Estação Ferroviária de Castanheira do Ribatejo

estação ferroviária em Portugal

A Estação Ferroviária de Castanheira do Ribatejo, originalmente denominada apenas de Castanheira, é uma gare da Linha do Norte, que serve a localidade de Castanheira do Ribatejo, no Concelho de Vila Franca de Xira, em Portugal. Faz parte da Linha da Azambuja da família de comboios urbanos de Lisboa, operados pela empresa Comboios de Portugal.

Castanheira do Ribatejo
BSicon BAHN.svg
Vista da plataforma central, em 2019.
Identificação:[1] 31310 CRI (Cast.Ribat.)
Denominação: Estação Satélite de Castanheira do Ribatejo
Classificação: ES (estação satélite)[2]
Coordenadas:
38° 59′ 20,24″ N, 8° 57′ 55,54″ O
Concelho: bandeiraVila Franca de Xira
Linha(s): Linha do Norte (PK 34,234)
Coroa: Ticket vending icon.svg NYCS-bull-trans-N.svgNavegante
Serviços:
Estação anterior Comboios de Portugal Comboios de Portugal Estação seguinte
V. F. Xira
Alcântara-T.
  CP Lisboa
Linha da Azambuja
  Terminal
    Carregado
Azambuja
V. F. Xira
S. Apolónia
   
Alverca
S. Apolónia
  CP Regional   Azambuja
Entroncamento
Tomar
Covilhã

Conexões: Ligação a autocarros  40   41   50 
Equipamentos: Bilheteiras ou máquinas de venda de bilhetes Sala de espera Escadas rolantes Elevadores Acesso para pessoas de mobilidade reduzida Parque de estacionamento
Website:
Exterior da estação de Castanheira do Ribatejo, em Julho de 2019.
Interior da estação de Castanheira do Ribatejo, em Julho de 2019.
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a estação de Estação Ferroviária de Castanheira do Ribatejo, na Linha do Norte. Para o apeadeiro da Linha do Tua, veja Apeadeiro de Castanheiro.

HistóriaEditar

 Ver artigo principal: História da Linha do Norte
 
Horário de 1933 da Linha do Norte, onde esta gare aparece com a categoria de apeadeiro, e o nome original, "Castanheira".

Em 7 de Dezembro de 1852, o engenheiro Thomaz Rumball apresentou o projecto original para o lanço da via férrea entre Lisboa e Santarém, prevendo-se desde logo a passagem pela Castanheira.[3]

O troço entre Lisboa-Santa Apolónia e Carregado da Linha do Norte foi inaugurado em 28 de Setembro de 1856[4][5] pela Companhia Central e Peninsular dos Caminhos de Ferro em Portugal, e posteriormente passada para a Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses.[6]

Em 1880, quando estavam em planeamento os primeiros lanços da futura Linha do Oeste, foi estudada a sua ligação directa à Linha do Norte, que se deveria iniciar no Carregado ou em Vila Franca de Xira e passar por Alenquer.[7] A opção por Vila Franca de Xira era mais longa, e faria a linha passar por Povos, Castanheira e Cadafais no caminho para Alenquer.[7]

Num artigo de 1940 da Gazeta dos Caminhos de Ferro, reportou-se que a Câmara Municipal de Vila Franca de Xira tinha recentemente construído a estrada para o apeadeiro de Castanheira.[8]

Referências literáriasEditar

No Guia de Portugal de 1924, é descrito o apeadeiro de Castanheira:

Castanheira, com um apeadeiro na Linha do Norte e Leste, entre as est. de Vila Franca e do Carregado.
— PROENÇA, Raúl; DIONÍSIO, Santana, Guia de Portugal, p. 595
CP-USGL + CP-Reg + Soflusa + Fertagus
(Serviços ferroviários suburbanos de passageiros na Grande Lisboa)
Serviços:   Cascais (CP)  Sintra (CP)  Azambuja (CP)
  Sado (CP+Soflusa)  CP Regional (R+IR)  Fertagus
 
             
 
(n) Azambuja 
               
 Praias do Sado-A (u)
(n) Espadanal da Azambuja 
               
 Praça do Quebedo (u)
(n) Vila Nova da Rainha 
             
 Setúbal (u)
**(n) Carregado 
     
 
 
     
 Palmela (u)
(n) Castanheira do Ribatejo 
             
 Venda do Alcaide (u)
(n) Vila Franca de Xira 
       
 
 
 Pinhal Novo (u)(a)
(n) Alhandra 
             
 Penteado (a)
(n) Alverca 
               
 Moita (a)
(n) Póvoa 
               
 Alhos Vedros (a)
(n) Santa Iria 
               
 Baixa da Banheira (a)
(n) Bobadela 
               
 Lavradio (a)
(n) Sacavém 
               
 Barreiro-A (a)
(n) Moscavide 
               
 Barreiro (a)
(n) Oriente 
           
 (Soflusa)
(n)(z) Braço de Prata 
         
 
 
 Terreiro do Paço (a)
 
 
 
 
 
 
 
 
 Penalva (u)
(n)(ẍ) Santa Apolónia 
 
 
 
 
 
       
 Coina (u)
(z) Marvila 
 
         
 Fogueteiro (u)
(z) Roma-Areeiro 
           
 Foros de Amora (u)
(z) Entrecampos 
           
 Corroios (u)
(z)(7) Sete Rios 
           
 Pragal (u)
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Campolide (z)(s)(u)*
(s) Benfica 
             
 Rossio (s)
(s) Santa Cruz-Damaia 
             
 Cais do Sodré (c)
(s) Reboleira 
             
 Santos (c)
(z) Alcântara-Terra 
 
 
 
 
   
 Alcântara-Mar (c)
(s) Amadora 
               
 Belém (c)
(s) Queluz-Belas 
               
 Algés (c)
(s) Monte Abraão 
               
 Cruz Quebrada (c)
(s) Massamá-Barcarena 
               
 Caxias (c)
(s)(o) Agualva-Cacém 
               
 Paço de Arcos (c)
 
 
 
         
 Santo Amaro (c)
(o) Mira Sintra-Meleças 
               
 Rio de Mouro (s)
(s) Mercês 
             
 Oeiras (c)
(s) Algueirão - Mem Martins 
             
 Carcavelos (c)
(s) Portela de Sintra 
             
 Parede (c)
(s) Sintra 
             
 São Pedro Estoril (c)
(o) Telhal 
           
 São João Estoril (c)
(o) Sabugo 
           
 Estoril (c)
(o) Pedra Furada 
           
 Monte Estoril (c)
(o) Mafra 
           
 Cascais (c)
(o) Malveira 
   
 
   
 Jerumelo (o)**

2015-2019 []

Linhas: a L.ª Alentejoc L.ª Cascaiss L.ª Sintra C.ª X.
n L.ª Norteo L.ª Oestez L.ª Cinturau L.ª Sul7 C.ª 7 R.
(*) vd. Campolide-A   (**)   continua além z. tarif. Lisboa

Fonte: Página oficial, 2020.06

Ver tambémEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre a estação de Castanheira do Ribatejo

Referências

  1. (I.E.T. 50/56) 56.º Aditamento à Instrução de Exploração Técnica N.º 50 : Rede Ferroviária Nacional. IMTT, 2011.10.20
  2. Instrução de exploração técnica nº 2 : Índice dos textos regulamentares em vigor. IMTT, 2012.11.06
  3. «80 Anos de Caminhos de Ferro» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 48 (1173). 1 de Novembro de 1936. p. 507-509. Consultado em 6 de Junho de 2017 
  4. MARTINS et al, 1996:11
  5. REIS et al, 2006:16
  6. TORRES, Carlos Manitto (1 de Janeiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1681). p. 9-12. Consultado em 12 de Fevereiro de 2014 
  7. a b LOURENÇO, 1995:46-48
  8. GONÇALVES, Fausto (16 de Março de 1940). «Vila Franca de Xira» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 52 (1254). p. 165-167. Consultado em 6 de Junho de 2017 

BibliografiaEditar

  • LOURENÇO, António (1995). Vila Franca de Xira: Um concelho do país. Vila Franca de Xira: Câmara Municipal de Vila Franca de Xira. 284 páginas 
  • MARTINS, João; BRION, Madalena; SOUSA, Miguel; et al. (1996). O Caminho de Ferro Revisitado. O Caminho de Ferro em Portugal de 1856 a 1996. Lisboa: Caminhos de Ferro Portugueses. 446 páginas 
  • REIS, Francisco; GOMES, Rosa; GOMES, Gilberto; et al. (2006). Os Caminhos de Ferro Portugueses 1856-2006. Lisboa: CP-Comboios de Portugal e Público-Comunicação Social S. A. 238 páginas. ISBN 989-619-078-X 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre transporte ferroviário é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.