Estação Ferroviária de Granja

estação ferroviária em Portugal
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a estação de Granja. Se procura a estação de Alfarelos, também conhecida como Granja do Ulmeiro, veja Estação Ferroviária de Alfarelos.
Granja IPcomboio2.jpg
BSicon BAHN.svg
Estação de Granja.
Coordenadas: 41° 02′ 18,74″ N, 8° 38′ 49,55″ O
Concelho: bandeiraVNG
Linha(s): Linha do Norte (PK 320,394)
Coroa: S3
Serviços: Logo CP 2.svgBSicon LSTR yellow.svgUBSicon LSTR orange.svgR
Equipamentos: Ligação a autocarros Serviço de táxis Bilheteiras e/ou máquinas de venda de bilhetes
Sala de espera
Lavabos Bar ou cafetaria Acesso para pessoas de mobilidade reduzida
Ticket vending icon.svgNYCS-bull-trans-Z-Std.svgVNG8
Inauguração: 8 de Julho de 1863
Website:


Logos IP.png
BSicon CONTfa grey.svg
BSicon HST grey.svgAguda (Sentido Porto)
BSicon BHF grey.svgGranja
BSicon BHF grey.svgEspinho (Sentido Lisboa)
BSicon CONTf grey.svg

A Estação Ferroviária de Granja é uma interface da Linha do Norte, que serve a freguesia de São Félix da Marinha, no concelho de Vila Nova de Gaia, em Portugal.

Estação da Granja, em 2008.

CaracterizaçãoEditar

Localização e acessosEditar

Esta interface tem acesso pela Rua da Estação dos Caminhos de Ferro, em São Félix da Marinha.[1]

Descrição física e serviçosEditar

Em Janeiro de 2011, possuía três vias de circulação, com 600 e 710 m de comprimento; as plataformas apresentavam 245 e 260 m de extensão e 70 a 35 cm de altura.[2]

A estação da Granja é servida pelos comboios urbanos do Porto, InterRegionais e Regionais da empresa Comboios de Portugal.[3]

HistóriaEditar

 Ver artigo principal: História da Linha do Norte
 
Antiga estação de Granja, substituída em 1914.

A Estação insere-se no troço entre Vila Nova de Gaia e Estarreja da Linha do Norte, que foi inaugurado pela Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses no dia 8 de Julho de 1863.[4] Esta estação foi uma das contempladas pelos novos serviços mistos, criados para ligar Vila Nova de Gaia e Coimbra, após a inauguração do troço entre Estarreja e Taveiro, em 10 de Abril de 1864.[5]

Em 1888, a estação servia a Praia da Granja.[6]

Em 19 de Maio de 1902, entrou ao serviço a segunda via entre Granja e Vila Nova de Gaia.[7][8] Em 1912, começou-se a construir uma variante à Linha do Norte com cerca de 5 Km, entre a Granja e o Apeadeiro de Sisto, de forma a evitar possíveis estragos decorrentes do avanço do oceano na zona de Espinho, mas este projecto foi posteriormente abandonado.[9]

As obras da nova estação de Granja foram concluídas nos finais de 1914[10], tendo o novo edifício sido decorado pelos artistas Licínio Pinto e Francisco Pereira, com azulejos da Fábrica Fonte Nova.[11]

Durante o plano de modernização da Linha do Norte, na Década de 1990, um dos troços renovados foi o de Ovar a Granja.[12]

Ver tambémEditar

CP Urbanos do Porto

(Serv. ferr. suburb. de passageiros no Grande Porto)
Serviços:   Aveiro  Braga
  Marco de Canaveses  Guimarães


(b) Ferreiros 
 
 
   
 Braga (b)
(b) Mazagão 
     
 Guimarães (g)
(b) Aveleda 
     
 Covas (g)
(b) Tadim 
     
 Nespereira (g)
(b) Ruilhe 
     
 Vizela
(b) Arentim 
     
 Pereirinhas (g)
(b) Cou.Cambeses 
     
 Cuca (g)
(m)(b) Nine 
     
 Lordelo (g)
(m) Louro 
     
 Giesteira (g)
(m) Mouquim 
     
 Vila das Aves (g)
(m) Famalicão 
     
 Caniços (g)
(m) Barrimau 
     
 Santo Tirso (g)
(m) Esmeriz 
 
 
 
   
 Cabeda (d)
(m)(g) Lousado 
           
 Suzão (d)
(m) Trofa 
           
 Valongo (d)
(m) Portela 
           
 S. Mart. Campo (d)
(m) São Romão 
           
 Terronhas (d)
(m) São Frutuoso 
           
 Trancoso (d)
(m) Leandro 
           
 Rec.-Sobreira (d)
(m) Travagem 
           
 Parada (d)
(m)(d) Ermesinde 
           
 Cête (d)
(m) Palmilheira 
 
 
 
     
 Irivo (d)
(m) Águas Santas 
 
 
 
     
 Oleiros (d)
(m) Rio Tinto 
           
 Paredes (d)
(m) Contumil 
       
 
 
 Penafiel (d)
(n)(m) P.-Campanhã 
               
 
(m) P.-São Bento 
     
 
       
 
(n) General Torres 
     
 
 
 Bustelo (d)
(n) Gaia 
 
 
     
 Meinedo (d)
(n) Coimbrões 
         
 Caíde (d)
(n) Madalena 
         
 Oliveira (d)
(n) Valadares 
         
 Vila Meã (d)
(n) Francelos 
         
 Livração (d)
(n) Miramar 
         
 Recesinhos (d)
(n) Aguda 
         
 M.Canaveses (d)
(n) Granja 
         
 Aveiro (n)
(n) Espinho 
         
 Cacia (n)
(n) Silvalde 
         
 Canelas (n)
(n) Paramos 
         
 Salreu (n)
(n) Esmoriz 
         
 Estarreja (n)
(n) Cortegaça 
         
 Avanca (n)
(n) Carv.-Maceda 
         
 Válega (n)
(n) Ovar 
         
 

2011-2019 []

Linhas: d L.ª Dourog L.ª Guimarães
b L.ª Bragam L.ª Minhon L.ª Norte
Fonte: Página oficial, 2020.06

Referências

  1. «Granja - Linha do Norte». Infraestruturas de Portugal. Consultado em 23 de Maio de 2018 
  2. «Linhas de Circulação e Plataformas de Embarque». Directório da Rede 2012. Rede Ferroviária Nacional. 6 de Janeiro de 2011. p. 71-85 
  3. «Granja». Comboios de Portugal. Consultado em 23 de Maio de 2018 
  4. TORRES, Carlos Manitto (1 de Janeiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1681). p. 9-12. Consultado em 23 de Abril de 2014 
  5. «Escada Rolante: Há 104 anos» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 81 (1931). 16 de Novembro de 1968. p. 152. Consultado em 10 de Fevereiro de 2014 
  6. «Guia annunciador do viajante luso-brasileiro: indicador official dos caminhos de ferro e da navegação». Biblioteca Nacional Digital. Ano 10 (37). Lisboa: Empreza do Guia Annunciador. 1888. p. 70. Consultado em 25 de Setembro de 2018 
  7. MARTINS et al, 1996:251
  8. NONO, Carlos (1 de Maio de 1948). «Efemérides ferroviárias» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1449). p. 293-294. Consultado em 23 de Abril de 2014 
  9. GALO, Jaime (1 de Janeiro de 1949). «Balanço Ferroviário de 1948» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 40 (1465). p. 6-8. Consultado em 19 de Abril de 2014 
  10. «Efemérides» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 51 (1231). 1 de Abril de 1939. p. 202-204. Consultado em 10 de Fevereiro de 2014 
  11. PEREIRA, 1995:418-419
  12. MARTINS et al, 1996:208

BibliografiaEditar

  • MARTINS, João; BRION, Madalena; SOUSA, Miguel; et al. (1996). O Caminho de Ferro Revisitado: O Caminho de Ferro em Portugal de 1856 a 1996. Lisboa: Caminhos de Ferro Portugueses. 446 páginas 
  • PEREIRA, Paulo (1995). História da Arte Portuguesa. III. Barcelona: Círculo de Leitores. 695 páginas. ISBN 972-42-1225-4 

Leitura recomendadaEditar

  • QUEIRÓS, Amílcar (1976). Os Primeiros Caminhos de Ferro de Portugal: As Linhas Férreas do Leste e do Norte. Coimbra: Coimbra Editora. 45 páginas 
  • RIBEIRO, Manuel; RIBEIRO, José da Silva (2008). Os Comboios em Portugal: Do Vapor à Electricidade. Volume 4 de 5. Lisboa: Terramar - Editores Distribuidores e Livreiros, Lda. 238 páginas. ISBN 9789727104161 
  • SALGUEIRO, Ângela (2008). A Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses: 1859-1891. Lisboa: Universidade Nova de Lisboa. 145 páginas 
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre a Estação de Granja

Ligações externasEditar