Vereda Tropical

telenovela brasileira
Disambig grey.svg Nota: Para a tira de jornal, veja Vereda Tropical (tira de jornal).

Vereda Tropical é uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de 23 de julho de 1984 a 2 de fevereiro de 1985 em 164 capítulos.[2] Substituiu Transas e Caretas e foi substituída por Um Sonho a Mais, sendo a 33ª "novela das sete" exibida pela emissora.

Vereda Tropical
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero comédia romântica[1]
Duração 60 minutos
Criador(es) Carlos Lombardi
País de origem Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Jorge Fernando
Guel Arraes
Produtor(es) Manuel Martins Moraes
Produtor(es) executivo(s) Eduardo Figueira
Editor(es) Sergio Louzada
Alberto Gouvêa
Elenco
Tema de abertura "Vereda Tropical", Ney Matogrosso
Tema de encerramento "Vereda Tropical", Ney Matogrosso
Composto por Gonzalo Curiel
Empresa(s) produtora(s) TV Globo
Localização São Paulo, SP
Exibição
Emissora original TV Globo
Formato de exibição 480i (SDTV)
Formato de áudio monaural
Transmissão original 23 de julho de 1984 - 2 de fevereiro de 1985
Episódios 164
Cronologia
Transas e Caretas
Um Sonho a Mais

Escrita por Carlos Lombardi, com argumento e supervisão de texto de Silvio de Abreu, teve direção geral de Jorge Fernando e Guel Arraes.[2]

Contou com as atuações de Lucélia Santos, Mário Gomes, Maria Zilda, Walmor Chagas, Geórgia Gomide, Gianfrancesco Guarnieri, Marieta Severo e Paulo Betti.[2]

SinopseEditar

Ambientada em São Paulo, os conflitos da história giram em torno da família de Silvana, mãe de Zeca, e do avô paterno do menino, Oliva. Silvana é uma moça simples, criada pela avó Da Paz desde menina, quando perdeu os pais.

Operária da fábrica de perfumes CPP, destaca-se como líder no trabalho. Lá ela conhece Victor, filho de Oliva, proprietário da fábrica. Os dois iniciam um romance. Mas Victor abandona Silvana grávida e sofre um acidente de carro fatal nos primeiros capítulos da novela. Quando Zeca nasce, Oliva decide brigar com Silvana pela guarda do menino.

Oliva é um homem poderoso, viúvo e pai de quatro filhos: Victor, Catarina, Verônica e Gabi. Após a morte de Victor, ele decide fazer de Zeca seu sucessor, e tenta de todo jeito conquistar o amor e a guarda do menino. Sua determinação acirra a briga das irmãs pelo controle da fábrica de perfumes. Catarina, a mais velha das três filhas de Oliva, foi abandonada pelo marido e voltou para a casa do pai com o filho Téo. Durona, orgulhosa e fria, é a atual diretora da CPP, mas não suporta a linha de produtos populares da empresa – o ponto forte do negócio.

Ela se sente ameaçada com a chegada de Zeca e decide alertar as irmãs. Verônica, por sua vez, é uma mulher sensual, que adora provocar os homens. Solteira e bem-humorada, não se preocupa com o rumo dos negócios, e só pensa em curtir a vida boa que leva graças ao dinheiro do pai. Já Gabi, a mais nova das três, é a que mais se parece com o pai, embora seja adotada. Irreverente e geniosa, diz o que lhe vem à cabeça, o que a deixa em conflito em casa, na faculdade e com os amigos.

ProduçãoEditar

Vereda Tropical foi a primeira novela solo de Carlos Lombardi na TV Globo. Lombardi contou com argumento e supervisão de texto de Silvio de Abreu, com quem já havia trabalhado no roteiro de Jogo da Vida (1981–82) e Guerra dos Sexos (1983). O autor declarou que o auxílio de Silvio foi fundamental para o desempenho da trama.[3]

Três dias antes da estreia, o folhetim foi proibido de ir ao ar pelo serviço de censura do governo brasileiro — na época sob ditadura militar. Com alegação de que não era apropriada para ir ao ar no horário das sete, a obra teve 32 cortes indicados no primeiro capítulo. Carlos Lombardi e Silvio de Abreu, junto a dois representantes da emissora, foram a Brasília para negociar liberação.[3]

A novela marcou a estreia dos atores Luiz Fernando Guimarães, Regina Casé e Catarina Abdalla.[3]

Um dos fatos mais inusitados da produção, foi quando a Globo aproveitou um jogo entre Corinthians e Vasco, pelo Campeonato Brasileiro, para gravar uma cena com o personagem Luca, jogador de futebol que na trama havia sido contratado pelo clube paulista. Na cena, Luca chegou de helicóptero ao gramado do Morumbi e, no momento em que o Corinthians fez um gol, invadiu o gramado e comemorou junto com os jogadores. Prontamente, o juiz da partida José de Assis Aragão o expulsou de campo. O fato causou muitos comentários criticando o árbitro, por ter contribuído com a gravação, desviando-se da sua atuação no jogo e quase foi punido por isso.[3]

ElencoEditar

Ator/Atriz Personagem[2]
Lucélia Santos Silvana Rocha
Mário Gomes Luís Carlos Travatti (Luca)
Walmor Chagas Vicente de Oliva Salgado (Oliva)
Geórgia Gomide Sabina Travatti (Bina)
Gianfrancesco Guarnieri Jamil Beirut / Genaro
Maria Zilda Bethlem Verônica de Oliva Salgado
Marieta Severo Catarina de Oliva Salgado
Paulo Betti Marco Aurélio Travatti
Nuno Leal Maia Mário Bertazzo (Bertazzo)
Kito Junqueira Alfredo Bertazzo
Cristina Mullins Maria Leopoldina Vilela (Léo)
Paulo Guarnieri Francesco Travatti (Cesco)
Marcos Frota Teófilo de Oliva Salgado (Téo)
Cristina Pereira Gabriela de Oliva Salgado (Gaby)
Angelina Muniz Angelina Travatti
Rosamaria Murtinho Bárbara Vilela
John Herbert Celso Vilela (Vilela)
Luís Fernando Guimarães Argemiro Mistieri (Miro)
Luiz Carlos Arutin Giuseppe Ernesto Bertazzo (Bepe)
Vic Militello Theda Bara
Eduardo Tornaghi Bráulio Vilela
Norma Geraldy Maria da Paz
Matilde Mastrangi Marilinda
Marina Miranda Dirce
Catarina Abdalla Guilhermina
Nildo Parente Rodrigues
Ênio Santos Péricles
Jonas Torres José Carlos Rocha (Zeca Pedra)
Participações especiais
Ator/Atriz Personagem[2]
Alexandre Frota jogador da equipe adversária à de Luca
Ângela Figueiredo namorada de Luca em Araruama
Ângela Leal Isaurinha
Antônio Pedro Honório Guimarães
Arthur Costa Filho juiz no julgamento da guarda de Zeca
Berta Loran carcereira
Carlos Augusto Strazzer Ivan
Carlos Gregório delegado
Carlos Wilson Bedel
Catalina Bonaky Creusa
Chiquinho Scarpa ele mesmo
Chris Couto Lílian Guimarães
Cláudio Gaya empregado do restaurante japonês
Dary Reis juiz de futebol
Dennis Carvalho gerente do bar
Eri Johnson guarda da piscina do Cantareira
Fábio Junqueira Junhinho
Fernando Carvalho cavalariço
Fernando José Cassiano Gouvêia
Gilberto Martinho Barbosa
Guaracy Valente Assis
Ísis de Oliveira Fernanda
Ivan Mesquita delegado
Jacyra Silva diretora do colégio
Jomba químico
Jorge Fernando Pedro
José Augusto Branco Dr. Stein
Lauro Corona Victor de Oliva Salgado
Leina Krespi Violeta
Lina Fróes Zélia
Livingstone Trobilio Eduardo (Dudu)
Lys Beltrão Mirtô
Marco Miranda delegado de polícia
Maria Alves Dircinha
Márcia Porto modelo no comercial do perfume Vereda Tropical
Mário Cardoso Cássio
Mário Lago diretor do colégio interno
Maurício Mattar paquera de Catarina
Maurício Távora diretor da UNICAMP
Nóris Lisboa Eduarda
Oswaldo Loureiro Viveiros
Paulo Figueiredo dono da boate
Paulo Leão chefe de mudança[4]
Regina Casé Clotilde Barbosa
Roberto Pirillo técnico do Rubro
Sandro Solviatti sequestrador de Luca
Sidney Marques novo jogador do Rubro
Stepan Nercessian jogador do Araruama
Suzane Carvalho Tânia Tumba
Rômulo Arantes professor de natação de Téo
Vicente Barcellos rapaz no comercial do perfume Vereda Tropical
Tony Vermont locutor de rádio

ExibiçãoEditar

RepriseEditar

Vereda Tropical foi reprisada pela Globo na sessão Vale a Pena Ver de Novo de 27 de abril a 23 de outubro de 1987 em 130 capítulos, sucedendo Livre para Voar e antecedendo Amor com Amor se Paga[5].

Exibição internacionalEditar

Entre os países aos quais a obra foi licenciada, estão Angola, Bolívia, Chile, Guatemala, Nicarágua, Paraguai, Peru, Portugal, República Dominicana, Uruguai e Venezuela[5].

Outras mídiasEditar

Em 13 de setembro de 2021, a edição da novela distribuída ao mercado internacional foi disponibilizada no catálogo da plataforma digital de streaming Globoplay em 115 capítulos. Segundo o departamento de Comunicação da TV Globo, a versão original da trama, sem conservação integral, "não está em condições de publicação".[6]

Trilha sonoraEditar

NacionalEditar

  1. "Nem o Pobre, Nem o Rei" – Gonzaguinha (tema de Silvana e Marco)
  2. "Fullgás" – Marina Lima (tema de Léo)
  3. "Um Dueto" – Francis Hime e Gal Costa (tema de Silvana e Luca)
  4. "Fazer Neném" – Guilherme Arantes
  5. "Deixa Eu Te Amar" – Agepê (tema de Bertazo)
  6. "Lua My Love" – Eduardo Dusek (tema de Catarina)
  7. "Vereda Tropical" – Ney Matogrosso (tema de abertura)
  8. "Certas Coisas" – Lulu Santos (tema de Marco)
  9. "Silvana" – Zizi Possi (tema de Silvana)
  10. "Dia a Dia" – Moraes Moreira (tema de Silvana
  11. "Marilyn Forever" – Naila Skorpio (tema de Verônica)
  12. "O Dono da Bola" – Mário Gomes (tema de Luca)
  13. "São Paulo, São Paulo" – Premeditando o Breque (tema de locação)
  14. "Na Cadência do Samba (Que Bonito É)" – Poucas & Boas (tema do Cantareira)

InternacionalEditar

  1. "Stuck On You" – Lionel Richie (tema de Silvana e Luca)
  2. "When Doves Cry" – Prince & The Revolution (tema geral)
  3. "My Girl" – Lillo Thomas (tema de Angelina)
  4. "In My Time" – Teddy Pendergrass (tema de Bina)
  5. "I'm Living My Own Life" – Earlene Bentley (tema de Luca)
  6. "Sleep With Me Tonight" – Neil Diamond (tema de Verônica)
  7. "Io Che Amo Solo Te" – Sergio Endrigo (tema de Silvana e Luca)
  8. "Love Songs Are Back Again" – Band of Gold (tema romântico geral)
  9. "Here, There And Everywhere" – Billy Preston (tema de Léo)
  10. "You're The One" – Beau Williams (tema de Marco e Léo)
  11. "Love Is Like a Light" – Frank Stallone (tema geral)
  12. "You Are My Sunshine" – Mtume (tema de Verônica)
  13. "All Of You" – Destiny (tema de Bárbara)
  14. "Balliamo" – Mimmo Di Francia (tema de Bina)

PrêmiosEditar

Ano Prêmio Categoria Nomeação Resultado Ref.
1984 Prêmio APCA de Televisão Melhor Novela Vereda Tropical Venceu [2]
Melhor Roteirista Carlos Lombardi
Silvio de Abreu
Venceu
Melhor Diretor Jorge Fernando
Guel Arraes
Venceu
Melhor Ator Nuno Leal Maia Venceu
Melhor Atriz Marieta Severo Venceu
Revelação Masculina Marcos Frota Venceu
1985 Troféu Imprensa Melhor Novela Vereda Tropical Venceu
Melhor Atriz Geórgia Gomide Venceu

Referências

  1. José Miguel Toledo (29 de agosto de 2021). «Globoplay resgata 'Vereda Tropical', clássica novela dos anos 80». Novelão. Consultado em 3 de novembro de 2021 
  2. a b c d e f g Nilson Xavier. «Vereda Tropical». Teledramaturgia. Consultado em 25 de outubro de 2016 
  3. a b c d e «Vereda Tropical teve tensão com censura e confusão com o Corinthians». Notícias da TV. 12 de setembro de 2021. Consultado em 3 de novembro de 2021 
  4. «Rede Globo - Vereda Tropical». Issu.com. Consultado em 15 de agosto de 2022 
  5. a b «'Vereda Tropical' estreia no Globoplay: relembre a 1ª novela de Carlos Lombardi na Globo». G1. 13 de setembro de 2021. Consultado em 3 de novembro de 2021 
  6. Cristina Padiglione (5 de setembro de 2021). «Sem novela original completa, GloboPlay recorre a versão internacional». F5. Consultado em 3 de novembro de 2021 

Ligações externasEditar