Abrir menu principal

Wikipédia β

Villa Nova Atlético Clube

Disambig grey.svg Nota: Se procura outros significados de Vila Nova, veja Vila Nova.

O Villa Nova Atlético Clube (conhecido como Villa Nova ou apenas como Villa) é um clube esportivo brasileiro, sediado na cidade de Nova Lima, no Estado de Minas Gerais, fundado em 28 de junho de 1908 com o nome de Villa Nova Athletic Club (o nome da agremiação foi aportuguesado pelas reformas estatutárias posteriores) por trabalhadores ingleses da Saint John Del Rey Mining Company Limited.

Villa Nova
Villa Nova AC (Estr) - MG.svg
Nome Villa Nova Atlético Clube
Alcunhas Leão do Bonfim
Leão Maluco
Glorioso
Maior do Interior
Time da Terra do Ouro
Alvirrubro
Torcedor/Adepto Villanovense
Mascote Leão
Fundação 28 de junho de 1908 (109 anos)
Estádio Castor Cifuentes
Capacidade 5.000 pessoas
Localização Flag of Nova Lima.png Nova Lima, Minas Gerais MG, Brasil Brasil
Presidente Brasil Nélio Aurélio
Treinador Brasil Ito Roque
Patrocinador Brasil Promed
Flag of Nova Lima.png TV Nova Lima

BrasilMinas Gerais Supermercados BH

Brasil Lafaete

Material (d)esportivo Brasil Icone Sports
Competição Minas Gerais Campeonato Mineiro
Brasil Copa do Brasil
Brasil Campeonato Brasileiro
Minas Gerais MG 18 á disputar
Minas Gerais MG 17
Brasil D 17
9°Colocado
A disputar
Minas Gerais MG 16
Brasil D 16
6º Colocado
47º colocado
Website Villa Nova Atlético Clube
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

É conhecido popularmente como Leão do Bonfim, apelido que faz referência ao mascote e ao bairro do Bonfim, localidade onde está sediado o clube alvirubro. Seu estádio é o Estádio Municipal Castor Cifuentes, também conhecido como Alçapão do Bonfim, onde manda suas partidas desde 1930, tendo disputado 3.000 no total em sua História, até a partida contra o Atlético Mineiro em 29 de março de 2015.[1][2]

O Villa Nova tem a maior torcida do interior de Minas Gerais, segundo pesquisa divulgada em janeiro de 2008 pelo Datafolha[3], e também é considerado o mais bem sucedido clube do interior do estado. Suas cores tradicionais são o vermelho e o branco.

Dentre as principais conquistas importantes do Villa Nova, destacam-se 1 Campeonato Brasileiro da Série B, 5 Campeonatos Mineiros, 2 Taças Minas Gerais e 5 Campeonatos Mineiros do Interior.

Índice

HistóriaEditar

Segundo clube mais antigo de Minas Gerais em atividade, o Villa Nova foi fundado em 28 de junho de 1908, em reunião no salão de honra da Câmara Municipal da então denominada Villa de Nova Lima, por operários e mineradores ingleses da Saint John Del Rey Mining Company Limited. Naquela data, elegeu-se sua primeira diretoria,[4] que estava assim constituída:

  • Presidente: Adolpho de Magalhães
  • Secretário e tesoureiro: José Furtado Leite
  • Capitão-geral: G. F. Fellows

O Villa Nova foi primeiro clube em atividade a entrar nos gramados mineiros, o que ocorreu na partida em que o Villa derrotou o Combinado de Lagoinha, bairro de Belo Horizonte, por por 2 a 1, em Nova Lima, no mesmo dia em que o Leão foi fundado. Apesar de ser três meses e três dias mais novo do que seu rival histórico, o Atlético, o Villa carrega essa marca história de ser a primeira equipe mineira em atividade a entrar em campo, porque o Galo só foi jogar sua primeira partida em 1909.

Dois anos depois, contra o Yale, o Villa faturou a primeira taça, ao vencer este rival de então, por 2 a 1. No dia 7 de setembro de 1910, alguns atletas do extinto Sport junta-se a atletas do Morro Velho e o Villa Nova e realizam a primeira partida interestadual de Belo Horizonte. Essa equipe formada, foi denominado de Combinado Mineiro, o adversário desse combinado foi o Riachuelo, equipe do Rio de Janeiro. O placar final foi de 7 a 1 para o Riachuelo.[5]

O Leão foi também o primeiro clube mineiro a formar jogadores que disputariam uma Copa do Mundo com a Seleção Brasileira de Futebol, no caso, Zezé Procópio e Perácio, em 1938, quando já não mais jogavam no Villa.

Embora filiado à Liga Mineira desde 1915, apenas em 1927 o Villa Nova foi aceito como participante do Campeonato Mineiro, então Campeonato da Cidade de Belo Horizonte, sob a alegação de que a distância era grande (15 km), e dificultaria o deslocamento dos outros clubes até Nova Lima.

Outro momento de grande importância para o Villa Nova foi a criação da primeira liga profissional de futebol, em 1933, como resultado da presença cada vez maior de interesses econômicos de dirigentes e atletas, decorrentes da popularização do esporte, fato que também acontecia em vários estados do Brasil , assim como outros países nessa mesma época. Entre os grandes clubes mineiros, Atlético e Palestra também aderiram ao profissionalismo, seguindo uma tendência de crescimento e modernização que se manifestava em diversos campos da vida cultural belo-horizontina, enquanto o América permaneceu amador, capitulando ao profissionalismo apenas em 1943, dando espaço para o crescimento de seus rivais citadinos, a partir daí.

Na década de 1930, marcada institucionalmente pela profissionalização, a hegemonia esportiva esteve sintomaticamente nas mãos do Villa Nova, seja pelos títulos conquistados, seja também por outras grandes campanhas nessa década, pois o Leão do Bonfim foi um dos baluartes da profissionalização do futebol em terras mineiras.

O time profissional do Villa Nova participou dos campeonatos promovidos pela Federação Mineira de Futebol desde 1927, exceto o de 1995, quando o Leão disputou e foi campeão do Campeonato Mineiro Módulo II, sendo tetracampeão mineiro (1932, 1933, 1934 e 1935) , além de campeão mineiro em 1951. A maior façanha do Villa Nova, entretanto, foi a de ter sido o primeiro campeão brasileiro da Segunda Divisão, em 1971, competição equivalente à atual Série B.

Em 90 campeonatos mineiros disputados até 2014, o Villa Nova chegou entre os 5 primeiros em 49.

No Villa, já despontaram craques como Arizona, os irmãos Juca, Vaduca e Osório, Anísio Clemente (Seleção Brasileira), Lito, Tião, Gato, Escurinho, Gil (Seleção Brasileira), Totonho, Luizinho (Seleção Brasileira), Perácio, Zezé Procópio, Geninho, Chico Preto, Canhoto, Alfredo Bernardino e tantos outros.

Patrocinado tradicionalmente pela Anglogold Ashanti, denominação atual da antiga Mineração Morro Velho S.A., com a qual mantém laços históricos profundos, o Villa conquistou em 21 de dezembro de 2007 o patrocínio adicional da Fiat.

No final de 2014 clube inaugura 1° fase da construção do CT Leão do Bonfim para base e profissional com 3 campos em Nova Lima.

Em 2015, o Villa Nova entrou em grave crise, com quedas no faturamento e consequentes salários atrasados que levaram os atletas a entrarem em greve. Apenas a categoria de base tinha bons desempenhos.[6]

Formações HistóricasEditar

Entre 1927 e 1939, a pior colocação do Villa no Campeonato Mineiro foi o quarto lugar (em 1928 e 1939), tendo o time nesse período se destacado bastante nos amistosos contra equipes poderosas do Estado do Rio de Janeiro e do Estado de São Paulo, o que demonstra a qualidade técnica de uma das forças do futebol brasileiro desta época.

Algumas formações do Villa Nova entraram para história, seja pela beleza do futebol apresentado ou pela importância das conquistas. Abaixo relacionamos alguns times que se tornaram indeléveis na história do futebol mineiro e brasileiro:

  • 1932: Time-Base Campeão Mineiro
Gustavo, Barão e Sérgio; Tico-Tico, Carazo e Geninho; Lacerda, Cícero, Prão, Canhoto e Tonho. Técnico: Zé de Deus.
  • 1933: Time-Base Campeão Mineiro
Geraldão, Sérgio e Chico Preto; Zezé Procópio, Neco e Geninho; Tonho, Alfredo Bernardino, Lêra, Varela e Canhoto. Técnico: Zé de Deus.
  • 1934: Time-Base Campeão Mineiro
Geraldão, Sérgio e Chico Preto; Zezé Procópio, Neco e Geninho; Tonho, Alfredo Bernardino, Perácio, Lêra e Canhoto. Técnico: Zé de Deus.
  • 1935: Time-Base Campeão Mineiro
Geraldão, Sérgio e Chico Preto; Zezé Procópio, Neco e Geninho; Tonho, Alfredo Bernardino, Prão, Perácio e Canhoto. Técnico: Zé de Deus
  • 1951: Time-Base Campeão Mineiro
Arizona, Madeira e Anísio; Vicente, Lito e Tão; Osório, Vaduca, Chumbinho, Foguete e Escurinho. Técnico: Martim Francisco e Prão
  • 1968: Time-Base Campeão da Zona Centro do Torneio Centro-Sul
Eduardo; Dodó, Cicinão, Carlos Martins e João Francisco; Daniel e Piorra; Dias, Paulinho Cai-Cai, Osmar e Jesuíno. Técnico: Léo Coutinho
  • 1971: Time-Base Campeão Brasileiro da Segunda Divisão
Arésio; Cassetete, Zé Borges, Bráulio e Mário Lourenço; Daniel e Piorra; Jésum, Eduardo Perrela, Paulinho Cai-Cai e Dias. Técnico: Martim Francisco
  • 1974: Time-Base Campeão da Copa Centro da Federação Mineira de Futebol
Helinho; Índio, Paulo Roberto (Luciano Vieira), Miro e Guilherme; Toninho Catimba e Carlos Roberto; Tonho, Hamilton Frigideira, Silvinho e Jurandi (Lula). Técnico: Moacir Rodrigues
  • 1976: Time-Base Campeão do Torneio Incentivo
Zé Maurício; Dê, Luciano Vieira, Bosco e Alan; Pirulito, Nini e China (Marquinhos); Ronaldo, Danilo e Zu (Claudinho). Técnico: Martim Francisco e Tenente Djalma Martins de Almeida
  • 1977: Time-Base Campeão da Taça Minas Gerais
Ganga; Dê (Índio), Bosco, Dias e Alan; Pirulito, China e Claudinho; Ronaldo, Dirceu Bilisquete e Tonho (Jurandi). Técnicos: Arizona, Anísio Clemente, Tenente Djalma Martins de Almeida e Martim Francisco
  • 1987: Time-Base Campeão do Torneio Incentivo
Roberto Carlos; Gilmar Oliveira, Isaac, Marcus Vinícius Buru e Jardel; Alex Caloi, Erivelto e Elísio; Zé Carlos, Marcus Vinícius Breu e Paulinho Kiss. Técnico: Dawson Laviola Matos.
  • 1995: Time-Base Campeão Mineiro do Módulo II
Mutolovick; Toninho, Geovane, Luizinho e Vítor; Tonho, Carlinhos, Guiba e Arthurzinho; Róbson e Edmundo. Técnico: Rui Guimarães e Palhinha
  • 1997: Time-Base Vice-Campeão Mineiro
Cláudio; Wilson Mineiro, Cláudio Roberto, Eleomar e Wander; Jean, Alemão, Guiba e Kal Baiano; Milton e Adão. Técnico: Luciano Paschoal e Brandãozinho
  • 2006: Time-Base Campeão da Taça Minas Gerais
Glaysson; Mateus, Eddiê (César), Carciano e Marcel; André, Emerson, Paulo César e Márcio Guerreiro; Jil (Clodoaldo) e Márcio Diogo (Eraldo). Técnico: Francisco Carlos Ferreira da Silva - Pirulito.

Elenco atualEditar

  • Atualizado em 8 de janeiro de 2016.[7][8]


Goleiros
Jogador
  Gustavo
  Thiago Régis
  Renan
Defensores
Jogador Pos.
  Williams Z
  Gladstone Z
  Lula Z
  Mateus Alves Z
  Osvaldir LD
  Jhonathan Silva LE
  Bruno Ré LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
  Paulo Vítor V
  Leandro V
  China V
  Luís Mário M
  Djalma M
  Arthur Faria M
  Tchô M
Atacantes
Jogador
  Leozinho
  Renato Kayser
  Roni
  Robertinho
Comissão técnica
Nome Pos.
  Ito Roque T
Legenda
  •  : Capitão
  •   : jogador suspenso
  •  : jogador lesionado
  •  : Prata da casa

TransferênciasEditar

Entradas⬆

M-   TchôBoa Esporte

T -   Leston JúniorMogi Mirim

G-   Fernando Henrique ➡ Remo

A-   Renato Kayser ➡ Vasco da gama

Saídas ⬇


PresidentesEditar

O atual presidente do clube é Márcio Botelho.[9][10]

Márcio Botelho é o 55º presidente na história do clube alvirrubro. O primeiro foi Hary Lowse, o inglês foi eleito no dia da fundação da agremiação, em 28 de junho de 1908.

TítulosEditar

Nacional
Campetição Títulos Temporadas
  Campeonato Brasileiro - Série B 1 1971
Interestadual
Campetição Títulos Temporadas
  Região Centro do Torneio Centro-Sul 1 1968
Estadual
Campetição Títulos Temporadas
  Campeonato Mineiro 5 1932, 1933, 1934, 1935, 1951
  Taça Minas Gerais 2 1977, 2006
  Campeonato do Interior de Minas Gerais 5 1984, 1997, 1998, 1999, 2013
  Campeonato Mineiro de Futebol Módulo II 1 1995
  Torneio Início 5 1930, 1932, 1935, 1946, 1953
  Copa Centro de Minas Gerais 1 1974
  Torneio Incentivo FMF 2 1976 e 1987

Outras ConquistasEditar

Campanhas de destaquesEditar

Categorias de BaseEditar

O Villa Nova na históriaEditar

Villa Nova 1908 - 5 de abril de 2015
Vitórias Empates Derrotas Gols Pró Gols Contra Total de Jogos
1.204 765 992 4.743 3.909 3.001
  • Resultados desconhecidos: 40[1][2]
O Leão no Campeonato Mineiro - até 5 de abril de 2015
Vitórias Empates Derrotas Gols Pró Gols Contra Total de Jogos
578 424 578 2.287 2.139 1.580

Histórico em competições oficiaisEditar

Até o ano de 2017:

Outras estatísticasEditar

  Campeonato Brasileiro
Ano 1971 1972 1973 1974 1975 1976 1977 1978 1979
Pos. 37º 33º
Ano 1980 1981 1982 1983 1984 1985 1986 1987 1988 1989
Pos. 37º
Ano 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999
Pos.
Ano 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009
Pos.
Ano 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019
Pos.
  Série B
Ano 1971 1972 1973 1974 1975 1976 1977 1978 1979
Pos.
Ano 1980 1981 1982 1983 1984 1985 1986 1987 1988 1989
Pos. 43º
Ano 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999
Pos.
Ano 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009
Pos. 33º
Ano 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019
Pos.
  Série C
Ano 1981 1982 1983 1984 1985 1986 1987 1988 1989
Pos.
Ano 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999
Pos. 24° 67° 60° 29° 10°
Ano 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009
Pos. 26º 90° 13°
Ano 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018
Pos.
  Série D
Ano 2009
Pos.
Ano 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017
Pos. 10º 31° 41° 40° 47° 12°
  Copa do Brasil
Ano 1989
Pos. -
Ano 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999
Pos. 36º 48º
Ano 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009
Pos. 36º 21º
Ano 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018
Pos. 85º
  Campeonato Mineiro Módulo I
Ano 1915 1916 1917 1918 1919
Pos.
Ano 1920 1921 1922 1923 1924 1925 1926 1927 1928 1929
Pos. 10°*
Ano 1930 1931 1932 1933 1934 1935 1936 1937 1938 1939
Pos. 6°* -
Ano 1940 1941 1942 1943 1944 1945 1946 1947 1948 1949
Pos.
Ano 1950 1951 1952 1953 1954 1955 1956 1957 1958 1959
Pos. *
Ano 1960 1961 1962 1963 1964 1965 1966 1967 1968 1969
Pos. 10º
Ano 1970 1971 1972 1973 1974 1975 1976 1977 1978 1979
Pos. 11º
Ano 1980 1981 1982 1983 1984 1985 1986 1987 1988 1989
Pos. 10° 14º 14º 10° 12° 13°
Ano 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999
Pos. 13° 19° 19° 17° -
Ano 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009
Pos. 10°
Ano 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017
Pos. 10°
  • 1929 : O Villa desiste de continuar sua participação no torneio porque a maioria das equipes de BH se recusaram a viajar para Nova Lima e jogar contra o Leão.
  • 1931 : Devido a divergências com a Federação, Villa Nova, América e Sete de Setembro abandonaram o campeonato desligando-se da LMDT e formaram uma nova federação, a AMEG, criando no ano seguinte outro campeonato.
  • 1958 : Desclassificado no Torneio Eliminatório, que classificou para a fase final, 8 clubes.
  Taça Minas Gerais
Ano 1973 1974 1975 1976 1977 1978 1979
Pos. 11°
Ano 1980 1981 1982 1983 1984 1985 1986 1987 1988 1989
Pos. 14° 13° 14°
Ano 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999
Pos.
Ano 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009
Pos.
Ano 2010 2011 2012 2013 2014 2015
Pos.

RecordesEditar

Maiores goleadoresEditar

 
GOLS
1. Canhoto 108
2. Lêra 105
3. Alfredo Bernardino 103

Recordistas de gols em uma única partidaEditar

 
GOLS
1.Carvalho 7 (Villa 8 - 1 A.Nogueira, 27 de março de 1927)
2.Perácio 7 (Villa 11 - 1 Retiro, 31 de março de 1936)

Jogadores que mais atuaramEditar

 
PARTIDAS
1. Anísio 336
2. Isaac 305
3. Pirulito 301

Técnicos que mais dirigiramEditar

 
PARTIDAS
1. Rui Guimarães 144
2. Arizona 133
3. Dawson Laviola 123

Técnicos com melhor aproveitamentoEditar

 
APROVEITAMENTO / PARTIDAS
1. Zé de Deus 80,20% / 102
2. Euclides Dias 66,11% / 91
3. Tenente Djalma 65,09% / 55

Maiores goleadas aplicadasEditar

 
GOLEADAS
1. A. Nogueira 1 - 14 Villa (25 de fevereiro de 1932)
2. Villa 12 - 0 Palmeiras-MG (11 de novembro de 1928)
3. Villa 12 - 0 Ideal (18 de março de 1979)

Maiores públicosEditar

  • Exceto rodadas duplas.
 
PÚBLICOS
1. Villa 0 - 1 Cruzeiro (22 de junho de 1997) 132.834
2. Villa 2 - 2 Atlético (24 de janeiro de 1952) 40.000
3. Villa 1 - 2 Atlético (22 de março de 2009) 38.106

Ranking da CBFEditar

Ranking atualizado em Janeiro de 2016

  • Posição: 74º
  • Pontuação: 901 pontos

Ranking criado pela Confederação Brasileira de Futebol para pontuar todos os clubes do Brasil[11].

ClássicosEditar

São considerados clássicos para o Villa Nova os confrontos contra o América-MG, contra o Atlético-MG e contra o Cruzeiro. O maior rival do Villa Nova AC é o América.

Torcidas OrganizadasEditar

  • Torcida Pele Vermelha
  • Torcida Força Jovem
  • Torcida Terror Jovem Villanovense
  • Pavilhão Vermelho

Ligações externasEditar

Referências

BibliografiasEditar

  • FREITAS, Wagner A. A., Villa Nova: 100 anos de glória em vermelho e branco, Belo Horizonte: Wagner Augusto Álvares de Freitas, 2008. 613p. ISBN 9788590802808 (broch.)
  • FREITAS, Wagner A. A., Almanaque do Leão do Bonfim, Belo Horizonte: Wagner Augusto Álvares de Freitas, 2011.