Apeadeiro de Canelas

apeadeiro em Portugal

O Apeadeiro de Canelas, originalmente denominado de Canellas, é uma gare ferroviária da Linha do Norte, que serve a freguesia de Canelas, no concelho de Estarreja, em Portugal.

Canelas
BSicon BAHN.svg
Identificação:[1] 38117 CNS (Canelas)
Denominação: Apeadeiro de Canelas
Classificação: A (apeadeiro)[2]
Coordenadas:
40° 42′ 58,92″ N, 8° 33′ 50,26″ O
Concelho: bandeiraEstarreja
Linha(s): Linha do Norte (PK 283,383)
Serviços: Logo CP 2.svgBSicon LSTR yellow.svgU
Equipamentos: Elevadores
Acesso para pessoas de mobilidade reduzida Parque de estacionamento
Inauguração: 1902 (há 118 anos)
Website:

CaracterizaçãoEditar

Localização e acessosEditar

Situa-se junto à localidade de Canelas, possuindo acesso rodoviário pela Rua da Estação.[3]

ServiçosEditar

Esta interface é utilizada pelos serviços urbanos da Linha de Aveiro, da rede de comboios urbanos do Porto da operadora Comboios de Portugal.[4]

 
Aviso de 1902, onde este apeadeiro surge com o nome "Canellas".

HistóriaEditar

 Ver artigo principal: História da Linha do Norte

InauguraçãoEditar

Este apeadeiro situa-se no troço da Linha do Norte entre Estarreja e Taveiro, que foi aberta à exploração pela Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses em 10 de Abril de 1864.[5] No entanto, não fez parte do troço original, uma vez que, em Março de 1902, estava prevista a sua instalação, com categoria de apeadeiro e a denominação de Canellas.[6] Serviria a localidade de Salreu, e deveria ter apenas movimento de passageiros.[6] No mesmo mês, foi aprovada a construção, devendo o apeadeiro ficar ao quilómetro 283,300 da Linha do Norte.[7]

Um aviso de 9 de Junho desse ano da Companhia Real informou que este apeadeiro iria abrir no dia 15 de Junho, apenas para o serviço de passageiros pelos comboios tramways.[8]

AmpliaçãoEditar

Uma portaria do Ministério das Obras Públicas e Comunicações de 30 de Setembro de 1936 aprovou um projecto da Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses para a ampliação do apeadeiro de Canelas, então situado no quilómetro 283,273.70 da Linha do Norte.[9] Este projecto incluía a instalação de um S de ligação entre as duas vias, e a construção de uma casa para o empregado.[9] Para este fim, deveriam expropriadas duas parcelas de terreno à direita da Linha do Norte, entre os quilómetros 283,247.00 e 283,400.00.[9] No mesmo dia, também foi anulada uma outra portaria semelhante, que tinha sido publicada no Diário do Governo n.º 137, III Série, de 15 de Junho, e que tinha saído de forma incorrecta.[9]

Século XXIEditar

CP Urbanos do Porto

(Serv. ferr. suburb. de passageiros no Grande Porto)
Serviços:   Aveiro  Braga
  Marco de Canaveses  Guimarães


(b) Ferreiros 
 
 
   
 Braga (b)
(b) Mazagão 
     
 Guimarães (g)
(b) Aveleda 
     
 Covas (g)
(b) Tadim 
     
 Nespereira (g)
(b) Ruilhe 
     
 Vizela
(b) Arentim 
     
 Pereirinhas (g)
(b) Cou.Cambeses 
     
 Cuca (g)
(m)(b) Nine 
     
 Lordelo (g)
(m) Louro 
     
 Giesteira (g)
(m) Mouquim 
     
 Vila das Aves (g)
(m) Famalicão 
     
 Caniços (g)
(m) Barrimau 
     
 Santo Tirso (g)
(m) Esmeriz 
 
 
 
   
 Cabeda (d)
(m)(g) Lousado 
           
 Suzão (d)
(m) Trofa 
           
 Valongo (d)
(m) Portela 
           
 S. Mart. Campo (d)
(m) São Romão 
           
 Terronhas (d)
(m) São Frutuoso 
           
 Trancoso (d)
(m) Leandro 
           
 Rec.-Sobreira (d)
(m) Travagem 
           
 Parada (d)
(m)(d) Ermesinde 
           
 Cête (d)
(m) Palmilheira 
 
 
 
     
 Irivo (d)
(m) Águas Santas 
 
 
 
     
 Oleiros (d)
(m) Rio Tinto 
           
 Paredes (d)
(m) Contumil 
       
 
 
 Penafiel (d)
(n)(m) P.-Campanhã 
               
 
(m) P.-São Bento 
     
 
       
 
(n) General Torres 
     
 
 
 Bustelo (d)
(n) Gaia 
 
 
     
 Meinedo (d)
(n) Coimbrões 
         
 Caíde (d)
(n) Madalena 
         
 Oliveira (d)
(n) Valadares 
         
 Vila Meã (d)
(n) Francelos 
         
 Livração (d)
(n) Miramar 
         
 Recesinhos (d)
(n) Aguda 
         
 M.Canaveses (d)
(n) Granja 
         
 Aveiro (n)
(n) Espinho 
         
 Cacia (n)
(n) Silvalde 
         
 Canelas (n)
(n) Paramos 
         
 Salreu (n)
(n) Esmoriz 
         
 Estarreja (n)
(n) Cortegaça 
         
 Avanca (n)
(n) Carv.-Maceda 
         
 Válega (n)
(n) Ovar 
         
 

2011-2019 []

Linhas: d L.ª Dourog L.ª Guimarães
b L.ª Bragam L.ª Minhon L.ª Norte
Fonte: Página oficial, 2020.06

Em 2003, estava previsto o encerramento deste Apeadeiro, junto com o de Salreu, para serem substituídos por uma única interface, no âmbito de um projecto de remodelação da Linha do Norte.[10] Esta solução foi contestada pela autarquia de Estarreja e pelas populações locais, pelo que a Rede Ferroviária Nacional decidiu remodelar o Apeadeiro de Canelas e construir uma nova interface em Salreu.[10] As obras de remodelação no Apeadeiro de Canelas tiveram lugar em 2007, tendo-se previsto a sua entrada em funcionamento em Dezembro desse ano; as principais alterações foram a criação de um parque de estacionamento para veículos ligeiros e transportes colectivos, modificação dos cais de passageiros, instalação de uma passagem superior pedonal, e a construção de vedações para delimitar as áreas ferroviárias.[11]

Em Outubro de 2009, o antigo edifício principal deste Apeadeiro foi remodelado e cedido à Câmara municipal de Estarreja, de modo a ser aproveitado para fins culturais e ambientais.[12] Este projecto, denominado de Estação Viva[12], foi executado pela empresa Ramalho Rosa Cobetar Sociedade de Construções, S. A..[13]

No ano de 2010, foram roubados cerca de 60 metros de fio de cobre junto ao Apeadeiro de Canelas, o que resultou em problemas nos sistemas de sinalização.[14]

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

Referências

  1. (I.E.T. 50/56) 56.º Aditamento à Instrução de Exploração Técnica N.º 50 : Rede Ferroviária Nacional. IMTT, 2011.10.20
  2. Instrução de exploração técnica nº 2 : Índice dos textos regulamentares em vigor. IMTT, 2012.11.06
  3. «Canelas - Linha do Norte». Infraestruturas de Portugal. Consultado em 30 de Junho de 2017 
  4. «Estação de Canelas». Comboios de Portugal. Consultado em 8 de Maio de 2018 
  5. TORRES, Carlos Manitto (1 de Janeiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1681). p. 9-12. Consultado em 6 de Abril de 2014 
  6. a b «Linhas Portuguezas» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 15 (341). Nota: O nome deste apeadeiro foi mal escrito na fonte, tendo ficado como Cancellas em vez de Canellas. 1 de Março de 1902. p. 75. Consultado em 6 de Abril de 2014 
  7. «Linhas Portuguezas» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 16 (342). 16 de Março de 1902. p. 92. Consultado em 6 de Abril de 2014 
  8. «Avisos de serviço» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 15 (348). 16 de Junho de 1902. p. 188. Consultado em 30 de Junho de 2017 
  9. a b c d «Parte Oficial» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 48 (1173). 1 de Novembro de 1936. p. 525-526. Consultado em 30 de Junho de 2017 
  10. a b MARTINS, Carmen (13 de Dezembro de 2007). «Estarreja: Novos apeadeiros de Salreu e Canelas ao dispor da população». Portal d'Aveiro. Consultado em 28 de Março de 2011 
  11. «Apeadeiros de Salreu e Canelas entram em funcionamento este mês». Portugal Centro. 5 de Dezembro de 2007. Consultado em 28 de Março de 2011. Arquivado do original em 7 de abril de 2014 
  12. a b VENTURA, Luís (5 de Outubro de 2009). «Estarreja: Apeadeiro de Canelas ganha nova vida». Portal d'Aveiro. Consultado em 28 de Março de 2011 
  13. «Obras ferroviárias». Ramalho Rosa Cobetar. Consultado em 30 de Junho de 2017 
  14. «GNR atenta a ladrões de cobre na linha do Norte». Notícias de Aveiro. 23 de Junho de 2010. Consultado em 28 de Março de 2011. Arquivado do original em 14 de julho de 2014 
  Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.