret 2 6 Ret Ret 7 Ret 2 5 Ret 5 11 8
4   Honda 11 15 10 7 10 5 7 4 10 Ret 6 Ret Ret 4 8 6 6 12 7 86
12 4 3 10 7 Ret 6 11 Ret 9 Ret Ret 4 1 4 5 4 4 3
5   BMW Sauber 16 12 Ret 4 13 10 8 7 7 7 Ret 8 Ret 3 14 8 7 8 17* 36
17 Ret 7 6 12 8 12 14 8 Ret Ret 11 Ret DSQ 12 3 13 9 9
6   Toyota 7 14 8 3 9 Ret Ret 8 Ret Ret Ret 4 9 6 7 15 Ret 7 Ret 35
8 16 9 Ret Ret 9 10 17* 11 6 4 Ret 7 12* 9 7 Ret 6 Ret
7   Red Bull-Ferrari 14 10 Ret 8 Ret Ret 14 3 12 8 7 9 11 5 15* 12 9 Ret Ret 16
15 8 Ret Ret Ret Ret 13 Ret 14 11 Ret 12 8 Ret 11 11 12 13 12
8   Williams-Cosworth 9 6 Ret Ret 6 Ret 9 Ret Ret 12 Ret Ret Ret Ret 10 10 8 Ret Ret 11
10 7 Ret Ret 11 7 11 Ret 9 Ret 9 14 Ret Ret Ret Ret 11 10 Ret
9   Toro Rosso-Cosworth 20 11 11 Ret 14 Ret 15* 10 13 13 8 13 10 Ret Ret 14 10 14 13 1
21 13 Ret 9 15 11 Ret 13 Ret 10 Ret 10 12 11 13 13 14 18* 11
10   MF1-Toyota 18 17 13 Ret 16 12 16 15 16 14 Ret Ret DSQ 9 Ret Ret Ret 16 15 0
19 ° Ret 12 11 Ret 13 Ret 12 15 Ret Ret 15 DSQ 10 Ret 17 15 Ret 14
11   Super Aguri-Honda 22 18 14 12 Ret Ret 17 Ret 17 15* Ret Ret Ret 13 NC 16 DSQ 15 10 0
23 Ret Ret 13 Ret Ret Ret 16 18 Ret Ret 16 Ret Ret Ret Ret 16 17 16
Pos Construtor Carro
no.
BHR   MYS   AUS   SMR   EUR   ESP   MÔN   GBR   CAN   EUA   FRA   ALE   HUN   TUR   ITA   CHN   JAP   BRA   Pontos
Cor Resultado
Ouro Vencedor
Prata 2.º lugar
Bronze 3.º lugar
Verde Terminou, nos pontos
Azul Terminou, sem pontos
Púrpura Retirou-se
(Ret)
Vermelho Não qualificado
(NQ)
Preto Desqualificado
(DSQ)
Branco Não largou
(NL)
Azul claro Apenas Treino (AT)
Sem cor Não participou
(NP)
Lesionado
(Les)
Excluído
(EX)

Negrito – Pole position
Itálico – Volta mais rápida

Pos Construtor Chassi Motor Pneu Pontos Largadas Vitórias Pódiums Poles V. Rápidas
1   Renault R26 Renault RS26 V8 M 206 18 8 19 7 5
2   Ferrari 248 F1 Ferrari 056 V8 B 201 18 9 19 7 9
3   McLaren MP4-21 Mercedes FO 108S V8 M 110 18 0 9 3 3
4   Honda RA106 Honda RA806E V8 M 86 18 1 3 1 0
5   BMW Sauber F1.06 BMW P86 V8 M 36 18 0 2 0 0
6   Toyota TF106
TF106B
Toyota RVX-06 V8 B 35 18 0 1 0 0
7   Red Bull RB2 Ferrari 056 V8 M 16 18 0 1 0 0
8   Williams FW28 Cosworth CA2006 V8 B 11 18 0 0 0 1
9   Toro Rosso STR01 Cosworth TJ2006 V10[1] M 1 18 0 0 0 0
10   Midland F1 M16 Toyota RVX-06 V8 B 0 18 0 0 0 0
11   Super Aguri SA05
SA06
Honda RA806E V8 B 0 18 0 0 0 0

Referências

  1. a b c d «Único carro com motor V10 na F-1 2006 estreia na pista». UOL. Consultado em 9 de fevereiro de 2006 
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Temporada de Fórmula 1 de 2006