Abrir menu principal

Wikipédia β

Grenal é um clássico do futebol brasileiro disputado entre o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense e o Sport Club Internacional, dois clubes de Porto Alegre (Rio Grande do Sul), que já se enfrentaram 412 vezes desde o ano de 1909. Foram 154 vitórias do Internacional, 130 empates e 128 vitórias do Grêmio.

Grenal
Grêmio versus Internacional
Gre-nal.jpg

Grenal no Estádio Olímpico Monumental em 2007
Internacional 154 vitória(s), 581 gol(s)
Grêmio 128 vitória(s), 542 gol(s)
Empates 130
Total de jogos 412
Total de gols 1 123
editar

Em outubro de 2008, jornalistas nacionais e internacionais foram consultados pela revista Trivela e elegeram o Grenal como o "maior clássico do Brasil",[2] isso porque o Grenal praticamente divide ao meio todo o estado do Rio Grande do Sul. Em outros estados, o número de grandes clubes é maior. Em abril de 2016, a revista inglesa FourFourTwo classificou o clássico como o maior do Brasil e o oitavo maior do mundo.[3]

Índice

Grafia

Há uma controvérsia sobre a grafia correta da expressão. Alguns colorados, querendo destacar o nome do Internacional, preferem escrever GreNal ou Gre-Nal. Entretanto, GreNal é uma forma que não faz sentido em qualquer regra de grafia, já que não existe maiúscula no interior da palavra. A forma Gre-Nal reproduz a fórmula adotada por outros clássicos do futebol brasileiro, como Fla-Flu, San-São, Ba-Vi etc., mas a maiúscula na partícula "nal" não se justifica por não se tratar da sílaba inicial do nome do clube (InternacioNAL), ao contrário de FLUminense, SÃO Paulo ou VItória. Quanto ao uso do hífen, se "nal" é uma terminação, é mais lógico que ela seja aglutinada à partícula inicial, sem hífen, como no caso de outros clássicos brasileiros: Atletiba, Paratiba etc.

Seguindo este raciocínio, a grafia mais recomendada é justamente Grenal, conforme as três edições do mais importante livro sobre o clássico: "A História dos Grenais", de David Coimbra, Nico Noronha, Mário Marcos de Souza e Carlos André Moreira (edições de 1994, 2004 e 2009). Apesar disso, a forma Gre-nal segue sendo utilizada por boa parte da imprensa, tanto gaúcha [4][5] como do resto do Brasil.[6]

Histórico

A expressão Grenal surgiu em 1926, quando o jornalista Ivo dos Santos Martins (torcedor do Grêmio), cansado de escrever por extenso os longos nomes dos clubes, criou o termo.[7] Já o ex-governador do Rio Grande do Sul e patrono do Internacional, Ildo Meneghetti, definiu o clássico de forma tautológica: "Grenal é Grenal." [8]

Fundado seis anos antes, o Grêmio liderou com folga as estatísticas de Grenais nos primeiros anos de disputa, tendo vencido o primeiro Grenal da história pelo placar de 10 a 0, em 18 de julho de 1909, sendo cinco gols marcados pelo alemão Edgar Booth, o qual é também o autor do primeiro gol da história do clássico. [9]

O Internacional assumiu a vantagem no número de vitórias no Grenal de número 89 (Internacional 4 a 2 Grêmio), disputado em 30 de setembro de 1945, [10] na época do "Rolo Compressor", e nunca mais foi superado. Na ocasião, o clube passou a ter 38 vitórias no clássico, contra 37 do Grêmio e 14 empates.

O Grêmio se reergueu. O passo inicial fora dado em 1952, quando o presidente Saturnino Vanzelotti contratou Tesourinha, [11] que havia sido ídolo no rival. Meses depois, Vanzelotti contrataria Foguinho como técnico e, com um time formado em grande parte por jogadores negros e mulatos, o Grêmio conquistou 12 campeonatos gaúchos em 13 anos. [12] Boa parte da atual vantagem colorada também foi construída no período de 1969 a 1976, com a construção do Estádio Beira-Rio e a montagem de um dos maiores times da história do Internacional

Naquele período, foram disputados 40 confrontos, com o Inter tendo vencido 18, empatado 18 e perdendo apenas 4 jogos, ficando invicto por 17 partidas (17 de outubro de 1971 a 13 de julho de 1975), o maior período de invencibilidade dos Grenais.[13] Já o maior período de invencibilidade do Grêmio foi entre 16 de junho de 1999 e 28 de outubro de 2002, quando chegou a ficar 13 jogos invicto [14] No início dos anos 1980, a vantagem do Internacional chegou a ser de 31 clássicos. Em 2002, a diferença chegou a cair para 15 jogos, mantendo-se atualmente em mais de 20 vitórias a mais para o Internacional

O maior número de vitórias consecutivas é do Grêmio, com seis vitórias consecutivas, que conseguiu esta façanha quatro vezes, sendo a última em 1977-78. Já a maior sequência do Internacional é de cinco vitórias consecutivas, feito que conseguiu quatro vezes, sendo a última em 1974-75.

Enquanto o Grêmio conseguiu vencer ao Internacional, por mais de 2 gols de diferença, 8 vezes no Estádio Olímpico e apenas 1 vez no Estádio Beira-Rio, o Internacional, por sua vez, venceu 3 vezes no Olímpico e apenas 1 no Beira-Rio.[15] De fato, o Internacional passou 40 anos (entre 1954 e 1994) sem golear o Grêmio. E somente 39 anos após a fundação do Estádio Beira-Rio, o Internacional conseguiu golear o rival em seu estádio [16]

Após décadas de um processo popularmente conhecido no Rio Grande do Sul como "gangorra",[17] quando um dos dois clubes encontra-se em boa fase e o outro em um mau momento, o ano de 2006 foi atípico. No Campeonato Brasileiro, o Inter terminou na segunda colocação na classificação geral, enquanto que o Grêmio terminou em terceiro, proporcionando aos dois clubes participarem juntos, pela primeira vez, da Taça Libertadores da América do ano seguinte [18]

Esse fato repetiu-se em 2011, quando os dois times classificaram-se na fase de grupos da Libertadores e encontrariam-se nas quartas-de-finais. Entretanto, ambos foram desclassificados nas oitavas, o Inter para o Peñarol e o Grêmio pelo Universidad Católica.

Confrontos históricos (1909-1959)

Primeiro grenal - 10 a 0 - A maior goleada gremista e do clássico

 
Programa do primeiro Grenal

Em 21 de junho de 1909, quatro representantes do Internacional reuniram-se com os representantes do Grêmio na sede da Sociedade Leopoldina Porto Alegrense, para tratarem do primeiro confronto entre os dois clubes.[19]

O Internacional, fundado dois meses antes, convidaria o Grêmio para ser o seu primeiro adversário.[20]

A partida inicialmente seria realizada em 27 de junho.[21] Com a proximidade de um jogo com o Fuss-Ball, previamente marcado, o então presidente do Grêmio, major Augusto Koch, declarou que sua equipe enfrentaria o Internacional com o segundo quadro (time reserva). Os dirigentes do Internacional, por sua vez, não aceitaram e exigiram que seu adversário jogasse com o time principal.[22]

A diretoria gremista concordou. Porém, como a agenda do clube estava lotada, a partida seria realizada somente no mês seguinte.

O primeiro Grenal da história ocorreu no dia 18 de julho de 1909, em um domingo, no Estádio da Baixada (que pertencia ao Grêmio). Às 15 horas e 10 minutos, as duas equipes entraram no campo da Baixada, precedidas pelos respectivos presidentes e pela banda da Brigada Militar.

Os jogadores do Grêmio trajavam camisa dividida verticalmente em metade azul e metade branca, com calções pretos.

Já os do Internacional vestiam camisa listrada verticalmente em vermelho e branco, com calções brancos. O público presente foi estimado em duas mil pessoas.

O árbitro da partida foi Waldemar Bromberg, sendo juízes de linha João de Castro e Silva e H. Sommer, e juízes de gol Theobaldo Foernges e Theodoro Bugs. Os juízes de gol ficavam sentados num banquinho ao lado das goleiras, indicando se a bola entrava ou não no gol, pois na época não havia redes nas goleiras.

O pontapé inicial fora dado por Edgar Booth que, aos 10 minutos, marcou o primeiro gol do jogo e da história do clássico. Booth ainda marcou mais quatro gols, sendo o restante dos tentos marcados por Júlio Grünewald (4 gols) e Moreira (1 gol), totalizando o placar em 10 a 0 para o Grêmio,[23] a maior goleada da história dos Grenais.

Amistoso

18 de julho de 1909
Grêmio   10 – 0   Internacional Baixada, Porto Alegre

Edgar Booth          
Grünewald        
Moreira  
Relatório Árbitro: Waldemar Bromberg
Auxiliares: João de Castro e Silva e H. Sommer (juízes de linha), Theobaldo Foernges e Theodoro Bugs (juízes de gol)

Grêmio: Kallfelz; Deppermann e Becker; Karls, Black e Mostardeiro; Brochado, Grünewald, Moreira, Booth e Schröder.
Internacional: Luiz Poppe; Portella e Simoni; Vignoles, Pires e Wetternich; José Poppe, Carvalho, Cezar, Mendonça e Carvalho.

Grenal dos 10 a 1 - Goleada gremista em 1911

No dia 18 de junho de 1911 ocorreu o terceiro Grenal, jogo muito esperado por todos. O juiz foi Theobaldo Förnges que trouxe da Alemanha uma vistosa jaqueta especialmente confeccionada para jogos de futebol.

O Internacional vinha em uma boa campanha e muitos acreditavam que, desta vez, a história seria diferente, depois de duas derrotas do Internacional nos dois primeiros Grenais. Porém isso não aconteceu. Foi até pior do que o segundo Grenal, vencido pelo Grêmio por 5 a 0. Com muita chuva, o Grêmio venceu por 10 a 1.

O gol de honra do Inter foi do ponta-esquerda Vinholes. Ao final da goleada, o jogador do Inter Carlos Kluwe declarou: "Só posso deixar essa coisa de futebol depois de uma vitória sobre o tal de Grêmio". Naquele ano, o Grêmio sagrou-se campeão do Campeonato Citadino de Porto Alegre de forma invicta.[24]

18 de junho de 1911
Grêmio   10 – 1   Internacional Estádio da Escola de Guerra, Porto Alegre

A história dos Grenais [24] Árbitro: Theobaldo Förnges

A primeira vitória colorada no Grenal 7 de 1915

Não ocorria Grenal desde 1913. Havia muita expectativa em torno do clássico. Cerca de 4.000 pessoas compareceram ao "ground" gremista, para assistir a partida. A presença do público feminino, na época, era expressiva. Assim o jornal A Federação descreveu as torcidas femininas dos dois clubes:

"Enchiam o pavilhão central, as innumeras admiradoras do 'Gremio', gentis patricias graciosas e elegantes, onde dominava a tez rosada e os cabellos loiros das filhas da estimada colonia germanica."

"No chalet, situado na parte opposta á entrada, as alegres 'internacionalistas', deram a nota alegre da tarde, com suas enthusiastas ovações."

O clássico Grenal já era um evento marcante no cenário esportivo da capital. O ingresso dos times em campo, muito antes do "fair-play", já demonstrava a importância da partida, mesmo sendo um amistoso:

"Os contendores entraram no ground dois a dois, de braços entrelaçados e debaixo duma chuva de confetis e serpentinas do bello sexo e uma estrondosa saudação da assistencia inteira."

No sorteio do início do jogo, o Internacional escolheu o lado favorável ao vento, e a saída de jogo coube ao Grêmio. Por um momento fez-se completo silêncio no estádio, mas quando a bola rolou, a torcida passou a manifestar-se.

"Desde os primeiros momentos, da numerosa e selecta concorrencia apoderou-se um enthusiasmo incrivel, um verdadeiro delirio. Cerradas palmas premiavam, indistinctamente, os bellos feitos dos footballers, que se degladiavam."

Desde o início do jogo o Internacional tinha amplo domínio da partida. A 1ª etapa ocorreu quase toda no campo do Grêmio, que se defendia como podia. Mas nada do gol sair. Finalmente, a situação muda aos 44' do 1º tempo, em um gol assim descrito pelo jornal:

"A lucta desenvolvia-se brilhantemente, faltavam apenas alguns segundos para findar o primeiro tempo, quando Muller, o meia esquerda do alvi-rubro, aproveitou-se dum entrevero na porta do goal, e marcou o ponto da emocionante contenda. Os admiradores do 'Internacional' invadiram então o campo, em manifestações aos seus favoritos."

No 2º tempo, aos 4', Bendionda amplia, de cabeça. Túlio, em chute enviesado, faz 3 a 0, aos 30'. Aos 38' o gremista Sisson chutou, o goleiro Baes defendeu, mas deixou a bola escapar, entrando na rede após bater na trave. Aos 42, Bendionda encerrou o placar: Internacional 4 a 1.

A torcida colorada comemorou o feito:

"A legião 'internacionalista', no auge do enthusiamo, carregou os seus players, em meio de delirantes aclamações, a frente do pavilhão central do ground do 'Gremio'. Ali continuaram aquellas manifestações, emquanto as gentis gremistas cobriam os heroes alvi-rubros com delicadas petalas de flores."

Amistoso

31 de outubro de 1915
Grêmio   1 – 4   Internacional Baixada, Porto Alegre

Sisson   Bedionda    
Muller  
Tulio  
Público: 4.000
Árbitro: Aristides Prado

Grêmio: Bruno; Diez e Mordieck; Hanssen, Alencastro e Chiquinho; Dorival, Sisson, Gertum, Scalco e Teichmann.
Internacional: Baes; Simão e Dornelles;Bitu, Carlos e Lucidio; Tulio, Oswaldo, Bedionda, Muller e Vares.

Grenal 11 - Confusão e partida não finalizada

O Grenal 11 aconteceu no dia 4 de agosto de 1918 na Baixada. O Grêmio vencia por 1 a 0, até os 43 minutos do primeiro tempo, quando estourou a primeira grande briga no clássico, após nove anos de sua primeira edição.

O jogo começou violento, como sempre. O Grêmio um pouco melhor. O zagueiro uruguaio Garibotti marcou o primeiro gol para os tricolores. E o último. Estava 1 x 0 quando a bola saiu pela lateral. Os jogadores passaram a discutir quem teria direito à reposição. Não havia fosso separando a torcida do gramado, nem cães policiais a repelir invasões. De repente, estourou uma briga entre jogadores do Inter e torcedores do Grêmio.

Foi o início de um tumulto que resultou em cerca de 100 feridos e um preso. Torcedores, jogadores e dirigentes se agrediram a socos, pontapés e bengaladas.

Até que o senhor Manoel Costa, empregado da Empresa Telefônica Rio-Grandense, sacou de uma faca e com ela riscou o ar, ameaçador, prometendo ferir quem se aproximasse. O meia Ribas, do Internacional, tentou contê-lo. Seria o último Grenal de Ribas. Manoel Costa enfiou 15 centímetros da lâmina na região ilíaca do jogador. Assustado, o jovem Octávio Telles de Freitas pulou para desarmar o funcionário da Telefônica e também foi ferido na perna esquerda.

Soldados da Brigada acorreram e não conseguiram deter o valentão. Ele só entregou a faca ao presidente da Federação, o gremista Aurélio Py. O chefe de Polícia Ariosto Pinto, finalmente, colocou Manoel numa viatura para levá-lo preso. Os torcedores não deixaram o carro sair. Queriam linchar Manoel Costa. Após muitas negociações, os policiais conseguiram levar o detido. Mas, na saída do estádio, populares apedrejaram a viatura, ferindo Ariosto na cabeça e Manoel na perna esquerda. Enquanto isso, Ribas dava entrada na Casa de Saúde. Em seguida, foi cloroformizado e operado pelos médicos Moisés de Menezes e Bernardo Velho.

Como o jogo ainda não havia chegado nem à metade, a Associação Portoalegrense de Desportos marcou uma nova data para a sua realização, três semanas após, em 25 de agosto. Mas o Grêmo se recusou a jogar e perdeu os pontos.[25] Tanto que, em função desse resultado, o Cruzeiro foi o campeão portoalegrense daquele ano, dois pontos à frente do Grêmio.[26] Apesar disso, as estatísticas oficiais dos grenais continuam considerando o Grenal 11 como vitória do Grêmio.

Campeonato Citadino

4 de agosto de 1918
Grêmio   1 – 0   Internacional Baixada, Porto Alegre

Eduardo Garibotti   35' Árbitro: Oscar Fontoura
Auxiliares:

Grêmio: Kuntz; Garibotti e Py; Pavani, Dorival e Chiquinho; Zamela, Franco, Gertum, Scalco e Bruno.
Internacional: Bicca; Bello e Dorval; Evodio, Mário Cunha e Bitu; Crespo, Ribas, Godinho, Bento e Guimarães.

Primeira goleada gremista no Estádio Chácara dos Eucaliptos

Este clássico Grenal foi realizado no dia 2 de Maio de 1920 no Estádio Chácara dos Eucaliptos. O Estádio da Chácara dos Eucaliptos era localizado no bairro Menino Deus, na cidade de Porto Alegre. Era o local de realização dos jogos do Sport Club Internacional e foi o primeiro estádio do clube.

A partida marcou a primeira goleada do Grêmio neste estádio do maior rival, terminando com a vitória tricolor pelo placar de 4 a 1. O jogo foi válido pelo Campeonato Citadino de Porto Alegre, com o Grêmio sagrando-se campeão daquele ano após vencer outro clássico Grenal, pelo placar de 2 a 1 em 22 de agosto de 1920.[27]

O Grenal de número 14 foi apitado pelo árbitro Tanho Graherguer.

Os gols da partida foram marcados por Ramon (2) e Gertum (2) para o tricolor, enquanto Geny marcou o único gol colorado.

1920
  Internacional 1 – 4 Grêmio   Estadio Chácara dos Eucaliptos

Geny  Ramon   
Gertum   

Grenal Farroupilha

Disputado em 22 de Setembro de 1935, ano do centenário da Revolução Farroupilha, o clássico foi válido pela última rodada do Campeonato Citadino. O Internacional chegara à partida decisiva um ponto à frente do rival e o empate garantiaria-lhe o título e a vaga para o campeonato estadual.

A partida permanecia 0 a 0 até os 38 minutos do segundo tempo, quando numa falta lateral, o zagueiro colorado Risada subiu mais alto que os atacantes tricolores e testou a bola para frente… nos pés de Foguinho, meio-campista do Grêmio, que já esperava o rebote. O chute saiu certeiro: Grêmio, 1 a 0! Dois minutos depois, num contra-ataque, o ponta-direita Laci ainda fez o segundo gol do Grêmio.

Ao ganhar do tradicional rival, o Tricolor sagrou-se campeão. Esta época proveu ao clube tanto títulos quanto o início da sua tradição e respeito.[28] O título metropolitano foi considerado tão importante que os atletas e a direção do Grêmio juraram comemorá-lo por 100 anos. Promessa cumprida à risca até hoje.

O "Grenal Farroupilha" também foi marcado como a última partida do goleiro Eurico Lara pelo Grêmio. Debilitado por problemas de saúde, ele atuou durante o primeiro tempo. Viria a falecer alguns meses depois. O craque foi imortalizado no hino do clube. Eurico Lara, que havia começado a jogar pelo clube em 1920, transformou-se em uma lenda do clube.[28]

1935
  Internacional 0 – 2 Grêmio   Estadio Timbaúva

Foguinho, Laci

Grenal do Torneio Relâmpago

Em 1939, os times da capital gaúcha jogaram um torneio para reunificar as duas ligas existentes desde 1937 e decidir quem ficaria na elite portoalegrense em 1940, quando seria implandtado oficialmente o profissionalismo. Assim, Grêmio e Internacional jogaram um torneio de turno único com times como Força e Luz, Cruzeiro, São José, Porto Alegre, Renner e Americano. O Grenal - vencido pelo Inter por 3 a 2 - desse torneio ocorreu no dia 28 de maio, no estádio Timbaúva, com gols gremistas de César (15’) e Vanário (24') e Sylvio (23’, 65’ e 83) fez os três gols do Inter.

Torneio Relâmpago

1939
  Internacional 3 – 2 Grêmio   Estadio Timbaúva

Sylvio   23'   65'   83' César   15' Vanário   24'

Grenal dos 6 a 0

De acordo com o livro "A História dos Grenais", o início da era do "Rolo Compressor" começou a ser marcado num grenal amistoso, válido pela "Taça Martel", disputado no dia primeiro de novembro de 1938. Seria a despedida do craque gremista Luiz Carvalho, e o jornal Correio do Povo daquele dia anunciava o "choque sensacional entre a técnica tricolor e o tradicional sangue colorado".

Em campo, os "diabos rubros" (segundo o Correio do dia seguinte, Dia de Finados) ganharam por 6 a 0 e o árbitro Álvaro da Silveira ainda anulou cinco gols, alegando que dois haviam sido feitos com a mão e nos outros três os atacantes estavam impedidos.

Ainda de acordo com o livro de David Coimbra, ao final do jogo houve um diálogo entre o indignado presidente do Inter Ildo Meneghetti" e o árbitro, nos seguintes termos: "Por que anulaste tantos gols?" "Era muito gol para um grenal".[29]

Amistoso

1 de novembro de 1938
  Internacional 6 – 0 Grêmio  

            Árbitro: Álvaro da Silveira

A maior virada na história do clássico

O dia 13 de agosto de 1944 reservou para a história a maior virada da história do clássico grenal.

O Internacional contava com o famoso Rolo Compressor, apelido dado ao super time colorado da época. No ataque, Tesourinha, Russinho, Villalba, Rui e Carlitos. O jogo valia pelo segundo turno do campeonato citadino.

O clássico de número 83 da história foi disputado no Estádio da Baixada, do Grêmio, no bairro Moinhos de Vento em Porto Alegre. O torcedor gremista, apesar de três derrotas anteriores seguidas no clássico, sonhava com uma reviravolta.

No primeiro tempo, o Grêmio perdia por 3 a 0, gols de Elizeu, Rui e Adãozinho. O clima era de desolação no pavilhão social tricolor. No vestiário, o treinador do Grêmio Telêmaco Frazão tentava reanimar os atletas. Na etapa final, veio a inacreditável e histórica reação da equipe gremista. Ramón Castro (2), Bentevi, e Mário viraram a partida em favor do Grêmio.

Grêmio: Júlio; Carel e Rui; Vinícius, Touguinha e Sanghinetti; Bentevi, Bombachudo, Raón Castro, Ivo Aguiar e Mário.

Inter: Ivo; Alfeu e Nena; Assis, Ávila e Abigail; Tesourinha, Rui, Adãozinho, Perez e Elizeu.

1944
Grêmio   4 -- 3   Internacional Baixada, Porto Alegre

Ramón Castro    
Bentevi  
Mário 
Elizeu  
Rui  
Adãozinho  

Grenal que o Inter superou o rival em gols marcados

Além da goleada colorada na casa do adversario, o clássico 88 ficou marcado pela ultrapassagem do Inter sobre o rival em número de gols marcados em grenais.

A partida ocorreu em 24 de junho de 1945. Era época do mítico rolo compressor, em que o Internacional dominava o futebol no Estado do RS e se tornaria hexacampeão estadual nesse mesmo ano. Antes disso , nenhum clube tinha conseguido sequer ser tricampeão.

O Grenal 88 foi válido pelo campeonato citadino, e com mais uma grande atuação do ``Rolo compressor´´ finalizou com o placar de 4 a 1 para o Internacional.

Após esse grenal, o Internacional sempre se manteve a frente em gols marcados em grenais

Citadino de Porto Alegre

24 de junho de 1944
Grêmio   1 – 4   Internacional Baixada, Porto Alegre

Segura  
carlitos  
Tesourinha  
Adãozinho   
Árbitro: Alfredo Cesaro

Grêmio:Júlio; Clarel; Hugo; Vinícius; Touguinha; Sanghinetti; Bombachudo; Beresi; Segura; Ramón Castro; Repolho.

Internacional:Ivo; Alfeu; Nena; Viana; Ávila; Abigail; Tesourinha; Rui; Adãozinho; Elizeu; Carlitos.

Grenal dos 7 a 0 - Maior goleada do Internacional e do profissionalismo

O Internacional aplicou uma goleada de 7 a 0 no Grêmio em 1948, na partida final do campeonato da cidade de Porto Alegre. O jogo foi realizado no campo do clube tricolor. Era a época do "Rolo Compressor". Alguns nomes haviam mudado, mas a base de Ivo, Nena, Abigail, Tesourinha e Carlitos estava mantida.

A rapidez das jogadas e os arremates fortes do Colorado fizeram a rede do Grêmio balançar sete vezes com 4 gols de Villalba, dois de Carlitos e um de Roberto.

Até hoje, esta é a maior goleada da história do Internacional sobre o rival. Sendo que desde a profissionalização do futebol no estado em 1940, essa é a maior goleada em grenais.[30]

O Inter jogou com: Ivo; Nena e Ilmo; Alfeu, Vianna e Abigail; Tesourinha, Beresi, Villalba, Roberto e Carlitos. Técnico: Carlos Volante.

Final

1948
Grêmio   0 – 7   Internacional

José Villalba        
Alberto Zolim Filho    
Roberto  

Internacional: Ivo; Nena e Ilmo; Alfeu, Vianna e Abigail; Tesourinha, Beresi, Villalba, Roberto e Carlitos. Técnico: Carlos Volante.

Grenal do Torneio de Inauguração do Estádio Olímpico

Era setembro de 1954 e o Grêmio realizou um festival de inauguração de seu novo estádio, o Estádio Olímpico que mais tarde veio a ser reinagurado com o nome de Estádio Olímpico Monumental. A partida inaugural do estádio já havia ocorrido em confronto amistoso com o Nacional de Montevidéu, com vitória gremista pelo placar de 2 a 0.

O Internacional fora convidado para o festival de inauguração do Olímpico, juntamente com o Liverpool do Uruguai. Após vitória sobre os uruguaios por 4 a 0, o Internacional enfrentou seu maior rival no dia 26 de setembro. A partida foi apitada pelo árbitro uruguaio Carlos Alberto Vigorito.

O Grêmio começou bem e aos sete minutos fazia 1 a 0, gol de Sarará cobrando falta. O Internacional demorou mas empatou aos 33 minutos do primeiro tempo, gol de Jerônimo, também de falta. O primeiro tempo estava perto do fim e Larry desempatou: Grêmio 1 a 2 Internacional.

No segundo tempo Larry voltou inspirado e logo no início veio com a bola lá de seu campo com Ênio Rodrigues no seu encalço, chegando na área Larry ameaça bater, Ênio tenta o carrinho e Larry puxa a bola deixando-o deitado, daí com um toquezinho faz o terceiro. Grêmio 1 a 3 Internacional.

O quarto gol não demora a sair. Luizinho recebe a bola e sai em velocidade, Ênio corre para marcá-lo, mas Luizinho deixa a bola, Ênio não percebe e continua correndo atrás dele, aí Canhotinho, sem marcação, veio de trás e bateu: 1 a 4.

O Internacional ainda teve tempo de fazer mais 2, ambos de Larry. O Grêmio descontou com Zunino.

26 de setembro de 1954 Grêmio   2 – 6   Internacional Olímpico, Porto Alegre (RS)
Público: 24.595.
Árbitro:   Carlos Alberto Vigorito
Auxiliares:

Sarará   7'
Zunino   88'
Report Jerônimo   33'
Larry   42'   78'   80'   85'
Canhotinho   60'

Grêmio: Internacional: Milton Vergara, Florindo, Lindoberto, Oreco, Salvador, Odorico, Luizinho, Bodinho, Larry, Jerônimo e Canhotinho. Tecnico: Teté [31]

Confrontos históricos (1959-2009)

Grenal dos 5 a 1 - Goleada gremista no Estádio dos Eucaliptos

Foi no dia 21 de Agosto de 1960, no estádio Eucaliptos do Inter, que o Grêmio venceu o Inter por 5 a 1, com gols de Juarez (três vezes), Gessy e Vieira; Ivo Diogo descontou. A partida foi válida pelo Campeonato Citadino de Porto Alegre.

Campeonato Citadino

21 de Agosto de 1960   Internacional 1 – 5 Grêmio  

Ivo Diogo Juarez (3), Gessy, Vieira

Primeiro Grenal fora de Porto Alegre

Em 7 de setembro de 1962, na cidade de Rio Grande, interior gaúcho, valendo a Taça Ipiranga, ocorreu o primeiro Grenal - de número 161 - fora da capital.

Amistoso

7 de setembro de 1962
Grêmio   2 – 1   Internacional Estádio Waldemar Fetter, Rio Grande

Elton   13'
Marino   49'
Site Inter   5' Flávio Minuano Árbitro: Auxiliares:

Grêmio: Henrique; Valério, Airton Pavilhão, Altemir e Ortunho; Elton e Milton (Fernando); Adroaldo, Gessy, Marino e Volnei II.
Internacional: Gainete; Zangão, Ari Ercílio, Cláudio Danni e Ezequiel; Osvaldinho e Gilberto (Sérgio Lopes); Sapiranga (Bedeuzinho), Alfeu, Flávio Minuano e Gilberto Andrade.

Primeiro Grenal do Robertão, vitória colorada no olimpico

O Grenal 181 , foi um dos mais esperados pelas torcidas, afinal seria o primeiro por um campeonato nacional , o torneio Roberto Gomes Pedrosa ou Robertão .O classico aconteceu no dia 5 de Março de 1967 . O gremio era o favorito , não apenas por jogar em casa, mas por ter um time tido por todos como superior.

Mas com show de Braulio , "Garoto de Ouro",que deu um chapéu no mítico zagueiro gremista Aírton, o Internacional acabou vencendo pelo placar de 2 a 0 .

05 de março de 1967
Grêmio   0 – 2   Internacional Estádio Olímpico, Porto Alegre

Bráulio, Paulinho Árbitro: Jose Luis Barreto

Grêmio: Alberto; Altemir; Airton; Áureo; Everaldo; Cléo; Sérgio Lopes; Babá; Joãozinho; Alcindo; Volmir.

Inter: Gainete; Laurício; Scala; Luiz Carlos; Sadi; Lambari; Élton; Carlinhos; Bráulio; David; Dorinho.

Grenal dos 4 a 0 e o heptacampeonato gremista

O dia 2 de junho de 1968 marcou a maior goleada aplicada pelo Grêmio em grenais disputados no Estádio Olímpico. O placar de 4 a 0 do Grêmio sobre o maior rival, deixou o Grêmio a um empate do heptacampeonato estadual faltando duas rodadas.

O jogador gremista Alcindo marcou duas vezes. Joãozinho e Volmir marcaram os outros gols da partida.

Com o empate conseguido na rodada seguinte, a penúltima, além do heptacampeonato o tricolor gaúcho acabou sagrando-se campeão gaúcho em 12 oportunidades num período de 13 anos, marcando sua hegemonia no futebol gaúcho entre os anos de 1956 a 1968. O Internacional havia conquistado o título no ano de 1961. [23]


02 de junho de 1968
Grêmio   4 – 0   Internacional Estádio Olímpico, Porto Alegre

Alcindo   
Joãozinho   Volmir  
Árbitro: João Carlos Ferrari

Grêmio: Alberto, Altemir,Paulo Souza, Aureo e Everaldo, Cleo e Jadir, Baba, Joao Severiano, Alcindo e Volmir.

Inter: Schneider, Lauricio, Scala (Nitota) Luiz Carlos e Sadi, Elton e Dorinho, Valdomiro, Bráulio, Claudiomiro e Othon ( Carlinhos).

Primeiro Grenal em campeonatos brasileiros

O primeiro Grenal válido pelo Campeonato Brasileiro foi vencido pelo Internacional, em 17 de outubro de 1971. O Grêmio estava invicto havia 4 grenais somente naquele ano, apesar de o Inter ter conquistado o tricampeonato gaúcho em julho.

Três meses depois, na 15ª rodada do Brasileirão, o Inter ganhou por 1 a 0, gol de Sérgio "Galocha". Foi o começo da maior série invicta na história dos grenais, que só seria interrompida 45 meses depois.

17 de outubro de 1971 Internacional   1 – 0   Grêmio Beira-Rio, Porto Alegre

Sérgio Galocha   Árbitro:  RS Agomar Martins

Grenal do octacampeonato colorado

O Grenal 227 ocorreu em um domingo , no dia 22 de agosto de 1976 e foi valido pela final do Campeonato Gaúcho daquele ano. A equipe colorada tinha a vantagem do empate para levar o título , mas acabou vencendo com gols de Lula e Dario e conquistando o octacampeonato gaúcho, feito nunca antes conquistado por qualquer e jamais repetido.

Campeonato Gaúcho

22 de Agosto de 1976 Internacional   2 – 0   Grêmio Beira Rio, Porto Alegre

Lula  
Dario  
Árbitro:  RS Agomar Martins

INTERNACIONAL: Manga; Cláudio Duarte; Figueroa; Marinho; Vacaria; Caçapava; Falcão; Jair (Escurinho); Valdomiro; Dario; Lula – Técnico:Rubens Minelli.

GRÊMIO: Cejas; Eurico, Ancheta, Fuscão (Tadeu) e Bolívar; Jerônimo (Vitor Hugo), Alexandre e Neca; Zequinha, Yura e Ortiz – Técnico: Paulo Lumumba.

Grenal do gol mais rápido

Em 14 de agosto de 1977, no grenal 233, Yura fez o gol mais rápido de todos os grenais, aos 14 segundos, sem que o time do Inter - nem o goleiro Manga - tocasse na bola. O jogo era válido pelo Campeonato Gaúcho e o Grêmio - treinado por Telê Santana - venceu por 2 a 1.[32]

Campeonato Gaúcho

14 de agosto de 1977
Grêmio   2 – 1   Internacional Estádio Olímpico, Porto Alegre

Yura   14s'
Tarciso   48'
Site Grêmio   82' Hermínio Árbitro: Agomar Martins
Auxiliares: Hermínio Goulart e Justimiano Goulart

Grêmio: Corbo; Eurico, Ancheta, Oberdan e Ladinho; Vitor Hugo, Tadeu Ricci e Yura (Zequinha); Tarciso, André (Alcindo) e Éder. Técnico: Telê Santana.
Internacional: Manga; Hermínio, Beliatto, Gardel e Vacaria; Caçapava (Escurinho), Falcão e Batista; Valdomiro, Luizinho e Lula (Dario) Técnico: Sérgio Moacir

Grenal dos 4 a 0 - Grêmio aposenta novo uniforme do Inter

Em 6 de novembro de 1977, o Inter, jogando no Estádio Beira Rio, estrearia em um Grenal seu novo uniforme, uma inovação em termos das cores adotadas, um modelo sem a presença da cor branca, sendo totalmente vermelho (camiseta, calção e meias da mesma cor).

O ex-apoiador Iúra marcou o seu nome na História do clássico antes mesmo de ser o carrasco colorado no Brasileirão de 1977. No Gauchão do mesmo ano, no dia 14 de agosto, ele marcou, aos 14 segundos de jogo, o gol mais rápido de um Grenal. O Grêmio venceria o jogo por 2 a 1.

A animação pelo uniforme novo e o fato de jogar em casa não se confirmaram durante a partida. O placar final terminou em uma goleada para o Grêmio de 4 a 0 em cima do maior rival, o Internacional.

A frustração por ter sido goleado dentro de seu próprio estádio e em plena estreia do novo uniforme, fez com que o Inter demorasse vários anos para voltar a usar esta combinação como uniforme.[33]

Campeonato Brasileiro

06 de Novembro de 1977   Internacional 0 – 4 Grêmio  

Iúra (2), Tadeu Ricci, Tarciso

INTERNACIONAL: Benítez, Beliato, Gardel e Dionísio; Batista, Caçapava e Falcão; Valdomiro, Luisinho, Edu e Jair – Técnico: Carlos Gainete.

GRÊMIO: Corbo, Oberdan, Eurico, Ladinho e Vilson; Vitor Hugo, Yura, e Tadeu Rici (Leandro); Tarciso, Éder Aleixo e André Catimba – Técnico: Telê Santana.

Gols: Yura, 37'/1ºT(0-1), Tadeu Ricci, 17'/2ºT(0-2), Yura, 26'/2ºT(0-3) e Tarciso, 41'/2ºT(0-4)

Grenal "das faixas" do título mundial do Grêmio e estadual do Inter

Após o Grêmio se tornar o primeiro clube gaúcho a conquistar o título da Copa Intercontinental, ao vencer o Hamburgo da Alemanha em Tóquio no Japão em dezembro de 1983, o jogador colorado Mauro Galvão provocou o jogador Renato Gaúcho do Grêmio dizendo que "Eles podem ser campeões do mundo, mas aqui no estado mandamos nós". A frase motivou Renato Gaúcho a pedir um grenal amistoso para entrega das faixas, com o Grêmio colocando as de campeão gaúcho no Inter e os colorados a de Campeão Mundial no Grêmio.

Dessa brincadeira, resultou o Grenal 268, disputado no Olímpico em 26 de janeiro de 1984, vencido pelo Grêmio por 4 a 2, com gols de Renato Gaúcho, Osvaldo, Caio e Paulo Cézar, Bonamigo (contra) e Rubén Paz.[34]

26 de Janeiro de 1984 Grêmio   4 – 2   Internacional Olímpico Monumental, Porto Alegre

Renato Gaúcho, Osvaldo, Caio e Paulo Cézar Bonamigo (contra) e Rubén Paz

Grenal do Século

Foi assim denominada a segunda partida (após um empate sem gols no Olimpico) entre Grêmio e Internacional válida pela semifinal do Campeonato Brasileiro de 1988, em 12 de fevereiro de 1989. A importância desta partida era realmente extraordinária, já que valia a classificação para a decisão do campeonato brasileiro (contra o vencedor de Bahia versus Fluminense) e ainda a vaga na Taça Libertadores da América daquele ano.

A partida terminou com vitória do Internacional por 2 a 1, de virada e com um jogador a menos em campo, pois o lateral Casemiro fora expulso ainda no primeiro tempo. Marcos Vinícius marcou para o Grêmio aos 25 minutos de jogo. Na segunda etapa, o centroavante Nílson marcou duas vezes para o Internacional, aos 16 e aos 26 minutos. Nilson foi considerado o grande herói do jogo, pois além de ter feito os dois gols, jogou machucado.

Este foi o Grenal número 297, foi disputado no Estádio Beira-Rio e teve o maior público de Grenais em Campeonatos Brasileiros até hoje: 78.083 pagantes.

O livro "O Segundo tempo", de Michel Laub (Editora Companhia das Letras, São Paulo, 2006), conta uma história fictícia que se passa durante o "Grenal do século".[35]

Grenais da Copa do Brasil

No primeiro jogo no Olímpico, deu empate: 1 a 1. Em 17 de novembro de 1992, no Beira-Rio, Inter saiu na frente, com gol de Gérson aos 9 minutos do segundo tempo. O empate do Grêmio veio aos 30 minutos, com Carlinhos. Com dois resultados iguais, a decisão foi para os pênaltis, sob o comando do árbitro Renato Marsiglia.

Na primeira série, Alcindo do Grêmio jogou por cima do gol e o colorado Gérson fez 1 a 0. Fernández pegou a cobrança do zagueiro gremista Vilson e Marquinhos fez 2 a 0. O Gato Fernández novamente pegou a cobrança, agora de Jandir e o Inter fechou os 3 a 0 com um gol do capitão Célio Silva.[36]

Grenal do gol de bicicleta de Paulo Nunes em pleno Beira Rio

No dia 22 de setembro de 1996, ocorreu o Grenal nº 331. Internacional e Grêmio se enfrentaram em situações totalmente distintas pelo Campeonato Brasileiro. Estádio Beira-Rio, chuva forte, grande público. Campeão da Libertadores no ano anterior, o Grêmio era um time que tinha uma regularidade maior e um melhor plantel na época, com jogadores como Émerson, Adílson, Arce e Paulo Nunes, enquanto o Internacional não fazia uma boa temporada. Apenas Gamarra, André e Leandro destoavam do elenco do time colorado.

No primeiro tempo só deu Grêmio, que saiu na frente com um golaço de bicicleta de Paulo Nunes aos 5 minutos. Comandado por Dinho e Goiano no meio-campo, com Carlos Miguel e Arce armando jogadas, o tricolor foi muito superior na etapa inicial. Já o Inter tinha dificuldades em todos os setores.

No intervalo, o Colorado mudou de atitude, lutou bastante e empatou com Murilo aos 7 minutos. Porém Dinho, cobrando falta com violência, decidiu a partida em favor do Tricolor aos 21 minutos da etapa final. No final, uma blitz colorada que parou em uma grande atuação de Danrlei. No final vitória gremista por 2 a 1 em pleno Beira-Rio.

O Grêmio foi campeão brasileiro daquele ano de 1996, vencendo a surpreendente Portuguesa, enquanto o Inter terminou na 9ª colocação. Naquele tempo, o melhor time do Brasil era gaúcho e azul.

A partida foi dirigida pelo árbitro Carlos Elias Pimentel (RJ).

Internacional: André, César Prates, Tonhão, Gamarra e Arílson; Fernando, Enciso (Luis Gustavo), Marcelo e Murilo (Yan); Fabiano (Fabinho) e Leandro. Técnico: Nelsinho Batista

Grêmio: Danrlei, Arce, Luciano, Adílson e Roger; Dinho, Goiano, Aílton (Emerson) e Carlos Miguel; Paulo Nunes (João Antônio) e Saulo (Zé Alcino). Técnico: Luiz Felipe Scolari

Cartão Amarelo: Leandro, Arílson, Adílson e Arce Cartão Vermelho: Carlos Miguel

22 de setembro de 1996   Internacional 1 – 2 Grêmio   Beira-Rio, Porto Alegre

Murilo   Paulo Nunes  
Dinho  
Público: 39.621

Grenal dos 5 a 2

O Grenal número 335 foi disputado pelo Campeonado Brasileiro de 1997 e ficou conhecido como o Grenal dos 5 a 2, alcunha devido ao resultado do jogo, a favor do Internacional. A partida, disputada no estádio Olímpico estava cercada de uma certa expectativa. De um lado, o Grêmio havia conquistado a Copa do Brasil deste ano, enquanto o Internacional era o atual campeão gaúcho, tendo ganho o campeonato sobre o Tricolor. Além disso, a torcida do time da casa estava confiante, pois o clube havia contratado jogadores como Sérgio Manoel e Beto. Em contrapartida, era o Internacional que vivia um grande momento, com uma boa dupla de ataque: Christian e Fabiano.

O primeiro gol saiu de um lançamento em profundidade, que encontrou Enciso; após não dominar, o paraguaio cruzou para Christian cabecear, sem chances para Danrlei, marcando o primeiro gol colorado.

Como quase todo o Grenal, este também foi marcado pela tensão. Christian se desentendeu com Otacílio e os dois foram expulsos. Mais tarde, Fernando e André Santos brigaram e também foram excluídos da partida pelo árbitro. Desse modo, as duas equipes passaram a possuir nove homens cada em campo.

Aos 33 minutos do primeiro tempo, Fabiano recebeu a bola pela esquerda, marcado por Rivarola; após um drible, ele deixou o marcador caído e passou para Sandoval marcar o segundo gol colorado. Na segunda etapa, Fabiano fez mais um lance individual, conduzindo a bola pela esquerda e, após o afastamento parcial da bola por parte de Rivarola, o centroavante deu um passe para Marcelo, que errou o gol; porém, o mesmo Fabiano, livre, fez o terceiro tento do Internacional. O quarto gol foi novamente de Fabiano, que recebeu a bola livre pela esquerda, entrou na área e chutou em curva, sem chances para Murilo.

O Grêmio descontou com Sérgio Manoel, marcando o seu primeiro gol na partida. No entanto, ainda havia tempo para mais um gol colorado: Luciano fez uma boa jogada e tocou a bola para Marcelo marcar o quinto do Internacional. Nos acréscimos, o Grêmio ainda fez o seu segundo gol com Gilmar. Após isso, terminou-se a partida, com placar final de 5 para o Internacional e 2 para o Grêmio.[37]

Campeonato Brasileiro

1997
Grêmio   2 – 5   Internacional Olímpico Monumental, Porto Alegre

Sérgio Manoel  
Gilmar  
Christian  
Sandoval  
Fabiano Souza    
Marcelo  

Grenal de Ronaldinho Gaúcho

No grenal nº 341, em 20 de junho de 1999, final do Campeonato Gaúcho, o jovem Ronaldo de Assis Moreira, então com 19 anos, aplicou um chapeuzinho em Dunga, capitão da Seleção Brasileira nas Copas do Mundo de 1994 e 1998, que já estava no final de sua carreira no Internacional. O jogo terminou com vitória do Grêmio por 1 a 0, Grêmio campeão, com gol de Ronaldinho Gaúcho. Esse grenal foi disputado no Estádio Olímpico e teve um público de 40.238 pagantes.[38]

20 de Junho de 1999 Grêmio 1 – 0 Internacional Estádio Olímpico Monumental, Porto Alegre

Ronaldinho Gaúcho

Grenal do Gol 1000

As torcidas faziam apostas para ver quem marcaria o gol mil.

O Grenal 360, válido pelo Campeonato Brasileiro, recebeu então o nome de "Grenal do Gol 1.000" no dia 10 de julho de 2004. O Inter conseguiu a regularização do jogador Fernandão, recém-repatriado da França, somente na sexta-feira, a tempo de coloca-lo a disposição do técnico, que o deixou no banco de reservas. No segundo tempo, sofreu a falta do gol 999, marcado pelo zagueiro Vinicius. Aos 34 minutos, num cruzamento de Elder Granja, o estreante Fernandão marcou o milésimo gol da história do Grenal, na vitória do Internacional por 2 a 0.[39][40]

Campeonato Brasileiro

10 de julho de 2004
  Internacional 2 – 0 Grêmio   Beira-Rio, Porto Alegre

Vinícius  
Fernandão  

Primeiro Grenal internacional oficial

No dia 15 de setembro de 2004, data de aniversário do Grêmio, houve o primeiro clássico Grenal por uma competição internacional oficial, a Copa Sul-americana. Internacional saiu-se vencedor, aplicando 2 a 0 no adversário.

  Copa Sul-Americana 2004

15 de setembro de 2004
Internacional   2 – 0   Grêmio Beira-Rio, Porto Alegre  

Fernandão   21'
Chiquinho   86'
Público: 16.341 (13.384 pagantes)
Árbitro: Márcio Rezende de Freitas

Internacional: Clemer; Edinho, Vinícius e Álvaro; Élder Granja, Diego Gavilán, Marabá, Fernandão e Felipe Athirson (Chiquinho); Rafael Sóbis (Wellington) e Danilo (Diego). Técnico: Muricy Ramalho.

Grêmio: Márcio; Fábio Bilica, Felipe Baloy e Claudiomiro (George Lucas); Cocito (Luciano Santos), Leanderson, Fábio Pinto (Marcelinho), Felipe Melo e Emerson; Cláudio Pitbull e Christian. Técnico: Cuca.

Uma semana depois, ocorre o segundo jogo, agora no Olímpico, quando o Grêmio ganha por 2 a 1, mas vê o Inter classificar-se para a segunda fase da competição.

Confrontos históricos (2009-atual)

Grenal dos 100 anos

Este Grenal de número 377 foi realizado no dia 19 de julho de 2009, cem anos após a disputa do primeiro clássico. O estádio foi o Olímpico Monumental.

O jogo foi marcado por muito alarde por parte da mídia antes da partida.[41][42][43][44] Dentro de campo, o Internacional abriu o marcador com um gol de Nilmar, aos vinte e quatro minutos do primeiro tempo, após uma jogada de contra-ataque originada de uma falha de Souza.[45][46]

O Grêmio, contudo, não tardou a responder e empatou a partida, com um gol de falta do mesmo Souza, aos trinta e cinco minutos de partida.[45][46][47] O Grêmio continuou atacando na etapa seguinte, até que, aos vinte e cinco minutos, Maxi López cabeceou e colocou o Tricolor em vantagem.[45][46][47] Ao final, o Grêmio sustentou o resultado e venceu o Grenal do centenário.[46]

  Campeonato Brasileiro de 2009

19 de julho de 2009 Grêmio   2 – 1   Internacional Estádio Olímpico Monumental, Porto Alegre

Souza   35'
Maxi López   69'
Nilmar   24' Público: 40 020 (36 046 pagantes)
Renda: R$ 790.721,00
Árbitro:  RS Leonardo Gaciba

Grêmio: Victor; Mário Fernandes (Makelele), Rafael Marques, Réver e Fábio Santos; Túlio, Adílson, Souza e Tcheco; Herrera (Jonas) e Maxi López. Técnico: Paulo Autuori.

Internacional: Lauro; Bolívar (Danilo Silva), Índio, Sorondo e Kléber; Sandro, Guiñazú, Andrezinho (Giuliano) e D'Alessandro; Taison (Alecsandro) e Nilmar. Técnico: Tite.

Primeiro Grenal no exterior

No dia 30 de janeiro de 2011, ocorreu pela primeira vez um grenal disputado em solo estrangeiro, na cidade uruguaia de Rivera, que fica na fronteira com o Brasil, fazendo divisa com a cidade de Santana do Livramento. O Internacional, que estava voltando da disputa do Copa do Mundo de Clubes em Abu Dhabi, enviou o time B para a disputa do clássico.

O Grêmio, com time misto, ganhou por 2 a 1. No primeiro tempo, o atacante Guto colocou o Internacional na frente. No segundo tempo, o Grêmio virou, com um gol de falta do lateral esquerdo Bruno Collaço e outro do atacante Lins, que havia saído do banco de reserva.

  Campeonato Gaúcho de 2011

30 de janeiro de 2011 Grêmio   2 – 1   Internacional Estádio Atilio Paiva Olivera, Rivera

Bruno Collaço   59'
Lins   72'
Guto   38' Árbitro:  RS Márcio Chagas da Silva

Grêmio: Marcelo Grohe; Mário Fernandes, Vilson (Willian Magrão), Neuton e Bruno Collaço; Maylson, Adílson, Mateus Magro e Mithyuê (Lins); Diego Clementino e Wesley (Dener). Técnico: Renato Portaluppi.

Internacional: Lauro; Daniel, Ronaldo Alves, Rodrigo Moledo e Massari; Augusto (Wagner Libano), Natan (Marinho) e Juliano; Marquinhos Gabriel Ricardo Goulart (Thiago Humberto) e Guto. Técnico: Celso Roth.

Primeiro Grenal da Arena

No dia 04 de agosto de 2013, ocorre o Primeiro Grenal na Arena do Grêmio, válido pelo Brasileirão de 2013, resultando 1 a 1. O primeiro Gol, saiu de pênalti cobrado por Barcos, onde o Kléber sofreu uma falta dentro da área do Inter, assim, o Grêmio sai na frente.

O segundo gol foi do Inter, em resposta, Willians passa por três jogadores gremistas, cruza para a área do adversário, e Leandro Damião livre chuta de primeira, assim, saindo o gol final da partida, resultando em 1 a 1, pelo Grenal 397.

  Brasileirão de 2013

04 de agosto de 2013 Grêmio   1 – 1   Internacional Arena do Grêmio, Porto Alegre
16:00
Barcos   18' (pen.) Leandro Damião   21' Público: 40 054 (37 434 pagantes)
Renda: R$ 1.926.65,00
Árbitro:  RS Fabrício Neves Corrêa

Grêmio: Dida; Bressan, Werley e Rhodolfo; Pará, Adriano (Ramiro), Cristian Riveros (Paulinho), Elano (Maxi Rodríguez) e Alex Telles; Kléber e Barcos. Técnico: Renato Portaluppi.

Internacional: Muriel; Ednei (Fabrício), Ronaldo Alves e Juan; Kléber, Willians, Josimar e D'Alessandro; Jorge Henrique, Forlán (Ignacio Scocco) e Leandro Damião. Técnico: Dunga

Grenal 400 e primeira vitória na Arena

No dia 30 de março de 2014 foi jogado o Grenal de número 400, 1° jogo das finais do Campeonato Gaúcho. Além da marca histórica, este Grenal também foi marcado pela primeira vitória em Grenais na Arena, novo estádio do Grêmio.

O vencedor acabou sendo o Internacional, que virou o placar para 2 a 1 no segundo tempo, após terminar o primeiro tempo perdendo por 1 a 0.

O nome do jogo foi o atacante Rafael Moura, autor dos dois gols do colorado.

  Campeonato Gaúcho de 2014

30 de março de 2014 Grêmio   1 – 2   Internacional Arena do Grêmio, Porto Alegre

Barcos   14' Rafael Moura   52',   72' Público: 39 874 (37 744 pagantes)
Renda: R$ 1.903.957,00
Árbitro:  RS Leandro Pedro Vuaden

Grêmio: Marcelo Grohe, Pará, Werley , Rhodolfo e Wendell; Edinho, Ramiro, Cristian Riveros (Maxi Rodríguez), e Dudu ( Alan Ruiz )  ; Luan (Jean Deretti) e Barcos. Técnico: Enderson Moreira.

Internacional: Dida; Gilberto , Paulão , Juan (Ernando) e Fabrício; Willians, Aránguiz, Alex (Ygor) e D'Alessandro; Jorge Henrique( Alan Patrick ) e Rafael Moura. Técnico: Abel Braga

Primeiro Grenal em final de estadual jogado fora de Porto Alegre

  Campeonato Gaúcho de 2014

13 de abril de 2014 Internacional   4 – 1   Grêmio Estádio Centenário, Caxias do Sul

D'Alessandro  26'
Alex   49'
Alan Patrick   55'
Alex   57'
Ernando   66' Público: 17 424 (15 815 pagantes)
Árbitro:  RS Márcio Chagas da Silva

Internacional: Dida; Gilberto, Paulão, Ernando e Fabrício; Willians, Aránguiz, Alex (Juan) e D'Alessandro; (Jorge Henrique) e Alan Patrick; Rafael Moura. Técnico: Abel Braga

Grêmio: Marcelo Grohe, Pará, Werley, Rhodolfo e Wendell; Edinho (Maxi Rodríguez), Ramiro, Cristian Riveros e Alan Ruiz (Léo Gago); Dudu e Barcos. Técnico: Enderson Moreira.

Primeira vitória gremista na Arena do Grêmio

  Campeonato Brasileiro de Futebol de 2014 - Série A

No dia 09 de novembro de 2014, na Arena do Grêmio, foi disputado o clássico grenal de número 403, em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro daquele ano. Ao todo 46.437 pessoas estiveram na Arena para presenciar a goleada do Grêmio sobre o Internacional pelo placar de 4 a 1, com 2 gols do argentino Alan Ruiz, enquanto Luan e Ramiro marcaram os outros gols do tricolor; Rafael Moura marcou o gol colorado. O resultado favorável ao Grêmio marcou a quebra do tabu de jamais ter superado o Inter na nova Arena tricolor e acabou com o jejum de dois anos sem vitória do Grêmio no clássico, além de ter simbolizado a entrada do Grêmio no G-4 da tabela do campeonato brasileiro de 2014, tirando exatamente o Internacional das quatro primeiras colocações.

9 de novembro de 2014 Grêmio 4 - 1 Internacional Arena do Grêmio,   Porto Alegre

Luan   27'
Ramiro   48'
Alan Ruiz   77'
Alan Ruiz   81'
Rafael Moura   60' Público: 46.437 pessoas
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira  

Primeiro Grenal com "torcida mista"

Em 1 de março de 2015, em Grenal válido pela oitava rodada da primeira fase do Gauchão 2015, realizado no Estádio Beira-Rio, pela primeira vez foi colocado em teste o sistema de "torcida mista", na qual um torcedor colorado poderia convidar um torcedor gremista para assistirem o jogo lado a lado, em um setor do Beira-Rio.[48] Cerca de 2 mil torcedores acompanharam o jogo neste setor.[49]

  Campeonato Gaúcho de 2015
Grenal 404

1 de março de 2015 Internacional 0 – 0 Grêmio Estádio Beira Rio, Porto Alegre

Súmula
Borderô
Público: 34 512
Renda: R$ 984.785,00
Árbitro:  RS Jean Pierre Gonçalves de Lima

Grenal dos 5 a 0 - Maior goleada em brasileiros e maior do Século XXI

No dia 9 de agosto de 2015, no Grenal de número 407, válido pela 17° rodada do Brasileirão 2015 - Série A, realizado na Arena do Grêmio, o Grêmio aplicou, sobre o Inter, a maior goleada já aplicada pelo tricolor em Grenais desde a profissionalização do esporte no estado em 1940 e também a maior goleada do Grêmio desde 1911, com placar de 10 a 1, com show de Luan e pênalti perdido pelo Grêmio ainda com 11 minutos de jogo e zero a zero no placar. O Inter sem D'Alessandro e sem Diego Aguirre, técnico demitido na semana do clássico, foi comandado por Odair Hellman.

A partida ficou marcada pelo domínio do Grêmio sobre o rival e o placar poderia ter sido maior, pois Douglas perdeu um pênalti logo no início da partida. O primeiro tempo da partida terminou com o placar de 2 a 0 para o tricolor, com gols de Giuliano, aos 36 minutos, que acertou um chute forte da entrada da área após rebote da zaga do Internacional em cobrança de escanteio, e Luan, aos 43 minutos, com um belo chute de fora da área após tabela com o zagueiro Erazo.

Logo no começo do segundo tempo o Grêmio marcou o seu terceiro gol através do jogador Luan, aos 2 minutos. Na tentativa de evitar uma goleada ainda maior, o Internacional substituiu o centroavante por um volante, quando o placar estava 3 a 0 a favor do tricolor. Contudo, a estratégia colorada não surtiu o efeito desejado, pois Fernandinho fez o quarto gol aos 31 minutos. O quinto e último gol do Grêmio da partida saiu através de gol contra do zagueiro Réver aos 38 minutos, após jogada do atacante Fernandinho.

Placar final de 5 a 0 para o tricolor. Essa foi a maior goleada sofrida pelo rival do Grêmio em Grenais pelo Campeonato Brasileiro da era dos pontos corridos (junto com 5 a 0 para São Caetano, em 2003, e Chapecoense, em 2014) e também a maior goleada em Grenais em toda a história dos Campeonatos Brasileiros, além de ser a maior goleada aplicada no Século XXI no clássico Grenal e a maior desde que tiveram início as competições nacionais com a participação da dupla Grenal.

  Brasileirão 2015

Grenal 407

9 de Agosto de 2015 Grêmio 5 – 0 Internacional Arena do Grêmio,   Porto Alegre

Giuliano  36'
Luan   43'   47'
Fernandinho   76'
Réver ( contra )   83'
Público: 46.010 (42.432 pags)
Árbitro: Dewson Freitas   PA

Resultados

Vitórias do Internacional Empate Vitórias do Grêmio

Anos 2010

# Data Torneio Estádio Casa Visitante Placar Gols (casa) Gols (visitante)
379 31 de janeiro de 2010 Campeonato Gaúcho Colosso da Lagoa Internacional Grêmio 1–0 (0–0) Alecsandro   79'
380 25 de abril de 2010 Campeonato Gaúcho Beira-Rio Internacional Grêmio 0–2 (0–0) Rodrigo   67'
Borges   87'
381 2 de maio de 2010 Campeonato Gaúcho Olímpico Grêmio Internacional 0–1 (0–1) Giuliano   9'
382 1 de agosto de 2010 Campeonato Brasileiro Beira-Rio Internacional Grêmio 0–0 (0–0)
383 24 de outubro de 2010 Campeonato Brasileiro Olímpico Grêmio Internacional 2–2 (1–0) André Lima   36'
Fábio Santos   69'
Alecsandro   65'
D'Alessandro   83'
384 30 de janeiro de 2011 Campeonato Gaúcho Atilio Paiva Grêmio Internacional 2–1 (0–1) Bruno Collaço   58'
Lins   72'
Guto   38'
385 1 de maio de 2011 Campeonato Gaúcho Beira-Rio Internacional Grêmio 1–1 (1–0) Leandro Damião   23' Júnior Viçosa   86'
386 8 de maio de 2011 Campeonato Gaúcho Beira-Rio Internacional Grêmio 2–3 (1–1) Andrézinho   8'
Leandro Damião   81'
Júnior Viçosa   39',   87'
Leandro   46'
387 15 de maio de 2011 Campeonato Gaúcho Olímpico Grêmio Internacional 2–3 (1–2) Lúcio   15'
Borges   80'
Damião   31'
Andrézinho   45'
D'Alessandro   74'
388 28 de agosto de 2011 Campeonato Brasileiro Olímpico Grêmio Internacional 2–1 (1–1) Marquinhos   16'
Douglas   79'
Índio   26'
389 4 de dezembro de 2011 Campeonato Brasileiro Beira-Rio Internacional Grêmio 1-0 (0-0) D'Alessandro   61'
390 5 de fevereiro de 2012 Campeonato Gaúcho Olímpico Grêmio Internacional 2–2 (2-1) Marquinhos   27'
Marcelo Moreno   33'
Dátolo   22'
Bolívar   75'
391 22 de fevereiro de 2012 Campeonato Gaúcho Beira-Rio Internacional Grêmio 1-2 (1-1) Leandro Damião   27' Léo Gago   16', Kléber   65'
392 29 de abril de 2012 Campeonato Gaúcho Beira-Rio Internacional Grêmio 2-1 (1-0) Dátolo   35'
Fabrício   76'
Werley   55'
393 26 de agosto de 2012 Campeonato Brasileiro Beira-Rio Internacional Grêmio 0-1 (0-1) Elano   7'
394 2 de dezembro de 2012 Campeonato Brasileiro Olímpico Grêmio Internacional 0–0 (0–0)
395 2 de fevereiro de 2013 Campeonato Gaúcho Colosso da Lagoa Internacional Grêmio 2–1 (1–0) Leandro Damião   40'
Forlán   53'
Fernando   55'
396 24 de fevereiro de 2013 Campeonato Gaúcho Centenário Internacional Grêmio 2–1 (1–0) Forlán   28'
Moledo   57'
Willian José   67'
397 4 de agosto de 2013 Campeonato Brasileiro Arena do Grêmio Grêmio Internacional 1–1 (1–1) Barcos   18' Leandro Damião   20'
398 20 de outubro de 2013 Campeonato Brasileiro Centenário Internacional Grêmio 2–2 (1–1) Willians   3'
D'Alessandro   60'
Jackson   40'
Vargas   51'
399 9 de fevereiro de 2014 Campeonato Gaúcho Arena do Grêmio Grêmio Internacional 1–1 (0–1) Barcos   79' Fabrício   42'
400 30 de março de 2014 Campeonato Gaúcho Arena do Grêmio Grêmio Internacional 1–2 (1–0) Barcos   13' Rafael Moura   52',   71'
401 13 de abril de 2014 Campeonato Gaúcho Estádio Centenário Internacional Grêmio 4–1 (1–0) D´Alessandro   27'
Alex   50'
Alan Patrick   56'
Alex   57'
Ernando   67'
402 10 de agosto de 2014 Campeonato Brasileiro Beira-Rio Internacional Grêmio 2–0 (0–0) Aránguiz   63'
Cláudio Winck   83'
403 9 de novembro de 2014 Campeonato Brasileiro Arena do Grêmio Grêmio Internacional 4–1 (1-0) Alan Ruiz   75',   81'
Luan  27'
Ramiro   48'
Rafael Moura   60'
404 1 de fevereiro de 2015 Campeonato Gaúcho Beira-Rio Internacional Grêmio 0–0 (0–0)
405 26 de abril de 2015 Campeonato Gaúcho Arena do Grêmio Grêmio Internacional 0–0 (0–0)
406 3 de maio de 2015 Campeonato Gaúcho Beira-Rio Internacional Grêmio 2–1 (2–1) Nilmar   6'
Valdivia   18'
Giuliano   45'
407 9 de agosto de 2015 Campeonato Brasileiro Arena do Grêmio Grêmio Internacional 5–0 (2-0) Giuliano   34'
Luan   42',   48'
Fernandinho   75'
Réver   83'
408 22 de novembro de 2015 Campeonato Brasileiro Beira-Rio Internacional Grêmio 1–0 (1–0) Vitinho   7'
409 6 de março de 2016 Campeonato Gaúcho e Primeira Liga Arena do Grêmio Grêmio Internacional 0–0 (0–0)
410 3 de julho de 2016 Campeonato Brasileiro Beira-Rio Internacional Grêmio 0–1 (0–1) Douglas   19'
411 23 de outubro de 2016 Campeonato Brasileiro Arena do Grêmio Grêmio Internacional 0–0 (0–0)
412 4 de março de 2017 Campeonato Gaúcho Arena do Grêmio Grêmio Internacional 2–2 (1–0) Miller Bolaños   22'
Fernandinho   68'
Roberson   55'
Brenner   57'

Estatísticas

 
Grenal disputado no Estádio Olímpico Monumental

Os números e a ficha de todos os Grenais. [50][51]

Número de jogos 411
Vitórias do Inter 154
Empates 130
Vítórias do Grêmio 128
Gols marcados pelo Inter 578
Gols marcados pelo Grêmio 540
Total de gols 1118

Segundo o jornalista e pequisador Cláudio Dienstmann, a estatística dos Grenais que é publicada pela imprensa estaria equivocada, por causa do Grenal 11, interrompido no primeiro tempo por um briga enquanto era vencido pelo Grêmio, que se recusou a terminar a partida. No entanto, os números acima são também publicados no site do Inter..[52]

Números por competição

Atualizado em 15 de Maio 2015, conforme site do Inter.

Competição Jogos Período Vitórias do Grêmio Empates Vitórias do Internacional Gols do Grêmio Gols do Internacional Total de gols
Camp. internacionais
Seletiva para Libertadores
2 1999 0 2 0 2 2 4
Copa Sul-Americana 4 2004-2008 1 2 1 5 6 11
Camp. nacionais
Torneio Roberto Gomes Pedrosa 6 1967-1970 0 4 2 1 4 5
Campeonato Brasileiro 54 1971-atual 22 14 18 56 50 106
Copa do Brasil 2 1992 0 2 0 2 2 4
Camp. estaduais e regionais
Campeonato Gaúcho 158 1961-atual 45 59 54 164 162 326
Copa Sul 2 1999 0 1 1 1 3 4
Copa Sul-Minas 1 2002 0 1 0 1 1 2
Camp. citadinos
Campeonato Citadino 105 1910-1960 e 1972 37 20 44 191 198 389
Torneio Relâmpago 1 1939 0 0 1 2 3 5
Torneio Extra 10 1943-1954 0 5 5 5 17 22
Outros torneios e amistosos
Taça Cidade de Porto Alegre 3 1947-1983 0 3 0 2 2 4
Torneio Noturno de Porto Alegre 1 1933 0 0 1 0 2 2
Torneio de Honra 1 1943 0 1 0 3 3 6
Torneio Triangular de Porto Alegre 7 1943-1951 2 1 4 8 16 24
Torneio Inauguração do
Estádio Olímpico
1 1954 0 0 1 2 6 8
Torneio da Legalidade 2 1962 1 1 0 3 2 5
Torneio Quadrangular Porto Alegre-Pelotas ou Jornal do Brasil 2 1964 0 0 2 1 3 4
Torneio da Festa da Uva 1 1965 0 1 0 0 0 0
Torneio Internacional
de Porto Alegre
1 1971 1 0 0 2 0 2
Amistosos 46 1909-1992 19 11 20 89 96 185
Total 411 129 128 153 540 578 1118

Números por estádio

Atualizado em Maio de 2015, em concordância com sítios do Grêmio e do Inter.

Estádio Cidade Jogos Vitórias do Grêmio Empates Vitórias do Internacional Gols do Grêmio Gols do Internacional
Olímpico Porto Alegre 123 41 48 34 152 132
Beira-Rio Porto Alegre 113 28 41 45 93 112
Eucaliptos Porto Alegre 54 22 8 24 84 98
Baixada Porto Alegre 47 23 9 15 100 92
Timbaúva Porto Alegre 21 2 8 11 30 49
Montanha Porto Alegre 12 0 3 9 11 30
Chácara dos Eucaliptos Porto Alegre 12 6 0 6 25 27
Arena do Grêmio Porto Alegre 8 2 5 1 12 5
Colosso da Lagoa Erechim 4 0 1 3 2 5
Tiradentes Porto Alegre 3 1 1 1 4 3
Centenário Caxias do Sul 3 0 1 2 4 8
Chácara das Camélias Porto Alegre 2 0 2 0 3 3
Passo D'Areia Porto Alegre 2 0 1 1 5 7
Atilio Paiva Rivera 1 1 0 0 2 1
Baixada Rubra Caxias do Sul 1 0 1 0 0 0
Escola de Guerra Porto Alegre 1 1 0 0 10 1
Eucaliptos Santa Cruz do Sul 1 0 0 1 0 1
Montanha dos Vinhedos Bento Gonçalves 1 0 0 1 1 2
Waldemar Fetter Rio Grande 1 1 0 0 2 1
Total 411 128 129 154 540 578

Maiores artilheiros

 
Carlitos, o artilheiro colorado em grenais
 
Luiz Carvalho, o artilheiro gremista em grenais

Carlitos, ponteiro colorado do chamado Rolo Compressor, marcou 42 gols em 62 jogos, sendo reconhecido como o maior artilheiro do clássico.[53]

O argentino José Villalba, atacante da década de 1940, é o segundo maior artilheiro colorado em grenais, com 20 gols, sendo autor também do feito de ter feito quatro gols no clássico de outubro de 1948, na vitória de 7 a 0 do Internacional.[54]

Jogador da década de 1930, o atacante gremista Luiz Carvalho, com 17 gols em 29 clássicos, é considerado o maior artilheiro gremista[55] e Alcindo, o Bugre, com 13 gols, é o segundo maior artilheiro do Grêmio.[56]

Treinador Grenal

O técnico que mais participou de grenais foi Sérgio Moacir com 31 jogos, somando jogos por Grêmio e Inter, sendo seguidos por Ênio Andrade e Cláudio Duarte, que comandaram - por ambos os times - um total de 27 jogos.

Logo depois, com 25 jogos pelo Inter, aparece Teté. Com 23 jogos, aparecem empatados Carlos Froner e Rubens Minelli, novamente por Inter e Grêmio.[57]

Celso Roth atuou em 22 grenais, sendo quinze jogos pelo Grêmio e outros sete pelo Inter.[58]

Maiores goleadas

Maiores públicos

Estádio Beira-Rio
Campeonatos Gaúcho Internacional 1 a 1 Grêmio, 85.072, 30 de maio de 1971
Campeonatos Brasileiro Internacional 2 a 1 Grêmio, 78.083, 12 de fevereiro de 1989
Copa do Brasil Internacional 1 a 1 Grêmio, 76.207, 17 de novembro de 1992
Estádio Olímpico Monumental
Campeonato Gaúcho Grêmio 1 a 1 Internacional, 72.893, 29 de novembro de 1981
Campeonato Brasileiro Grêmio 0 a 0 Internacional, 71.621, 9 de fevereiro de 1989
Copa do Brasil Grêmio 1 a 1 Internacional, 55.425, 6 de novembro de 1992
Arena do Grêmio
Campeonato Gaúcho Grêmio 0 a 0 Internacional, 48.204, 6 de março de 2016
Campeonato Brasileiro Grêmio 0 a 0 Internacional, 53.287, 23 de outubro de 2016
Outros públicos em Campeonatos Brasileiros [59]

No Estádio Beira-Rio

  1. Internacional 0 a 1 Grêmio, 52.347, 12 de outubro de 1987
  2. Internacional 0 a 4 Grêmio, 48.597, 6 de novembro de 1977
  3. Internacional 2 a 3 Grêmio, 46.752, 23 de abril de 1978
  4. Internacional 0 a 1 Grêmio, 45.442, 12 de outubro de 2003

No Estádio Olímpico Monumental

  1. Grêmio 0 a 0 Internacional, 46.209, 2 de dezembro de 2012[60]
  2. Grêmio 0 a 0 Internacional, 45.276, 18 de fevereiro de 1991
  3. Grêmio 2 a 2 Internacional, 45.234, 24 de outubro de 2010
  4. Grêmio 2 a 5 Internacional, 42.929, 24 de agosto de 1997
  5. Grêmio 1 a 1 Internacional, 42.888, 29 de junho de 2008

Na Arena do Grêmio

  1. Grêmio 4 a 1 Internacional, 46.437, 9 de novembro de 2014
  2. Grêmio 5 a 0 Internacional, 46.010, 10 de agosto de 2015

Publicações sobre o clássico Grenal

Livros
  • NEY, José: Grenal - História. Editora Grafosul, 1977.
  • COIMBRA, David; NORONHA, Nico; SOUZA, Mário Marcos de & MOREIRA, Carlos André. A História dos Grenais. Porto Alegre: L&PM Editores, 2009, 325 p. ISBN 8525424447
  • KALUNGA. Grenalzinho é sempre Grenalzinho. Caxias do Sul: Editora Maneco, 2011, 136 p. ISBN 978-85-7705-152-6

Ligações externas

Referências

  1. "Confrontos entre Grêmio e Internacional", Site do Internacional, 17/01/2013
  2. Grenal é eleito clássico mais disputado do país, segundo revista Zero Hora, acessado em 13 de setembro de 2009
  3. Revista inglesa aponta Gre-Nal como oitavo maior clássico do mundo Correio do Povo, acessado em 29 de abril de 2016
  4. «Com um gol a cada 37 minutos em clássicos, Viçosa vira o Homem Gre-nal de 2011». 8 de maio de 2011. Consultado em 10 fev. 2012 
  5. «Acompanhe o clássico Gre-nal 385». 1º maio 2011. Consultado em 10 fev. 2012 
  6. «Opostos, Tinga e Fernando escancaram: Gre-nal pode salvar o semestre». 7 de maio de 2011. Consultado em 10 fev. 2012 
  7. «Carpeggiani e Renato Gaúcho "duelam" sobre Grenal». 17 jul. 2009. Consultado em 10 fev. 2012 
  8. «Grenal não é Grenal». 25 out. 2011. Consultado em 10 fev. 2012 
  9. «Grenal: clássico completa um século de muita emoção e rivalidade». Consultado em 10 fev. 2012 
  10. «Grenal centenário: Internacional tem vantagem de 23 vitórias no clássico». Consultado em 10 fev. 2012 
  11. «Há 30 Anos em ZH: morre Tesourinha». 18 jun. 2009. Consultado em 10 fev. 2012 
  12. «História - Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense». Consultado em 10 fev. 2012 
  13. «17 Clássicos Invictos». Consultado em 10 fev. 2012 
  14. «Há uma década, invencibilidade no clássico era gremista». 7 abr. 2009. Consultado em 10 fev. 2012 
  15. «Conheça mais sobre o clássico deste domingo». 18 jul. 2009. Consultado em 10 fev. 2012 
  16. «D'Alessandro, nome do Grenal, dedica goleada à torcida». 28 set. 2008. Consultado em 10 fev. 2012 
  17. «Setembro se aproxima do fim e mostra virada na gangorra Grenal». 22 set. 2008. Consultado em 10 fev. 2012 
  18. «Libertadores 2007: dupla Grenal inicia preparação». 25 nov. 2006. Consultado em 10 fev. 2012 
  19. O primeiro Grenal Consulado do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense em Brasília, acessado em 26 de outubro de 2009
  20. A História do Primeiro Grenal Campeões do Futebol, acessado em 26 de outubro de 2009
  21. Agenda Histórica - Junho Sport Club Internacional, acessado em 26 de outubro de 2009
  22. 100 anos de Grenal Terceiro Tempo, acessado em 26 de outubro de 2009
  23. Grêmio quer diminuir a vantagem do Inter na história do Grenal Fanáticos por Futebol, acessado em 26 de outubro de 2009
  24. a b David Coimbra, Carlos André Moreira, Nico Noronha, Mário Marcos de Souza. A história dos Grenais. [S.l.: s.n.] ISBN 8585418311 
  25. Jornal "A Federação", 24/08/1918 (edição 200), p. 7. Disponível na Hemeroteca Digital da Fundação Biblioteca Nacional.
  26. RSSSF, The Rec.Sport.Soccer Statistics Foundation, página sobre o Campeonato Portoalegrense de 1918.
  27. http://grenais.com.br/grenais/grenal-014/
  28. a b "A História dos Grenais", de Nico Noronha e David Coimbra, Ed. Artes e Ofícios, 1994, pp. 38-42
  29. COIMBRA, David et al. A História dos Grenais. Porto Alegre: Artes e Ofícios, 2009, p. 47-48
  30. [1] Site do Inter
  31. internacional.com
  32. Internacional. «Conteudo grenais todos». Consultado em 9 jan. 2012 
  33. «Grêmio goleia e faz Inter aposentar uniforme novo». Clic RBS. Consultado em 3 de junho de 2010 
  34. Site Inter
  35. [2] Resenha de Thiago Corrêa
  36. Site Inter
  37. [3] Site Inter
  38. [4] Lista de todos os grenais
  39. [5] Reportagem ClicRBS
  40. [6] Reportagem CliccRBS
  41. «Joilson: 'O vitorioso no Grenal vai ficar marcado na história'». GloboEsporte.com. 19 de julho de 2009. Consultado em 19 de julho de 2009 
  42. Alliatti, Alexandre (19 de julho de 2009). «FOTOS: Gremistas chegam ao Olímpico animados e provocando o Internacional». GloboEsporte.com. Consultado em 19 de julho de 2009 
  43. Alliatti, Alexandre (19 de julho de 2009). «FOTO: Torcida do Grêmio homenageia atletas do primeiro Grenal». GloboEsporte.com. Consultado em 19 de julho de 2009 
  44. «Grenal deste domingo marca 100 anos do clássico». ClicRBS. 18 de julho de 2009. Consultado em 19 de julho de 2009 
  45. a b c «Grêmio vence Grenal dos 100 anos de virada e encerra jejum». GloboEsporte.com. 19 de julho de 2009. Consultado em 19 de julho de 2009 
  46. a b c d Rebello, Vinicius (19 de julho de 2009). «Grêmio vira e vence o clássico Grenal dos 100 anos». ClicRBS. Consultado em 19 de julho de 2009 
  47. a b «Imortal derruba o Inter no Olímpico». Portal Oficial do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense. 19 de julho de 2009. Consultado em 19 de julho de 2009 
  48. Dupla Gre-Nal confirma setor de torcida mista em clássico no Beira-Rio
  49. Gre-Nal 404 termina empatado e o show fica por conta da torcida
  50. «Os Números». Consultado em 22 fev. 2012 
  51. «Veja a ficha de todos os Grenais». Consultado em 22 fev. 2012 
  52. «POLÊMICA Grenal: A estatística está errada!». 2 out. 2008. Consultado em 10 fev. 2012 
  53. «Tabus e curiosidades marcam o Grenal no Olímpico». 15 de maio de 2011. Consultado em 10 fev. 2012 
  54. «Ontem foi o 377º embate!». Consultado em 10 fev. 2012 
  55. «Os estrangeiros no Internacional». Consultado em 10 fev. 2012 
  56. «Há 30 anos, maior artilheiro gremista em Grenais encerrava carreira no clube». 18 mar. 2008. Consultado em 10 fev. 2012 
  57. «Dorival Júnior faz sua estreia em Grenais neste domingo». 27 ago. 2011. Consultado em 10 fev. 2012 
  58. «Grenal representa o início da arrancada no Brasileiro para os jogadores do Grêmio». 28 ago. 2011. Consultado em 10 fev. 2012 
  59. CD ROM DA PLACAR HISTÓRIA DO BRASILEIRÃO (1971/2001) e Site oficial da CBF.
  60. Lancenet