Abrir menu principal

Wikipédia β

Piadas recorrentes em The Simpsons

Há varias piadas recorrentes no programa de televisão norte-americano The Simpsons. A maioria das cenas se refere a itens culturais que cobrem um amplo espectro da sociedade, de forma que telespectadores de várias idades possam apreciar o programa.[1] Tais referências costumam vir de filmes, televisão, literatura, ciência e história.[1] Sempre que possível, os animadores incluem piadas visuais que estão em segundo plano na cena, ou que aparecem tão rápido que podem ser vistas apenas por telespectadores mais atentos, ou até mesmo apenas pausando uma gravação do episódio.

Índice

BordõesEditar

Uma das mais bem-sucedidas maneiras de The Simpsons adentrar na consciência pública são os numerosos bordões repetidos pelos personagens do programa. O mais famoso dele é "D'oh!", pronunciado por Homer Simpson normalmente para expressar frustração ou quando se dá conta que fez algo errado. Tal bordão tornou-se tão famoso que ganhou uma entrada no Dicionário Oxford.[2] O jornal "USA Today" o classificou como um dos 100 melhores bordões da TV.[3] Os bordões de Bart Simpson "¡Ay, caramba!", "Don't have a cow, man!" e "Eat my shorts" também são muito populares em forma de camisetas desde que o programa começou.

No episódio "Alone Again", o Reverendo Lovejoy faz uma referência ao fato de que os personagens da série têm muitos bordões. No funeral da personagem Maude Flanders, ele diz: "Em muitas maneiras, Maude desempenhou um papel muito importante em nossas vidas. Ela nunca precisou fazer uso de bordões memoráveis ou sotaques engraçados para ganhar nossa atenção." Em seguida vários personagens como o Capitão Horatio McAllister e o Professor Frink soltam seus bordões como "Yarr.." and "Glavin!". Também, no episódio "Bart Gets Famous", Bart torna-se uma celebridade instantânea após começar a dizer o bordão "Eu não fiz isso", mas perde sua fama de forma igualmente rápida após o bordão começar a perder a graça. No final do episódio, sua irmã Lisa o diz que é melhor não ser conhecido apenas como um "personagem unidimensional com um bordão bobo", ao que se segue uma inesperada reunião de personagens que dizem seus bordões.

Muitos personagens principais têm bordões que servem para demonstrar a natureza do personagem que o fala. Às vezes, isto é mostrado explicitamente, como quando Homer Simpson diz "Hmmmm.... [nome do objeto, geralmente comida]", para demonstrar sua fraqueza ao prazer e à gula. Ou o barulho de desaprovação que Marge Simpson faz com a garaganta, que faz transparecer sua incerteza inata e natureza nervosa. O "Eat my shorts!" (literalmente "Comam minhas calças!") de Bart Simpson denota sua imaturidade.

Vários bordões e sons também existem para outros personagens, como:

  • As palavras sem sentido de Ned Flanders e seu modo de dizer, terminando as frases com sons como "diddly-um-doodly".
  • O arroto de Barney Gumble
  • O "HA-ha!" de Nelson Muntz, sempre direcionado explicitamente a alguém em má sorte.
  • O "Excelente!" e "Soltem os cachorros" do Sr. Burns.
  • A risada jovial do Dr. Julius Hibbert, costumeiramente nas situações mais inapropriadas.
  • O "Obrigado e volte sempre!" de Apu Nahasapeemapetilon, quando alguém está saindo do Kwik-E-Mart .
  • O grito "SKINNER!" do Superintendente Chalmers, quando irritado com seu subordinado Seymour Skinner.
  • O bordão estereotípico de capitão-do mar do Capitão Horatio McAllister, "Yarr!"
  • A fala monótona do Professor Frink, "Mm Glavin!"
  • O "Pensem nas crianças! Alguém, por favor, pense nas crianças!" de Helen Lovejoy é outro exemplo de bordão usado costumeiramente nas situações mais inapropriadas.
  • Disco Stu dizendo seu nome, com ênfase no "Stu", seguido de uma pausa, e após dizendo algo no qual se refere a si mesmo na terceira pessoa.
  • Duff Man fazendo o mesmo. Outro bordão seu é "Oh yeah!".
  • Krusty, o Palhaço, sempre começa seu programa de TV com "Hey-hey, kids!" e uma risada.
  • Troy McClure sempre se apresenta com a frase "Olá, eu sou Troy McClure, e você deve se lembrar de mim dos [filmes/comerciais/vídeos de auto-ajuda/etc.] [título engraçado/inconveniente] e [outro título engraçado/inconveniente].
  • O Dr. Nick Riviera sempre se apresenta com "Olá, todo mundo!" ao qual todos respondem "Olá, Dr. Nick!" Entretanto no filme, ele é perfurado por um enorme caco de vidro, diz "Tchau, todo mundo!" e presumivelmente morre.
  • A risada alta de Edna Krabappel é muitas vezes usada como um bordão: "Ha!".
  • O Cara dos Quadrinhos comumente diz "o pior [substantivo] de todos!"
  • Waylon Smithers costuma ajudar o Sr. Burns a se lembrar do nome de Homer dizendo "Este é Homer Simpson, senhor, um de seus [operários, idiotas, escravos, bancos de órgãos, etc.] do setor 7-G".

Estrangulamento de BartEditar

O estrangulamento de Bart pelo seu pai Homer teve origem no curta "Family Portrait" do Tracey Ullman Show. Homer, num acesso de fúria, normalmente grita "Why you little...!" (literalmente "Por que, seu pequeno...!", e na versão brasileira, "Ora, seu...!") e estrangula a garganta de Bart. Às vezes outros personagens também o fazem, normalmente Lisa.

Cena do SoalhoEditar

Através da série, esta gag (piada visual) ocorre ocasionalmente na casa dos Simpsons. Ela ocorre quando a cena que está sendo mostrada muda de um cômodo no andar térreo da casa muda para o de cima, e a câmera sobe. No soalho entre os dois andares, sempre há objetos estranhos, o que inclui um relógio que Homer perdeu, dinheiro, asbesto, plantas de uma casa, ouro pirata, um gravador de fitas, dinossauros, e em "The Otto Show", ouro e jóias. Em "Large Marge", havia répteis saindo de ovos, uma possível referência a Bart the Mother. Variações desta gag ocorrem em "Bart vs. Australia", numa escala maior, e na Escola Primária de Springfield.

Meta-referênciasEditar

Em episódios anteriores, meta-referências foram um tema recorrente em piadas visuais. Por exemplo, por muitos anos, o programa não mostrou a localização de Springfield. Matt Groening já disse uma vez que escolheu o nome Springfield justamente porque é o nome usado em mais cidades dos Estados Unidos. Em algumas oportunidades de se revelar o estado em que a cidade fica, por exemplo, quando a família a localiza num mapa, o mapa em si nunca é mostrado. Ao finalmente ter quebrado esta regra, os produtores mantiveram a confusão ao dar uma resposta a versão original do episódio e outra na versão retransmitida. Aumentando a confusão, o filme mostra uma cena (incluída no trailer) em que Ned Flanders mostra os quatro estados que fazem divisa com Springfield, Ohio, Nevada, Maine e Kentucky. Desses, apenas Kentucky e Ohio fazem divisa um com o outro de fato.

Os Simpsons é produzido e transmitido pela Fox Broadcasting Company. O programa muitas vezes tira vantagem de uma cláusula no contrato de produção que faz a Fox não interferir em piadas negativas feitas sobre o próprio canal.

AmnésiaEditar

Já houve numerosas cenas em que um personagem se esquece do nome de outro. O Sr. Burns nunca foi capaz de se lembrar do nome de seu empregado Homer, apesar das incontáveis vezes em que os dois se encontraram. Normalmente Smithers ajuda seu chefe a se lembrar de Homer, fazendo referências indecorosas a ele. Krusty, o Palhaço, nunca foi capaz de se lembrar de Bart, mesmo este tendo salvo sua vida diversas vezes. Marge também nunca foi capaz de se lembrar de Disco Stu em nenhuma de suas primeiras aparições, sempre perguntando "Quem é Disco Stu?" Mas talvez o caso mais grave seja de Homer, que quase nunca se lembra de Maggie quando fala de seus filhos. Simplesmente ele se esquece de incluí-la na contagem, ou quando se lembra dela, é incapaz de se lembrar de seu nome.

Metas de vida de HomerEditar

Homer Simpson já alcançou muitas metas de vida. Entre elas, invadir o campo num jogo de beisebol, comer o maior hoagie do mundo e trabalhar numa arena de boliche. Muitas dessas vezes, Marge o lembra de seu sonho anterior, que já foi realizado. Talvez ele tenha melhor sumarizado esta tendência quando disse: "Toda a minha vida, eu tive um sonho: alcançar muitas metas". Ele também já anunciou que quer morrer engasgado em comida.

Notas

  1. a b Turner pp. 63–65
  2. Sem nome (14 de junho de 2001). «It's in the dictionary, d'oh!». BBC News. Consultado em 24 de dezembro de 2006 
  3. Sem nome (28 de novembro de 2006). «Dyn-O-Mite! TV Land lists catchphrases». BBC News. Consultado em 5 de fevereiro de 2007 
  • Turner, Chris. Planet Simpson: How a Cartoon Masterpiece Documented an Era and Defined a Generation. [S.l.]: Random House of Canada. ISBN 0-679-31318-4