Brumado

Município brasileiro do estado da Bahia

Brumado (pronuncia-se [bɾumˈadu] (Sobre este somescutar ) é um município brasileiro no interior do estado da Bahia, região Nordeste do país. Encontra-se localizado no Centro-Sul Baiano, a 540[12] quilômetros da capital estadual, Salvador.[5] Em 2020, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sua população foi estimada em 67 335 habitantes.[2] Sua área territorial é de 2 207,612 quilômetros quadrados, com área urbana equivalente a 2, 174 quilômetros quadrados, a uma altitude de 454 metros.[13] O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é 0,656 (médio).[14]

Brumado
  Município do Brasil  
Vista parcial de Brumado
Vista parcial de Brumado
Símbolos
Bandeira de Brumado
Bandeira
Brasão de armas de Brumado
Brasão de armas
Hino
Lema In omnibus primus
"Em primeiro lugar"[1]
Apelido(s) "Capital do Minério
Brumas
BDO
"
Gentílico brumadense[2]
Localização
Localização de Brumado na Bahia
Localização de Brumado na Bahia
Mapa de Brumado
Coordenadas 14° 12' 13" S 41° 39' 55" O
País Brasil
Unidade federativa Bahia
Região intermediária[3] Vitória da Conquista
Região imediata[3] Brumado
Municípios limítrofes Norte: Livramento de Nossa Senhora e Dom Basílio
Nordeste: Rio de Contas, Tanhaçu e Ituaçu
Leste: Aracatu
Oeste: Rio do Antônio e Lagoa Real
Sudoeste: Malhada de Pedras
Sul: Caraíbas
[4]
Distância até a capital 654 km[5]
História
Fundação 1877[2]
Emancipação 11 de junho de 1877 (143 anos)
Aniversário 11 de junho
Administração
Prefeito(a) Eduardo Vasconcelos[2] (PSB, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [2] 2 207,612 km²
 • Área urbana (IBGE) [2] 2,174 km²
População total (estatísticas IBGE/2020) [2] 67 335 hab.
 • Posição BR 457º, BA 31º, região imediata
Densidade 30,5 hab./km²
Clima semiárido (BSH)[6]
Altitude [2] 454 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 46100-000 [7]
Indicadores
IDH (PNUD/2010) [9] 0,656 médio
 • Posição BR 2896º[10]
Gini (Atlas do Desenvolvimento Humano do Brasil) [11] 0.522
PIB (IBGE/2017) [8] R$ 1 699 701,00 mil[8]
 • Posição BR 1695º, BA 20º, Região imediata 1º(IBGE/2019)
PIB per capita (IBGE/2019) R$ 24 394,00
Outras informações
Padroeiro(a) Senhor Bom Jesus
Sítio https://www.brumado.ba.gov.br (Prefeitura)
https://www.cmbrumado.ba.gov.br (Câmara)

Um levantamento feito pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) constatou que Brumado é considerado o quarto município mais desenvolvido da Bahia, baseado no Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM 2016), publicado em 2018.[15][16][17] Uma consulta feita com exclusividade pela consultoria Urban Systems, em janeiro de 2016, para a Revista Exame, concluiu que a cidade está entre as 100 melhores do Brasil para se investir, ocupando o 84° lugar no ranking, somando 2 306 pontos.[18] Um estudo realizado pelo IBGE, em 2012, concluiu que dos 64 602 habitantes, naquele ano, 50 899 eram alfabetizados. A renda per capta era R$ 275,17, e em distribuição entre a zona rural e a zona urbana, era de R$ 217,00 na zona rural e R$ 333,33 na zona urbana. A frota de veículos motorizados, como de transporte de passeios, incluindo motocicletas, além de tratores e caminhões, somaram 31 000.[14][19]

A cidade é conhecida como a "Capital do Minério" por possuir em seu subsolo variados tipos de minerais, que é a base de sua economia e acolher empresas de mineração que realizam suas atividades extrativistas na serra das Éguas, onde se localiza a terceira mina de magnesita do mundo (entre as minas a céu aberto) e a segunda maior mina de talco do Brasil; é também um dos pontos turísticos do município, por formar paisagens montanhosas.[20]

Tem como municípios limítrofes Livramento de Nossa Senhora, Dom Basílio, Aracatu, Rio de Contas, Malhada de Pedras, Tanhaçu, Ituaçu, Rio do Antônio, Lagoa Real e Caraíbas.[21] Por fazer divisa com a cidade de Rio de Contas, por meio do rio que tem esse mesmo nome, consequentemente faz também divisa com a Chapada Diamantina. A cidade se beneficia de um considerável entroncamento rodoviário, como BA-262, BA-148 e BR-030, contando também com a estrada de ferro VLI Multimodal S.A. (VLI)[22] Futuramente, o município poderá contar também com a estrada de ferro Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), ainda em construção.[23] O município faz parte do Polígono das Secas.[24]

HistóriaEditar

 Ver artigo principal: História de Brumado

Origens e povoamentoEditar

Etimologia

A origem do nome brumado ou o seu étimo é atribuída à palavra "bromo"; palavra essa que, à época do garimpo no rio Brumado, era empregada pelos mineiros e bandeirantes para distinguir perda ou engano, mistificação ou desaparecimento do ouro na lavra ou córrego que se supunha rico desse minério.[25][26][27] Segundo Teodoro Fernandes Sampaio, o nome tem origem numa expressão tupi: Itimbopira (Y – timbó – pyra), que significa enevoado, coberto de bruma. O topônimo "Brumado", de acordo com José Dias Ribeiro da Silva, um antigo padre da região, origina-se da serra Geral e da Chapada Diamantina, que ao norte, ao amanhecer, desce das serras brumas, cobrindo a cidade.

De acordo com a ortografia antiga, denominava-se "bromado" qualquer lugar onde a formação do ouro era aparentemente boa, enganando os mineiros que, decepcionados, deixavam o local à procura de outro mais promissor. Segundo o dicionarista Rafael Bluteau, o termo "bromado" tem sua origem no castelhano: "broma". "Bromar" e "embromar" eram verbos do dialeto regional. Segundo o escritor mineiro Nélson de Serra, 'bromado é o que virou ogó (mineral formado por grânulos de zirconita misturados com monazita, de uma coloração amarela, semelhante à do ouro, ou pouco ouro no meio de material mineiro sem valor), por ter sumido da mina, do córrego ou do rio'.[28] Outra possível inspiração para o topônimo é que à época da mineração, no então rio Bromado, usava-se o bromo, metal de cor vermelho-escuro, que tingia dessa cor a água do rio. Ao notar que a água mudava de cor, geralmente em época de estiagem, os habitantes ribeirinhos diziam: "O rio bromou!" Essa expressão também teria dado origem ao nome do rio Brumado. Ou simplesmente, o nome Brumado seria apenas uma alusão ao rio Brumado, que descendo da cidade de Rio de Contas forma uma cachoeira no território de Livramento de Nossa Senhora, depois passando em território brumadense.[25][26][27][29]

Povoamento

No século XVIII, o capitão Francisco de Souza Meira já se encontrava nas terras de Bom Jesus, área onde hoje é a sede do município de Brumado.[14][27][30]

 
O Sobrado do Brejo (pintura de Alessandro Silva) era um casarão do século XIX. Localizava-se na serra das Éguas em Brumado. Foi residência dos senhores coronéis (os senhores do Sobrado do Brejo). Hoje, pertence à empresa RHI Magnesita.
 
Exupério Pinheiro Canguçu, primeiro intendente de Brumado.

Primo do capitão Antônio Pinheiro Pinto e Descendente de espanhóis, partiu de Minas Gerais, do arraial de Santo Antônio da Manga, atual cidade de São Romão. A localidade onde viveu Souza Meira era metade da fazenda Campo Seco mais as porções de terras onde atualmente é o Centro de Brumado. Outra parte da fazenda Campo Seco pertencia a Antunes Moreira, que por sua vez deixou para seu filho, o padre André Antunes da Maia; que por fim, a vendeu em 30 de junho de 1749 a José de Souza Meira, por 1$462 700 (1 milhão, 462 mil e 700 réis),[31] com 232 cabeças de gado vacum, 105 cabeças de gado equino e um negro chamado Manuel. Em 1755, parte da fazenda Campo Seco foi comprada pelo português Miguel Lourenço de Almeida (familiar do Santo Ofício), do clã da família Canguçu no município. Essa parte não incluía as porções de terra às quais estabeleceu Francisco de Souza Meira. A fazenda Campo Seco ficava cerca de dez quilômetros da área que é hoje a cidade de Brumado. Situava-se ao lado sul, na parte baixa da serra das Éguas. O nome serra das Éguas passou a ser utilizado depois que Lourenço de Almeida a comprou e começou a criar gado equino na localidade. No inventariado do capitão Estêvão Pinheiro de Azevedo, elaborado em 1759, consta o nome de uma fazenda denominada "Serra do Campo Seco", que ficava entre as fazendas Campo Seco e Bom Jesus, a qual pertencia ao autor do inventariado.[32][33][34]

Emancipação

No princípio, a área do atual município de Brumado estava subordinada à vila Nova de Nossa Senhora do Livramento de Minas do Rio de Contas. Em 1810, quando Caetité se emancipou politicamente de Rio de Contas, essa mesma área integrava à então vila Nova do Príncipe e Santana do Caetité. Em 19 de junho de 1869, foi criado formalmente o distrito de Bom Jesus dos Meiras, pelo decreto-lei provincial n° 1 091 subordinando-o a Caetité. A emancipação política se deu em 11 de junho de 1877, com a criação da lei provincial n° 1 756, sendo elevado à vila denominada vila de Bom Jesus dos Meiras. Em 1919, em harmonia com a lei municipal nº 9, de 19 de agosto, foi estabelecido o distrito de Gameleira dos Machados (mais tarde denominado São Pedro, depois Aracatu), que foi anexado a Bom Jesus dos Meiras. Em 1815, Antônio Pinheiro Pinto (da família Canguçu), o segundo senhor do Sobrado do Brejo (morto em 1822), contribuiu financeiramente e com mão de obra (cedendo escravos) para construção da Capela do Bom Jesus, atendendo aos pedidos dos habitantes; hoje, a antiga capela é a Igreja Matriz de Brumado, que naquela época fora chamada de Igreja Senhor do Bonfim, em homenagem ao padroeiro da cidade, Bom Jesus, e teve como primeiro vigário o padre José Mariano Meira Rocha. Criou-se a primeira Câmara de Bom Jesus dos Meiras, em 13 de fevereiro de 1878, composta das seguintes pessoas relacionadas abaixo e seus respectivos cargos: presidente: coronel Exupério Pinheiro Canguçu (consequentemente, tornando-se o primeiro intendente); secretário: Belarmino Jacundes Lobo; procurador: Rufiniano de Moura Amorim; fiscal: Plácido Guedes d’Oliveira e porteiro: Francisco Alves Piranha.[27][35][36][37]

Entre 1930 e 1933, foi nomeado como intendente o padre José Dias Ribeiro da Silva. Na sua gestão, durante a Era Vargas, Bom Jesus dos Meiras finalmente teve seu nome mudado para Brumado, em cumprimento do decreto estadual n° 7 455, de 23 de junho de 1931 e pelo decreto estadual nº 7 479, de 8 de agosto do mesmo ano. A iniciativa para a mudança do nome não passou por consulta popular, foi uma decisão do vice-presidente provincial do estado, Antônio Ladislau de Figueiredo Rocha.[27]

Em 1935, foi criada a Comarca de Brumado, que abrangia também o município de Ituaçu, então chamado vila do Brejo Grande. Em 1936, em cumprimento da lei estadual nº 119, de 5 de novembro daquele ano, o distrito de Cristais foi adicionado ao município, e em 1937, de acordo com a divisão territorial de 31 de dezembro do mesmo ano, mais três distritos foram anexados ao território: Olhos d'Água, Santa Bárbara dos Casados e São Pedro (atual município de Aracatu). Em 1938, em cumprimento do decreto federal nº 11 089, de 30 de novembro do referido ano, os distritos de Santa Bárbara dos Casados, Olhos d'Água e São Pedro tiveram seus topônimos mudados para Ubiraçaba, Itaquaraí e Aracatu, respectivamente.[14][27] Em cumprimento aos decretos estaduais nº 7 455, de 23 de junho de 1931 e nº 7 479, de 8 de agosto do mesmo ano, o município de Bom Jesus dos Meiras passou a denominar-se "Brumado". O intendente naquela época era Marcolino Rizério de Moura. Em 1943, foi levantado o decreto-lei estadual nº 141, de 31 de dezembro, com o objetivo de mudar o nome do distrito de Cristais para Cristalândia e, finalmente, isso se concretizou em 1944, com a criação do decreto estadual nº 12 978, de 1 de junho. Sendo assim, Brumado passou a compor-se de cinco distritos. Em 16 de junho de 1945, Duarte Barreto de Aragão Moniz tornou-se o primeiro juiz do município. Em 1948, Armindo dos Santos Azevedo tomou posse como o primeiro prefeito eleito por voto direto. O comerciante e pecuarista foi eleito em três mandatos: 1948 – 1950, 19551958 e 19631966. Em suas gestões, o município atingiu notáveis avanços, como abastecimento de água, energia elétrica e pavimentação de muitas ruas e praças do centro da cidade. A energia, nas décadas de 1940 a 1970, funcionava apenas até às 22 horas, foi a partir de então que começou a funcionar de forma integral.[14][38] De 1967 a 1970, foi eleito a prefeito o médico Juracy Pires Gomes, com apoio do parceiro Armindo dos Santos Azevedo. Em seu mandato foram realizadas obras importantes, como a nova sede da prefeitura, o novo mercado municipal, a primeira biblioteca pública da cidade; a principal delas foi uma barragem no rio do Antônio, que viria abastecer a cidade até o ano de 2010.[38][39]

Expansão econômicaEditar

No início do século XX, a economia era baseada na agropecuária: plantio de algodão em larga escala, café, cereais e criação de gados caprinos, ovinos e bovinos, que favoreciam a exportação de peles cruas ou curtidas, de cabras e ovelhas; couro seco e salgado, além do algodão em pluma e em caroço e do gado em vida. O algodão foi a cultura que mais contribuiu para o desenvolvimento econômico do município. Entre 1930 e 1955, a produção foi tão grande que os produtores passaram a beneficiá-lo no campo mesmo, usando máquinas artesanais. Diante do sucesso da cotonicultura, foram instaladas na cidade usinas modernas para beneficiamento do algodão. O município chegou a ter seis usinas em operação. A partir de 1980, a cultura entrou em declínio, devido a vários fatores, como corte de subsídios agrícolas (como seguro safra), ataque do bicudo-do-algodoeiro (peste que destrói a lavoura), altos juros cobrados pelo financiamento da produção e do beneficiamento.[40][41][42] Atualmente, tem se destacado a produção de maracujá, no distrito de Itaquaraí, uma das localidades de maior produção no Brasil.[43]

 
Estação de trem da RFFSA, no Centro.

Em 1930, dois importantes acontecimentos marcaram a história econômica do município: a chegada da mineradora Magnesita S.A. (hoje, RHI Magnesita), fundada por dois amigos franceses naturalizados brasileiros e residentes no Brasil, Miguel Pierre Cahen e Georges Louis Minviele — em parceria com Antônio Mourão Guimarães, um político da época — e a construção da Rede Ferroviária Federal (RFFSA), que facilitaria o transporte do minério recém-descoberto para o porto de Aratu, em Salvador. Ambos acontecimentos ocorreram em 1939. A empresa Magnesita foi autorizada a funcionar em 1940, através do decreto n° 6 220 e, desde então, explora a maior parte das reservas de magnesita e talco contidas na serra das Éguas. Na década de 1970, chegou a Brumado a mineradora Indústria Brasileira de Artigos Refrartários (IBAR S.A.). A empresa interessada em extrair magnesita fixou suas instalações na parte norte da serra das Éguas.[20] Nos anos seguintes, o município presenciou notáveis mudanças, como crescimento populacional em grande escala, construção de casas e estabelecimentos comerciais. Diante desse atrativo, pessoas de outras cidades foram chegando, o comércio se fortaleceu, e a cidade foi ficando conhecida pelos acontecimentos recentes. Ao lado sul da antiga fazenda Serra das Éguas formou-se uma espécie de condomínio fechado: a Vila Catiboaba; também se formou ao redor da empresa a Vila Presidente Vargas, frutos do fluxo de operários que vinham dos mais variados lugares para trabalhar nas minas de magnesita e talco.[38][44][45] Em 1980, foi a vez da Xilolite S.A., que também se fixou no lado norte da serra e, desde então, explora magnesita e talco, em uma das minas que foi adquirida em 1973.[46] Em 1993, chegou a empresa Matsulfur, uma fábrica de cimento, posteriormente adquirida pela Lafarge, com o nome de Cimento Brumado, hoje Cimpor (Cimento de Portugal), que pertence à Mover Participações (antiga Camargo Corrêa).[47][48][49] A Cimpor encerrou suas atividade na cidade em 2019.[50]

História recenteEditar

Em 1994, o ex-prefeito de Brumado, Edmundo Pereira Santos, que governou a cidade de 1989 a 1992 foi eleito deputado estadual pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB), mas renunciou em 1996, para novamente concorrer ao cargo de prefeito da cidade de Brumado, sendo eleito para o período de 1997 a 2000.[51] Em 1998, o município sofreu uma severa seca, e a barragem do rio do Antônio secou completamente, interrompendo o abastecimento de água na cidade, que passou a ser abastecida através de carros-pipas. Foi a maior seca da história recente do município. Em 2013, a mesma barragem também sofreu um colapso similar, porém sem afetar o abastecimento, pois a barragem de Cristalândia já estava funcionando.[52]

Também em 1998, em 28 de novembro, foi inaugurada a primeira rádio FM, a Alternativa 97,9, voltada para os interesses comuns da população. Em 2001, a cidade ganhou o primeiro campus de uma universidade pública: a Universidade do Estado da Bahia (Uneb), inicialmente com cursos de licenciatura em Letras e Pedagogia.[53][54] Finalmente, outro acontecimento importante e positivo aconteceu em 2005: a construção da barragem de Cristalândia no rio de Contas, que entrou em operação em 2010.[39] Em 2004, Eduardo Lima Vasconcelos foi eleito prefeito pela primeira vez, quebrando a hegemonia do então PMDB, que já durava 16 anos.[55] Em 2010, o Governo Federal, através da Valec e Grupo Andrade Gutierrez iniciou a construção da Ferrovia de Integração Oeste-Leste, e o município de Brumado foi beneficiado com o lote de número 3.[56][57] Em abril de 2016, o Governo Federal, através da Enel Green Power, deu início às obras de um parque eólico, no distrito de Cristalândia, o sexto a ser construído no Estado.[58]

GeografiaEditar

De acordo com a divisão do IBGE, vigente desde 2017,[59] o município pertence às regiões geográfica intermediária de Vitória da Conquista e geográfica Imediata de Brumado.[3] Até então, com a vigência das divisões em microrregiões e mesorregiões, o município fazia parte da microrregião de Brumado, que por sua vez estava incluída na mesorregião do Centro-Sul Baiano.[60]

Brumado se localiza na região Centro-Sul (ou Sudoeste) da Bahia, na região geograficamente conhecida como Polígono das Secas, na serra Geral, sob as coordenadas: 14° 12' 13", latitude sul; 41° 39' 55" longitude oeste, a 454 m de altitude e está a 654 quilômetros a sudoeste de Salvador.[5] A área urbana tem extensão de 2,174 quilômetros quadrados.[13] Não há informações se existe um ponto mais alto do que o pico da serra das Éguas, considera-se este como sendo o mais alto do município, com 1 100 metros.[22][61][62] O município faz limites com Livramento de Nossa Senhora e Dom Basílio, a norte; Rio de Contas, Ituaçu e Tanhaçu, a nordeste; Aracatu, a leste; Rio do Antônio e Lagoa Real, a oeste; Malhada de Pedras a sudoeste e Caraíbas, a sul. A taxa de urbanização é de 69,86%, densidade demográfica de 30,44 habitantes por quilômetros quadrados.[14][21]

O município de Brumado é caracterizado por formações montanhosas típicas da serra do Espinhaço, que é a cadeia montanhosa que ocupa boa parte do sudoeste do Estado e a qual pertence o relevo do município. O relevo é muito acidentado, apresentando áreas montanhosas denominadas montanas e/ou altomontanas, como a serra das Éguas e o morro da Pedra Preta.[63] Ocorrem também áreas de patamares, que são formas planas e/ou onduladas, que fazem transição entre as áreas mais elevadas e áreas mais baixas, formando assim, espécies de degraus. Apresenta também predplanos, formas de relevo aplainado.[64] De modo geral, o relevo brumadense é bastante acidentado, levemente ondulado e apresenta erosões por conta das enxurradas. Essas características favorecem a biodiversidade regional, contribuindo para uma ampla variedade de espécies, tanto na flora como na fauna.[65]

GeologiaEditar

Gáfico de minerais ocorrentes

no subsolo de Brumado

 

Fonte: Roberta Vargas (Ufba)[66]

  Filossilicato (31%)
  Magnesita (23%)
  Vermiculita (15%)
  Ferro (6%)
  Turmalina (4%)
  Quartzo (2%)
  Cobre (2%)
  Calcita e pedra de construção, 2% cada (4%)

Geologicamente, Brumado está situado no Cráton São Francisco, precisamente no bloco Geológico do Gavião, no Greenstone Belts Umburanas.[64][67][68] Nessas áreas, as rochas são formadas por sequências metavulcânicas, ou seja, de ações vulcânicas muito antigas, o que favoreceu a formação de rochas metamórficas de uma considerável quantidade de minerais, metais e ametais, como ferro, manganês, esmeralda, quartzo, granitos e diversos outros tipos de pedras ornamentais. Apesar dos poucos estudos realizados, alguns trabalhos e pesquisas de exploração mineral foram desenvolvidos na localidade, principalmente pela Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM) e tem-se notado potencial para exploração, também, de ouro (Au), liga natural níquel-cobre (Ni-Cu), liga natural cobre-zinco (Cu-Zn) e crômio, (Cr). Entre estes minerais citados, o cobre foi que mais se mostrou presente, em seguida, ouro. O ponto principal, onde os estudos foram realizados, foi a serra das Éuas.[67]

Em estudos de geocronologia verificou-se que as formações rochosas mais antigas da América do Sul, com a idade de 3,4 a 3,5 bilhões de anos, estão entre os municípios de Brumado e Vitória da Conquista. Na escala geológica, o solo é da era do Paleoproterozoico ou do Proterozoico Inferior, equivalente a 1,6 e 2,5 Gigaannum. Foi neste intervalo que se formaram as rochas mais antigas e os solos mais ricos em todo e qualquer tipo de minério. Isso explica por que a serra das Éguas é tão rica em minerais.[69] Além de magnesita, contém também todos esses minerais já citados acima, o que faz concluir que seja um dos mais ricos solos do Brasil e um dos mais antigos do mundo, o que lhe faz ser um dos mais estudados pelos geólogos. O gráfico ao lado mostra as principais ocorrências de minerais no subsolo brumadense e seus correspondentes percentuais.[67][68]

HidrografiaEditar

 
Barragem de Cristalândia

O município de Brumado está inserido na bacia do rio de Contas e na microbacia do rio do Antônio, que abrange ainda os municípios de Caculé, Rio do Antônio, Licínio de Almeida, Guajeru e Malhada de Pedras. As principais drenagens da bacia do rio de Contas são: rio Brumado, rio São João, riacho Santa Maria, rio do Antônio e rio Gavião; os principais afluentes do rio do Antônio são: rio do Paiol, rio do Salto e o riacho do Quirino. A microbacia do rio do Antônio tem uma área de 6 540 quilômetros quadrados.[70][71] Dois dos maiores afluentes nascem em localidades muito distintas: o rio Brumado, afluente do Contas, nasce na serra das Almas, e o rio do Antônio na serra Geral, no município de Licínio de Almeida.[70][72] No rio de Contas está inserida a barragem de Cristalândia, que abastece a cidade, e no rio do Antônio, a barragem do rio do Antônio, que abasteceu a população urbana até 2010.[39]

 
Rio do Antônio, trecho Brumado

Os rios, em sua maioria, são intermitentes, a exemplo do rio do Antônio e São João. A bacia do rio de Contas tem precipitação anual entre 700 e 800 mm, com pouca possibilidade de grandes enchentes. A temperatura média é 22 °C. É caracterizada por dois biomas: Caatinga e Mata Atlântica, que vêm sofrendo desmatamento para dar lugar à agropecuária e à urbanização. Abrange uma área de 4 477,62 quilômetros quadrados.[73] A microbacia do rio do Antônio vem sofrendo, ao longo do tempo, degradação hídrica, por conta da poluição intensa das suas águas, desmatamento das matas ciliares e o excesso de barragens que são construídas. A principal drenagem da microbacia, o rio de mesmo nome, tem como função principal abastecimento humano, com uso mínimo para irrigação.[70]

ClimaEditar

O clima predominante é o semiárido, classificado como Bsh (quente e seco) segundo Köppen-Geiger. Entretanto, ocorrem temperaturas bem menos elevadas no cume dos montes, citando sempre como exemplo a serra das Éguas e morro da Pedra Preta, um dos pontos mais altos do município. O tempo chuvoso concentra-se entre outubro e março, enquanto no restante do ano as chuvas são escassas.[20][74] Mesmo com a escassez de chuvas, a cidade já sofreu com o excesso delas, como em 1968, quando o rio do Antônio sofreu uma grande enchente, ao ponto da água alcançar o centro da cidade, após passar por cima da ponte do bairro São Félix, que ficou ilhado. Outras enchentes ocorreram em 1982 e 1992. Sofreu também grandes secas, como a do ano de 1998.[39][70][75][76]

Segundo dados da estação meteorológica automática do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) no município, em operação desde o final de abril de 2008, a menor temperatura registrada em Brumado foi de 9,1 °C em 13 de julho de 2008 e a maior alcançou 41,4 °C em 10 de outubro de 2020.[77] O maior acumulado de precipitação chegou a 98,8 milímetros (mm) em 18 de dezembro de 2014.[78] A rajada de vento mais forte atingiu 23,8 m/s (85,7 km/h) em 23 de novembro de 2013. Nos dias 6 de novembro de 2008, 15 de outubro de 2014 e 8 de outubro de 2020 o índice de umidade relativa do ar (URA) chegou a 10%, sendo este o menor valor observado.[77]

Dados climatológicos para Brumado
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 40,7 39,3 39,9 38,1 36,2 37,2 35,4 36,8 38,7 41,4 40 40,6 41,4
Temperatura máxima média (°C) 30 31 29,8 29 28,1 26,2 26,1 27,2 29 30,2 29,6 29,4 28,8
Temperatura mínima média (°C) 19,7 20 19,9 19,3 17,7 16,2 15,5 15,9 17,5 19 19,7 19,7 18,3
Temperatura mínima recorde (°C) 17,2 17,2 16,7 14,4 12,2 10,7 9,1 11,1 12,6 13 16,4 16,7 9,1
Precipitação (mm) 85 69 97,4 47 13,7 8,8 6,3 2,9 15,1 46,9 116,3 134,2 642,6
Fonte: Jornal do Tempo (médias)[74] e Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (recordes de temperatura: 29/04/2008-presente)[77][78]

BiodiversidadeEditar

O umbuzeiro, protegido por lei municipal
Juazeiro, uma das árvores mais conhecidas na Caatinga

Ao longo do município, encontram-se quatro tipos de vegetação existentes em toda extensão territorial brasileira: Mata Ciliar, Cerrado, Campo Rupestre e Caatinga, que é a vegetação predominante. Nos cumes dos montes e serras, como serra das Éguas e morro da Pedra Preta e às margens dos rios encontram-se florestas tropicais fechadas e de pequeno porte, denominadas "gerais". Os Campos Rupestres, vegetação típica de ambientes montanos e altomontanos, ocorrem em altitudes acima dos 900 m, como é o caso novamente da serra das Éguas e morro da Pedra Preta; é caracterizado pela predominância de plantas arbustivas e/ou herbáceas, sobretudo nos cumes litólicos das serras.[63][64][65]

As espécies ocorrentes na Caatinga são muito diversificadas, algumas com importante valor comercial e ecológico, como aroeira (Astronium urundeuva) e braúna (Schinopsis brasiliensis), angico-preto (Anadenanthera macrocarpa) e o umbuzeiro (Spondias tuberosa), uma das árvores mais queridas e de muito valor ecológico que é protegida pela lei municipal nº 1 030 de 1992. Outras espécies, também notáveis, são o juazeiro e o jatobá e ainda outras espécies: cassutinga (Caesalpinia microphylla), maria-preta (Vitex sp.), umburana ou cumaru-nordestino (Amburana cearensis), jurema-branca (Mimosa ophthalmocentra) e jurema-preta (Mimosa hostilis), dentre muitas outras plantas rasteiras e arbustivas.[65]

Embora o município possua pequenas ilhas de floresta de pequeno porte denominadas Matas Ciliares, localizadas frequentemente às margens dos rios e córregos da região, a fauna é composta de animais adaptados à Caatinga. A biodiversidade animal acaba muitas vezes tendo seu habitat natural ameaçado por caçadores, empresas de mineração e fazendeiros, que visam o comércio ilegal de animais, exploração das riquezas naturais e expansão territorial, respectivamente, consequentemente, acaba acarretando uma atividade predatória desenfreada e sem controle algum com relação ao desequilíbrio ecológico que essa ação pode causar.[64][65]

Brumado tem uma biodiversidade muito ampla, tanto vegetal como animal, que vai de pequenos exemplares até animais de médio porte ameaçados de extinção. Na fauna, prevalece uma razoável quantidade de mamíferos; foram catalogadas pelo menos 148 espécies no interior do município e nas regiões circunvizinhas, praticamente todas ameaçadas de extinção. Estão distribuídas entre Cerrado e Caatinga; como destaque tem-se o puma concolor conhecida como onça-parda ou suçuarana, por ser uma das espécies mais ameaçadas de extinção, e o mocó (Kerodon rupestris), por ser endêmico (exclusivo da região). Outros exemplos são: veado-da-caatinga, tatu-peba ou tatupeba (Euphractus), paca (Agouti paca), gambá (Conepatus semistriata), raposa ou guaxaim (Dusicyon thous), gato-mourisco ou Herpailurus yagouaroundi (raposa-de-gato), furão (Galictis vittatus), quati (Nasua nassua) dentre outros. A caça desordenada desses animais para consumo alimentar é o fator que mais contribui para colocá-los na lista de extinção.[65]

 
O veado-da-caatinga, muito visado tanto em Brumado como em toda região, por isso há poucos exemplares

Há também uma infinidade de aves que faz parte da fauna; a maioria delas é visada por criadores e colecionadores, favorecendo o tráfico desses animais. Dentre as mais comuns e conhecidas estão: canário, codorna, perdiz, cardeal-do-nordeste (Paroaria dominicana), bacuruzinho-da-caatinga (Chordeiles pusillus), gralha-cancã (Cyanocorax cyanopogon), bigodinho (Sporophila lineola), garça-vaqueira (Bubulcus ibis), garça-branca-grande (Casmerdius albus), garrincha-de-bigode (Thryothorus genibarbis), seriema (Cariama cristata), sanhaço-de-fogo (Piranga flava), pássaro-preto ou coqui (Gnorimopsar chopi), anu-branco (Guira guira), anu-preto (Crotophaga ani), pica-pau (Dryocopus lineatus), trinca-ferro (Saltador simillis), vi-vi ou fim-fim (Euphonia clorotica), periquito-da-caatinga (Aratinga cactorum), corrupião ou sofrê (Icterus jamacaii), canário-do-reino, canário-da-terra, sabiá e muitos outros. Devido ao porte, as codornas e as perdizes são caçadas constantemente no interior do município.[65] As espécies de anfíbios e répteis presentes na fauna local são animais pequenos, como calango (Tropidurus torquatus). Dessas espécies, o calango-verde (Ameiva ameiva), é o que mais se vê, por não ter valor comercial, não ser comestível, nem ser peçonhento. Já o teiú (Tupinambis merianae) e o tatu são animais bastante caçados. As espécies de cobra mais conhecidas são: cascavel (Crotalus durissus) e jararaca (Bothrops jararaca), ambas são peçonhentas.[65]

DemografiaEditar

No censo demográfico de 2010, a população era de 64 602 habitantes, sendo 31 747 homens e 32 855 mulheres. A população residente urbana era de 45 131 habitantes e na zona rural, 19 471. Com área de 2 207,612 quilômetros quadrados, sendo a área da sede ocupando 2,174 quilômetros quadrados, sua densidade demográfica é de 30,44 habitantes por quilômetros quadrados. Veja abaixo a evolução do crescimento populacional, segundo a prefeitura.[19]

Crescimento populacional (Fonte: Diário oficial municipal)[79]
Ano População masculina População feminina Urbana Rural Total Taxa de urbanização Taxa de ruralização
1970 18 808 19 496 16 586 21 718 38 304 43,30 56,70
1980 22 857 23 900 25 728 21 029 46 757 55,02 44,98
1990 28 062 29 114 36 013 21 163 57 176 65,99 37,01
2000 30 398 31 236 40 673 20 961 61 634 65,99 34,01
2007 30 587 31 794 42 984 18 921 62 281 68,91 30,33
2010 31 747 32 855 45 131 19 471 64 602 69,87 30,13

Entre 1970 e 2016, a população teve um aumento de 31 169 habitantes.

ReligiãoEditar

 
Igreja matriz.

A Bahia é um estado muito diversificado culturalmente e quando o assunto é religião não poderia ser diferente. Não obstante, muitos que frequentam os cultos católicos também frequentam cultos de religiões de matrizes africanas, como umbanda e candomblé.[80] Na verdade, todos que se batizam na Igreja Católica são considerados católicos, mesmo que pratiquem outra religião.[81]

Em Brumado, no ano de 2012, segundo dados do IBGE, 50 869 pessoas professavam o catolicismo, 7 422 se identificaram como evangélicas e 994 pessoas se identificaram como espíritas. Das que professavam umbanda ou candomblé, sequer foram citadas;[14] mas isso não quer dizer que essas religiões não se fazem presentes. Não se têm números sobre essas religiões no município, mas elas existem, inclusive há informações que na cidade localiza-se o maior centro de candomblé do mundo, em forma de castelo.[82][83]

 
Igreja Santa Rita.

Grande parte das festividades religiosas é realizada pelos católicos, como por exemplo, as tradicionais procissões, como a de São Sebastião, patrono da cidade. Desde 1960, todo dia 20 de janeiro, os fiéis católicos comemoram o Dia de São Sebastião, quando percorrem várias ruas do centro da cidade.[84] É comemorado também o Dia de Santa Rita, com procissões.[85] Muitas outras manifestações religiosas são realizadas por eles. Para os evangélicos, o maior evento religioso festivo é a Marcha para Jesus, que geralmente acontece em setembro. Eles se reúnem no centro da cidade para se confraternizarem com seus irmãos ao som de música gospel. Também no Dia do Evangélico, 11 de junho, que coincide com a data do aniversário da cidade, os adeptos comemoram em dose dupla, conciliando as datas às duas comemorações, com realização de espetáculos musicais.[86][87]

Política e administraçãoEditar

 Ver artigo principal: Lista de prefeitos de Brumado
 
Antiga Prefeitura.
 
Atual Prefeitura.

Em 1877, o deputado provincial Marcolino Moura elaborou um projeto pedindo a emancipação política de Brumado, então chamado de Bom Jesus dos Meiras. Brumado, então, emancipou-se de Caetité à época do coronelismo, no dia 11 de junho do referido ano. A câmara de vereadores foi criada no dia 13 de janeiro do ano seguinte, quando o coronel Exupério Pinheiro Canguçu, o quarto e último senhor do Sobrado do Brejo, tornou-se o primeiro intendente.[27]

Atualmente, Brumado faz parte da 90º zona eleitoral da Bahia, com mais de 66 061 eleitores, contando com os eleitores dos municípios de Aracatu e Malhada de Pedras, sendo que 47 845 estão em Brumado.[88][89][90] A câmara legislativa é composta por 13 vereadores eleitos entre os 68 candidatos que disputaram vagas nas eleições de 2016.[91][92] Para atender melhor ao eleitorado, foi inaugurada em 2013, a nova sede do fórum eleitoral.[89]

Em 2020, na última eleição para prefeito, quatro candidatos disputaram o poder público municipal: Eduardo Vasconcelos, do Partido Socialista Brasileiro (PSB), Fabrício Abrantes Pires de Souza Oliveira, do Democratas (DEM), Geraldo Leite Azevedo, do Progressistas (PP) e Antônio Coqueiro de Souza, do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). O candidato Eduardo Vasconcelos venceu, obtendo 18 542 votos, equivalente a 48,83% dos votos válidos. O segundo colocado, Fabrício Abrantes Pires, obteve 16 308 votos, representando 42,95% dos votos válidos. O terceiro colocado, Geraldo Azevedo, obteve 2 829 votos, representando 7,45% dos votos válidos. O quarto e último colocado, Antônio de Souza, obteve 293 votos, representando 0,77% dos votos válidos. Portanto, Eduardo Vasconcelos continua como atual prefeito de Brumado.[93]

Na eleição para presidente em 2018, o então candidato, eleito após o pleito, Jair Bolsonaro, do Partido Social Liberal (PSL), obteve 10 604 votos, representando 28,62% dos votos válidos, ficando em segundo lugar no município. O candidato Fernando Haddad, do Partido dos Trabalhadores (PT), obteve 20 624 votos, representando 55,67% dos votos válidos, conquistando o primeiro lugar. O terceiro colocado, Ciro Gomes, do Partido Democrático Trabalhista (PDT), obteve 3 986 votos, equivalente a 10,76% dos votos válidos. No segundo turno, entre Fernando Haddad e Jair Bolsonaro, Haddad conseguiu a maioria dos votos, ficando com 25 911, equivalente a 67,82%, e Bolsonaro obteve 12 294 votos, equivalente a 32,18% dos votos válidos.[94]

A política brumadense é muito regionalizada, por isso, não se tem grandes destaques em nível nacional, mas pode-se destacar personalidades como Newton Cardoso, ex-governador de Minas Gerais, Nelson Alves Aguiar, ex-deputado federal e estadual pelo estado do Espírito Santo e Edmundo Pereira Santos, ex-deputado estadual na Bahia e ex-vice-governador do Estado.

SubdivisõesEditar

 Ver artigo principal: Lista de bairros de Brumado

O município se subdivide três distritos: Ubiraçaba, Itaquaraí e Cristalândia. A zona urbana possui mais de 30 bairros, como Apertado Morro I e II, Centro, Cidade das Esmeraldas, Feliciano Pereira Santos, Jardim de Alá, Malhada Branca, Santa Tereza, São Félix, São José, São Sebastião, Tanque do Abaeté, Baraúnas, Dr. Juracy, Esconso, Flores, Ginásio Industrial, Centenário, Jardim Brasil, Maria José Viana, Mercado, Nobre, Norberto Marinho, Novo Brumado, Olhos d'Água, Parque Alvorada, Rodoviário, Vila Presidente Vargas, Brisas I, II, III e IV e São Jorge, entre outros.[95][96][97]

Vista panorâmica da cidade, destacando os bairros Centro, Flores, Mercado, Jardim Brasil. Ao fundo, serras das Éguas.

EconomiaEditar

O comércio é uma das principais fontes de renda. A cidade conta com sete instituições bancárias: Itaú, Bradesco, Banco do Nordeste, Banco do Brasil, Caixa, Sicoob e Banco do Povo. A partir da descoberta das minas de magnesita e talco, a cidade começou a se desenvolver, e com isso o comércio se fortaleceu.[98][99] Em 2019, o PIB per capita era de R$ 24 394,00.[8]

Setor primárioEditar

 
Agência Bradesco na praça Armindo Azevedo.

O setor primário, que engloba as atividades extrativistas e agropecuária, é o setor de menor participação no Produto interno bruto (PIB) do município. Não é uma base tão forte economicamente. em 2006, a Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI) divulgou dados, onde a agropecuária apareceu naquele ano com apenas 5,04% do PIB municipal. Embora esse setor tenha uma mínima contribuição, pode-se destacar algumas atividades importantes.[45]

Na agricultura, têm destaque cultivos como o de algodão, com 800 hectares plantadas e colhidas; feijão com 2.000 hectares plantadas e colhidas; mamona, 200 hectares plantadas e colhidas; mandioca, 200 hectares plantadas e colhidas; melancia, 350 hectares, plantadas e colhidas; e umbu, que se cultiva naturalmente, sem intervenção humana, por ser nativo, portanto, presente em toda extensão do município. Outros cultivos de pequena produtividade são: manga, com 25 hectares plantadas e colhidas e o coco-da-baía com 20 hectares plantadas e colhidas. Esses dados são do IBGE, em 2014.[14]

Na pecuária, têm destaque os bovinos com 45 105 cabeças e os galináceos com efetivo total de 87 654 cabeças, sendo 37 657 cabeças de galinhas. Os caprinos somaram um total de 29 654 cabeças; ovino, 13 534 cabeças; suíno, 16 326 cabeças (IBGE/2014).[14] Segundo a SEI, em 2006 a indústria correspondeu por 52,31% do PIB do município. Esse percentual é obtido em função da transformação de recursos minerais extraídos no município em produto final ou intermediário, pelas empresas RHI Magnesita (antiga Magnesita Refratários), Xilolite S.A. e Ibar Nordeste S.A. A mineração é a maior fonte de riqueza do e gera emprego para a maioria da população.

Brumado conta com ricas jazidas de magnesita, talco e outros minerais, como vermiculita, dolomita, cristal de rocha e granitos dos mais variados tipos, porém, apenas magnesita e talco são explorados, tendo-se o primeiro como principal produto da indústria de mineração, colocando o município como maior produtor do País e o segundo produtor de talco.[45] Segundo a SEI, em 2006, o município foi responsável por 94% da produção total no Brasil, e a produção de talco alcançou os 38% de todo o talco bruto produzido.[20][24]

Setor secundárioEditar

O setor secundário está intimamente ligado ao setor primário. Visto que há poucas indústrias de transformação no município, grande parte do percentual do setor primário é, consequentemente, integrado ao setor secundário, por conta do extrativismo mineral — visto que as próprias indústrias de mineração fazem parte dos dois setores — uma vez que elas extraem minério e fabricam vários produtos advindos de sua própria extração, juntamente com outras pequenas indústrias, inclusive metalúrgicas, contribuindo para que este setor tenha muita capacidade. Portanto, o potencial de extrativismo mineral não é acrescentado aos 5,04% do setor primário, mas a transformação dessa matéria-prima é integrada ao setor secundário; caso contrário, o setor primário teria um percentual maior. As mineradoras, além de extraírem os recursos primários, fabricam alguns produtos para consumo direto, como talco medicinal, talco cosmético e talco para fabricação de celulose e uma infinidade de produtos para consumo em agronegócio. Visto que os 52,31% do PIB municipal está mesclado à extração e transformação, subentende-se que esse percentual se divide, tecnicamente falando, entre o setor secundário e primário.[45][100][101]

Setor terciárioEditar

O setor terciário é responsável por 46,24% do PIB, sendo o segundo setor que mais contribui para a economia do município.[45]

 
Rua comercial em Brumado.

O comércio desempenha um papel importante para o desenvolvimento econômico da cidade. Muitos dos comércios são associados à Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) da cidade. Existem em todo município mais de 1 800 empresas registradas, sendo que 1 775 são ativas; entre indústrias, lojas e prestadoras de serviços. Conforme os últimos dados, essas empresas empregavam 12 677 pessoas que somadas à todas as pessoas ocupadas, obtinham-se o valor de 14 913, em empresas ativas e com devido registro (IBGE/dados de 2012).[14][24] As empresas de prestação de serviços que executavam obras federais e estaduais a partir de 2011 empregavam grande quantidade de pessoas, inclusive de outros municípios. As maiores empregadoras dessas empresas eram Grupo Andrade Gutierrez e Valec, responsáveis pela construção da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol).[23] Até 2013 foram essas empresas e suas terceirizadas que desempenharam um papel importante para a economia local, além das mineradoras que entre 2011 e 2015 investiram em suas instalações, gerando emprego para a população da cidade e também para outras cidades vizinhas.[102]

Nos anos de 2014 e 2015, algumas empresas que prestavam serviços ao Estado tiveram várias vezes suas obras suspensas, o que causou insegurança financeira para funcionários e para o comércio.[103] A prestação de serviço tem uma maior parcela absorvida pela indústria de mineração, quer pelos serviços constantes, quer por serviços temporários resultantes de investimentos casuais. A construção civil também tem contribuído muito para o crescimento econômico, desde 2009.[22]

InfraestruturaEditar

SaúdeEditar

A principal instituição de saúde em Brumado é o Hospital Municipal Professor Magalhães Neto (HMPMN), o qual possui 20 leitos de Unidade de terapia intensiva (UTI), sendo dez leitos de UTI adulto e dez neonatais, o que possibilita a realização de procedimentos cirúrgicos de alta complexidade, beneficiando cerca de 160 mil pessoas da região imediata do município.[104] A cidade possui apenas um hospital público, entretanto, contando com vários postos de saúde, distribuídos entre os bairros. Possui 23 unidades com cobertura do Sistema Único de Saúde (SUS) que realizam atendimentos de pequena à média complexidade. Por outro lado, a cidade pode-se considerar bem servida por clínicas que realizam os mais diversos tipos de exames e tratamentos específicos. Em 2012, o município apresentava um total de 122 estabelecimentos de saúde, sendo 2 estaduais, 34 municipais e 77 privados.[13][14]

Saneamento
 
Caixa da Embasa no bairro Jardim Brasil.

Em 2005, foi iniciada no rio de Contas a construção da barragem de Cristalândia, no distrito de mesmo nome, após uma marcante seca entre os anos de 1998 e 1999. A população brumadense naquela ocasião teve o abastecimento de água comprometido em sua totalidade, passando a ser abastecida por caminhões-pipas. Antes da construção da barragem de Cristalândia, a cidade era abastecida pela antiga barragem do rio do Antônio,[39] que foi analisada tardiamente e dada como imprópria para consumo humano, por conter excesso de minerais de vários tipos.[105] Enfim, construiu-se o reservatório ainda incompleto e, desde então, a sede do município não tem passado por maiores problemas de abastecimento de água.[106][107]

Em 2012, o IBGE indicou que 17 159 domicílios possuíam água encanada e tratada. Também, que apenas 62,6% das residências urbanas, em vias públicas, possuem esgotamento sanitário adequado; e ainda que apenas 4,4% dos domicílios urbanos, em vias públicas, possuem urbanização adequada; e também que 87% deles possuem arborização.[2][14] A coleta de lixo na cidade é realizada diariamente à noite e, alternadamente, faz-se a coleta seletiva, porém ainda não se tem um aterro sanitário, e o lixo é descartado a céu aberto.[44][98] Para atender às exigências da lei federal n° 11 445, de 5 de janeiro de 2007, regulamentada pelo decreto federal 7 217, de 21 de junho de 2010 — que obriga os municípios a criarem meios eficientes para o destino do lixo e de outros resíduos produzidos —, discute-se a elaboração do novo plano de saneamento para a cidade.[108][109] Enquanto isso, algumas ruas, principalmente em bairros novos, continuam sem esgotamento por estarem também sem pavimentação; embora boa parte das ruas e avenidas são pavimentadas, ainda há muitas ruas com pavimentação não adequada.[2][44][110]

Na zona rural, o saneamento segue o que é comum nessas localidades: A água é armazenada em poços artesianos, cacimbas e lagos. Com o incentivo do Governo Federal, através do Programa Água para Todos, foram construídas cisternas no chão para consumo, e foram distribuídas caixas de fibra ou polietileno, para armazenamento de água para consumo humano.[111][112][113] O problema é que, algumas vezes, poços artesianos produzem água salobra, dificultando o abastecimento.[24][64]

EducaçãoEditar

Brumado tem muitos problemas na área da educação, embora tenha obtido avanços. O ensino superior é realizado em boa parte por universidades particulares, com a maioria dos cursos à distância. Conta com um campus da Universidade do Estado da Bahia, a única universidade pública na cidade; Instituto Federal da Bahia (Ifba), que atualmente oferece um curso superior, o de Engenharia de minas e outros cursos técnicos profissionalizantes.[114] O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e o antigo Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães (Ceep), também oferecem cursos técnicos e profissionalizantes, além de outras escolas técnicas particulares. Em 2010, segundo o censo do IBGE, 50 899 pessoas eram alfabetizadas.

Educação de Brumado em números
Nível Matrículas Docentes Escolas (total)
Ensino pré-escolar 1820 92 31
Ensino fundamental 9399 493 35
Ensino médio 2885 168 4
Fonte: IBGE (2019)[115]

[116][117] Confira na tabela ao lado os dados da educação no município, em 2015.[118] As instituições de ensino superior presentes no município, seja com educação à distância ou presencial, são: Universidade do Estado da Bahia,[119] Universidade Aberta do Brasil (UAB),[120] Universidade Norte do Paraná (Unopar),[121] Centro Universitário Internacional (Uninter),[122] Universidade Paulista (Unip),[123]Faculdade Pitágoras.[124] e Instituto Federal da Bahia.[114]

As instituições que oferecem o ensino técnico são: Instituto Federal da Bahia[125] Centro Estadual de Educação Profissional (Ceep),[126] Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai),[127] Colégio Objetivo de Brumado (COB).[128]

Escola de tempo integral

O Programa Municipal de Atendimento à Aprendizagem (PMAA), que foi financiado apenas com verbas municipais, começou a ser implantado entre 2009 e 2011, teve um alto investimento e ganhou o Prêmio Inovação em Gestão Educacional do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (Inep). Seu objetivo foi implantar escolas de tempo integral no município. Aprovada por 80% dos pais de alunos, essa iniciativa, além de contribuir para o aprendizado intensivo dos estudantes, ainda ajuda a tirá-los de situação de risco, como contato com o tráfico de drogas, por ficarem o resto do dia desocupados pelas ruas, segundo a prefeitura.[129] As aulas por tempo integral têm período de nove horas e meia e concilia os turnos matutino e vespertino. As aulas de reforço escolar — principalmente em Matemática — atividades diversificadas e reuniões constantes entre os professores foram responsáveis por boa parte do sucesso do projeto.[129] Foi aplicado um investimento alto no sentido de melhorar a qualidade da rede municipal de ensino. O número de salas de aula dobrou, e foi realizada reforma de outras escolas. Na ampliação da rede, também foram construídos auditórios, quadras poliesportivas com vestiários, salas de informática e cozinhas industriais. Além disso, essas escolas dispõem de quatro refeições por dia. Mesmo com certo investimento, a principal dificuldade, porém, é a falta de mão de obra qualificada. A inclusão social também é praticada nestas escolas, e os alunos com variados tipos de deficiências recebem tratamento especializado. Embora os incentivos do Governo Federal sejam mínimos e insuficientes, o governo municipal buscou, até o momento, parcerias e participações nos programas federais de educação, como o Programa Nacional Mais Educação e o Programa Nacional de Alfabetização na Idade Certa.[129]

Segurança públicaEditar

A segurança pública em Brumado está a cargo das polícias Civil e Militar da Bahia, além da guarda municipal. A polícia civil possui uma sede denominada 20ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (20ª Coorpin), e a polícia militar dispõe da 34ª Companhia Independente de Polícia Militar (34ª CIPM).[130][131][132]

Há problemas, como o déficit policial e a falta de incentivos financeiros e sociais do Governo Estadual. Isso faz com que o número de assaltos à mão armada aumente significativamente. O ano de 2013 foi o mais violento dos últimos dez, registrando 20 homicídios. Conforme dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, no referido ano, o número de assassinatos para cada 100 mil habitantes chegou a 36,35, o que colocou o município acima da média nacional, que no mesmo ano estava em 29,99. Em relação à posição no ranking, o município se configurou em 30º lugar no Estado e 337º no País.[133][134][135][136] Um presídio já pronto, com capacidade para 590 custodiados, visa melhorias, já que as autoridades alegam que a grande quantidade de criminosos soltos se deve, até então, à falta de um.[137]

Serviços e comunicaçõesEditar

Os serviços de desenvolvimento humano e serviços públicos, como pavimentação, construção de galerias para esgotamento sanitário etc, estão sob responsabilidade da Secretaria Municipal de Infraestrutura.[138] Os serviços essenciais como água encanada e energia elétrica são prestados por empresas estatais da Bahia. A Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) é encarregada de oferecer os serviços de esgotamento sanitário e abastecimento de água, e a Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba) presta os serviços públicos de fornecimento de energia elétrica e manutenção da rede de energia.[139]

A população brumadense goza de meios de comunicação satisfatórios, como sinal de quatro operadoras de celular: Claro, Vivo, TIM e Oi;[140] diversos web sítios (sites) de notícias, os principais são: Achei Sudoeste, Agora Sudoeste, 97 News e Destaque Bahia; duas rádios FM: Alternativa 97,9 e Rádio Nova Vida 87,9;[141][142] e dois jornais em versões impressas e online: Tribuna do Sertão e Jornal do Sudoeste; e uma revista de circulação bimestral, a Entrevip, também com versões impressas e online, voltada para o mundo da moda.[143][144][145]

TransportesEditar

Os serviços de transporte são satisfatórios. A cidade possui uma empresa de ônibus circular que faz linhas entre bairros e vilas e também realiza transporte de funcionários de empresas da cidade.[146]

 
Avenida Lindolfo Brito, Bairro Feliciano Pereira Santos

Há uma empresa de ônibus sediada na cidade que faz transporte interurbano e interestadual e viagens turísticas.[147] A cidade conta com um pequeno aeroporto que atualmente opera apenas voos particulares.[148] Brumado possui um entroncamento rodoviário que dá acesso às cidades de Vitória da Conquista (BA-262); Caetité e Guanambi, (BR-030);[149][150] Livramento de Nossa Senhora e Rio de Contas (BA-148).[98][151][152] O transporte ferroviário é voltado para escoamento de minério e atualmente é realizado pela VLI Multimodal S.A., através da antiga ferrovia RFFSA; e uma outra ferrovia, a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), está sendo construída com o mesmo objetivo.

A cidade dispõe de um anel rodoviário, extensão da BR-030, que possibilita o desvio de veículos pesados.[153] Conta também com as subsedes da Circunscrição Regional de Trânsito (18ª Ciretran) e Departamento Estadual de Trânsito (Detran)[154][155], além do Departamento de Trânsito e Transporte Urbano do município (DTTU).[156]

Cultura e lazerEditar

 
Lira Ceciliana Brumadense.

A Própria Prefeitura, através da Secretaria de Educação e Cultura, é a entidade responsável por elaborar, organizar e, algumas vezes, custear (em parte ou integralmente) eventos tradicionais do município, como as festas juninas, carnaval e outros eventos em geral. A cultura brumadense é diversificada e está intimamente ligada às raízes sertanejas, como São João, São Pedro e Folia de Reis. Outras entidades privadas com fins lucrativos ou não, também contribuem para a cultura musical e/ou literária da cidade, como por exemplo, a Lira Ceciliana Brumadense e a Academia de Letras e Artes de Brumado.[157][158]

LiteraturaEditar

Brumado é a terra natal de Mário Rizério Leite, escritor folclorista, romancista e cronista. Foi membro da Academia Goiana de Letras e escreveu várias obras sobre temas relacionados às crenças e costumes dos habitantes do sertão da Bahia e de Goiás, onde viveu maior parte da sua vida. Foi um dos fundadores da Universidade Federal de Goiás (UFG). Mário escreveu livros como: Lendas de Minha Terra, Poeira no Ar, Mãe Mariinha, Xuruê, Muçurana e O Vaqueiro Ciriaco.[159] Também é berço do cordelista José Walter Pires, membro da Academia Brasileira de Literatura de Cordel e do Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros. Zé Walter, como conhecido, é, também, educador, advogado e autor de diversos títulos de Literatura de cordel entre outras obras. Embora não seja natural de Brumado, Zé Walter optou por morar nesta cidade, onde realiza suas atividades profissionais.[160] Como cenário literário, Brumado é descrito nas obras dos escritores Licurgo Santos Filho, no livro Uma Comunidade Rural do Brasil Antigo (Aspectos da Vida Patriarcal no Sertão da Bahia nos Séculos XVIII e XIX) e Sinhazinha, de Afrânio Peixoto, ambos relatando a história das famílias existentes no século XVIII, sendo que o livro de Afrânio se ocupa mais ficção do que com a realidade.[32]

CinemaEditar

 
Unidade dos Cinemas Premier, na Av. Otávio Mangabeira.

Na cidade já foram inauguradas três salas de cinema. O Cine Cairu foi a primeira, inaugurada em meados de 1950; seu dono era o senhor Eufrásio Torres. O cinema contava com apenas 203 cadeiras. Em 1964, outra sala foi inaugurada com o nome de Cine Teatro Fátima, que mais tarde, na década de 1980, teve seu nome mudado para Cine Teatro Regina. A nova sala era mais moderna, mais espaçosa e comportava até 500 pessoas sentadas. Além de exibir filmes, no espaço ainda eram realizados outros tipos de eventos, como competições musicais, entre outros. O Cine Teatro Fátima foi um marco importante na cultura brumadense. Foi inaugurado em 23 de dezembro de 1964, com a exibição do filme Ursus nella terra di fuoco (Ursus na Terra do Fogo); por fim, foi fechado em 1988 com o nome de Cine Teatro Regina.[38] Futuramente, em meados dos anos 2000, seria inaugurado o Cine Sophiplex (com duas salas), porém, a concorrência com as novas tecnologias audiovisuais, como DVDs e telões de plasma daquela época, aliadas à grande quantidade de locadoras, obrigariam o fechamento do cinema anos depois. Porém, em 6 de abril de 2019, a sala foi reinaugurada com o nome de Cinemas Premier, exibindo o filme Captain Marvel (Capitã Marvel).[161][162][163]

Lazer, turismo e eventosEditar

Imagens da praça Coronel Zeca Leite.

A cidade tem certo potencial turístico desenvolvido pela realização de festas tradicionais, como São João e São Pedro.[164] Possui uma rede hoteleira estruturada.[165] Além desses atrativos, quem visita a cidade pode fazer passeios pela serra das Éguas, com autorização das mineradoras que lá estão.[166][167] Embora a cidade não tenha tradição turística, uma pesquisa realizada em 2016 pela Expedia Brasil, empresa especializada em turismo e viagens, constatou que Brumado é uma das 40 cidades pequenas, no Brasil, que merece ser visitada, devido ao potencial turístico pouco explorado, com destaque para o distrito de Cristalândia.[168]

Dentro do território da empresa RHI Magnesita há as ruínas do Sobrado do Brejo e a fazenda Condado, este último ainda existente; ambos do início século XIX, possuem um rico valor histórico, mas não foram tombados por terem sido adquiridos pela empresa Magnesita.[169] As belezas naturais do município são pouco divulgadas, como as grutas na serra das Éguas e suas nascentes. O povoado de Cristalândia é um dos atrativos.[166] Alguns pontos considerados turísticos são: Igreja Matriz, Mercado de Artes, Arquivo Histórico Municipal, fazenda Condado, ruínas do Sobrado do Brejo, minas de magnesita e talco, o rio de Contas, serra das Éguas, praça e anfiteatro Coronel Zeca Leite, barragem de Cristalândia e a Ponte Pênsil.

EsportesEditar

As realizações esportivas na cidade são, em sua maioria de nível amador, como a Maratoninha, para crianças de até 12 anos, que é realizada anualmente no dia 12 de outubro[170] e os torneios de futebol nos bairros e na zona rural. Os eventos esportivos mais importantes da cidade são os campeonatos de futsal e a Corrida Ecológica Brumado a Rio de Contas, uma das mais importantes competições ciclísticas da Bahia, que é disputada em várias categorias, contando com participação de atletas de toda parte do País. A competição é interestadual e é reconhecida pela Federação Baiana de Ciclismo e pela Confederação Brasileira de Ciclismo, e a pontuação serve para definição no ranking nacional.[171]

O futsal brumadense é um dos principais esportes praticado na cidade, esporte em que o Brumado Futsal é tetracampeão baiano.[172] Outro evento esportivo muito comum são as rodas de capoeira. São realizados batizados, momento em que os atletas são graduados com cordões coloridos, respectivos à sua graduação.[173]

FeriadosEditar

Há na cidade 15 feriados, sendo dez nacionais, três municipais, um estadual, e um ponto facultativo. Os feriados nacionais são: 1 de janeiro (Confraternização internacional); Paixão de Cristo; 21 de abril (Tiradentes); 1 de maio (Dia Mundial do Trabalho); Corpus Christi; 7 de setembro (Independência do Brasil); 12 de outubro (Dia de Nossa Senhora de Aparecida); 2 de novembro (Dia de Finados); 15 de novembro (Proclamação da República) e 25 de dezembro (Natal).[174] Os feriados municipais são: 11 de junho (emancipação do município); 20 de janeiro (Dia de São Sebastião, patrono da cidade) e 6 de agosto (Dia de Bom Jesus, padroeiro da cidade).[175] Feriado estadual, apenas um: 2 de julho (Independência da Bahia).[176] Ponto facultativo: a Quarta-feira de cinzas (até as 14h).[174]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Prefeitura de Brumado. «Lei nº 1510, de 6 de agosto de 2007». Consultado em 9 de novembro de 2016. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2016 
  2. a b c d e f g h i j Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Brumado». Consultado em 10 de dezembro de 2018. Cópia arquivada em 10 de dezembro de 2018 
  3. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  4. Mapas do Mundo. «Mapa do estado da Bahia». Consultado em 11 de novembro de 2016. Cópia arquivada em 12 de novembro de 2016 
  5. a b c Tribunal de contas da Bahia. «Município Brumado». Consultado em 23 de abril de 2020 
  6. Climate.org 2015. «Clima de Brumado». Consultado em 9 de dezembro de 2015 
  7. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca CEP—Endereço». Consultado em 17 de abril de 2020 
  8. a b c IBGE. «PIB por Município». Consultado em 17 de abril de 2020 
  9. Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 12 de agosto de 2013. Arquivado do original (PDF) em 8 de julho de 2014 
  10. Atlas do Desenvolvimento no Brasil. «Brumado-BA». Consultado em 18 de abril de 2020 
  11. Atlas do desenvolvimento humano no Brasil. «Brumado-BA». Consultado em 17 de abril de 2020 
  12. «Distanciaskm.com» 
  13. a b c SESAB. «Mapa da Saúde». Consultado em 12 de novembro de 2015 
  14. a b c d e f g h i j k l IBGE. «Perfil dos municípios brasileiros». 2015. Consultado em 12 de novembro de 2015 
  15. Firjan. «Análise Especial IFDM 2018, Ano Base 2016: Bahia» (PDF). Consultado em 8 de junho de 2020 
  16. FIRJAN. «IFDM para Brumado-BA». Consultado em 4 de dezembro de 2015 
  17. Firjan. «Brumado-BA». Consultado em 8 de junho de 2020 
  18. Urban Systems. «100 cidades pequenas que dão um show em infraestrutura». Consultado em 17 de março de 2016 
  19. a b IBGE. «Brumado (síntese das informações». Consultado em 7 de novembro de 2016 
  20. a b c d CETEM. Luís Rodrigues Armôa Garcia, Paulo Roberto Gomes Brandão, Rosa Malena Fernandes Lima. «Magnesita» (PDF). Consultado em 11 de novembro de 2015 
  21. a b Prefeitura de Brumado. «Aspectos Gerais». Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  22. a b c UNEB. «O crescimento Urbano e a Degradação Hídrica no Vetor Norte da Cidade de Brumado-BA». Consultado em 16 de novembro de 2015 
  23. a b Valec. «FIOL Emprega Mão de Obra Local». Consultado em 12 de novembro de 2015 
  24. a b c d CPRM. «Cadastro de Fontes de Abastecimento por Água Subterrânea» (PDF). CPRM 2001. Consultado em 25 de novembro de 2015 
  25. a b Prefeitura Municipal de Brumado, página oficial do município. «Origem do nome». História do município de Brumado. Consultado em 11 de novembro de 2015 
  26. a b Câmara de Vereadores de Brumado. «História da Câmara». Consultado em 4 de novembro de 2016 
  27. a b c d e f g Uneb. «Sobre Brumado». Consultado em 4 de novembro de 2016 
  28. Dicionário online. «monazita». Consultado em 27 de dezembro de 2015 
  29. IBGE. «Enciclopédia dos municípios brasileiros, volume 22». Consultado em 1 de dezembro de 2015 
  30. Câmara Municipal de Brumado. «História da Câmara». Consultado em 29 de novembro de 2015 
  31. Abril Online. «Guia do estudante – dos Réis ao Real». Consultado em 26 de dezembro de 2015 
  32. a b Licurgo Santos Filho. «"Uma Comunidade Rural do Brasil"». Consultado em 12 de março de 2016 
  33. Licurgo Santos Filho. «Uma Comunidade Rural do Brasil Antigo (Aspectos da vida patriarcal nos séculos XVII e XIX» (PDF). Consultado em 14 de maio de 2020 
  34. Erivaldo Fagundes Neves. «Posseiros, Rendeiros e Proprietários: Estrutura Fundiária e Dinâmica Agro-Mercantil no Alto Sertão da Bahia (1750-1850)» (PDF). Consultado em 18 de maio de 2020 
  35. Universidade Estadual de Feira de Santana. «"Livros de fazenda"». Consultado em 12 de março de 2016 
  36. IBGE. «"IBGE: Monografia municipal de Brumado"» (PDF). Consultado em 1 de fevereiro de 2017 
  37. IBGE. «Brumado—história». Consultado em 22 de abril de 2020 
  38. a b c d Ângela dos Santos Meiras. «O cinema de Brumado Enquanto Espaço de Socialização — o Cine Fátima em Brumado» (PDF). Consultado em 20 de novembro de 2015 
  39. a b c d e Empresa Baiana de Saneamento. «Barragem de Cristalândia é solução para escassez de água na Região de Brumado». Consultado em 17 de novembro de 2015 
  40. Vera Spínola; Marcelo Xavier. «Desafios ao Fortalecimento da Cadeia do Algodão: o Caso da Região Oeste» (PDF). Consultado em 4 de novembro de 2016 
  41. Estado da Bahia — municípios, vol. III, pág. 257. «Bom Jesus dos Meiras». Consultado em 4 de novembro de 2016 
  42. 97 News. «Itaquaraí irá sediar o Primeiro Encontro dos Produtores de Maracujá do Sertão Produtivo Ainda em». Consultado em 9 de novembro de 2016 
  43. a b c Poliana Machado da Silva. «A Mineração e o Crescimento Urbano do Município de Brumado». Consultado em 12 de novembro de 2015 
  44. a b c d e Roberta Vargas Dias. «A Eestratégia do Desenvolvimento de Brumado-BA: Baseado na Mineração vs. Baseado nos Serviços» (PDF). Consultado em 25 de novembro de 2015 
  45. Xilolite S.A. «Histórico». Consultado em 16 de novembro de 2015 
  46. Sonic. «História do cimento no Brasil» (PDF). Consultado em 25 de novembro de 2015 
  47. ABCP. «Cimento Brumado agora é da Cimpor». Consultado em 16 de novembro de 2015 
  48. Veja. «Camargo Corrêa conclui aquisição da CIMPOR e avança no Brasil». Consultado em 28 de setembro de 2016 
  49. Janine Andrade. «Brumado: Fábrica de cimento encerra suas atividades». Consultado em 16 de setembro de 2019 
  50. Assembleia Legislativa da Bahia. «Dep. Edmundo Pereira». Consultado em 8 de novembro de 2016 
  51. Brumado Agora. «Barragem do Rio do Antônio está quase seca». Consultado em 8 de novembro de 2016 
  52. Uneb. «Projeto do curso de graduação em Direito – bacharelado» (PDF). Consultado em 8 de novembro de 2016 
  53. CX Rádio. «Alternativa FM». Consultado em 8 de outubro de 2016 
  54. Evilásio Júnior. «Eduardo Vasconcelos». Consultado em 8 de novembro de 2016 
  55. Brumado Notícias. «Obras da Fiol são retomadas no Lote III; Brumado está na expectativa do retorno». Consultado em 8 de novembro de 2016 
  56. Valec. «Ferrovia de Integração Oeste Leste». Consultado em 8 de novembro de 2016 
  57. Bol Notícias. «Enel inicia construção do parque eólico de Cristalândia». Consultado em 8 de novembro de 2016 
  58. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Divisão Regional do Brasil». Consultado em 10 de dezembro de 2018. Cópia arquivada em 10 de dezembro de 2018 
  59. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1990). «Divisão regional do Brasil em mesorregiões e microrregiões geográficas» (PDF). Biblioteca IBGE. 1: 66–68. Consultado em 10 de dezembro de 2018. Cópia arquivada (PDF) em 10 de dezembro de 2018 
  60. Senado Brasileiro. «Decreto Nº 67.747, de 8 DE dezembro de 1970». Consultado em 8 de novembro de 2016 
  61. Apolo 11. «Latitude e Longitude das cidades Brasileiras». Consultado em 7 de novembro de 2016 
  62. a b CBPM. «Meio Ambiente na Bahia». Consultado em 4 de dezembro de 2015 
  63. a b c d e UFBA. Mariana Oliveira Fraga Lima. «Caracterização Hidroquímica da Qualidade da Água no Município de Brumado - BA» (PDF). Consultado em 25 de novembro de 2015 
  64. a b c d e f g Chesf. «RIMA -Relatório de Impacto ambiental – LT 230 kV Ibicoara/Brumado II C1 e SE Ibicoara 230/138 kV» (PDF). Consultado em 25 de novembro de 2015 
  65. Roberta Vargas Dias (2012). A estratégia do desenvolvimento de Brumado. Salvador: [s.n.] p. 45 
  66. a b c CBPM; UFBA Maria da Glória da Silva; José Carlos Cunha. «Greestone Belts Sequencias Vulcanossedimentares Equivalentes». Consultado em 25 de novembro de 2015 
  67. a b Revista Pesquisa FAPESP Online (4 de fevereiro de 2013). «A História do planeta contada pelas rochas». Consultado em 4 de dezembro de 2015 
  68. Geologia da Bahia
  69. a b c d Carina Gomes Messias. «Análise da Degradação Ambiental da Microbacia do Rio do Antônio em Brumado» (PDF). Consultado em 25 de novembro de 2015 
  70. Cristiane de Cerqueira Silva Santana; Hélio Augusto de Santana; Virgínia de Cerqueira Silva. «Levantamento arqueológico no alto curso do Rio Gavião (Bahia)» (PDF). Consultado em 6 de novembro de 2016 
  71. Lara Oliveira Sampaio. «Evolução socioeconômica da Microrregião de Livramento do Brumado». Consultado em 11 de novembro de 2016 
  72. Poliana Simas Magalhães. «Potencial de usos dos recursos hídricos para irrigação na sub-bacia de transição do Rio das Contas» (PDF). Consultado em 6 de novembro de 2016 
  73. a b «CLIMATOLOGIA PARA Brumado-BA». Consultado em 30 de julho de 2020. Cópia arquivada em 31 de julho de 2020 
  74. Brumado Agora. «Enchentes históricas do Rio do Antônio». Consultado em 25 de novembro de 2015 
  75. Brumado Notícias. «45 anos da enchente em Brumado». Consultado em 25 de novembro de 2015 
  76. a b c Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). «Estação: BRUMADO (A433)». Consultado em 30 de julho de 2020 
  77. a b INMET. «Gráficos». Consultado em 30 de julho de 2020 
  78. Lei municipal Nº 1.752, de 30 de junho de 2015 – Prefeitura de Brumado, consultado em 29 de abril de 2020
  79. Reginaldo Prandi. «Dossiê Religiões no Brasil – O Brasil com axé: candomblé e umbanda no mercado religioso». Consultado em 18 de dezembro de 2015 
  80. Abril_online2>Reginaldo Prandi. «Principais religiões». Consultado em 18 de dezembro de 2015 
  81. Portal Brumado,acessodata=18 de dezembro de 2015. «Especial espiritualismo candomblé» 
  82. Brumado Agora. «Diônata de Xangô». Consultado em 18 de dezembro de 2015 
  83. Diocese de Caetité. «Paróquia de Brumado festeja o seu patrono». Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  84. TV Nova Vida. «Paróquia Bom Jesus realiza festa para Santa Rita em Brumado-BA». Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  85. «Marcha para Jesus foi um sucessoautor=97 News». Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  86. Se liga Brumado. «Brumado: Minha terra, minha história». Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  87. placar UOL. «Apuração do 1° turno, Brumado». Consultado em 9 de dezembro de 2015 
  88. a b TRE-BA. «Inaugurado o novo fórum eleitoral de Brumado». Consultado em 9 de dezembro de 2015 
  89. Brumado Agora. «Eleições 2016: 47 845 eleitores estão aptos a votarem em Brumado». Consultado em 28 de setembro de 2016 
  90. Eleições 2016. «Vereadores Eleitos de Brumado - BA». Consultado em 22 de julho de 2017 
  91. Câmara Municipal. «Funcionamento». Consultado em 22 de julho de 2017 
  92. Uol/SP. «Eduardo Vasconcelos (PSB) é eleito prefeito de Brumado (BA)». Consultado em 26 de novembro de 2020 
  93. Gazeta do Povo. «Resultados para Presidente na Bahia em Brumado (BA)». Consultado em 16 de abril de 2019 
  94. Folha Regional. «Desativados cartórios de registro civil dos distritos de Brumado». Consultado em 18 de dezembro de 2015 
  95. Prefeitura de Brumado. «Inscrições Minha Casa Minha Vida». Consultado em 18 de dezembro de 2015 
  96. Brumado Notícias. «Brumado: Prefeitura divulga lista de beneficiados do Brisa I e II». Consultado em 14 de novembro de 2016 
  97. a b c Portal Brumado. «Histórico». Consultado em 18 de dezembro de 2015 
  98. Prefeitura de Brumado. «Inaugurada em Brumado a agência do Banco do Povo». Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  99. Magnesita S.A. «Talco». Consultado em 4 de dezembro de 2015 
  100. Associação das Indústrias de Brumado e Mcrorregião. «Institucional Aibrum». Consultado em 4 de dezembro de 2015 
  101. Aratu online. «Em tempo de crise Magnesita aumenta investimentos em Brumado». Consultado em 11 de novembro de 2015 
  102. Brumado Agora. «Devido a falta de repasse da Valec, operários da FIOL são demitidos». Consultado em 16 de novembro de 2015 
  103. A Tarde. «Nova ala de UTI em hospital de Brumado é inaugurada». Consultado em 24 de dezembro de 2017 
  104. Alan Salomão Moreira. «Estudo da Poluição Inorgânica no Rio do Antônio e Avaliação do Risco à Saúde Pública na População do Município de Brumado-BA». Consultado em 12 de dezembro de 2015 
  105. Tribuna da Bahia. «Seca afeta também as áreas urbanas». Consultado em 23 de novembro de 2015 
  106. |O Diário da Região. «Governo Federal e Estadual discutem novos investimentos no semiárido». Consultado em 4 de dezembro de 2015 
  107. Jornal do Sudoeste. «Brumado Vai Começar a Construir o Plano Municipal de Saneamento». Consultado em 23 de novembro de 2015 
  108. CREA-BA. «CREA Ajuda a Elaborar Plano de Saneamento em cidades do Sudoeste». Consultado em 20 de novembro de 2015 
  109. Portal da Transparência. «Lista de convênios». Consultado em 20 de novembro de 2015 
  110. Folha Regional. «Brumado Recebe Cisternas de Polietileno». Consultado em 17 de novembro de 2015 
  111. CAR. «Programa Água Para Todos». Consultado em 18 de novembro de 2015 
  112. Portal da Transparência. «Lista de convênios». Consultado em 18 de novembro de 2015 
  113. a b 97 Newa. «Inscrições para Curso de Engenharia de Minas no Campus do IFBA de Brumado será aberto dia 12». Consultado em 5 de junho de 2018 
  114. IBGE. «Brumado — panorama». Consultado em 29 de abril de 2020 
  115. Brumado Agora. «SENAI oferece curso gratuito de mecânico de manutenção de máquinas em geral». Consultado em 4 de dezembro de 2015 
  116. Brumado Agora. «Confira os cursos oferecidos pelo CEEP de Brumado». Consultado em 4 de dezembro de 2015 
  117. IBGE 2015. «Brumado (educação)». Consultado em 7 de novembro de 2016 
  118. Uneb. «Uneb». Consultado em 18 de dezembro de 2015 
  119. Universidade Aberta do Brasil. «Universidade Aberta do Brasil abre inscrições para o polo de Brumado». Consultado em 12 de dezembro de 2015 
  120. Unopar. «Unopar». Consultado em 18 de dezembro de 2015 
  121. «Portal do servidor». Consultado em 18 de dezembro de 2015 
  122. Educaedu.com. «Instituição Unip». Consultado em 18 de dezembro de 2015 
  123. Santos Júnior. «Ministério da Educação, Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior» (PDF). Consultado em 18 de maio de 2018 
  124. Ifba. «Ifba». Consultado em 18 de dezembro de 2015 
  125. Secretaria da Educação. «Secretaria de Educação». Consultado em 18 de dezembro de 2015 
  126. Portal Brumado. «Oportunidade de qualificação profissional pelo projeto qualifica Bahia e Senai». Consultado em 18 de dezembro de 2015 
  127. Destaque Bahia. «Colégio Objetivo de Brumado». Consultado em 9 de novembro de 2016 
  128. a b c Reviata Escola Pública. «Das Ruas para Escola». Consultado em 12 de novembro de 2015 
  129. Brumado Agora. «34ª Companhia Independente de Polícia recebe 15 novos policiais». Consultado em 9 de novembro de 2016 
  130. Brumado Agora. «Novo coordenador da 20ª Coorpin visita Eduardo». Consultado em 9 de novembro de 2016 
  131. Brumado Notícias. «Guarda municipal será reestruturada». Consultado em 9 de novembro de 2016 
  132. deepask. «Taxa de homicídios: Veja número de assassinatos por cidade do Brasil - BRUMADO, BA». Consultado em 10 de maio de 2020 
  133. Brumado Agora. «Bahia lidera número de assassinatos no país; Brumado registrou 20». Consultado em 9 de novembro de 2016 
  134. Brumado Notícias. «Brumado registra pelo menos um homicídio a cada quinze dias». Consultado em 9 de novembro de 2016 
  135. 97 News. «Os bandidos, a população e o descaso do governo com a questão da Segurança Pública». Consultado em 27 de março de 2016 
  136. Brumado Notícias. «Prefeitura aprova obras do presídio, mas Estado ainda não fez licitação para manutenção». Consultado em 28 de setembro de 2016 
  137. Prefeitura de Brumado. «Sec. Mun. de Infraestrutura». Consultado em 9 de novembro de 2016 
  138. Coelba Grupo Neoenergia consultado em 27 de março de 2016
  139. Listas.com. «Cobertura celular: Brumado-BA». Consultado em 19 de dezembro de 2015 
  140. Rádio Nova Vida. «Nova Vida FM». Consultado em 10 de novembro de 2016 
  141. Rádio Alternativa. «Alternativa FM». Consultado em 19 de dezembro de 2015 
  142. Docplayer. «Tribuna do Sertão – fundador: Maurício Lima Santos». Consultado em 18 de dezembro de 2015 
  143. Jornal do Sudoeste. «O Jornal». Consultado em 19 de dezembro de 2015 
  144. Revista Entrevip. «Revista Entrevip». Consultado em 19 de dezembro de 2015 
  145. Viação Catarino. «Quem somos?». Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  146. TPC_Turismo>TPC Turismo. «TPC Turismo». Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  147. Turismo Bahia. «Aeroportos e linhas aéreas da Bahia». Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  148. Derba. «Rodovias». Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  149. Denit. «BR-030». Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  150. Denocs. «Açude Brumado: Descrição Geral». Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  151. Transporte.gov. «Programa de Integração dos Corredores Rodoviários da Bahia PCR II» (PDF). Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  152. Destaque Bahia. «Anel rodoviário da BR-030 recebe recuperação asfáltica». Consultado em 9 de novembro de 2016 
  153. Ascom. «Nova Ciretran de Brumado amplia atendimento e oferece mais comodidade à população». Consultado em 9 de novembro de 2016 
  154. Ascom. «Mutirão do Detran acelera habilitação em Brumado». Consultado em 9 de novembro de 2016 
  155. Brumado Notícias. «DTTU e PM em prol da segurança no trânsito». Consultado em 9 de novembro de 2016 
  156. TCM. «Licitações, Contratos e Convênios» (PDF). Consultado em 12 de abril de 2020 
  157. Achei Sudoeste. «Brumado: Membros da Academia de Letras e Artes visitam prefeito». Consultado em 12 de abril de 2020 
  158. Canedo, Rogério Max; Silva, Atos Paulo Rodrigues (2020). «O tempo da história e o tempo da imaginação em 'Lendas de minha terra', de Mário Rizério Leite». In: Camargo, Goiandira Ortiz. Tessituras da poesia e prosa goianas. Campinas: Pontes Editores. pp. 29–52 
  159. Mapa da Palavra. «José Walter Pires (Zewalter)». Consultado em 12 de abril de 2020 
  160. Rádio Jovem Hits. «Organização fará exibição do DVD da 15° Corrida Ecológica Brumado a Rio de Contas». Consultado em 25 de novembro de 2015 
  161. Jornal do Sudoeste. «É o Seguinte». Consultado em 25 de novembro de 2015 
  162. Achei Sudoeste. «"Prefeito e convidados participam de solenidade de inauguração do Cinema Premier em Brumado». Consultado em 14 de abril de 2019 
  163. UOL. «Brumado celebra São Pedro até domingo». Consultado em 18 de dezembro de 2015 
  164. O Brumércio. «O Brumércio». Consultado em 12 de novembro de 2016 
  165. a b Portal Brumado. «Lista de 10 pontos turísticos em Brumado». Consultado em 3 de dezembro de 2015 
  166. Portal Terra. «festa de São João movimenta rodoviárias da BA». Consultado em 22 de julho de 2017 
  167. Expedia Brasil. «As 40 melhores e menores cidades do Brasil para visitar». Consultado em 14 de setembro de 2016 
  168. Portal Brumado. «Exupério Pinheiro Canguçu». Consultado em 25 de novembro de 2015 
  169. Municípios Baianos. «12ª Maratoninha será realizada no dia 12 de outubro». Consultado em 23 de novembro de 2015 
  170. Federação baiana de ciclismo. «16° Corrida Ecológica Brumado a Rio de Contas marcou a história da competição». Consultado em 23 de novembro de 2015 
  171. Jornal Alerta. «Brumado é tetracampeão baiano de futsal». Consultado em 23 de novembro de 2015 
  172. Portal Brumado. «Batizado de capoeira e show folclórico do Grupo Topázio serão neste fim de semana». Consultado em 23 de novembro de 2015 
  173. a b Portal Brasil. «Divulgado calendário de feriados nacionais de 2016». Consultado em 9 de novembro de 2016 
  174. Feriados Municipais. «Feriados municipais - Brumado-BA». Consultado em 9 de novembro de 2016 
  175. Valma Silva. «Historiador conta curiosidades sobre a luta pela independência na Bahia». Consultado em 9 de novembro de 2016 

Ligações externasEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Definições no Wikcionário
  Imagens e media no Commons
  Guia turístico no Wikivoyage
Prefeitura
Câmara
Outros
Obras relacionadas ao município