Apeadeiro de Espadaneira

apeadeiro em Portugal

O Apeadeiro de Espadaneira é uma gare da Linha do Norte, que serve a localidade de Espadaneira, no concelho de Coimbra, em Portugal.

Espadaneira
Identificação:[1] 35162 EPA (Espadaneira)
Denominação: Apeadeiro de Espadaneira
Administração: Infraestruturas de Portugal (centro)[2]:3.3.3.2
Classificação: A (apeadeiro)[3]
Linha(s): Linha do Norte (PK 213,800)
Altitude: 25 m (a.n.m)
Coordenadas: 40°12′32.34″N × 8°28′15.53″W

(≍+40.20898;−8.47098)

(mais mapas: 40° 12′ 32,34″ N, 8° 28′ 15,53″ O)
Concelho: bandeiraCoimbra
Serviços: UC R
Conexões:
Ligação a autocarros
12A 13 13T 17
Equipamentos: Acesso para pessoas de mobilidade reduzida
Inauguração: 1936 (há 85 anos)
Website:
Disambig grey.svg Nota: Para outras interfaces ferroviárias com nomes semelhantes ou relacionados, veja Apeadeiro de Espadanal da Azambuja ou Estação Ferroviária de Freixo de Espada à Cinta.
O apeadeiro de Espadaneira, em 2014.

DescriçãoEditar

Esta interface tem acesso pela Rua do Apeadeiro, na localidade de Espadaneira.[4]

HistóriaEditar

 Ver artigo principal: História da Linha do Norte

Este apeadeiro situa-se no lanço da Linha do Norte entre Taveiro e Estarreja, que entrou ao serviço em 10 de Abril de 1864, pela Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses.[5]

Um diploma de 14 de Fevereiro de 1936 do Ministério das Obras Públicas e Comunicações ratificou o projecto do aviso ao público relativo à abertura deste apeadeiro, que então se situava ao ponto quilométrico 213+789 da Linha do Norte.[6]

Comboios em Coimbra
(Serviços ferroviários pesados suburbanos e
regionais de passageiros, na região de Coimbra)

      em operação •   extinto em 2010
  ext. anunc. 2020 •     extinto em 2009


 
   
 
(ã) Lobazes 
   
 Moinhos (ã)
(ã) Miranda do Corvo 
   
 Trémoa (ã)
(ã) Padrão 
   
 Vale de Açor (ã)
(ã) Meiral 
   
 Ceira (ã)
(ã) Lousã-A 
   
 Conraria (ã)
(ã) Lousã 
   
 Carvalhosas (ã)
(ã) Prilhão-Casais 
   
 S. José (Calhabé) (ã)
(ã) Serpins 
 
 
 Coimbra-Parque (ã)
(ã) Coimbra 
 
 
 
 
 
 
       
 
 
 
 
 
   
 
 
 
(ã)(n) Coimbra-B   
(n) Souselas 
       
 
 
 
(f)(n) Pampilhosa 
   
 Bencanta (n)
(f) Mala 
   
 Espadaneira (n)
(f) Silvã-Feiteira 
   
 Casais (n)
(f) Enxofães 
   
 Taveiro (n)
(f) Murtede 
   
 V. Pouca Campo (n)
(f) Cordinhã 
   
 Amial (n)
(f) Cantanhede 
   
 Pereira (n)
(f) Limede-Cadima 
   
 Formoselha
(f) Casal 
   
 Alfarelos (a)(n)
(f) Arazede 
   
 Montemor (a)
(f) Bebedouro 
   
 Marujal (a)
(f) Liceia 
   
 Verride (a)
(f) Santana-Ferreira 
   
 Reveles (a)
(f) Costeira 
   
 Bif. de Lares (a)(o)
(f) Alhadas 
   
 Lares (o)
(f) Carvalhal 
   
 Fontela (o)
(f) Maiorca 
   
 Fontela-A (o)
 
   
 Figueira da Foz (f)(o)

Ver tambémEditar

Referências

  1. (I.E.T. 50/56) 56.º Aditamento à Instrução de Exploração Técnica N.º 50 : Rede Ferroviária Nacional. IMTT, 2011.10.20
  2. Diretório da Rede 2021. IP: 2019.12.09
  3. Instrução de exploração técnica nº 2 : Índice dos textos regulamentares em vigor. IMTT, 2012.11.06
  4. «Estação de Espadaneira». Comboios de Portugal. Consultado em 20 de Abril de 2018 
  5. TORRES, Carlos Manitto (1 de Janeiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1681). p. 9-12. Consultado em 20 de Março de 2014 
  6. «Parte Oficial» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 48 (1157). 1 de Março de 1936. p. 153-154. Consultado em 20 de Março de 2014 

Leitura recomendadaEditar

  • QUEIRÓS, Amílcar (1976). Os Primeiros Caminhos de Ferro de Portugal: As Linhas Férreas do Leste e do Norte. Coimbra: Coimbra Editora. 45 páginas 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre transporte ferroviário é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.