Apeadeiro de Formoselha - Santo Varão

apeadeiro em Portugal

O Apeadeiro de Formoselha - Santo Varão, por vezes indicado como de Formoselha / Santo Varão,[1] e igualmente denominado (até 1962[4][5] e intermitentemente depois dessa data)[6] apenas de Formoselha, é uma interface da Linha do Norte, que serve as localidades de Formoselha e Santo Varão, no Concelho de Montemor-o-Velho, em Portugal.

Formoselha - Santo Varão
vista geral
Identificação:[1] 35030 FOR (Formoselha)
Denominação: Apeadeiro de Formoselha - Santo Varão
Administração: Infraestruturas de Portugal (centro)[2]:3.3.3.2
Classificação: A (apeadeiro)[3]
Tipologia: C [2]5.3.1.1
Linha(s): Linha do Norte (PK 201,211)
Altitude: 15 m (a.n.m)
Coordenadas: 40°10′46.26″N × 8°36′25.45″W

(≍+40.17952;−8.60707)

(mais mapas: 40° 10′ 46,26″ N, 8° 36′ 25,45″ O)
Concelho: bandeiraMontemor-o-Velho
Serviços: R UC
Equipamentos: Acesso para pessoas de mobilidade reduzida
Endereço: Largo da Estação, s/n
PT-3140-401 Formoselha MMV
Website:
Disambig grey.svg Nota: Para outras interfaces ferroviárias com nomes semelhantes ou relacionados, veja Estação Ferroviária de Vilar Formoso.
Fachada exterior, em 2016.

DescriçãoEditar

 
Edifício de passageiro em desuso, 2016.

Esta interface tem acesso pelo Largo da Estação, na freguesia de Santo Varão.[6] O edifício de passageiros situa-se do lado sudeste da via (lado direito do sentido ascendente, a Campanhã).[7]

HistóriaEditar

 Ver artigo principal: História da Linha do Norte

Durante a fase de planeamento da Linha do Norte, os primeiros projectos determinavam que o lanço de Coimbra a Pombal passaria por Formoselha, Alfarelos e Soure.[8] Este traçado foi alterado pela empresa construtora em 1861, tendo o novo projecto incluído a construção de uma estação em Formoselha.[8] Esta gare deveria servir a Formoselha, Granja do Ulmeiro (futura Alfarelos), Santo Varão, Pereira, e a região na margem direita do Rio Mondego, incluindo Montemor-o-Velho e São Lourenço.[8]

Esta interface situa-se no troço entre as Estações de Soure e Taveiro, que entrou ao serviço em 7 de Julho de 1864.[9]

 
O apeadeiro de Formoselha visto de sudoeste, em 2014.

Antes da abertura do Ramal da Figueira da Foz, que ligava a Figueira da Foz às Linhas do Norte e da Beira Alta, a Formoselha era a principal gare ferroviária utilizada pela Figueira da Foz, especialmente para o transporte de mercadorias.[10] Este ramal foi inaugurado em 3 de Agosto de 1882, como parte da Linha da Beira Alta, que nessa altura se compreendia entre Vilar Formoso e a Figueira da Foz.[11]

Em 6 de Outubro de 1956, o Diário de Notícias reportou uma situação anómala na estação de Formoselha, quando um dos semáforos avariou devido a um enxame de abelhas que se tinha introduzido no mecanismo, bloqueando-o na posição fechada, e impedindo a passagem de um comboio Foguete; a bordo da composição, seguia um inspector de via e obras, que verificou o que tinha sucedido, tendo depois o comboio seguido a sua marcha.[12]

A pedido de várias entidades da sede de Freguesia de Formoselha, esta estação mudou de designação em 1962, de Formoselha para Formoselha - Santo Varão.[4]

Comboios em Coimbra
(Serviços ferroviários pesados suburbanos e
regionais de passageiros, na região de Coimbra)

      em operação •   extinto em 2010
  ext. anunc. 2020 •     extinto em 2009


 
   
 
(ã) Lobazes 
   
 Moinhos (ã)
(ã) Miranda do Corvo 
   
 Trémoa (ã)
(ã) Padrão 
   
 Vale de Açor (ã)
(ã) Meiral 
   
 Ceira (ã)
(ã) Lousã-A 
   
 Conraria (ã)
(ã) Lousã 
   
 Carvalhosas (ã)
(ã) Prilhão-Casais 
   
 S. José (Calhabé) (ã)
(ã) Serpins 
 
 
 Coimbra-Parque (ã)
(ã) Coimbra 
 
 
 
 
 
 
       
 
 
 
 
 
   
 
 
 
(ã)(n) Coimbra-B   
(n) Souselas 
       
 
 
 
(f)(n) Pampilhosa 
   
 Bencanta (n)
(f) Mala 
   
 Espadaneira (n)
(f) Silvã-Feiteira 
   
 Casais (n)
(f) Enxofães 
   
 Taveiro (n)
(f) Murtede 
   
 V. Pouca Campo (n)
(f) Cordinhã 
   
 Amial (n)
(f) Cantanhede 
   
 Pereira (n)
(f) Limede-Cadima 
   
 Formoselha
(f) Casal 
   
 Alfarelos (a)(n)
(f) Arazede 
   
 Montemor (a)
(f) Bebedouro 
   
 Marujal (a)
(f) Liceia 
   
 Verride (a)
(f) Santana-Ferreira 
   
 Reveles (a)
(f) Costeira 
   
 Bif. de Lares (a)(o)
(f) Alhadas 
   
 Lares (o)
(f) Carvalhal 
   
 Fontela (o)
(f) Maiorca 
   
 Fontela-A (o)
 
   
 Figueira da Foz (f)(o)

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b (I.E.T. 50/56) 56.º Aditamento à Instrução de Exploração Técnica N.º 50 : Rede Ferroviária Nacional. IMTT, 2011.10.20
  2. a b Diretório da Rede 2021. IP: 2019.12.09
  3. Instrução de exploração técnica nº 2 : Índice dos textos regulamentares em vigor. IMTT, 2012.11.06
  4. a b «Linhas Portuguesas» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 75 (1783). 1 de Abril de 1962. p. 80. Consultado em 14 de Março de 2014 
  5. Horários de 1876, linha do Norte e do Leste in Ramalho Ortigão: As Praias de Portugal. 1876
  6. a b «Formoselha - Linha do Norte». Infraestruturas de Portugal. Consultado em 17 de Fevereiro de 2017 
  7. (anónimo): Mapa 20 : Diagrama das Linhas Férreas Portuguesas com as estações (Edição de 1985), CP: Departamento de Transportes: Serviço de Estudos: Sala de Desenho / Fergráfica — Artes Gráficas L.da: Lisboa, 1985
  8. a b c ABRAGÃO, Frederico de Quadros (16 de Setembro de 1956). «No Centenário dos Caminhos de Ferro em Portugal: Algumas notas sobre a sua história» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 69 (1650). p. 407-424. Consultado em 17 de Fevereiro de 2017 
  9. TORRES, Carlos Manitto (1 de Janeiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1681). p. 9-12. Consultado em 14 de Março de 2014 
  10. ARROTEIA, 1985:23
  11. TORRES, Carlos Manitto (16 de Março de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 71 (1686). p. 133-140. Consultado em 17 de Fevereiro de 2017 
  12. «Recortes sem Comentários» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 66 (1580). 16 de Outubro de 1953. p. 284. Consultado em 17 de Fevereiro de 2017 

BibliografiaEditar

  • ARROTEIA, Jorge Carvalho (1985). Figueira da Foz: a cidade e o mar. Coimbra: Ministério da Administração Interna - Comissão de Coordenação da Região Centro. 113 páginas 

Leitura recomendadaEditar

  • GÓIS, António Correia (1995). Concelho de Montemor-o-Velho: a terra e a gente. Montemor-o-Velho: Câmara Municipal de Montemor-o-Velho. 281 páginas 
  • SOUSA, Dina (2001). Montemor-o-Velho. Montemor-o-Velho: Câmara Municipal de Montemor-o-Velho. 11 páginas 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre transporte ferroviário é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.