Estação Ferroviária de Tadim

estação ferroviária em Portugal

A Estação Ferroviária de Tadim é uma interface do Ramal de Braga, que serve a localidade de Tadim, no concelho de Braga, em Portugal.

Tadim
Identificação:[1] 29090 TAD (Tadim)
Denominação: Estação Satélite de Tadim
Classificação: ES (estação satélite)[2]
Linha(s): Ramal de Braga (PK 47,344)
Coordenadas:
41° 30′ 32,12″ N, 8° 28′ 59,83″ O
Concelho: bandeiraBraga
Serviços: Logo CP 2.svgBSicon LSTR yellow.svgU
Conexões: Ligação a autocarros
Equipamentos: Bilheteiras
Parque de estacionamento Acesso para pessoas de mobilidade reduzida
Website:
A locomotiva 1437 rebocando comboio especial a sul da Estação Tadim.
Horários dos comboios de Campanhã a Braga em 1876, incluindo Tadim.

CaracterizaçãoEditar

Localização e acessosEditar

Esta interface situa-se em frente ao Largo da Estação, na localidade de Tadim.[3][4]

Descrição físicaEditar

No ano de 2010, apresentava duas vias de circulação, ambas com 301 m de comprimento; as duas gares tinham ambas 301 m de extensão e 90 cm de altura.[5]

CP Urbanos do Porto

(Serv. ferr. suburb. de passageiros no Grande Porto)
Serviços:   Aveiro  Braga
  Marco de Canaveses  Guimarães


(b) Ferreiros 
 
 
   
 Braga (b)
(b) Mazagão 
     
 Guimarães (g)
(b) Aveleda 
     
 Covas (g)
(b) Tadim 
     
 Nespereira (g)
(b) Ruilhe 
     
 Vizela
(b) Arentim 
     
 Pereirinhas (g)
(b) Cou.Cambeses 
     
 Cuca (g)
(m)(b) Nine 
     
 Lordelo (g)
(m) Louro 
     
 Giesteira (g)
(m) Mouquim 
     
 Vila das Aves (g)
(m) Famalicão 
     
 Caniços (g)
(m) Barrimau 
     
 Santo Tirso (g)
(m) Esmeriz 
 
 
 
   
 Cabeda (d)
(m)(g) Lousado   Suzão (d)
(m) Trofa   Valongo (d)
(m) Portela   S. Mart. Campo (d)
(m) São Romão   Terronhas (d)
(m) São Frutuoso   Trancoso (d)
(m) Leandro   Rec.-Sobreira (d)
(m) Travagem   Parada (d)
(m)(d) Ermesinde   Cête (d)
(m) Palmilheira 
 
 
 
     
 Irivo (d)
(m) Águas Santas 
 
 
 
     
 Oleiros (d)
(m) Rio Tinto   Paredes (d)
(m) Contumil 
       
 
 
 Penafiel (d)
(n)(m) P.-Campanhã   
(m) P.-São Bento 
     
 
       
 
(n) General Torres 
     
 
 
 Bustelo (d)
(n) Gaia 
 
 
     
 Meinedo (d)
(n) Coimbrões 
         
 Caíde (d)
(n) Madalena 
         
 Oliveira (d)
(n) Valadares 
         
 Vila Meã (d)
(n) Francelos 
         
 Livração (d)
(n) Miramar 
         
 Recesinhos (d)
(n) Aguda 
         
 M.Canaveses (d)
(n) Granja 
         
 Aveiro (n)
(n) Espinho 
         
 Cacia (n)
(n) Silvalde 
         
 Canelas (n)
(n) Paramos 
         
 Salreu (n)
(n) Esmoriz 
         
 Estarreja (n)
(n) Cortegaça 
         
 Avanca (n)
(n) Carv.-Maceda 
         
 Válega (n)
(n) Ovar 
         
 

HistóriaEditar

O Ramal de Braga foi inaugurado no dia 21 de Maio de 1875.[6][7]

A Estação foi modernizada em 2002, tendo o antigo edifício ficado sem qualquer utilidade; em Outubro de 2009, a Coligação Juntos por Tadim criticou o estado de degradação em que o edifício se encontrava, e defendeu a sua reabilitação e aproveitamento para outros usos.[8]

Ver tambémEditar

Referências

  1. (I.E.T. 50/56) 56.º Aditamento à Instrução de Exploração Técnica N.º 50 : Rede Ferroviária Nacional. IMTT, 2011.10.20
  2. Instrução de exploração técnica nº 2 : Índice dos textos regulamentares em vigor. IMTT, 2012.11.06
  3. «Tadim». Comboios de Portugal. Consultado em 29 de Novembro de 2014 
  4. «Tadim - Ramal de Braga». Infraestruturas de Portugal. Consultado em 27 de Novembro de 2015 
  5. «Linhas de Circulação e Plataformas de Embarque». Directório da Rede 2011. Rede Ferroviária Nacional. 25 de Março de 2010. p. 67-89 
  6. TORRES, Carlos Manitto (16 de Fevereiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1684): 91-95. Consultado em 27 de Novembro de 2015 
  7. REIS et al, p. 12
  8. PASSOS, Nuno (22 de Outubro de 2009). «População exige uso da velha estação». Jornal de Notícias. Consultado em 19 de Maio de 2011 

BibliografiaEditar

  • REIS, Francisco; GOMES, Rosa; GOMES, Gilberto; et al. (2006). Os Caminhos de Ferro Portugueses 1856-2006. [S.l.]: CP-Comboios de Portugal e Público-Comunicação Social S. A. 238 páginas. ISBN 989-619-078-X