Rede Bandeirantes

Rede de televisão aberta comercial brasileira
Disambig grey.svg Nota: "Band" redireciona para este artigo. Para outros significados, veja Band (desambiguação).
Rede Bandeirantes
Rádio e Televisão Bandeirantes S/A
Tipo Rede de televisão comercial aberta
País  Brasil
Fundação 13 de maio de 1967 (53 anos)
por João Jorge Saad
Pertence a Grupo Bandeirantes
Proprietário Johnny Saad
Antigo proprietário João Jorge Saad (1967-1999)
Presidente Johnny Saad
Cidade de origem São Paulo, SP
Sede
Estúdios
Slogan Olhar de quem acredita
Formato de vídeo
Audiência 1,2 pontos (2018)[1]
Receita R$ 500 milhões (2016)[2]
Canais irmãos
Cobertura  Brasil
Emissoras próprias
Emissoras afiliadas ver lista completa
Cobertura internacional ver Band Internacional
Página oficial band.uol.com.br/tv
Disponibilidade aberta e gratuita
Digital
Disponibilidade por satélite
Claro TV
  • Canal 22
  • Canal 522 (HD)
Sky
  • Canal 13
  • Canal 413 (HD)
Oi TV
  • Canal 7 (SD e HD)
  • Canal 960
  • Canal 607 (Alternativo HD)
Vivo TV
  • Canal 226 e 769
  • Canal 223 e 923
Algar TV
  • Canal 709
  • Canal 726 (Alternativo)
Star One C2
  • 3810 MHz (1340 MHz Banda L), Horizontal (Analógico)
  • 3768 MHz @ 4166 ksps, Horizontal (HDTV)
Disponibilidade por cabo
NET
  • Canal 22
  • Canal 505 (HD)
Vivo TV
  • Canal 19
  • Canal 519 (HD)
BVCi
Canal 25
CaboNNet
Canal 4
TCM
Canal 20 (HD)
Cabo Telecom
  • Canal 116
  • Canal 801 (HD)
TVN
Canal 420 (HD) (São Luís)
TV Alphaville
  • Canal 21
  • Canal 221 (HD)
Disponibilidade digital
Google Play
Aplicativo para Android
iTunes Store
Aplicativo para iOS

Rede Bandeirantes (conhecida informalmente como Band) é uma rede de televisão aberta comercial brasileira pertencente ao Grupo Bandeirantes. Entrou no ar no dia 13 de maio de 1967 pelo canal 13 VHF.[3] Seu fundador foi João Jorge Saad, que contou com a ajuda do sogro, o político Ademar de Barros, antigo proprietário da Rádio Bandeirantes. Atualmente, a emissora é presidida por Johnny Saad, filho de João Jorge Saad. É a quarta maior rede de televisão do país em audiência e faturamento. Seu sinal é distribuído para todo o Brasil por meio das suas emissoras próprias ou afiliadas, televisão por assinatura e no exterior pela Band Internacional.

A emissora foi a primeira do Brasil a produzir toda a sua programação em cores, em 1972,[4] e a primeira a fazer uma transmissão via satélite, sendo a rede pioneira na utilização de um canal exclusivo de satélite para suas transmissões simultâneas no Brasil, em 1982.[5][6] Em 1990, quando se chamava Bandeirantes, a emissora resolveu mudar o nome para "Band". Porém, isso não agradou o público e voltaram a se chamar Bandeirantes. Ela só começou a usar o nome "Band", que foi trazido para o vídeo vindo da Rádio Bandeirantes, na cobertura televisiva do carnaval de 1995. Na mesma ocasião, a rede foi a primeira emissora brasileira a inserir seu logotipo no canto do vídeo, a chamada marca d'água.[6]

Ficou bastante conhecida nas décadas de 1980 e 1990 como "o canal do esporte",[7] em razão de haver transmitido os mais variados gêneros esportivos, sob influência do locutor Luciano do Valle, [8] sendo a primeira a transmitir a Fórmula Indy,[8] a NBA,[8] e os campeonatos de futebol italiano e espanhol.[8] As coberturas jornalísticas foram outro reconhecimento da Band, na realização de debates entre candidatos políticos na televisão: foi a segunda a fazer um debate para governador de São Paulo em 1982 e em 1989 foi a primeira a realizar um debate entre os candidatos para Presidente da República.[4][9]

HistóriaEditar

 Ver artigo principal: História da Rede Bandeirantes

AntecedentesEditar

Em 1945, em São Paulo, João Jorge Saad comprou a Rádio Bandeirantes de seu sogro Ademar de Barros, que o então governador de São Paulo havia comprado de seu proprietário anterior, Paulo Machado de Carvalho, dono da Rádio Record e das Emissoras Unidas. Ainda na gestão do presidente Getúlio Vargas, João Saad conseguiu a concessão de um canal de televisão na capital paulista, na década de 1950.[10][11] Durante o governo Juscelino Kubitschek, a concessão chegou a ser cancelada e entregue a outro empresário. Mas Saad conseguiu, já na época do governo João Goulart, recuperar a TV.[11] No Morumbi, em 1961, iniciaram as obras do Edifício Radiantes – um prédio especialmente construído com a finalidade de abrigar a mais moderna televisão da América Latina, e mais tarde apelidado pelos funcionários de "palácio encantado". O prédio da emissora, primeiro no país a ser concebido para receber uma TV, levou cerca de cinco anos para ser construído. Saad adiou várias vezes o início das operações: "Não era ainda o tempo... Inaugurei a estação só em 67, fincada numa base sólida", disse.[11] Com torre de transmissão no Pico do Jaraguá, em fevereiro de 1967 entraram no ar as imagens experimentais, com slides, filmes e documentários.[6]

1967 a 1969Editar

 
Primeiro logotipo da Rede Bandeirantes

A TV Bandeirantes entrou no ar pela primeira vez no dia 13 de maio de 1967, com um discurso de seu fundador, João Jorge Saad,[12] seguido por um show dos cantores Agostinho dos Santos e Cláudia,[6] que abriram as transmissões. Estavam presentes o presidente Costa e Silva,[12] o governador de São Paulo Abreu Sodré,[12] o prefeito da cidade de São Paulo Faria Lima,[12] além de ministros e secretários de Estado.[6] Na frente da sede da emissora foram montados um parque infantil e um circo gratuito para famílias de menor poder aquisitivo. Durante dois dias houve gincanas e brincadeiras, com distribuição de brindes comemorativos e foram sorteadas 5 casas para mães pobres.[6]

A Bandeirantes investiu desde o início em esporte, filmes e jornalismo. Para Saad, a programação tinha de ser "eclética". Segundo ele, não se podia "elevar muito o nível dos programas, senão não haverá audiência".[11] Inicialmente, uma novidade foi testada na grade da programação, eliminando-se os intervalos inter-programas.[6] Em 1967, dias depois da inauguração, entrava no ar a primeira novela da então TV Bandeirantes, Os Miseráveis, adaptação de Walther Negrão e Chico de Assis, com uma inovação: capítulos com duração de 45 minutos.[12] O primeiro jornalístico da Band foi o Titulares da Notícia,[12] um correspondente do tradicional programa da Rádio Bandeirantes. Destacaram-se nesta primeira os programas Ari Toledo Show; Leporace Show, com Vicente Leporace; Cláudia Querida, com a cantora; I Love Lúcio, espetáculo de música e humor comandado por Lúcio Mauro e Arlete Salles; Além, Muito Além do Além, teatro de terror com Zé do Caixão. Em pouco tempo a direção da emissora passou a Gilberto Martins e Antonino Seabra.[6] Já em 1968 era exibido na emissora, às 15 horas o programa Xênia e Você, que permaneceu na emissora durante anos, e era apresentado por Xênia Bier. Também naquele ano a TV Bandeirantes exibia às 18h30 o Sítio do Picapau Amarelo de produção própria, e às 19h30 As Aventuras de Rin-tin-tin.

Em 1969 a emissora sofreu um incêndio devastador, que destruiu suas instalações. Grande parte dos seus arquivos se perderam. O slogan da época era: "A Bandeirantes não vai parar". O incêndio ocorrido nos estúdios do Morumbi fez com que se alugasse às pressas o Cine Arlequim, na Avenida Brigadeiro Luís Antônio, em São Paulo, que foi batizado de Teatro Bandeirantes.[12] Toda a programação da TV Bandeirantes foi gerada a partir do Cine Arlequim, transformado rapidamente em Teatro Bandeirantes.[13] O incêndio na Bandeirantes foi semelhante as das redes Globo, Record e Excelsior. Todos os quatros incêndios ocorreram em menos de uma semana, o que levou as autoridades a atribuírem os quatro incêndios a atos de sabotagem, sob comando único.[14] De todos, o incêndio da TV Bandeirantes foi o maior, com danos calculados em Cr$ 15 milhões.[14] Esse incêndio durou três horas e meia e o fogo teria começado, a um só tempo, em três pontos diferentes.[14] Na ocasião, o Comandante do II Exército, General Canavarro Pereira, e o Governador Abreu Sodré manifestaram a certeza de que esses incidentes "fazem parte de plano terrorista" e pediram o auxílio do povo para combater os extremistas.[14] Antes deste problema, João Saad teria sido aconselhado por uma cartomante a vender a emissora por prever um incêndio. Em entrevista, ele teria dito que não acreditou porque achou que ela estivesse a serviço de algum concorrente.[11] A emissora teve três grandes temporadas de produção/exibição de teledramaturgia. A primeira foi nos primeiros anos de operação, de 1967 a 1970. Nesse período, além da já citada Os Miseráveis, foram produzidas histórias como Era Preciso Voltar e O Bolha.

Década de 1970Editar

Em 1970, a emissora transmitiu a Copa do Mundo FIFA de 1970, a primeira competição transmitida ao vivo no Brasil. A emissora participou de um pool de transmissão organizado pelo Governo Federal, do qual também participaram as redes Globo, Tupi e a REI. A primeira transmissão em cores da emissora foi em 1972 com a exibição da Festa da Uva de Caxias do Sul, RS. A Bandeirantes participou do grupo de emissoras que exibiram o evento, de imagens geradas pela TV Difusora, de Porto Alegre, que foi comprada em 30 de junho de 1980 pelo Grupo Bandeirantes, transformando-a na atual TV Bandeirantes Rio Grande do Sul. Como a emissora ainda operava em meio as perdas causadas pelo incêndio de 1969, a transmissão foi feita graças a equipamentos trazidos da Alemanha. Ainda em 1972, a Band tornou-se a primeira emissora do Brasil a produzir toda a sua programação em cores. Foi lançado para a ocasião o slogan "Bandeirantes: a imagem colorida de São Paulo".[4]

Em 1973 estreou o programa Japan Pop Show, apresentado pelo casal nipo-brasileiro Suzana Matsuda e Nelson Matsuda. Era exibido aos domingos e seguia o mesmo formato do Imagens do Japão, da Rede Tupi.[15] Em 1974 estreia um dos programas mais populares do Brasil nas tardes de sábado da emissora: o Clube do Bolinha, apresentado por Édson Cury ou, mais popularmente, o "Bolinha". O programa ficou no ar até 7 de maio de 1994. Em 12 de agosto de 1974 foi inaugurado o novo Teatro Bandeirantes, num grande show que reuniu Elis Regina, Chico Buarque, Maria Bethânia, Tim Maia e Rita Lee. Em 7 de dezembro de 1975 foi comprada a TV Vila Rica, transformada em TV Bandeirantes Minas para dar início à formação da rede.[6]

 
Sede regional da emissora no Rio de Janeiro.

Em 1975, a Bandeirantes começa a se tornar uma rede nacional de televisão com a compra da TV Vila Rica, que se transformou na TV Bandeirantes Minas. Em 7 de julho de 1977, às 7 da noite, a TV Bandeirantes chega ao Rio de Janeiro no canal 7, após a compra da TV Guanabara.[6] No mesmo ano, as emissoras componentes da Rede Amazônica também passaram a fazer parte da recém criada rede.[carece de fontes?]

A segunda temporada produção/exibição de teledramaturgia começou em 1979 e foi mais ou menos até a metade da década de 1980. Foi a época de títulos como Cara a Cara, Cavalo Amarelo, O Meu Pé de Laranja Lima, Os Imigrantes, Ninho da Serpente, Dona Santa, Casal 80 e outros títulos. Já na década de 80, destacaram-se as novelas Os Imigrantes - de Benedito Ruy Barbosa - a segunda mais longa da televisão brasileira depois de Redenção - da Rede Excelsior; Rosa Baiana, de Lauro César Muniz, a primeira novela totalmente ambientada fora de estúdios, toda gravada na Bahia, e Os Adolescentes, de Ivani Ribeiro.[carece de fontes?]

Também neste ano, a apresentadora Hebe Camargo passou a apresentar seu programa nas noites de domingo e marcava o seu retorno á televisão após 4 anos se dedicando apenas ao rádio, que tinha um modelo familiar com entrevistas, musicais e informação. Os momentos mais marcantes do programa foram a entrevista com Chico Xavier e quando Hebe jogou seu microfone no chão no meio da transmissão ao vivo do programa e queixou-se da emissora. Ela exigiu melhor tratamento por parte do canal e mais recursos, como novos cenários, mais pessoas na produção e músicos na orquestra, que prometeram atendê-la. Em 1986, a apresentadora deixa a emissora e assina com o SBT.[carece de fontes?]

Década de 1980Editar

 
Logotipo da Rede Bandeirantes na década de 1980 accouned 2016 (1982—1989). Conforme o próprio Cyro Del Nero, o logotipo atual da emissora é uma evolução da sua criação.[16]

No início da década de 80, o Jornal Bandeirantes era apresentado por Ferreira Martins e Joelmir Beting, com comentários de Newton Carlos sobre assuntos internacionais. Ronaldo Rosas apresentava o noticiário do Rio de Janeiro. Nesta época, a Rede Bandeirantes também colocava no ar o Canal Livre cuja história se confundiu com a abertura política que acontecia naquela época. Inicialmente apresentado por Roberto D'Ávila e dirigido por Fernando Barbosa Lima, era tido como uma forma da emissora mostrar um jornalismo mais crítico, fato que ocorre até hoje.[carece de fontes?]

Mantendo a expansão e qualificação de sinal da rede, entrava no ar mais uma emissora própria, a TV Bandeirantes Bahia, no dia 11 de abril de 1981 no canal 7. A emissora também ganha suas primeiras afiliadas na Região Nordeste, a TV Uirapuru de Fortaleza em 1979, a TV Atalaia, de Aracaju, em 1980, a TV Ribamar de São Luís em 1981. Até então a TV Bandeirantes já tinha mais de 24 emissoras espalhadas pelo Brasil.[carece de fontes?]

Em 1981 a Band contrata como diretor geral de programação Walter Clark, que foi um dos responsáveis pelo sucesso da Rede Globo nas décadas de 1960 e 1970. Clark foi o pioneiro da TV brasileira ao criar o conceito de grade de programação fixa, e veio tentar repetir este sucesso na emissora paulista. Criou programas como o noticiário O Repórter, apresentado na hora do almoço, por William Bonner, César Filho e Ângela Rodrigues Alves. Nos finais da noite, foi destaque o programa Etc, de Ziraldo (onde foi feita uma entrevista histórica com Dom Hélder Câmara). Uma tentativa inovadora foi o programa Variety 90 Minutos, apresentado às noites por Paulo César Pereio e sua então esposa, a atriz Cissa Guimarães. Entre 1981 a 1984, o ator Ewerton de Castro comandava um programa de auditório, onde as pessoas se inscreviam para participar de um jogo de memória e distribuía vários prêmios. Houve um programa especial que reuniu os maiores vencedores desse programa para conhecer o maior campeão de memória.[carece de fontes?]

Neste período o saudoso diretor e produtor Roberto Talma faz uma breve parceria com a Bandeirantes no intuito de produzir novos projetos musicais e culturais para o grupo, e é neste momento de renovação que Talma leva para a Bandeirantes os apresentadores Oliveira Filho e Vera Lúcia para comandarem um novo formato de programa musical sertanejo o Rincão Brasileiro que inicialmente em sua fase piloto foi inicialmente produzido em estúdio, passando mais tarde a ser totalmente gravado em locações externas e diferentes regiões do Brasil. O Programa Rincão Brasileiro, foi responsável por apresentar ao Brasil um novo conceito de se fazer música sertaneja revelando vários nomes da música como Sula Miranda, Jayne, Zezé de Camargo, Leandro e Leonardo, Daniel, César e Paulinho, entre tantos nomes, o Rincão Brasileiro juntamente com o Programa Clube do Bolinha, foram por diversos anos consecutivos os principais programas musicais do Brasil. O Rincão Brasileiro, permaneceu no ar pela Bandeirantes até o início dos anos 1990, partindo para outras emissoras e retornando mais tarde para a grade da Bandeirantes em algumas regiões. O Programa permaneceu no ar até 2014 em outras emissoras.[carece de fontes?]

Em agosto de 1982, entra no ar a novela Renúncia, baseada na obra de Chico Xavier, com Fúlvio Stefanini e Geórgia Gomide. Com o total fracasso na audiência, a emissora decide tirar a novela do ar com apenas 12 dias de exibição, aproveitando-se da entrada do horário político, que na época durava mais de uma hora. No dia 29 de setembro de 1982, comemorando o fato de se tornar a primeira rede de televisão da América do Sul a transmitir via satélite, a TV Bandeirantes mudou o logo e a programação visual, preparados por Cyro Del Nero, que vinha da recém extinta Rede Tupi. Ainda no mesmo ano, a emissora foi pioneira ao promover o primeiro debate eleitoral do país em 1982, mantendo a tradição de promover o primeiro debate eleitoral a cada dois anos, até 2000.[carece de fontes?]

Em 1983, a Bandeirantes aproveitou que a Rede Globo encerrara prematuramente a novela Sol de Verão, em razão da morte do ator Jardel Filho, tendo que reprisar a novela O Casarão (enquanto Gilberto Braga rapidamente preparava a novela Louco Amor) para tentar atrair telespectadores com a novela Sabor de Mel, de Jorge Andrade, protagonizada por Sandra Bréa e Raul Cortez. A novela tinha um diferencial: um concurso para quem desvendasse um enigma proposto nos primeiros capítulos. No entanto, o autor da novela se desentendeu com o diretor Roberto Talma e se demitiu, nunca revelando a resposta ao enigma.[carece de fontes?]

Flávio Cavalcanti se tornou o maior investimento da emissora no início da década de 1980, com seu programa diário Boa Noite Brasil. Um dos momentos mais marcantes do programa aconteceu quando a cantora Ângela Rô Rô deixou os estúdios no meio de uma entrevista ao vivo, por não aceitar as perguntas de Cidinha Campos sobre sua homossexualidade e suposta agressividade. Após Flávio ter ido para o SBT, onde encerrou sua carreira, as noites da Bandeirantes foram entregues, entre outros, a J. Silvestre, com o Show sem Limite e o Essas Mulheres Maravilhosas. Antes de ir para a Rede Globo, logo depois de ter saído da Rede Tupi, Chacrinha tinha seus programas Buzina do Chacrinha e Discoteca do Chacrinha nas noites de terça-feira e nas tardes de sábado, respectivamente.[carece de fontes?]

 
Luciano do Valle foi o principal locutor esportivo da Band desde a década de 80 e idealizou o Show do Esporte, um dos programas de maior sucesso da emissora.
 
O apresentador José Luiz Datena.

Em 1983, entrava no ar o Show do Esporte, que foi considerado o programa de televisão mais longo do mundo, por ficar no ar 10 horas seguidas aos domingos, das 10h00 às 20h00. Criado, apresentado e coordenado pelo locutor Luciano do Valle depois de sua passagem pela Rede Record, também contava em seu elenco com Elia Júnior, Juarez Soares, Elys Marina, Silvia Vinhas, José Luiz Datena, Jota Júnior e outros. Foi um dos programas de maior sucesso da emissora, e um dos fatores que a fizeram ganhar a alcunha de "canal do esporte" nos anos 90. O programa ficou no ar até 11 de abril de 2004. Os finais de noite passaram a ser preenchidos pelo Programa Ferreira Neto, um bate-papo com políticos. Ele sempre iniciava o programa conversando, por um telefone vermelho, com um fictício amigo chamado Léo, usando esse artifício para comentar os fatos do dia.[carece de fontes?]

Em 1984, a Rede Bandeirantes começava a se destacar na cobertura das Diretas Já, movimento que pedia a volta das eleições diretas no país. No mesmo ano, a emissora cobriu pela primeira vez os Jogos Olímpicos de Verão, começando pela edição realizada em 1984 em Los Angeles. Um cobertura que fez história, assim como às outras que se seguiram. Também estreia o nome Brasil Urgente, na faixa das 8 da noite, mas totalmente diferente do Brasil Urgente atual, tendo sido um programa de debates apresentado por Antonio Carvalho. As manhãs da emissora eram preenchidas pelo programa Ela, apresentado por Baby Garroux e, meses mais tarde, pela Garota de Ipanema Helô Pinheiro. Em 1987, o Ela foi substituído pelo programa Dia Dia, apresentado por Tavinho Ceschi, contando também com o psicoterapeuta Angelo Gaiarsa.[carece de fontes?]

Em 1986, a Rede Bandeirantes estreou o Jornal da Noite, onde estreou Lillian Witte Fibe. No mesmo ano, Orival Pessini estreia a TV Fofão, com desenhos animados da Hanna-Barbera, sorteios, quadros humorísticos, musicais e outras atrações. O noticiário esportivo Esporte Total estreou neste mesmo ano na emissora. Em 23 de janeiro de 1987, entra no ar a TV Bandeirantes Brasília pelo Canal 4 na capital federal.[carece de fontes?]

Depois de sair do TV Mulher da Rede Globo e de uma temporada como correspondente do Fantástico nos Estados Unidos, Marília Gabriela ganhou seu programa noturno, o Marília Gabi Gabriela, nas quartas-feiras. Mais tarde, Gabi ficou apenas com o programa dominical Cara a Cara ficou até 1995. A Band também estreia o humorístico Praça Brasil, com Carlos Alberto de Nóbrega, Moacyr Franco, e todo o elenco do humorístico. E logo depois no SBT, ganharia o nome de A Praça É Nossa.[carece de fontes?]

Em 1988, reestreia sob o comando de Doris Giesse e direção de Fernando Barbosa Lima, o Jornal de Vanguarda, que já esteve nas redes Excelsior e Globo. O programa durou dois anos e em seu último ano, ganhou o nome de Vanguarda. No mesmo ano, a emissora cobriu pela segunda vez os Jogos Olímpicos, realizados em Seul.[carece de fontes?]

Em 2 de janeiro de 1989, a dupla de palhaços Atchim & Espirro estreia o Circo da Alegria. Nos mesmos moldes do Brincando na Paulista da TV Gazeta, o programa apresentava quadros humorísticos, sorteios, brincadeiras, desenhos animados da Hanna-Barbera, jogos, musicais, sorteios e outras atrações. O Circo da Alegria ficou no ar até 9 de março de 1990, quando ouve um problema interno entre a dupla. Reestreava na Band, a antiga versão do TV Criança. Ainda naquele ano, a emissora promoveu o primeiro debate entre os candidatos à presidência da república, durante as eleições de 1989.[carece de fontes?]

Década de 1990Editar

Encabeçada pela concorrência e sucesso que os seriados japoneses proporcionavam na mesma época pela Rede Manchete, estreou em 1990 o TV Criança, substituindo o Circo da Alegria. Apresentado pelo desenhista Daniel Azulay e sua Turma do Lambe-Lambe, o TV Criança passou a exibir nos desenhos animados da Hanna-Barbera, e também seriados do gênero: Goggle V (mesma fórmula de Changeman, megassucesso na Manchete), Sharivan (alguns chamavam de Jaspion vermelho) e Machineman, todos eles trazidos pela Oro Filmes. Estreou também Metalder, porém esta série veio da Everest Vídeo, e até hoje fãs questionam que se a mesma tivesse sido exibida na Manchete, o sucesso teria sido maior, já que a emissora foi o berço da exibição das séries japonesas no Brasil e também da série do personagem do seriado Chaves, com seriado venezuelano Kiko.[carece de fontes?]

A partir da década de 1990, a Bandeirantes passou a adotar uma programação mais voltada ao mundo esportivo, criando a Faixa Nobre do Esporte (todos os dias a partir das 20h30), além da Faixa Especial do Esporte, com duração de alguns minutos, exibida nos fins de tarde da programação. Aos domingos, dedicava-os inteiramente às transmissões esportivas, com o Show do Esporte. Depois de 12 anos, a Bandeirantes voltou a transmitir a Copa do Mundo diretamente da Itália.[17]

O Jornal Bandeirantes passa a ser apresentado por Marília Gabriela e, mais tarde, por Chico Pinheiro. Diferentemente dos jornalísticos da época, o telejornal terminava cada dia sob o som de uma música pop atual. O cenário era uma parede preta com uma enorme bola vermelha no meio, como a que fazia parte do logo da emissora na época.[carece de fontes?]

Em 1992, a Rede Bandeirantes completou 25 anos no ar. Com o intuito de comemoração, entre 16 de 17 de maio, a emissora fez um show com várias atrações e com o elenco da emissora reunido. Além da cobertura das Olimpíadas de 1992, realizadas em Barcelona, Espanha, a emissora foi a pioneira ao transmitir pela primeira vez em TV aberta a NBA, a Fórmula Indy e os campeonatos italiano e espanhol de futebol, o que lhe rendeu definitivamente a alcunha de "canal do esporte". Ainda no mesmo ano, a rede cobriu desde o começo a CPI do Caso Collor no Brasil, o que ocasionou a renúncia do presidente no final do ano.

A Rede Bandeirantes é a única rede de televisão do mundo a possuir um apelido carinhoso, sendo conhecida por "Band". A origem está no rádio: na segunda metade da década de 1980, a Rádio Bandeirantes FM passa a adotar o nome Band FM. O jornalista José Luiz Datena vai utilizando ao poucos a nomenclatura na TV, até que, no início da década, a emissora incorpora de vez o apelido em seus produtos. As vinhetas, chamadas e os canais afiliados passam a referir a Rede Bandeirantes como "Band".

Em 1993, a emissora estreou a sessão de filmes eróticos Sexta Sexy, exibida nas noites de sexta-feira, e em 1995, estreou nas madrugadas de sábado para domingo, o Cine Privé, também conhecido por apresentar filmes do mesmo gênero.[carece de fontes?] Em 30 de abril de 1994, o programa Clube do Bolinha deixa às tardes de sábado da emissora após 20 anos no ar. Em junho, a Rede Bandeirantes transmitiu sua quarta Copa do Mundo FIFA. Entre os meses de agosto, setembro, outubro e novembro, a Band transmitiu ao vivo para todo o país o debate com os candidatos a Presidência da República pelas eleições de 1994, ganhando destaque pela sua cobertura, onde deixou de apresentar sua programação em favor de mesas-redondas, entrevistas, análises, reportagens especiais e flashes ao vivo.[18] Em 1995, a Band torna-se pioneira ao exibir no canto da tela durante sua programação aquela que seria a primeira marca d'água da TV brasileira, o que influenciou as emissoras concorrentes a também fixar suas logomarcas no canto do vídeo durante suas atrações.[carece de fontes?]

 
A Torre da Band é uma das maiores edificações da América do Sul.

Em 1996, diretamente de Atlanta, nos Estados Unidos, a emissora transmite pela quarta vez as Olimpíadas. Neste ano, foi duramente criticada por conta das mudanças de horário e descumprimento da exibição de seus programas em hora programada. Ainda em 1996, o apresentador Luciano Huck estreou o Programa H, voltado ao público jovem. Devido à grande repercussão e destaque, o programa logo foi movido para as noites da emissora. Também no mesmo ano, voltando a linha infantil da emissora, entra no ar a TV Fofão, de Orival Pessini, ficando no ar até 1997.[carece de fontes?]

Em 3 de outubro de 1996, o Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo suspendeu por três horas a TV Bandeirantes na capital paulista por desrespeito à lei eleitoral ao realizar suposta propaganda política no programa Eleições 96. A emissora foi tirada do ar às 17h35. A punição inicial era por 24 horas. A direção da emissora recorreu, e o TRE transformou a punição em suspensão por três horas, sem prejuízo da continuidade do processo. A Bandeirantes voltou ao ar às 20h35.[19]

No final de outubro, buscando uma linha mais feminina, jovem e popular, a emissora apresenta algumas alterações em sua programação, a Bandeirantes passou a exibir uma sessão de filmes dedicada ao público feminino e infantil. Às 15h30, o programa Bronco retornava. O Cine Trash, que apresentava filmes de terror de baixo orçamento, deixa o período da tarde. O programa, comandado por José Mojica Marins, o Zé do Caixão, passou a ser exibido nas noites de segundas-feiras. À noite, a Bandeirantes aposta no filão feminino. Na faixa das 18h, era transmitido o programa de debates apresentado por Silvia Poppovic. Às 19h15, entra no ar a novela Perdidos de Amor.[20] Em 31 de dezembro, é inaugurada a Torre da Band, popular por ser a maior torre de televisão da América Latina.[carece de fontes?]

Em 15 de fevereiro de 1997, o Jornal Bandeirantes troca de nome, e passa a se chamar Jornal da Band, tendo estreado no dia 17 de fevereiro de 1997 com Paulo Henrique Amorim.[21] Na mesma data, estreava Brasil Urgente, programa de auditório com Wilton Franco.[21] De março a junho do mesmo ano, foi ao ar o Memória Band, programa de reprises em comemoração aos 30 anos da emissora, e que era apresentado pela então estreante Fabiana Scaranzi.[22]

A terceira temporada de produção/exibição de teledramaturgia foi na segunda metade dos anos 1990, época de títulos como A Idade da Loba, O Campeão e Serras Azuis, além de uma nova versão de Meu Pé de Laranja Lima.[carece de fontes?]

Em 1998, a Band cobriu juntamente com o SBT, a Rede CNT, a Rede Record, a Rede Globo e a Rede Manchete a Copa do Mundo FIFA de 1998, realizada na França. Em 24 de agosto, Clodovil Hernandes estreia na emissora o programa Clodovil Soft.[23] No mesmo ano, dois grandes ídolos da emissora faleceram. Em 1º de julho, o ex-apresentador Bolinha, e em 26 de outubro, a culinarista Ofélia Anunciato, que apresentava o Cozinha Maravilhosa de Ofélia nas manhãs da emissora. Este último, teve seu horário preenchido pelo então estreante Dia Dia. No final do ano, a emissora exibe a série especial Contos de Natal, recebendo muitos elogios da crítica.[24]

Em 1999, a Band transmitiu os desfiles do Grupo Especial e de Acesso do carnaval carioca, em substituição a Rede Manchete, que estava mergulhada em uma grave crise financeira que culminaria em sua falência no mesmo ano. Também em 1999, o núcleo esportivo, decadente, foi terceirizado à Traffic Sports Marketing (então parceira do Corinthians, da CBF e da FIFA), mudando boa parte do elenco de jornalistas do canal (entre as novidades, o radialista Milton Neves com o programa Supertécnico,[25] a ex-jogadora de basquete Hortência e Fernando Vannucci - que até então estava na Rede Globo) e garantindo alguns eventos futuros, como as Olimpíadas de Sydney em 2000, as Eliminatórias da Copa de 2002, e a primeira Copa do Mundo de Clubes organizado pela FIFA - este último com exclusividade. A parceria trouxe Sabrina Parlatore no comando do talk show Geral, durante o Show do Esporte produzido pela Traffic.[26] Em junho, estreiam os seriados A Guerra dos Pintos e Santo de Casa, produzidos pela Bandeirantes em parceria com a Columbia TriStar International Television, sendo versões brasileiras dos seriados americanos Married... with Children e Who's the Boss?, respectivamente.[27][28] No mesmo ano, a emissora anuncia uma parceria com o Governo do estado de São Paulo para inserção de publicidade no transporte coletivo da capital. Em outubro do mesmo ano, Luciano Huck deixa a emissora e assina com a Rede Globo. Com a saída de Luciano, o Programa H passa a ser apresentado por Otaviano Costa, e no ano seguinte muda de nome para O+.[29] Encerrando 1999, Márcia Peltier foi escolhida pela Bandeirantes para ancorar as transmissões que a emissora fez no ano novo, ao vivo da Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro.[30]

De 1999 a 2002, a rede começa perder as primeiras afiliadas da década de 1980 para a Rede Record e o SBT, mas ganha quase à mesma quantidade das recentes afiliadas, para absolver aquelas que foram perdidas. Isso se devia a qualidade da programação da emissora, que começou a declinar no final da década de 1990.[carece de fontes?]

Século XXIEditar

Década de 2000Editar

 
Gilberto Barros apresentou na emissora os programas Sabadaço, Boa Noite Brasil e A Grande Chance, entre 2002 e 2008.

Em 14 de janeiro de 2000, com a transmissão da final da Copa do Mundo de Clubes, direto do Maracanã, entre Vasco e Corinthians, a emissora consegue a maior audiência de sua história até a data: 53 pontos e a liderança absoluta do Ibope.[8][31][32] No mesmo ano, se valendo da parceria com a Traffic, a emissora adquire a Copa Libertadores da América. Em 20 de março, estreou o Esporte Agora, telejornal esportivo exibido de noite. Em agosto, estreia o Band Kids, com exibição de animes japoneses. Em setembro, transmite os Jogos Olímpicos 2000, em Sydney.

A partir de 4 de junho de 2001, houve diversas renovações na programação da rede. Entre 2001 e 2005, foi ao ar o programa vespertino Melhor da Tarde, das 13h às 15h, apenas para a cidade de São Paulo, e das 15h às 16h30, em rede nacional. Logo em seguida, era a vez do Hora da Verdade, com Márcia Goldschmidt. No mesmo dia, o Dia Dia passa a ser apresentado por Olga Bongiovanni. A Band também tentou contratar a jornalista Lilian Witte Fibe.[33] Em 28 de setembro de 2001, depois de permanecer por 15 anos apresentando o programa Flash, Amaury Jr. anuncia em nota à imprensa a sua saída da Band. Ele afirmou que sua saída era devido a divergências com o departamento comercial da emissora e de discordância do horário de exibição do programa.[34][35] No mês seguinte, é contratado pela Rede Record, onde reestreou o Flash em 19 de novembro. No entanto, a Band entrou na justiça contra Amaury impedindo que ele atue na "mídia televisiva" até o final de março de 2002, sob pena de multa diária de 15 salários mínimos.[34] A Band também foi à Justiça contra a Record e Amaury pelo uso do nome Flash.[34] Em 16 de outubro, é selado o fim da parceria da Band com a Traffic para cuidar do departamento esportivo. Os motivos seriam dívidas com a empresa e menos compra de eventos esportivos. A emissora ficou com parte da equipe, para lançar um novo canal esportivo em 2002, o BandSports, enquanto outra parte foi para a RecordTV. Em 3 de dezembro deste mesmo ano, estreou o novo Brasil Urgente, sob a apresentação de Roberto Cabrini,[36] e a versão reformulada do Jornal da Noite, com Maria Cristina Poli no comando, quando foi inaugurado a então "Central de Jornalismo" do Grupo Bandeirantes, hoje newsroom exclusiva da Band[37]; e o talk show Raio-X, de Salomão Schvartzman, antes exibido pelo Canal 21.[36] Em 2003, Roberto Cabrini foi substituído por José Luiz Datena, que havia sido recentemente contratado da Rede Record, onde apresentava o Cidade Alerta.[38]

Em janeiro de 2002, entrava no ar o programa Descontrole, substituindo o programa Super Positivo, sob apresentação de Marcos Mion e um grupo de personagens. O programa foi duramente criticado por ser de qualidade muito inferior ao do Piores Clipes do Mundo, da MTV Brasil, que também tinha a apresentação de Marcos Mion. Por motivos jurídicos, o programa muda de formato e até o nome para Sobcontrole, permanecendo no ar até maio de 2003. No mesmo mês, o Show do Esporte passa a ser apresentado por Ana Luiza Castro e Letícia Levy, agora com formato mais dedicado aos esportes olímpicos e nacionais. As duas também passam a dividir o comando do Esporte Total. Em abril de 2002, Gilberto Barros é contratado pela Band.[39] Em sua passagem na emissora, entre 2002 e 2008, apresentou os programas Sabadaço até 2007, Boa Noite Brasil, que ficou no ar de 2003 a 2007, e o game-show A Grande Chance de 2007 a 2008.

 
A partir de 2003 o missionário R. R. Soares passou a comprar parte da programação da emissora para a Igreja Internacional da Graça de Deus.

A partir de 1 de janeiro de 2003, a Band passou a vender a faixa das 20h30 às 21h15 para o missionário R. R. Soares, da Igreja Internacional da Graça de Deus. Com isso, o Sobcontrole, de Marcos Mion, iria perder 15 minutos, entrando no ar às 21h15.[40] A venda da grade para o Show da Fé causou descontentamento entre as afiliadas da Band, alegando que programas religiosos derrubam a audiência e o faturamento regional.[41] Em 9 de abril, a Band exibiu o documentário Living with Michael Jackson com boa audiência, sendo reprisado no mesmo mês.[42][43] Em 26 de abril, a Band transmitiu a 49ª edição do Miss Brasil, a primeira com cobertura da emissora,[44] que registrou boa audiência, chegando a ficar em 1° lugar em audiência televisiva segundo o Ibope.[45]

Em junho, devido a mudanças na grade dominical, Luciano do Valle deixa a Band para acertar com a RecordTV. Devido a isso, o Show do Esporte é extinto e o horário passa a ser ocupado pelo Jogo da Vida, comandado por Márcia Goldschmidt.

A Band, discretamente, passou a exibir, a partir de 18 de setembro de 2003, uma campanha pelo "direito legítimo do cidadão" de portar armas de fogo. Essa campanha era uma ofensiva contra uma versão do Estatuto do Desarmamento aprovada em julho de 2003 pelo Senado. Esta versão era apoiada pelo então ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, que previa um plebiscito, em 2005, para decidir pela proibição da venda de armas para cidadãos comuns. O projeto tramitava na Câmara dos Deputados. A Band fazia seis inserções diárias de um comercial com o seguinte texto: "Na hora em que portar armas for fora da lei, só os fora-da-lei terão armas. Será que é preciso repetir para você entender? Portar arma é direito legítimo do cidadão. Defenda-se". Segundo a assessoria de imprensa da Band, esta campanha refletia a opinião da própria emissora. O canal argumentava que não defendia o armamento irrestrito da população, mas o direito do "cidadão habilitado" de portar armas.[46] Em 12 de outubro de 2003, estreia o programa Jogo da Vida, com Márcia Goldschmidt,[47] que permaneceu no ar até dezembro de 2005, quando no dia 15 de agosto de 2005 ganhou uma versão diária,[48][49] no mesmo horário do seu Hora da Verdade, que saiu do ar em 2003.[50] O agora diário Jogo da Vida entrou no lugar do Clube do Fã, que saiu do ar. Entre 2003 e 2006, a emissora promoveu a campanha Band Vida, uma maratona televisiva similar ao Teleton. Em 2004 a campanha aconteceu no dia 7 de novembro, o que forçou a campanha realizada pelo SBT a ser adiada por duas semanas, e arrecadou R$ 8.648.858,77 para o GRAACC, o GACC da Bahia e o Hospital de Amor.[51]

Em agosto de 2005, ocorre uma nova alteração na grade de programação da emissora. Estreou, em 26 de setembro, sob o comando de Claudete Troiano, o programa Pra Valer,[52] que duraria até 24 de maio de 2007.[53] Em 6 de novembro de 2005, estreia o Programa Raul Gil[54] e ainda apresentaria na Band o Raul Gil Tamanho Família em 2008.[55] O apresentador ficou na emissora até 2010 quando foi para o SBT.[56] Durante um período em 2005, a Band levou ao ar o Repercute, da Central Única dos Trabalhadores.[57][58] Passam a ser veiculadas novas vinhetas, com o slogan Prazer em Ver.

A partir de 9 de janeiro de 2006, a emissora começou a reprise de Mandacaru, na qual foi exibida originalmente pela extinta Rede Manchete, e fez com que a emissora alcançasse uma boa audiência.[59] Neste ano, passou a exibir apenas partidas de futebol europeu: os campeonatos Espanhol, Italiano e a Liga dos Campeões da UEFA. Em agosto, a emissora perde o Campeonato Espanhol para a Sky e a Liga dos Campeões para a Rede Record, ficando apenas com o Italiano e o Inglês. Em dezembro do mesmo ano, a Band se torna a nova parceira da Rede Globo na exibição do Campeonato Paulista, da Copa do Brasil, do Campeonato Brasileiro e da Copa Sul-Americana. Até então, a emissora carioca dividia a exibição com a Rede Record.

A Band comemorou 40 anos de existência no dia 13 de maio de 2007. No entanto, os dirigentes da emissora preferiram comemorar o aniversário de 70 anos do Grupo Bandeirantes de Comunicação, que se deram a partir da criação da Rádio Bandeirantes. Diversas renovações foram feitas na emissora: em fevereiro, substituindo o já desgastado Esporte Total, estreou o programa esportivo Jogo Aberto comandado por Renata Fan, uma das atrações do retorno do futebol à emissora (vieram junto o Band Esporte Clube, Por Dentro da Bola e Bola no Chão). Em abril, estreou o programa musical Terra Nativa comandado pela dupla Guilherme e Santiago.[60] Em 11 de junho, Márcia Goldschmidt retorna à Band apresentando o programa Márcia, que entrou no lugar do De Olho nas Estrelas e da novela Paixões Proibidas.[61] Ao mesmo tempo, Claudete Troiano teve seu contrato rescindido com a Band e seu Pra Valer foi tirado do ar.[62] Em julho de 2007, a emissora cobriu os Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro, cuja transmissão também foi feita pela redes Globo e Record, mas a Band foi a emissora que reservou o maior espaço para o evento: um total de 130 horas.[63] No mesmo ano, Patrícia Maldonado estreia na emissora e divide com Leão Lobo a apresentação do programa Atualíssima.[64]

 
Marcelo Tas apresentou o Custe o Que Custar (CQC) de 2008 a 2014.

Em 2008, com a entrada do produtor argentino Diego Guebel na direção artística da emissora, a emissora adquire vários formatos da produtora Eyeworks, também pertencente ao produtor. Um dos primeiros programas produzidos nesta nova fase foi o Custe o Que Custar (CQC), formato de sucesso em vários países da América do Sul e conhecido por tratar de política através de reportagens humorísticas. Rosana Hermann apresentava o programa Atualíssima no lugar de Patrícia Maldonado, junto com Leão Lobo,[64] o qual permaneceu no ar até dezembro.[65] Patrícia Maldonado iria apresentar a partir de abril o reality show É o Amor.[66] Daniella Cicarelli assinou contrato com a emissora para apresentar o game-show Quem Pode mais?,[67] sendo assim permanecido até setembro, também passado por um programa de auditório. Ainda na mesma época, o jornalista Boris Casoy, oriundo da extinta TV JB, passa a integrar o departamento de jornalismo da emissora,[68] enquanto Milton Neves retorna para a emissora e estreia em 20 de abril o Terceiro Tempo.[69] No dia 3 de abril, a Band compra os direitos de transmissão do Festival Folclórico de Parintins, no Amazonas, que até então nunca havia sido transmitido por uma rede de televisão. Os direitos pertenciam à TV A Crítica, antiga afiliada do SBT e da Rede Record no estado do Amazonas.[70]

No dia 16 de maio de 2009, a TV Cidade Verde de Cuiabá anuncia seu desligamento do SBT e passa a retransmitir o sinal da Band para o estado do Mato Grosso. O motivo alegado pela quebra de contrato com a emissora de Silvio Santos foi que a TV Cidade Verde está em um projeto de expansão no estado e que a aliança com o SBT não permitia a sua realização.[71] Neste ano, estrearam no canal a jornalista Lorena Calabria, como uma das apresentadoras da reestreia do matinal Dia Dia, e a apresentadora Adriane Galisteu, no programa Toda Sexta.[72] Poppovic, que retornou à televisão pela Band em 2009, apresentou, inicialmente, o jornalístico Boa Tarde, sendo deslocada para o Dia Dia em outubro. Pouco antes da ida de Sílvia para as manhãs, o Band Kids retornou à grade da Band, em 5 de outubro, agora com duas horas de duração. A volta da atração fez com que o Dia Dia sofresse a primeira redução em sua duração, para 1 hora e meia. No dia 19 de outubro, estreia a novelinha teen Isa TKM, sucesso em vários países na Nickelodeon. A atração sempre teve boas audiências na emissora, motivando várias passagens dos atores da novela ao Brasil.[73]

Década de 2010Editar

Coproduziu e transmitiu, no dia 14 de março de 2010, a São Paulo Indy 300: etapa brasileira da Fórmula Indy, que teve sua primeira edição em 2010. A Band gerou as imagens, que tiveram transmissão para mais de 180 países.[74] No dia seguinte, estreou a novela Quase Anjos. Em maio, o humorístico Uma Escolinha muito Louca deixa a grade da emissora. Como parte das alterações na grade, o Show da Fé, do missionário R. R. Soares, teve seu tempo de transmissão diminuído para 25 minutos e foi realocado para o horário das 20h25. Seu antigo horário, o das 21h00, foi ocupado por duas semanas pela série Band of Brothers, da HBO. A rede não exibia nenhum conteúdo próprio nesse horário desde o fim do programa Sobcontrole em 2003. Em junho e julho, foi mostrada a Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, marcando a volta das transmissões do Mundial na Band, após 2 edições de ausência. Em 13 de outubro de 2010, Luciano Faccioli estreou na Band, apresentando o Primeiro Jornal, dando 1,5 ponto de média e 2,4 pontos de pico.[75] Em 8 de outubro, o programa Brasil Urgente teve um pico de audiência com a exibição de cenas exclusivas de uma perseguição ocorrida na região da Barra Funda, na Zona Oeste de São Paulo, o programa chegou a 10 pontos, segundo números prévios do Ibope. O resultado deixou a Band em segundo lugar entre as emissoras de televisão aberta.[76] O primeiro debate do segundo turno da eleição presidencial fez a Band marcar 4 pontos na noite do domingo em 10 de outubro.[77] No dia 27 de dezembro, estreou Isa TK+, spin-off de Isa TKM.

Logo no primeiro dia do ano de 2011, a Band sofreu o desfalque de mais uma afiliada. A TV Meio Norte, que retransmitia o sinal da emissora para boa parte do estado do Piauí, passou a ser uma emissora independente, tornando-se geradora da Rede Meio Norte, uma rede de televisão regional. Antes disso, a emissora já vinha promovendo vários cortes na programação da Band, chegando a transmiti-la geralmente apenas em transmissões esportivas, e muitas vezes retardando a programação da rede em 2 ou 3 horas após a exibição original, o que gerava várias críticas e reclamações dos telespectadores. Com a desfiliação da Meio Norte, a Band passou a ser representada apenas por uma retransmissora que gerava o sinal para a capital Teresina, porém esta também saiu do ar com o tempo. A emissora tira os programas Project Runway da Rede Record (que na Band terá o nome de Projeto Fashion[78]), e a série teen Descolados da MTV Brasil[79] e começa a ser exibido neste ano. No dia 25 de fevereiro a emissora tira do ar o jornalístico Tribunal na TV. Em 15 de março de 2011, a Band passa a exibir o seriado The Bernie Mac Show (Bernie Mac - Um Tio da Pesada) diariamente, substituindo Futurama, que passaria a ser exibido apenas às tardes. Em 16 de março, Otávio Mesquita renova por mais um ano com a Band. Já no dia 18 de março estreou na Band o programa Acredite se Quiser, apresentado por Felipe Folgosi. Em 20 de março, estreou nas tardes de domingo o Band Clássicos, programa que resgata os grandes momentos do esporte brasileiro que passaram na emissora.[80] Ainda no mês de março, a jornalista Millena Machado deixa a emissora e vai para a Rede Globo.[81] Desde 31 de março de 2011, a TVB Litoral é afiliada da Band.[82] Em maio, a emissora adquire os direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro de Futebol da série B, que até então pertenciam a RedeTV!.[83] Em 16 de junho de 2011, José Luiz Datena deixa a emissora. Responsável pela maior audiência da Band com seu Brasil Urgente, o jornalista volta para a Rede Record, onde trabalhou por 8 anos. Sendo assim substituído por Luciano Faccioli na apresentação do Brasil Urgente.[84]

Em 10 de julho de 2011, a emissora consegue a liderança de audiência com dez pontos com picos de 15 e 24% de participação, com a transmissão da Copa do Mundo de Futebol Feminino na partida entre a Brasil X Estados Unidos, no mesmo horário a Rede Globo ficou em segundo com nove pontos, enquanto SBT e Record empataram em 5 pontos.[85] A partir do dia 8 de agosto, José Luiz Datena acertou seu retorno pra Band, apresentando o mesmo programa Brasil Urgente, no lugar de Luciano Faccioli.[86] Em 6 de novembro de 2011, um repórter da emissora, Gelson Domingos da Silva, morreu após levar um tiro durante uma reportagem, mesmo estando com colete à prova de balas.[87][88][89][90][91] O Sindicato dos Jornalistas do Rio de Janeiro responsabilizou a emissora pelas condições de segurança dos jornalistas.[92][93][94][95]

Em janeiro de 2012, a emissora estreia às séries Os Pilares da Terra, 24 Horas e Prison Break, além da estreia do reality show Mulheres Ricas.[96] Na madrugada de 16 de fevereiro, o apresentador da emissora Otávio Mesquita disse que os humoristas do Pânico na TV trocaram a RedeTV! pela Band. Informação que logo foi confirmada pelo próprio site da emissora.[97][98][99] Também foi anunciada a estreia para 17 de março juntamente com a nova programação.[100] Todo o elenco do programa humorístico estará na nova emissora, o apresentador da atração disse ao site "F5" da Folha de S.Paulo que "100% do elenco fechou".[101]

No dia 12 de março de 2012 estreia a 5° temporada do CQC. No dia 1º de abril, estreou o Pânico na Band com onze pontos de média e 14 de pico,[102] quadruplicando a audiência do canal no domingo a noite. No dia 2 de abril começa a afiliação com a TV Jangadeiro de Fortaleza. E no dia 9 de abril começa o programa Quem Fica em Pé?, apresentado por José Luiz Datena. Em 27 de abril, mais dois repórteres da emissora, desta vez, da Band RS, morreram em um acidente de trânsito fatal provocado por um caminhão. As vítimas foram o repórter Enildo Paulo Pereira e o cinegrafista Ezequiel Barbosa.[103]

No dia 16 de junho de 2012, estreou o programa Deu Olé! apresentado por Felipe Andreoli, Paloma Tocci e Denílson, nas tardes de sábado da emissora.[104][105] Em 17 de outubro de 2012, a Band e o UOL anunciaram uma parceria,[106] Com o acordo, toda a operação de hospedagem das propriedades digitais da Band ficou a cargo do UOL Vídeo, empresa de infraestrutura e tecnologia do UOL. Ao mesmo tempo, todo o conteúdo do portal Band.com.br esta dentro do UOL. Em 21 de dezembro de 2012, a Band anuncia a aquisição da série iCarly, bem-sucedido programa da Nickelodeon que anteriormente fora exibido na TV aberta pela Rede Globo. Inicialmente exibida apenas no Band Kids, a série passa a ser transmitida também no horário vespertino antes ocupado pelo desenho O Marinheiro Popeye.[107][108]

Em 1 de janeiro de 2013, passou a transmitir no horário-nobre o seriado norte-americano Os Simpsons, anteriormente exibido na Rede Globo, além de um período no SBT. No dia 7 de janeiro, estreou a 2ª temporada do reality show Mulheres Ricas.[109] Em 8 de janeiro, a emissora estreia a série Roma. No dia 9 de janeiro foi a vez de estreia do seriado The Walking Dead, sucesso de audiência em vários países. Em 14 de janeiro, a emissora estreia o programa de variedades Zoo, na apresentação de Nadja Haddad.[110] Em 17 de fevereiro a Rede Bandeirantes estreou a temporada 2013 do Pânico na Band.[111] No mesmo mês, durante as tradicionais transmissões de carnaval pelo Band Folia, a emissora passou a transmitir os Desfiles das escolas de samba de Vitória, com o apoio da afiliada local, TV Capixaba, além do carnaval de rua de João Pessoa, na Paraíba.[112][113] Em junho, foi transmitida a Copa das Confederações 2013, no Brasil. Em 02 de dezembro, estreou a novela Violetta, sucesso de audiência na Disney.

Logo no início de 2014, o apresentador Danilo Gentili rescindiu contrato com a Band após ter ficado insatisfeito com algumas alterações que a emissora promoveu no talk-show Agora É Tarde, como o cancelamento do especial de Natal do programa e também o cancelamento da edição da sexta-feira por um compacto com os melhores momentos do programa durante a semana. Juntamente com Gentili, rescindiram contrato com a emissora a produtora Juliana Oliveira, os humoristas Léo Lins e Murilo Couto, além da banda Ultraje a Rigor. Exceto Marcelo Mansfield não rescindiu, pois seria posteriormente realocado no projeto do Café com Jornal, futuro sucessor do Primeiro Jornal. Dias depois, o apresentador Otávio Mesquita também anunciou que não iria renovar contrato com a Band, encerrando uma carreira de anos na emissora. O seu programa, Claquete, foi exibido pela última vez em 3 de janeiro, onde o apresentador visivelmente emocionado se despediu e agradeceu a emissora pelos anos de trabalho. Posteriormente, foi anunciado pela imprensa especializada que tanto Danilo Gentili e sua equipe quanto Otávio Mesquita foram contratados pelo SBT, onde passariam a integrar novos projetos na emissora a partir de março de 2014.[114] Em 19 de abril, um infarto mata a principal voz do esporte da Band: Luciano do Valle, aos 66 anos. Ele morreu quando ia para Uberlândia, para transmitir Atlético Mineiro x Corinthians, pelo Campeonato Brasileiro de 2014. Em maio, estreou o Café com Jornal, novo noticiário matinal da emissora, com a presença forte de um time de colunistas. Em junho e julho, foi mostrada a Copa do Mundo 2014, ralizada no Brasil. Em agosto, Luiz Bacci, destaque na RecordTV, chega a Band para assumir o Tá na Tela, nova atração vespertina, com jornalismo e entretenimento.

Em 2 de setembro de 2014, estreou a versão brasileira do reality show MasterChef, sob o comando de Ana Paula Padrão. A 1ª final do programa ocorreu em 16 de dezembro, tendo como a primeira vencedora a produtora executiva Elisa Fernandes. Em 11 de novembro, a emissora anunciou a contratação de Dan Stulbach para substituir Marcelo Tas, que deixara a liderança do CQC. Também foram anunciados os retornos de Rafinha Bastos e Rafael Cortez ao humorístico.[115] Ele apresentou o programa até 20 de dezembro, quando deixou a emissora juntamente com os humoristas Felipe Andreoli, Ronald Rios, Guga Noblat e Oscar Filho, além da sua companheira de bancada Dani Calabresa.[116][117]

No ínicio de 2015, a emissora decide encerrar 4 produções, entre eles o Tá na Tela, causando a ida de Luiz Bacci para o Jornalismo, como apresentador do Café com Jornal, do qual saiu em março, quando deixou a Band. Também foram exibidas algumas séries, como Glee, campeã de audiência na Fox. Em março, devido a crise financeira, a emissora decide cancelar o Agora é Tarde, que estava nos primeiros programas da temporada, com Rafinha Bastos. Também por causa da crise, a emissora demite vários funconários em suas emissoras, causando a extinção de algumas atrações locais. Em 14 de maio de 2015, o Grupo Bandeirantes de Comunicação encerra as atividades da TV Bandeirantes Tocantins, que existia desde 2008, por conta da contenção de gastos do grupo. O sinal da emissora é substituído por uma retransmissora da programação nacional.[118] Em 19 de maio, a emissora estreia a 2ª temporada do reality show culinário MasterChef. Em 14 de julho, a Band anuncia que será parceira de mídia da edição 2015 do Rally dos Sertões, a maior prova off-road do mundo. Além da cobertura nos telejornais, haverá divulgação nos programas de entretenimento da casa, como o Dia Dia, que fará receitas da região em que a competição passará.[119] Em 28 de setembro, estreou o programa Alta Conexão, com Sérgio Waib, exibido nos fins de noite. O programa fala sobre o universo das grandes empresas e como elas funcionam, mostrando suas ações e suas produções e as tendências de mercado.[120] Em 20 de outubro, estreou o MasterChef Júnior, versão infantil do reality de culinária da emissora. Assim como na versão adulta, o programa é apresentado por Ana Paula Padrão e os jurados são Henrique Fogaça, Paola Carosella e Erick Jacquin.[121]

Em 2016, a emissora transmite os Jogos Olímpicos 2016, no Rio de Janeiro, a Eurocopa 2016 com todos os jogos mostrados, adquire o NBB, marcando a volta do Basquete a emissora e transmite também as finais da Liga Nacional de Handebol. Porém, por causa da crise, deixa de transmitir o Campeonato Brasileiro, assim como outros torneios nacionais. No mesmo ano, foi mostrado o reality X Factor Brasil, comandado por Fernanda Paes Leme, que ajudou a escolher novos talentos para música brasileira.

Em janeiro de 2017, a emissora transmitiu a Flórida Cup, torneio de pré-temporada que envolve clubes internacionais, incluindo brasileiros. Além disso, foi exibido o Planeta Gelado, série de três documentários sobre as regiões mais frias do planeta. Também estreou o Pesadelo na Cozinha, versão brasileira do Kitchen Nightmares, sob o comando do chef Érick Jacquin, jurado do MasterChef.[122] Em 27 de abril, a emissora estreou duas novas atrações: Shark Tank Brasil (já exibido na TV paga), onde investidores irão escolher projetos que possam ser alvo de investimentos; e Era Uma Vez na História, com Dan Stulbach e a historiadora Lilia Moritz Schwarcz, contando os acontecimentos do Brasil no século XIX. Esta série teve 4 capítulos.[123] Em 4 de maio, a emissora confirmou a contratação de Luigi Baricelli como apresentador do reality-show de namoros À Primeira Vista (reality show), que estreou no dia 22 de junho.[124] Em 8 de junho, estreou o programa Efeito Carbonaro, que traz mágicas do ilusionista americano Michael Carbonaro.[125]

De 17 de junho a 2 de julho, a Band transmitiu, com exclusividade na TV Aberta, a Copa das Confederações de 2017, realizada na Rússia.[126] No dia 6 de julho, a emissora anuncia que não fará mais a segunda temporada do X Factor Brasil pelos altos custos e baixa audiência da edição passada. No lugar dele, será exibido o reality show Ilhados, produção desenvolvida na Turquia e que será feita na República Dominicana. No mesmo dia, é anunciado que a novela Mil e Uma Noites voltará a ser exibida a partir do dia 19.[127][128][129] Em 25 de agosto, é anunciada a contratação de Luís Ernesto Lacombe, ex-Rede Globo, para apresentar o reality show Exathlon Brasil, que estreou em 18 de setembro.[130] Em 20 de outubro, a Band anuncia a aquisição, junto a Rede Globo, do sublicenciamento para a transmissão da Copa do Mundo de 2018, que será realizada na Rússia.[131] Porém, a emissora desistiu pouco tempo depois. Em novembro, foi anunciado o fim do Pânico na Band, tendo entre outros motivos a audiência baixa e o desgaste do formato.

Em 27 de janeiro de 2018, estreou o Programa Amaury Jr., marcando a volta do apresentador a emissora onde se consagrou nos anos 90. Em 1 de março de 2018, Cátia Fonseca estreia no comando do Melhor da Tarde, feminino que voltou ao ar após ser exibido entre 2001 e 2005.[132] No dia 12, estreou o Cozinha do Bork, nova atração culinária de Daniel Bork na emissora. Em 26 de março, o Vídeo News reestreia nas noites da emissora com Larissa Erthal e Rafael Baronesi, diretamente dos estúdios no Rio de Janeiro. A atração é apresentada ao vivo, de segunda à sábado, para todo o país.[133] Em 29 de março, estreou a série internacional O Senhor dos Céus, vencedora do Emmy, que conta a história de um famoso narcotraficante mexicano.[134] Em 9 de abril de 2018, estreia o programa SuperPoderosas, inspirado no projeto Escola de Você, comandado por Natália Leite.[135] Em 12 de abril, Luisa Mell, ativista das proteção aos animais, chegou a ser contratada pela emissora, mas no dia 30 de julho, ela foi demitida sem que seu programa estreasse.[136][137] Em 19 de abril de 2018, a Band assina com Roberto Justus um acordo para retornar a exibição do reality show O Aprendiz.[138] Em 22 de abril, estrearam duas novas atrações dominicais: o Agora É com Datena, marcando a ida de José Luiz Datena para o entretenimento e o novo Show do Esporte, com Milton Neves. Porém, as atrações tiveram baixa audiência e tiveram que mudar de formato, especialmente o Show do Esporte, que passou a ser debate esportivo. Já o Agora é com Datena virou Agora é Domingo, devido a frustrada tentativa de Datena de concorrer ao Senado Federal. Também por um período, chegou a ser apresentado o Brasil da Gente, comandado por Netinho de Paula. Em novembro, devido a baixa audiência, saem do ar os programas Superpoderosas e Cozinha do Bork (este continuou até dezembro com reprises) e suas equipes são dispensadas. Os dois programas são substituidos pelo Mundo Animado, então estreado como Verão Animado, exibido animes japoneses.

Em janeiro de 2019, devido as baixas audiências, a Band decide pela extinção dos programas Programa Amaury Jr., Agora É Domingo, Vídeo News e Show do Esporte, que foi substituido pelo Terceiro Tempo, que voltou a grade. Em 7 de fevereiro de 2019, estreou a segunda temporada do Shark Tank Brasil.[139] Em 11 de fevereiro, a emissora perde um dos seus principais nomes do jornalismo. Ricardo Boechat morreu aos 66 anos, após sofrer um acidente de helicóptero em São Paulo, quando voltava de uma palestra em Campinas. Boechat era apresentador do Jornal da Band desde 2004, assumindo a titularidade em 2006 e comandou durante 4 anos os debates da emissora para Presidente da República. Ele também locutava na BandNews FM que nesse dia suspendeu as atividades ficando fora do ar em sinal de luto.[140] Em 12 de fevereiro de 2019, por 3 votos a 2, o conselho de administração do conglomerado decide afastar João Carlos Saad da presidência, um pedido feito pelas irmãs Márcia e Maria Leonor Saad, que foi rejeitado após decisão judicial. O grupo enfrenta dívidas estimadas em R$1,2 bilhões, onde a Band é a mais afetada.[141] Em maio, a Band volta a ter uma grade cheia de eventos esportivos com a aquisição de torneios como a NBA, o Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino, entre outros. Também em maio, estreou o Aqui na Band, nova revista eletrônica matinal da casa. Em agosto, a emissora estreia novidades no jornalismo, como o Notícias da Redação, #Informei e o Bora Praça. Em setembro, estreou o Band Notícias, jornal com exibição as 22:00.

No final de 2019, a Band fez um acordo com o maior grupo de mídia da China, a estatal China Media Group.[142]

Década de 2020Editar

Em 6 de janeiro de 2020, a emissora anuncia a compra da série norte-americana Orange is the New Black. A trama da Netflix será a primeira produção da plataforma a ser exibida na TV Aberta. Sua estreia ocorreu no dia 7 de março, às 23h.[143] No dia 13 de janeiro, é anunciado os avanços das negociações para a compra dos direitos do Brasileirão Série B válidos por três anos. A empresa MediaComSports está sendo a responsável pelos acertos das transmissões das partidas, marcando a volta da cobertura do futebol nacional na Band, pela categoria profissional só que agora para todo o país, após quatro anos sem cobrir a competição em razão da crise financeira, apesar da mesma ter transmitido no ano anterior a Série C, mas através de uma parceria com a plataforma online DAZN e apenas para as regiões Norte e Nordeste.[144] Porém, no dia 1° de fevereiro, a emissora anuncia a desistência pela compra dos direitos da Série B devido a restrição imposta pela Rede Globo nas transmissões das partidas do Cruzeiro, Náutico e Vitória.[145]

Em 16 de março de 2020, a emissora relança o Primeiro Jornal, sendo exibido às 3h45, culminando na extinção do Café com Jornal. Também houve a estreia do Bora Brasil, versão nacional do Bora Praça na faixa das 8h.[146]

No dia 22 de março, a emissora passou a exibir três japonesas de sucesso na faixa Mundo Animado: Changeman, Jiraya e Jaspion. As atrações substituem as transmissões esportivas de forma temporária por causa da pandemia de COVID-19, que causou a paralisação dos mesmos.

Em 12 de abril, a emissora estreou o esportivo Você Torceu Aqui, uma faixa semanal que vai relembrar grandes momentos do esporte brasileiro, principalmente do Futebol, transmitidos pela Band nestes mais de 50 anos de vida.

No dia 24, a emissora demite parte do elenco do programa matinal Aqui na Band. Saíram do programa a apresentadora Silvia Poppovic, então encerrando sua quarta passagem pela Band e os colunistas Fernando Gomes (saúde), Nana Rude (celebridades) e Sérgio Tannuri (defesa do consumidor). Nathalia Batista, colunista de moda, assumiu o programa ao lado de Luis Ernesto Lacombe. Em fevereiro, o programa já tinha trocado o seu apresentador da culinária, com a entrada de Dalton Rangel, ex-RecordTV, no lugar de Luiza Hoffmann, que deixou a emissora.

No dia 13 de maio, dia de aniversário da 53 anos da Band, foi anunciado a desativação da Direção de Esportes, departamento tradicional da emissora desde o seu ínicio. O motivo foi a saída de José Emílio Ambrósio, que dirigiu a pasta desde 2018 e ajudou a recuperá-la, trazendo novos eventos esportivos. O departamento foi incorporado primeiramente a Direção de Programação, comandada por Antônio Zimmerle, mas depois, passou para a mãos do Jornalismo.

Em 18 de maio de 2020, estreou o reality show Largados e Pelados no horário nobre, continuando com o pacote de novidades para 2020. A atração é sucesso de audiência no Discovery Channel e será exibida pela primeira vez em TV Aberta.[147]

No dia 30, estreou a série Lei & Ordem, sucesso de audiência em vários países. A atração substitui Orange Is The New Black, que voltará depois para sua segunda temporada. No dia 1 de junho, estreou mais uma emissora própria da Band, a Band Ceará, que substitui a NordesTV, que foi extinta e foi transformada numa sucursal da TV Jangadeiro. No dia 2, foi anunciada a volta da transmisão da Fórmula Indy para a temporada 2020.

CaracterísticasEditar

ProgramasEditar

TelenovelasEditar

Entre 1967 e 1970 a emissora exibiu sete telenovelas de forma contínua: Os Miseráveis, A Moça do Sobrado Grande, Ricardinho: Sou Criança, Quero Viver, Nunca É Tarde Demais, Era Preciso Voltar, O Bolha e As Asas São para Voar, seguida por outra fase, entre 1979 e 1983, com a exibição de mais 19 telenovelas de forma contínua: Cara a Cara, O Todo Poderoso, Pé de Vento, A Deusa Vencida, Cavalo Amarelo, Um Homem muito Especial, O Meu Pé de Laranja Lima, Dulcinéa Vai à Guerra, Rosa Baiana, Os Imigrantes (primeira fase e adaptação posterior), Os Adolescentes, Ninho da Serpente, A Filha do Silêncio, Renúncia, Campeão, Sabor de Mel, Braço de Ferro e Maçã do Amor, tendo retomado a produção de obras de teledramaturgia em duas oportunidades posteriores, na década de 1990 e na década de 2000.[148]

Entre 1995 e 1999 cinco telenovelas foram produzidas pela emissora: A Idade da Loba e O Campeão, tendo sido as três últimas - Perdidos de Amor, Serras Azuis e Meu Pé de Laranja Lima - todas escritas por Ana Maria Moretzsohn.[149] Outras quatro telenovelas seriam produzidas entre 2005 e 2008: Floribella seria a primeira e mais bem-sucedida produção. Exibida de forma bem-sucedida entre 2005 e 2006, em duas temporadas distintas, intituladas Floribella e Floribella 2 e escritas por Patrícia Moretzsohn e Jaqueline Vargas.[150][151][152]

Paixões Proibidas, de Aimar Labaki[153] e Dance Dance Dance, de Yoya Wursch[154][155] ocupariam posteriormente o horário destinado à exibição de telenovelas na emissora, assim como Água na Boca, de Marcos Lazarini, exibida em 2008.[156][157] Após o encerramento de Água na Boca, a emissora não demonstraria interesse em produzir novas telenovelas, em razão da última ter sido um fracasso em audiência.

Atualmente, os direitos sobre as telenovelas da Rede Bandeirantes foram comprados pelas seguintes emissoras: Fox Life Brasil, que reapresentou a segunda versão de Meu Pé de Laranja Lima; Ulbra TV, que reapresentou as três primeiras fases de Os Imigrantes; TV Diário, que reapresentou a segunda versão de Meu Pé de Laranja Lima, Serras Azuis e Dance Dance Dance (esta última adquirida também pelo Boomerang); e a Rede Vida que reprisou a segunda versão de Meu Pé de Laranja Lima e Os Imigrantes.

A Bandeirantes também já reapresentou uma trama de outra emissora, Mandacaru, produzida pela concorrente Rede Manchete, e que foi comprada pela Band e reapresentada em 2006.[158]

Telenovelas estrangeirasEditar

Ao longo do tempo, a Bandeirantes também apresentou tramas de outros países, como Abigaíl,[159] Desencontros,[160] María Celeste,[161] Traição,[162] Caminhos do Amor,[163] Sombras do Passado,[164] Belas e Intrépidas,[165][166] Morangos com Açúcar,[167] Olhos de Água,[168] Isa TKM,[169] Isa TK+,[170] Quase Anjos,[171] Violetta,[172] Rosário Tijeras,[173] Mil e Uma Noites,[174] Fatmagul - A Força do Amor,[174]Sila: Prisioneira do Amor,[175] Ezel,[176] Amor Proibido,[177] Senhor dos Céus,[178] Asas do Amor,[179] Minha Vida.[180] Ouro Verde

Séries e minissériesEditar

Desde a sua fundação, em 1967, a Band já apresentou mais de 20 séries e minisséries. As minisséries produzidas e apresentadas pela Bandeirantes foram todas da década de 1980: Carne de Sol, Chapadão do Bugre, O Cometa, Colônia Cecília e Capitães da Areia. Os seriados foram: Além, Muito Além do Além, Sítio do Picapau Amarelo, Dona Santa, Casa de Irene, Casal 80, Bronco, Contos de Natal, O Santo de Casa, A Guerra dos Pintos, As Aventuras de Tiazinha e Os Anjos do Sexo. Nos últimos anos[quando?], várias delas foram coproduções com outras emissoras, tais como: NHK, com Haru e Natsu: As cartas que não chegaram[181] e trabalhos de produtoras, tais como Tô Frito,[182] Descolados,[183] Julie e os Fantasmas[184] e Terminadores.[185]

EmissorasEditar

 
Torre da Band à noite.

LogotiposEditar

  • 1967 - 1980: O primeiro logotipo da emissora foi uma esfera de cor sólida escura, que era circulada por duas linhas horizontais em cima e embaixo, também na mesma cor. A emissora também utilizava em seus primeiros anos no ar um coelho vestido de bandeirante como mascote, e por vezes ele era associado como logotipo da emissora;[186]
  • 1972: Com a chegada da TV à cores, a emissora usou um pavão como logo, idêntico ao da emissora norte-americana NBC;[186]
  • 1980 - 1982: O conceito do primeiro logotipo é refeito, com as pontas dos semicirculos em volta da esfera dando a impressão de um olho;[carece de fontes?]
  • 1982 - 1989: A esfera central passa a ter a cor vermelha, e as linhas horizontais viram uma espécie de triângulo cinza, passando uma a ficar de cada lado da esfera. O logotipo havia sido desenhado por Cyro Del Nero, para comemorar o fato da emissora ser a primeira do Brasil e da América do Sul a transmitir toda sua programação via satélite;[186][187]
  • 1989 - 1995: Os triângulos unem-se em volta da esfera, passando a ter a forma de um olho. As cores deixam de ser sólidas e ganham tons brilhantes e tridimensionais;[186]
  • 1995 - 1999: A esfera vermelha do logo passa a ser mais escura, e a palavra "Band" passa a aparecer abaixo do logotipo da emissora;[186]
  • 1999 - 2002: A esfera vermelha volta a ser clara como antes, e a palavra "Band" deixa de aparecer nas vinhetas;[186]
  • 2002 - 2010: A esfera passa a ser verde e as paredes que formam o olho na cor amarela. As vinhetas da emissora deixam de usar efeitos tridimensionais e brilhos e as cores voltam a ser sólidas;[carece de fontes?]
  • 2010 - 2018: Com a estreia do novo pacote gráfico da emissora, o logotipo volta a ganhar tons brilhantes e tridimensionais;[carece de fontes?]
  • 2018 - presente: 16 anos após a última alteração, o logotipo passa a ter uma cor esbranquiçada, com leves sombras na parte inferior, adotando a tendência do flat design já utilizada em marcas de outras emissoras.[188]
Logotipos utilizados pela Rede Bandeirantes (1967-)[nota 1]

ControvérsiasEditar

Acusação de viés políticoEditar

Escrevendo para o The Intercept Brasil, João Filho questionou o aumento da entrada de dinheiro público na Band e outras emissoras nas quais os donos apareceram ao lado de Bolsonaro, ou tem apresentadores ligados a membros do governo, como é o caso da Band. Antes do atual governo, era gasto mais dinheiro com propaganda nas emissoras a partir da audiência das mesmas, mas o método foi cancelado sem motivo.[190]

Em 15 de janeiro de 2020, foi revelado pela Folha de S.Paulo que Fabio Wajngarten, chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (SECOM), recebeu, através de uma empresa da qual é sócio, dinheiro de emissoras de TV e agências de publicidade que tem contrato com o governo de Jair Bolsonaro. Dentre elas, estão a Rede Bandeirantes e a RecordTV.[191] Tal fato entrou na análise do Repórteres Sem Fronteiras, que passou a reportar os ataques de Bolsonaro direcionados à imprensa.[192]

Segundo um levantamento feito pelo Poder360, Bolsonaro concedeu 102 entrevistas exclusivas a veículos de comunicação, mesmo afirmando não gostar da imprensa. A Band foi a mais atendida, seguida pela RecordTV, SBT e a Jovem Pan. Até 6 de julho de 2020, Datena foi o jornalista que mais entrevistou o presidente na TV. Em 22 de maio, Datena declarou que não ia entrevistar mais Bolsonaro, após Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica, dizer na reunião ministerial de 22 de abril que a Band "queria dinheiro" do governo e de Bolsonaro, seguido por palavrões durante a ocasião. "De preferência, eu não quero mais entrevistar o presidente da República depois de uma atitude dessa. Eu gostaria que ele desse entrevista pra quem ele quisesse, com todo respeito que tenho por ele, pelo cargo dele, eu me permito nunca mais fazer uma entrevista com ele". Após esse episódio, Bolsonaro se reuniu pessoalmente com Johnny Saad, presidente da Band.[193]

PrêmiosEditar

Prêmio Vladimir Herzog
Menção Honrosa do Prêmio Vladimir Herzog por Fotografia
Ano Obra Veículo de mídia Autor Resultado
2017 Foto de abertura da reportagem “Prefeitura retira sem-teto de viaduto em SP” Portal da Band – São Paulo/SP Nelson Aontoine Venceu[194]

Notas

  1. Não apresentam-se aqui todos os logotipos da emissora, são mostrados apenas os principais conceitos; o logo de 1989, por exemplo, foi a principal inspiração para as todas as outras marcas criadas posteriormente.[186]

Referências

  1. Cristina Padiglone (5 de janeiro de 2019). «Globo perde audiência nacional em 2018». Zapping. Agora São Paulo. Consultado em 5 de janeiro de 2019 
  2. Flávio Ricco; José Carlos Nery (3 de fevereiro de 2017). «Faturamento da Record dá quase a soma de SBT, Band e Rede TV!». Coluna do Flávio Ricco. UOL. Consultado em 4 de fevereiro de 2017 
  3. Marcos Júnior. «João Jorge Saad». Terceiro Tempo. UOL. Consultado em 20 de dezembro de 2014 
  4. a b c «História». Band.com.br. UOL. Consultado em 11 de dezembro de 2014. Arquivado do original em 22 de julho de 2017 
  5. «Grupo Bandeirantes - História». Consultado em 19 de dezembro de 2014. Arquivado do original em 23 de setembro de 2015 
  6. a b c d e f g h i j «Parabéns, Band!». Pró-TV. 14 de maio de 2012. Consultado em 22 de junho de 2016. Arquivado do original em 3 de junho de 2015 
  7. «Band volta a ser "canal do esporte"». Maquina do Esporte. UOL. Consultado em 11 de dezembro de 2014 
  8. a b c d e «O eterno canal do esporte». Tele História. Maio de 2007. Consultado em 11 de dezembro de 2014. Cópia arquivada em 11 de dezembro de 2014 
  9. «Tradição em debates». Tele História. Maio de 2007. Consultado em 11 de dezembro de 2014. Cópia arquivada em 11 de dezembro de 2014 
  10. «70 anos de história». Tele História. Maio de 2007. Consultado em 11 de dezembro de 2014. Cópia arquivada em 11 de dezembro de 2014 
  11. a b c d e «Dono do "palácio encantado" começou como mascate». Folha de S.Paulo. UOL. 11 de outubro de 1999. Consultado em 20 de dezembro de 2014 
  12. a b c d e f g «História da Televisão no Brasil». Tudo sobre TV. Consultado em 10 de dezembro de 2014 
  13. Sérgio Mattar (6 de junho de 2010). «1969 : O Teatro Bandeirantes foi uma emergência na vida da TV Bandeirantes , Canal 13 – São Paulo.». Consultado em 10 de dezembro de 2014 
  14. a b c d «Incêndio destrói a central de transmissões do Canal 4». Jornal do Brasil. TV-Pesquisa (PUC-Rio). 5 de junho de 1976. Consultado em 6 de março de 2017 
  15. «Zashi - A vez das mulheres nos programas de TV» [ligação inativa]
  16. a b «Galeria Cyro Del Nero». Pró-TV. Museu da TV. Consultado em 21 de dezembro de 2014. Arquivado do original em 4 de março de 2016 
  17. «Confira bastidores da equipe da Band na Copa de 90». esporte.band.uol.com.br 
  18. «Bandeirantes e CNT/Gazeta colocam apenas eleições no ar». Folha de S.Paulo. UOL. 2 de outubro de 1994. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  19. «TRE suspende Bandeirantes por três horas». Folha de S.Paulo. UOL. 4 de outubro de 1996. Consultado em 12 de dezembro de 2014 
  20. «Emissora muda suas tardes». Folha de S.Paulo. UOL. 27 de outubro de 1996. Consultado em 12 de dezembro de 2014 
  21. a b Maria Lucia Rangel (16 de janeiro de 1997). «Band muda seu visual a partir de fevereiro». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  22. «10 perguntas dos leitores para Fabiana Scaranzi». Quem. Globo.com. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  23. «Clodovil volta à TV em versão "light'». Folha de S.Paulo. UOL. 23 de agosto de 1998. Consultado em 14 de dezembro de 2014 
  24. Leila Reis (19 de dezembro de 1998). «Band surpreende com especial de verdade». O Estado de S. Paulo. TV-Pesquisa. Consultado em 14 de dezembro de 2014 
  25. Aline Sordili (18 de julho de 1999). «Boom de bola». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 12 de dezembro de 2014 
  26. Patricia Decia (27 de abril de 1999). «Sabrina terá talk-show adolescente na Band». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 12 de dezembro de 2014 
  27. Alexandre Maron (13 de junho de 1999). «Sitcom à brasileira». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 12 de dezembro de 2014 
  28. Alexandre Maron (31 de janeiro de 1999). «Yes, nós temos enlatados». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 12 de dezembro de 2014 
  29. «Band mantém ibope e Babi substitui Jô». Folha de S.Paulo. UOL. 26 de março de 2000. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  30. Anna Lee (13 de setembro de 1999). «Record adia estréia de seu novo jornalístico». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  31. Anna Lee (6 de abril de 2000). «Futuro da TV é Internet e co-produções». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  32. Rodrigo Bueno (1 de junho de 2000). «Clássico bate recorde de audiência na TV e de gols». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  33. «Band tenta contratar Lilian Witte Fibe». Folha de S.Paulo. UOL. 16 de julho de 2001. Consultado em 21 de março de 2016 
  34. a b c Daniel Castro (21 de novembro de 2001). «Juiz determina que programa de Amaury Jr. na Record saia do ar». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 10 de dezembro de 2014 
  35. Daniel Castro (28 de setembro de 2001). «Outro Canal: Amaury Jr. rompe contrato com a Band». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 10 de dezembro de 2014 
  36. a b «Audiência cresce e dá fôlego a Cabrini». Folha de S.Paulo. UOL. 13 de outubro de 2002. Consultado em 10 de dezembro de 2014 
  37. «Redeband Internet - Novidade na Band». 3 de maio de 2002 
  38. Rodrigo Rainho e Fernanda Dannemann (25 de maio de 2003). «Por volta da meia-noite». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 10 de dezembro de 2014 
  39. «NOTICIAS». geocities.com. Consultado em 19 de maio de 2016. Arquivado do original em 7 de maio de 2003 
  40. Daniel Castro (31 de dezembro de 2002). «Band estréia 3 novos programas em março». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  41. Daniel Castro (7 de janeiro de 2003). «Outro Canal: Afiliadas se rebelam contra igreja na Band». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  42. «Band reexibe documentário sobre Michael Jackson». Folha de S.Paulo. UOL. 16 de abril de 2003. Consultado em 21 de março de 2016 
  43. «Band reapresenta documentário sobre Michael Jackson». Folha de S.Paulo. UOL. 17 de abril de 2003. Consultado em 21 de março de 2016 
  44. «Miss Brasil 2003 quer resgatar o glamour de antigamente». Folha de S.Paulo. UOL. 18 de abril de 2003. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  45. «Miss Brasil leva Band ao primeiro lugar no Ibope». Folha Online. Consultado em 30 de abril de 2013 
  46. Daniel Castro (6 de outubro de 2003). «Outro Canal: Band faz campanha pró-porte de armas». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 8 de março de 2017 
  47. Daniel Castro (12 de outubro de 2003). «Márcia Goldschmidt entra na disputa com Gugu e Faustão». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  48. «"Ex-barraqueira" terá atração diária». Folha de S.Paulo. UOL. 26 de junho de 2005. Consultado em 10 de dezembro de 2014 
  49. Laura Mattos (20 de novembro de 2005). «Decadência sem elegância». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 10 de dezembro de 2014 
  50. Fabíola Reipert (4 de novembro de 2003). «Zapping: Silvia Poppovic pode substituir Márcia Goldschmidt na Band». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  51. «BAND VIDA». 6 de dezembro de 2004 
  52. Maria Rita Teixeira (26 de setembro de 2005). «Claudete Troiano estréia hoje na Band ao lado da filha». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 12 de dezembro de 2014 
  53. Dayanne Mikevis (25 de maio de 2007). «Band rescinde contrato com apresentadora Claudete Troiano». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 12 de dezembro de 2014 
  54. Daniel Castro (5 de novembro de 2005). «Band será sócia dos calouros de Raul Gil». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 12 de dezembro de 2014 
  55. «Milton Neves tira o chapéu em programa de Raul Gil». Folha de S.Paulo. UOL. 2 de maio de 2008. Consultado em 12 de dezembro de 2014 
  56. Keila Jimenez (17 de outubro de 2010). «GNT mostra famosos pelos olhos do público». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 12 de dezembro de 2014 
  57. Mônica Bergamo (27 de abril de 2005). «Bate-bola». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 12 de dezembro de 2014 
  58. Mônica Bergamo (30 de abril de 2005). «Pode?». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 12 de dezembro de 2014 
  59. «Band comemora audiência de "Mandacaru"». Folha de S.Paulo. UOL. 27 de abril de 2006. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  60. Daniel Castro (22 de março de 2007). «Repaginado, 'Casseta' lança 'Lula Esponja'». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 10 de dezembro de 2014 
  61. «Estréia de "Márcia" eleva ibope na Band durante a tarde». Folha de S.Paulo. UOL. 11 de junho de 2007. Consultado em 10 de dezembro de 2014 
  62. Daniel Castro (26 de maio de 2007). «Márcia volta 'suave'; Band demite Claudete». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 10 de dezembro de 2014 
  63. Keila Jimenez (20 de outubro de 2007). «Record quer promover overdose de Pan na TV». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 10 de dezembro de 2014 
  64. a b «Rosana Hermann estréia no "Atualíssima", da Band». Folha de S.Paulo. UOL. 3 de março de 2008. Consultado em 10 de dezembro de 2014 
  65. «Band tira do ar programa "Atualíssima"». Folha de S.Paulo. UOL. 15 de dezembro de 2008. Consultado em 10 de dezembro de 2014 
  66. Miguel Arcanjo Prado (21 de fevereiro de 2008). «Separada, Patrícia Maldonado vai comandar "É o Amor", na Band». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 10 de dezembro de 2014 
  67. «Daniella Cicarelli se veste de homem para divulgar novo programa». Folha de S.Paulo. UOL. 3 de março de 2008. Consultado em 10 de dezembro de 2014 
  68. «Boris Casoy terá programa de rádio e estréia em abril na TV». Folha de S.Paulo. UOL. 29 de fevereiro de 2008. Consultado em 10 de dezembro de 2014 
  69. Vinícius Queiroz Galvão (20 de abril de 2008). «Milton Neves reestréia após conflito». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 10 de dezembro de 2014 
  70. «Band transmitirá Festival de Parintins para o Brasil». parintins.com 
  71. «NaTelinha». uol.com.br. Consultado em 24 de maio de 2009. Arquivado do original em 22 de maio de 2009 
  72. «Portal IMPRENSA - Band apresenta programação de 2009 com Silvia Poppovic e Adriane Galisteu». Consultado em 11 de junho de 2009. Arquivado do original em 6 de julho de 2011 
  73. «Novelinha infanto-juvenil, Isa TKM estreia na Band» 
  74. «Novo Final». Novo Final 
  75. Alberto Pereira Jr (14 de outubro de 2010). «Silvio de Abreu resolve mistérios de 'Passione'». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 13 de dezembro de 2014 
  76. «Perseguição em São Paulo deixa Datena em segundo no Ibope». Folha de S.Paulo. UOL. 8 de outubro de 2010. Consultado em 13 de dezembro de 2014 
  77. «Debate entre Dilma e Serra na Band marca 4 pontos de audiência». Folha de S.Paulo. UOL. 10 de outubro de 2010. Consultado em 13 de dezembro de 2014 
  78. «Band define data de estreia de reality show de Adriane Galisteu». iG. Consultado em 15 de abril de 2011 
  79. «"Descolados" sai da MTV e vai para Band». AdNews. Consultado em 15 de abril de 2011 
  80. «Band Clássicos utiliza acervo esportivo da Band». Band.com 
  81. «Milena Machado troca Band pela Globo». NaTelinha. Consultado em 15 de abril de 2011. Arquivado do original em 2 de abril de 2011 
  82. «TVB, da Baixada Santista, é a nova afiliada da Band». eBand. Consultado em 15 de abril de 2011 
  83. TV Band. «Notícias - TV Band». Notícias - TV Band 
  84. «Datena fecha contrato com a Record». O Dia. 16 de junho de 2011. Consultado em 21 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 18 de junho de 2011 
  85. «NaTelinha». uol.com.br. Consultado em 16 de outubro de 2012. Arquivado do original em 9 de agosto de 2011 
  86. «Insatisfeito na Record, Datena volta para a Band « TV tudo TV tudo». odiario.com 
  87. «Band lamenta morte de cinegrafista no RJ». Noticias Band.com.br 
  88. «Cinegrafista filmou momento que foi atingido». Noticias Band.com.br 
  89. «Band News». BandNews TV [ligação inativa]
  90. Jornal Extra - Extra Online. «Vídeo mostra momento em que cinegrafista da Band é baleado». Extra Online 
  91. «"Ele filmou quem o matou", diz colega de cinegrafista morto». Último Segundo 
  92. «Sindicato dos Jornalistas responsabiliza Band pela morte de cinegrafista». correiodoestado.com.br 
  93. «G1 - ABI e sindicato divulgam notas sobre morte de cinegrafista no Rio - notícias em Rio de Janeiro». Rio de Janeiro 
  94. «Em nota, ABRA lamenta morte de cinegrafista». Noticias Band.com.br 
  95. DGABC. «Sindicato diz que não há segurança em coberturas - Diário do Grande ABC». Jornal Diário do Grande ABC [ligação inativa]
  96. «Famosos se divertem com "Mulheres Ricas"». Band.com 
  97. Zean Bravo (16 de fevereiro de 2012). «Humoristas do 'Pânico' assinam contrato com a Band». O Globo 
  98. «TV Bandeirantes anuncia estreia de 'Pânico na TV' para março». Terra. 17 de fevereiro de 2012. Consultado em 17 de fevereiro de 2012 
  99. «Band anuncia chegada do Pânico». Band.com.br. 17 de fevereiro de 2012. Consultado em 17 de fevereiro de 2012 
  100. «'Pânico' entrará no ar na Band já no mês que vem». Patrícia Kogut 
  101. Ricardo Feltrim (17 de fevereiro de 2012). «"100% do elenco do 'Pânico' fechou com Band", diz Emilio Surita». Folha.com. Consultado em 17 de fevereiro de 2012 
  102. «"Pânico na Band" estreia com boa audiência e alta repercussão». uol.com.br. Consultado em 16 de outubro de 2012. Arquivado do original em 15 de novembro de 2012 
  103. «Equipe da Band sofre acidente de carro; jornalistas morrem». uol.com.br. Consultado em 27 de abril de 2012. Arquivado do original em 2 de maio de 2012 
  104. «"O 'Deu Olé!' é minha maior alegria e conquista profissional", diz Andreoli». Portal IMPRENSA - Notícias, Jornalismo, Comunicação (em inglês) 
  105. OFuxico. «Felipe Andreoli e Denílson estreiam novo programa na Band» 
  106. «UOL e Band.com.br anunciam parceria inédita». Noticias Band.com.br 
  107. ANMTV. «iCarly estreia em janeiro no Band Kids». ANMTV 
  108. ANMTV. «iCarly ganha novo horário na Band». ANMTV 
  109. «"Mulheres Ricas" estreia hoje na tela da Band». Band.com 
  110. «Zoo: Band estreia nova atração nesta segunda». Band.com.br. UOL. 14 de janeiro de 2013. Consultado em 21 de fevereiro de 2017 
  111. «Pânico na Band volta com tudo neste domingo - Pânico - Panicats, Fotos, Elenco e Programação - Band». Pânico - Panicats, Fotos, Elenco e Programação - Band. Consultado em 11 de abril de 2013. Arquivado do original em 21 de outubro de 2013 
  112. Na telinha (13 de janeiro de 2013). «Carnaval do Espírito Santo vai ganhar destaque na Band». 14h30. Consultado em 26 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 3 de fevereiro de 2013 
  113. Pbagora (14 de janeiro de 2013). «Folia de Rua vai ser destaque na TV no projeto Band Folia». Consultado em 26 de fevereiro de 2014 
  114. Castro, Daniel (1 de janeiro de 2014). «Danilo Gentili critica Band e diz que precisa melhorar piadas no SBT». Notícias da TV 
  115. «Dan Stulbach assina com a Band e assume o 'CQC'». Veja. 11 de novembro de 2014. Consultado em 23 de dezembro de 2014 
  116. «Confirmado: Dani Calabresa está fora do 'CQC' em 2015». Veja. 2 de dezembro de 2014. Consultado em 23 de dezembro de 2014 
  117. Benício, Jeff (23 de dezembro de 2014). «Tas dá adeus ao CQC com choro de amigos e muita ironia». Sala de TV - Terra. Consultado em 23 de dezembro de 2014. Arquivado do original em 23 de dezembro de 2014 
  118. Patrocinio, Jacqueline (14 de maio de 2015). «Band encerra produção local no Tocantins e demite 10 funcionários». Comunique-se. Consultado em 14 de maio de 2015 [ligação inativa]
  119. Prado, Vevé (17 de julho de 2015). «Rally dos Sertões fecha parceria de conteúdo de mídia com Band e ESPN». MídiaEsportiva.net. Consultado em 18 de julho de 2015 
  120. «Band estreia atração sobre marcas». Meio & Mensagem. 24 de setembro de 2015. Consultado em 10 de dezembro de 2015 
  121. «A vez dos pequenos: Band estreia MasterChef Júnior nesta terça-feira». Diario de Pernambuco. 20 de outubro de 2015. Consultado em 10 de dezembro de 2015 
  122. «"Pesadelo na Cozinha" estreia na Band e no Discovery Home & Health - TELA VIVA News». TELA VIVA News. 20 de janeiro de 2017. Consultado em 14 de dezembro de 2017. Arquivado do original em 26 de dezembro de 2017 
  123. «Band estreia Shark Tank e Era Uma Vez Uma História». Band.com.br. Consultado em 8 de novembro de 2017 
  124. «Após duas décadas na Globo, Luigi Baricelli vai para a Band ser apresentador». F5. 9 de maio de 2017 
  125. «Programa de ilusionismo com Michael Carbonaro estreia nesta quinta na Band». Metro Jornal 
  126. «Band transmitirá os jogos da Copa das Confederações FIFA». Terra 
  127. «Band avisa artistas que "X Factor" acabou mesmo - 08/07/2017 - UOL TV e Famosos». tvefamosos.uol.com.br. Consultado em 14 de dezembro de 2017 
  128. Castro, Daniel (5 de julho de 2017). «Band cancela X Factor e anuncia reality show à la Lost com famosos». Notícias da TV 
  129. «Band volta a exibir a novela "Mil e Uma Noites" nesta quarta-feira (19)». Terra 
  130. Castro, Daniel (21 de agosto de 2017). «Demitido da Globo, Luís Lacombe apresentará novo reality da Band». Notícias da TV 
  131. «Band fecha acordo para transmissão da Copa da Rússia - 19/10/2017 - UOL TV e Famosos». tvefamosos.uol.com.br. Consultado em 14 de dezembro de 2017 
  132. «Melhor da Tarde». Notícias da TV. 1 de fevereiro de 2018 
  133. «Larissa Erthal estreia "Vídeo News" na Band, e emissora nega fim do "BEC"» 
  134. «Band estréia Senhor dos Céus, série mexicana vencedora do EMMY» 
  135. Rodrigues, Guilherme. «Estreia do Superpoderosas repercute na web; veja». Observatório da Televisão. Consultado em 11 de abril de 2018 
  136. «Band contrata apresentadora e ativista Luisa Mell» 
  137. «Luisa Mell deixa a Band antes de programa estrear:'A demissão mais rápida da história'». Folha de São Paulo. Consultado em 31 de dezembro de 2018 
  138. «Roberto Justus assina com a Band para apresentar "O Aprendiz"» 
  139. «Band exibe segunda temporada de Shark Tank Brasil às quintas-feiras». Band.com 
  140. «Ricardo Boechat: o que se sabe sobre acidente de helicóptero que matou jornalista em SP». BBC 
  141. https://natelinha.uol.com.br/televisao/2019/02/12/reuniao-do-conselho-da-band-decidiu-pela-saida-do-presidente-johnny-saad-124771.php
  142. FM, BandNews (11 de novembro de 2019). «Grupo Bandeirantes assina parceria com o China Media Group, maior grupo de mídia do país asiático» 
  143. Vaquer, Gabriel (6 de janeiro de 2020). «Band adquire Orange is The New Black e Netflix terá primeira produção exibida em TV aberta». Observatório da TV. Consultado em 6 de janeiro de 2020 
  144. Ricco, Flávio (14 de janeiro de 2020). «Band está próxima de anunciar transmissões da Série B». UOL. Consultado em 14 de janeiro de 2020 
  145. «Globo impede Band de transmitir jogos do Cruzeiro na Série B e exibição na TV aberta não deve sair». Terra. 1 de fevereiro de 2020. Consultado em 10 de fevereiro de 2020 
  146. Padiglione, Cristina (15 de março de 2020). «Band aposta no telespectador que cedo madruga ao lançar Primeiro Jornal». F5. Consultado em 16 de março de 2020 
  147. Kogut, Patrícia (15 de maio de 2020). «Band anuncia a estreia de 'Largados e Pelados'». Patrícia Kogut - O Globo. Consultado em 18 de maio de 2020 
  148. «Band». Tele História. Consultado em 12 de agosto de 2011. Arquivado do original em 5 de julho de 2011 
  149. André Bernardo (8 de dezembro de 2010). «Longe da TV, Ana Maria Moretzsohn traça panorama da carreira em diferentes emissoras». SRZD. Consultado em 24 de julho de 2011 
  150. Camila Marques (7 de agosto de 2006). «"Floribella" termina nesta 6ª com sucesso de audiência e vendas». Folha de S.Paulo. Consultado em 24 de julho de 2011 
  151. «Depois de novela e musical, "Floribella" inspira livro». Folha de S.Paulo. 27 de junho de 2006. Consultado em 24 de julho de 2011 
  152. Miguel Arcanjo Prado (18 de setembro de 2008). «"Malhação" ganha prêmio e autora diz que aprendeu tudo com a mãe». Folha de S.Paulo. Consultado em 24 de julho de 2011 
  153. Diógenes Muniz (14 de novembro de 2006). «Com sexo e violência, novela "Paixões Proibidas" estréia na Band». Folha de S.Paulo. Consultado em 24 de julho de 2011 
  154. Ana Laura Nahas (1 de outubro de 2007). «Band estréia novela musical "Dance Dance Dance"». Folha de S.Paulo. Consultado em 24 de julho de 2011 
  155. «Dance Dance Dance: Band lança novela musical». Estrelando. 19 de setembro de 2007. Consultado em 24 de julho de 2011 
  156. Redação Folha Online (7 de maio de 2008). «"Água na Boca" vai misturar Shakespeare e culinária na Band». Folha de S.Paulo. Consultado em 24 de julho de 2011 
  157. «Band estréia novela "Água na Boca" nesta segunda». Ilustrada. Folha de S.Paulo. 12 de maio de 2008. Consultado em 19 de maio de 2011 
  158. XAVIER, Nilson. «Mandacaru». Teledramaturgia. Consultado em 10 de dezembro de 2014 
  159. «Abigaíl». Telenoveleiros. 20 de janeiro de 2012. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  160. «Desencontros (O Duende Azul)». Telenoveleiros. 15 de março de 2010. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  161. «'Maria Celeste' estréia na Band». Folha de S.Paulo. UOL. 8 de junho de 1997. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  162. «Band estréia novela mexicana 'Traição'». Folha de S.Paulo. UOL. 7 de dezembro de 1997. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  163. «Caminhos do Amor (Morena Clara)». Telenoveleiros. 1 de abril de 2010. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  164. «Sombras do Passado». Telenoveleiros. 27 de março de 2011. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  165. «Variedades». Correio do Povo. 2 de agosto de 1999. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  166. «DOU 23/06/1999 - Pg. 2 - Seção 1 | Diário Oficial da União | Diários JusBrasil». Diário Oficial da União. JusBrasil. 23 de junho de 1999. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  167. «Band exibe especial de "Morangos com Açúcar"». Terra Networks. 24 de março de 2004. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  168. André Bernardo (14 de janeiro de 2004). «Band estréia novela e série portuguesas». TV Press. Diário do Grande ABC. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  169. «Novela adolescente "Isa TKM" estreia nesta segunda-feira na Band». UOL. 19 de outubro de 2009. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  170. Aline Vieira (14 de dezembro de 2010). «"IsaTK+" estreia na Band dia 27 de dezembro». Capricho. Editora Abril. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  171. «Nova temporada da novela Quase Anjos começa nesta segunda». Band.com.br. UOL. 7 de junho de 2011. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  172. «"Violetta" estreia na Band nesta segunda». Band.com.br. UOL. 2 de dezembro de 2013. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  173. «Band apostará em novela em que protagonista corta testículos de estuprador». Yahoo! Entretenimento. Yahoo!. 14 de dezembro de 2013. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  174. a b Gabriel Vaquer (26 de novembro de 2014). «Band adquire novelas turcas para 2015; diretor confirma "MasterChef Júnior"». NaTelinha. UOL. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  175. «Band muda ordem de novelas turcas e anuncia "Sila" como próxima atração». UOL. Consultado em 9 de dezembro de 2015 
  176. «Ezel é a nova novela da Band». Band.com 
  177. «Amor Proibido estreia na próxima segunda-feira». Band.com 
  178. «Saiba tudo sobre Senhor dos Céus, a nova série da Band». Band.com 
  179. «Reviravoltas apaixonantes marcam a história de Asas do Amor». Band.com 
  180. «Novela Minha Vida estreia nesta quarta-feira». Band.com 
  181. XAVIER, Nilson. «Haru e Natsu, as cartas que não chegaram». Teledramaturgia. Consultado em 1 de fevereiro de 2014 
  182. XAVIER, Nilson. «Tô Frito». Teledramaturgia. Consultado em 1 de fevereiro de 2014 
  183. XAVIER, Nilson. «Descolados». Teledramaturgia. Consultado em 10 de dezembro de 2014 
  184. XAVIER, Nilson. «Julie e os Fantasmas». Teledramaturgia. Consultado em 1 de fevereiro de 2014 
  185. «Agora existe solução!». Band 
  186. a b c d e f g «Logomarcas». Band.com.br. Consultado em 20 de junho de 2016. Cópia arquivada em 25 de agosto de 2006 
  187. a b André Luiz Sens (2 de agosto de 2010). «Portfólio Televisual: Cyro del Nero». Televisual. Consultado em 20 de junho de 2016 
  188. «Com novo logo, Band aposta em futuro». Meio & Mensagem. 16 de julho de 2018. Consultado em 17 de julho de 2018 
  189. «Consulta à Base de Dados do INPI». INPI. Consultado em 20 de junho de 2016 
  190. João Filho (23 de fevereiro de 2020). «Bolsonaro se diz perseguido pela imprensa. Mas Band, SBT, Record e Rede TV estão ao seu lado.». The Intercept Brasil. First Look Media. Consultado em 26 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 26 de fevereiro de 2020 
  191. IstoÉ, ed. (15 de janeiro de 2020). «Chefe da Secom recebe dinheiro de emissoras contratadas pelo governo Bolsonaro». Consultado em 14 de março de 2020 
  192. «Como o presidente Bolsonaro tenta, metodicamente, silenciar a imprensa crítica». RSF. 16 de abril de 2020. Consultado em 24 de abril de 2020. Cópia arquivada em 24 de abril de 2020 
  193. «Bolsonaro deu 102 entrevistas exclusivas desde a posse; Band é a mais atendida». Poder360. 7 de julho de 2020. Consultado em 7 de julho de 2020. Cópia arquivada em 7 de julho de 2020 
  194. Giuliano Galli (10 de outubro de 2017). «Confira a lista com todos os vencedores e menções honrosas do 39º Prêmio Vladimir Herzog». Vladimir. Consultado em 28 de março de 2020. Cópia arquivada em 29 de março de 2020 

Ligações externasEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Categoria no Commons
  Categoria no Wikinotícias
  Base de dados no Wikidata