Abrir menu principal

Wikipédia β

Campeonato Brasileiro de Futebol de 1976

O Campeonato Brasileiro de Futebol de 1976, originalmente denominado Copa Brasil pela CBD, foi a vigésima oitava edição do Brasileirão. A competição decorreu de 29 de agosto até 12 de dezembro deste ano, e teve o Internacional como bicampeão ao vencer o Corinthians na final por 2 a 0, com 19 vitórias, 1 empate e 3 derrotas, 59 gols a favor e 13 contra, 54 pontos no total, 13 de vantagem sobre o segundo clube que mais pontuou,[1] obtendo 84% de aproveitamento, a melhor campanha da história dos Campeonatos Brasileiros após 1971, pelo menos.[2] Atlético Mineiro e Fluminense foram os outros semifinalistas.

XX Campeonato Brasileiro de Futebol
Copa Brasil 1976
Dados
Participantes 54
Organização CBD
Local de disputa  Brasil
Período 29 de agosto12 de dezembro
Gol(o)s 950
Partidas 411
Média 2,31 gol(o)s por partida
Campeão Rio Grande do Sul Internacional (2º título)
Vice-campeão São Paulo Corinthians
Melhor marcador Dario (Internacional) – 16 gols
Melhor ataque (fase inicial) Rio Grande do Sul Internacional – 25 gols
Melhor defesa (fase inicial) 2 gols:
Maior goleada
(diferença)
Flamengo Rio de Janeiro 8–1 Maranhão Sampaio Corrêa
Estádio do MaracanãRio de Janeiro (cidade)
16 de setembro, 6ª rodada
Público 7 024 637
Média 17 091,6 pessoas por partida
Premiações
Melhor jogador
Figueroa (Internacional)
Melhor árbitro José Roberto Wright (RJ)
◄◄ Brasil Brasileirão 1975 Soccerball.svg Brasileirão 1977 Brasil ►►

Dirigido pelo técnico Rubens Minelli, o Internacional tinha nomes no elenco como Manga, Marinho Peres, Caçapava, Batista, Paulo César Carpegiani, Falcão, Valdomiro, Dario e Lula, todos com passagem pela Seleção Brasileira em algum momento de suas carreiras, além do chileno Figueroa na zaga.[3] Dario foi o artilheiro da competição com 16 gols. Em relação ao time campeão brasileiro de 1975, as principais modificações foram as chegadas de Marinho Peres e Dario, nos lugares de Hermínio e Flávio Minuano.

A influência da política militar acrescentou mais doze clubes ao já inchado Campeonato Brasileiro, que passou a contar com 54 equipes.

Manteve-se o critério de pontuação diferenciada, ou seja, dois pontos para vitória simples e três pontos para vitória com diferença maior ou igual a dois gols.

Índice

Fórmula de disputaEditar

Primeira Fase: Seis chaves, em turno único, com nove clubes em cada; classificando para a segunda fase os quatro primeiros colocados de cada chave, sendo que os demais clubes classificavam-se para a repescagem.

Repescagem: Seis chaves, sendo cinco clubes em cada, disputando em turno único. Classificando para a terceira fase os campeões de cada chave.

Segunda Fase: Quatro chaves de seis clubes em cada. Turno único e classificando para a terceira fase os três primeiros colocados de cada chave.

Terceira Fase: Duas chaves com nove clubes em cada. Turno único, com o campeão e o vice de cada chave classificando-se para a semifinal.

Semifinal: Um jogo apenas em cada semifinal, sendo mandante o clube que tivesse melhor campanha em todo o campeonato. Em caso de empate, cada semifinal seria decidida por prorrogação e, mantido o empate, por cobranças de pênaltis.

Final Jogo único. Mando de campo favorecendo o clube com melhor campanha. Havendo empate, prorrogação e pênaltis.

Primeira faseEditar

- Ranking do top 4 de cada grupo da Segunda fase, as equipes restantes disputando uma reclassificação..

Grupo AEditar

Pos Equipe Pts PJ V E D GF GC SG
1.   Internacional 20 8 7 0 1 25 5 +20
2.   Grêmio 16 8 5 2 1 14 5 +9
3.   Santos 12 8 4 3 1 9 5 +4
4.   Palmeiras 11 8 4 2 2 7 2 +5
5.   Caxias 11 8 4 1 3 8 5 +3
6.   Avaí 6 8 2 1 5 5 11 –6
7.   Desportiva Ferroviária 5 8 2 1 5 5 14 –9
8.   Figueirense 5 8 2 1 5 3 17 –14
9.   Rio Branco 1 8 0 1 7 3 15 –12

Grupo BEditar

Pos Equipe Pts PJ V E D GF GC SG
1.   Botafogo-SP 12 8 4 2 2 9 5 +14
2.   Coritiba 11 8 4 2 2 9 7 +2
3.   Atlético Paranaense 11 8 3 3 2 8 4 +4
4.   São Paulo 11 8 3 3 2 8 5 +3
5.   Cruzeiro 11 8 3 4 1 9 6 +3
6.   Londrina 7 8 2 3 3 5 8 –3
7.   Confiança 7 8 2 3 3 6 10 –4
8.   Portuguesa 6 8 1 3 4 6 9 –3
9.   Uberaba 5 8 1 3 4 4 10 –6

Grupo CEditar

Pos Equipe Pts PJ V E D GF GC SG
1.   Corinthians 16 8 5 3 0 12 3 +9
2.   Fortaleza 13 8 4 3 1 12 5 +7
3.   Guarani 12 8 2 6 0 7 2 +5
4.   Remo 11 8 3 2 3 10 8 +2
5.   Nacional-AM 9 8 3 3 2 6 8 –2
6.   Ponte Preta 8 8 1 5 2 6 7 –1
7.   Paysandu 7 8 2 2 4 7 14 –7
8.   Rio Negro 6 8 1 3 4 6 11 –5
9.   Ceará 3 8 0 3 5 2 10 –8

Grupo DEditar

Pos Equipe Pts PJ V E D GF GC SG
1.   Atlético Mineiro 15 8 5 2 1 15 7 +8
2.   America 13 8 4 3 1 9 4 +5
3.   Goiás 11 8 4 2 2 11 7 +4
4.   Operário-MS 11 8 2 6 0 11 8 +3
5.   Vasco da Gama 9 8 4 0 4 9 11 -2
6.   Mixto 7 8 2 2 4 10 11 -1
7.   Americano 7 8 2 3 3 8 10 -2
8.   América Mineiro 5 8 1 2 5 8 9 -1
9.   Goiânia 4 8 1 2 5 9 23 -14

Grupo EEditar

Pos Equipe Pts PJ V E D GF GC SG
1.   Vitória 16 8 5 2 1 11 3 +8
2.   Bahia 15 8 4 4 0 11 2 +9
3.   Botafogo 14 8 4 3 1 14 7 +7
4.   Fluminense 13 8 4 2 2 13 6 +7
5.   Botafogo-SP 10 8 3 3 2 6 6 0
6.   CSA 8 8 2 4 2 10 11 -1
7.   CRB 6 8 2 1 5 5 14 -9
8.   Fluminense de Feira 4 8 1 1 6 6 14 -8
9.   Treze 2 8 1 0 7 6 19 -13

Grupo FEditar

Pos Equipe Pts PJ V E D GF GC SG
1.   Flamengo 18 8 6 1 1 24 5 +19
2.   Santa Cruz 15 8 5 2 1 12 5 +7
3.   Sport 12 8 5 1 2 8 5 +3
4.   América de Natal 10 8 2 5 1 6 4 +2
5.   Volta Redonda 9 8 2 4 2 9 10 -1
6.   Náutico 7 8 2 2 4 8 10 -2
7.   Flamengo-PI 6 8 1 4 3 7 11 -4
8.   ABC 4 8 0 4 4 5 12 -7
9.   Sampaio Corrêa 3 8 0 3 5 5 22 -17

Segunda FaseEditar

- Ranking do top 3 dos grupos G, H, I, J, mais as equipes vencedoras dos grupos de reclassificação.

Grupo GEditar

Pos Equipe Pts PJ V E D GF GC SG
1. Internacional 13 5 4 1 0 11 1 +10
2. Botafogo-SP 8 5 2 2 1 9 6 +3
3. Fluminense 5 5 2 1 2 7 6 +1
4. Fortaleza 4 5 1 2 2 5 8 -3
5. América de Natal 3 5 1 1 3 4 8 -4
6. Goiás 3 5 0 3 2 2 9 -7

Grupo HEditar

Pos Equipe Pts PJ V E D GF GC SG
1. Grêmio 10 5 4 1 0 7 1 +6
2. Coritiba 8 5 3 1 1 5 2 +3
3. Corinthians 7 5 3 0 2 6 6 0
4. Operário-MS 6 5 2 0 3 5 5 0
5. Botafogo 4 5 2 0 3 3 6 -3
6. Sport 0 5 0 0 5 0 6 -6

Grupo IEditar

Pos Equipe Pts PJ V E D GF GC SG
1. Bahia 9 5 3 1 1 8 3 +5
2. Atlético Mineiro 8 5 2 3 0 11 5 +6
3. Santa Cruz 6 5 2 1 2 6 7 -1
4. Santos 6 5 2 2 1 5 5 0
5. Atlético Paranaense 3 5 1 1 3 3 9 -6
6. Remo 2 5 0 2 3 5 9 -4

Grupo JEditar

Pos Equipe Pts PJ V E D GF GC SG
1. Palmeiras 11 5 4 1 0 7 1 +6
2. Flamengo 10 5 4 0 1 10 3 +7
3. Guarani 8 5 3 0 2 11 6 +5
4. América 5 5 1 2 2 5 8 -3
5. São Paulo 4 5 1 1 3 7 8 -1
6. Vitória 0 5 0 0 5 2 16 -14

Grupo K - ReclassificaçãoEditar

Pos Equipe Pts PJ V E D GF GC SG
1. Caxias 6 4 1 3 0 5 1 +4
2. Avaí 6 4 2 2 0 2 0 +2
3. Rio Branco-ES 6 4 2 2 0 2 0 +2
4. Figueirense 3 4 1 0 3 4 8 -4
5. Desportiva Ferroviária 1 4 0 1 3 1 5 -4

Grupo L - ReclassificaçãoEditar

Pos Equipe Pts PJ V E D GF GC SG
1. Portuguesa 9 4 3 1 0 9 2 +7
2. Cruzeiro 8 4 3 1 0 6 1 +5
3. Uberaba 4 4 2 0 2 3 3 0
4. Confiança 2 4 1 0 3 2 9 -7
5. Londrina 0 4 0 0 4 3 8 -5

Grupo M - ReclassificaçãoEditar

Pos Equipe Pts PJ V E D GF GC SG
1. Ponte Preta 7 4 2 1 1 10 3 +7
2. Paysandu 6 4 2 1 1 5 5 0
3. Ceará 4 4 1 2 1 3 3 0
4. Rio Negro 4 4 1 2 1 2 3 -1
5. Nacional-AM 2 4 0 2 2 3 9 -6

Grupo N - ReclassificaçãoEditar

Pos Equipe Pts PJ V E D GF GC SG
1. Vasco da Gama 8 4 3 1 0 9 5 +4
2. Mixto 8 4 3 0 1 8 3 +5
3. Goiânia 4 4 1 1 2 6 8 -2
4. Americano 3 4 1 0 3 7 8 -1
5. América Mineiro 2 4 1 0 3 4 10 -6

Grupo O - ReclassificaçãoEditar

Pos Equipe Pts PJ V E D GF GC SG
1. CRB 7 4 2 2 0 6 3 +3
2. Botafogo-PB 6 4 2 1 1 10 8 +2
3. Treze 4 4 2 0 2 3 4 -1
4. Fluminense de Feira 4 4 1 2 1 4 4 0
5. CSA 1 4 0 1 3 4 8 -4

Grupo P - ReclassificaçãoEditar

Pos Equipe Pts PJ V E D GF GC SG
1. Náutico 7 4 2 2 0 6 1 +5
2. Sampaio Corrêa 6 4 2 0 2 5 7 -2
3. Flamengo-PI 5 4 1 2 1 3 5 -2
4. Volta Redonda 4 4 1 2 1 2 3 -1
5. ABC 3 4 1 0 3 6 6 0

Terceira faseEditar

- Classificando os 2 primeiros de cada grupo para as finais.

Grupo QEditar

Pos Equipe Pts PJ v E D GF GC SG
1. Internacional 17 8 6 0 2 19 6 +13
2. Corinthians 14 8 5 2 1 12 5 +7
3. Ponte Preta 11 8 5 0 3 7 6 +1
4. Coritiba 10 8 4 1 3 8 8 0
5. Palmeiras 9 8 2 4 2 10 8 +2
6. Caxias 8 8 3 1 4 10 12 -2
7. Botafogo-SP 7 8 3 0 5 8 13 -5
8. Santa Cruz 7 8 2 2 4 14 20 -6
9. Portuguesa 2 8 0 2 6 7 17 -10

Grupo REditar

Pos Equipe Pts PJ V E D GF GC SG
1. Fluminense 15 8 6 1 1 13 6 +7
2. Atlético Mineiro 14 8 4 2 2 13 4 +9
3. Flamengo 13 8 4 2 2 14 7 +7
4. Vasco da Gama 10 8 4 1 3 9 12 -3
5. Guarani 9 8 3 2 3 11 11 0
6. Náutico 8 8 2 2 4 8 12 -4
7. Grêmio 7 8 2 2 4 10 14 -4
8. Bahia 7 8 2 3 3 8 12 -4
9. CRB 4 8 1 1 6 7 15 -8

Fase finalEditar

  Semifinais Final
                 
   Fluminense 1  
   Corinthians 1  
       Corinthians 0
     Internacional 2
   Internacional 2
   Atlético Mineiro 1  

SemifinaisEditar

 Ver artigo principal: Invasão corintiana

Foi o ano em que uma semifinal ficou marcada pela chamada "Invasão Corintiana", quando 70 mil torcedores estiveram torcendo para o Corinthians no Maracanã, entre corinthianos e torcedores de clubes rivais do Fluminense, com um público de mais de 146 mil.[4][5] O Fluminense tinha a "Máquina Tricolor", uma grande equipe de futebol. O então presidente tricolor, Francisco Horta, mandou 52.000 ingressos para São Paulo e 10 mil foram devolvidos,[6] sentenciou que a torcida do Corinthians não viria ao Rio, mesmo que enviasse metade dos ingressos, incentivando os rivais, que vieram em peso ao Maracanã, lotando metade do anel superior. O placar foi 1 a 1 e o Corinthians ganhou nos pênaltis.

Enquanto isso, no mesmo dia 5 de dezembro, em Porto Alegre, era disputada a outra semifinal do Campeonato, entre Internacional e Atlético-MG, sob um calor de 39 graus. O Atlético saiu na frente, com gol de Vantuir aos 30 minutos do primeiro tempo. O Internacional só foi empatar aos 28 do segundo tempo, através de Batista. No último minuto, quando o jogo já se encaminhava para a prorrogação, Dario levantou a bola na entrada da área para Escurinho, que trocou três passes de cabeça com Falcão, até que este chutou desviando do goleiro Ortiz.

5 de dezembro Internacional   2 – 1   Atlético Mineiro Beira-Rio, Porto Alegre

Batista   73'
Falcão   90'
Vantuir   30' Público: 59 800
Renda: Cr$ 1.745.000
Árbitro:  PE Sebastião Rufino

5 de dezembro Fluminense   1 – 1   Corinthians Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro

Pintinho   18' Ruço   29' Público: 146 043
Renda: Cr$ 4.027.250
Árbitro:  BA Mendes

FinalEditar

12 de dezembro Internacional   2 – 0   Corinthians Beira-Rio, Porto Alegre
17:00
Dario   29'
Valdomiro   57'
Público: 84.000
Renda: Cr$ 3.200.795
Árbitro:  RJ José Roberto Wright

Internacional: Manga; Cláudio, Figueroa, Marinho Peres e Vacaria; Caçapava, Falcão e Batista; Valdomiro, Dario e Lula; técnico: Rubens Minelli.

Corinthians: Tobias; Zé Maria, Moisés, Zé Eduardo e Wladmir; Givanildo, Ruço e Neca; Vaguinho, Geraldão e Romeu Cambalhota; técnico: Duque.

PremiaçãoEditar

Classificação finalEditar

- Dois pontos por vitória.

Pos Equipe Pts J V E D PE GF GC SG
1.   Internacional 54 23 19 1 3 15 59 13 +46
2.   Corinthians 38 23 13 6 4 6 31 17 +14
3.   Atlético Mineiro 37 22 11 7 4 8 40 18 +22
4.   Fluminense 35 22 11 7 4 6 34 19 +15
5.   Flamengo 41 21 14 3 4 10 48 15 +33
6.   Grêmio 33 21 11 5 5 6 31 20 +11
7.   Palmeiras 31 21 10 7 4 4 24 11 +13
8.   Bahia 31 21 9 8 4 5 27 17 +10
9.   Coritiba 29 21 11 4 6 3 22 17 +5
10.   Guarani 29 21 8 8 5 5 29 19 +10
11.   Santa Cruz 28 21 9 5 7 5 32 32 0
12.   Vasco da Gama 27 20 11 2 7 3 27 28 –1
13.   Botafogo-SP 27 21 9 4 8 5 26 24 +2
14.   Ponte Preta 26 20 8 6 6 4 23 16 +7
15.   Caxias 25 20 8 5 7 4 23 18 +5
16.   Náutico 22 20 6 6 8 4 22 23 –1
17.   CRB 17 20 5 4 11 3 18 32 –14
18.   Portuguesa 17 20 4 6 10 3 22 28 –6
19.   Botafogo 18 13 6 3 4 3 17 13 +4
20.   Santos 18 13 6 5 2 1 14 10 +4
21.   America 18 13 5 5 3 3 14 12 +2
22.   Fortaleza 17 13 5 5 3 2 17 13 +4
23.   Operário-MS 17 13 4 6 3 3 16 13 +3
24.   Vitória 16 13 5 2 6 4 13 19 –6
25.   São Paulo 15 13 4 4 5 3 15 13 +2
26.   Atlético Paranaense 14 13 4 4 5 2 11 13 –2
27.   Goiás 14 13 4 5 4 1 13 16 –3
28.   Remo 13 13 3 4 6 3 15 17 –2
29.   América de Natal 13 13 3 6 4 1 10 12 –2
30.   Sport 12 13 5 1 7 1 8 11 –3
31.   Cruzeiro 19 12 6 5 1 2 15 7 +8
32.   Botafogo-PB 17 12 5 4 3 3 16 14 +2
33.   Mixto 15 12 5 2 5 3 18 14 +4
34.   Paysandu 13 12 4 3 5 2 12 19 –7
35.   Volta Redonda 13 12 3 6 3 1 11 13 –2
36.   Avaí 12 12 4 3 5 1 7 11 –4
37.   Nacional-AM 11 12 3 5 4 0 9 17 –8
38.   Flamengo-PI 11 12 2 6 4 1 10 16 –6
39.   Americano 10 12 3 3 6 1 15 18 –3
40.   Rio Negro 10 12 2 5 5 1 8 14 –6
41.   Uberaba 9 12 3 3 6 0 7 13 –6
42.   Confiança 9 12 3 3 6 0 8 19 –11
43.   CSA 9 12 2 5 5 0 14 19 –5
44.   Sampaio Corrêa 9 12 2 3 7 2 10 29 –19
45.   Figueirense 8 12 3 1 8 1 7 25 –18
46.   Fluminense de Feira 8 12 2 3 7 1 10 18 –8
47.   Goiânia 8 12 2 3 7 1 15 31 –16
48.   América Mineiro 7 12 2 2 8 1 12 19 –7
49.   Londrina 7 12 2 3 7 0 8 16 –8
50.   Rio Branco 7 12 2 3 7 0 5 15 –10
51.   ABC 7 12 1 4 7 1 11 18 –7
52.   Ceará 7 12 1 5 6 0 5 13 –8
53.   Treze 6 12 3 0 9 0 9 23 –14
54.   Desportiva Ferroviária 6 12 2 2 8 0 6 19 –13
  • PE: Pontos Extras, obtidos cada vez que uma equipe vencia uma partida por 2 ou mais gols de diferença (com exceção das semifinais e final).

ArtilhariaEditar

Maiores públicosEditar

  • Públicos pagantes.
Público Mandante Placar Visitante Estádio Data Fase
1 146 043 Fluminense   1–1   Corinthians Maracanã 5 de dezembro Semifinal
2 113 286 Corinthians   2–1   Internacional Morumbi 21 de novembro Terceira
3 109 919 Fluminense   1–0   Flamengo Maracanã 7 de novembro Terceira
4 102 531 Atlético Mineiro   0–0   Fluminense Mineirão 21 de novembro Terceira
5 86 013 Corinthians   0–0   Palmeiras Morumbi 7 de novembro Terceira

Fonte: Acervo Folha

Referências

  1. «O bicampenato nacional». SC Internacional. Consultado em 3 de novembro de 2016 
  2. «Inter-76 – Melhor desempenho de um campeão». Lance!. 15 de dezembro de 2008. Consultado em 3 de novembro de 2016 
  3. Lance! - BETING, Mauro - Inter-76 – Melhor desempenho de um campeão (entrevista com Rubens Minelli), página editada em 15 de dezembro de 2008 e disponível em 3 de novembro de 2016
  4. Com Coríntians, metade do Maracanã" - Folha de S.Paulo, 5 de dezembro de 1976, primeira página
  5. O susto, a euforia, a festa" - Folha de S.Paulo, 6 de dezembro de 1976, caderno de esportes, página 13
  6. Jornal do Brasil de 6 de dezembro de 1976 (capa) informou que dos 50.000 corintianos estiveram no Rio de Janeiro naquele final de semana. Dos 52 mil ingressos enviados a São Paulo para a torcida do Corinthians, 10.000 foram devolvidos, sendo 700 cadeiras vendidas na hora do jogo.
  7. «Bola de Prata Placar 1976». Placar.abril.com. Consultado em 8 de junho de 2015 
  8. «Campeonato Brasileiro 1976 Artilheiros». bolanaarea.com 

Ver tambémEditar